O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Slides almoxarifado 1255637095

18.538 visualizações

Publicada em

Slides almoxarifado 1255637095

  1. 1. ALMOXARIFADO 1
  2. 2. PROPOSTA DOTREINAMENTO 2
  3. 3. REFLEXÃO! 3
  4. 4. REPENSAR OALMOXARIFADO! 4
  5. 5. REPENSARNOVAS FORMASDE TRABALHO! 5
  6. 6. SUGERIR NOVAS FORMAS DE RELACIONAMENTO CONSTRUTIVOENTRE AS PESSOASDO ALMOXARIFADO 6
  7. 7. READEQUAR, NA MEDIDA DOPOSSÍVEL E DO INTERESSE, AS FORMAS DE ARMAZENAMENTO E DISTRIBUIÇÃO 7
  8. 8. MELHORAR ASCONDIÇÕES DE TRABALHO 8
  9. 9. DIMINUIR AS DIFERENÇASQUANTITATIVAS DE MATERIAIS 9
  10. 10. SUGERIR NOVASFORMAS DETRABALHO E CONTROLE 10
  11. 11. UMALMOXARIFADO É COMPOSTO DE PESSOAS E DE MATERIAIS 11
  12. 12. AS PESSOAS 12
  13. 13. O trabalho doalmoxarifado tem que ser feito também com a pessoas! 13
  14. 14. É UM TRABALHONECESSARIAMENTE FEITO POR PESSOAS!!! 14
  15. 15. É um trabalho deinterdependência. UNS DEPENDEM DOS OUTROS! 15
  16. 16. A CONFIANÇA ÉIMPRESCINDÍVEL! 16
  17. 17. ESPÍRITO DEORGANIZAÇÃO É FUNDAMENTAL 17
  18. 18. BOAVONTADE! 18
  19. 19. ENTENDERSEU PAPEL 19
  20. 20. COMPROMETIMENTO 20
  21. 21. RESPONSABILIDADE 21
  22. 22. BUSCAR AHARMONIA EPREZAR POR ELA 22
  23. 23. COMUNICAR-SECOM FRANQUEZA 23
  24. 24. CRIAR UMAMBIENTE DE TRABALHO SAUDÁVEL 24
  25. 25. MANTER UM AMBIENTESAUDÁVEL 25
  26. 26. O armazenador HABILIDADES MÍNIMAS NECESSÁRIAS 26
  27. 27. Boa Saúde • Trabalho relativamente pesado• Esforço físico 27
  28. 28. Primeiro grau• Entender as mensagens escritas • Capaz de executar as 4 operações básicas • Escrever com clareza 28
  29. 29. Cognição • Transformar as ordens recebidas em ação lógica• Raciocinar para encontrar soluções imediatas • Ter iniciativa coerente 29
  30. 30. “Jogo de cintura”• Ser maleável diante de situações problema • Ser maleável para evitar conflitos 30
  31. 31. Espírito de Equipe• “Ser”membro da equipe• Trabalhar em equipe• Envolver-se com a equipe• “Carregar” o lema dos “3 mosqueteiros” 31
  32. 32. O Administrador doALMOXARIFADO 32
  33. 33. “OATLAS” 33
  34. 34. MOTIVADOR • Valoriza a equipe • Incentiva a equipe• Facilita a relação entre as pessoas • Reconhece os acertos 34
  35. 35. ATUANTE• Nos problemas • Nas soluções • Nos conflitos• Na conciliação 35
  36. 36. ENVOLVER-SE • No processo• Na melhoria coletiva • Nas reformas • No progresso 36
  37. 37. LÍDER• Conduz a equipe• Integra a equipe • Colabora com a equipe 37
  38. 38. PROMOTOR • Do progresso • Da integração• Do aprimoramento 38
  39. 39. ‘ZELADOR’Do bem público Enfim... 39
  40. 40. LEVA O ALMOXARIFADO NAS COSTAS ALMOXARIFADO ALMOXARIFADO 40
  41. 41. OESPAÇO 41
  42. 42. Momento derepensar! 42
  43. 43. DEVE SER PENSADO COMO LOCAL DEARMAZENAMENTO E ÁGIL DISTRIBUIÇÃO DE MATERIAIS 43
  44. 44. É PRECISO QUESEJA ORGANIZADO E POSSUIR GARANTIAS PARACONSERVAÇÃO DA QUALIDADE DOS PRODUTOS 44
  45. 45. DEVE SER REPLANEJADO REDISTRIBUIR O MATERIAL(se for conveniente) 45
  46. 46. COMO DETERMINAR O LAYOUT PARAREPLANEJAMENTO 46
  47. 47. O SISTEMA DEDISTRIBUIÇÃO DOS MATERIAIS 47
  48. 48. E LÓGICA DEORGANIZAÇÃO DEARMAZENAMENTO 48
  49. 49. PRIMEIRO PASSO: PENSAR E POR NO PAPEL OS SEGUINTES TÓPICOS BÁSICOS 49
  50. 50. O QUE SERÁARMAZENADO. 50
  51. 51. ASCARACTERÍSTICAS DOS PRODUTOS. 51
  52. 52. NÚMERO DE MATERIAISARMAZENADOS 52
  53. 53. ASCONDIÇÕES DEEDIFICAÇÃO. 53
  54. 54. RESISTÊNCIA DOSPAVIMENTOS 54
  55. 55. CALCULAR OVOLUME PARASABER O QUE CABE LÁ DENTRO 55
  56. 56. o espaço (em metros cúbicos), que os materiais irão ocupar no Almoxarifado;O VOLUME DO ALMOXARIFADO. Fórmula: altura X comp. X largura 56
  57. 57. a metragemdos suportes, prateleiras,estrados etc., 57
  58. 58. onde os materiais serãoarmazenados; 58
  59. 59. a área de entrada e recebimentodos materiais; 59
  60. 60. a área de expedição(saída) dos materiais; 60
  61. 61. os corredoresinternos (se houver espaço); 61
  62. 62. a área ocupadapelos sistemasde manutenção interna; 62
  63. 63. a áreanecessária para os serviços de controle de materiais; 63
  64. 64. área para possívelexpansão. 64
  65. 65. CARGA E DESCARGA SEGURA E ÁGIL 65
  66. 66. ENTRADA E SAÍDA SEM BLOQUEIOS 66
  67. 67. ALTURA COMPATÍVEL COM ASCONDIÇÕES DE SEGURANÇA 67
  68. 68. PORTASADEQUADAS 68
  69. 69. CIRCULAÇÃOINTERNA DOS PRODUTOS 69
  70. 70. DIMENSÕESDOS VEÍCULOSTRANSPORTADORES 70
  71. 71. DIMENSÕES DOSCORREDORES DE ACESSO 71
  72. 72. TRÂNSITO INTERNO 72
  73. 73. PRATELEIRAS, ESTANTES E DIVISÕES 73
  74. 74. O MÁXIMO DEOPERAÇÕES POR DIA 74
  75. 75. MATERIALESPECÍFICO DE TRANSPORTE 75
  76. 76. MATERIAL DESEGURANÇA 76
  77. 77. REFORMAS NAEDIFICAÇÃO 77
  78. 78. MANUSEIO DEMATERIAIS 78
  79. 79. transportarsempre sobre um só veículo 79
  80. 80. manusearprevendo aocorrência seguinte 80
  81. 81. utilizar veículosadequados 81
  82. 82. evitar viagensdesnecessárias 82
  83. 83. aparelharadequadamente os operadores 83
  84. 84. fornecermaterial desegurança 84
  85. 85. sincronizar asoperações de entrega e recebimento 85
  86. 86. EMPILHAMENTO 86
  87. 87. respeite olimite máximo de altura do teto (30 cm); 87
  88. 88. utilizepallets 88
  89. 89. verifique sempre aresistência das embalagens. 89
  90. 90. Respeite asindicações do fabricante; 90
  91. 91. as pilhas devem estar sempre firmes; 91
  92. 92. ESTABELECER UMAMETODOLOGIADE TRABALHO 92
  93. 93. Fazer um esboço dos diversos tipos de materiais, suasdimensões e a forma mais coerente de transporte e armazenamento; 93
  94. 94. possibilidade de usar transporte mecânico, 94
  95. 95. reduzi r ao mínimo necessário os transportes manuais; 95
  96. 96. Determinar umaestratégia para os trabalhos mais pesados ou desagradáveis; 96
  97. 97. Resolverproblemas comsegurança. 97
  98. 98. PONTO DEPEDIDO 98
  99. 99. a quantidademáxima do itemque deverá ser mantido em estoque; 99
  100. 100. o tempo, emmédia, que esse material permanece estocado; 100
  101. 101. o tempo que esse material leva paraser consumido nas unidades requisitantes; 101
  102. 102. condições de mercado (sazonalidade,escassez, greves etc.). 102
  103. 103. PONTO DE PEDIDO• a quantidade máxima do item que deverá ser mantido em estoque; • o tempo, em média, que esse material permanece estocado; • o tempo que esse material leva para ser consumido nas unidades requisitantes; • condições de mercado (sazonalidade, escassez, greves etc.). 103
  104. 104. SUPRI 104
  105. 105. CONTROLE DO ESTOQUE MÍNIMO FÓRMULA SIMPLES •E.Mn = C x K •onde: E.Mn = estoque mínimo • C = consumo médio mensal• K = fator de segurança arbitráriocom o qual se deseja garantir contra um risco de ausência. O fator K é arbitrado, ele é proporcional ao grau de atendimento desejado para o item 105
  106. 106. •Por exemplo: se quisermos que determinada peça tenha um grau deatendimento de 90%, ou seja, queremos uma garantia de que somente em 10%das vezes o estoque desta peça esteja a zero; sabendo que o consumo médio mensal é de 60 unidades, o estoque mínimo será: •E.Mn = 60 x 0,9 •E.Mn = 54 unidades. 106
  107. 107. SEGURANÇA NOALMOXARIFADO 107
  108. 108. MANTER OALMOXARIFADO SEMPRE LIMPO 108
  109. 109. USARMATERIAL DEPROTEÇÃO PESSOAL 109
  110. 110. TER CUIDADOS NAMANIPULAÇÃODOS PRODUTOS 110
  111. 111. ERGUERSOMENTE PESO SUPORTÁVEL 111
  112. 112. EVITARBRINCADEIRAS OUCOMPETIÇÕES 112
  113. 113. VER E ANDAR COM SEGURANÇAAO CARREGAR 113
  114. 114. MANUTENÇÃOPREVENTIVA 114
  115. 115. RESPEITAR A CARGAMÁXIMA DOS VEÍCULOS 115
  116. 116. RESPEITAR OSLIMITES INTERNOS DE VELOCIDADE 116
  117. 117. MANTER-SE ATENTO AMOVIMENTAÇÃO 117
  118. 118. AS CORES COMO SEGURANÇA NO ALMOXARIFADO número cor significado 1 vermelho perigo 2 alaranjado alerta 3 amarelo atenção 4 verde segurança 5 azul cuidado 6 púrpura radiação 7 branco limpeza 8 preto detrito 118
  119. 119. PROBLEMAS COMUNSCOM A MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS E TRANSPORTES INTERNOS 119
  120. 120. CORREDORES E RUASABARROTADOS 120
  121. 121. MOVIMENTAÇÃO DE PESSOALDESORDENADA 121
  122. 122. EQUIPAMENTOS QUEBRADOS 122
  123. 123. DESVIO DE FUNÇÃO (PESSOALINCAPACITADO NA FUNÇÃO) 123
  124. 124. VAI E VEM DE PRODUTOS 124
  125. 125. GRANDES DISTÂNCIAS ENTRE AESTOCAGEM E A SAÍDA 125
  126. 126. PERDA DETEMPO PELOSOPERADORES 126
  127. 127. EXCESSO DE PESOTRANSPORTADO MANUALMENTE 127
  128. 128. CRUZAMENTOEXCESSIVO DE PESSOAL E MAQUINÁRIO 128
  129. 129. FICHA DEPRATELEIRA 129
  130. 130. Éimportante observar: 130
  131. 131. se a discriminaçãodo material estáde acordo com asespecificações;131
  132. 132. se a classificação,a codificação e a localização estão certas 132
  133. 133. se a classificação, a codificação e a localização estão certas e secorrespondem com às fichas de estantes e prateleiras; 133
  134. 134. se asdiferenças do estoque foram lançadas; 134
  135. 135. o controle dasdevoluções e de materiais deteriorados; 135
  136. 136. acorrespondênciaentre os registros de estoques eoutros registros; 136
  137. 137. os quesitos desegurança. 137
  138. 138. FICHA DE PRATELEIRAse a discriminação do material está de acordo com as especificações; se a classificação, a codificação e a localização estão certas e se correspondem com às fichas de estantes e prateleiras; se as diferenças do estoque foram lançadas; o controle das devoluções e de materiais deteriorados; a correspondência entre os registros de estoques e outros registros; os quesitos de segurança. 138
  139. 139. AUDITORIASIMPLIFICADA 139
  140. 140. AS NOTAS DEENTRADA 140
  141. 141. ASREQUISIÇÕES DE COMPRA 141
  142. 142. ASNOTAS DESAÍDA 142
  143. 143. AS FICHAS DECONTROLE 143
  144. 144. ASQUANTIDADESFÍSICAS COM OS REGISTROSDE ESTOQUE 144
  145. 145. SOBRE A AUDITAGEM verificar: 145
  146. 146. se não há requisiçõesnotas ou mesmolançamentos de saída em duplicatas; 146
  147. 147. duploslançamentosde saída com o mesmo número; 147
  148. 148. cancelamento de pedidos em excesso; 148
  149. 149. emendas erasuras em notas; 149
  150. 150. se as quantidades fornecidasestão de acordocom o consumo dos sub- almoxarifados. 150
  151. 151. SOBRE A AUDITAGEM verificar:• se não há requisições notas ou mesmo lançamentos de saída em duplicatas; • duplos lançamentos de saída com o mesmo número;• cancelamento de pedidos em excesso; • emendas e rasuras em notas;• se as quantidades fornecidas estão de acordo com o consumo dos sub- almoxarifados. 151
  152. 152. O DELICIOSOINVENTÁRIO 152
  153. 153. INVENTÁRIO FÍSICO 153
  154. 154. Os inventários podem ser:a) Geral: Efetuado no final do exercício, abrangetodos os itens de estoque de uma só vez. b) Rotativos: Tem como norma distribuir as contagens ao longo do ano. 154
  155. 155. Dividindo-se em três grupos: 155
  156. 156. Grupo 1 - neste grupoestão enquadrados os materiais de maiorvalor em estoque e os mais requisitados. Deverão ser inventariados três vezes ao ano. 156
  157. 157. Grupo 2 - constituído por itens de importânciaintermediária quantoao valor de estoque, estratégia e manejo. Estes serão inventariados duas vezes ao ano. 157
  158. 158. Grupo 3 - formado pelos demais itens. Caracterizado poritens de pequeno valor de estoque. Os materiais desse grupo serão inventariados uma vez por ano. 158
  159. 159. INVENTÁRIO FÍSICO Os inventários podem ser: a) Geral: Efetuado no final do exercício, abrange todos os itens de estoque de uma só vez. b) Rotativos: Tem como norma distribuir as contagens ao longo do ano. Dividindo-se em três grupos: Grupo 1 - neste grupo estão enquadrados os materiais de maior valor em estoque e os mais requisitados . Deverão ser inventariados três vezes ao ano. Grupo 2 - constituído por itens de importância intermediária quanto ao valor de estoque,estratégia e manejo. Estes serão inventariados duas vezes ao ano.Grupo 3 - formado pelos demais itens. Caracterizadopor itens de pequeno valor de estoque. Os materiais 159 desse grupo serão inventariados uma vez por ano.
  160. 160. PREPARAÇÃO EPLANEJAMENTO DO INVENTÁRIO 160
  161. 161. a) Folhas deconvocação e serviços. 161
  162. 162. b) Fornecimento de meios de registros 162
  163. 163. c) Reanálise da arrumação física. 163
  164. 164. d) Método detreinamento e execução. 164
  165. 165. e) Atualização e análise dos registros. 165
  166. 166. f) Cut-off paradocumentação emovimentação demateriais a serem inventariados 166
  167. 167. PREPARAÇÃO E PLANEJAMENTO DO INVENTÁRIO a) Folhas de convocação e serviços.b) Fornecimento de meios de registros c) Reanálise da arrumação física.d) Método de treinamento e execução.e) Atualização e análise dos registros. f) Cut-off para documentação e movimentação de materiais a serem inventariados 167
  168. 168. CONTAGEM ERECONCILIAÇÃO 168
  169. 169. CONTAGEM(necessariamente duas) 169
  170. 170. AFIXAR O CARTÃO DEINVENTÁRIO AO LOTE 170
  171. 171. ANOTAR OS VALORES DACONTAGEMNO CARTÃO 171
  172. 172. ENTREGAR O CARTÃO AORESP. PELA 1ª CONTAGEM 172
  173. 173. EXECUTAR A 2ª CONTAGEM 173
  174. 174. ANOTAR OS VALORES DACONTAGEM NO CARTÃO 174
  175. 175. ENTREGAR O CARTÃO AORESP. PELA 2ª CONTAGEM 175
  176. 176. *OBS. Se a primeira contagem não conferircom a segunda, ocorrerá uma terceira contagem, por outra equipe diferente. 176
  177. 177. **OBS. A tala identificadora do lotepermanecerá afixada como prova de que foi contado, sendo retira somente ao término do inventário. 177
  178. 178. RECONCILIAÇÕES OS SETORESRESPONSÁVEIS DEVERÃO PROVIDENCIARJUSTIFICATIVAS PARA AS VARIAÇÕES OCORRIDAS ENTRE O ESTOQUE CONTÁBIL E O INVENTARIADO. 178
  179. 179. CONTAGEM E RECONCILIAÇÃO CONTAGEM (necessariamente duas) AFIXAR O CARTÃO DE INVENTÁRIO AO LOTE ANOTAR OS VALORES DA CONTAGEM NO CARTÃO ENTREGAR O CARTÃO AO RESP. PELA 1ª CONTAGEM ENTREGAR O CARTÃO AO RESP. PELA 2ª CONTAGEM ANOTAR OS VALORES DA CONTAGEM NO CARTÃO ENTREGAR O CARTÃO AO RESP. PELO INVENTÁRIO*OBS. Se a primeira contagem não conferir com a segunda, ocorrerá uma terceira contagem, por outra equipe diferente.**OBS. A tala identificadora do lote permanecerá afixada como prova de que foi contado, sendo retira somente ao término do inventário. RECONCILIAÇÕES OS SETORES RESPONSÁVEIS DEVERÃO PROVIDENCIAR JUSTIFICATIVAS PARA AS VARIAÇÕES OCORRIDAS ENTRE O 179 ESTOQUE CONTÁBIL E O INVENTARIADO.
  180. 180. REGISTRO DO INVENTÁRIO(PODERÁ SER FEITO EM CARTÕES SIMPLES OU ESPECÍFICOS) a) código; b) descrição; c) local; d) quantidade; e) unidade; f) visto; g) conferido. 180
  181. 181. Os diversos fatores que devem ser consideradospara classificar os materiais dentro desse método são: tempo de fornecimento; volume do material; perecibilidade; condições de mercado; características particulares. 181
  182. 182. CONTROLE DE MATERIAIS Numérica: apenas números arábicos.2. Alfanumérica: combinação entre letras e números.3. Decimal: números arábicos subdividos em três ou mais grupos. Ex. com três grupos: aglutinante: agrupamento dos materiais individualizador: materiais pertencentes ao algutinantedescritivo: descreve os materiais pertencentes ao 2º grupo. 182

×