SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
2017­6­28 :: 40000178672 ­ e­Proc ::
https://eproc.trf4.jus.br/eproc2trf4/controlador.php?acao=minuta_imprimir&acao_origem=acessar_documento&hash=b312879b77b085c5d9a6980441a2a0e6 1/3
AGRAVADO: UNIÃO ­ FAZENDA NACIONAL
DESPACHO/DECISÃO
Trata­se de agravo de instrumento interposto contra decisão que, em mandado
S.A  busca  a  concessão  de  ordem  para  garantir  a  continuidade  do  recolhimento  da
contribuição previdenciária, parte patronal, sobre o valor da receita brutade de que trata o art.
8º,  da  Lei  nº  12.546/11  (com  alterações  introduzidas  pela  Lei  nº  13.161/2015),  até  31  de
dezembro de 2017, tal como expressamente previsto no art. 9º, §13, do mesmo normativo,
sob pena de afronta aos Princípios da Isonomia, Direito Adquirido e Segurança Jurídica.
A  agravante,  pessoa  jurídica  de  direito  privado  que  tem  por  objeto  a
industrialização  e  comercialização  de  carnes  e  outros,  relata  que,  após  opção  pelo
recolhimento da contribuição previdenciária patronal com base na receita bruta (CPRB), de
acordo  com  a  Lei  nº  12.546/2011  e  alterações  da  Lei  nº  13.161/2015,  sobreveio  alteração
legislativa, introduzida pela Medida Provisória nº 774 de 30 de março de 2017, excluindo
referido regime de apuração.
Requer  seja  antecipada  a  tutela  recursal,  a  fim  de  que  seja  assegurado  o  seu
direito de recolher a contribuição previdenciária sobre a receita bruta até 31.12.2017.
Decido.
No presente feito, encontram­se conjugados os requisitos legais do art. 1.019, I,
c/c art. 995, do CPC, quais sejam, a existência de risco de dano grave e a demonstração da
probabilidade de provimento do recurso.
Em  processo  idêntico  ao  presente,  Agravo  de  Instrumento  nº  5031249­
36.2017.4.04.0000/SC, o Ilustre Desembargador Amaury Chaves de Athayde, como relator,
reconheceu o direito líquido e certo tal como o pedido formulado pela agravante, de modo
que, agrego a este julgamento os fundamentos expendidos naquela decisão:
"O risco de dano grave resta consubstanciado na previsão de alteração da base
de cálculo das contribuições previdenciárias já a partir de 1º.07.2017.
Quanto à probabilidade de provimento deste recurso, também a reputo presente,
ao menos neste juízo perfunctório, próprio das tutelas de urgência. Explico.
A Medida Provisória n.° 774/2017 alterou a Lei n.° 12.546/2011, para excluir
para  as  empresas  dos  setores  comercial  e  industrial  e  para  algumas  empresas  do  setor  de
serviços a possibilidade de opção pelo recolhimento da contribuição previdenciária sobre a
receita  bruta,  com  efeitos  a  partir  de  1º  de  julho  de  2017.  Assim,  a  partir  desse  marco
temporal, a incidência obrigatória da contribuição previdenciária patronal sobre a folha de
salários deverá ser restaurada.
Poder Judiciário
TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 4ª REGIÃO
AGRAVANTE: 
AGRAVO  DE  INSTRUMENTO  Nº 
de  segurança,  indeferiu  o  pedido  de  liminar,  por  meio  do  qual  a  impetrante 
2017­6­28 :: 40000178672 ­ e­Proc ::
https://eproc.trf4.jus.br/eproc2trf4/controlador.php?acao=minuta_imprimir&acao_origem=acessar_documento&hash=b312879b77b085c5d9a6980441a2a0e6 2/3
De início, não me parece que a alteração da política de desoneração da folha de
salários possa ser tratada como uma mera revogação de um benefício fiscal incondicionado;
ao  invés,  entendo  que  a  situação  em  análise  amolda­se  mais  a  uma  alteração  do  regime
jurídico­tributário propriamente do que uma mera revogação de benefício fiscal, pois se trata
de modificação da própria base de cálculo da contribuição.
Nessa  senda,  forçoso  atentar  que  o  artigo  9º,  parágrafo  13,  da  Lei  n.°
12.546/2011, estabelece que a opção pela tributação substitutiva será irretratável para todo o
ano calendário, in verbis:
"§  13.  A  opção  pela  tributação  substitutiva  prevista  nos  arts.  7º  e  8º  será
manifestada mediante o pagamento da contribuição incidente sobre a receita bruta relativa a
janeiro de cada ano, ou à primeira competência subsequente para a qual haja receita bruta
apurada, e ser á irretratável para todo o ano calendário."
Creio, pois, que o legislador, ao estabelecer que a opção pela substituição da
contribuição previdenciária patronal pela contribuição incidente sobre a receita bruta no mês
de janeiro de cada ano ou no mês relativo à primeira competência subsequente em que haja
receita bruta apurada será irretratável, criou, para o contribuinte, justa expectativa de que o
regime tributário eleito perduraria até o final de exercício de 2017, e, em contraponto, previu
para o ente­tributante limitação quanto a possibilidade de alteração do regime escolhido.
É certo que os princípios da irretroatividade e da anterioridade nonagesimal não
foram violados pela Medida Provisória n.° 774/2017, no entanto, não menos certo também é a
conclusão  de  que,  além  das  limitações  constitucionais  ao  poder  de  tributar  expressas  na
Constituição da República, também há princípios constitucionais implícitos que impendem
sejam considerados.
A integridade do sistema tributário pressupõe, além de outros balizamentos, a
segurança jurídica e a proteção da confiança legítima, as quais restam, a meu ver, maculadas
com a previsão de mudança do regime jurídico eleito já a partir de 1º.07.2017.
Com efeito, o parágrafo 13 do art. 9º da Lei n.° 12.546/2011, trouxe, em seu
bojo, ao menos três regras com conteúdo normativo bastante explícito: a) trata­se de opção do
contribuinte escolher entre o regime de tributação sobre a folha de salários e a receita bruta;
b) trata­se de uma opção com período de vigência certo e determinado, qual seja, todo o ano­
calendário; c) trata­se de opção irretratável.
Ora,  diante  de  tais  contornos  bem  definidos,  os  contribuintes  elegeram  a  sua
opção e, com base nela, planejaram suas atividades econômicas, seus custos operacionais e
basearam seus investimentos. A alteração abrupta da forma de recolhimento da contribuição
previdenciária, ainda que não viole a anterioridade mitigada, representa, a meu ver, flagrante
inobservância à segurança jurídica, à proteção da confiança legítima e à boa­fé objetiva do
contribuinte, princípios esses que são balizas, como dito, à integridade do sistema tributário.
Ademais, poder­se­ia cogitar inclusive de violação ao ato jurídico perfeito, já que a opção do
contribuinte deu­se em Janeiro de 2017.
Não fosse isso suficiente, não há olvidar que não houve, pela Medida Provisória
n.° 774/2017, revogação expressa do parágrafo 13 do art. 9º da Lei n.° 12.546/2011, fato esse
que, por si só, neste momento, já daria azo à concessão da tutela de urgência almejada.
Isso posto, defiro a antecipação da tutela recursal, para autorizar as impetrantes
a  continuarem  recolhendo  a  contribuição  previdenciária  sobre  a  receita  bruta  até  31  de
dezembro de 2017."
Dê­se vista à agravada para contrarrazões.
Comunique­se, com urgência, ao Juízo a quo, para as providências cabíveis.
2017­6­28 :: 40000178672 ­ e­Proc ::
https://eproc.trf4.jus.br/eproc2trf4/controlador.php?acao=minuta_imprimir&acao_origem=acessar_documento&hash=b312879b77b085c5d9a6980441a2a0e6 3/3
40000178672 .V13 VNN© VNN
Intimem­se.
 
Documento  eletrônico  assinado  por  MARIA  DE  FÁTIMA  FREITAS  LABARRÈRE,  Desembargadora  Federal
Relatora, na forma do artigo 1º, inciso III, da Lei 11.419, de 19 de dezembro de 2006 e Resolução TRF 4ª Região nº 17,
de  26  de  março  de  2010.  A  conferência  da  autenticidade  do  documento  está  disponível  no  endereço  eletrônico
http://www.trf4.jus.br/trf4/processos/verifica.php, mediante o preenchimento do código verificador 40000178672v13 e
do código CRC 9608f78a. 
 
Informações adicionais da assinatura: 
Signatário (a): MARIA DE FÁTIMA FREITAS LABARRÈRE 
Data e Hora: 22/06/2017 17:14:53 
 
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Dou131008 resumo semanal
Dou131008 resumo semanalDou131008 resumo semanal
Dou131008 resumo semanalDenizecomZ
 
AS INCONSTITUCIONALIDADES DA CONSTRIÇÃO PATRIMONIAL ADMINISTRATIVA PELA PROCU...
AS INCONSTITUCIONALIDADES DA CONSTRIÇÃO PATRIMONIAL ADMINISTRATIVA PELA PROCU...AS INCONSTITUCIONALIDADES DA CONSTRIÇÃO PATRIMONIAL ADMINISTRATIVA PELA PROCU...
AS INCONSTITUCIONALIDADES DA CONSTRIÇÃO PATRIMONIAL ADMINISTRATIVA PELA PROCU...Campos Mello Advogados
 
Desaposentação Acórdão TRF1
Desaposentação  Acórdão TRF1Desaposentação  Acórdão TRF1
Desaposentação Acórdão TRF1Fabio Motta
 
Liminar sintespe suspensa
Liminar sintespe suspensaLiminar sintespe suspensa
Liminar sintespe suspensaSINTE Regional
 
TRF1 - Sentença Desaposentação com Tutela Antecipada
TRF1 - Sentença Desaposentação com Tutela AntecipadaTRF1 - Sentença Desaposentação com Tutela Antecipada
TRF1 - Sentença Desaposentação com Tutela AntecipadaFabio Motta
 
Fator previdenciário procedente
Fator previdenciário procedenteFator previdenciário procedente
Fator previdenciário procedenteFabio Motta
 
Stj professor agravo regimental
Stj professor agravo regimentalStj professor agravo regimental
Stj professor agravo regimentalFabio Motta
 
Julgamento acórdão idec x nossa caixa bb
Julgamento acórdão idec x nossa caixa  bbJulgamento acórdão idec x nossa caixa  bb
Julgamento acórdão idec x nossa caixa bbFabio Motta
 
Despacho decisão judicial
Despacho decisão  judicialDespacho decisão  judicial
Despacho decisão judicialSINTE Regional
 
Senten+âºa f prev_jef_floripa_-_paggiarin[1]
Senten+âºa f prev_jef_floripa_-_paggiarin[1]Senten+âºa f prev_jef_floripa_-_paggiarin[1]
Senten+âºa f prev_jef_floripa_-_paggiarin[1]Fabio Motta
 
STF - ADI - Petição Inicial
STF - ADI - Petição InicialSTF - ADI - Petição Inicial
STF - ADI - Petição InicialJamildo Melo
 
Desaposentação tutela antecipada
Desaposentação tutela antecipadaDesaposentação tutela antecipada
Desaposentação tutela antecipadaFabio Motta
 
Art. 1º Fica o Poder Executivo autorizado a emitir títulos da dívida pública,...
Art. 1º Fica o Poder Executivo autorizado a emitir títulos da dívida pública,...Art. 1º Fica o Poder Executivo autorizado a emitir títulos da dívida pública,...
Art. 1º Fica o Poder Executivo autorizado a emitir títulos da dívida pública,...IMPOSTO RENDA DECLARAÇÃO
 
STJ - Não incidência do Fator previdenciário em aposentadoria para professor.
STJ - Não incidência do Fator previdenciário em aposentadoria para professor.STJ - Não incidência do Fator previdenciário em aposentadoria para professor.
STJ - Não incidência do Fator previdenciário em aposentadoria para professor.Fabio Motta
 
Sentença Desaposentação com Tutela Antecipada
Sentença Desaposentação com Tutela AntecipadaSentença Desaposentação com Tutela Antecipada
Sentença Desaposentação com Tutela AntecipadaFabio Motta
 
Projeto Refis 2020
Projeto Refis 2020Projeto Refis 2020
Projeto Refis 2020SomMaior
 
Aposentadoria Professor sem Fator Previdenciário - Sentença com Antecipação d...
Aposentadoria Professor sem Fator Previdenciário - Sentença com Antecipação d...Aposentadoria Professor sem Fator Previdenciário - Sentença com Antecipação d...
Aposentadoria Professor sem Fator Previdenciário - Sentença com Antecipação d...Fabio Motta
 
Link4 lei 11535 de 17 de fevereiro de 1998
Link4   lei 11535 de 17 de fevereiro de 1998Link4   lei 11535 de 17 de fevereiro de 1998
Link4 lei 11535 de 17 de fevereiro de 1998Caso Celpe
 
Decreto n 7.568 repasses convenios união
Decreto n 7.568 repasses convenios uniãoDecreto n 7.568 repasses convenios união
Decreto n 7.568 repasses convenios uniãoCarlos França
 

Mais procurados (20)

Sentenã‡a
Sentenã‡aSentenã‡a
Sentenã‡a
 
Dou131008 resumo semanal
Dou131008 resumo semanalDou131008 resumo semanal
Dou131008 resumo semanal
 
AS INCONSTITUCIONALIDADES DA CONSTRIÇÃO PATRIMONIAL ADMINISTRATIVA PELA PROCU...
AS INCONSTITUCIONALIDADES DA CONSTRIÇÃO PATRIMONIAL ADMINISTRATIVA PELA PROCU...AS INCONSTITUCIONALIDADES DA CONSTRIÇÃO PATRIMONIAL ADMINISTRATIVA PELA PROCU...
AS INCONSTITUCIONALIDADES DA CONSTRIÇÃO PATRIMONIAL ADMINISTRATIVA PELA PROCU...
 
Desaposentação Acórdão TRF1
Desaposentação  Acórdão TRF1Desaposentação  Acórdão TRF1
Desaposentação Acórdão TRF1
 
Liminar sintespe suspensa
Liminar sintespe suspensaLiminar sintespe suspensa
Liminar sintespe suspensa
 
TRF1 - Sentença Desaposentação com Tutela Antecipada
TRF1 - Sentença Desaposentação com Tutela AntecipadaTRF1 - Sentença Desaposentação com Tutela Antecipada
TRF1 - Sentença Desaposentação com Tutela Antecipada
 
Fator previdenciário procedente
Fator previdenciário procedenteFator previdenciário procedente
Fator previdenciário procedente
 
Stj professor agravo regimental
Stj professor agravo regimentalStj professor agravo regimental
Stj professor agravo regimental
 
Julgamento acórdão idec x nossa caixa bb
Julgamento acórdão idec x nossa caixa  bbJulgamento acórdão idec x nossa caixa  bb
Julgamento acórdão idec x nossa caixa bb
 
Despacho decisão judicial
Despacho decisão  judicialDespacho decisão  judicial
Despacho decisão judicial
 
Senten+âºa f prev_jef_floripa_-_paggiarin[1]
Senten+âºa f prev_jef_floripa_-_paggiarin[1]Senten+âºa f prev_jef_floripa_-_paggiarin[1]
Senten+âºa f prev_jef_floripa_-_paggiarin[1]
 
STF - ADI - Petição Inicial
STF - ADI - Petição InicialSTF - ADI - Petição Inicial
STF - ADI - Petição Inicial
 
Desaposentação tutela antecipada
Desaposentação tutela antecipadaDesaposentação tutela antecipada
Desaposentação tutela antecipada
 
Art. 1º Fica o Poder Executivo autorizado a emitir títulos da dívida pública,...
Art. 1º Fica o Poder Executivo autorizado a emitir títulos da dívida pública,...Art. 1º Fica o Poder Executivo autorizado a emitir títulos da dívida pública,...
Art. 1º Fica o Poder Executivo autorizado a emitir títulos da dívida pública,...
 
STJ - Não incidência do Fator previdenciário em aposentadoria para professor.
STJ - Não incidência do Fator previdenciário em aposentadoria para professor.STJ - Não incidência do Fator previdenciário em aposentadoria para professor.
STJ - Não incidência do Fator previdenciário em aposentadoria para professor.
 
Sentença Desaposentação com Tutela Antecipada
Sentença Desaposentação com Tutela AntecipadaSentença Desaposentação com Tutela Antecipada
Sentença Desaposentação com Tutela Antecipada
 
Projeto Refis 2020
Projeto Refis 2020Projeto Refis 2020
Projeto Refis 2020
 
Aposentadoria Professor sem Fator Previdenciário - Sentença com Antecipação d...
Aposentadoria Professor sem Fator Previdenciário - Sentença com Antecipação d...Aposentadoria Professor sem Fator Previdenciário - Sentença com Antecipação d...
Aposentadoria Professor sem Fator Previdenciário - Sentença com Antecipação d...
 
Link4 lei 11535 de 17 de fevereiro de 1998
Link4   lei 11535 de 17 de fevereiro de 1998Link4   lei 11535 de 17 de fevereiro de 1998
Link4 lei 11535 de 17 de fevereiro de 1998
 
Decreto n 7.568 repasses convenios união
Decreto n 7.568 repasses convenios uniãoDecreto n 7.568 repasses convenios união
Decreto n 7.568 repasses convenios união
 

Mais de Fabio Motta

TRF3 - Liminar - Contribuições Previdenciárias
TRF3 - Liminar - Contribuições PrevidenciáriasTRF3 - Liminar - Contribuições Previdenciárias
TRF3 - Liminar - Contribuições PrevidenciáriasFabio Motta
 
Liminar - Contribuições Previdenciárias
Liminar - Contribuições PrevidenciáriasLiminar - Contribuições Previdenciárias
Liminar - Contribuições PrevidenciáriasFabio Motta
 
ICMS não incide sobre TUSD, reforça 2ª Turma do STJ
ICMS não incide sobre TUSD, reforça 2ª Turma do STJICMS não incide sobre TUSD, reforça 2ª Turma do STJ
ICMS não incide sobre TUSD, reforça 2ª Turma do STJFabio Motta
 
Sentença - Correios - Vale Alimentação
Sentença - Correios - Vale AlimentaçãoSentença - Correios - Vale Alimentação
Sentença - Correios - Vale AlimentaçãoFabio Motta
 
Empregados dos Correios admitidos antes de 1987 têm direito à incorporação do...
Empregados dos Correios admitidos antes de 1987 têm direito à incorporação do...Empregados dos Correios admitidos antes de 1987 têm direito à incorporação do...
Empregados dos Correios admitidos antes de 1987 têm direito à incorporação do...Fabio Motta
 
LIMINAR Fosfoetanolamina - Amazonas
LIMINAR Fosfoetanolamina - AmazonasLIMINAR Fosfoetanolamina - Amazonas
LIMINAR Fosfoetanolamina - AmazonasFabio Motta
 
Liminar Fosfoetanolamina
Liminar FosfoetanolaminaLiminar Fosfoetanolamina
Liminar FosfoetanolaminaFabio Motta
 
Liminar Concedida - Advocacia do Estado alega que não tem condições financeir...
Liminar Concedida - Advocacia do Estado alega que não tem condições financeir...Liminar Concedida - Advocacia do Estado alega que não tem condições financeir...
Liminar Concedida - Advocacia do Estado alega que não tem condições financeir...Fabio Motta
 
PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...
PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...
PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...Fabio Motta
 
Liminar Fosfoetanolamina - Justiça Federal de Piracicaba
Liminar Fosfoetanolamina - Justiça Federal de PiracicabaLiminar Fosfoetanolamina - Justiça Federal de Piracicaba
Liminar Fosfoetanolamina - Justiça Federal de PiracicabaFabio Motta
 
Liminar em agravo Fosfoetanolamina Sintética
Liminar em agravo Fosfoetanolamina SintéticaLiminar em agravo Fosfoetanolamina Sintética
Liminar em agravo Fosfoetanolamina SintéticaFabio Motta
 
Fosfoetanolamina - LIMINAR -Juizado Especial Federal de São Paulo
Fosfoetanolamina - LIMINAR -Juizado Especial Federal de São PauloFosfoetanolamina - LIMINAR -Juizado Especial Federal de São Paulo
Fosfoetanolamina - LIMINAR -Juizado Especial Federal de São PauloFabio Motta
 
Fosfoetanolamina -Agravo de-instrumento-nº2256809-70.2015.8.26.0000
Fosfoetanolamina -Agravo de-instrumento-nº2256809-70.2015.8.26.0000Fosfoetanolamina -Agravo de-instrumento-nº2256809-70.2015.8.26.0000
Fosfoetanolamina -Agravo de-instrumento-nº2256809-70.2015.8.26.0000Fabio Motta
 
Acórdão em embargos anulação de sentença
Acórdão em embargos   anulação de sentençaAcórdão em embargos   anulação de sentença
Acórdão em embargos anulação de sentençaFabio Motta
 
STJ - SEGUNDA TURMA AFASTA A DECADENCIA DAS AÇÕES DO TEMA 334 / MELHOR BENEFI...
STJ - SEGUNDA TURMA AFASTA A DECADENCIA DAS AÇÕES DO TEMA 334 / MELHOR BENEFI...STJ - SEGUNDA TURMA AFASTA A DECADENCIA DAS AÇÕES DO TEMA 334 / MELHOR BENEFI...
STJ - SEGUNDA TURMA AFASTA A DECADENCIA DAS AÇÕES DO TEMA 334 / MELHOR BENEFI...Fabio Motta
 
Fosfoetanolamina - TJSP - Voto desembargador Sergio Rui Fonseca
Fosfoetanolamina - TJSP  - Voto desembargador Sergio Rui FonsecaFosfoetanolamina - TJSP  - Voto desembargador Sergio Rui Fonseca
Fosfoetanolamina - TJSP - Voto desembargador Sergio Rui FonsecaFabio Motta
 
04/11/2015 16h29 - Atualizado em 04/11/2015 18h23 Decisão da Justiça obriga U...
04/11/2015 16h29 - Atualizado em 04/11/2015 18h23 Decisão da Justiça obriga U...04/11/2015 16h29 - Atualizado em 04/11/2015 18h23 Decisão da Justiça obriga U...
04/11/2015 16h29 - Atualizado em 04/11/2015 18h23 Decisão da Justiça obriga U...Fabio Motta
 
Acórdão Desaposentação - TRF 5 - Turma Recursal de Sergipe
Acórdão Desaposentação - TRF 5 - Turma Recursal de SergipeAcórdão Desaposentação - TRF 5 - Turma Recursal de Sergipe
Acórdão Desaposentação - TRF 5 - Turma Recursal de SergipeFabio Motta
 
URGENTE - STF derruba decisão do Presidente do TJSP que havia suspendido o fo...
URGENTE - STF derruba decisão do Presidente do TJSP que havia suspendido o fo...URGENTE - STF derruba decisão do Presidente do TJSP que havia suspendido o fo...
URGENTE - STF derruba decisão do Presidente do TJSP que havia suspendido o fo...Fabio Motta
 
STF derruba decisão do TJSP que suspendeu o fornecimento de fosfoetanolamina
STF derruba decisão do TJSP que suspendeu o fornecimento de fosfoetanolaminaSTF derruba decisão do TJSP que suspendeu o fornecimento de fosfoetanolamina
STF derruba decisão do TJSP que suspendeu o fornecimento de fosfoetanolaminaFabio Motta
 

Mais de Fabio Motta (20)

TRF3 - Liminar - Contribuições Previdenciárias
TRF3 - Liminar - Contribuições PrevidenciáriasTRF3 - Liminar - Contribuições Previdenciárias
TRF3 - Liminar - Contribuições Previdenciárias
 
Liminar - Contribuições Previdenciárias
Liminar - Contribuições PrevidenciáriasLiminar - Contribuições Previdenciárias
Liminar - Contribuições Previdenciárias
 
ICMS não incide sobre TUSD, reforça 2ª Turma do STJ
ICMS não incide sobre TUSD, reforça 2ª Turma do STJICMS não incide sobre TUSD, reforça 2ª Turma do STJ
ICMS não incide sobre TUSD, reforça 2ª Turma do STJ
 
Sentença - Correios - Vale Alimentação
Sentença - Correios - Vale AlimentaçãoSentença - Correios - Vale Alimentação
Sentença - Correios - Vale Alimentação
 
Empregados dos Correios admitidos antes de 1987 têm direito à incorporação do...
Empregados dos Correios admitidos antes de 1987 têm direito à incorporação do...Empregados dos Correios admitidos antes de 1987 têm direito à incorporação do...
Empregados dos Correios admitidos antes de 1987 têm direito à incorporação do...
 
LIMINAR Fosfoetanolamina - Amazonas
LIMINAR Fosfoetanolamina - AmazonasLIMINAR Fosfoetanolamina - Amazonas
LIMINAR Fosfoetanolamina - Amazonas
 
Liminar Fosfoetanolamina
Liminar FosfoetanolaminaLiminar Fosfoetanolamina
Liminar Fosfoetanolamina
 
Liminar Concedida - Advocacia do Estado alega que não tem condições financeir...
Liminar Concedida - Advocacia do Estado alega que não tem condições financeir...Liminar Concedida - Advocacia do Estado alega que não tem condições financeir...
Liminar Concedida - Advocacia do Estado alega que não tem condições financeir...
 
PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...
PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...
PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...
 
Liminar Fosfoetanolamina - Justiça Federal de Piracicaba
Liminar Fosfoetanolamina - Justiça Federal de PiracicabaLiminar Fosfoetanolamina - Justiça Federal de Piracicaba
Liminar Fosfoetanolamina - Justiça Federal de Piracicaba
 
Liminar em agravo Fosfoetanolamina Sintética
Liminar em agravo Fosfoetanolamina SintéticaLiminar em agravo Fosfoetanolamina Sintética
Liminar em agravo Fosfoetanolamina Sintética
 
Fosfoetanolamina - LIMINAR -Juizado Especial Federal de São Paulo
Fosfoetanolamina - LIMINAR -Juizado Especial Federal de São PauloFosfoetanolamina - LIMINAR -Juizado Especial Federal de São Paulo
Fosfoetanolamina - LIMINAR -Juizado Especial Federal de São Paulo
 
Fosfoetanolamina -Agravo de-instrumento-nº2256809-70.2015.8.26.0000
Fosfoetanolamina -Agravo de-instrumento-nº2256809-70.2015.8.26.0000Fosfoetanolamina -Agravo de-instrumento-nº2256809-70.2015.8.26.0000
Fosfoetanolamina -Agravo de-instrumento-nº2256809-70.2015.8.26.0000
 
Acórdão em embargos anulação de sentença
Acórdão em embargos   anulação de sentençaAcórdão em embargos   anulação de sentença
Acórdão em embargos anulação de sentença
 
STJ - SEGUNDA TURMA AFASTA A DECADENCIA DAS AÇÕES DO TEMA 334 / MELHOR BENEFI...
STJ - SEGUNDA TURMA AFASTA A DECADENCIA DAS AÇÕES DO TEMA 334 / MELHOR BENEFI...STJ - SEGUNDA TURMA AFASTA A DECADENCIA DAS AÇÕES DO TEMA 334 / MELHOR BENEFI...
STJ - SEGUNDA TURMA AFASTA A DECADENCIA DAS AÇÕES DO TEMA 334 / MELHOR BENEFI...
 
Fosfoetanolamina - TJSP - Voto desembargador Sergio Rui Fonseca
Fosfoetanolamina - TJSP  - Voto desembargador Sergio Rui FonsecaFosfoetanolamina - TJSP  - Voto desembargador Sergio Rui Fonseca
Fosfoetanolamina - TJSP - Voto desembargador Sergio Rui Fonseca
 
04/11/2015 16h29 - Atualizado em 04/11/2015 18h23 Decisão da Justiça obriga U...
04/11/2015 16h29 - Atualizado em 04/11/2015 18h23 Decisão da Justiça obriga U...04/11/2015 16h29 - Atualizado em 04/11/2015 18h23 Decisão da Justiça obriga U...
04/11/2015 16h29 - Atualizado em 04/11/2015 18h23 Decisão da Justiça obriga U...
 
Acórdão Desaposentação - TRF 5 - Turma Recursal de Sergipe
Acórdão Desaposentação - TRF 5 - Turma Recursal de SergipeAcórdão Desaposentação - TRF 5 - Turma Recursal de Sergipe
Acórdão Desaposentação - TRF 5 - Turma Recursal de Sergipe
 
URGENTE - STF derruba decisão do Presidente do TJSP que havia suspendido o fo...
URGENTE - STF derruba decisão do Presidente do TJSP que havia suspendido o fo...URGENTE - STF derruba decisão do Presidente do TJSP que havia suspendido o fo...
URGENTE - STF derruba decisão do Presidente do TJSP que havia suspendido o fo...
 
STF derruba decisão do TJSP que suspendeu o fornecimento de fosfoetanolamina
STF derruba decisão do TJSP que suspendeu o fornecimento de fosfoetanolaminaSTF derruba decisão do TJSP que suspendeu o fornecimento de fosfoetanolamina
STF derruba decisão do TJSP que suspendeu o fornecimento de fosfoetanolamina
 

Tribunal decide garantir recolhimento de contribuição sobre receita bruta até 2017

  • 1. 2017­6­28 :: 40000178672 ­ e­Proc :: https://eproc.trf4.jus.br/eproc2trf4/controlador.php?acao=minuta_imprimir&acao_origem=acessar_documento&hash=b312879b77b085c5d9a6980441a2a0e6 1/3 AGRAVADO: UNIÃO ­ FAZENDA NACIONAL DESPACHO/DECISÃO Trata­se de agravo de instrumento interposto contra decisão que, em mandado S.A  busca  a  concessão  de  ordem  para  garantir  a  continuidade  do  recolhimento  da contribuição previdenciária, parte patronal, sobre o valor da receita brutade de que trata o art. 8º,  da  Lei  nº  12.546/11  (com  alterações  introduzidas  pela  Lei  nº  13.161/2015),  até  31  de dezembro de 2017, tal como expressamente previsto no art. 9º, §13, do mesmo normativo, sob pena de afronta aos Princípios da Isonomia, Direito Adquirido e Segurança Jurídica. A  agravante,  pessoa  jurídica  de  direito  privado  que  tem  por  objeto  a industrialização  e  comercialização  de  carnes  e  outros,  relata  que,  após  opção  pelo recolhimento da contribuição previdenciária patronal com base na receita bruta (CPRB), de acordo  com  a  Lei  nº  12.546/2011  e  alterações  da  Lei  nº  13.161/2015,  sobreveio  alteração legislativa, introduzida pela Medida Provisória nº 774 de 30 de março de 2017, excluindo referido regime de apuração. Requer  seja  antecipada  a  tutela  recursal,  a  fim  de  que  seja  assegurado  o  seu direito de recolher a contribuição previdenciária sobre a receita bruta até 31.12.2017. Decido. No presente feito, encontram­se conjugados os requisitos legais do art. 1.019, I, c/c art. 995, do CPC, quais sejam, a existência de risco de dano grave e a demonstração da probabilidade de provimento do recurso. Em  processo  idêntico  ao  presente,  Agravo  de  Instrumento  nº  5031249­ 36.2017.4.04.0000/SC, o Ilustre Desembargador Amaury Chaves de Athayde, como relator, reconheceu o direito líquido e certo tal como o pedido formulado pela agravante, de modo que, agrego a este julgamento os fundamentos expendidos naquela decisão: "O risco de dano grave resta consubstanciado na previsão de alteração da base de cálculo das contribuições previdenciárias já a partir de 1º.07.2017. Quanto à probabilidade de provimento deste recurso, também a reputo presente, ao menos neste juízo perfunctório, próprio das tutelas de urgência. Explico. A Medida Provisória n.° 774/2017 alterou a Lei n.° 12.546/2011, para excluir para  as  empresas  dos  setores  comercial  e  industrial  e  para  algumas  empresas  do  setor  de serviços a possibilidade de opção pelo recolhimento da contribuição previdenciária sobre a receita  bruta,  com  efeitos  a  partir  de  1º  de  julho  de  2017.  Assim,  a  partir  desse  marco temporal, a incidência obrigatória da contribuição previdenciária patronal sobre a folha de salários deverá ser restaurada. Poder Judiciário TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 4ª REGIÃO AGRAVANTE:  AGRAVO  DE  INSTRUMENTO  Nº  de  segurança,  indeferiu  o  pedido  de  liminar,  por  meio  do  qual  a  impetrante 
  • 2. 2017­6­28 :: 40000178672 ­ e­Proc :: https://eproc.trf4.jus.br/eproc2trf4/controlador.php?acao=minuta_imprimir&acao_origem=acessar_documento&hash=b312879b77b085c5d9a6980441a2a0e6 2/3 De início, não me parece que a alteração da política de desoneração da folha de salários possa ser tratada como uma mera revogação de um benefício fiscal incondicionado; ao  invés,  entendo  que  a  situação  em  análise  amolda­se  mais  a  uma  alteração  do  regime jurídico­tributário propriamente do que uma mera revogação de benefício fiscal, pois se trata de modificação da própria base de cálculo da contribuição. Nessa  senda,  forçoso  atentar  que  o  artigo  9º,  parágrafo  13,  da  Lei  n.° 12.546/2011, estabelece que a opção pela tributação substitutiva será irretratável para todo o ano calendário, in verbis: "§  13.  A  opção  pela  tributação  substitutiva  prevista  nos  arts.  7º  e  8º  será manifestada mediante o pagamento da contribuição incidente sobre a receita bruta relativa a janeiro de cada ano, ou à primeira competência subsequente para a qual haja receita bruta apurada, e ser á irretratável para todo o ano calendário." Creio, pois, que o legislador, ao estabelecer que a opção pela substituição da contribuição previdenciária patronal pela contribuição incidente sobre a receita bruta no mês de janeiro de cada ano ou no mês relativo à primeira competência subsequente em que haja receita bruta apurada será irretratável, criou, para o contribuinte, justa expectativa de que o regime tributário eleito perduraria até o final de exercício de 2017, e, em contraponto, previu para o ente­tributante limitação quanto a possibilidade de alteração do regime escolhido. É certo que os princípios da irretroatividade e da anterioridade nonagesimal não foram violados pela Medida Provisória n.° 774/2017, no entanto, não menos certo também é a conclusão  de  que,  além  das  limitações  constitucionais  ao  poder  de  tributar  expressas  na Constituição da República, também há princípios constitucionais implícitos que impendem sejam considerados. A integridade do sistema tributário pressupõe, além de outros balizamentos, a segurança jurídica e a proteção da confiança legítima, as quais restam, a meu ver, maculadas com a previsão de mudança do regime jurídico eleito já a partir de 1º.07.2017. Com efeito, o parágrafo 13 do art. 9º da Lei n.° 12.546/2011, trouxe, em seu bojo, ao menos três regras com conteúdo normativo bastante explícito: a) trata­se de opção do contribuinte escolher entre o regime de tributação sobre a folha de salários e a receita bruta; b) trata­se de uma opção com período de vigência certo e determinado, qual seja, todo o ano­ calendário; c) trata­se de opção irretratável. Ora,  diante  de  tais  contornos  bem  definidos,  os  contribuintes  elegeram  a  sua opção e, com base nela, planejaram suas atividades econômicas, seus custos operacionais e basearam seus investimentos. A alteração abrupta da forma de recolhimento da contribuição previdenciária, ainda que não viole a anterioridade mitigada, representa, a meu ver, flagrante inobservância à segurança jurídica, à proteção da confiança legítima e à boa­fé objetiva do contribuinte, princípios esses que são balizas, como dito, à integridade do sistema tributário. Ademais, poder­se­ia cogitar inclusive de violação ao ato jurídico perfeito, já que a opção do contribuinte deu­se em Janeiro de 2017. Não fosse isso suficiente, não há olvidar que não houve, pela Medida Provisória n.° 774/2017, revogação expressa do parágrafo 13 do art. 9º da Lei n.° 12.546/2011, fato esse que, por si só, neste momento, já daria azo à concessão da tutela de urgência almejada. Isso posto, defiro a antecipação da tutela recursal, para autorizar as impetrantes a  continuarem  recolhendo  a  contribuição  previdenciária  sobre  a  receita  bruta  até  31  de dezembro de 2017." Dê­se vista à agravada para contrarrazões. Comunique­se, com urgência, ao Juízo a quo, para as providências cabíveis.
  • 3. 2017­6­28 :: 40000178672 ­ e­Proc :: https://eproc.trf4.jus.br/eproc2trf4/controlador.php?acao=minuta_imprimir&acao_origem=acessar_documento&hash=b312879b77b085c5d9a6980441a2a0e6 3/3 40000178672 .V13 VNN© VNN Intimem­se.   Documento  eletrônico  assinado  por  MARIA  DE  FÁTIMA  FREITAS  LABARRÈRE,  Desembargadora  Federal Relatora, na forma do artigo 1º, inciso III, da Lei 11.419, de 19 de dezembro de 2006 e Resolução TRF 4ª Região nº 17, de  26  de  março  de  2010.  A  conferência  da  autenticidade  do  documento  está  disponível  no  endereço  eletrônico http://www.trf4.jus.br/trf4/processos/verifica.php, mediante o preenchimento do código verificador 40000178672v13 e do código CRC 9608f78a.    Informações adicionais da assinatura:  Signatário (a): MARIA DE FÁTIMA FREITAS LABARRÈRE  Data e Hora: 22/06/2017 17:14:53