5° tema - Ansiedade de Informação ou compulsão ?

870 visualizações

Publicada em

Materia da aula de 09/01/2013

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
870
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

5° tema - Ansiedade de Informação ou compulsão ?

  1. 1. 5° tema – Ansiedade deInformação ou compulsão? Polêmica do nosso tempo
  2. 2. ANSIEDADE Emoção de desconforto que os seres humanos experienciam em resposta a um perigo presente que os faz se preparar para uma situação que reduza ou previna a sua ocorrência: sensação de apreensão quanto a algum perigo futuro bem delineado Processo passageiro Característica permanente de personalidade
  3. 3. ANSIEDADEÉ um estado emocional composto por três aspectos: Fisiológico: dores, tremores, contraturas, tensão, calafrios, adormecimento. Cognitivo:Nervosismo, apreensão, insegurança, dificuldade de concentração, sensação de estranheza, preocupação, antecipação catastrófica.•Comportamental: fuga e esquiva` hipervigilância insônia
  4. 4. Ansiedade Inata e AprendidaCinco tipos de estímulos fóbicos (Gray):1) Intensidade: Estímulos que eliciam reaçãoansiosa à distância. Visual, auditivo, pelo odor.2)Novidade: estímulos súbitos. Susto, medo deestranhos, de situações novas.3)Perigo evolutivo especial: valor adaptativo.Sombra do predador, altura, escuro.4) Interações sociais.5) Aprendidos por condicionamento
  5. 5. APRESENTAÇÕES CLÍNICAS FORMAS DE ANSIEDADE LIVRE FLUTUANTE (TÔNICA) PAROXÍSTICA ANSIEDADE GENERALIZADA ESPONTÂNEA SITUACIONAL (PÂNICO)ESTÍMULOS EXTERNOS ESTÍMULOS INTERNOS (FOBIAS) (OBSESSÕES)
  6. 6. O QUE É UM TRANSTORNO ANSIOSO?PRESENÇA DE ESTADOS EMOCIONAIS PERSISTENTESNOS QUAIS A ANSIEDADE PATOLÓGICA DESEMPENHA PAPEL FUNDAMENTAL ESTADOS ANSIOSOS REPETITIVOS CAUSANDO SOFRIMENTO E/OU PREJUÍZO NO FUNCIONAMENTOCOTIDIANO DO INDIVÍDUO, E QUE NÃO SE DEVEM À PRESENÇA DE OUTROS QUADROS CLÍNICOS.
  7. 7. TRANSTORNOS DE ANSIEDADE• TRANSTORNO DE PÂNICO• FOBIAS ESPECÍFICAS• FOBIA SOCIAL• TRANSTORNO DE ANSIEDADE GENERALIZADA• TRANSTORNO OBSESSIVO-COMPULSIVO• TRANSTORNO DE ESTRESSE PÓS-TRAUMÁTICO
  8. 8. OBSESSÕESIdeias persistentes, pensamentos, impulsos ou imagens que sãoexperimentados como intrusivos e inapropriados e que causam forteansiedade ou mal-estar.São egodistônicas: o indivíduo sente que o conteúdo da obsessão lhe éestranho, está fora do seu controle e que é um tipo de pensamento queesperaria não ter; no entanto reconhece que é produto da sua mente eque é imposto exteriormente.Conteúdos mais comuns:Contaminação; dúvida; necessidade defazer as coisas segundo uma ordemparticular; impulsos horríveis ouagressivos; imagens sexuais.
  9. 9. COMPULSÕESComportamento repetitivos (ex.: lavar asmãos, ordenar objetos, verificar) ou atosmentais (ex.: rezar, contar, repetirmentalmente) cujo objetivo é evitar oureduzir a ansiedade ou mal-estar queacompanha a obsessão ou para evitar asituação temida.
  10. 10. Ansiedade de InformaçãoSegundo Richard Wurman, autor do livro Ansiedadede Informação“este é o resultado da distância cada vez maiorentre o que compreendemos e o que achamos quedeveríamos compreender.”
  11. 11. Ansiedade de Fadiga de informação:informação: não saber lidar com todoé causada pelo sempre o volume de informaçõescrescente abismo entre o que recebemos nãoque compreendemos e o somente causa distúrbiosque achamos que psicológicos, como vistodeveríamos na seção anterior, mascompreender. É o buraco também pode ternegro entre dados e impacto significativo naconhecimento, que saúde e nos negócios.ocorre quando ainformação não nos diz oque queremos saber, ouprecisamos saber.
  12. 12. A tecnologia da informaçãoabrange uma gama deprodutos de hardware esoftware capazes decoletar, armazenar, processare acessar números eimagens, que são usadospara controlar equipamentose processos de trabalho econectar pessoas eempresas
  13. 13. “Seres humanos, pessoas daqui e de toda parte, vocês que sãoarrastados no grande movimento da desterritorialização, vocêsque são enxertados no hipercorpo da humanidade e cuja pulsaçãoecoa as gigantescas pulsações deste hipercorpo, vocês quepensam reunidos e dispersos entre o hipercórtex das nações,vocês que vivem capturados, esquartejados, nesse imensoacontecimento do mundo que não cessa devoltar a si e de recriar-se, vocês que são jogados vivos no virtual,vocês que são pegos nesse enorme salto que nossa espécieefetua em direção à nascente do fluxo do ser, sim, no núcleomesmo desse estranho turbilhão, vocês estão em sua casa.Benvindos à nova morada do gênero humano. Benvindos aoscaminhos do virtual!” (Lévy, 1999, p. 150)
  14. 14. TRANSTORNO DE ADIÇÃO À INTERNET (TAI).A existência do Transtorno de Adição à Internet(Info Adicction Disorder ou IAD) provocapolêmicas. Atualmente discute-se que a Internet,além de um precioso instrumento de trabalho, deapoio à construção de conhecimentos e deampliação do universo social, pode assumir paraalguns indivíduos um caráter fetichista.Estes seriam os chamados “netdependentes”, queutilizam a Internet de forma excessiva, comprejuízo à sua vida pessoal e profissional. Estaperda de controle se manifesta sob a forma de umconjunto de “sintomas” cognitivos, emocionais eaté mesmo fisiológicos.
  15. 15. Inventário da Dra. Kimberly S. Young, da Universidade de Pittsburgh – Bradford Sente-se preocupado com a Internet e pensa com freqüência nela, quando não está conectado? Sente necessidade de ficar mais tempo conectado, para estar satisfeito? É incapaz de controlar o tempo de uso da conexão? Sente-se inquieto ou irritado quando tenta diminuir ou eliminar as suas visitas ao ciberespaço? Conecta-se para fugir dos problemas? Mente para seus familiares e amigos em relação à freqüência e duração de suas conexões à Internet? Arrisca-se a perder uma relação importante, um trabalho, uma oportunidade acadêmica ou sua carreira, por usar a Internet? Continua conectando-se após pagar contas altas por esta conexão? Quando passa um tempo sem conectar-se fica mal-humorado, irritado ou deprimido? Permanece conectado mais tempo do que pretendia inicialmente ficar?
  16. 16. Quatro modos de ser no ciberespaço, segundo Lèvy:Transformação Definição Ordem Causalidade TemporalidadeRealização Eleição, Seleção Material Mecanismo queda de potencialPotencialização Produção de Seleção Formal Trabalho recursosAtualização Resolução Criação Eficiente Processo de problemasVirtualização Invenção de Criação Final Eternidade problemas
  17. 17. “Interagindo com diversas comunidades, os indivíduosque animam o espaço do saber, longe de ser osmembros intercambiáveis de castas imutáveis, são aomesmo tempo singulares, múltiplos, nômades e emvias de metamorfose (ou de aprendizado) permanente.Esse projeto convoca um novo humanismo que inclui eamplia o “conhece-te a ti mesmo” para um“aprendamos a nos conhecer para pensar juntos”, eque generaliza o “penso, logo existo” em um“formamos uma inteligência coletiva, logo existimoseminentemente como comunidade”. Passamos docogito cartesiano ao cogitamus”. (Lèvy, 1998, p.31-32).

×