Sumário
Dedicatória 1 .........................................................................vi
Dedicatória 2 .............
O fruto proibido ......................................................................... 96
O primeiro pecado..............
Ouvir a Deus......................................................................... 248
Esperar ...........................
Introdução
Primeiramente é preciso acreditar em Deus para que tudo o que é dito neste livro
seja perfeitamente aceito e co...
O homem tem motivos para fazer e para não fazer determinadas coisas, mas não
bastam motivos. Bom é saber se os motivos são...
A essência do amor, todavia, não consiste em gestos e sensações corporais; isso é
apenas a consequência natural dos relaci...
Maus frutos
O amor de Eros é pervertido!
Eros, filho de Caos, deus andrógeno da desordem e confusão. Caos e Eros – forças
...
A pessoa exerce suas preferências, e, por isso mesmo, responderá pelos seus atos.
No afã de defender seu direito de fazer ...
Eu amo?
Ágape
Amor de Deus. Incondicional. Desinteressado, olha para o próximo.
O amor que não é alimentado por outrem, ma...
Que tipo de amor eu tenho vivido?
O amor é tipificado por relacionamentos que sempre implicam o envolvimento de
pelo menos...
Antônimo do amor
Deus criou o antônimo do amor. Como assim?
Por que Deus que é eternamente bom criaria o mal?
Não à confus...
Interpretações e
Eu já havia tido uma experiência com Deus que me trouxe um esclarecimento
sobre sua palavra, mas mesmo as...
QUAL É A VONTADE DE DEUS?
,
O QUE É A VONTADE DE DEUS?
, ou melhor,
COMO FUNCIONA A VONTADE DE DEUS?
Inversão dos seres
Deus administra
o universo e o homem
ministra seus perfeitos
intentos em universos
distintos sob a sua
...
emocional e espiritual – aos quais se opõe por natureza, mas ao mesmo tempo os
sustenta através de circunstâncias anímicas...
Superficialidades
A função do sexo enquanto necessidade fisiológica é contribuir para o bem-estar
físico e emocional, send...
Quando o inimigo das nossas almas doa ou inspira, ele o faz com o mesmo
espírito de Deus?
O que é uma coisa boa? Coisa boa...
Vocabulário da perdição
A salvação de Deus extensiva à humanidade é plenamente ajustável ao princípio
da santidade que por...
Sexo, etc.
O que Deus fez?
Concernente à questão do sexo:
Quando uma pessoa se envolve sexualmente com alguém, faz-se um s...
muito alto, pois verdade é que há casos em que o poder do Espírito Santo realmente se
manifesta na voz do homem de maneira...
Existe uma história muito interessante. Vou contá-la a você.
Era uma vez uma latinha. A latinha do vovô. Era um vô desses que tem muitas
manias e uma delas foi guardar latinhas. Ele p...
livres de recaídas, ações divinas são eternas. Quando “Botar pra fora” implica a presença
da primeira Pessoa na vida de um...
continua, persiste, persevera, não desiste, porque acredita que Deus vai operar o milagre
no momento certo. E continua con...
Ainda está em tempo!
“Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida. Digo-vos que assim
haverá alegria no céu...
SEXO COM DEUS
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

SEXO COM DEUS

263 visualizações

Publicada em

Deus é amor. No início, Deus criou o homem, a mulher e o sexo. Eles viviam nus e não sabiam o que era vergonha. E faziam amor no Jardim na presença de Deus, até que um dia, por algum motivo, sentiram necessidade de se esconder para que ninguém soubesse o que eles faziam. Sentiram-se castrados em sua liberdade. E desejaram voltar ao primeiro estado para que pudessem recuperar o que haviam perdido. Por fim, descobriram que todas as ações feitas em Deus se revertem em amor. “Sexo com Deus” pretende mostrar o sexo na visão de Deus e a relação das ações humanas com o sexo e outras necessidades. Busca, ainda, numa perspectiva bíblica, auxiliar na busca por uma solução para problemas decorrentes dessas ações. “Sexo com Deus” baseia-se no entendimento de que tudo foi criado por Deus. Todos os seres, todas as coisas, todos os sentimentos, e tudo o que possibilita a relação entre eles foi criado por Deus. No entanto, como Deus deu o livre-arbítrio à humanidade a fim de que se tornasse responsável por suas ações, ele não robotiza ninguém. Cada pessoa é livre para fazer ou não fazer o que lhes convém ou não convém de modo que jamais poderão culpar Deus pelas consequências de seus maus atos que, dependendo da ótica, podem ser considerados como erros ou pecados. Tudo o que o homem produz resulta em bênção ou maldição. Sendo assim, “Não se enganem: ninguém zomba de Deus. O que uma pessoa plantar, é isso mesmo que colherá” (Gl 6:7). Oportuno saber, então, que “toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus” (Mt 7:17). Resta saber que árvore tenho plantado para saber que frutos eu vou colher. LINK PARA AQUISIÇÃO DO LIVRO: http://www.allprinteditora.com.br/sexo-com-deus http://www.ciadoslivros.com.br/sexo-com-deus-703643-p547188 http://www.martinsfontespaulista.com.br/sexo-com-deus-503186.aspx/p

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
263
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

SEXO COM DEUS

  1. 1. Sumário Dedicatória 1 .........................................................................vi Dedicatória 2 ........................................................................vii Dedicatória 3 .......................................................................viii Agradecimento.......................................................................x Epígrafe ................................................................................xii Introdução............................................................................18 Amor de Deus vs Amor Pervertido....................................26 O fruto do amor.......................................................................... 26 Maus frutos ................................................................................ 31 Eu amo?................................................................................38 Ágape.......................................................................................... 38 Eros............................................................................................. 38 Que tipo de amor eu tenho vivido? ........................................... 39 Amor, a base de toda a criação!................................................. 44 Antônimo do amor..................................................................... 45 As entrelinhas em Adão e Eva............................................52 O início de tudo.......................................................................... 52 Interpretações e interpretações ................................................ 55 O primeiro casal ......................................................................... 61 Novas tendências ....................................................................... 64 Vontade de Deus ..................................................................73 Vontade permissiva.................................................................... 75 Vontade determinista ................................................................ 76 Vontade divina ........................................................................... 78 Vontade soberana...................................................................... 81 Vontade perfeita ........................................................................ 92 Cegueira espiritual ..............................................................94
  2. 2. O fruto proibido ......................................................................... 96 O primeiro pecado.................................................................... 103 Frutos e pseudofrutos.............................................................. 111 Destruição ontológica .............................................................. 114 O pecado é estéril..................................................................... 120 Afastamento de Deus............................................................... 130 O pecado é rebelde.................................................................. 146 Muitos x Deus.....................................................................157 Rebeldia dos seres.................................................................... 157 Seres tendenciosos................................................................... 160 Homem e mulher ..................................................................... 164 Inversão dos seres.................................................................... 172 O outro lado do Jardim............................................................. 175 Superficialidades ...................................................................... 181 O arqui-inimigo de Deus........................................................... 184 Vocabulário da perdição .......................................................... 194 Sexo, etc. .............................................................................200 O que Deus fez?........................................................................ 200 O que o homem faz? ................................................................ 203 O que o cristão (ou não) deve fazer? ....................................... 206 Palavras finais....................................................................214 Uma solução............................................................................. 214 A tinha na latinha ..................................................................... 216 Liberte sua tinha....................................................................... 223 Vocabulário da solução ............................................................ 235 Decisão racional ....................................................................... 242 Saber .................................................................................... 242 Querer.................................................................................. 243 Confessar.............................................................................. 245 Ter Fé.................................................................................... 246 Orar ...................................................................................... 247
  3. 3. Ouvir a Deus......................................................................... 248 Esperar ................................................................................. 249 É possível!................................................................................. 251 Créditos externos
  4. 4. Introdução Primeiramente é preciso acreditar em Deus para que tudo o que é dito neste livro seja perfeitamente aceito e compreendido. Sem fé isto será impossível, e se não há fé, não cabem discussões desnecessárias. Este livro é para quem acredita que DEUS EXISTE! Para que guerrilhas? Para que contendas? Para que discussões? Para que afrontas? Para que brigas? Para que debates? Para que estratégias erísticas? Para que preconceitos? O que se ganha com argumentos enganosos a fim de persuadir os outros a aceitarem no nosso ponto de vista – o simples prazer de vencer uma discussão? Quando se acredita em Deus, essas coisas não têm lugar; não há qualquer necessidade de que aconteçam. É suficiente conhecer a sua vontade e a sua verdade e aceitá-las sem questionar pelo simples prazer de obedecer, e consequentemente ser feliz. Mais simples ainda é: Não aceita? Então, não obedeça. Simples assim. Logo, para que dissensões? “E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles. Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre vós dissensões; antes sejais unidos em um mesmo pensamento e em um mesmo parecer” (Rm 16:17; 1 Co 1:10). SEXO COM DEUS é um livro que
  5. 5. O homem tem motivos para fazer e para não fazer determinadas coisas, mas não bastam motivos. Bom é saber se os motivos são justos: Agrada a Deus? Edifica? Ajuda? Faz bem? Convém? Deus tem motivos para fazer e para não fazer determinadas coisas e os seus motivos são suficientes. Ele permite que coisas boas e coisas ruins aconteçam para renovar e aumentar a nossa fé. Fazer as coisas na presença de Deus é maravilhoso, pois não há dolo nem culpa, mas há sim a convicção de estar fazendo bem feito. Nada como a paz decorrente dos nossos feitos! Onde há paz há amor. O amor aproxima de Deus, o amor constrói, gera vida em todos os sentidos. Sexo é amor.
  6. 6. A essência do amor, todavia, não consiste em gestos e sensações corporais; isso é apenas a consequência natural dos relacionamentos amorosos. O amor vai muito além dessas coisas: ultrapassa barreiras, vence medos, transpõe muralhas. O amor é aquele sentimento que vem de dentro para fora, que se expõe sem medir esforços em prol do amado. O amor nasce da alma, é da alma, provém da alma. O amor não é caótico. Não cria desordem, pois sabe distinguir misturas. Não se funda em questionamentos de certo ou errado, pois é sempre correto; se questiona, não é amor, não é certo. Não causa embaraços, pois não é constrangedor. Não se perturba, pois se aceita e não rejeita a si próprio. Não incomoda a si mesmo nem a outros, pois nele não há desgosto. Não se preocupa nem preocupa, pois não causa impressões negativas. Não vê obstáculos, pois antes dos outros, ele mesmo se respeita. Não pode ser ofendido, pois é digno de honra. Não aborrece, pois não causa aversão. Não produz danos a si mesmo nem a segundos ou terceiros, pois só acarreta benefícios. Não perde a paz, pois não sofre desassossego. Não se envergonha, pois se orgulha do que é. Não pratica atos condenáveis, pois não é um vício, mas uma virtude. Não se cobra por hábitos ou comportamentos, pois se conduz de maneira impecável. Não atenta contra a própria vida, pois acredita que pode gerar vida. Não se mata, pois reconhece o seu valor. Não abala outrem. Não fere ninguém. Não atormenta. Não provoca confusão, nem dúvida, nem insegurança. Não vacila, é firme. Não há leis para o amor, é livre; se, porém, se encontra na escala do Sim para quaisquer dessas negativações, deixa de ser livre e passa a ser escravo da autocondenação que ecoará na mente sempre que manifestá-las. Isso é um ato pessoal, de dentro para fora, e não de fora para dentro. A acusação e a condenação por parte dos outros já não farão sentido diante do que a pessoa pensa ou declara acerca de si mesma. Contra isso não há lei! Ninguém depende de leis, conceitos, direitos humanos para validar ou invalidar o que emana do espírito. Quem não se condena a si mesmo naquilo que aprova é plenamente feliz e livre1 . 1 Tens tu fé? Tem-na em ti mesmo diante de Deus. Bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova (Rm 14:22).
  7. 7. Maus frutos O amor de Eros é pervertido! Eros, filho de Caos, deus andrógeno da desordem e confusão. Caos e Eros – forças sem forma, se originam de forma assexuada. Eros era um deus belo e irresistível que ignorava o bom senso. Casou-se com Psiquê e dessa união nasceu Hedonê, uma deusa- demônio cujo nome significa “prazer” – representa o desejo sexual e personifica a luxúria. O ser humano – dotado do amor de Deus – ao se deixar influenciar pelos cuidados do mundo, como seus prazeres e modismos, decide-se por um caminho que o desvia para situações consideradas anormais porquanto fogem aos princípios morais e comportamentais naturalmente estabelecidos para a vida humana.
  8. 8. A pessoa exerce suas preferências, e, por isso mesmo, responderá pelos seus atos. No afã de defender seu direito de fazer com sua vida e com seu corpo o que bem lhe apraz, ao se ver pressionada por tudo ou todos ou alguns ao seu redor, sua tendência é rebelar-se contra qualquer manifestação adversa aos seus motivos; se sua rebeldia não gera o resultado esperado, ou seja, se não é possível reverter a situação em seu favor, modificando a opinião alheia, ela passa a sofrer uma crise de identidade que tende à depressão. Consequentemente, suas convicções se frustram, inclinando-a a questionamentos sem respostas que podem ocasionar decisões trágicas ou fatais, como o suicídio, devido à iminente não-aceitação de si própria antes mesmo de qualquer rejeição externa.
  9. 9. Eu amo? Ágape Amor de Deus. Incondicional. Desinteressado, olha para o próximo. O amor que não é alimentado por outrem, mas por Deus. Não depende dos feitos de outrem, da correspondência de outrem; não busca nada em troca. Não se volta para o amante, nem para o familiar, nem para o amigo; volta-se para o próximo. É livre, independente. Não vê com os olhos, mas com o coração. mor de ros. Sexual. Egoístico, olha para si próprio. Um amor que não é alimentado por Deus, mas pelo físico. Não depende da aprovação de Deus, da obediência aos seus princípios; não pauta seus atos nos moldes divinos. Não se volta para o próximo, nem para o familiar, nem para o amigo; volta-se para si mesmo. É prisioneiro, dependente. Não vê com o coração, mas com os olhos.
  10. 10. Que tipo de amor eu tenho vivido? O amor é tipificado por relacionamentos que sempre implicam o envolvimento de pelo menos duas pessoas. Tratando especificamente desses dois tipos de amor, o primeiro reflete o amor verdadeiro porquanto visa ao bem-estar alheio; o segundo reflete um amor secundário porquanto visa ao próprio bem-estar.
  11. 11. Antônimo do amor Deus criou o antônimo do amor. Como assim? Por que Deus que é eternamente bom criaria o mal? Não à confusão! Deus não é bom e mau: ele existe no estado puro, só ele; ele é absoluto, só ele; ele não sofre transformação contínua, só ele.
  12. 12. Interpretações e Eu já havia tido uma experiência com Deus que me trouxe um esclarecimento sobre sua palavra, mas mesmo assim ainda temia colocar neste livro o que eu acreditava ter recebido dele. Crendo na permissão divina, pus-me a analisar a história de Adão e Eva que, pelo que entendi, “Não se resume nisso, mas vai muito além do que está ali; são coisas que o homem não é capaz de perscrutar, absorver e compreender; a sua horizontalidade terrena lhe impõe limites na sua verticalidade espiritual”. O primeiro casal Para responder àquelas questões é preciso uma análise racional e inteligível dos fatos que norteiam a existência do primeiro casal criado por Deus. Note-se: o primeiro, mas não o único. Lógico que toda criação implica em uma primeira produção, e se há uma primeira, há concomitantemente a premissa de que haja outras subsequentes. Infere- se daí que houve outros casais, não de menor importância. O fato é que o primeiro de todos foi o escolhido como representante dos demais.
  13. 13. QUAL É A VONTADE DE DEUS? , O QUE É A VONTADE DE DEUS? , ou melhor, COMO FUNCIONA A VONTADE DE DEUS?
  14. 14. Inversão dos seres Deus administra o universo e o homem ministra seus perfeitos intentos em universos distintos sob a sua direção – perfeitos porquanto sob a direção de Deus. DEUS É O OLEIRO QUE MANIPULA O BARRO [Is 64:8] a fim de que seja moldado à sua mercê para cumprimento de propósitos específicos e determinados. Por outro lado, o homem pode se permitir ser manipulado pelo adversário de Deus. Nesse caso, ele será um instrumento forjado para o mal e direcionado para os seus maus intentos. Nem sempre uma pessoa que se permite essa situação é uma pessoa má ou assim se tornará, mas ser forjado para o mal significa que suas ações não são abençoadas por Deus; portanto, coloca-se em posição de risco quanto às dádivas divinas – sabedoria, pureza, santidade, liberdade no sentido de não escravização ao pecado, discernimento espiritual, audição espiritual, salvação.
  15. 15. emocional e espiritual – aos quais se opõe por natureza, mas ao mesmo tempo os sustenta através de circunstâncias anímicas. Quando minha mente vai bem, fico bem emocionalmente e espiritualmente. Isso me leva a uma sensação de plenitude material pelo que percebo não ter necesidade de nada além do que tenho, pois o que tenho se torna suficiente para mim. Ganho a liberdade de não precisar buscar nada fora de mim para me dar a impressão de satisfação ou saciedade, como: desperdiçar dinheiro num shopping, encher-me de chocolate até passar mal, viajar para preencher um vazio, pois na verdade não estou mais vazia, e sim cheia de contentamento. É pura ilusão acreditar que estando mal emocional ou espiritualmente uma pessoa seja capaz de preencher um vazio. Nada além de Deus preenche o vazio de alguém quando está mal; no entanto, o pouco se torna tão satisfatório quanto o muito quando uma pessoa está bem e de nada sente falta. Algo é certo: o vazio, o nada, foi preenchido por Deus lá no início.
  16. 16. Superficialidades A função do sexo enquanto necessidade fisiológica é contribuir para o bem-estar físico e emocional, sendo um santo remédio para a saúde. O ato sexual libera diversos hormônios e pode curar doenças ósseas, depressão, ansiedade, entre outras; por outro lado, sua falta pode ocasionar muitos males ao corpo e à mente. O sexo foi criado por Deus para fazer bem ao homem, e deve servir ao homem e não o homem servir ao sexo. No entanto, esse objetivo original foi corrompido ao se colocar acima dele o “prazer pelo prazer” em detrimento de valores essenciais para uma vida de qualidade. Isso ocorre quando as aspirações do homem no tocante às questões sexuais sobrepujam a razão e ele deixa de lado o cuidado de si mesmo, não havendo mais impedimentos morais que estorvem suas concepções e o comportamento proveniente delas. Sob essa ótica, o homem perde o discernimento do verdadeiro sentido do sexo dando lugar ao hedonismo que se alimenta desse “prazer sem limites” o qual é tido como o bem maior. Tal perda traz consigo um mal-estar, um nojo de si mesmo, um aborrecimento, sensações que a pessoa experimenta sem ser capaz de compreender o porquê de fazer, satisfazer a carne, mas não se satisfazer em sua integralidade.
  17. 17. Quando o inimigo das nossas almas doa ou inspira, ele o faz com o mesmo espírito de Deus? O que é uma coisa boa? Coisa boa é algo que não causa nenhum mal a si próprio ou a outrem. O inimigo de Deus é inimigo do homem que foi criado por Deus. Sinônimo de inimigo: uma pessoa que quer o mal de outra. Sendo assim, o inimigo pode dar coisas boas? Então, se o que sou ou o que me tornei ou ainda o que ganhei me faz mal, direta ou indiretamente, logo não é bom. Se não é bom, não é de Deus. A quem estou servindo? Tudo o que o inimigo oferece pode parecer bom, tem a aparência do bem, mas não é bom e não é o bem em sua essência; é engano para levar sua vítima à ruína em sua plenitude. O que é escravidão assume o aspecto de liberdade em forma de licitudes, mas essas nem sempre correspondem à lei de Deus.
  18. 18. Vocabulário da perdição A salvação de Deus extensiva à humanidade é plenamente ajustável ao princípio da santidade que por sua vez evoca o princípio da moralidade cristã em contraposição à depravação sexual. Qual é o significado denotativo da palavra depravação? “Depravação” é sinônimo de “Perversão” assim como de “Corrupção”. Vamos analisar e compreender essas palavras e os verbos correlatos separadamente: Depravação Corrupção; perversão; degeneração mórbida. Perversão (latim perversio, -onis, inversão) 1. Ato ou efeito de perverter. 2. Mudança para um estado ou situação considerado pior. = Corrupção 3. Depravação. 4. [Psicologia, Psiquiatria] Desvio patológico do comportamento considerado normal.
  19. 19. Sexo, etc. O que Deus fez? Concernente à questão do sexo: Quando uma pessoa se envolve sexualmente com alguém, faz-se um só corpo com ele porque um pede para entrar e o outro o recebe. Unos se tornam. Espíritos se fundem numa só carne. Brota a excitação através do envolvimento carnal, pele a pele. O que o homem faz? O homem pensa que é Deus. Ele quer usurpar um poder que não lhe pertence – o de julgar e condenar. Quantos se autointitulam “homem-de-deus”, mas não agem como “homem de Deus”? Não que homens sérios de Deus não gritem, ou melhor, não falem
  20. 20. muito alto, pois verdade é que há casos em que o poder do Espírito Santo realmente se manifesta na voz do homem de maneira estrondosa, mas alguns têm por costume gritar, vociferar, esbravejar a fim de se gloriarem na carne do outro, isto é, O que o cristão (ou não) deve fazer? Diante de toda essa realidade incontestável, o verdadeiro crente precisa estar cônscio da necessidade contínua de orar não apenas por si, mas também pelos outros, sejam quem forem, mais do que acusar ou cobrar comportamentos; igualmente, ele precisa aprender a esperar o agir de Deus, principalmente quando se trata da vida dos outros. Além disso, quando Pal avras finais: Uma solução! É preciso contar a própria história e ouvir histórias alheias, pois assim pode-se evitar que pessoas morram devido a depressões. Ao falar, a pessoa descobre a solução. Mateus 1:1-7 narra a genealogia de Jesus, sua história. Histórias. Devemos fazer o mesmo, sermos à imagem e semelhança de Deus. Ter paciência para ouvir histórias, mesmo que sejam contadas por pessoas aparentemente chatas ou não muito cultas ou bobas, pois as pessoas que se chegam a nós para contar suas histórias estão buscando alguém para desabafar, e quando as ouvimos, podemos estar ajudando a salvar uma vida. Por isso, a gente não deve dar ouvidos somente a pessoas interessantes ou cultas ou sábias. Pessoas são sempre pessoas, são gente.
  21. 21. Existe uma história muito interessante. Vou contá-la a você.
  22. 22. Era uma vez uma latinha. A latinha do vovô. Era um vô desses que tem muitas manias e uma delas foi guardar latinhas. Ele pegou essa mania pouco tempo antes de partir da vida. Costumava andar pelas ruas olhando para o chão para ver se encontrava latinhas. Quando encontrava, vibrava: “Encontrei uma perdidinha, vou salvar sua vidinha”. Ao voltar para casa, ia direto para Liberte sua tinha Não aprisione o seu mal. Liberte-o! Normalmente, “Botar pra fora” implica a presença de uma segunda pessoa que se acredita estar pronta para ouvir. Quando uma pessoa bota pra fora, ela está fazendo uma introspecção que naturalmente resulta em autoconhecimento; esse, por sua vez, a faz compreender que seus conceitos e práticas lhe causam danos físicos, morais, emocionais, psicológicos ou espirituais. Consequentemente, nesse processo de autodescoberta, ela tende a abandonar ou chega mesmo a abandonar o que reconhecidamente lhe faz mal. No entanto, tendência a abandonar ou abandonar conceitos, hábitos e práticas, deixar de fazê- los, largá-los, é diferente de ser liberto e ficar livre deles – abandonar é uma coisa, ser liberto é outra; abandonar é ato humano, ser liberto é ato divino; ações humanas não estão
  23. 23. livres de recaídas, ações divinas são eternas. Quando “Botar pra fora” implica a presença da primeira Pessoa na vida de uma pessoa o resultado é completamente diferente. Veja quem é a primeira Pessoa: Aquele que te deu um espírito e te colocou no ventre da tua mãe te tornando alma vivente ao soprar o fôlego de vida nas tuas narinas; Vocabulário da solução Querer, Decidir que quer, Entregar, Confiar, Esperar e Perseverar são os verbos que fazem parte do processo de libertação. Enquanto a pessoa está no processo, acusadores se levantam contra ela para fazê-la desistir, e investem alto contra ela com tentações, ou com infâmias, ou com acusações, e a pressão é tão forte que ela chega a dizer que não vai conseguir, mas quando Deus sabe que esses verbos são sinceros em sua boca e em seu coração, ele mesmo a fortalece contra toda investida do maligno, dando- lhe a força necessária para resisitir nos dias maus, força para orar e perseverar. E persevera e persevera e persevera em oração constante, e continua persistindo em oração e buca continuamente consagrar-se a Deus para se purificar e se santificar; e persisite em oração, oração, oração, oração constante concomitante ao pecado que ainda não a deixou, mas
  24. 24. continua, persiste, persevera, não desiste, porque acredita que Deus vai operar o milagre no momento certo. E continua confessando e crendo e esperando e obedecendo a Deus na mente, no corpo, no espírito e no coração. Tudo o que sabe que provém de Deus ela procura fazer: “JC manda; VC obedece”, eis o lema. A pessoa não tem de mudar por causa do conceito dos outros de certo e errado; ela precisa mudar quando se condena naquilo que faz. Se ela mesma se condena pelos seus atos ou comportamentos, não há necessidade de mais ninguém para apontá-la, não cabe mais argumento algum. Esta é a melhor maneira, a mais certa, para uma pessoa saber se está em pecado ou não, independente de ser cristã porque a palavra serve para qualquer pessoa, independente de religião, status, raça, sexo: “Bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova. E tudo o que não é de fé é pecado” (Rm 14:22,23). Se ao ler estes versículos, o coração de uma pessoa for tocado é porque ela sabe que a palavra de Deus é verdadeira e por si mesma passa a entendê-la como incontestável, não precisando de mais ninguém para dizer se ela está certa ou errada, muito menos para defender aquilo que agora condena. Isto é o início de uma nova vida, em Cristo, e recebe um novo nome: Cristão, pessoa de Cristo (Gn 35:10; At 11:26). Quando Deus te libertar, você não vai mais sentir necessidade de fazer esse tipo de coisa que vem te atormentando a mente e o coração; É preciso que ela se reaproxime dele. Portanto:
  25. 25. Ainda está em tempo! “Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida. Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento” (Lc 15:6,7). Com amor, Monica Campello Amém! 

×