4 MATEMATICA  ENCARTE ESPECIAL                                                                                            ...
CAMPO MULTIPLICATIVO                          os orientava a atentar para questões        muito perto desse raciocínio. Qu...
4 MATEMATICA  ENCARTE ESPECIAL                                                                                            ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Nova escola campo_multiplicativo

3.995 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.995
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.423
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nova escola campo_multiplicativo

  1. 1. 4 MATEMATICA ENCARTE ESPECIAL FOTOS GUSTAVO LOURENÇÃO RECORTE E COLECIONE Formação de duplas na turma de 2o ano de Cotia (SP): uso da divisão sem a conta armada PRÁTICA Multiplicação e divisão a toda hora Professoras de São Paulo e Recife usam situações do cotidiano e diversidade de atividades para que as crianças entendam o que está por trás das operações de vezes e de dividir ‘‘Q uantas duplas diferentes podemos formar na nossa turma?” É com desafios como esse que a professora Be- Beta, a compreensão do que está em jogo na resolução de um problema vem antes da sistematização de um proce- corra aos conceitos que já domina pa- ra encarar o desafio. Na turma de Be- ta, os pequenos desenharam cada uma ta Costa, da Escola Ágora, em Cotia, dimento para solucioná-lo. A inversão das 12 crianças da sala ou anotaram município da Grande São Paulo, come- dos fatores nesse caso, em relação ao os nomes. Para montar as duplas, fo- çou o trabalho de combinatória com método da escola tradicional, altera ram usados traços para unir os per- os estudantes de 2º ano. Muito antes de sim o produto: a criança percebe com sonagens. Só depois é que eles parti- ter contato com os algoritmos de mul- maior clareza as propriedades das ope- ram para a contagem. Nessa etapa, é tiplicação e divisão, eles descobriram rações matemáticas. comum haver dificuldade para con- várias maneiras de chegar ao resulta- O desconhecimento do algoritmo trolar as duplas já contabilizadas – afi- do. Na abordagem dos campos concei- frente a problemas de campo multi- nal, “Pedro e Luísa” e “Luísa e Pedro” tuais, teoria que embasa o trabalho de plicativo faz com que a garotada re- são o mesmo par, certo? A professora ✃
  2. 2. CAMPO MULTIPLICATIVO os orientava a atentar para questões muito perto desse raciocínio. Quan- como essa no momento da discussão do o problema do telhado foi lança- das estratégias. do, as crianças já tinham um peque- no repertório de estratégias. “É inte- Multiplicação das telhas ressante perceber que, embora ainda O que está ao redor também se trans- não utilizassem a notação de um nú- forma em situações para explorar con- mero ‘vezes’ o outro, alguns alunos já ceitos de multiplicação e de divisão. No verbalizam a expressão ‘vezes’ para ex- início do ano, o telhado do refeitório plicar o raciocínio”, disse Beta. foi reformado e a turma de Beta se en- cantou com a obra dos pedreiros. A O inteiro e a parte professora resolveu reverter o interes- Na Escola Polichinelo, em Recife, as pro- se em problema matemático: quantas fessoras usam continuamente as no- telhas são necessárias para cobrir uma ções de multiplicação e divisão e, quan- das águas do telhado? O pri- do os estudantes chegam ao 5o meiro impulso da garo- ano, já têm o campo mul- tada foi usar a conta- tiplicativo bem consoli- gem para resolver a dado. Nem por isso, questão, mas foi deixam de aparecer Organização retangular: muito fácil perder aqueles desafios que campo multiplicativo ajuda a calcular quantas telhas a conta, já que a fazem os alunos re- RECORTE E COLECIONE têm o telhado da escola quantidade envol- correrem às estraté- vida era grande. gias mais elementa- Em pequenos grupos, as crianças Beta já havia tra- res para compreendê- recebem diferentes peças de EVA co- balhado enunciados los melhor. Na classe de loridas, em que cada cor representa a que continham produtos 5o ano da professora Josely fração (1/2, 1/3, 1/4, 1/8 etc.) de um de medidas usando tabelas Kühner Câmara, por exemplo, círculo. A professora coloca o proble- quadriculadas. Nelas, é preciso desco- uma atividade ajuda a lidar com a no- ma: quantas peças amarelas são neces- brir o número total de casas de uma su- ção de proporcionalidade das frações, sárias para formar uma figura inteira? perfície.“No caso do telhado, alguns es- que costuma confundir as turmas. É hora de descobrir que com três pe- tudantes até tentaram registrar as telhas uma a uma, mas logo desistiram. Ou- tros quiseram somar fileira por fileira”, Sempre é possível começar lembra a professora. Também aí mui- Ana Ruth Starepravo hoje é escolaridade.” Ela percebeu que, doutoranda em Psicologia pela mesmo marcados pelo modus tos se perderam na apuração e pediram Universidade de São Paulo e operandi do ensino tradicional, os ajuda para controlar o cálculo. Beta su- especialista em campo multiplicativo. alunos estabeleciam conexões entre geriu que anotassem os resultados par- Mas, quando começou a dar aulas o que já sabiam e as novas propostas. ciais ao lado da tabela. Aos poucos, com para o 1o ano, no início da carreira, ela Porém é preciso retomar certas a intervenção da professora e a troca en- seguia a linha didática da escola questões para que as relações entre tradicional. “Eu sentia que aquela as operações sejam compreendidas tre os colegas, eles mesmos encontra- maneira de separar as operações de fato. “Muitas crianças repetem ram caminhos para simplificar a con- deixava os pequenos amarrados”, bem os procedimentos que aprendem, tagem. “Houve quem percebesse que o conta a pesquisadora. Ela começou mas não têm compreensão do número se repetia em cada fileira e, a então a fazer um trabalho especial conceito”, diz. O jogo é uma atividade partir da terceira ou da quarta, já ano- com um grupo de 3o ano para saber se propícia para introduzir o trabalho tava diretamente o número de casinhas”, a experiência dava resultado: uma vez com campos conceituais com por semana, a professora realizava os mais velhos, pois nele a criança conta Beta. “Depois as crianças desco- uma atividade diferente, geralmente geralmente está livre das exigências briram outras maneiras para juntar os com jogos que exigiam conceitos que habituais e pode se valer de todo números calculados: somando um por as crianças ainda não dominavam. tipo de procedimento. Ana Ruth um, de dois em dois etc.” “Eu queria saber se era possível relata que aquele 3o ano, mesmo Decidir pela multiplicação do nú- desenvolver a autonomia matemática usando algoritmos, se valia da criança por meio da abordagem do desenho para organizar o raciocínio mero de fileiras pelo de colunas não dos campos conceituais no meio da durante as partidas. foi imediato, mas a turma chegou✁
  3. 3. 4 MATEMATICA ENCARTE ESPECIAL EDUARDO QUEIROGA RECORTE E COLECIONE Conceito de fração: uso de material de apoio ajuda alunos do Recife a compreender a proporção ças é possível fazer uma bolacha e que cionalidade entre as diferentes quan- pliasse a visão sobre as relações que cada uma delas corresponde à terça tidades. Se cada peça de 1/4 receber 3 podem ser estabelecidas entre as pro- parte de um inteiro. “Um dos concei- feijões, os alunos têm de calcular quan- priedades das operações. Além do tra- tos mais difíceis de entender é que a tos grãos terá o círculo inteiro.“O pró- balho com a multiplicação e a divisão fração diz respeito a uma quantidade ximo passo é descobrir quantos têm de frações, a professora propõe pro- de um número inteiro e que essas em 3/4, ou seja, 3/4 de 12”, diz a pro- blemas sobre o reflorestamento de quantidades são proporcio- fessora. “É assim que eles co- áreas (produto de medidas), combi- nais”, diz Josely. meçam a adquirir a noção nação de lanches (combinatória entre Com o material de de quantidade da fração. sucos e sanduíches diversos) e de pro- apoio, fica mais fácil Tudo sem precisar de porcionalidade com números inteiros visualizar essa rela- regras prontas.” (receita de cuscuz). “Com 2 xícaras de ção também com Josely diversifica farinha de milho e 1 xícara de água e outras frações, e ao máximo os enun- sal, eu preparo cuscuz para 4 pessoas. novos desafios po- ciados, variando o Que quantidade eu preciso de cada in- dem ser lançados: local da incógnita nas grediente para preparar o prato para com quantas peças questões para trabalhar os 20 alunos de nossa classe?” As cin- azuis (1/12) se forma toda a diversidade do co medidas necessárias para servir a meio círculo? A questão campo multiplicativo: “Os todos são calculadas com ainda mais já pressupõe a melhor com- problemas precisam ser bem in- vontade para que a hora de experimen- preensão do conceito de fração e, em- terpretados para não haver dúvidas so- tar a iguaria chegue rápido. bora de início não seja possível respon- bre quais são as informações solicita- der à questão (? x 1/12 = 1/2), as crian- ças se apropriam empiricamente da operação para depois trabalhar a re- das. Como os estudantes já sabem que não existe apenas uma maneira de re- solver, eles brincam de achar jeitos di- QUER SABER CONTATOS +? Escola Ágora, R. Hamun, 602, presentação matemática. Para que es- ferentes de concluir o raciocínio”. 06700-000, Cotia, SP, tel. (11) 4702-2133, www.escolaagora.com.br se percurso se complete, Josely propõe Nessa turma de 5º ano, Josely intro- Escola Polichinelo, R. José Gomes um trabalho com grãos de feijão, em duziu outros aspectos do campo mul- da Cunha, 383, Recife, PE, tel. (81) 3361- 3880, www.polichinelo.com.br que o aluno terá de descobrir a propor- tiplicativo para que a garotada am- ✃

×