SINTOMAS COMUNS DA
EXISTÊNCIA DE MALDIÇÃO.
Parte VII
PROBLEMAS ANORMAIS E DESVIOS NA ÁREA SEXUAL.
Definindo o casamento.
Antes de falarmos sobre os problemas sexuais, é fundamental
definirmos o casamento.
A essência do c...
A benção dos pais (família).
Na Bíblia, é fácil observar que a principal instituição
responsável pelo casamento é a própri...
A benção sacerdotal (igreja).
O conselho dos líderes e pastores é essencial para
confirmar um passo tão importante como é ...
A benção sexual (aliança).
É estabelecida pela pureza e fidelidade conjugal.
A intimidade sexual sanciona e renova uma ali...
A INTIMIDADE NO CASAMENTO.
Quase sempre as pessoas estão em conflito com essas
questões.
O que pode e o que não pode na intimidade conjugal?
O sexo o...
A primeira consideração relevante que devemos entender
é que quando a bíblia fala de proibição de sexo oral e anal
está fa...
A história da sodomia está essencialmente ligada ao
homossexualismo, ou seja, quando os habitantes de
Sodoma chegaram a re...
Basicamente, em relação ao sexo, a bíblia estabelece duas
condições fundamentais.
A primeira condição é o casamento.
Qualq...
A segunda condição, depende da primeira, é o consenso.
Quem ama respeita. Quando não existe respeito ou
conivência, haverá...
FIM
Sintomas comuns da existência de maldição parte vii 15
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sintomas comuns da existência de maldição parte vii 15

498 visualizações

Publicada em

Pastoreando uma Igraja Ferida

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
498
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sintomas comuns da existência de maldição parte vii 15

  1. 1. SINTOMAS COMUNS DA EXISTÊNCIA DE MALDIÇÃO. Parte VII
  2. 2. PROBLEMAS ANORMAIS E DESVIOS NA ÁREA SEXUAL.
  3. 3. Definindo o casamento. Antes de falarmos sobre os problemas sexuais, é fundamental definirmos o casamento. A essência do casamento e da família é a aliança, ou seja um compromisso pelo resto da vida baseando em fidelidade, confiança e respeito. Quatro bênçãos relacionadas às esferas de autoridade estabelecidas por Deus funcionam como alicerces espirituais que irão definir o sucesso do casamento.
  4. 4. A benção dos pais (família). Na Bíblia, é fácil observar que a principal instituição responsável pelo casamento é a própria família da pessoa. Os casamentos nos tempos bíblicos eram realizados mediante a aprovação dos pais, em casa. Em Gênesis a Bíblia mostra essa ligação entre o casamento e os pais: “Portanto, deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir- se-á à sua mulher, e serão uma só carne” Gn 2:24 O casamento se resume na emancipação, ou seja, na autorização dos pais para deixá-los, em honra, assumindo diante de Deus uma aliança até que a morte os separe.
  5. 5. A benção sacerdotal (igreja). O conselho dos líderes e pastores é essencial para confirmar um passo tão importante como é o casamento. Qualquer advertência nesse sentido deve ser levada a sério. A bênção judicial (governo). Faz parte do dever civil e bíblico de se submeter às autoridades instituídas por Deus. Isso traz uma proteção legal. O não casamento no cartório estabelece uma situação espiritual ilegítima em relação ao casamento, ou seja, o amasiamento.
  6. 6. A benção sexual (aliança). É estabelecida pela pureza e fidelidade conjugal. A intimidade sexual sanciona e renova uma aliança de sangue entre o casal, construindo a condição espiritual de uma só carne, uma só alma, a afinidade conjugal: “...porque, como foi dito, os dois serão uma só carne” I Co 6:16 Normalmente, quando a vida sexual dentro do casamento acaba, é sinal que esse casamento está seriamente danificado, adoecido e em perigo. Casamento sem sexo está deixando de ser casamento. As questões e contaminações relacionadas à vida sexual das pessoas precisam ser bem resolvidas.
  7. 7. A INTIMIDADE NO CASAMENTO.
  8. 8. Quase sempre as pessoas estão em conflito com essas questões. O que pode e o que não pode na intimidade conjugal? O sexo oral é pecado? O sexo anal é pecado? Na realidade os maiores problemas e as culpas de um casal no relacionamento conjugal é os abusos de líderes despreparados no aconselhamento. Quando qualquer líder ou conselheiro cristão começa a doutrinar como deve ser a intimidade sexual de um casal está cruzando uma linha perigosa, podendo cometer um abuso espiritual. Nessas questões, é melhor deixar a bíblia falar.
  9. 9. A primeira consideração relevante que devemos entender é que quando a bíblia fala de proibição de sexo oral e anal está falando da prática homossexual. “pelo que Deus os entregou a paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural no que é contrário à natureza; semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a devida recompensa do seu erro” Rm 1:26-27 Não dá para associar esse texto ao casamento. Também, quando a bíblia fala sobre a sodomia, é importante entender que sodomia está descontextualizada do casamento. O conceito de sodomia tem a sua origem na bíblia.
  10. 10. A história da sodomia está essencialmente ligada ao homossexualismo, ou seja, quando os habitantes de Sodoma chegaram a recusar a proposta de Ló em relação às filhas, cobiçando sexualmente os varões que hospedara em sua casa. Não encontramos na bíblia o conceito de sodomia vinculado ao casamento.
  11. 11. Basicamente, em relação ao sexo, a bíblia estabelece duas condições fundamentais. A primeira condição é o casamento. Qualquer tipo de intimidade sexual fora do casamento é pecado, e certamente trará consequências espirituais e sociais destruidoras. Você pode encontrar em toda a bíblia inúmeras restrições e proibições para o sexo fora do casamento. Porém no contexto do casamento, você não vai achar nenhuma referência bíblica regulamentando ou restringindo o que um casal pode ou não pode fazer na sua intimidade sexual.
  12. 12. A segunda condição, depende da primeira, é o consenso. Quem ama respeita. Quando não existe respeito ou conivência, haverá violência. Onde existe violência haverá sofrimento. Não existe prazer sem respeito. Havendo consenso, a intimidade sexual dentro do casamento não encontra regras ou restrições bíblicas. Na verdade só existe uma restrição que é para à abstinência sexual (I Co 7:5), que deve ser feita em comum acordo, por um tempo que não seja longo, e com a motivação de consagração e oração.
  13. 13. FIM

×