SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Dicas de 
como 
conviver 
com pessoas 
cegas e 
surdas. 
Acadêmicas: Fernanda Rohden da 
Silva 
Jane Vitório Rosa da Cunha 
Mônia de Labernarda Medeiros
Simbologia Braille 
Conceitos 
Cegueira: De acordo com o dicionário Aurélio “cegueira significa privação da 
visão“. Portanto a pessoa com cegueira não possui nenhuma visão ou 
pouquíssima capacidade de enxergar, apenas consegue ver vultos de luz , mas 
sem a nitidez o que faz com que estas necessitem do Sistema Braille como meio 
de leitura e escrita. 
Baixa visão : Segundo o Atendimento Educacional Especializado (AEE) “A 
definição de baixa visão (ambliopia, visão subnormal ou visão residual) é 
complexa devido à variedade e à intensidade de comprometimentos das 
funções visuais. Essas funções englobam desde a simples percepção de luz 
até a redução da acuidade e do campo visual que interferem ou limitam a 
execução de tarefas e o desempenho geral. Pessoas com este tipo de 
deficiência precisam ser estimuladas a aproveitar a sua visão , mesmo que 
esta seja mínima , podem ler textos impressos desde que ampliados ou com 
uso de recursos óticos especiais. 
Simbologia Braille : O Braille é um sistema de escrita e leitura feito de 
símbolos em relevo criado pelo francês Louis Braille. Através do tato , 
utilizando as mãos as pessoas com deficiência visual tem acesso ao 
conhecimento , pois aprendem escrever e ler .
Dicas 
Simbologia Braille 
*Primeiramente nunca trate uma pessoa com deficiência visual diferente só 
por causa de sua deficiência . 
* Muitas vezes as pessoas com deficiência visual precisam de ajuda , mas 
antes de ir ajudando pergunte como pode ajudá-la. 
*Fale diretamente com ela e não utilize terceiros para a sua comunicação. 
* Ao ajudá-lo em uma caminhada ou a atravessar a rua , lembre se de 
sempre avisá-lo sobre os obstáculos.
Conceitos 
LIBRAS 
Surdez: Há vários níveis de surdez a Pré lingual onde a criança nasce 
surda ou perde a audição antes de falar, neste caso na maioria das vezes a 
língua de sinais é o meio usado para a comunicação, e a Pós Lingual onde 
a audição é perdida depois que se aprende a falar , neste caso o meio de 
comunicação utilizado é a leitura labial . 
Bilingüismo: Chamamos de bilíngue a pessoa que aprende duas línguas , 
O deficiente auditivo é bilíngue pois aprende a linguagem de sinais 
chamada de libras e a língua Portuguesa escrita. 
Libras: A Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) é utilizada por deficientes 
auditivos para a comunicação entre eles e entre surdos e ouvintes. A 
LIBRAS possibilita ao deficiente auditivo se relacionar com o ambiente em 
que vivem e com a sociedade incluindo a escola.
Dicas 
LIBRAS 
*Ao falar com uma pessoa surda fique em frente a ela para que a 
mesma possa fazer a leitura labial . 
* Sempre mantenha a conversa olhando diretamente para ela, sem 
desviar o olhar , pois a mesma pode achar que a conversa 
terminou. 
*Quando a pessoa estiver acompanhada de um interprete se dirija 
a ela e não ao interprete. 
* Utilize de gestos para tentar se expressar melhor.
REFERÊNCIAS 
BOCK, Geisa Letícia Kempfer; SILVA, Solange Cristina da. Simbologia Braille. 
Florianópolis: UDESC/UAB/CEAD, 2013. 
SELL, Fabíola Sucupira Ferrreira (Org.); SCHMITT, Deonisio; BECHE, Rose Clér 
Estivalete. Língua Brasileira de Sinais LIBRAS. Florianópolis: UDESC/UAB/CEAD, 
2013. 
Atendimento Educacional Especializado 
Disponível em : http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/aee_dv.pdf 
Acesso em 22 de agosto de 2014 
Comissão Brasileira de Braile 
Disponível em : 
http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=19063&Itemi 
d=817 
Acesso em 22 de agosto de 2014 
Imagem pág1 
Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br/formacao/como-funciona-sistema-braille- 
496102.shtml 
Acesso em: 22 de agosto de 2014. 
Imagem pág.2 
Disponível em: http://www.ajidevi.org.br/2012/07/13/o-que-e-braille-2/ 
Acesso em: 22 de agosto de 2014. 
Imagem pág.3 
Disponível em: http://comradio.com.br/cidadania/?p=650 
Acesso em: 22 de agosto de 2014. 
Imagem pág.4 
Disponível em:http: http://teresopolis-tere.blogspot.com.br/2012/03/educacao-capacita-professores- 
e.html 
Acesso em: 22 de agosto de 2014. 
Imagem pág.5 
Disponível em: http://ceong.com.br/como-ajudar-ou-conversar-com-uma-pessoa-surda/ 
Acesso em: 22 de agosto de 2014.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Comunicação Aumentativa e Alternativa
Comunicação Aumentativa e AlternativaComunicação Aumentativa e Alternativa
Comunicação Aumentativa e AlternativaAndreia Campos
 
Deficiência Auditiva Aspectos Gerais Históricos Educacionais Linguísticos
Deficiência Auditiva Aspectos Gerais Históricos Educacionais LinguísticosDeficiência Auditiva Aspectos Gerais Históricos Educacionais Linguísticos
Deficiência Auditiva Aspectos Gerais Históricos Educacionais LinguísticosUniversidade Estadual de Londrina - UEL
 
Apostila libras
Apostila librasApostila libras
Apostila librasJana Bento
 
10 coisas sobre libras academia de libras
10 coisas sobre libras   academia de libras10 coisas sobre libras   academia de libras
10 coisas sobre libras academia de librasAutonoma
 
Apresentação Comunicação
Apresentação ComunicaçãoApresentação Comunicação
Apresentação ComunicaçãoPatrícia Ervilha
 
Comunicação Verbal e Não Verbal
Comunicação Verbal e Não VerbalComunicação Verbal e Não Verbal
Comunicação Verbal e Não VerbalAndreza Oliveira
 

Mais procurados (7)

Comunicação Aumentativa e Alternativa
Comunicação Aumentativa e AlternativaComunicação Aumentativa e Alternativa
Comunicação Aumentativa e Alternativa
 
Deficiência Auditiva Aspectos Gerais Históricos Educacionais Linguísticos
Deficiência Auditiva Aspectos Gerais Históricos Educacionais LinguísticosDeficiência Auditiva Aspectos Gerais Históricos Educacionais Linguísticos
Deficiência Auditiva Aspectos Gerais Históricos Educacionais Linguísticos
 
Apostila libras
Apostila librasApostila libras
Apostila libras
 
10 coisas sobre libras academia de libras
10 coisas sobre libras   academia de libras10 coisas sobre libras   academia de libras
10 coisas sobre libras academia de libras
 
Apresentação Comunicação
Apresentação ComunicaçãoApresentação Comunicação
Apresentação Comunicação
 
Surdez
SurdezSurdez
Surdez
 
Comunicação Verbal e Não Verbal
Comunicação Verbal e Não VerbalComunicação Verbal e Não Verbal
Comunicação Verbal e Não Verbal
 

Semelhante a Livreto Braille e Libras Grupo Jane, Fernanda Rohden e Mônia

Dicas de relacionamento com as pessoas com deficiencia
Dicas de relacionamento com as pessoas com deficienciaDicas de relacionamento com as pessoas com deficiencia
Dicas de relacionamento com as pessoas com deficienciaWillian De Sá
 
Aprendendo braille
Aprendendo brailleAprendendo braille
Aprendendo brailleJu Dias
 
Palestra: Surdez, Língua e Educação
Palestra: Surdez, Língua e EducaçãoPalestra: Surdez, Língua e Educação
Palestra: Surdez, Língua e EducaçãoLeonardo Lima
 
Ouvir No Silencio Slide
Ouvir No Silencio SlideOuvir No Silencio Slide
Ouvir No Silencio Slideebezerraf
 
como lidar com pessoas surdas.pptx
como lidar com pessoas surdas.pptxcomo lidar com pessoas surdas.pptx
como lidar com pessoas surdas.pptxDboraChaves11
 
Como lidar com as pessoas com deficiência
Como lidar com as pessoas com deficiênciaComo lidar com as pessoas com deficiência
Como lidar com as pessoas com deficiênciaALEXANDRA RECH
 
Grupo E - Surdez Profunda-BA_01
Grupo E - Surdez Profunda-BA_01Grupo E - Surdez Profunda-BA_01
Grupo E - Surdez Profunda-BA_01Elciene Oliveira
 
Apresentação do professor - MEF.ppt
Apresentação do professor - MEF.pptApresentação do professor - MEF.ppt
Apresentação do professor - MEF.pptJefferson967969
 
Deficiência Visual e o Processo de Aprendizagem
Deficiência Visual e o Processo de AprendizagemDeficiência Visual e o Processo de Aprendizagem
Deficiência Visual e o Processo de Aprendizagempaulacod_pedagogia
 
Ouvir no Silêncio
Ouvir no SilêncioOuvir no Silêncio
Ouvir no Silênciolatife
 

Semelhante a Livreto Braille e Libras Grupo Jane, Fernanda Rohden e Mônia (20)

Educação Inclusiva
Educação InclusivaEducação Inclusiva
Educação Inclusiva
 
Curso de libras_-_graciele
Curso de libras_-_gracieleCurso de libras_-_graciele
Curso de libras_-_graciele
 
Dicas de relacionamento com as pessoas com deficiencia
Dicas de relacionamento com as pessoas com deficienciaDicas de relacionamento com as pessoas com deficiencia
Dicas de relacionamento com as pessoas com deficiencia
 
Aprendendo braille
Aprendendo brailleAprendendo braille
Aprendendo braille
 
Surdez
SurdezSurdez
Surdez
 
Palestra: Surdez, Língua e Educação
Palestra: Surdez, Língua e EducaçãoPalestra: Surdez, Língua e Educação
Palestra: Surdez, Língua e Educação
 
Acessibilidade
AcessibilidadeAcessibilidade
Acessibilidade
 
Surdez Profunda
Surdez Profunda Surdez Profunda
Surdez Profunda
 
Deficiência visual capacitação 2011
Deficiência visual capacitação 2011Deficiência visual capacitação 2011
Deficiência visual capacitação 2011
 
Ouvir No Silencio Slide
Ouvir No Silencio SlideOuvir No Silencio Slide
Ouvir No Silencio Slide
 
Manual de acessibilidade!
Manual de acessibilidade!Manual de acessibilidade!
Manual de acessibilidade!
 
como lidar com pessoas surdas.pptx
como lidar com pessoas surdas.pptxcomo lidar com pessoas surdas.pptx
como lidar com pessoas surdas.pptx
 
Como lidar com as pessoas com deficiência
Como lidar com as pessoas com deficiênciaComo lidar com as pessoas com deficiência
Como lidar com as pessoas com deficiência
 
Deficiências
DeficiênciasDeficiências
Deficiências
 
Grupo E - Surdez Profunda-BA_01
Grupo E - Surdez Profunda-BA_01Grupo E - Surdez Profunda-BA_01
Grupo E - Surdez Profunda-BA_01
 
Deficiência visual
Deficiência visualDeficiência visual
Deficiência visual
 
Apresentação do professor - MEF.ppt
Apresentação do professor - MEF.pptApresentação do professor - MEF.ppt
Apresentação do professor - MEF.ppt
 
Deficiência Visual e o Processo de Aprendizagem
Deficiência Visual e o Processo de AprendizagemDeficiência Visual e o Processo de Aprendizagem
Deficiência Visual e o Processo de Aprendizagem
 
Ouvir no Silêncio
Ouvir no SilêncioOuvir no Silêncio
Ouvir no Silêncio
 
Surdez
SurdezSurdez
Surdez
 

Mais de Mônia Medeiros

Mais de Mônia Medeiros (7)

Tf História
Tf HistóriaTf História
Tf História
 
Tf art ii_
Tf art ii_Tf art ii_
Tf art ii_
 
TF Artes II
TF Artes IITF Artes II
TF Artes II
 
TF EFIEB II
TF EFIEB IITF EFIEB II
TF EFIEB II
 
Efieb brna2012 1_grupo_monia
Efieb brna2012 1_grupo_moniaEfieb brna2012 1_grupo_monia
Efieb brna2012 1_grupo_monia
 
TF EFIEB
TF EFIEB TF EFIEB
TF EFIEB
 
Livreto Braille e Libras
Livreto  Braille e LibrasLivreto  Braille e Libras
Livreto Braille e Libras
 

Último

Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaREGIANELAURALOUREIRO1
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Centro Jacques Delors
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoVitor Vieira Vasconcelos
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
Teatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioTeatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioWyngDaFelyzitahLamba
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 

Último (20)

Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Teatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioTeatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundario
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 

Livreto Braille e Libras Grupo Jane, Fernanda Rohden e Mônia

  • 1. Dicas de como conviver com pessoas cegas e surdas. Acadêmicas: Fernanda Rohden da Silva Jane Vitório Rosa da Cunha Mônia de Labernarda Medeiros
  • 2. Simbologia Braille Conceitos Cegueira: De acordo com o dicionário Aurélio “cegueira significa privação da visão“. Portanto a pessoa com cegueira não possui nenhuma visão ou pouquíssima capacidade de enxergar, apenas consegue ver vultos de luz , mas sem a nitidez o que faz com que estas necessitem do Sistema Braille como meio de leitura e escrita. Baixa visão : Segundo o Atendimento Educacional Especializado (AEE) “A definição de baixa visão (ambliopia, visão subnormal ou visão residual) é complexa devido à variedade e à intensidade de comprometimentos das funções visuais. Essas funções englobam desde a simples percepção de luz até a redução da acuidade e do campo visual que interferem ou limitam a execução de tarefas e o desempenho geral. Pessoas com este tipo de deficiência precisam ser estimuladas a aproveitar a sua visão , mesmo que esta seja mínima , podem ler textos impressos desde que ampliados ou com uso de recursos óticos especiais. Simbologia Braille : O Braille é um sistema de escrita e leitura feito de símbolos em relevo criado pelo francês Louis Braille. Através do tato , utilizando as mãos as pessoas com deficiência visual tem acesso ao conhecimento , pois aprendem escrever e ler .
  • 3. Dicas Simbologia Braille *Primeiramente nunca trate uma pessoa com deficiência visual diferente só por causa de sua deficiência . * Muitas vezes as pessoas com deficiência visual precisam de ajuda , mas antes de ir ajudando pergunte como pode ajudá-la. *Fale diretamente com ela e não utilize terceiros para a sua comunicação. * Ao ajudá-lo em uma caminhada ou a atravessar a rua , lembre se de sempre avisá-lo sobre os obstáculos.
  • 4. Conceitos LIBRAS Surdez: Há vários níveis de surdez a Pré lingual onde a criança nasce surda ou perde a audição antes de falar, neste caso na maioria das vezes a língua de sinais é o meio usado para a comunicação, e a Pós Lingual onde a audição é perdida depois que se aprende a falar , neste caso o meio de comunicação utilizado é a leitura labial . Bilingüismo: Chamamos de bilíngue a pessoa que aprende duas línguas , O deficiente auditivo é bilíngue pois aprende a linguagem de sinais chamada de libras e a língua Portuguesa escrita. Libras: A Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) é utilizada por deficientes auditivos para a comunicação entre eles e entre surdos e ouvintes. A LIBRAS possibilita ao deficiente auditivo se relacionar com o ambiente em que vivem e com a sociedade incluindo a escola.
  • 5. Dicas LIBRAS *Ao falar com uma pessoa surda fique em frente a ela para que a mesma possa fazer a leitura labial . * Sempre mantenha a conversa olhando diretamente para ela, sem desviar o olhar , pois a mesma pode achar que a conversa terminou. *Quando a pessoa estiver acompanhada de um interprete se dirija a ela e não ao interprete. * Utilize de gestos para tentar se expressar melhor.
  • 6. REFERÊNCIAS BOCK, Geisa Letícia Kempfer; SILVA, Solange Cristina da. Simbologia Braille. Florianópolis: UDESC/UAB/CEAD, 2013. SELL, Fabíola Sucupira Ferrreira (Org.); SCHMITT, Deonisio; BECHE, Rose Clér Estivalete. Língua Brasileira de Sinais LIBRAS. Florianópolis: UDESC/UAB/CEAD, 2013. Atendimento Educacional Especializado Disponível em : http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/aee_dv.pdf Acesso em 22 de agosto de 2014 Comissão Brasileira de Braile Disponível em : http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=19063&Itemi d=817 Acesso em 22 de agosto de 2014 Imagem pág1 Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br/formacao/como-funciona-sistema-braille- 496102.shtml Acesso em: 22 de agosto de 2014. Imagem pág.2 Disponível em: http://www.ajidevi.org.br/2012/07/13/o-que-e-braille-2/ Acesso em: 22 de agosto de 2014. Imagem pág.3 Disponível em: http://comradio.com.br/cidadania/?p=650 Acesso em: 22 de agosto de 2014. Imagem pág.4 Disponível em:http: http://teresopolis-tere.blogspot.com.br/2012/03/educacao-capacita-professores- e.html Acesso em: 22 de agosto de 2014. Imagem pág.5 Disponível em: http://ceong.com.br/como-ajudar-ou-conversar-com-uma-pessoa-surda/ Acesso em: 22 de agosto de 2014.

Notas do Editor

  1. Esta página é a capa