Parapsicologia [Parte 09]

336 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
336
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Parapsicologia [Parte 09]

  1. 1. PARTE 911.12-ECTOPLASMIA.Exteriorização visível da Telergia.(Fantasmas, aparição de objetos ou em formas de membros do corpo). Conhecemosa telergia, que poderíamos defender como uma força psicofísica exteriorizada. Algumas vezes esta força estácondensada, apresentando-se até visivelmente. Uma força condensada, dirigida pela psicobulia e dependente dela,teoricamente, poderia ser modelada.A exteriorização dessa substância e sua formação externa, mais ou menos modelada e modelável, foram descrita demaneira sistemática, pela primeira vez entre os metapsíquicos (parapsicólogos), por Schrenck-Notzing. Ele a chamouteleplastia. Outros especialistas a designaram pelos nomes análogos de teleplasia, teleplasmia, assim comoectoplasia, ectoplastia e ectoplasmia. Nós adotaremos o termo ectoplamia porque, designando o fenõmeno, é o termomais frequentemente usado.Ectolplasmia ou, em concreto, ectoplasma, deriva do grego (ectos = fora e plasma = coisa formada ou modelada). Otermo foi criado por Chales Richet (Traité de Métapsychique, Paris, 1923): “De início, uma massa confusa, mais oumenos informe são estas formações difusas que eu chamo ectolplasmas, porque parecem sair do corpo”. Ectoplasmiadesigna o fenômeno; ectoplasma a substância.As técnicas e materiais para trucar o ectoplasma são inumeráveis.Empregam-se tecidos especiais como sêda, tipogaze ou musselina, com aparência vaporosa na escuridão. Alguns desses tecidos são tão finos que grande quantidadetem um volume insignificante, podendo ser escondido no ouvido ou até na cavidade de um dente falso. Um tecidoespecial de "sêda" japonesa com i,3 cm de volume pode formar um balão de 5 metros de diãmetro.Já manejamos pessoalmente uma substância que se vende nas lojas (ao menos nas norte-americanas) para truquesde espiritismo; uma substância apresentada em drágeas que metida na boca, desprende, quando se sopra, vaporesbrancos "misteriosos". Também usamos uma substância que untada nos dedos, produz neles, ao esfregarem-se, umaespécie de luzes ou chamas ou nuvens brancas e luminosas de notável efeito.O ectoplasma deve ser considerado como um fenômeno de condensação da telergia, no sentido amplo em queconsideramos a telergia.Num primeiro estágio de condensação, a telergia não passa de um fluído ou pequeníssima radiação humana, sempre,porém, um verdadeiro fenômeno metafisiológico. Em tal estágio inicial de condensação, só é perceptível mediantetécnicas e aparelhos delicadíssimos sendo capaz de realizar só pouquissimo trabalho.11.13-FANTASMOGÊNESE.O inconsciente pode moldar em raríssimas ocasiões, imagens ectoplasmáticas em forma de uma pessoa inteira.(fantasma). Fantasmogênese é a produção ectoplasmática de um fantasma ao menos aparentemente inteiro, depessoa , animal ou coisa. O verdadeiro fantasma não é uma aparição meramente subjetiva, mas é imperfeito nareprodução do "modelo": o fantasma tem serta consistência material, porém é mais ou menos tênue, mais ou menostransparente, com pouquíssimo peso, em comparação com o peso do modelo reproduzido.Como sempre em Parapsicologia, também na fantasmogênese deve-se ter muito em conta a fraude. Afantasmogênese é feita pela ectoplasmia, que é a matéria prima para moldar as imagens do inconsciente do dotado:(ideoplastia). Da mesma maneira como se pode plasmar um rosto, um braço, (ecto-colo-plasmia) etc, pode-seplasmar a imagem mais ou menos completa de um ser. Até se faz compreensível que a imagem é mais ou menostênue, leve, transparente, (mesmo que fosse só por motivo de economia de ectoplasma pelo inconsciente). O queaumenta em tamanho diminui em densidade.Assim considerada, a fantasmogênese nem precisaria de uma demonstração específica: é simplesmente umamodificação da ecto-colo-plasmia, um outro aspecto da ideoplastia.A densidade do fantasma, às vezes é tão pouca que só é visível para os hiperestésicos.(pessoas com maiorsensibilidade nos sentidos); quando não seja mera alucinação.Como há fantasmas (produções ectoplasmáticas inteiras) de animais, há também fantasmas de coisas inanimadas(objetos).Como se vê, a fantasmogênese apresenta a forma de sombra; é meio transparente, porém sua densidade é suficientepara movimentar cortinas.(telecinesia causada pelo ectoplasma).Começamos a análise interna da fantasmogênese. Temos visto que nos casos tanto de fantasmogênese como de ecto-colo-plasmia, a formação aparece e desaparece de maneira gradual. Mostra-nos muito bem que a fantasmogênese seorigina do ectoplasma, e que o fantasma (ectoplasma moldado) é de constituição vaporosa.A constituição vaporosa, tênue, às vezes tenuíssima dos fantasmas é reconhecida por todos os autores de algumaseriedade e competência científica que investigaram o fenômeno.O perispírito (como algumas pessoas defendem) é inadmissível. Trata-se só de ectoplasma, energia do corpo e nuncade “matéria no espírito” ou espírito “semimaterial” ou matéria “semi-espiritual”, o que implicaria uma contradição determos. A ideoplastia nada tem a ver com os espíritos ou os “perispíritos” dos mortos. Pelo contrário, ela explica comoo inconsciente do dotado pode também plasmar a imagem de um morto.( ou de um animal, ou de um objeto)Em comparação com a ecto-colo-plasmia, claro está que a fantasmogênese é muito mais rara: requer-se maiorideoplastia e mais ectoplasmia para a produção de um corpo inteiro do que para a produção de um só membro.Como todo fenômeno parapsicológico em geral e ectoplasmático em particular, também a fantasmogênese,evidentemente, depende do ectoplasta (dotado).Embora de difícil experimentação, existe relação de peso entre o fantasma e o ectoplasta, o que confirma que oectoplasma, para a formação do fantasma, é exteriorizado do corpo do dotado (sendo possível a pequena colaboração(inconsciente) dos assistentes, em efeito polipsíquico).Consequentemente, sem negar que a pesagem indica que o corpo do ectoplasta perde peso para emprestarectoplasma ao fantasma, não deveos, porém, cair no erro, frequente entre os experimentadores, de considerar que onúmero de quilos perdidos pelo dotado corresponde exatamente ao peso do fantasma.Influências externasMesmo quando os aparelhos atribuem ao fantasma menos peso do que ao dotado, mas ainda assim um peso bastanteconsiderável, não deve pensar que, de fato, o fantasma possua tanta matéria, porque sempre há várias possibilidadesde que o número não indique o seu peso real. Há que considerar a possível ação telecinética sobre a balança. Tudoindica que o fantasma, tênue, vaporoso, ás vezes suspenso no ar e intangível, na realidade possui um peso reduzido.A relação da dependência fantasma-dotado deduz-se também da enorme sêde que alguns ectoplastas (dotados)experimentam durante as sessões de fantasmogênese. Este fato é amis uma confirmação de que a substância paraplasmar o fantasma é tirada do corpo do dotado. Pois é lógico que a perda da substância é o principal responsável poressa sede insaciável. Outros fatores secundários responsáveis pela sêde são o próprio esforço realizado partaexteriorizar e dirigir o fantasma com a conseuqnte transpiração, as modificações estruturais ou fisiológicasexperimentadas pelo organismo, etc.O agente psíquico das fantasmogêneses é o inconsciente do próprio dotado. Os impulsos e esforços motores são
  2. 2. também os do dotado. A energia orgânica do dotado se exterioriza e molda, dirigida e acompanhada pelas faculdadespsíquicas inconscientes do próprio dotado.Sendo a fantasmogênese um fenômeno extranormal, compreende-se perfeitamente que a densidade do fantasmaseja inversamente proporcional ao afastamento do organismo que o produz.11.14-ECTO-COLO-PLASMIA.O inconsciente molda imagens ectoplasmáticas de membros do corpo, partes de objetos, etc. o ectoplasma, como"argila psíquica". Teoricamernte ao menos, poderia ser moldável para representar diversas figuras. Conforme fossemos tipos de reproduções, o fenômeno seria classificado sob diversos nomes.Ecto-colo-plasmia é o ectoplasma moldado em formas de membros ou partes de pessoas, animais, ou objetos. Noconceito de ecto-colo-plasmia veremos que deve incluir certo rudimentarismo na reprodução. O membro ou parte éreproduzido rudimentarmente, imperfeitamente, sem a verdadeira densidade e configuração da realidade que se tratade reproduzir.Transfiguração consiste em uma simples modificação do próprio corpo do dotado. É o próprio dotado revestio deectoplasma e inclusive corporalmente modificado, representando outra pessoa.Formamos a palavra ecto-colo-plasmia simplesmente incluindo na palavra ectoplasmia, o têrmo colo, do grego "kólon"que significa membro de pessoa ou animale, por extensão, parte de um objeto. Ecto-colo-plasmia, etimologicamentesignifica bem o conceito em vista: a telergia condensada e maleável (plasma), exteriorizada (ecto) para formar ummembro ou parte de algum ser (colo).Como sempre, também em ecto-colo-plasmia, a fraude deve ser levada em conta, entretanto, deixar a investigaçãoporque é difícil, dadas as muitas fraudes e querer negar todos os casos de ecto-colo-plasmia, como muitas vezes setem feito, é atitude comodista e pouco científica.Seria interminável enumerar todos os tipos de fraude realizados consciente ou incosncientemente pelos médiuns paratrucar a ecto-colo-plasmia. Finíssimos retalhos de seda, convenientemente desenhados, máscaras dobráveis, balõesde borrachas pintados, que depois se enchem pouco a pouco, e lentamente se esvaziam após a "misteirosa"aparição.Todos estes materiais se escondem facilmente na boca, no salto oco do sapato, etc.Logicamente, devemos incluir em fraudes, todos os casos em que aparecem mãos ou rostos ou qualquer outromembros perfeitos, com circulação sanguínea, viva. E não há dúvida de que são vivos mesmos, ou seja, são fraudes,membros autênticos do próprio médium ou de algum de seus cúmplices.11.15-PIROGÊNESE.Exteriorização e transformação da energia humana (telergia) em energia térmica-calorífica. De tal forma condensadaque provoca fogo espontâneo.12-FENÔMENOS PARANORMAIS DE CONHECIMENTO OU DE EFEITOS PSÍQUICOS:12.1-PSI-GAMMA.Uma derivação das letras gregas “psi”, início da palavra “psiché”, que significa alma; e gama, começo da palavra“gnosis”, que significa conhecimento. Conhecimento prórpio da alma, em contraposição ao conhecimento próprio docorpo. É a percepção consciente das capacitações inconscientes.Faculdade Parapsicológica que ultrapassa o tempo e espaço, possibilitando a telepatia e outros fenômenos; tambémchamada de ESP (Percepção Extra Sensorial) ou Conhecimento da Alma (de Psico- Gnosis, as primeiras letrasgregas). A Parapsicologia demonstra que existe a Psi-Gamma, também chamada de “Percepção Extrasensorial” (ESP).Em todas as épocas e povos há circunstâncias em que se conhecem fatos longínquos e mesmo futuros. Talconhecimento não pode se atribuir aos sentidos.Apesar das grandes dificuldades encontradas; em laboratório se demonstrou que o homem pode manifestarconhecimentos extrasensoriais, tanto para adivinhar pensamentos (telepatia), como acontecimentos físicos(clarividência).Psi-Gamma é inconsciente e incontrolável. Este novo mundo não material (logo, espiritual) descoberto pelaparapsicologia amplia o espaço da realidade. Esta descoberta revoluciona os valores, a conduta humana e asinstituições sociais.Precognição, no sentido estrito, é o conhecimento direto do futuro.Chamamos espontâneos os casos de precognição realizados fora dos laboratórios de Parapsicologia. Nos últimos anostêm-se reconhecido milhares de casos espontâneos de conhecimento paranormal do futuro.A precognição é um aspecto de Psi-Gamma que hoje está científica e absolutamente comprovada. As tragédias oumortes coleticas, naturalmente são mais emotivas em geral do que as mortes particulares e, pelo mesmo motivo,desequilibram mais, facilitando a manifestação da precognição.Os casos mais empolgantes e frequentes são espontâneos. E surgem completamente de improviso. Não é o homemque vai à procura da precognição; é a precognição que encontra o homem e o surpreende. Costumam surgir emcircunstâncias especiais, como durante o sono natural ou em delírios causados pela febre, etc.A precognição é mais fácil (ou menos é difícil) e mais frequente (ou menos rara) com referência a acontecimentosfortemente emocionais: terremotos, suicídios, duelos, mortes, acidentes; ou impressionantes em sentido inverso:coroações de reis, bodas faustosas, vitórias após duras guerras. Entretanto, há precognições também deacontecimentos de pouca importância.Sempre é necessária uma grande dose de desconfiança diante de qualquer suposta faculdade paranormal.Fizeram-se milhares de experiências em laboratórios, cientificamente arquitetadas que demontram sem nenhumadúvida, que de fato, existe no homem, esta fauldade de conhecer o futuro.A ciência internacional examinou de todos os pontos de vista, os resultados obtidos, manifestando em sucessivosCongressos, a constatação da existência da precognição.Tanto pela análise dos casos espontâneos como por comprovações e estudos em laboratórios, a relação entre PG e otempo só pode ser formulada com uma restrição final: PG não depende do tempo, mas só dentro do prazo curto ou"existencial", isto é, pouco mais ou menos dois séculos entre passado e futuro.12.2-PSI-GAMA À DISTÂNCIA.O homem possui uma faculdade de conhecimento capaz de ultrapassar os limites do conhecimento sensorial.Examinando milhares de casos, os parapsicólogos de Duke não encontraram nenhuma vinculação entre distância e oresultado psigâmico.a) Experiências Isoladas: as exeriências feitas à distância de poucos metros existem em grande quantidade. Umgrande número de experiências foi realizado pelo Dr. Riess a uma distância de 500 metros, todas com grandesucesso; agora era necessário experimentar à distância de quilômetros.Um experimento significativo é o da Sra. Sinclair e seu marido Upton, a uma distância de 50 Km. Ela deveriaidentificar o desenho que tinha na mão do seu marido a 50 Km de distância, foram realizados 290 tentativas, com 65êxitos completos, 155 êxitos parciais e somente 70 fracassos. Foi algo assombroso aos pesquisadores a semelhança
  3. 3. entre os desenhos originais de Upton Sinclair e as reproduções de sua esposa feitas à distância.b) Experiências Comparativas: Um grupo de investigadores do Tarkio College, (Missouri) e da Universidade Duke,realizou experiências com diversos sujeitos espalhados por diversos lugares dos EUA. Os investigadores desconheciamos sujeitos com quem estavam fazendo a experiência. As instruções eram enviadas pelo correio, e pelo correio serecebiam as respostas. Os símbolos eram expostos a intervalos convencionados nos gabinetes dos investigadores e ossujeitos deveriam averiguar e anotar imediatamente as cartas que julgassem que estvam sendo expostas em cadamomento combinado.Em todo esse conjunto de experiências, que oscilavam de poucos metros até mil ou mais quilômetros, os resultadosse mostravam independentemente da distância, apreciavelmente idênticos entre si e idênticos aos outros reusltadosobtidos em experiências de laboratório.c)Experiências em dois Continentes: Para tirar qualquer dúvida quanto à possível variação nos reusltados emexperiências feitas a distância ainda maiores, novas experiências foram feitas com sujeitos de outras nações daEuropa e espalhados por pontos dos EUA. O resultado foi o mesmo. Alguns dos sujeitos dessa experiência eram osmesmos de outras experiências anteriores com o Dr. Carrington. Ele comparou os reusltados obtidos com os que asmesmas pessoas haviam obtidos com os que as mesmas pessoas haviam obtido antes e não encontrou diferençasistemática atribuível a distância. Outra série de experiências a enorme distância foi dirigida pelo Dr. Carlo Marchesi,em 1939. Do seu laboratório em Zagreb, Iugoslávia, ele tentava adivinhar as cartas do baralho de Zeher, que outroexperimentador manuseava na Universidade de Duke; concomitantemente, diversos colaboradores da Universidadede Duke tratavam de averiguar os reusltados que eram expostos pelo Dr. Marchesi em Zagreb. Apesar da distância de6.500 quilômetros, os resultados foram altamente significativos, confirmando os resultados anteriores. Concluímos,portanto, que a distância e os obstáculos não exercem influência sobre os reultados. A única coisa que parece influirno caso é a própria faculdade de percepção extrasensorial do sujeito, ou ainda, a sua capacidade de manifestação nasdiversas circunstâncias.12.3-PSI-GAMA E TEMPO.Psi-Gama em relação ao tempo pode ser dividida em alguns aspectos, com o objetivo de facilitar o seu estudo:A)SIMULCOGNIÇÃO.Conhecimento paranormal do presente. É a faculdade de conhecer diretamente um acontecimento que, nesse mesmoinstante está sucedendo, existe ou está sendo pensado. A maioria das experiências e casos relatados até aqueipoderiam ser classificados como Simulcognição. Isto é, o objetivo do conhecimento e o cohecimento são simultâneos.B)RETROCOGNIÇÃO.Conhecimento paranormal do passado. É conhecer um acontecimento do passado de alguém sem que estevoluntariamente exponha tais fatos ou acontecimentos. Poderíamos chamar isto de experiências recalcadas noinconsciente. Tratamos aqui da reconstrução de faots passados, lembrança de marcas incosncientes passadasreproduzidas através de experiências vividas no presente.C)PRECOGNIÇÃO.Conhecimento psigâmico do futuro (sempre um fenômeno incontrolável, involuntário e inconsciente). São poucos oscientistas que se aventuram no campo da Precognição, que consiste na visualização de fatos antes que elesaconteçam. A Precognição parece afrontar o princípio da causalidade. Dizer que o efeito antecede a causa ou quepossa ser conhecido antes que exista a causa é uma afirmação que contradiz todas as leis da Física prática.Em experiências de laboratório, são usados aparelhos que dependem de processos de desagregação radioativa e queportanto representam resultados absolutamente imprevisíveis, como é o caso do aparelho que acende lâmpadas dediversas cores por meio da liberação de partículas de estrôncio 90. Os resultados são então analisados em termosestatísticos de acordo com a quantidade de acertos da seqüência de acendimento das lâmpadas.A Precognição, porém, não pode ser exclusivamente comprovada com uma experiência em laboratório, porque é denatureza inteiramente expontânea.A terceira área de estudo é a pesquisa do fenômeno theta, ou seja, a pesquisa concernente à sobrevivência dapersonalidade após a morte do corpo físico.Esta área conta com o interesse dos parapsicólogos em todo o mundo. De todas as modalidades de pesquisa theta, amais notável, atualmente, é a investigação dos casos que sugerem a reencarnação. Mais de 2 mil casos bemdocumentados já foram levantados no mundo, nos quais ficou patenteada a lembrança de encarnações pregressas.Algumas pessoa que apresentam tais recordações trazem também marcas de nascença e deformidades relacionadascom acidentes ocorridos com a personalidade anterior, que elas afirmam ter sido. Uma grande autoridade nestecampo é o Prof. Ian Stevenson, professor de Psiquiatria e Neurologia na Universidade da Virgínia, EUA.Nessa mesma área, consideramos um fenômeno ainda sem explicação científica. Trata-se da obtenção de vozesgravadas diretamente em fitas magnéticas, cuja origem parece extraterrena. O primeiro a assinalar foi o suecoFridrich Jurgenson, acidentalmente, mas hoje chega a algumas dezenas o número de cientistas empenhados emregistrar e interpretar tais vozes.Uma quarta área a ser destacada seria aquela que estuda as variações das funções paranormais em razão dealterações psicobiofísicas e sociais dos pacientes, nos estados de vigília, de hipnose e sob ação de drogas.

×