SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 81
Baixar para ler offline
Netnografia no Twitter
 Marina Fernanda Farias (UFMA)
   mari.comunica@gmail.com

   Moisés Costa Pinto (UFBA)
  costapinto.moises@gmail.com
Apresentação

> Internet
> Netnografia
> Twitter
> Ferramentas de coleta e análise
> Como fazer análises
Internet no Mundo

A Internet no início do ano 2.000, surge como o
mais vigoroso motor da economia mundial. O
desenvolvimento acelerado desta rede mundial
engole cada vez mais a economia tradicional,
fazendo surgir uma nova, antecipando o futuro.

No fim de 2010 o número estimado de usuários
da internet chegou a 2,08 bilhões.
Internet no Brasil
A audiência da internet, em 2010, foi de 73,7
  milhões.

Em 2011 a estimativa é que deve ter subido
 para 81 milhões de pessoas (com 16 anos ou
 mais).
Internet no Brasil
A audiência da internet, em 2010, foi de 73,7
  milhões.

Em 2011 a estimativa é que deve ter subido
 para 81 milhões de pessoas (com 16 anos ou
 mais).

Deste total, as classes C, D e E já representam
 52,8% da população que acessa a internet,
 enquanto as classes A e B, juntas,
 respondem por 47,2%
Internet no Brasil
Programa de Internet do Governo:

“Banda larga para todos”?

Copa do Mundo e Olimpíadas: internet móvel
 em 4G;
Cibercultura
Estamos       vivenciando
profundas modificações no
espaço    urbano,     nas
formas sociais e nas
práticas da cibercultura
com a emergência das
novas      formas      de
comunicação sem fio.
Pesquisas em comunidades digitais



O que são comunidades?
O que são comunidades?
O que são comunidades?

São redes que incorporam pessoas com
 determinados fins.

Ex: Comunidade do facebook com
 determinados fãs de uma banda que
 compartilham informações sobre o grupo
 musical;
O que é virtual?
" O virtual possui plena realidade, enquanto
  virtual" (Levy apud Deleuze)"

"A virtualização atinge mesmo as modalidades
  do estar junto, a constituição de "nós":
  comunidades virtuais, democracia virtual"
  (LÉVY; p.2)
Comunidades virtuais

Locais em que são
estabelecidas relações
num espaço: como a
formação de amizades
virtuais, troca de
informações, troca de
contatos, relações,
surgimento e
fortalecimento de redes.
Etnografia e Netnografia
“É uma metodologia ligada ao meio cultural em
  que o o indivíduo se encontra“ por meio do
  estudo da comunidade onde ele se encontra.
Etnografia e Netnografia

A netnografia consiste em compreender o outro
  no mundo virtual a partir de suas relações no
  meio digital;
Pesquisa em comunidades

A pesquisa em comunidades virtuais permite
uma melhor visualização do panorama
comunicacional na Internet.

Compreender as comunidades = compreender
 as pessoas.
O observador
> Passivo: É aquele que não interfere no
  cotidiano da comunidade.

.”..podemos considerar dois modos essenciais de observação
    etnográfica: participante, aquela primordial, na qual o etnógrafo
    passa-se por um membro do grupo; e não participante, aquela
    quando o pesquisador mantêm-se distante, como um espectador da
    realidade. Ambas apresentam suas vantagens e desvantagens.“
    (AQUINO, 2007)
O observador

> Ativo: interfere nas interações da
  comunidade propondo questionários e
  fazendo entrevistas.
A questão ética
Em conformidade com a ética de investigação,
Kozinets (2010) defende alguns tópicos de
conduta em uma pesquisa netnográfica: o
pesquisador deve divulgar, informar a sua
presença, afiliações e intenções aos membros
da comunidade online durante toda o
investigação; e o pesquisador deve procurar e
incorporar o feedback dos        membros da
comunidade online a ser pesquisado.
A questão ética
Ele sugere que o pesquisador deve ter uma
posição cuidadosa sobre a questão de saber
se o ambiente online é um meio público ou
privado. O pesquisador deve          pedir um
consentimento aos membros da comunidade
para usar qualquer comentários específicos. Da
mesma forma, o estudioso, ao final da pesquisa
deve apresentar algumas ou todas as
conclusões do relatório final do estudo para a
comunidade em foco.
A distância




Distância física
Comunidades virtuais



Mas e se essa comunidade, além de ser
 virtual, não seja fechada, por exemplo, de fãs
 de Justin Bieber e ou Restar ( #familiarestart)
 que estão espalhados pelo Twitter???
Comunidades virtuais
> Dados públicos

> Conhecimento coletivo e disponível para
  todos.
Conversações mediadas por
computador

> Síncrona: acontece em tempo real;


> Assíncrona: acontece ao longo do tempo;
Conversações mediadas por
computador

> Conversações mediadas pelo computador
tendem a espalhar-se por diversas ferramentas
e sistemas, em um processo de migração
conversacional também relacionado com a
persistência das conversações assíncronas.
Convergência e Transmidia
Transmídia é o fenômeno da transformação da informação
para as múltipas plataformas de comunicação.

Com isso, a convergência de mídias permite uma maior
interação público-informação e seus suportes midiáticos;
Convergência e Trassmidia
> Storytelling
Redes Sociais
São formações humanas
que visam a
sociabilidade a partir de
assuntos em comum:
afinidades, interesses,
ou seja, são ligações que
os unem com um
determinado fim.
Mídias Sociais
São as ferramentas que possibilitam esta
sociabilidade. Cada uma possui sua
funcionalidade.

Ex: Flick( postagem e visualização de fotos);

Twitter (micromensagens);

LinkedIn (informações pessoais e
  profissionais);
Mídias Sociais




> Ferramentas que usamos para socialização
  de pessoas através de assuntos em comum
Mídias Sociais
> Sites de redes sociais

“serviços de web que permitem aos usuários
(1) construir um perfil público ou semipúblico
dentro de um sistema conectado, (2) articular
uma lista de outros usuários com os quais eles
compartilham uma conexão e (3) ver e mover-
se pela sua lista de conexões e pela dos outros
usuários”
Danah Boyd
Twitter




>   Micromensageiro (RECUERO
    & ZAGO, 2009) não microblog!
Twitter
> 140 toques
Twitter

> Apropriações
Twitter
> Mídias sociais baseadas no Twitter

Ex: Twitcan; TwitDoc; Twetfeed, etc
Twitter

> Uma das melhores ferramentas para
  compreendemos a sociedade de nossa
  época. (MOISES, 2011)
Twitter
> Relato do ataque à Bim Ladem:

Primeira informação no Twitter.

Sohaib Athar, um morador de Abbottabad de
33 anos, descreveu em tempo real, no Twitter,
o ataque que acontecia a alguns quilômetros
de sua casa.
Twitter
> Opiniões expressas e públicas;

Ex.: #FamilaRestart
Twitter

Ex: Aston Kutcher: comentou a demissão do
 técnico do time de futebol americano que
 torcia, mas não sabia que ele estava sendo
 acusado de pedofilia.

Pegou mal para o @apluk.
Twitter
> Turnos de fala

uso do "@"



Observar as conversações;
Twitter
> Estudar os laços sociais

> Estudar o capital social
Como fazer a pesquisa?
1. Monitoramento de público

2. Monitoramento da Marcas e/ou seus
  concorrentes

3. Monitoramento do que o público fala sobre a
  marca e /ou seus concorrentes

4. Monitoramento da imprensa

5. Monitoramento de tendências (Cool Hunting)
Como fazer a pesquisa?
1. Monitoramento de público

1.1 Quem são?
1.2 De onde são?
1.3 O que falam?
1.4 Como falam?
1.4 Por que falam?
1.5 Para quem falam?
1.6 O que falam tem significado para alguém?
1.7 Qual é o significado?
Como fazer a pesquisa
> Coleta Parcial: usa ferramentas, geralmente
  gratuítas, que fornecem diversos tipos de
  dados, métricas.

> Coleta Plena: analisa e monitora todas as
  citações de uma mídia social; fornece dados
  completos e mais assertivos.
Coleta Parcial
Twitter Search
Coleta Parcial
Twitter Search
Coleta Parcial
Topsy (www.topsy.com)
Coleta Parcial

SocialMention
Coleta Parcial
SocialMention
Coleta Parcial
SocialMention
Coleta Parcial
Mentionmap: Conexões entre pessoas
 (http://apps.asterisq.com/mentionmap)
Coleta Parcial
Trendsmap: tendências locais
  (http://trendsmap.com/)
Coleta Parcial
Klout (http://klout.com/home ): score de relevância
  nas redes.
Atividade #1: Uso das ferramentas parciais

Usar as ferramentas parciais para descobrir:

1. quais são as tendências que estão sendo
  tuítadas no Abciber e em Florianópolis;
2. quais são os usuários mais relevantes
  tuitando no Abciber? O que eles estão
  falando?

Tempo: 20 mim de pesquisa; 5 min de
  apresentação para cada grupo.
Coleta Plena

Ferramentas que coletam e armazenam
  menções nas mídias sociais
Coleta Plena
Ferramentas de catalogação plena
Scup
Scup
Scup
Scup
Scup
Scup

Escolha bem os termos que vai usar para fazer
 sua pesquisa!

Pense nos erros que as pessoas podem
  cometer! Use todas as possibilidades
                  Ugo e Hugo
Faça um monitoramento prévio na mídia em
  que você vai fazer a pesquisa netnográfica.
Scup
Coleta Plena
Scup
                                                Polaridade
             Usuário


 Tag                   Menção              Caixa de Tags




                           Palavra-chave
 Data da emissão                             Ocorrência do Emissor




 Ambiente
Scup
Scup
Scup
Scup
Wordle (http://www.wordle.net/ )
Coleta Plena
> Outras ferramentas

> Aceita; PostX; Radina 6; Sekeer
Outras ferramentas

Aceita
Outras ferramentas
Radian 6
Coleta Plena
Atividade #2: Uso das ferramentas plenas
Análise de dados
> Sempre use mais de um ferramenta para
  obter os dados que precisa;

> Cruze os dados

> Escolha um foco do que quer tratar e ou
  analisar. Não adianta querer analisar tudo,
  você pode perder o sentido da pesquisa e
  acabar não encontrado o precisa.
Análise de dados

“Um dado bruto sem interpretação perde
  representatividade. Cuidado com a
  apresentação dos dados. Realizar
  recomendações viáveis.”
Devemos estruturar a pesquisa para atender
  aos objetivos da netnografia”

Danila Dourado
Data visualization

Simplificando:
  visualização de
  dados dentro de
  um contexto.
Analise de dados
Cruzar dados Quantitativo X Qualitativo

Por exemplo: #familiarestart

50% dos 3000 citações eram de pessoas que
  ouviam Restart. Destes, apenas, 35%
  falaram que ouviam todo dia. 35% eram
  homens e 60% mulheres e 5% não foi
  possível identificar.
Analise de dados
Cruzar dados Quantitativo X Qualitativo
> Como as pessoas expressam o gostar do
  restar? De forma hiperbólica (juvenil)?
> Quais foram as músicas mais comentadas e
  compartilhadas?
> Houve outros artistas e estilos relacionados?
> O que as pessoas que não gostavam
  falavam?
> Elas colocavam essas informações em sua
  BIO?
Como apresentar a pesquisa




Procurar nos dados as respostas para suas
  perguntas.
Contatos



Marina Fernanda Farias - UFMA
mari.comunica@gmail.com



Moisés Costa Pinto - UFBA
costapinto.moises@gmail.com
Links


Costa, P. Moisés. Midias Sociais versus Redes
 Sociais.01/04/2011.<http://moisescosta.com.br/mi
 dias-sociais/midias-sociais-versus-redes-sociais>
Ministério de Ciência e Tecnologia. Secretaria de
 Política de Informação e Automação.Evolução da
 Internet no Brasil e no
 Mundo.<http://pt.scribd.com/doc/123635/Evolucao-da-
  Internet-no-Brasil-e-no-Mundo>

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Netnografia - apresentação na aula de Metodologias de Pesquisa para a Internet.
Netnografia - apresentação na aula de Metodologias de Pesquisa para a Internet.Netnografia - apresentação na aula de Metodologias de Pesquisa para a Internet.
Netnografia - apresentação na aula de Metodologias de Pesquisa para a Internet.Rebeca Recuero Rebs
 
Netnografia - antropologia aplicada no estudo de comunidades online
Netnografia - antropologia aplicada no estudo de comunidades onlineNetnografia - antropologia aplicada no estudo de comunidades online
Netnografia - antropologia aplicada no estudo de comunidades onlinePaperCliQ Comunicação
 
Aula - PLANEJAMENTO - Planejamento digital
Aula - PLANEJAMENTO - Planejamento digitalAula - PLANEJAMENTO - Planejamento digital
Aula - PLANEJAMENTO - Planejamento digitalGabriel Ferraciolli
 
Netnografia e cases Agência Hive
Netnografia e cases Agência HiveNetnografia e cases Agência Hive
Netnografia e cases Agência HiveAgência Hive
 
Netnografia e coolhunting: Identificando aspectos comportamentais e tendência...
Netnografia e coolhunting: Identificando aspectos comportamentais e tendência...Netnografia e coolhunting: Identificando aspectos comportamentais e tendência...
Netnografia e coolhunting: Identificando aspectos comportamentais e tendência...PaperCliQ Comunicação
 
SOCIAL MEDIA WEEK 2016 - Monitoramento de mídias sociais: construindo um port...
SOCIAL MEDIA WEEK 2016 - Monitoramento de mídias sociais: construindo um port...SOCIAL MEDIA WEEK 2016 - Monitoramento de mídias sociais: construindo um port...
SOCIAL MEDIA WEEK 2016 - Monitoramento de mídias sociais: construindo um port...Ana Cláudia Zandavalle
 
[Pesquisa] O profissional de inteligência de mídias sociais no Brasil (2016) ...
[Pesquisa] O profissional de inteligência de mídias sociais no Brasil (2016) ...[Pesquisa] O profissional de inteligência de mídias sociais no Brasil (2016) ...
[Pesquisa] O profissional de inteligência de mídias sociais no Brasil (2016) ...Ana Cláudia Zandavalle
 
tiop, comofas? - Tiopês: comunicação e estratégias de diferenciação social na...
tiop, comofas? - Tiopês: comunicação e estratégias de diferenciação social na...tiop, comofas? - Tiopês: comunicação e estratégias de diferenciação social na...
tiop, comofas? - Tiopês: comunicação e estratégias de diferenciação social na...you PIX
 

Destaque (8)

Netnografia - apresentação na aula de Metodologias de Pesquisa para a Internet.
Netnografia - apresentação na aula de Metodologias de Pesquisa para a Internet.Netnografia - apresentação na aula de Metodologias de Pesquisa para a Internet.
Netnografia - apresentação na aula de Metodologias de Pesquisa para a Internet.
 
Netnografia - antropologia aplicada no estudo de comunidades online
Netnografia - antropologia aplicada no estudo de comunidades onlineNetnografia - antropologia aplicada no estudo de comunidades online
Netnografia - antropologia aplicada no estudo de comunidades online
 
Aula - PLANEJAMENTO - Planejamento digital
Aula - PLANEJAMENTO - Planejamento digitalAula - PLANEJAMENTO - Planejamento digital
Aula - PLANEJAMENTO - Planejamento digital
 
Netnografia e cases Agência Hive
Netnografia e cases Agência HiveNetnografia e cases Agência Hive
Netnografia e cases Agência Hive
 
Netnografia e coolhunting: Identificando aspectos comportamentais e tendência...
Netnografia e coolhunting: Identificando aspectos comportamentais e tendência...Netnografia e coolhunting: Identificando aspectos comportamentais e tendência...
Netnografia e coolhunting: Identificando aspectos comportamentais e tendência...
 
SOCIAL MEDIA WEEK 2016 - Monitoramento de mídias sociais: construindo um port...
SOCIAL MEDIA WEEK 2016 - Monitoramento de mídias sociais: construindo um port...SOCIAL MEDIA WEEK 2016 - Monitoramento de mídias sociais: construindo um port...
SOCIAL MEDIA WEEK 2016 - Monitoramento de mídias sociais: construindo um port...
 
[Pesquisa] O profissional de inteligência de mídias sociais no Brasil (2016) ...
[Pesquisa] O profissional de inteligência de mídias sociais no Brasil (2016) ...[Pesquisa] O profissional de inteligência de mídias sociais no Brasil (2016) ...
[Pesquisa] O profissional de inteligência de mídias sociais no Brasil (2016) ...
 
tiop, comofas? - Tiopês: comunicação e estratégias de diferenciação social na...
tiop, comofas? - Tiopês: comunicação e estratégias de diferenciação social na...tiop, comofas? - Tiopês: comunicação e estratégias de diferenciação social na...
tiop, comofas? - Tiopês: comunicação e estratégias de diferenciação social na...
 

Semelhante a Netnografia no Twitter: apresentação no Abciber 2011 | Marina Fernanda Farias (UFMA) e Moisés Costa Pinto (UFBA)

Popularidade, tendências e uso das Redes Sociais para Campanha Eleitoral
Popularidade, tendências e uso das Redes Sociais para Campanha EleitoralPopularidade, tendências e uso das Redes Sociais para Campanha Eleitoral
Popularidade, tendências e uso das Redes Sociais para Campanha EleitoralMel Oliveira
 
Análise de Redes em Mídias Sociais: Começando sem Erros #codabr
Análise de Redes em Mídias Sociais: Começando sem Erros #codabrAnálise de Redes em Mídias Sociais: Começando sem Erros #codabr
Análise de Redes em Mídias Sociais: Começando sem Erros #codabrTarcízio Silva
 
Redes Sociais e Mídias Sociais: como o capital social mudou como sua marca é ...
Redes Sociais e Mídias Sociais: como o capital social mudou como sua marca é ...Redes Sociais e Mídias Sociais: como o capital social mudou como sua marca é ...
Redes Sociais e Mídias Sociais: como o capital social mudou como sua marca é ...Nitrum ::: Comunicar Interagir Otimizar
 
Comunicação Digital e Comportamento Político
Comunicação Digital e Comportamento PolíticoComunicação Digital e Comportamento Político
Comunicação Digital e Comportamento PolíticoPaperCliQ Comunicação
 
Como usar as mídias sociais na comunicação institucional?
Como usar as mídias sociais na comunicação institucional?Como usar as mídias sociais na comunicação institucional?
Como usar as mídias sociais na comunicação institucional?Biblioteca da FOB-USP
 
#ciberativismo: da rua para as redes
#ciberativismo: da rua para as redes#ciberativismo: da rua para as redes
#ciberativismo: da rua para as redesYuri Almeida
 
2011 redes sociais_aplicacoes_diversos_tipos_organizacao
2011 redes sociais_aplicacoes_diversos_tipos_organizacao2011 redes sociais_aplicacoes_diversos_tipos_organizacao
2011 redes sociais_aplicacoes_diversos_tipos_organizacaocamara municipal de ananindeua
 
Estratégias diferenciada em mídias sociais para campanhas eleitorais
Estratégias diferenciada em mídias sociais para campanhas eleitoraisEstratégias diferenciada em mídias sociais para campanhas eleitorais
Estratégias diferenciada em mídias sociais para campanhas eleitoraisLucas Reis
 
Blogs e Twitter para Semana de Propaganda FMU
Blogs e Twitter para Semana de Propaganda FMUBlogs e Twitter para Semana de Propaganda FMU
Blogs e Twitter para Semana de Propaganda FMULucia Freitas
 
Capacitacao avançada Rede CIM - Cepam v4
Capacitacao avançada Rede CIM - Cepam v4Capacitacao avançada Rede CIM - Cepam v4
Capacitacao avançada Rede CIM - Cepam v4Alex Dunder Koch
 
Redes Sociais no Twitter
Redes Sociais no TwitterRedes Sociais no Twitter
Redes Sociais no TwitterInês Amaral
 
Redes sociaise e ciberativismo
Redes sociaise e ciberativismoRedes sociaise e ciberativismo
Redes sociaise e ciberativismoYuri Almeida
 
Twitter: Gorjeios, Relacionamento e Informação
Twitter: Gorjeios, Relacionamento e InformaçãoTwitter: Gorjeios, Relacionamento e Informação
Twitter: Gorjeios, Relacionamento e Informaçãodiversita
 
Digital Media - Social Media - Guilherme Gomide
Digital Media - Social Media - Guilherme GomideDigital Media - Social Media - Guilherme Gomide
Digital Media - Social Media - Guilherme GomideMidiaDigital
 
Jornalismo em redes_sociais
Jornalismo em redes_sociaisJornalismo em redes_sociais
Jornalismo em redes_sociaismaterialdeaula
 

Semelhante a Netnografia no Twitter: apresentação no Abciber 2011 | Marina Fernanda Farias (UFMA) e Moisés Costa Pinto (UFBA) (20)

Popularidade, tendências e uso das Redes Sociais para Campanha Eleitoral
Popularidade, tendências e uso das Redes Sociais para Campanha EleitoralPopularidade, tendências e uso das Redes Sociais para Campanha Eleitoral
Popularidade, tendências e uso das Redes Sociais para Campanha Eleitoral
 
Análise de Redes em Mídias Sociais: Começando sem Erros #codabr
Análise de Redes em Mídias Sociais: Começando sem Erros #codabrAnálise de Redes em Mídias Sociais: Começando sem Erros #codabr
Análise de Redes em Mídias Sociais: Começando sem Erros #codabr
 
Redes Sociais e Mídias Sociais: como o capital social mudou como sua marca é ...
Redes Sociais e Mídias Sociais: como o capital social mudou como sua marca é ...Redes Sociais e Mídias Sociais: como o capital social mudou como sua marca é ...
Redes Sociais e Mídias Sociais: como o capital social mudou como sua marca é ...
 
Comunicação Digital e Comportamento Político
Comunicação Digital e Comportamento PolíticoComunicação Digital e Comportamento Político
Comunicação Digital e Comportamento Político
 
Socialização de conteúdo1
Socialização de conteúdo1Socialização de conteúdo1
Socialização de conteúdo1
 
Como usar as mídias sociais na comunicação institucional?
Como usar as mídias sociais na comunicação institucional?Como usar as mídias sociais na comunicação institucional?
Como usar as mídias sociais na comunicação institucional?
 
#ciberativismo: da rua para as redes
#ciberativismo: da rua para as redes#ciberativismo: da rua para as redes
#ciberativismo: da rua para as redes
 
2011 redes sociais_aplicacoes_diversos_tipos_organizacao
2011 redes sociais_aplicacoes_diversos_tipos_organizacao2011 redes sociais_aplicacoes_diversos_tipos_organizacao
2011 redes sociais_aplicacoes_diversos_tipos_organizacao
 
Redes Sociais como Fonte de Pesquisa em Ciência Política
Redes Sociais como Fonte de Pesquisa em Ciência PolíticaRedes Sociais como Fonte de Pesquisa em Ciência Política
Redes Sociais como Fonte de Pesquisa em Ciência Política
 
Redes Sociais para Jornalistas
Redes Sociais para JornalistasRedes Sociais para Jornalistas
Redes Sociais para Jornalistas
 
Estratégias diferenciada em mídias sociais para campanhas eleitorais
Estratégias diferenciada em mídias sociais para campanhas eleitoraisEstratégias diferenciada em mídias sociais para campanhas eleitorais
Estratégias diferenciada em mídias sociais para campanhas eleitorais
 
Blogs e Twitter para Semana de Propaganda FMU
Blogs e Twitter para Semana de Propaganda FMUBlogs e Twitter para Semana de Propaganda FMU
Blogs e Twitter para Semana de Propaganda FMU
 
Capacitacao avançada Rede CIM - Cepam v4
Capacitacao avançada Rede CIM - Cepam v4Capacitacao avançada Rede CIM - Cepam v4
Capacitacao avançada Rede CIM - Cepam v4
 
Redes Sociais no Twitter
Redes Sociais no TwitterRedes Sociais no Twitter
Redes Sociais no Twitter
 
Redes sociaise e ciberativismo
Redes sociaise e ciberativismoRedes sociaise e ciberativismo
Redes sociaise e ciberativismo
 
Twitter: Gorjeios, Relacionamento e Informação
Twitter: Gorjeios, Relacionamento e InformaçãoTwitter: Gorjeios, Relacionamento e Informação
Twitter: Gorjeios, Relacionamento e Informação
 
Digital Media - Social Media - Guilherme Gomide
Digital Media - Social Media - Guilherme GomideDigital Media - Social Media - Guilherme Gomide
Digital Media - Social Media - Guilherme Gomide
 
Jornalismo em redes_sociais
Jornalismo em redes_sociaisJornalismo em redes_sociais
Jornalismo em redes_sociais
 
Palestra sescap ce
Palestra sescap cePalestra sescap ce
Palestra sescap ce
 
Palestra sescap pe
Palestra sescap pePalestra sescap pe
Palestra sescap pe
 

Netnografia no Twitter: apresentação no Abciber 2011 | Marina Fernanda Farias (UFMA) e Moisés Costa Pinto (UFBA)

  • 1. Netnografia no Twitter Marina Fernanda Farias (UFMA) mari.comunica@gmail.com Moisés Costa Pinto (UFBA) costapinto.moises@gmail.com
  • 2. Apresentação > Internet > Netnografia > Twitter > Ferramentas de coleta e análise > Como fazer análises
  • 3. Internet no Mundo A Internet no início do ano 2.000, surge como o mais vigoroso motor da economia mundial. O desenvolvimento acelerado desta rede mundial engole cada vez mais a economia tradicional, fazendo surgir uma nova, antecipando o futuro. No fim de 2010 o número estimado de usuários da internet chegou a 2,08 bilhões.
  • 4. Internet no Brasil A audiência da internet, em 2010, foi de 73,7 milhões. Em 2011 a estimativa é que deve ter subido para 81 milhões de pessoas (com 16 anos ou mais).
  • 5. Internet no Brasil A audiência da internet, em 2010, foi de 73,7 milhões. Em 2011 a estimativa é que deve ter subido para 81 milhões de pessoas (com 16 anos ou mais). Deste total, as classes C, D e E já representam 52,8% da população que acessa a internet, enquanto as classes A e B, juntas, respondem por 47,2%
  • 6. Internet no Brasil Programa de Internet do Governo: “Banda larga para todos”? Copa do Mundo e Olimpíadas: internet móvel em 4G;
  • 7. Cibercultura Estamos vivenciando profundas modificações no espaço urbano, nas formas sociais e nas práticas da cibercultura com a emergência das novas formas de comunicação sem fio.
  • 8. Pesquisas em comunidades digitais O que são comunidades?
  • 9. O que são comunidades? O que são comunidades? São redes que incorporam pessoas com determinados fins. Ex: Comunidade do facebook com determinados fãs de uma banda que compartilham informações sobre o grupo musical;
  • 10. O que é virtual? " O virtual possui plena realidade, enquanto virtual" (Levy apud Deleuze)" "A virtualização atinge mesmo as modalidades do estar junto, a constituição de "nós": comunidades virtuais, democracia virtual" (LÉVY; p.2)
  • 11. Comunidades virtuais Locais em que são estabelecidas relações num espaço: como a formação de amizades virtuais, troca de informações, troca de contatos, relações, surgimento e fortalecimento de redes.
  • 12. Etnografia e Netnografia “É uma metodologia ligada ao meio cultural em que o o indivíduo se encontra“ por meio do estudo da comunidade onde ele se encontra.
  • 13. Etnografia e Netnografia A netnografia consiste em compreender o outro no mundo virtual a partir de suas relações no meio digital;
  • 14. Pesquisa em comunidades A pesquisa em comunidades virtuais permite uma melhor visualização do panorama comunicacional na Internet. Compreender as comunidades = compreender as pessoas.
  • 15. O observador > Passivo: É aquele que não interfere no cotidiano da comunidade. .”..podemos considerar dois modos essenciais de observação etnográfica: participante, aquela primordial, na qual o etnógrafo passa-se por um membro do grupo; e não participante, aquela quando o pesquisador mantêm-se distante, como um espectador da realidade. Ambas apresentam suas vantagens e desvantagens.“ (AQUINO, 2007)
  • 16. O observador > Ativo: interfere nas interações da comunidade propondo questionários e fazendo entrevistas.
  • 17. A questão ética Em conformidade com a ética de investigação, Kozinets (2010) defende alguns tópicos de conduta em uma pesquisa netnográfica: o pesquisador deve divulgar, informar a sua presença, afiliações e intenções aos membros da comunidade online durante toda o investigação; e o pesquisador deve procurar e incorporar o feedback dos membros da comunidade online a ser pesquisado.
  • 18. A questão ética Ele sugere que o pesquisador deve ter uma posição cuidadosa sobre a questão de saber se o ambiente online é um meio público ou privado. O pesquisador deve pedir um consentimento aos membros da comunidade para usar qualquer comentários específicos. Da mesma forma, o estudioso, ao final da pesquisa deve apresentar algumas ou todas as conclusões do relatório final do estudo para a comunidade em foco.
  • 20. Comunidades virtuais Mas e se essa comunidade, além de ser virtual, não seja fechada, por exemplo, de fãs de Justin Bieber e ou Restar ( #familiarestart) que estão espalhados pelo Twitter???
  • 21. Comunidades virtuais > Dados públicos > Conhecimento coletivo e disponível para todos.
  • 22. Conversações mediadas por computador > Síncrona: acontece em tempo real; > Assíncrona: acontece ao longo do tempo;
  • 23. Conversações mediadas por computador > Conversações mediadas pelo computador tendem a espalhar-se por diversas ferramentas e sistemas, em um processo de migração conversacional também relacionado com a persistência das conversações assíncronas.
  • 24. Convergência e Transmidia Transmídia é o fenômeno da transformação da informação para as múltipas plataformas de comunicação. Com isso, a convergência de mídias permite uma maior interação público-informação e seus suportes midiáticos;
  • 26. Redes Sociais São formações humanas que visam a sociabilidade a partir de assuntos em comum: afinidades, interesses, ou seja, são ligações que os unem com um determinado fim.
  • 27. Mídias Sociais São as ferramentas que possibilitam esta sociabilidade. Cada uma possui sua funcionalidade. Ex: Flick( postagem e visualização de fotos); Twitter (micromensagens); LinkedIn (informações pessoais e profissionais);
  • 28. Mídias Sociais > Ferramentas que usamos para socialização de pessoas através de assuntos em comum
  • 29. Mídias Sociais > Sites de redes sociais “serviços de web que permitem aos usuários (1) construir um perfil público ou semipúblico dentro de um sistema conectado, (2) articular uma lista de outros usuários com os quais eles compartilham uma conexão e (3) ver e mover- se pela sua lista de conexões e pela dos outros usuários” Danah Boyd
  • 30.
  • 31.
  • 32. Twitter > Micromensageiro (RECUERO & ZAGO, 2009) não microblog!
  • 35. Twitter > Mídias sociais baseadas no Twitter Ex: Twitcan; TwitDoc; Twetfeed, etc
  • 36. Twitter > Uma das melhores ferramentas para compreendemos a sociedade de nossa época. (MOISES, 2011)
  • 37. Twitter > Relato do ataque à Bim Ladem: Primeira informação no Twitter. Sohaib Athar, um morador de Abbottabad de 33 anos, descreveu em tempo real, no Twitter, o ataque que acontecia a alguns quilômetros de sua casa.
  • 38. Twitter > Opiniões expressas e públicas; Ex.: #FamilaRestart
  • 39. Twitter Ex: Aston Kutcher: comentou a demissão do técnico do time de futebol americano que torcia, mas não sabia que ele estava sendo acusado de pedofilia. Pegou mal para o @apluk.
  • 40. Twitter > Turnos de fala uso do "@" Observar as conversações;
  • 41. Twitter > Estudar os laços sociais > Estudar o capital social
  • 42. Como fazer a pesquisa? 1. Monitoramento de público 2. Monitoramento da Marcas e/ou seus concorrentes 3. Monitoramento do que o público fala sobre a marca e /ou seus concorrentes 4. Monitoramento da imprensa 5. Monitoramento de tendências (Cool Hunting)
  • 43. Como fazer a pesquisa? 1. Monitoramento de público 1.1 Quem são? 1.2 De onde são? 1.3 O que falam? 1.4 Como falam? 1.4 Por que falam? 1.5 Para quem falam? 1.6 O que falam tem significado para alguém? 1.7 Qual é o significado?
  • 44. Como fazer a pesquisa > Coleta Parcial: usa ferramentas, geralmente gratuítas, que fornecem diversos tipos de dados, métricas. > Coleta Plena: analisa e monitora todas as citações de uma mídia social; fornece dados completos e mais assertivos.
  • 51. Coleta Parcial Mentionmap: Conexões entre pessoas (http://apps.asterisq.com/mentionmap)
  • 52. Coleta Parcial Trendsmap: tendências locais (http://trendsmap.com/)
  • 53. Coleta Parcial Klout (http://klout.com/home ): score de relevância nas redes.
  • 54. Atividade #1: Uso das ferramentas parciais Usar as ferramentas parciais para descobrir: 1. quais são as tendências que estão sendo tuítadas no Abciber e em Florianópolis; 2. quais são os usuários mais relevantes tuitando no Abciber? O que eles estão falando? Tempo: 20 mim de pesquisa; 5 min de apresentação para cada grupo.
  • 55. Coleta Plena Ferramentas que coletam e armazenam menções nas mídias sociais
  • 56. Coleta Plena Ferramentas de catalogação plena
  • 57. Scup
  • 58. Scup
  • 59. Scup
  • 60. Scup
  • 61. Scup
  • 62. Scup Escolha bem os termos que vai usar para fazer sua pesquisa! Pense nos erros que as pessoas podem cometer! Use todas as possibilidades Ugo e Hugo Faça um monitoramento prévio na mídia em que você vai fazer a pesquisa netnográfica.
  • 63. Scup
  • 64. Coleta Plena Scup Polaridade Usuário Tag Menção Caixa de Tags Palavra-chave Data da emissão Ocorrência do Emissor Ambiente
  • 65. Scup
  • 66. Scup
  • 67. Scup
  • 68. Scup
  • 70. Coleta Plena > Outras ferramentas > Aceita; PostX; Radina 6; Sekeer
  • 73. Coleta Plena Atividade #2: Uso das ferramentas plenas
  • 74. Análise de dados > Sempre use mais de um ferramenta para obter os dados que precisa; > Cruze os dados > Escolha um foco do que quer tratar e ou analisar. Não adianta querer analisar tudo, você pode perder o sentido da pesquisa e acabar não encontrado o precisa.
  • 75. Análise de dados “Um dado bruto sem interpretação perde representatividade. Cuidado com a apresentação dos dados. Realizar recomendações viáveis.” Devemos estruturar a pesquisa para atender aos objetivos da netnografia” Danila Dourado
  • 76. Data visualization Simplificando: visualização de dados dentro de um contexto.
  • 77. Analise de dados Cruzar dados Quantitativo X Qualitativo Por exemplo: #familiarestart 50% dos 3000 citações eram de pessoas que ouviam Restart. Destes, apenas, 35% falaram que ouviam todo dia. 35% eram homens e 60% mulheres e 5% não foi possível identificar.
  • 78. Analise de dados Cruzar dados Quantitativo X Qualitativo > Como as pessoas expressam o gostar do restar? De forma hiperbólica (juvenil)? > Quais foram as músicas mais comentadas e compartilhadas? > Houve outros artistas e estilos relacionados? > O que as pessoas que não gostavam falavam? > Elas colocavam essas informações em sua BIO?
  • 79. Como apresentar a pesquisa Procurar nos dados as respostas para suas perguntas.
  • 80. Contatos Marina Fernanda Farias - UFMA mari.comunica@gmail.com Moisés Costa Pinto - UFBA costapinto.moises@gmail.com
  • 81. Links Costa, P. Moisés. Midias Sociais versus Redes Sociais.01/04/2011.<http://moisescosta.com.br/mi dias-sociais/midias-sociais-versus-redes-sociais> Ministério de Ciência e Tecnologia. Secretaria de Política de Informação e Automação.Evolução da Internet no Brasil e no Mundo.<http://pt.scribd.com/doc/123635/Evolucao-da- Internet-no-Brasil-e-no-Mundo>