Como calcular o valor dos seus produtos

1.727 visualizações

Publicada em

Doceiras (os), Boleiras (os) e Confeiteiras (os) são artistas. Artesãos que transformam açúcar em obras de arte.
E todo artista tem muita dificuldade em colocar preço em seus produtos. E não é para menos.
Além dos ingredientes, do gás, da água e da luz, é necessário considerar fatores subjetivos tais como talento e dedicação. E isso não tem preço. Então, como cobrar?
Vamos começar a calcular o valor de cada receita.
Para saber por quanto um produto será vendido, é fundamental saber o custo de produção. Coloque na ponta do lápis tudo o que foi gasto para uma determinada receita.
Encontrei uma planilha muito legal de cálculo de custos no blog Cozinha do Quintalhttp://www.cozinhadoquintal.blogspot.com/ (pedi permissão para a Paula para utilizar a planilha dela nesse post)

Publicada em: Alimentos
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.727
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como calcular o valor dos seus produtos

  1. 1. Como calcular o valor dos seus produtos Por Luciana Dagosto, @docesdalu Doceiras (os), Boleiras (os) e Confeiteiras (os) são artistas. Artesãos que transformam açúcar em obras de arte. E todo artista tem muita dificuldade em colocar preço em seus produtos. E não é para menos. Além dos ingredientes, do gás, da água e da luz, é necessário considerar fatores subjetivos tais como talento e dedicação. E isso não tem preço. Então, como cobrar? Vamos começar a calcular o valor de cada receita. Para saber por quanto um produto será vendido, é fundamental saber o custo de produção. Coloque na ponta do lápis tudo o que foi gasto para uma determinada receita. Encontrei uma planilha muito legal de cálculo de custos no blog Cozinha do Quintalhttp://www.cozinhadoquintal.blogspot.com/ (pedi permissão para a Paula para utilizar a planilha dela nesse post)
  2. 2. Cálculo para Pão de Mel Ingredientes Quantidade Preço Considerando que... Ovos 1 0,33 10 reais a bandeja com 30 ovos = 0,33 cada Farinha 200g 0,56 2,80 o quilo cada 100g custa 0,28 Chocolate em pó 50g 0,87 3,50 a caixa com 200g cada 100g custa 1,75 Açúcar 50g 0,15 3,00 o quilo cada 100g custa 0,30 Favinho (glucose) 120 ml 0,48 1 litro custa 4,00 Margarina 50g 0,25 Barra de 1k custa 5,00 (Amélia) cada 100g = 0,50 Bicarbonato e especiarias e fermento em pó Veja receita 2,00 Especiarias (cravo em pó, canela, erva doce) bicarbonato e fermento rendem muito, pois a receita pede pouco de cada ingrediente. Leite 240 ml 0,50 2,10 o litro TOTAL MASSA 5,14 Esta receita rende 30 unidades Recheio Doce de leite 400g 3,00 Suficiente para 1 receita Chocolate para Cobertura 1 kg 10,40 Suficiente para 1 receita Chocolate tipo BLEND Gás de Cozinha 1 dia 0,37 1 bujão custa 44,00 e dura 30 dias 1 dia = 1,46 (44 : 30) Em um dia você faz 4 receitas, então gasta 1,46 : 4 = 0,37 de gás para cada receita Água* 1 dia 3,00 Conta mensal de 100,00 Luz* 1 dia 3,00 Conta mensal de 100,00 Embalagem 30 unid 1,80 Etiqueta 0,18 + papel 0,40 TOTAL GERAL - 26,71 PARA FAZER 1 RECEITA Para calcular o valor da água e da luz, divida o total da sua conta por 30. Assim, você terá o valor gasto em 1 dia. O valor total da receita é de R$ 26,71, ou seja, R$ 0,89 por unidade (R$ 26,71 : 30 = R$ 0,89) Este é o seu custo, ou seja, quanto você gasta por pão de mel. Veja que essa receita utiliza glucose ao invés de mel puro. Se você utilizar o mel puro, o custo unitário aumenta significamente já que o litro do mel custa R$ 25,00. E aí caímos na questão da QUALIDADE dos ingredientes.
  3. 3. Quanto melhor a qualidade do ingrediente, mais caro ele é. Consequentemente, o seu custo aumenta e o preço de venda também! Por isso fica quase impossível vender um pão de mel de qualidade (com mel puro) por R$ 1,00. O cálculo ideal do preço final é o seguinte: Custo unitário X 3 Porque X 3? Uma parte irá cobrir os custos. Outra parte será reinvestida no seu negócio. E a última é para você! Se você tiver uma ajudante, multiplique por 4. Isso se aplica a todos os produtos. Quanto melhor a qualidade, maior o custo de produção e, portanto, maior o valor final. O segundo passo é fazer uma pesquisa de mercado. Por quanto o pão de mel é vendido na minha região? Quem é o meu público? Quanto meus clientes estão dispostos a pagar? Existe mercado e cliente para todo mundo. Existem clientes que valorizam produtos mais caros porque conhecem a relação Qualidade X Custo. Outros clientes querem fazer bonito pagando bem pouquinho. Quem você quer atender? A entrega também precisa ser cobrada. Este é o famoso FRETE. Em São Paulo o trânsito é sempre muito complicado. E isso também precisa ser considerado pois, aquele tempo que você gasta no trânsito para oferecer comodidade para a sua cliente, poderia ser usado para produzir, estudar, criar, descansar. Portanto, tempo é dinheiro! Vamos ao cálculo: O litro da gasolina custa R$ 2,60 Um carro popular faz, em média, 8 km / litro Supondo que você precise rodar 32 km para fazer uma entrega, você gastará R$ 10,40 de gasolina. Acrescente mais R$ 10,00 para o desgaste do carro e mais R$ 10,00 por hora no trânsito (para rodar 32 km em São Paulo, você gasta, em média, 2 horas) Valor total da entrega: R$ 40,40 Se a cliente questionar esse valor, faça o cálculo para ela! Um outro fator a ser considerado são as AMOSTRAS ou DEGUSTAÇÕES. É totalmente aceitável que a cliente queira experimentar seus doces antes de encomendá-los.
  4. 4. Mas as amostras são produzidas da mesma forma que uma encomenda. Portanto, existem custos. Logo, existe preço! Amostras tem que ser cobradas da mesma forma que uma encomenda seria. Alguém pede amostra grátis na Kopenhagen? Alguém pede uma pizza grátis de amostra? E na padaria? Alguém pede 50 docinhos grátis, só para experimentar? Alguém dá alguma coisa para você de graça? Então, porque você tem que dar amostras? Pense nisso! Postado por Cookie às 08:44 25 torrões de açúcar: B de Bolo disse... Excelente post, Lu!! Parabéns pela clareza na exposição das idéias e pelo tempo dedicado na pesquisa! Bjs 22 de agosto de 2011 09:05 michele pazo disse... Muito bom, Lu!!! Super esclarecedor e v álido! Bjao 22 de agosto de 2011 09:21 Gisele disse... Só uma palavra: Perfeito!! Muito esclarecedor.... Vlw Lu!!! 22 de agosto de 2011 09:38 Paula disse... Lu, adorei, ficou mesmo ótimo e v c complementou super bem com a questão do frete, que eu esqueci rsrsrs Vou linkar para cá, assim as minhas leitoras poderão aproveitar mais essa dica preciosa. E concordo contigo, nada é de graça, por isso v amos v alorizar o nosso trabalho. Ah, só uma observação a respeito do mel, eu até hoje não conheço ninguém que faça para vender usando
  5. 5. o mel, pois fica inviável. O uso da glucose nesse caso é recomendado porque não altera o sabor e nem a qualidade em si, apenas usamos um substituto não tão nobre. É isso, estarei sempre por aqui também!! Beijos a todas as twitteiras!! SUCESSO! 22 de agosto de 2011 09:58 Borboleta na Cozinha disse... Adorei o post, Lu. Vou compartilhar na minha pág do FB. =D 22 de agosto de 2011 09:58 Renata Almeida disse... Oi Lu, excelente seu post. 22 de agosto de 2011 10:14 Luciana D´Agosto disse... Eu falei do mel puro porque EU faço pães de mel com MEL PURO. Por isso eles são CAROS. :D 22 de agosto de 2011 10:16 PicNic Candies disse... Parabéns pelo post Lú...realmente muitas amigas ainda tem dúvidas ao calcular seus produtos e uma ajudinha é sempre bem vinda... Bjoks 22 de agosto de 2011 11:05 Mercês Mello disse... Luciana, adorei o Post e tenho apenas um comentário a fazer a respeito do que v c comentou logo acima: o seu produto não é caro, seu produto não tem preço, ele tem VALOR! Esse conceito, que nós, confeiteiras, temos que ter em mente! Valorizar o nosso trabalho é algo que JAMAIS podemos deixar de fazer. Se o cliente achou seu produto caro, com certeza ele achará outros que atendam ao orçamento dele, mas deixar a qualidade do seu produto cair, apenas para agradar... sinto muito... prefiro não fazer, não é mesmo? Adorei o post e estarei sempre por aqui! Esse blog é ótimo! Bjos 22 de agosto de 2011 13:39 Karin Ramos disse... É v erdade, nunca pedimos amostras na Kopenhagen... Adorei!!!!
  6. 6. 22 de agosto de 2011 15:16 Karin Ramos disse... Eu já conhecia esses cálculos, acho muito importante mesmo utilizarmos e principalmen te, nos valorizar. Já deixei de fazer bolo porque o cliente achou caro, mas não abaixo o preço! Posso até dar desconto, se a encomenda for grande, mas não abaixo o preço, só quem faz tudo com amor e carinho, que compra ingredientes de qualidade, sabe o que gasta!!! 22 de agosto de 2011 15:19 Marilia Croce disse... Luciiiana!!! PARABÉÉNSS..ótimo post! v ocê sabe que esse tema é a dúvida de muitas Doceiras, né? adorei mesmo.. vou guardar aqui esse guia! beijocas e boa semana a todas =** 22 de agosto de 2011 16:26 Lei disse... Lu Excelente o post! Amo o jeito claro e direto que você escreve! E obrigada pelas dicas! Bjs 22 de agosto de 2011 17:14 elide disse... é um cálculo excelente que eu não conhecia !!! 24 de agosto de 2011 09:58 Deborah Probst disse... Planilha muito legal! Abrange todos os custos diretos envolvidos na produção de um doce. Faço meus cálculos tb usando todos os dados...todos mesmo!!!! Uma coisa que vale a pena comentar é um valor mais difícil de agregar ao custo fixo direto...é o indireto (desgaste de forno, manutenção dos equipamentos, etc...) que são frações de centavos mas que lá no final de um exercício (ano) representam um valor substancial! Adorei o site...tô seguindo! Meu blog é de biscoitos confeitados, dá uma olhadinha lá! Beijos 25 de agosto de 2011 17:45 Isabel Furtado disse... Ótimo! Agora sempre que me mandarem um email perguntado sobre isso v ou passar o link da postagem. Concordo com a Deborah! Um custo importante e que não pode ser esquecido é o desgaste do material. Todo ano faço a manutenção das minhas batedeiras, por exemplo. E é um custo considerável, principalmente quando é necessário a troca de peças. 29 de agosto de 2011 10:30 Paula Pinheiro disse...
  7. 7. eu estava precisando muuuito ler este post. Ficava sem muita ideia de como considerar o gás e a luz. Bjs e bjs 6 de setembro de 2011 12:49 elizabete disse... corretisima! sou i niciante e as v eses fico sem saber cobrar apensar de muitos nao valorisa! 1 2 de novembro de 2011 13:09 daiane disse... Pode-se não pedir amostras na copenhagem, porém, em qualquer sorveteria de renome vc pode experimentar os sabores antes de decidir qual vc quer comprar. Eu não acho depreciativo para um profissional que ele ofereça amostras de seus produtos para o cliente em potencial experimentar. Inclusive, eu nunca encomendaria 200 brigadeiros sem saber se o brigadeiro em questão é bom ou não. Não arriscaria minha festa com um fornecedor que não me permite experimentar. Agora, é claro que as amostras não são grátis. O cliente paga por elas quando faz um pedido, porque o preço delas está embutido no preço do produto. Ou seja, o cliente paga pela possibilidade de haver amostras. Bom, é o que eu acho. Acho que amostra faz parte da campanha de marketing. Abraços, 22 de dezembro de 2011 06:15 Bia's Trufas disse... Mto bom! Se me permite, vou copiar esta tabela.. Bjos! 4 de julho de 2012 13:33 As Doceiras disse... Super adorei o post, faço exatamente dessa forma e muita gente prefere o mais "barato" ai recebe um produto mais simples e com acabamentos não tão bem feitos... Ou já vi casos de total desastre dos produtos. Basta saber o que vc prefere receber e pagar por isso e depois não pode reclamar.. bju 10 de julho de 2012 08:14 Lidi Nery disse... Ai q massa,gostei tbm,principalmente do comentario final. Na minha cidade,ate onde eu sei,nao tenho concorrencia com os chocolates trufados que eu faço. Meu material vem quase todo do Brasil,pq aqui tem tem os materiais que eu preciso.Moro na Guyana francesa,cidade de Kourou. Entao,fico muito confusa em relaçao ao preço. Aqui muitas pessoas fazem docinhos tradicionais p/vender e acredito que eu faça o meu com amor,carinho e sou perfecicionista qndo se trata dos meus chocolates...Valor a gente começando por nos msm ja é um grande passo p/que tudo dee certo!Obg pelas dicas e parabens! 1 3 de novembro de 2012 09:30 Lidi Nery disse...
  8. 8. Ai q massa,gostei tbm,principalmente do comentario final. Na minha cidade,ate onde eu sei,nao tenho concorrencia com os chocolates trufados que eu faço. Meu material vem quase todo do Brasil,pq aqui tem tem os materiais que eu preciso.Moro na Guyana francesa,cidade de Kourou. Entao,fico muito confusa em relaçao ao preço. Aqui muitas pessoas fazem docinhos tradicionais p/vender e acredito que eu faça o meu com amor,carinho e sou perfecicionista qndo se trata dos meus chocolates...Valor a gente começando por nos msm ja é um grande passo p/que tudo dee certo!Obg pelas dicas e parabens! 1 3 de novembro de 2012 09:32 Gaby disse... Oi! Muito bom o post, estava precisando dele! Só queria a sua opinião quanto os biscoitos decorados. Se a decoração for simples (uma ou duas cores com um simples outline, por exemplo), não pode ser cobrado o mesmo v alor que um biscoito com muitos detalhes e cores. Como v ocê acha que se calcula essa diferença de preço? Obrigada! 1 6 de novembro de 2012 18:10 Gaby disse... Oi! Ótimo post, estava precisando dele! Só uma pergunta: como v ocê calcula a diferença de preço entre um biscoito decorado simples (de uma ou duas cores no máximo) de outro que leva mais cores e detalhes? Acho que o preço tem de ser diferente. Quanto as amostras, acho que são parte do marketing, como alguém já falou. A Kopenhagen é uma marca conhecida e por isso ninguém pede uma degustação, mas comprendo a sua ideia de não ir presenteando as pessoas com amostras só para ganhar clientes. Um abraço e parabéns pelo blog. Adorei! 1 6 de novembro de 2012 18:16 Postar um comentário

×