Teoria da Recepção

3.377 visualizações

Publicada em

Trabalho acadêmico sobre Teoria da Recepção de Hans Robert Jauss

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.377
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
58
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Teoria da Recepção

  1. 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ Teoria da Literatura Felipe Grespan Rettore Letícia Hettwer Ribeiro Morgana Sthéfany Manfroi
  2. 2. ESTÉTICA DA RECEPÇÃO
  3. 3.  Teoria da Recepção é a teoria que analisa o fato artístico ou cultural dando enfoque a análise do seu receptor, o efeito produzido nesses leitores, a investigação que muda o foco.  A Estética da Recepção surgiu a partir das considerações teóricas em aula inaugural com a palestra de nome: “O que é e com que fim se estuda a história da literatura?”, realizadas por Hans Robert Jauss (1921 – 1997) em 1967, na Universidade de Constança
  4. 4.  Formulada por Jauss, no final da década de 60, a teoria retoma a problemática da história da literatura.  O autor faz uma crítica à maneira pela qual a teoria literária vem abordando a história da literatura, considerando os métodos de ensino tradicionais e propondo reflexões acerca dos mesmos.  O tema passou a fazer parte dos campos de estudos literários a partir das primeiras décadas do século XX.
  5. 5.  Hans Robert Jauss nasceu na Alemanha, membro de uma tradicional família de professores, inicia seus estudos (1948) em filosofia do romance, filosofia, história e história e cultura germânicas. Juntamente com seu colega Wolfgang Iser, Jauss é um dos maiores expoentes da estética da recepção, que fundamenta suas bases na própria crítica literária alemã.  Tinha como objetivo uma "verdadeira" história da literatura que conjugasse tanto a historicidade das obras quanto as suas qualidades estéticas, sem deixar que uma sobrepujasse a outra. Formulando assim um novo leitor, ausente na literariedade do formalismo e marxisismo, que o transformava assim como o autor em alguém que pertencia a determinada classe social.
  6. 6.  As considerações apresentadas na palestra, citadas por Jauss, dizem respeito de que a história da literatura, ao seguir um cânone ou descrever a vida e obras de alguns autores em sequência cronológica, não contempla a estética das obras, com o argumento que elas não serão interpretadas da mesma forma posteriormente.  Jauss, concebe a relação entre leitor e literatura baseando-se no caráter estético e histórico da mesma. O valor estético, para o autor, pode ser comprovado por meio da comparação com outras leituras; o valor histórico, através da compreensão da recepção de uma obra a partir de sua publicação, assim como, pela recepção do público ao longo do tempo.
  7. 7.  Jauss formulou 7 teses para fundamentar a recepção. Sendo as quatro primeiras com características de premissa e as três últimas apontando para a ação.  A primeira, sobre a historicidade da literatura, a qual diz respeito à relação entre leitor-obra.  A segunda relaciona o saber prévio do leitor - experiências - com a obra.  A terceira é de que a obra pode satisfazer as expectativas ou não do leitor, provocando estranhamento nele, fazendo com que perceba outras opções de percepção da realidade; a quarta examina as relações atuais do texto com a época de sua publicação, averiguando qual era o horizonte de expectativas do leitor de então e a quais necessidades desse público a obra atendeu.
  8. 8.  As três últimas teses apresentam uma metodologia, por meio da qual, Jauss prevê o estudo da obra literária; qual sejam, os aspectos diacrônico, sincrônico e relacionados.  O aspecto diacrônico diz respeito à recepção da obra literária ao longo do tempo, e deve ser analisado, não apenas no momento da leitura, mas no diálogo com as leituras anteriores.  A partir do aspecto sincrônico, a história da literatura procura um ponto de articulação entre as obras produzidas na mesma época e que provocaram rupturas e novos rumos na literatura.  A relação entre literatura e vida pressupõe uma função social para a criação literária, pois, devido ao seu caráter emancipador, abre novos caminhos para o leitor no âmbito da experiência estética.
  9. 9.  Percebemos que as ideias de Jauss, por meio da Estética da Recepção, contribuíram para a reformulação de questões literárias de caráter estético e historiográfico, assim atribuindo ao leitor a tarefa de estabelecer os parâmetros de recepção de cada época. A Estética da Recepção de algum modo revitalizou os fundamentos da teoria literária ao fazer emergir a figura do leitor como elemento participativo, o que muitos conservadores não davam a devida importância para esse elemento participativo que é o leitor.
  10. 10. Referências COSTA, Márcia Hávila Mocci da Silva. Estética da Recepção e Teoria do Efeito. Mestranda do programa de Pós – graduação em Letras da UEM. MOTA, Profª Drª. Débora T. Mutter da Silva. Literatura e Estética da Recepção. SANTOS, Manuela Táffeni dos. Oliveira, Sônia Maria de. A Estética da Recepção.

×