NBC TA 320 - Materialidade no Planejamento e na Execução de Auditoria

7.433 visualizações

Publicada em

Conheça o objetivo da NBC TA 320, a definição de sua materialidade e seu contexto na auditoria, e outras informações importantes sobre o assunto.

Publicada em: Economia e finanças

NBC TA 320 - Materialidade no Planejamento e na Execução de Auditoria

  1. 1. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.Moore Stephens Prisma PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.PRONUNCIAMENTOS TÉCNICOSNBC TA 320Materialidade no Planejamento e na Execução de Auditoria08 de outubro de 2012
  2. 2. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA - 320MATERIALIDADE NOPLANEJAMENTO E NA EXECUÇÃODE AUDITORIA
  3. 3. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NOPLANEJAMENTO E NA EXECUÇÃO DE AUDITORIASUMÁRIO• OBJETIVO DA NBC TA 320• DEFINIÇÃO DE MATERIALIDADE• MATERIALIDADE NO CONTEXTO DA AUDITORIA• DETERMINAÇÃO DA MATERIALIDADE• ASPECTOS CONSIDERADOS PARA A DETERMINAÇÃO DAMATERIALIDADE• FATORES QUE PODEM AFETAR A DETERMINAÇÃO DAMATERIALIDADE QUANDO SE UTILIZA REFERENCIAIS• FATORES EXTRAS
  4. 4. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NO PLANEJAMENTOE NA EXECUÇÃO DE AUDITORIASUMÁRIO• MATERIALIDADE E RISCO• DOCUMENTAÇÃO• TIPOS DE MATERIALIDADE
  5. 5. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NOPLANEJAMENTO E NA EXECUÇÃO DE AUDITORIAOBJETIVO DA NBC TA 320:(Aprovada pela Resolução CFC nº 1.213/2009)Fazer com que o auditor aplique o conceito de materialidadeadequadamente ao planejamento e execução da auditoria.Esta norma é aplicável a auditoria de demonstrações contábeispara períodos iniciados em ou após 01/01/2010.
  6. 6. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NOPLANEJAMENTO E NA EXECUÇÃO DE AUDITORIAJulgamento do auditor para determinar aextensão do trabalho a ser executado,voltado para a redução de errosmateriais, para a melhor tomada dedecisões pelos usuários.Nota: Julgamento do auditor = aplicaçãodo treinamento, conhecimento eexperiência.DEFINIÇÃO DE MATERIALIDADE:
  7. 7. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NOPLANEJAMENTO E NA EXECUÇÃO DE AUDITORIAObs.:Caso necessário, o auditor deve definir amaterialidade para classes específicas detransações, saldos contábeis e divulgações.DEFINIÇÃO DE MATERIALIDADE:
  8. 8. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NO PLANEJAMENTOE NA EXECUÇÃO DE AUDITORIAa) Distorções, incluindo omissõesPodem ser relevantes (individual / conjunto)MATERIALIDADE NO CONTEXTO DA AUDITORIA:Considerar:Tomada de decisões, com base nasdemonstrações contábeis
  9. 9. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NOPLANEJAMENTO E NA EXECUÇÃO DE AUDITORIAMATERIALIDADE NO CONTEXTO DA AUDITORIA:b) Julgamento => feitos conforme as circunstâncias => afetadospelo tamanho e natureza das distorções (ou ambos)
  10. 10. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NOPLANEJAMENTO E NA EXECUÇÃO DE AUDITORIAMATERIALIDADE NO CONTEXTO DA AUDITORIA:c) Julgamentos relevantes => conforme a necessidade deinformações financeiras comuns para usuários.Obs.: Para usuários específicos => não se consideram asdistorções => as necessidades podem ter variação significativa.
  11. 11. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.DETERMINAÇÃO DA MATERIALIDADE:Determinada através do julgamento do auditor, fornecendo basepara:a) Determinar a natureza, época e extensão dos procedimentosde avaliação de risco;NBC TA 320 – MATERIALIDADE NOPLANEJAMENTO E NA EXECUÇÃO DE AUDITORIA
  12. 12. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.DETERMINAÇÃO DA MATERIALIDADE:b) identificar e avaliar os riscos de distorção relevante;c) determinar a natureza, época e extensão dos procedimentosadicionais de auditoria.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NO PLANEJAMENTOE NA EXECUÇÃO DE AUDITORIA
  13. 13. ASPECTOS CONSIDERADOS PARA A DETERMINAÇÃO DAMATERIALIDADE:NBC TA 320 – MATERIALIDADE NO PLANEJAMENTOE NA EXECUÇÃO DE AUDITORIAO auditor deve assumir:a) Que os usuários possuem conhecimento razoável dos negócios,atividades econômicas, de contabilidade e a disposição deestudar as informações das demonstrações contábeis comrazoável diligência;PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE
  14. 14. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NO PLANEJAMENTOE NA EXECUÇÃO DE AUDITORIAb) que os usuários entendem que as demonstrações contábeis sãopreparadas, apresentadas e auditadas considerando níveis dematerialidade;ASPECTOS CONSIDERADOS PARA A DETERMINAÇÃO DAMATERIALIDADE:
  15. 15. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NO PLANEJAMENTOE NA EXECUÇÃO DE AUDITORIAASPECTOS CONSIDERADOS PARA A DETERMINAÇÃO DAMATERIALIDADE:c) que os usuários reconhecem as incertezas inerentes àmensuração de valores baseados no uso de estimativas,julgamento e a consideração sobre eventos futuros; e
  16. 16. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NO PLANEJAMENTOE NA EXECUÇÃO DE AUDITORIAASPECTOS CONSIDERADOS PARA A DETERMINAÇÃO DAMATERIALIDADE:d) que os usuários tomam decisões econômicas razoáveis combase nas informações das demonstrações contábeis.
  17. 17. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NO PLANEJAMENTOE NA EXECUÇÃO DE AUDITORIAFATORES QUE PODEM AFETAR A DETERMINAÇÃO DAMATERIALIDADE QUANDO SE UTILIZA REFERENCIAIS:(a) os elementos das demonstrações contábeis (por exemplo,ativo, passivo, patrimônio, receita, despesa);(b) se há itens que tendem a atrair a atenção dos usuários dasdemonstrações contábeis da entidade específica (por exemplo,com o objetivo de avaliar desempenho financeiro, os usuáriostendem a focar sua atenção em lucro, receita ou patrimôniolíquido);
  18. 18. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NO PLANEJAMENTOE NA EXECUÇÃO DE AUDITORIAFATORES QUE PODEM AFETAR A DETERMINAÇÃO DAMATERIALIDADE QUANDO SE UTILIZA REFERENCIAIS:(c) a natureza da entidade, a fase do seu ciclo de vida, o seu setor eo ambiente econômico em que atua;(d) a estrutura societária da entidade e como ela é financiada (porexemplo, se a entidade é financiada somente por dívida em vez decapital próprio, os usuários dão mais importância a informaçõessobre os ativos, e processos que os envolvam, do que nosresultados da entidade); e(e) a volatilidade (variação) relativa do referencial.
  19. 19. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NOPLANEJAMENTO E NA EXECUÇÃO DE AUDITORIAFATORES EXTRAS:Existem fatores que podem indicar uma ou mais de uma classe detransações (específicas), saldos contábeis ou divulgação para osquais se poderia esperar distorção de valores, que influenciem natomada de decisões econômicas, baseadas nas demonstraçõescontábeis. São eles:(a) se leis, regulamentos ou a estrutura de relatório financeiroaplicável afetam as expectativas dos usuários em relação àmensuração ou divulgação de certos itens (por exemplo,transações com partes relacionadas, e a remuneração daadministração e dos responsáveis pela governança);
  20. 20. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NOPLANEJAMENTO E NA EXECUÇÃO DE AUDITORIAFATORES EXTRAS:(b) as principais divulgações referentes ao setor em que a entidadeatua (por exemplo, custos de pesquisa e desenvolvimento paraempresa farmacêutica);(c) se a atenção está focada em aspecto específico do negócio daentidade que é divulgado separadamente nas demonstraçõescontábeis (por exemplo, negócio recém-adquirido).
  21. 21. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NOPLANEJAMENTO E NA EXECUÇÃO DE AUDITORIAFATORES EXTRAS:OBS.: Ao considerar, nas circunstâncias específicas da entidade, seessas classes de transações, saldos contábeis ou divulgaçãoexistem, o auditor pode achar útil obter entendimento dospontos de vista e das expectativas dos responsáveis pelagovernança e da administração.
  22. 22. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NOPLANEJAMENTO E NA EXECUÇÃO DE AUDITORIAMATERIALIDADE E RISCO:Risco de auditoria é o risco de o auditor expressar uma opinião deauditoria inadequada quando as demonstrações contábeisapresentam distorções relevantes, ou seja, é o risco de que osprocedimentos executados não detectem uma distorção existenteque possa ser relevante (individual ou em conjunto).A materialidade e os riscos de auditoria são levados emconsideração durante a auditoria, especialmente na:
  23. 23. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NOPLANEJAMENTO E NA EXECUÇÃO DE AUDITORIAMATERIALIDADE E RISCO:(a) identificação e avaliação dos riscos de distorção relevante(NBC TA 315 - Identificação e avaliação dos riscos de distorçãorelevante por meio do entendimento da entidade e de seuambiente);(b) determinação da natureza, época e extensão deprocedimentos adicionais de auditoria (NBC TA 330 -Respostas do auditor aos riscos avaliados); e
  24. 24. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NOPLANEJAMENTO E NA EXECUÇÃO DE AUDITORIAMATERIALIDADE E RISCO:(c) avaliação do efeito de distorções não corrigidas, se houver,sobre as demonstrações contábeis (NBC TA 450) e na formação daopinião no parecer do auditor independente (NBC TA 700 -Formação da opinião e emissão do parecer do auditorindependente sobre as demonstrações contábeis).
  25. 25. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NOPLANEJAMENTO E NA EXECUÇÃO DE AUDITORIADOCUMENTAÇÃO:O auditor deve incluir na documentação de auditoria os seguintesvalores e fatores considerados em sua determinação (NBC TA 230– Documentação de auditoria. Itens 8-11 e A6):(a) materialidade para as demonstrações contábeis como umtodo;(b) se aplicável, o nível ou níveis de materialidade para classesespecíficas de transações, saldos contábeis ou divulgação;
  26. 26. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NOPLANEJAMENTO E NA EXECUÇÃO DE AUDITORIADOCUMENTAÇÃO:(c) materialidade para execução da auditoria; e(d) qualquer revisão de (a), (b) e (c) com o andamento da auditoria.
  27. 27. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NOPLANEJAMENTO E NA EXECUÇÃO DE AUDITORIATIPOS DE MATERIALIDADE:Materialidade GlobalBase: julgamento do auditor => utilizar parâmetros diversos:% sobre as receitas líquidas% lucro antes dos impostos% sobre o patrimônio líquidoEsta materialidade deve limitar a importância ou o valor dasdistorções relevantes na formação da opinião para emissão dorelatório de auditoria.
  28. 28. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.NBC TA 320 – MATERIALIDADE NOPLANEJAMENTO E NA EXECUÇÃO DE AUDITORIATIPOS DE MATERIALIDADE:Materialidade em Nível de ContasDeve ser estabelecida para cada uma das contas dasdemonstrações contábeis, cuja somatória dos valores dasdistorções não deve ser superior à materialidade global.
  29. 29. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.DÚVIDAS SOBRE O TEMA:NBC TA 320 – MATERIALIDADE NOPLANEJAMENTO E NA EXECUÇÃO DE AUDITORIA
  30. 30. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.A Moore Stephens é uma das maiores redes de auditoria, consultoria e outsourcingcontábil do mundo. A empresa é formada por aproximadamente 630 escritórios e estápresente em mais de 100 países. Está entre as 12 maiores posições no ranking mundial,com faturamento anual de mais de US$ 2 bilhões.A Moore Stephens Auditores e Consultores presta serviços em auditoria, consultoriatributária e empresarial, tecnologia de informação, outsourcing de serviços contábeis,tributários e administrativos, e corporate finance. Há ainda determinadas divisões, comestruturas próprias, criadas para atendimento de interesses específicos, como a Divisãode Auditoria Interna e a Divisão de Small Business, entre outras.Fale com a Moore Stephens: mscorp@msbrasil.com.brSiga-nos na internet e nas redes sociais:Homepage: www.msbrasil.com.brFacebook: http://www.facebook.com/moorestephensbrTwitter: http://twitter.com/#!/moorestephensbrLinkedin:http://www.linkedin.com/companies/moore-stephens-brasilBlog: http://msbrasil.com.br/blog/SlideShare: http://www.slideshare.net/moorestephensbYoutube: http://www.youtube.com/moorestephensbrSOBRE AMOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES

×