ApresentaçãO 25 De Abril (6º Ano)

12.966 visualizações

Publicada em

A apresentação ganha sentido especial com os materiais auxiliares (videos; audio; etc...), pelo que se pretenderem o material completo avisem.

Publicada em: Educação
0 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.966
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
34
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ApresentaçãO 25 De Abril (6º Ano)

  1. 1. 25 de Abril de 1974<br />Razões que levaram à Revolução:<br /><ul><li>Portugueses desejavam liberdade
  2. 2. As condições de vida agravavam-se
  3. 3. Portugueses estavam cansados da Guerra Colonial
  4. 4. O país desenvolvia-se muito lentamente
  5. 5. Portugal era criticado por não dar independência às colónias e por ter uma ditadura</li></ul>Guerra Colonial <br />Jipe destruído por mina terrestre <br />Colégio Dinis de Melo - 2008/2009 (6º ano)<br />
  6. 6. 25 de Abril de 1974<br />- Foi neste clima que alguns militares se organizaram no MFA com o objectivo de fazer cair o governo<br />- Depois de ter impedido uma revolta militar em Março, o governo estava confiante que tinha os militares sobre controlo<br />- As operações militares do 25 de Abril foram planeadas e geridas no posto de comando dos revoltosos pelo Major Otelo Saraiva de Carvalho<br />- Nas ruas destacou-se o Capitão Salgueiro Maia, que comandava as forças da Escola Prática de Cavalaria de Santarém<br />Otelo Saraiva de Carvalho<br />Colégio Dinis de Melo - 2008/2009 (6º ano)<br />Salgueiro Maia<br />
  7. 7. 25 de Abril de 1974<br />Operações Militares<br />- 24 de Abril - 22:55 horasA transmissão da canção &quot;E depois do Adeus&quot;,interpretada por Paulo de Carvalho, aos microfones dos Emissores Associados de Lisboa, marca o início das operações militares contra o regime.<br />- 25 de Abril - 00:20 horas <br />A transmissão da canção “Grândola Vila Morena” de José Afonso, no programa Limite da Rádio Renascença, é a senha escolhida pelo MFA, como sinal confirmativo de que as operações militares estão em marcha e são irreversíveis<br />- Na EPC de Santarém Salgueiro Maia desafia as tropas a marchar para Lisboa<br />Colégio Dinis de Melo - 2008/2009 (6º ano)<br />&quot;Vivi o 25 de Abril numa espécie de deslumbramento. Fui para o Carmo, andei por aí...“ (Zeca Afonso)<br />Questões:<br />1 – Aponte uma razão mencionada por Salgueiro Maia para justificar a Revolução.<br />2 – Avalie o significado da canção de José Afonso para as operações militares.<br />1 - Formatura<br />2 - Senha<br />
  8. 8. 25 de Abril de 1974<br />Operações Militares<br />- 25 de Abril - Das 00:30 às 12.30 horas<br />- Ocupação de pontos estratégicos considerados fundamentais (RTP, Emissora Nacional, Rádio Clube Português, Aeroporto de Lisboa, Quartel General, Estado Maior do Exército, Ministério do Exército, Banco de Portugal e Marconi)<br /> - Primeiro Comunicado do MFA difundido pelo Rádio Clube Português<br />- As forças paramilitares leais ao regime começam a render-se: a Legião Portuguesa é a primeira<br />Colégio Dinis de Melo - 2008/2009 (6º ano)<br />Questões:<br />3 – Aponte a principal preocupação do MFA expressa no comunicado<br />3 – Rádio Clube<br />4 - Comunicado<br />
  9. 9. 25 de Abril de 1974<br />Operações Militares<br />- 25 de Abril - Das 00:30 às 12.30 horas<br />- Forças da Escola Prática de Cavalaria de Santarém estacionam no Terreiro do Paço e ruas circundantes<br />Colégio Dinis de Melo - 2008/2009 (6º ano)<br />Em cima – Praça do Município<br />Ao Lado – Rua do Ouro<br />
  10. 10. 25 de Abril de 1974<br />Operações Militares<br />- 25 de Abril - Das 00:30 às 12.30 horas<br />- Forças da Escola Prática de Cavalaria de Santarém estacionam no Terreiro do Paço<br />Colégio Dinis de Melo - 2008/2009 (6º ano)<br />
  11. 11. 25 de Abril de 1974<br />Operações Militares – Momentos de Tensão<br />1- Uma fragata no Tejo<br />Colégio Dinis de Melo - 2008/2009 (6º ano)<br /><ul><li> Às primeiras horas da manhã uma fragata de guerra estaciona junto ao Terreiro do Paço
  12. 12. A fragata tem poder de fogo para “arrasar” o Terreiro do Paço
  13. 13. O posto de comando dos revoltosos, ameaça a fragata com canhões colocados no Cristo-Rei
  14. 14. As versões ainda hoje são divergentes, mas aparentemente o comandante nunca teve intenção de atacar os revoltosos</li></li></ul><li>25 de Abril de 1974<br />Operações Militares – Momentos de Tensão<br />2 - Chegada do RC-7 fiel ao Governo<br />Colégio Dinis de Melo - 2008/2009 (6º ano)<br /><ul><li> Major Pato Anselmo chega ao Terreiro do Paço, comandando uma coluna de tanques
  15. 15. Recusa a rendição e também recusa passar para o lado dos revoltosos
  16. 16. Acabará por ser preso sem ter hipótese de ordenar um ataque</li></ul>“A conversa eternizava-se. Pedi a pistola a Salgueiro Maia e dirigi-me a Pato Anselmo: «Deste lado estão o povo português, o general Spínola e as forças da EPC. Agora decide – ou passas para o nosso lado, ou rendes-te, ou dou-te um tiro”.<br />Brito e Cunha, ex-alferes miliciano<br />
  17. 17. 25 de Abril de 1974<br />Operações Militares – Momentos de Tensão<br />3 - Chegada do Brigadeiro Junqueira dos Reis à Rua do Arsenal<br />Colégio Dinis de Melo - 2008/2009 (6º ano)<br /><ul><li> O Brigadeiro pretende de facto defender o regime com as armas
  18. 18. Agride pessoalmente o primeiro emissário dos revoltosos e ordena aos tanques que disparem. Os soldados às suas ordens recusam
  19. 19. Salgueiro Maia falará pessoalmente com o Brigadeiro e este volta a ordenar “Fogo!” agora sobre o Capitão
  20. 20. No final deste episódio, Salgueiro Maia fica convencido que a Revolução triunfará (pág. 47)</li></ul>5 – Rua do Arsenal<br />
  21. 21. 25 de Abril de 1974<br />Operações Militares<br />- 25 de Abril – 12.30 horas<br />- Início do cerco ao Quartel do Carmo, chefiado por Salgueiro Maia, entre milhares de pessoas que apoiavam os militares revoltosos. Dentro do Quartel estão refugiados Marcelo Caetano e mais dois ministros do seu Gabinete.<br />- O cerco mantém-se por várias horas<br />- Só às 16.30 Marcelo Caetano fez saber que se rendia, mas apenas depois de Salgueiro Maia disparar sobre o Quartel<br />- Às 19.50 um comunicado do MFA anuncia formalmente a queda do governo<br />Colégio Dinis de Melo - 2008/2009 (6º ano)<br />Questões:<br />4 – A quem entregou o poder Marcelo Caetano?<br />6 – Entrevista a Maia<br />7– Cerco do Carmo<br />
  22. 22. 25 de Abril de 1974<br />Operações Militares - Momentos de Tensão<br />4 – Tiros na sede da PIDE<br />Colégio Dinis de Melo - 2008/2009 (6º ano)<br /><ul><li> Apesar do governo ter sido vencido, a PIDE recusa render-se
  23. 23. Milhares de pessoas dirigem-se à sede da PIDE entre gritos de “assassinos” e alguma violência, controlada pelos militares, sobre agentes que tentam fugir
  24. 24. De dentro da PIDE dispara-se sobre a multidão, provocando os únicos mortos do 25 de Abril (4 mortos e 45 feridos)
  25. 25. Às 23h a PIDE ainda resiste na prisão de Caxias</li></ul>8 – PIDE resiste<br />
  26. 26. 25 de Abril de 1974<br />Os dias seguintes:<br />Colégio Dinis de Melo - 2008/2009 (6º ano)<br />26 de Abril:<br /><ul><li>Apresentação da Junta de Salvação Nacional ao país, perante as câmaras da RTP
  27. 27. Libertação dos presos políticos de Caxias e Peniche</li></ul>29 e 30 de Abril<br /> Regresso dos líderes do Partido Socialista (Mário Soares) e do Partido Comunista Português (Álvaro Cunhal) <br /> <br />1 de Maio<br /><ul><li> Manifestação do 1º de Maio, em Lisboa, congrega cerca de 500.000 pessoas.</li></ul>9 – JSN<br />10 – 1º de Maio<br />
  28. 28. 25 de Abril de 1974<br />Colégio Dinis de Melo - 2008/2009 (6º ano)<br />Resolve as questões 1.1. e 2. da página 62<br />
  29. 29. 25 de Abril de 1974<br />Colégio Dinis de Melo - 2008/2009 (6º ano)<br />Powerpoint elaborado por Nuno Violante (2009)<br />Fotografias de Alfredo Cunha e anónimos<br />Excertos de filme retirados de “Capitães de Abril” de Maria de Medeiros<br />

×