Página 1 de 181
Página 2 de 181
UNIVERSIDADE ANHANGUERA-UNIDERP
CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (CEAD)
Página 3 de 181
Curso Superior: Administração
Polo: FACULDADE ANHANGUERA DE PIRACICABA
Página 4 de 181
Joel de Oliveira – RA: 7377564793
Tatiana Passarini Stoco – RA: 8150746817
Página 5 de 181
Acacio Carlos de Oliveira – RA: 7388586798
Página 6 de 181
DISCIPLINA: CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA
Página 7 de 181
PRODUÇÃO ACADÊMICA NO FORMATO DE ARTIGO TÉCNICO
Página 8 de 181
ATIVIDADE PRÁTICA SUPERVISIONADA SOB A ORIENTAÇÃO DAS
PROFESSORAS EAD, TUTOR PRESENCIAL ROSE SOARES, E PRO...
Página 9 de 181
Semestre 4º
Página 10 de 181
Piracicaba/SP
Setembro/ 2014
Página 11 de 181
SUMÁRIO
ETAPA 1.............................................................................................
Página 12 de 181
ETAPA 2.....................................................................................................
Página 13 de 181
INTRODUÇÃO
Neste trabalho serão realizadas atividades em equipe, envolvendo atividades de
elaboração de R...
Página 14 de 181
Nos últimos anos a economia mundial foi surpreendida pelo grande número de fraudes
corporativas ocorridas...
Página 15 de 181
resultados financeiros de grandes empresas conforme suas necessidades individuais fazendo
com que números...
Página 16 de 181
A contabilidade é uma ciência que busca mensurar, condensar, testar a veracidade e
fazer a análise dos da...
Página 17 de 181
O objetivo maior da contabilidade é permitir o estudo e o controle do patrimônio das
entidades econômico-...
Página 18 de 181
A contabilidade no mundo empresarial ocupa um dos lugares mais importantes. O
profissional contábil é com...
Página 19 de 181
Etapa 1.
Tabela 1- Balancete Companhia Beta.
Contas Saldo em reais Lançam.
Página 20 de 181
Receita de serviços 477.000 R
Duplicatas Descontadas (curto prazo) (57.000) A
Fornecedores (curto prazo) ...
Página 21 de 181
Veículos 45.000 A
Provisão para Credito de Liquidação
Duvidosa
(33.000)
Despesas com Vendas 27.000 D
Página 22 de 181
Duplicatas a Pagar (curto prazo) 54.000 P
Empréstimos (longo Prazo) 45.000 P
Reserva de Lucro 60.000 PL
D...
Página 23 de 181
Despesas com Salários 189.000 D
Despesas com Impostos 53.500 D
Capital Social 294.000 PL
Dividendos a Pag...
Página 24 de 181
Moveis e Utensílios 285.500 A
Equipamentos 270.000 A
Disponível 30.000 A
Total 2.232,000
Página 25 de 181
Passo 3
Quando analisamos a Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), verificamos que
ela consiste na...
Página 26 de 181
Esta é a apresentação o lucro apurado pela Companhia Beta, antes do imposto de renda
e da contribuição so...
Página 27 de 181
Receita de serviços 477.000
Despesas com Salários 189.00
Despesas com Impostos 53.500
Despesas com Vendas...
Página 28 de 181
Total de Despesas 746.500
Despesas com depreciação 37.500
Resultado de lucro apurado antes do imposto de ...
Página 29 de 181
total da despesas:R$ 477.000- 189.000- 53.500- 27.000 = 207.500
total de despesas – despesas com deprecia...
Página 30 de 181
Duplicatas a Receber (curto prazo) 180.000
Provisão para Credito de Liquidação
Duvidosa
33.000
Duplicatas...
Página 31 de 181
Total 270.00
Valor total do ativo circulante em 31/12/2010 é de;
180.000+ 33.000+ 57.000 = 270.000
Página 32 de 181
A lei exige que o Balanço Patrimonial seja levantado no fim do exercício financeiro que
geralmente coinci...
Página 33 de 181
Etapa 2
Página 34 de 181
Passo 1 e 2
A Resolução CFC nº 1.282, de 28 de maio de 2010, publicada, revoga a Resolução CFC
nº 774/94 ...
Página 35 de 181
consolidando dispositivos da Resolução nº 750/93. Assim sendo, a denominação de Princípios
Fundamentais d...
Página 36 de 181
prover fundamentação apropriada para interpretação e aplicação das Normas Brasileiras de
Contabilidade, (...
Página 37 de 181
O regime de competência é contabilizado como receita ou despesa, os valores dentro do
mês de Competência ...
Página 38 de 181
registradas nos livros contábeis e sejam apresentadas nas demonstrações financeiras do período
no qual os...
Página 39 de 181
documentos quando estes foram pagos, liquidados, ou recebidos, como se fosse uma conta
bancária. Porém pa...
Página 40 de 181
Sobra de dinheiro em caixa não significa necessariamente lucro, tampouco, que falta de
dinheiro em caixa ...
Página 41 de 181
 Venda de itens disponíveis em estoque e que já tenham sido pagos anteriormente;
 Venda a vista de iten...
Página 42 de 181
R: Para a resolução do problema, usamos o regime de competência, ao final do exercício
em 31/12/2010, par...
Página 43 de 181
Questão 2;
a) Pelo registro do seguro deverá ser pago em (01/08/2010);
Contas Debito Credito
Página 44 de 181
Seguro a pagar 27.000
Seguro a vencer 27.000
Total: R$ 27.000
b) Pelo pagamento da 1º parcela deverá ser ...
Página 45 de 181
Contas Debito Credito
Seguro a pagar 9.000
Banco 9.000
Total: R$ 9.000
Página 46 de 181
c) Por apropriação como despesa da 1º parcela deverá ser pago em (31/08/2010).
Página 47 de 181
Contas Debito Credito
Despesa com seguro 750.00
Seguro a vencer 750.00
Total: R$ 750.00
Página 48 de 181
Página 49 de 181
Etapa 3
Passo 1
Página 50 de 181
2) Responder as seguintes questões:
Existem contas retificadoras no passivo? Quais?
Página 51 de 181
R: Sim no Passivo também têm as contas Retificadoras : Ex: (-) Titular Conta Capital a
Realizar, Reserva ...
Página 52 de 181
São chamadas de contas redutoras, as contas que, embora apareça num determinado
grupo patrimonial nesse c...
Página 53 de 181
São exemplos de contas retificadoras do passivo:
 Juros a vencer;
 Deságio a amortizar.
Página 54 de 181
Notamos assim que as contas redutoras do passivo, tais como o Capital a Integralizar /
Realizar, é reduto...
Página 55 de 181
Passo 2
Calculo da contabilização da exaustão, amortização e depreciação acumulada no final
de 2010, de a...
Página 56 de 181
Custo de aquisição da mina (o valor residual da mina é estimado em R$ 210.000,00
Capacidade estimada da j...
Página 57 de 181
Quantidade Extraída = 5.000
Valor do Custo Exaurido (mina): R$ 840.000
Cálculo = R$ 840.000 - 8 % = R$ 67...
Página 58 de 181
R$ 67.200 – 400 ton.
X – 300 ton
X = 50.400 ton.
Página 59 de 181
Depreciação Acumulada - Equipamento
Equipamento com valor residual estimado em, R$ 21.000,00 vida útil es...
Página 60 de 181
Valor da aquisição - Valor residual = Valor Depreciado
R$ 210.000,00 - R$ 168.000 = R$ 147.000,00
147.000...
Página 61 de 181
Depreciação acumulada= R$ 24.500,00 a a
Despesa com depreciação= R$ 24.500,00
Amortização Acumulada:
Benf...
Página 62 de 181
R$ 92.400,00
Valor da aquisição - Valor residual = Valor Amortizado
R$ 92.400,00 - R$ 0 = R$ 92.400,00
R$...
Página 63 de 181
Lançamento no livro Razão:
Amortização acumulada= R$ 6.160,00
Despesas com amortização= R$ 6.160,00
Página 64 de 181
Contabilidade do livro razão:
Quadro 1- carteira de contas a receber.
Passo 3 e 4
Contabilidade do livro ...
Página 65 de 181
Quadro 1- carteira de contas a receber
Classe de
devedor
A receber PCLD Liquido % de
PLCD
Página 66 de 181
Classe A 110.000 550 109.450 0,50%
Classe B 93.000 930 92.070 1,00%
Classe C 145.000 4.350 140.650 3,00%
Página 67 de 181
Classe D 80.000 8.000 72.000 10%
Total 428.000 13.830 414.170 3,34%
Resolução do livro razão:
Página 68 de 181
a) Clientes classe A
caixa 109.450
Contas a receber classe A 110.000
PCLDA 550.00
Página 69 de 181
Contas a Recber classe A 550.00
b) Clientes classe B
Caixa R$ 930.000
Página 70 de 181
Contas á receber classe B R$ 930.000
PCLD classe B R$ 930.000
Outras contas operacionais/recuperação de
d...
Página 71 de 181
c) Clientes classe C
Caixa R$130.000
Contas a receber classe C R$130.000
PCLD classe C R$4.350
Página 72 de 181
Perdas incobráveis R$10.650
Contas a receber classe C R$10.650
d) Clientes classe D
Página 73 de 181
Caixa R$80.000
Contas a receber classe D R$80.000
PCLD classe D R$8.000
Perdas incobráveis R$8.000
Página 74 de 181
Contas a receber classe D R$8.000
Etapa 4
Página 75 de 181
Passo1
Insalubridade.
A legislação trabalhista protege, por meio de normas, todo trabalhador que executa ...
Página 76 de 181
na saúde do trabalhador entende-se por periculosas as atividades ou operações onde a natureza
ou os seus ...
Página 77 de 181
São consideradas atividades ou operações insalubres as que se desenvolvem acima dos
limites de tolerância...
Página 78 de 181
 Consideram-se atividades ou operações insalubres aquelas que, por sua natureza,
condições ou métodos de...
Página 79 de 181
 Consideram-se atividades ou operações perigosas, na forma da regulamentação
aprovada pelo Ministério do...
Página 80 de 181
É facultado às empresas e aos sindicatos das categorias profissionais interessadas,
requererem ao Ministé...
Página 81 de 181
específico, com o objetivo de caracterizar e classificar ou delimitar as atividades insalubres ou
perigos...
Página 82 de 181
Nas perícias requeridas às Delegacias Regionais do Trabalho, uma vez comprovada a
insalubridade, o perito...
Página 83 de 181
Esses adicionais não poderão ser acumulativos, fica a cargo da categoria a fixação do
percentual que mais...
Página 84 de 181
A periculosidade em saúde e segurança do trabalho, por sua vez, é a caracterização de um
risco imediato, ...
Página 85 de 181
dos eletricitários (Lei 7.369/85 e seu Decreto 93.412/86) e as atividades em proximidade de
radiação ioni...
Página 86 de 181
A periculosidade assim como a insalubridade é caracterizada por perícia a cargo de
Engenheiro de Seguranç...
Página 87 de 181
O valor do adicional de periculosidade será o salário do empregado acrescido de 30%,
sem os acréscimos re...
Página 88 de 181
Passo 2
a) Horas extras;
Definição: Hora extra, hora suplementar ou hora extraordinária é todo período de...
Página 89 de 181
intervalo do repouso e alimentação, após o período, dias que não estão no contrato (sábado,
domingo ou fe...
Página 90 de 181
Para configurar as horas extras – CLT art. 58 § 1º “Não serão descontadas nem
computadas como jornada ext...
Página 91 de 181
Fundamento Legal: Constituição Federal de 1988 consagrou as horas extras quando
dispôs no inciso XVI art....
Página 92 de 181
b) Adicional noturno
A Constituição Federal, no seu artigo 7º, inciso IX, estabelece que são direitos dos...
Página 93 de 181
Considera-se noturno, nas atividades urbanas, o trabalho realizado entre as 22:00 horas
de um dia às 5:00...
Página 94 de 181
dia seguinte, a hora normal tem a duração de 60 (sessenta) minutos e a hora noturna, por
disposição legal...
Página 95 de 181
No trabalho noturno também deve haver o intervalo para repouso ou alimentação, sendo:
 Jornada de trabal...
Página 96 de 181
 Jornada de trabalho excedente a 6 horas: intervalo de no mínimo 1 (uma) hora e no
máximo 2 (duas) horas...
Página 97 de 181
O Vale-Transporte constitui benefício que o empregador antecipará ao trabalhador para
utilização efetiva ...
Página 98 de 181
existe determinação legal de distância mínima para que seja obrigatório o fornecimento do
Vale-Transporte...
Página 99 de 181
O vale-transporte será custeado pelo beneficiário, o desconto de 6% do salário básico
ou vencimento, excl...
Página 100 de 181
Benefício pago aos segurados empregados, exceto os domésticos, e aos
trabalhadores avulsos com salário m...
Página 101 de 181
suficientes para o próprio sustento, devendo a dependência econômica de ambos a ser
comprovada).
De acor...
Página 102 de 181
inválidos, para quem ganhar até R$ 646,55.
Para o trabalhador que receber de R$ 646,55 até R$ 971,78, o ...
Página 103 de 181
concessão do salário-família, a Previdência Social não exige tempo mínimo de
contribuição.
Pesquisar na ...
Página 104 de 181
a) Previdência social.
A Previdência Social é um seguro que garante a renda do contribuinte e de sua
fam...
Página 105 de 181
benefícios assegurando um rendimento seguro ao contribuinte, para ter os direitos da
previdência social ...
Página 106 de 181
contribuição e taxada de acordo com o piso da categoria cadastrada podendo ser ele do
contribuinte indiv...
Página 107 de 181
O Imposto de Renda, é um imposto recolhido e em vários países no Brasil ele
é de competência da União, t...
Página 108 de 181
de ambos. Proventos de qualquer natureza são os acréscimos patrimoniais não
compreendidos como renda.
Ta...
Página 109 de 181
Base de cálculo mensal em
R$
Alíquota %
Parcela a deduzir do
imposto em R$
Até 1.710,78 - -
De 1.710,79 ...
Página 110 de 181
De 3.418,60 até 4.271,59 22,5 577,00
Acima de 4.271,59 27,5 790,58
c) FGTS.
Página 111 de 181
O FGTS constitui-se em uma reserva de dinheiro disponibilizado quando o cidadão tem
direito a aposentado...
Página 112 de 181
O FGTS foi instituído pela Lei nº 5.107, de 13/09/66. Esta lei foi regulamentada pelo
Decreto nº 59.820,...
Página 113 de 181
determinado, o percentual é de 2%, conforme dispõe o inciso II do art. 2º da Lei nº 9.601, de
21/01/98.
...
Página 114 de 181
gerado para as empresas, por ocasião da implantação do sistema, foi de apenas 2,8%, já que a
contribuiçã...
Página 115 de 181
efetive a cobertura parcelada da indenização a que teria direito o trabalhador, quando de seu
desligamen...
Página 116 de 181
A contribuição confederativa é desprovida de natureza tributária e, portanto, de
compulsoriedade, podend...
Página 117 de 181
apenas àqueles filiados à entidade sindical respectiva. Esta contribuição é voltada ao custeio do
sistem...
Página 118 de 181
Por a maior parte das cobranças serem feitas pelas empresas diretamente através do
desconto em folha de ...
Página 119 de 181
A contribuição sindical está prevista nos artigos 578 a 591 da CLT. Possui natureza
tributária e é recol...
Página 120 de 181
econômica ou profissional, ou de uma profissão liberal, independentemente de serem ou não
associados a u...
Página 121 de 181
Especial Emprego e Salário" integram os recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador.
Compete ao MTE exped...
Página 122 de 181
f) Faltas.
A Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) enumera, no seu artigo 473, as hipóteses
em que o ...
Página 123 de 181
a falta justificada, bem como o número de dias durante os quais o empregado que nelas se
encontra poderá...
Página 124 de 181
trabalho. Outros documentos legais também prevêem situação de faltas justificadas, como é o
caso da Lei ...
Página 125 de 181
configurando-se, então, hipótese de demissão por justa causa. Significa dizer que é possível
fundamentar...
Página 126 de 181
A pensão alimentícia é um valor que deverá ser pago todos os meses por alguém que
tem a obrigação de aux...
Página 127 de 181
Normalmente, a pensão é fixada em 20% da renda do pai quando tem apenas um filho.
O percentual de 30% é ...
Página 128 de 181
Se forem três, 10% cada; porém, percentual inferior a esse somente tem sido admitido quando
o valor repr...
Página 129 de 181
Passo 3
Página 130 de 181
Modelo de folha de pagamento para implantação na empresa Aliança LTDA: Para
resolvermos esse problema, t...
Página 131 de 181
Página 132 de 181
Página 133 de 181
Funcionários 1 2 3 4 5 6 7
Salariobase R$3.500 R$2.850 R$800.00 R$4.500 R$2.350 R$5.350 R$510.00
Filhosm...
Página 134 de 181
Adicional de
insalubridade
R$1.400 R$0.00 R$0.00 R$1350.00 R$0.00 R$0.00 R$0.00
Adicional de
periculosid...
Página 135 de 181
Vale transporte R$0.00 R$0.00 R$40.00 R$0.00 R$0.00 R$0.00 R$30.60
Faltas R$0.00 R$0.00 R$0.00 R$600.00 ...
Página 136 de 181
Total
Página 137 de 181
Passo 4
As três maiores fraudes contábeis dos últimos anos;
Café Pilão
Página 138 de 181
O gigante do café Master Blenders, dona do Café Pilão, descobriu uma fraude milionária
na operação brasi...
Página 139 de 181
e o Brasil é o maior produtor mundial de Café e o segundo mercado consumidor do produto.
Em 1º de agosto...
Página 140 de 181
Segundo Exame, onde apurou a suposta fraude custou o emprego do presidente
brasileiro, Dantes Hurtado, a...
Página 141 de 181
O que realmente aconteceu, foi que, a maior parte do problema estava no departamento
de vendas, onde par...
Página 142 de 181
varejista até aceitava a compra, mas só pagava quando desejava de fato recebê-la, o que poderia
levar me...
Página 143 de 181
significa que a empresa irá fechar a saída que eles tomaram foi mudar a auditoria, para tentar
avaliar q...
Página 144 de 181
Parmalat
Inicialmente parecia que o propósito das manobras contábeis era o de manter a empresa
solvente ...
Página 145 de 181
sobreviver. O colapso da Parmalat teve início quando seu auditor levantou dúvidas sobre um
lucro de deri...
Página 146 de 181
informaram que a empresa havia utilizado dezenas de empresas do exterior para comunicar
ativos não exist...
Página 147 de 181
diretor executivo de mais de 25 empresas afiliadas utilizadas para mascarar os problemas
financeiros da ...
Página 148 de 181
bilhão de litros de leite, ficando atrás apenas da Nestlé, que comprou cerca de 1,5 bilhão no ano
passad...
Página 149 de 181
montou uma comissão para propor resoluções para o problema. Foi pedida uma linha de
financiamento de R$ ...
Página 150 de 181
empréstimo de R$ 29,5 milhões.
Em meio a essa situação, o diretor de relações com investidores da Parmal...
Página 151 de 181
funções. Uma fábrica da empresa já foi vendida para o grupo pernambucano Intergrupo. A
fábrica, que tem ...
Página 152 de 181
Empresa Eron
O caso da empresa Enron, cujas investigações revelaram que a mesma havia manipulado
os bala...
Página 153 de 181
além de sua falência, a demissão de 20 mil desempregados e um bilhão de dólares na conta dos
responsávei...
Página 154 de 181
patrimonial, tornando inadequado um balanço. Percebe-se então, a existência de uma estreita
relação entr...
Página 155 de 181
perante o mercado e o favorecimento de operações comerciais, são alguns dos casos que
motivam a adoção d...
Página 156 de 181
Analise e correlação de estudo
Através desta analise foi demonstrado que as organizações vêm sofrendo ca...
Página 157 de 181
vantagem, abrindo oportunidades para estas ações fraudulentas, evidenciando também os
problemas de má qu...
Página 158 de 181
necessários para o crescimento. Como punição, a maioria das empresas demitem os
funcionários envolvidos,...
Página 159 de 181
de fraude nem quanto à distinção entre fraude e gerenciamento de resultados, Dechow e Skinner
(2000) diz...
Página 160 de 181
preferência à essência econômica dos eventos, mesmo nos casos em que a legislação determine
tratamento d...
Página 161 de 181
A melhor fiscalização com métodos preventivos e melhor valorização dos profissionais
competentes, poderi...
Página 162 de 181
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Livro PLT: Contabilidade Financeira/ Alessandra Cristina Fahl, José Carlos Ma...
Página 163 de 181
Disponível em
http://www.valdecicontabilidade.cnt.br/index.htm?http%3A//www.valdecicontabilidade.cn
t.br...
Página 164 de 181
Disponível em: http://www.okconcursos.com.br/apostilas/apostila-gratis/116-
contabilidade/218-contas-ret...
Página 165 de 181
Disponível em: http://contaazul.com/blog/2012/04/o-que-e-regime-de-caixa/-Acessado em
18 agos 2013
Dispo...
Página 166 de 181
Disponível em:
https://docs.google.com/file/d/0B9lr9AyNKXpDN2RhOTRkMTgtMzE0Yi00YWE4LTg4
ZjItOTMzNDUyNTcx...
Página 167 de 181
Disponível em: http://www.previdenciasocial.gov.br/conteudoDinamico.php?id=25 -
Acessado em 23 agos 2013...
Página 168 de 181
Disponível em: http://www.guiatrabalhista.com.br/guia/insalubridade.htm - Acessado em
23 agos 2013.
Página 169 de 181
Disponível em:
http://www.qualidadebrasil.com.br/artigo/seguranca_no_trabalho/o_que_e_insalubridade -
Ac...
Página 170 de 181
Disponível em: http://www.guiatrabalhista.com.br/guia/periculosidade.htm - Acessado em
10set 2013.
Dispo...
Página 171 de 181
ENTENDA+O+QUE+E+ADICIONAL+DE+INSALUBRIDADE+E+QUEM+TEM+DIR
EITO.html - Acessado em 10 set 2013.
Disponíve...
Página 172 de 181
Disponível em: http://www.ityrapuan.com.br/calculo-do-adicional-noturno - Acessado em
12 set 2013.
Dispo...
Página 173 de 181
Disponível em: http://www.guiatrabalhista.com.br/guia/vale_transporte.htm - Acessado em
12 set 2013
Disp...
Página 174 de 181
Disponível em: http://www.guiatrabalhista.com.br/guia/contr_assistencial.htm - Acessado
em 2 set 2013.
Página 175 de 181
Disponível em: http://www.sindiauto.org.br/sistema/bin/pg_dinamica.php?id_pag=21 -
Acessado em 15 set 20...
Página 176 de 181
Disponível em: http://www12.senado.gov.br/noticias/entenda-o-assunto/contribuicao-
sindical - Acessado e...
Página 177 de 181
Disponível em:
http://www.portaldeauditoria.com.br/tematica/rotinastrab_faltasjustificadasenao.htm -
Ace...
Página 178 de 181
Disponível em: http://www.guiatrabalhista.com.br/guia/faltas_nao_justificadas.htm -
Acessado em 16 set 2...
Página 179 de 181
Disponível em: http://www.administradores.com.br/artigos/economia-e-financas/voce-
sabe-como-calcular-o-...
Página 180 de 181
Disponível em: http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=49352 – Acessado em 16 set
2013
Disponível e...
Página 181 de 181
Disponível em: http://caminhossabercontabil.blogspot.com.br/2012/09/fraude-contabil-
cafe-pilao.html - A...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Atps contabilidade intermediária 4º sem(não)

832 visualizações

Publicada em

ATPS

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
832
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Atps contabilidade intermediária 4º sem(não)

  1. 1. Página 1 de 181
  2. 2. Página 2 de 181 UNIVERSIDADE ANHANGUERA-UNIDERP CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (CEAD)
  3. 3. Página 3 de 181 Curso Superior: Administração Polo: FACULDADE ANHANGUERA DE PIRACICABA
  4. 4. Página 4 de 181 Joel de Oliveira – RA: 7377564793 Tatiana Passarini Stoco – RA: 8150746817
  5. 5. Página 5 de 181 Acacio Carlos de Oliveira – RA: 7388586798
  6. 6. Página 6 de 181 DISCIPLINA: CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA
  7. 7. Página 7 de 181 PRODUÇÃO ACADÊMICA NO FORMATO DE ARTIGO TÉCNICO
  8. 8. Página 8 de 181 ATIVIDADE PRÁTICA SUPERVISIONADA SOB A ORIENTAÇÃO DAS PROFESSORAS EAD, TUTOR PRESENCIAL ROSE SOARES, E PROFESSORA TUTOR À DISTÂNCIA, SEM DEFINIÇÃO
  9. 9. Página 9 de 181 Semestre 4º
  10. 10. Página 10 de 181 Piracicaba/SP Setembro/ 2014
  11. 11. Página 11 de 181 SUMÁRIO ETAPA 1.......................................................................................................... pg 4-7
  12. 12. Página 12 de 181 ETAPA 2.......................................................................................................... pg 7-10 ETAPA 3.......................................................................................................... pg 8-14 ETAPA 4.......................................................................................................... pg 14-16 REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS .......................................................... pg 16-16
  13. 13. Página 13 de 181 INTRODUÇÃO Neste trabalho serão realizadas atividades em equipe, envolvendo atividades de elaboração de Relatório com Análise Diagnóstica de casos envolvendo fraudes contábeis.
  14. 14. Página 14 de 181 Nos últimos anos a economia mundial foi surpreendida pelo grande número de fraudes corporativas ocorridas em grandes corporações. A contabilidade chegou a ser apontada como a grande vilã da história já que a maioria das fraudes foi realizada mediante práticas contábeis questionáveis. A utilização da contabilidade, permitiu que executivos manipulassem os
  15. 15. Página 15 de 181 resultados financeiros de grandes empresas conforme suas necessidades individuais fazendo com que números totalmente irreais fossem divulgados ao mercado dando a impressão de que algumas destas empresas eram seriam grande oportunidade de investimento devido aos altos níveis de desempenho apresentado, desempenhos estes falsos.
  16. 16. Página 16 de 181 A contabilidade é uma ciência que busca mensurar, condensar, testar a veracidade e fazer a análise dos dados econômicos de uma organização.
  17. 17. Página 17 de 181 O objetivo maior da contabilidade é permitir o estudo e o controle do patrimônio das entidades econômico-administrativas com total clareza dos fatos sem a manipulação de informações.
  18. 18. Página 18 de 181 A contabilidade no mundo empresarial ocupa um dos lugares mais importantes. O profissional contábil é completamente dedicado a organizar, aumentar, diminuir todos os bens e as despesas de uma empresa.
  19. 19. Página 19 de 181 Etapa 1. Tabela 1- Balancete Companhia Beta. Contas Saldo em reais Lançam.
  20. 20. Página 20 de 181 Receita de serviços 477.000 R Duplicatas Descontadas (curto prazo) (57.000) A Fornecedores (curto prazo) 90.000 P Duplicatas a Receber (curto prazo) 180.000 A
  21. 21. Página 21 de 181 Veículos 45.000 A Provisão para Credito de Liquidação Duvidosa (33.000) Despesas com Vendas 27.000 D
  22. 22. Página 22 de 181 Duplicatas a Pagar (curto prazo) 54.000 P Empréstimos (longo Prazo) 45.000 P Reserva de Lucro 60.000 PL Despesas de Depreciação 37.500 D
  23. 23. Página 23 de 181 Despesas com Salários 189.000 D Despesas com Impostos 53.500 D Capital Social 294.000 PL Dividendos a Pagar (curto prazo) 6.000 P
  24. 24. Página 24 de 181 Moveis e Utensílios 285.500 A Equipamentos 270.000 A Disponível 30.000 A Total 2.232,000
  25. 25. Página 25 de 181 Passo 3 Quando analisamos a Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), verificamos que ela consiste na apresentação dos saldos das contas de receitas e de despesas de um modo ordenado.
  26. 26. Página 26 de 181 Esta é a apresentação o lucro apurado pela Companhia Beta, antes do imposto de renda e da contribuição social sobre o lucro, diante das informações fornecidas, na tabela 1. DRE - Companhia Beta Despesa / custos receitas
  27. 27. Página 27 de 181 Receita de serviços 477.000 Despesas com Salários 189.00 Despesas com Impostos 53.500 Despesas com Vendas 27.000
  28. 28. Página 28 de 181 Total de Despesas 746.500 Despesas com depreciação 37.500 Resultado de lucro apurado antes do imposto de renda e das contribuições sócias.
  29. 29. Página 29 de 181 total da despesas:R$ 477.000- 189.000- 53.500- 27.000 = 207.500 total de despesas – despesas com depreciação=207.500-37.500 = 170.00 (Lucro) Total do ativo circulante em 31/12/2010. Tabela;
  30. 30. Página 30 de 181 Duplicatas a Receber (curto prazo) 180.000 Provisão para Credito de Liquidação Duvidosa 33.000 Duplicatas Descontadas (curto prazo) 57.00
  31. 31. Página 31 de 181 Total 270.00 Valor total do ativo circulante em 31/12/2010 é de; 180.000+ 33.000+ 57.000 = 270.000
  32. 32. Página 32 de 181 A lei exige que o Balanço Patrimonial seja levantado no fim do exercício financeiro que geralmente coincide com o fim do ano civil, 31 de dezembro. No entanto, pode ser levantado mais de uma vez por determinação de Estatuto Social, que é a forma jurídica das Sociedades Anônimas (S/A), mas é pouco comum.
  33. 33. Página 33 de 181 Etapa 2
  34. 34. Página 34 de 181 Passo 1 e 2 A Resolução CFC nº 1.282, de 28 de maio de 2010, publicada, revoga a Resolução CFC nº 774/94 (apêndice à resolução sobre os Princípios Fundamentais de Contabilidade)e a Resolução CFC nº 900/01(aplicação do Princípio da Atualização Monetária), atualizado e
  35. 35. Página 35 de 181 consolidando dispositivos da Resolução nº 750/93. Assim sendo, a denominação de Princípios Fundamentais de Contabilidade com isso ouve uma alteração que passa a ser conhecido como Princípios de Contabilidade, visto ser suficiente para o perfeito entendimento dos usuários das demonstrações contábeis e dos profissionais da Contabilidade, considerando a necessidade de
  36. 36. Página 36 de 181 prover fundamentação apropriada para interpretação e aplicação das Normas Brasileiras de Contabilidade, (Redação dada pela Resolução CFC nº. 1282/10). Não foi apenas o titulo da lei que teve alteração e sim seu contexto contábil, esta resolução foi tomada com o objetivo de tornar mais clara possível as informações contábeis.
  37. 37. Página 37 de 181 O regime de competência é contabilizado como receita ou despesa, os valores dentro do mês de Competência (quando Gerados), independentemente de sua natureza e origem, os efeitos financeiros das transações e eventos são reconhecidos nos períodos nos quais ocorrem, independentemente de terem sido recebidos ou pagos é permite que as transações sejam
  38. 38. Página 38 de 181 registradas nos livros contábeis e sejam apresentadas nas demonstrações financeiras do período no qual os bens ou serviços foram entregues, executados ou recebidos, não importando para a Contabilidade quando vou pagar ou receber, mas sim o quando foi realizado o ato; Em contra partida, o regime de caixa,:diferente do regime de competência, considera o registro dos
  39. 39. Página 39 de 181 documentos quando estes foram pagos, liquidados, ou recebidos, como se fosse uma conta bancária. Porém para, melhor resultados de uma companhia, recomendamos que se utilize do regime de Competência, onde além de se considerar as vendas efetuadas, as despesas realizadas, também considera-se a depreciação, que no Regime de Caixa não se considera.
  40. 40. Página 40 de 181 Sobra de dinheiro em caixa não significa necessariamente lucro, tampouco, que falta de dinheiro em caixa significa prejuízo, aqui estão três de exemplos desta teoria;  Entrada de dinheiro originada em outras fontes que não seja a venda (venda de bens imobilizados, empréstimos...);
  41. 41. Página 41 de 181  Venda de itens disponíveis em estoque e que já tenham sido pagos anteriormente;  Venda a vista de itens comprados a prazo. Passo 3 Resolução da questão 1:
  42. 42. Página 42 de 181 R: Para a resolução do problema, usamos o regime de competência, ao final do exercício em 31/12/2010, para a situação da empresa Beta, assim sendo deverá ter lançado como despesa de seguro o valor de R$ 3.750,00, sendo referente a R$ 750,00, lançados mensalmente, de agosto á dezembro de 2010.
  43. 43. Página 43 de 181 Questão 2; a) Pelo registro do seguro deverá ser pago em (01/08/2010); Contas Debito Credito
  44. 44. Página 44 de 181 Seguro a pagar 27.000 Seguro a vencer 27.000 Total: R$ 27.000 b) Pelo pagamento da 1º parcela deverá ser pago em (01/09/2010);
  45. 45. Página 45 de 181 Contas Debito Credito Seguro a pagar 9.000 Banco 9.000 Total: R$ 9.000
  46. 46. Página 46 de 181 c) Por apropriação como despesa da 1º parcela deverá ser pago em (31/08/2010).
  47. 47. Página 47 de 181 Contas Debito Credito Despesa com seguro 750.00 Seguro a vencer 750.00 Total: R$ 750.00
  48. 48. Página 48 de 181
  49. 49. Página 49 de 181 Etapa 3 Passo 1
  50. 50. Página 50 de 181 2) Responder as seguintes questões: Existem contas retificadoras no passivo? Quais?
  51. 51. Página 51 de 181 R: Sim no Passivo também têm as contas Retificadoras : Ex: (-) Titular Conta Capital a Realizar, Reserva de Correção Monetária do Capital, Reserva Legal, + ou -Lucros ou Prejuízos Acumulados. 3) Dissertação sobre contas retificadora do passivo
  52. 52. Página 52 de 181 São chamadas de contas redutoras, as contas que, embora apareça num determinado grupo patrimonial nesse caso Passivo, têm saldo contrário em relação às demais contas desse grupo. Desse modo, uma conta retificadora do Passivo terá natureza devedora. As contas retificadoras reduzem o saldo total do grupo em que aparecem.
  53. 53. Página 53 de 181 São exemplos de contas retificadoras do passivo:  Juros a vencer;  Deságio a amortizar.
  54. 54. Página 54 de 181 Notamos assim que as contas redutoras do passivo, tais como o Capital a Integralizar / Realizar, é redutor do passivo, onde os sócios da empresa têm por obrigação integralizar o capital totalmente. Temos também o Deságio a Amortizar (na emissão de Debêntures), Juros a Vencer (também pode ser classificada como Ativo Circulante)
  55. 55. Página 55 de 181 Passo 2 Calculo da contabilização da exaustão, amortização e depreciação acumulada no final de 2010, de acordo com dados fornecidos nesta etapa. Conclusão:
  56. 56. Página 56 de 181 Custo de aquisição da mina (o valor residual da mina é estimado em R$ 210.000,00 Capacidade estimada da jazida é de 5 mil toneladas;.......................R$1.050.000,008 Valor do custo da Aquisição – Valor Residual = Valor Exaurido 210.000,00 - 1.050.000,00 = R$ 840.000,00
  57. 57. Página 57 de 181 Quantidade Extraída = 5.000 Valor do Custo Exaurido (mina): R$ 840.000 Cálculo = R$ 840.000 - 8 % = R$ 67.200 Toneladas vendidas em 2010
  58. 58. Página 58 de 181 R$ 67.200 – 400 ton. X – 300 ton X = 50.400 ton.
  59. 59. Página 59 de 181 Depreciação Acumulada - Equipamento Equipamento com valor residual estimado em, R$ 21.000,00 vida útil estimada em 6 anos =R$ 168.000,00 Cálculo:
  60. 60. Página 60 de 181 Valor da aquisição - Valor residual = Valor Depreciado R$ 210.000,00 - R$ 168.000 = R$ 147.000,00 147.000,00/6 = R$ 24.500,00 (valor anual de depreciação). Lançamento no Livro Razão = Depreciação Anual
  61. 61. Página 61 de 181 Depreciação acumulada= R$ 24.500,00 a a Despesa com depreciação= R$ 24.500,00 Amortização Acumulada: Benfeitorias (sem nenhum valor residual; vida útil estimada: 15 anos)=
  62. 62. Página 62 de 181 R$ 92.400,00 Valor da aquisição - Valor residual = Valor Amortizado R$ 92.400,00 - R$ 0 = R$ 92.400,00 R$ 92.400,00/15 = R$ 6.160,00 (Amortização anual)
  63. 63. Página 63 de 181 Lançamento no livro Razão: Amortização acumulada= R$ 6.160,00 Despesas com amortização= R$ 6.160,00
  64. 64. Página 64 de 181 Contabilidade do livro razão: Quadro 1- carteira de contas a receber. Passo 3 e 4 Contabilidade do livro razão:
  65. 65. Página 65 de 181 Quadro 1- carteira de contas a receber Classe de devedor A receber PCLD Liquido % de PLCD
  66. 66. Página 66 de 181 Classe A 110.000 550 109.450 0,50% Classe B 93.000 930 92.070 1,00% Classe C 145.000 4.350 140.650 3,00%
  67. 67. Página 67 de 181 Classe D 80.000 8.000 72.000 10% Total 428.000 13.830 414.170 3,34% Resolução do livro razão:
  68. 68. Página 68 de 181 a) Clientes classe A caixa 109.450 Contas a receber classe A 110.000 PCLDA 550.00
  69. 69. Página 69 de 181 Contas a Recber classe A 550.00 b) Clientes classe B Caixa R$ 930.000
  70. 70. Página 70 de 181 Contas á receber classe B R$ 930.000 PCLD classe B R$ 930.000 Outras contas operacionais/recuperação de despesa R$ 930.000
  71. 71. Página 71 de 181 c) Clientes classe C Caixa R$130.000 Contas a receber classe C R$130.000 PCLD classe C R$4.350
  72. 72. Página 72 de 181 Perdas incobráveis R$10.650 Contas a receber classe C R$10.650 d) Clientes classe D
  73. 73. Página 73 de 181 Caixa R$80.000 Contas a receber classe D R$80.000 PCLD classe D R$8.000 Perdas incobráveis R$8.000
  74. 74. Página 74 de 181 Contas a receber classe D R$8.000 Etapa 4
  75. 75. Página 75 de 181 Passo1 Insalubridade. A legislação trabalhista protege, por meio de normas, todo trabalhador que executa suas funções em atividades insalubres ou perigosas, de forma a amenizar o impacto destas atividades
  76. 76. Página 76 de 181 na saúde do trabalhador entende-se por periculosas as atividades ou operações onde a natureza ou os seus métodos de trabalhos exponha o trabalhador a contato com substancias inflamáveis ou explosivos, ou em condição de risco acentuada, como é o caso, por exemplo, de frentista de posto de combustível, operador em distribuidora de gás, entre outros.
  77. 77. Página 77 de 181 São consideradas atividades ou operações insalubres as que se desenvolvem acima dos limites de tolerância previstos nos anexos à NR-15. O art. 189 e 193 da CLT assim definem estas atividades:
  78. 78. Página 78 de 181  Consideram-se atividades ou operações insalubres aquelas que, por sua natureza, condições ou métodos de trabalho, exponham os empregados a agentes nocivos à saúde, acima dos limites de tolerância fixados em razão da natureza e da intensidade do agente e do tempo de exposição aos seus efeitos;
  79. 79. Página 79 de 181  Consideram-se atividades ou operações perigosas, na forma da regulamentação aprovada pelo Ministério do Trabalho, aquelas que, por sua natureza ou métodos de trabalho, impliquem o contato permanente com inflamáveis ou explosivos em condições de risco acentuado.
  80. 80. Página 80 de 181 É facultado às empresas e aos sindicatos das categorias profissionais interessadas, requererem ao Ministério do Trabalho a realização de perícia em estabelecimento ou setor
  81. 81. Página 81 de 181 específico, com o objetivo de caracterizar e classificar ou delimitar as atividades insalubres ou perigosas.
  82. 82. Página 82 de 181 Nas perícias requeridas às Delegacias Regionais do Trabalho, uma vez comprovada a insalubridade, o perito do Ministério do Trabalho indicará o adicional devido, podendo ser, conforme art. 192 da CLT, de 10%, 20% ou de 40%.
  83. 83. Página 83 de 181 Esses adicionais não poderão ser acumulativos, fica a cargo da categoria a fixação do percentual que mais lhe parecer vantajoso. Periculosidade
  84. 84. Página 84 de 181 A periculosidade em saúde e segurança do trabalho, por sua vez, é a caracterização de um risco imediato, oriundo de atividades ou operações, onde a natureza ou os seus métodos de trabalhos configure um contato permanente, ou risco acentuado. A legislação contempla as atividades associadas a explosivos e inflamáveis (CLT, art.193, e NR16 do MTE), a atividade
  85. 85. Página 85 de 181 dos eletricitários (Lei 7.369/85 e seu Decreto 93.412/86) e as atividades em proximidade de radiação ionizante e substancias radioativas (Portaria MTE 3.393/1987 e 518/03).
  86. 86. Página 86 de 181 A periculosidade assim como a insalubridade é caracterizada por perícia a cargo de Engenheiro de Segurança do Trabalho ou Médico do Trabalho, registrados no Ministério do Trabalho (MTE).
  87. 87. Página 87 de 181 O valor do adicional de periculosidade será o salário do empregado acrescido de 30%, sem os acréscimos resultantes de gratificações, prêmios ou participações nos lucros da empresa. "O adicional de periculosidade incide apenas sobre o salário básico e não sobre este acrescido de outros adicionais.
  88. 88. Página 88 de 181 Passo 2 a) Horas extras; Definição: Hora extra, hora suplementar ou hora extraordinária é todo período de trabalhado excedente à jornada contratualmente acordada. Podendo ocorrer antes do início, no
  89. 89. Página 89 de 181 intervalo do repouso e alimentação, após o período, dias que não estão no contrato (sábado, domingo ou feriado). Não se faz necessário o exercício do trabalho, mas estar à disposição do empregador ou de prontidão, configura-se a hora extra.
  90. 90. Página 90 de 181 Para configurar as horas extras – CLT art. 58 § 1º “Não serão descontadas nem computadas como jornada extraordinária as variações de horário no registro de ponto não excedentes de cinco minutos, observado o limite máximo de dez minutos diários.(Parágrafo acrescentado”.
  91. 91. Página 91 de 181 Fundamento Legal: Constituição Federal de 1988 consagrou as horas extras quando dispôs no inciso XVI art.7º“remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, em cinqüenta por cento à do normal” Dessa forma permitiu que o empregado pudesse executas horas extras, mediante o pagamento de 50% a mais do valor da hora normal nos dias úteis.
  92. 92. Página 92 de 181 b) Adicional noturno A Constituição Federal, no seu artigo 7º, inciso IX, estabelece que são direitos dos trabalhadores, além de outros, remuneração do trabalho noturno superior à do diurno.
  93. 93. Página 93 de 181 Considera-se noturno, nas atividades urbanas, o trabalho realizado entre as 22:00 horas de um dia às 5:00 horas do dia seguinte. Nas atividades rurais, é considerado noturno o trabalho executado na lavoura entre 21:00 horas de um dia às 5:00 horas do dia seguinte, e na pecuária, entre 20:00 horas às 4:00 horas do
  94. 94. Página 94 de 181 dia seguinte, a hora normal tem a duração de 60 (sessenta) minutos e a hora noturna, por disposição legal, nas atividades urbanas, é computada como sendo de 52 (cinquenta e dois) minutos e 30 (trinta) segundos. Ou seja, cada hora noturna sofre a redução de 7 minutos e 30 segundos ou ainda 12,5% sobre o valor da hora diurna.
  95. 95. Página 95 de 181 No trabalho noturno também deve haver o intervalo para repouso ou alimentação, sendo:  Jornada de trabalho de até 4 horas: sem intervalo;  Jornada de trabalho superior a 4 horas e não excedente a 6 horas: intervalo de 15 minutos;
  96. 96. Página 96 de 181  Jornada de trabalho excedente a 6 horas: intervalo de no mínimo 1 (uma) hora e no máximo 2 (duas) horas. c) Vale transporte.
  97. 97. Página 97 de 181 O Vale-Transporte constitui benefício que o empregador antecipará ao trabalhador para utilização efetiva em despesas de deslocamento residência-trabalho e vice-versa. Entende-se como deslocamento a soma dos segmentos componentes da viagem do beneficiário, por um ou mais meios de transporte, entre sua residência e o local de trabalho. Não
  98. 98. Página 98 de 181 existe determinação legal de distância mínima para que seja obrigatório o fornecimento do Vale-Transporte, então, o empregado utilizando-se de transporte coletivo por mínima que seja a distância, o empregador é obrigado a fornecê-los.
  99. 99. Página 99 de 181 O vale-transporte será custeado pelo beneficiário, o desconto de 6% do salário básico ou vencimento, excluídos quaisquer adicionais ou vantagens. d) Salário-Família.
  100. 100. Página 100 de 181 Benefício pago aos segurados empregados, exceto os domésticos, e aos trabalhadores avulsos com salário mensal de até R$ 971,78, para auxiliar no sustento dos filhos de até 14 anos de idade ou inválidos de qualquer idade. (Observação: São equiparados aos filhos os enteados e os tutelados, estes desde que não possuam bens
  101. 101. Página 101 de 181 suficientes para o próprio sustento, devendo a dependência econômica de ambos a ser comprovada). De acordo com a Portaria Interministerial MPS/MF nº 15, de 10 de janeiro de 2013 o valor do salário-família será de R$ 33,16, por filho de até 14 anos incompletos ou
  102. 102. Página 102 de 181 inválidos, para quem ganhar até R$ 646,55. Para o trabalhador que receber de R$ 646,55 até R$ 971,78, o valor do salário-família por filho de até 14 anos de idade ou inválido de qualquer idade será de R$ 23,36. Para a
  103. 103. Página 103 de 181 concessão do salário-família, a Previdência Social não exige tempo mínimo de contribuição. Pesquisar na CLT e na Constituição Federal, os temas a seguir:
  104. 104. Página 104 de 181 a) Previdência social. A Previdência Social é um seguro que garante a renda do contribuinte e de sua família, em casos de doença, acidente, gravidez, prisão, morte e velhice. Oferece vários
  105. 105. Página 105 de 181 benefícios assegurando um rendimento seguro ao contribuinte, para ter os direitos da previdência social o trabalhador deve trabalhar com carteira assinada e recolher a contribuição mensalmente ou no caso de autônomo pagando individualmente, essa
  106. 106. Página 106 de 181 contribuição e taxada de acordo com o piso da categoria cadastrada podendo ser ele do contribuinte individual, facultativo, empregado doméstico e segurado especial. b) Imposto de renda.
  107. 107. Página 107 de 181 O Imposto de Renda, é um imposto recolhido e em vários países no Brasil ele é de competência da União, tem como fato gerador a aquisição da disponibilidade econômica ou jurídica de renda ou de proventos de qualquer natureza. Entende-se como renda o produto do capital ou do trabalho ou, ainda, da combinação
  108. 108. Página 108 de 181 de ambos. Proventos de qualquer natureza são os acréscimos patrimoniais não compreendidos como renda. Tabela com base de calculo para pessoa física:
  109. 109. Página 109 de 181 Base de cálculo mensal em R$ Alíquota % Parcela a deduzir do imposto em R$ Até 1.710,78 - - De 1.710,79 até 2.563,91 7,5 128,31 De 2.563,92 até 3.418,59 15,0 320,60
  110. 110. Página 110 de 181 De 3.418,60 até 4.271,59 22,5 577,00 Acima de 4.271,59 27,5 790,58 c) FGTS.
  111. 111. Página 111 de 181 O FGTS constitui-se em uma reserva de dinheiro disponibilizado quando o cidadão tem direito a aposentadoria ou morte do trabalhador, e representa uma garantia para indenização do trabalhador por tempo de serviço, nos casos de demissão sem justa causa.
  112. 112. Página 112 de 181 O FGTS foi instituído pela Lei nº 5.107, de 13/09/66. Esta lei foi regulamentada pelo Decreto nº 59.820, de 20/12/66. Formado por depósitos mensais, efetuados pelas empresas em nome de seus empregados, no valor equivalente ao percentual de 8% das remunerações que lhes são pagas ou devidas; em se tratando de contrato temporário de trabalho com prazo
  113. 113. Página 113 de 181 determinado, o percentual é de 2%, conforme dispõe o inciso II do art. 2º da Lei nº 9.601, de 21/01/98. Atualmente, a Lei que dispõe sobre o FGTS é a de nº 8.036, de 11/05/90, republicada em 14/05/90, já tendo sofrido várias alterações. Com o novo sistema, o encargo adicional
  114. 114. Página 114 de 181 gerado para as empresas, por ocasião da implantação do sistema, foi de apenas 2,8%, já que a contribuição de 8% para o FGTS foi compensada com a extinção de outras contribuições até então existentes. Deve-se ressaltar, ainda, o fato de que a contribuição para o FGTS guarda proporcionalidade com a indenização prevista na CLT, permitindo, assim, que a empresa
  115. 115. Página 115 de 181 efetive a cobertura parcelada da indenização a que teria direito o trabalhador, quando de seu desligamento. Esse aspecto pode ser considerado, também, como um benefício para o empregador. d) Contribuição Confederativa.
  116. 116. Página 116 de 181 A contribuição confederativa é desprovida de natureza tributária e, portanto, de compulsoriedade, podendo ser cobrada apenas àqueles filiados à entidade sindical, essa contribuição e instituída mediante Assembléia Geral, conforme previsão constitucional (art. 8º, inciso IV, parte inicial, da CRFB), podendo ser cobrada, conforme entendimento do STF,
  117. 117. Página 117 de 181 apenas àqueles filiados à entidade sindical respectiva. Esta contribuição é voltada ao custeio do sistema confederativo. A cobrança da contribuição confederativa, a qual é estabelecida por sindicatos, gera várias dúvidas quanto à legalidade ou não da sua cobrança.
  118. 118. Página 118 de 181 Por a maior parte das cobranças serem feitas pelas empresas diretamente através do desconto em folha de pagamento, conforme é previsto no art. 582, da CLT. e) Contribuição sindical.
  119. 119. Página 119 de 181 A contribuição sindical está prevista nos artigos 578 a 591 da CLT. Possui natureza tributária e é recolhida compulsoriamente pelos empregadores no mês de janeiro e pelos trabalhadores no mês de abril de cada ano. O art. 8º, IV, in fine, da Constituição da República prescreve o recolhimento anual por todos aqueles que participem de uma determinada categoria
  120. 120. Página 120 de 181 econômica ou profissional, ou de uma profissão liberal, independentemente de serem ou não associados a um sindicato. Tal contribuição deve ser distribuída, na forma da lei, aos sindicatos, federações, confederações e à "Conta Especial Emprego e Salário", administrada pelo MTE. O objetivo da cobrança é o custeio das atividades sindicais e os valores destinados à "Conta
  121. 121. Página 121 de 181 Especial Emprego e Salário" integram os recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador. Compete ao MTE expedir instruções referentes ao recolhimento e à forma de distribuição da contribuição sindical.Legislação Pertinente: arts. 578 a 610 da CLT.Competência do MTE: arts. 583 e 589 da CLT.
  122. 122. Página 122 de 181 f) Faltas. A Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) enumera, no seu artigo 473, as hipóteses em que o trabalhador pode faltar justificadamente. Ali são indicadas as situações que autorizam
  123. 123. Página 123 de 181 a falta justificada, bem como o número de dias durante os quais o empregado que nelas se encontra poderá faltar. Além das hipóteses expressamente reconhecidas na legislação trabalhista, a prática jurídica dos juízos e tribunais vem reconhecendo outras situações de justificação das faltas ao
  124. 124. Página 124 de 181 trabalho. Outros documentos legais também prevêem situação de faltas justificadas, como é o caso da Lei das Eleições (9504/97) ou da Lei da Greve (lei 7.783/1989). Freqüentemente, juízes e tribunais trabalhistas interpretem faltas injustificadas repetidas/sucessivas como caracterizadoras de desídia para efeitos do artigo 482, V, da CLT,
  125. 125. Página 125 de 181 configurando-se, então, hipótese de demissão por justa causa. Significa dizer que é possível fundamentar decisão de demissão por justa causa em número comprovadamente repetido de faltas não justificadas por parte do empregado. g) Pensão alimentícia.
  126. 126. Página 126 de 181 A pensão alimentícia é um valor que deverá ser pago todos os meses por alguém que tem a obrigação de auxiliar no sustento de outra pessoa. O artigo 5º inciso I da Constituição Federal declara que homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações. A obrigação de prestação de alimentos é tanto do pai quanto da mãe.
  127. 127. Página 127 de 181 Normalmente, a pensão é fixada em 20% da renda do pai quando tem apenas um filho. O percentual de 30% é usual quando existem dois ou mais filhos, podendo ser superior no caso de prole numerosa. Se forem dois filhos de mães diferentes, costuma ser em 15% para cada um.
  128. 128. Página 128 de 181 Se forem três, 10% cada; porém, percentual inferior a esse somente tem sido admitido quando o valor representa quantia razoável.
  129. 129. Página 129 de 181 Passo 3
  130. 130. Página 130 de 181 Modelo de folha de pagamento para implantação na empresa Aliança LTDA: Para resolvermos esse problema, tomamos como base a tabela vigente de contribuição mensal do INSS, desse ano. Conforme tabela abaixo:
  131. 131. Página 131 de 181
  132. 132. Página 132 de 181
  133. 133. Página 133 de 181 Funcionários 1 2 3 4 5 6 7 Salariobase R$3.500 R$2.850 R$800.00 R$4.500 R$2.350 R$5.350 R$510.00 Filhosmenores de 14 anos R$0.00 R$0.00 R$23.36 R$0.00 R$0.00 R$0.00 R$23.36 Horas extras R$238,50 R$97.15 R$81.75 R$306.80 R$96.12 R$0.00 R$202.05
  134. 134. Página 134 de 181 Adicional de insalubridade R$1.400 R$0.00 R$0.00 R$1350.00 R$0.00 R$0.00 R$0.00 Adicional de periculosidade R$0,00 R$855.00 R$0.00 R$1800.00 R$0.00 R$0.00 R$0.00 Pensão alimentícia R$0.00 R$712.50 R$0.00 R$1098.32 R$0.00 R$0.00 R$0.00
  135. 135. Página 135 de 181 Vale transporte R$0.00 R$0.00 R$40.00 R$0.00 R$0.00 R$0.00 R$30.60 Faltas R$0.00 R$0.00 R$0.00 R$600.00 R$156.66 R$0.00 R$0.00 Descontos 1 2 3 4 5 6 7 IRRF R$385,00- 313.50 794.24 24.1 1309.75 INSS R$515.67- 95.80 64.00 495.00 258.50 588.50 40.80 FGTS R$280.00- 228.00 64.00 360.00 188.00 428.00 40.80
  136. 136. Página 136 de 181 Total
  137. 137. Página 137 de 181 Passo 4 As três maiores fraudes contábeis dos últimos anos; Café Pilão
  138. 138. Página 138 de 181 O gigante do café Master Blenders, dona do Café Pilão, descobriu uma fraude milionária na operação brasileira, sendo a maior empresa de café no mundo, com o faturamento de 1,5 bilhão de reais, e representa em cerca de 21 na receita global. Marcas conhecidas como Pilão, Palheta e Café do Ponto, fazem parda do grupo Master Blenders, a líder do mercado Nacional,
  139. 139. Página 139 de 181 e o Brasil é o maior produtor mundial de Café e o segundo mercado consumidor do produto. Em 1º de agosto, a empresa divulgou um comunicado informando a descoberta de problemas de contabilidade na operação brasileira, que, somados, resultam em perdas de 85 milhões a 95 milhões de euros (de 212 milhões a 237 milhões de reais).
  140. 140. Página 140 de 181 Segundo Exame, onde apurou a suposta fraude custou o emprego do presidente brasileiro, Dantes Hurtado, antigo diretor financeiro e do segundo executivo de finanças, demitidos na primeira semana de setembro.
  141. 141. Página 141 de 181 O que realmente aconteceu, foi que, a maior parte do problema estava no departamento de vendas, onde para cumprir as metas de crescimento estabelecidas pela matriz e garantir seus bônus anuais, registravam pedidos de varejistas por conta própria, sem que eles fossem oficialmente realizados — uma prática conhecida como “antecipação de venda”. Ao final, o
  142. 142. Página 142 de 181 varejista até aceitava a compra, mas só pagava quando desejava de fato recebê-la, o que poderia levar meses. Na contabilidade da empresa, no entanto, constava o valor integral da venda. O faturamento da Master Blenders chega a ser em media de 7 bilhões de reais, um erro de 200 milhões reais não chega a ser preocupante. Apesar das perdas forem muito grandes, não
  143. 143. Página 143 de 181 significa que a empresa irá fechar a saída que eles tomaram foi mudar a auditoria, para tentar avaliar qual foi o prejuízo para então tentar dar a voltar por cima.
  144. 144. Página 144 de 181 Parmalat Inicialmente parecia que o propósito das manobras contábeis era o de manter a empresa solvente depois que perdeu fortunas na América Latina, mais do que enriquecer diretamente Tanzi e sua família – embora eles certamente tivessem interesse financeiro em ver a empresa
  145. 145. Página 145 de 181 sobreviver. O colapso da Parmalat teve início quando seu auditor levantou dúvidas sobre um lucro de derivativos de US$ 135 milhões. Depois de outras evidências de falsificações contábeis, o diretor executivo e fundador da empresa, Calisto Tanzi, renunciou. Quatro dias depois, a empresa divulgou a carta falsa do Bank of America, os investigadores italianos
  146. 146. Página 146 de 181 informaram que a empresa havia utilizado dezenas de empresas do exterior para comunicar ativos não existentes com o intuito de compensar cerca de US$ 11 bilhões em passivos, acrescentando que a Parmalat poderia estar falsificando sua contabilidade há cerca de 15 anos. Entre as alegações mais bizarras: um telefonista da Parmalat foi inadvertidamente listado como
  147. 147. Página 147 de 181 diretor executivo de mais de 25 empresas afiliadas utilizadas para mascarar os problemas financeiros da empresa. A crise da Parmalat deixou em polvorosa os produtores de leite de diversos estados do País. A empresa era compradora de cerca de 5% da produção da produção nacional, o equivalente a 1,2
  148. 148. Página 148 de 181 bilhão de litros de leite, ficando atrás apenas da Nestlé, que comprou cerca de 1,5 bilhão no ano passado. A crise afeta diretamente 20 das 320 cooperativas existentes no país. A Parmalat condicionou o pagamento da dívida à obtenção de linhas de crédito no exterior, o que preocupou muito os fornecedores. Para socorrê-los, o Ministério da Agricultura
  149. 149. Página 149 de 181 montou uma comissão para propor resoluções para o problema. Foi pedida uma linha de financiamento de R$ 500 milhões, a compra de 2000 toneladas de leite em pó para o Fome Zero e empréstimos do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A Parmalat no Brasil opera há cinco anos no prejuízo, ano passado o BNDES concedeu a ela um
  150. 150. Página 150 de 181 empréstimo de R$ 29,5 milhões. Em meio a essa situação, o diretor de relações com investidores da Parmalat no Brasil, Paulo Carvalho Engler Pinto Júnior, renunciou ao cargo que ocupava na companhia. Será substituído pelo atual diretor administrativo e financeiro, Andrea Ventura, que desempenhará ambas as
  151. 151. Página 151 de 181 funções. Uma fábrica da empresa já foi vendida para o grupo pernambucano Intergrupo. A fábrica, que tem 6500 m2 de área construída, estava quase desativada; dos seus 250 funcionários restavam apenas 25.
  152. 152. Página 152 de 181 Empresa Eron O caso da empresa Enron, cujas investigações revelaram que a mesma havia manipulado os balanços financeiros, com a ajuda de empresas e bancos, escondendo dívidas de US$ 25 bilhões por dois anos consecutivos, tendo seus lucros inflados artificialmente. O fato ocasionou,
  153. 153. Página 153 de 181 além de sua falência, a demissão de 20 mil desempregados e um bilhão de dólares na conta dos responsáveis pela fraude. . A fraude não atinge somente a exatidão e a clareza, mas sim os princípios básicos de um sistema correto de registros contábeis, além de resultar em fatos ilícitos de um fenômeno
  154. 154. Página 154 de 181 patrimonial, tornando inadequado um balanço. Percebe-se então, a existência de uma estreita relação entre a fraude e a profissão contábil. Nesse sentido, a fraude pode ser caracterizada pelo registro de transações sem comprovação e aplicação de práticas contábeis indevidas (NBC T 11). O aumento dos rendimentos de alguns executivos, a melhoria da imagem da empresa
  155. 155. Página 155 de 181 perante o mercado e o favorecimento de operações comerciais, são alguns dos casos que motivam a adoção de fraudes nas empresas, conforme art. 906 da Lei Sarbanes-Oxley (SOx) de 30 de julho de 2002.
  156. 156. Página 156 de 181 Analise e correlação de estudo Através desta analise foi demonstrado que as organizações vêm sofrendo cada vez mais com as fraudes contábeis, gerada por profissionais sem escrúpulos, isso acontece quando a empresa proporciona confiança demais ao trabalhador, e ele por si, acaba aproveitando dessa
  157. 157. Página 157 de 181 vantagem, abrindo oportunidades para estas ações fraudulentas, evidenciando também os problemas de má qualidade na segurança e a maquiagem das informações contábeis, infelizmente, por causa desses atos, a grande maioria dos profissionais, que trabalham com ética e confiabilidade acabam deixando algumas empresas e os investimentos financeiros,
  158. 158. Página 158 de 181 necessários para o crescimento. Como punição, a maioria das empresas demitem os funcionários envolvidos, considerados fraudadores, até inocente sem provas também podendo ser atingidos, por estar envolvidos. A literatura de gerenciamento da informação contábil não é uniforme com relação ao conceito
  159. 159. Página 159 de 181 de fraude nem quanto à distinção entre fraude e gerenciamento de resultados, Dechow e Skinner (2000) dizem que a fraude ocorre quando as práticas contábeis adotadas não estão em conformidade com os princípios contábeis geralmente aceitos, segundo Ijiri (1975, p.51) o Statement n° 4 de outubro de 1970, recomenda que a Contabilidade, deve dar sempre
  160. 160. Página 160 de 181 preferência à essência econômica dos eventos, mesmo nos casos em que a legislação determine tratamento diferente em relação ao valor a ser contabilizado.
  161. 161. Página 161 de 181 A melhor fiscalização com métodos preventivos e melhor valorização dos profissionais competentes, poderia ser o inicio da solução para que esses de ações fraudulentas sejam combatidas
  162. 162. Página 162 de 181 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Livro PLT: Contabilidade Financeira/ Alessandra Cristina Fahl, José Carlos Marion, Valinhos; Anhanguera Publicações Ltda, 2011.
  163. 163. Página 163 de 181 Disponível em http://www.valdecicontabilidade.cnt.br/index.htm?http%3A//www.valdecicontabilidade.cn t.br/meus_servicos/contabilidade/contabilidade_geral/demonstracoes/balanco patrimonial.htm - Acessao em 15 agos 2013
  164. 164. Página 164 de 181 Disponível em: http://www.okconcursos.com.br/apostilas/apostila-gratis/116- contabilidade/218-contas-retificadoras#.UYF4F6LF0us- Acessado em 18 agos
  165. 165. Página 165 de 181 Disponível em: http://contaazul.com/blog/2012/04/o-que-e-regime-de-caixa/-Acessado em 18 agos 2013 Disponível em: http://www.portaltributario.com.br/guia/regime_competencia.html - Acessado em 20 de Maio de 2013
  166. 166. Página 166 de 181 Disponível em: https://docs.google.com/file/d/0B9lr9AyNKXpDN2RhOTRkMTgtMzE0Yi00YWE4LTg4 ZjItOTMzNDUyNTcxNjVh/edit?hl=en_US&pli=1 - Acessado em 23 agos 2013.
  167. 167. Página 167 de 181 Disponível em: http://www.previdenciasocial.gov.br/conteudoDinamico.php?id=25 - Acessado em 23 agos 2013. Disponível em: http://www.receita.fazenda.gov.br/aliquotas/contribfont.htm - Acessado em 23 agos 2013.
  168. 168. Página 168 de 181 Disponível em: http://www.guiatrabalhista.com.br/guia/insalubridade.htm - Acessado em 23 agos 2013.
  169. 169. Página 169 de 181 Disponível em: http://www.qualidadebrasil.com.br/artigo/seguranca_no_trabalho/o_que_e_insalubridade - Acessado em 27 agos 2013.
  170. 170. Página 170 de 181 Disponível em: http://www.guiatrabalhista.com.br/guia/periculosidade.htm - Acessado em 10set 2013. Disponível em: http://g1.globo.com/Noticias/Concursos_Empregos/0,,MUL1222811- 9654,00-
  171. 171. Página 171 de 181 ENTENDA+O+QUE+E+ADICIONAL+DE+INSALUBRIDADE+E+QUEM+TEM+DIR EITO.html - Acessado em 10 set 2013. Disponível em: http://www.sindpdpr.org.br/faq/que-e-adicional-periculosidade - Acessado em 10 set 2013.
  172. 172. Página 172 de 181 Disponível em: http://www.ityrapuan.com.br/calculo-do-adicional-noturno - Acessado em 12 set 2013. Disponível em: http://www.calculador.com.br/calculo/hora-extra#SaibaMais - Acessado em 12 set 2013.
  173. 173. Página 173 de 181 Disponível em: http://www.guiatrabalhista.com.br/guia/vale_transporte.htm - Acessado em 12 set 2013 Disponível em: http://www.previdenciasocial.gov.br/conteudoDinamico.php?id=25 - Acessado em 15 set 2013.
  174. 174. Página 174 de 181 Disponível em: http://www.guiatrabalhista.com.br/guia/contr_assistencial.htm - Acessado em 2 set 2013.
  175. 175. Página 175 de 181 Disponível em: http://www.sindiauto.org.br/sistema/bin/pg_dinamica.php?id_pag=21 - Acessado em 15 set 2013.
  176. 176. Página 176 de 181 Disponível em: http://www12.senado.gov.br/noticias/entenda-o-assunto/contribuicao- sindical - Acessado em 15 set 2013. Disponível em: http://portal.mte.gov.br/cont_sindical/ - Acessado em 15 set 2013.
  177. 177. Página 177 de 181 Disponível em: http://www.portaldeauditoria.com.br/tematica/rotinastrab_faltasjustificadasenao.htm - Acessado em 15 set 2013.
  178. 178. Página 178 de 181 Disponível em: http://www.guiatrabalhista.com.br/guia/faltas_nao_justificadas.htm - Acessado em 16 set 2013. Disponível em: http://www.itodas.com.br/casa/saiba-como-negociar-a-pensao-alimenticia- da-forma-mais-justa-para-ambas-as-partes/ - Acessado em 16 set 2013.
  179. 179. Página 179 de 181 Disponível em: http://www.administradores.com.br/artigos/economia-e-financas/voce- sabe-como-calcular-o-imposto-de-renda-mensal/44889/ - Acessado em 16 set 2013 Disponível em: http://www.groupsoftware.com.br/produtos/exemplos.aspx?id=4 - Acessado em 16 set 2013
  180. 180. Página 180 de 181 Disponível em: http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=49352 – Acessado em 16 set 2013 Disponível em: http://www.administradores.com.br/artigos/economia-e-financas/as- fraudes-no-mundo-empresarial/26714/– Acessado em 18 set 2013
  181. 181. Página 181 de 181 Disponível em: http://caminhossabercontabil.blogspot.com.br/2012/09/fraude-contabil- cafe-pilao.html - Acessado em 18 set 20132013

×