SlideShare uma empresa Scribd logo

Teoria de Galileu Galilei

1 de 3
Baixar para ler offline
.




                               .
            GALILEI , GALILEU ( 1564 - 1642 ) (Resumo)
.
      Físico , matemático , astrônomo , filósofo , literato italiano,
nasceu na cidade de Pisa em 15 de Fevereiro de 1564, mesmo ano
da morte do pintor e escultor Michelangelo e do nascimento do
dramaturgo William Shakespeare. Filho de Vicenzo Galilei, músico,
desde cedo,
demonstrou ser bom estudante. Sua família mudou-se para
Florença em 1574 e Galileu foi educado pelos monges do
  mosteiro de Camaldolese, em uma cidade vizinha.
         Em 1581, com apenas 17 anos de idade, Galileu começou a
estudar Medicina na Universidade de Pisa. Seu interesse pela
Medicina nunca evoluiu. Porém era grande seu interesse pela Física
e matemática. Finalmente, em 1585, Galileu abandonou a Medicina..
Foi o criador do método experimental e da dinâmica . Fez estudos
importantíssimos sobre o movimento dos graves e descobriu a lei
do isocronismo do pêndulo . Ensinou matemática em Pisa e em
Pádua e frequentou a corte de Cosimo II de Médicis , como
"filósofo" . Construiu o primeiro óculo e com isso efetuou
extraordinárias descobertas de astronomia , entre as quais os
satélites de Júpiter ( planetas Médicis ) , as fases de Vénus , os
mares da Lua , as manchas do Sol . Defendeu as teorias de
Copérnico , pelo que incorreu na perseguição do Santo Ofício ,
defensor do sistema ptolomaico . Teve um primeiro processo e foi
proibido de continuar a defender o sistema copernicano . Mas não
obedeceu e assim teve novo processo.
      Embora muito doente , foi obrigado a deslocar-se a Roma e
condenado ao cárcere . A pena foi depois comutada em residência
fixa , em Arcetri perto de Florença . Continuou a trabalhar apesar
de ter ficado cego , assistido por muitos alunos entre os quais
Evangelista Torricelli .
.
GALILEI , GALILEU e Teoria de Copérnico
                             ...
      A partir daí deu várias palestras na Academia de Florença por
alguns anos. Fez também experimentos utilizando bolas, barcos de
brinquedo, pêndulos e outros objetos, observando como eles
caíam, flutuavam e oscilavam.
Media e marcava o tempo de seus movimentos, e tentava imaginar
explicações matemáticas para eles.
       Em 1533, o matemático e astrônomo polonês Nicolau
Copérnico publicara sua grande obra - Sobre as Revoluções
dos Corpos Celestes - defendendo a teoria de que a Terra se move
em torno do Sol e não o contrário. Essa teoria seria defendida e
desenvolvida por Galileu e seu contemporâneo Johannes Kepler,
que descreveu a trajetória elíptica dos planetas. A síntese desse
trabalho foi a Teoria da Gravitação Universal, formulada pelo físico
inglês Isaac Newton que por coincidência nasceu em 1642, o
mesmo ano em que Galileu morreu.
     Por ter afirmado que a Terra se move em torno do Sol, Galileu ,
um dos gênios da revolução científica do século 17, foi preso e
obrigado à uma retratação humilhante.
                            ...
     Aos 17 anos, assistindo à uma cerimônia na catedral de Pisa,
observou um lustre que oscilava no teto.
       Controlando o tempo pelos seus próprios batimentos
cardíacos, verificou que o intervalo entre cada oscilação era
sempre o mesmo, não importando a amplitude do movimento.
Repetiu a experiência mais tarde, e sugeriu que essa característica
do pêndulo poderia tornar os relógios mais precisos.
Galileu, ao abandonar a Faculdade de Medicina, foi lecionar em
Florença. Durante os quatro anos em que trabalhou ali, publicou
um trabalho em que descrevia a balança hidrostática, uma invenção
sua. Graças a esse trabalho, tornou-se aos 25 anos, professor de
Matemática, e foi lecionar na Universidade de Pisa.
      Em Pádua, onde viveu dezoito anos - de 1592 a 1610 -
lecionando matemática, já estava convencido do acerto das teorias
de Copérnico sobre a movimentação dos astros, mas em suas
aulas continuava a ensinar que a Terra era o centro do Universo, e
em torno dela giravam planetas e estrelas. Não tinha medo da
Inquisição ainda, pois nessa época a Igreja não dava importância
ao assunto. Conforme confessou numa carta escrita à Kepler,
datada de 1597, temia ser ridicularizado. E tinha razão. A
imobilidade da Terra não era apenas uma teoria defendida pela
tradição da escola de Aristóteles, mas sobretudo parecia
perfeitamente de acordo com o senso comum.Qualquer pessoa
pode observar, diariamente, que o Sol, a Lua e as estrelas se
movimentam; no entanto, nada havia, na época, que pudesse
mostrar o movimento da Terra, sugerido apenas teoricamente em
complicados cálculos matemáticos.
                            ...
   Aponta o telescópio para o céu...
                            ...
      Por volta de 1600, surgiram os primeiros telescópios, na
Holanda, e logo se espalharam por toda a Europa. Galileu construiu
seu próprio telescópio sem nunca ter visto um.
      Bastou-lhe a descrição do instrumento que aparecera em
Veneza. O grande mérito de Galileu foi apontar o seu telescópio
para o céu. Descobriu, assim, tantas coisas novas que em poucos
meses escreveu e publicou o Sidereus Nuncius (O Mensageiro das
Estrelas), com apenas 24 páginas, mas rico em revelações. Relatou
que a Lua não tem superfície lisa, mas está cheia de
irregularidades, como a Terra. Percebeu que a Via Láctea não era
constituída, como dizia Aristóteles, por "exalações celestiais", mas
era um aglomerado de estrelas. Viu uma quantidade muito maior de
estrelas do que era possível a olho nu. E descobriu, também,
quatro satélites girando em torno de Júpiter.
      Galileu observou as irregularidades na superfície da lua ao
apontar seu telescópio para o céu...
      Não havia, ainda, nenhuma prova conclusiva do acerto do
sistema heliocêntrico proposto por Copérnico. Mas ja ficava difícil
admitir que a Terra era o centro do Universo, se havia corpos
girando ao redor de Júpiter. E como acreditar no dogma de que as
estrelas haviam sido criadas para deleite dos homens, se a maior
parte delas era invisível a olho nu?
                             ...
    Galileu e os Diálogos
                             ...
      Em 1632, Galileu publicou os Diálogos sobre os dois maiores
sistemas do mundo - Ptolomeu e Copérnico. A obra reproduzia uma
conversa entre três personagens: Salviati, que defende as teses de
Copérnico; Sagredo, um observador neutro; e Simplicius, defensor
de Aristóteles e Ptolomeu.
       Salviati é sempre brilhante, Sagredo logo abandona a
imparcialidade e passa a apoiá-lo com entusiasmo e Simplicius é
pouco mais que um idiota, ridicularizado do princípio ao fim. Os
Diálogos acabaram proibidos, Galileu foi interrogado diversas
vezes, e mesmo sob ameaça de tortura, não confessou que
acreditava mesmo no que dizia Copérnico. Galileu não confessou, e
recebeu a sentença: os Diálogos ficaram proibidos, Galileu
obrigado a negar a prisão domiciliar.
      Não se pode dizer que fora maltratado materialmente. Sua
prisão era um apartamento de cinco aposentos, com
janelas dando para os jardins do Vaticano, criado particular e
mordomo para cuidar das refeições e do vinho. Seus últimos anos
de vida, na companhia dos discípulos Torricelli e Vicenzo Viviani,
foram dos mais produtivos. Em 1636 terminou Diálogos relativos à
duas novas ciências, obra na qual retoma, de forma ordenada,
observações sobre dinâmica que fora acumulando durante toda a
vida.
      Em 8 de Janeiro de 1642, Galileu morreu. Foi enterrado na
Capela de Santa Croce, em Florença.

Recomendados

Vida e Obra de Galileu Galilei
Vida e Obra de Galileu GalileiVida e Obra de Galileu Galilei
Vida e Obra de Galileu GalileiPedro Ribeiro
 
René Descartes - Roteiro de aula
René Descartes - Roteiro de aulaRené Descartes - Roteiro de aula
René Descartes - Roteiro de aulaRafael Oliveira
 
Galileu Galilei
Galileu GalileiGalileu Galilei
Galileu Galileiedson
 
7 Galileu Galilei
7 Galileu Galilei7 Galileu Galilei
7 Galileu GalileiErica Frau
 
07 Perguntas para você conhecer René Descartes melhor.
07 Perguntas para você conhecer René Descartes melhor.07 Perguntas para você conhecer René Descartes melhor.
07 Perguntas para você conhecer René Descartes melhor.Gabriel Andrade
 
Paradigma = modelo, padrão, exemplo
Paradigma = modelo, padrão, exemploParadigma = modelo, padrão, exemplo
Paradigma = modelo, padrão, exemploThiago Reis
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 05 filosofia início da era cristã e patrística
Aula 05   filosofia início da era cristã e patrísticaAula 05   filosofia início da era cristã e patrística
Aula 05 filosofia início da era cristã e patrísticaElizeu Nascimento Silva
 
Rene descarte
Rene descarteRene descarte
Rene descartesicassia
 
Fé e razão, uma conversa entre a ciência e a religião
Fé e razão, uma conversa entre a ciência e a religiãoFé e razão, uma conversa entre a ciência e a religião
Fé e razão, uma conversa entre a ciência e a religiãoLeandro Nazareth Souto
 
Nivelamento aula 2 (gêneros e tipologia textual)
Nivelamento   aula 2 (gêneros e tipologia textual)Nivelamento   aula 2 (gêneros e tipologia textual)
Nivelamento aula 2 (gêneros e tipologia textual)Éric Santos
 
3 filosofia moderna e iluminista filosofia
3 filosofia moderna e iluminista   filosofia3 filosofia moderna e iluminista   filosofia
3 filosofia moderna e iluminista filosofiaDaniele Rubim
 
GUIA: Plano de Estudo ENEM e Vestibular
GUIA: Plano de Estudo ENEM e VestibularGUIA: Plano de Estudo ENEM e Vestibular
GUIA: Plano de Estudo ENEM e VestibularMissão Universitário
 
A filosofia da existência (2)
A filosofia da existência (2)A filosofia da existência (2)
A filosofia da existência (2)TMSouza123
 
SOREN KIERKEGAARD
SOREN KIERKEGAARDSOREN KIERKEGAARD
SOREN KIERKEGAARDNael.Passos
 
Estruturalismo
EstruturalismoEstruturalismo
Estruturalismomundissa
 
Origem e Difusão do Cristianismo
Origem e Difusão do CristianismoOrigem e Difusão do Cristianismo
Origem e Difusão do CristianismoPatrícia Morais
 

Mais procurados (20)

Aula 05 filosofia início da era cristã e patrística
Aula 05   filosofia início da era cristã e patrísticaAula 05   filosofia início da era cristã e patrística
Aula 05 filosofia início da era cristã e patrística
 
Santo Agostinho
Santo AgostinhoSanto Agostinho
Santo Agostinho
 
Rene descarte
Rene descarteRene descarte
Rene descarte
 
Emile Durkheim
Emile DurkheimEmile Durkheim
Emile Durkheim
 
Fé e razão, uma conversa entre a ciência e a religião
Fé e razão, uma conversa entre a ciência e a religiãoFé e razão, uma conversa entre a ciência e a religião
Fé e razão, uma conversa entre a ciência e a religião
 
Sentido da Vida
Sentido da VidaSentido da Vida
Sentido da Vida
 
Karl jaspers
Karl jaspersKarl jaspers
Karl jaspers
 
Nivelamento aula 2 (gêneros e tipologia textual)
Nivelamento   aula 2 (gêneros e tipologia textual)Nivelamento   aula 2 (gêneros e tipologia textual)
Nivelamento aula 2 (gêneros e tipologia textual)
 
Gírias – usos e preconceitos linguísticos
Gírias – usos e preconceitos linguísticosGírias – usos e preconceitos linguísticos
Gírias – usos e preconceitos linguísticos
 
Materialismo Histórico Dialético
Materialismo Histórico DialéticoMaterialismo Histórico Dialético
Materialismo Histórico Dialético
 
Filosofia medieval slide
Filosofia medieval slideFilosofia medieval slide
Filosofia medieval slide
 
3 filosofia moderna e iluminista filosofia
3 filosofia moderna e iluminista   filosofia3 filosofia moderna e iluminista   filosofia
3 filosofia moderna e iluminista filosofia
 
Alfabetização e ortografia cagliari (1)
Alfabetização e ortografia cagliari (1)Alfabetização e ortografia cagliari (1)
Alfabetização e ortografia cagliari (1)
 
GUIA: Plano de Estudo ENEM e Vestibular
GUIA: Plano de Estudo ENEM e VestibularGUIA: Plano de Estudo ENEM e Vestibular
GUIA: Plano de Estudo ENEM e Vestibular
 
A filosofia da existência (2)
A filosofia da existência (2)A filosofia da existência (2)
A filosofia da existência (2)
 
SOREN KIERKEGAARD
SOREN KIERKEGAARDSOREN KIERKEGAARD
SOREN KIERKEGAARD
 
Estruturalismo
EstruturalismoEstruturalismo
Estruturalismo
 
Existencialismo
ExistencialismoExistencialismo
Existencialismo
 
Análise do discurso
Análise do discursoAnálise do discurso
Análise do discurso
 
Origem e Difusão do Cristianismo
Origem e Difusão do CristianismoOrigem e Difusão do Cristianismo
Origem e Difusão do Cristianismo
 

Destaque

TE - Galileu Galilei
TE - Galileu GalileiTE - Galileu Galilei
TE - Galileu GalileiRonaldy Celso
 
Galileu Galilei & Telescópio
Galileu Galilei & TelescópioGalileu Galilei & Telescópio
Galileu Galilei & Telescópioalicealves
 
Galileu Galilei
Galileu GalileiGalileu Galilei
Galileu GalileiAna Paiva
 
Relatório pêndulo simples turma t5
Relatório pêndulo simples   turma t5Relatório pêndulo simples   turma t5
Relatório pêndulo simples turma t5Roberto Leao
 
História da Astronomia - Galileu Galilei - Parte 5 de 7
História da Astronomia - Galileu Galilei - Parte 5 de 7História da Astronomia - Galileu Galilei - Parte 5 de 7
História da Astronomia - Galileu Galilei - Parte 5 de 7Instituto Iprodesc
 
Galileu Galilei - Cinemática e Dinâmica © Slideshow by Jair LP
Galileu Galilei - Cinemática e Dinâmica © Slideshow by Jair LPGalileu Galilei - Cinemática e Dinâmica © Slideshow by Jair LP
Galileu Galilei - Cinemática e Dinâmica © Slideshow by Jair LPJair Lucio Prados Ribeiro
 
Galileo Galilei
Galileo GalileiGalileo Galilei
Galileo GalileiRei
 
5 descobertas cientificas que mudaram nossas vidas
5 descobertas cientificas que mudaram nossas vidas5 descobertas cientificas que mudaram nossas vidas
5 descobertas cientificas que mudaram nossas vidasCanal Fala Química
 
Galileo galilei powerpoint(2)
Galileo galilei powerpoint(2)Galileo galilei powerpoint(2)
Galileo galilei powerpoint(2)guesta53a5e
 

Destaque (20)

Galileu galilei
Galileu galileiGalileu galilei
Galileu galilei
 
Galileu Galilei Biblioteca
Galileu Galilei BibliotecaGalileu Galilei Biblioteca
Galileu Galilei Biblioteca
 
Galileu galilei
Galileu galileiGalileu galilei
Galileu galilei
 
Galileu
Galileu Galileu
Galileu
 
TE - Galileu Galilei
TE - Galileu GalileiTE - Galileu Galilei
TE - Galileu Galilei
 
Modelo de capa
Modelo de capaModelo de capa
Modelo de capa
 
Espaço
EspaçoEspaço
Espaço
 
Galileu Galilei
Galileu GalileiGalileu Galilei
Galileu Galilei
 
Galileu Galilei & Telescópio
Galileu Galilei & TelescópioGalileu Galilei & Telescópio
Galileu Galilei & Telescópio
 
Galileu Galilei
Galileu GalileiGalileu Galilei
Galileu Galilei
 
Relatório pêndulo simples turma t5
Relatório pêndulo simples   turma t5Relatório pêndulo simples   turma t5
Relatório pêndulo simples turma t5
 
História da Astronomia - Galileu Galilei - Parte 5 de 7
História da Astronomia - Galileu Galilei - Parte 5 de 7História da Astronomia - Galileu Galilei - Parte 5 de 7
História da Astronomia - Galileu Galilei - Parte 5 de 7
 
Galileu Galilei - Cinemática e Dinâmica © Slideshow by Jair LP
Galileu Galilei - Cinemática e Dinâmica © Slideshow by Jair LPGalileu Galilei - Cinemática e Dinâmica © Slideshow by Jair LP
Galileu Galilei - Cinemática e Dinâmica © Slideshow by Jair LP
 
Galileu Galilei Biografia
Galileu Galilei BiografiaGalileu Galilei Biografia
Galileu Galilei Biografia
 
Galileu Galilei
Galileu GalileiGalileu Galilei
Galileu Galilei
 
Galileu
GalileuGalileu
Galileu
 
Galileo Galilei
Galileo GalileiGalileo Galilei
Galileo Galilei
 
5 descobertas cientificas que mudaram nossas vidas
5 descobertas cientificas que mudaram nossas vidas5 descobertas cientificas que mudaram nossas vidas
5 descobertas cientificas que mudaram nossas vidas
 
GALILEU
GALILEUGALILEU
GALILEU
 
Galileo galilei powerpoint(2)
Galileo galilei powerpoint(2)Galileo galilei powerpoint(2)
Galileo galilei powerpoint(2)
 

Semelhante a Teoria de Galileu Galilei

Material OBA Pt.1 - Material de apoio
Material OBA Pt.1 - Material de apoioMaterial OBA Pt.1 - Material de apoio
Material OBA Pt.1 - Material de apoioeing2010
 
Artigo de Divulgação Científica
Artigo de Divulgação Científica Artigo de Divulgação Científica
Artigo de Divulgação Científica João Vitor
 
Galileu Galilei - Alunos Maria Luiza de Melo
Galileu Galilei - Alunos Maria Luiza de MeloGalileu Galilei - Alunos Maria Luiza de Melo
Galileu Galilei - Alunos Maria Luiza de MeloBruce Colombi
 
Biografia de Galileu Galilei
Biografia de Galileu GalileiBiografia de Galileu Galilei
Biografia de Galileu GalileiPIBID HISTÓRIA
 
Introdução e História da astronomia - Aula 1
Introdução e História da astronomia - Aula 1Introdução e História da astronomia - Aula 1
Introdução e História da astronomia - Aula 1Paulo Ricardo Csc
 
Modelos Geocêntrico e Heliocêntrico - Mª Madalena Baptista 7G
Modelos Geocêntrico e Heliocêntrico - Mª Madalena Baptista 7GModelos Geocêntrico e Heliocêntrico - Mª Madalena Baptista 7G
Modelos Geocêntrico e Heliocêntrico - Mª Madalena Baptista 7Gturma7g
 
Módulo V - O caso Galileu - Parte 1
Módulo V - O caso Galileu - Parte 1Módulo V - O caso Galileu - Parte 1
Módulo V - O caso Galileu - Parte 1Bernardo Motta
 
Dinamismo Cultural Nos SéCulos Xvii E Xvii
Dinamismo Cultural Nos SéCulos Xvii E XviiDinamismo Cultural Nos SéCulos Xvii E Xvii
Dinamismo Cultural Nos SéCulos Xvii E XviiSílvia Mendonça
 
I nicolau copérnico
I nicolau copérnicoI nicolau copérnico
I nicolau copérnicoAmorim Albert
 

Semelhante a Teoria de Galileu Galilei (20)

Material OBA Pt.1 - Material de apoio
Material OBA Pt.1 - Material de apoioMaterial OBA Pt.1 - Material de apoio
Material OBA Pt.1 - Material de apoio
 
Galileu Galilei
Galileu Galilei Galileu Galilei
Galileu Galilei
 
Artigo de Divulgação Científica
Artigo de Divulgação Científica Artigo de Divulgação Científica
Artigo de Divulgação Científica
 
Galileu Galilei - Alunos Maria Luiza de Melo
Galileu Galilei - Alunos Maria Luiza de MeloGalileu Galilei - Alunos Maria Luiza de Melo
Galileu Galilei - Alunos Maria Luiza de Melo
 
O modelo de cosmo
O modelo de cosmoO modelo de cosmo
O modelo de cosmo
 
Trabalho galileu galilei
Trabalho galileu galileiTrabalho galileu galilei
Trabalho galileu galilei
 
Biografia de Galileu Galilei
Biografia de Galileu GalileiBiografia de Galileu Galilei
Biografia de Galileu Galilei
 
4 as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica
4   as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica4   as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica
4 as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica
 
Introdução e História da astronomia - Aula 1
Introdução e História da astronomia - Aula 1Introdução e História da astronomia - Aula 1
Introdução e História da astronomia - Aula 1
 
Astronomia.pptx
Astronomia.pptxAstronomia.pptx
Astronomia.pptx
 
Modelos Geocêntrico e Heliocêntrico - Mª Madalena Baptista 7G
Modelos Geocêntrico e Heliocêntrico - Mª Madalena Baptista 7GModelos Geocêntrico e Heliocêntrico - Mª Madalena Baptista 7G
Modelos Geocêntrico e Heliocêntrico - Mª Madalena Baptista 7G
 
Nicolau copérnico
Nicolau copérnicoNicolau copérnico
Nicolau copérnico
 
Trabalho de fisica
Trabalho de fisicaTrabalho de fisica
Trabalho de fisica
 
História da ciência
História da ciênciaHistória da ciência
História da ciência
 
Módulo V - O caso Galileu - Parte 1
Módulo V - O caso Galileu - Parte 1Módulo V - O caso Galileu - Parte 1
Módulo V - O caso Galileu - Parte 1
 
Dinamismo Cultural Nos SéCulos Xvii E Xvii
Dinamismo Cultural Nos SéCulos Xvii E XviiDinamismo Cultural Nos SéCulos Xvii E Xvii
Dinamismo Cultural Nos SéCulos Xvii E Xvii
 
Slide a luneta de galileu
Slide   a luneta de galileuSlide   a luneta de galileu
Slide a luneta de galileu
 
Foco aula1-maria carolina
Foco  aula1-maria carolinaFoco  aula1-maria carolina
Foco aula1-maria carolina
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
I nicolau copérnico
I nicolau copérnicoI nicolau copérnico
I nicolau copérnico
 

Mais de momengtonoticia

A Cebola e a Árvore de Natal
A Cebola e a Árvore de NatalA Cebola e a Árvore de Natal
A Cebola e a Árvore de Natalmomengtonoticia
 
Grandes Pensadores e seus Pensamentos
Grandes Pensadores e seus PensamentosGrandes Pensadores e seus Pensamentos
Grandes Pensadores e seus Pensamentosmomengtonoticia
 
Parapsicologia [Parte 11 ou 12]
Parapsicologia [Parte 11 ou 12]Parapsicologia [Parte 11 ou 12]
Parapsicologia [Parte 11 ou 12]momengtonoticia
 
Parapsicologia [Parte 10]
Parapsicologia [Parte 10]Parapsicologia [Parte 10]
Parapsicologia [Parte 10]momengtonoticia
 
Parapsicologia [Parte 09]
Parapsicologia [Parte 09]Parapsicologia [Parte 09]
Parapsicologia [Parte 09]momengtonoticia
 
Parapsicologia [Parte 08]
Parapsicologia [Parte 08]Parapsicologia [Parte 08]
Parapsicologia [Parte 08]momengtonoticia
 
Parapsicologia [Parte 07]
Parapsicologia [Parte 07]Parapsicologia [Parte 07]
Parapsicologia [Parte 07]momengtonoticia
 
Parapsicologia [Parte 06]
Parapsicologia [Parte 06]Parapsicologia [Parte 06]
Parapsicologia [Parte 06]momengtonoticia
 
Parapsicologia [Parte 05]
Parapsicologia [Parte 05]Parapsicologia [Parte 05]
Parapsicologia [Parte 05]momengtonoticia
 
Parapsicologia [Parte 04]
Parapsicologia [Parte 04]Parapsicologia [Parte 04]
Parapsicologia [Parte 04]momengtonoticia
 
Parapsicologia [Parte 03]
Parapsicologia [Parte 03]Parapsicologia [Parte 03]
Parapsicologia [Parte 03]momengtonoticia
 
Parapsicologia [Parte 02]
Parapsicologia [Parte 02]Parapsicologia [Parte 02]
Parapsicologia [Parte 02]momengtonoticia
 
Parapsicologia [Roteiro]
Parapsicologia [Roteiro]Parapsicologia [Roteiro]
Parapsicologia [Roteiro]momengtonoticia
 
Parapsicologia [Parte 11]
Parapsicologia [Parte 11]Parapsicologia [Parte 11]
Parapsicologia [Parte 11]momengtonoticia
 
Curso de Como Fazer Humor
Curso de Como Fazer HumorCurso de Como Fazer Humor
Curso de Como Fazer Humormomengtonoticia
 
Monstros de Nossa Juventude
Monstros de Nossa JuventudeMonstros de Nossa Juventude
Monstros de Nossa Juventudemomengtonoticia
 
Homens que Mudaram o Mundo
Homens que Mudaram o MundoHomens que Mudaram o Mundo
Homens que Mudaram o Mundomomengtonoticia
 

Mais de momengtonoticia (20)

A Cebola e a Árvore de Natal
A Cebola e a Árvore de NatalA Cebola e a Árvore de Natal
A Cebola e a Árvore de Natal
 
Famosos do século XX
Famosos do século XXFamosos do século XX
Famosos do século XX
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
Grandes Pensadores e seus Pensamentos
Grandes Pensadores e seus PensamentosGrandes Pensadores e seus Pensamentos
Grandes Pensadores e seus Pensamentos
 
Parapsicologia [Parte 11 ou 12]
Parapsicologia [Parte 11 ou 12]Parapsicologia [Parte 11 ou 12]
Parapsicologia [Parte 11 ou 12]
 
Parapsicologia [Parte 10]
Parapsicologia [Parte 10]Parapsicologia [Parte 10]
Parapsicologia [Parte 10]
 
Parapsicologia [Parte 09]
Parapsicologia [Parte 09]Parapsicologia [Parte 09]
Parapsicologia [Parte 09]
 
Parapsicologia [Parte 08]
Parapsicologia [Parte 08]Parapsicologia [Parte 08]
Parapsicologia [Parte 08]
 
Parapsicologia [Parte 07]
Parapsicologia [Parte 07]Parapsicologia [Parte 07]
Parapsicologia [Parte 07]
 
Parapsicologia [Parte 06]
Parapsicologia [Parte 06]Parapsicologia [Parte 06]
Parapsicologia [Parte 06]
 
Parapsicologia [Parte 05]
Parapsicologia [Parte 05]Parapsicologia [Parte 05]
Parapsicologia [Parte 05]
 
Parapsicologia [Parte 04]
Parapsicologia [Parte 04]Parapsicologia [Parte 04]
Parapsicologia [Parte 04]
 
Parapsicologia [Parte 03]
Parapsicologia [Parte 03]Parapsicologia [Parte 03]
Parapsicologia [Parte 03]
 
Parapsicologia [Parte 02]
Parapsicologia [Parte 02]Parapsicologia [Parte 02]
Parapsicologia [Parte 02]
 
Parapsicologia [Roteiro]
Parapsicologia [Roteiro]Parapsicologia [Roteiro]
Parapsicologia [Roteiro]
 
Parapsicologia [Parte 11]
Parapsicologia [Parte 11]Parapsicologia [Parte 11]
Parapsicologia [Parte 11]
 
Curso de Como Fazer Humor
Curso de Como Fazer HumorCurso de Como Fazer Humor
Curso de Como Fazer Humor
 
Noé ou Noach
Noé ou NoachNoé ou Noach
Noé ou Noach
 
Monstros de Nossa Juventude
Monstros de Nossa JuventudeMonstros de Nossa Juventude
Monstros de Nossa Juventude
 
Homens que Mudaram o Mundo
Homens que Mudaram o MundoHomens que Mudaram o Mundo
Homens que Mudaram o Mundo
 

Último

CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxJean Carlos Nunes Paixão
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...azulassessoriaacadem3
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Mary Alvarenga
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...apoioacademicoead
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...excellenceeducaciona
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...azulassessoriaacadem3
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
 
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
 

Teoria de Galileu Galilei

  • 1. . . GALILEI , GALILEU ( 1564 - 1642 ) (Resumo) . Físico , matemático , astrônomo , filósofo , literato italiano, nasceu na cidade de Pisa em 15 de Fevereiro de 1564, mesmo ano da morte do pintor e escultor Michelangelo e do nascimento do dramaturgo William Shakespeare. Filho de Vicenzo Galilei, músico, desde cedo, demonstrou ser bom estudante. Sua família mudou-se para Florença em 1574 e Galileu foi educado pelos monges do mosteiro de Camaldolese, em uma cidade vizinha. Em 1581, com apenas 17 anos de idade, Galileu começou a estudar Medicina na Universidade de Pisa. Seu interesse pela Medicina nunca evoluiu. Porém era grande seu interesse pela Física e matemática. Finalmente, em 1585, Galileu abandonou a Medicina.. Foi o criador do método experimental e da dinâmica . Fez estudos importantíssimos sobre o movimento dos graves e descobriu a lei do isocronismo do pêndulo . Ensinou matemática em Pisa e em Pádua e frequentou a corte de Cosimo II de Médicis , como "filósofo" . Construiu o primeiro óculo e com isso efetuou extraordinárias descobertas de astronomia , entre as quais os satélites de Júpiter ( planetas Médicis ) , as fases de Vénus , os mares da Lua , as manchas do Sol . Defendeu as teorias de Copérnico , pelo que incorreu na perseguição do Santo Ofício , defensor do sistema ptolomaico . Teve um primeiro processo e foi proibido de continuar a defender o sistema copernicano . Mas não obedeceu e assim teve novo processo. Embora muito doente , foi obrigado a deslocar-se a Roma e condenado ao cárcere . A pena foi depois comutada em residência fixa , em Arcetri perto de Florença . Continuou a trabalhar apesar de ter ficado cego , assistido por muitos alunos entre os quais Evangelista Torricelli . . GALILEI , GALILEU e Teoria de Copérnico ... A partir daí deu várias palestras na Academia de Florença por alguns anos. Fez também experimentos utilizando bolas, barcos de brinquedo, pêndulos e outros objetos, observando como eles caíam, flutuavam e oscilavam. Media e marcava o tempo de seus movimentos, e tentava imaginar explicações matemáticas para eles. Em 1533, o matemático e astrônomo polonês Nicolau Copérnico publicara sua grande obra - Sobre as Revoluções
  • 2. dos Corpos Celestes - defendendo a teoria de que a Terra se move em torno do Sol e não o contrário. Essa teoria seria defendida e desenvolvida por Galileu e seu contemporâneo Johannes Kepler, que descreveu a trajetória elíptica dos planetas. A síntese desse trabalho foi a Teoria da Gravitação Universal, formulada pelo físico inglês Isaac Newton que por coincidência nasceu em 1642, o mesmo ano em que Galileu morreu. Por ter afirmado que a Terra se move em torno do Sol, Galileu , um dos gênios da revolução científica do século 17, foi preso e obrigado à uma retratação humilhante. ... Aos 17 anos, assistindo à uma cerimônia na catedral de Pisa, observou um lustre que oscilava no teto. Controlando o tempo pelos seus próprios batimentos cardíacos, verificou que o intervalo entre cada oscilação era sempre o mesmo, não importando a amplitude do movimento. Repetiu a experiência mais tarde, e sugeriu que essa característica do pêndulo poderia tornar os relógios mais precisos. Galileu, ao abandonar a Faculdade de Medicina, foi lecionar em Florença. Durante os quatro anos em que trabalhou ali, publicou um trabalho em que descrevia a balança hidrostática, uma invenção sua. Graças a esse trabalho, tornou-se aos 25 anos, professor de Matemática, e foi lecionar na Universidade de Pisa. Em Pádua, onde viveu dezoito anos - de 1592 a 1610 - lecionando matemática, já estava convencido do acerto das teorias de Copérnico sobre a movimentação dos astros, mas em suas aulas continuava a ensinar que a Terra era o centro do Universo, e em torno dela giravam planetas e estrelas. Não tinha medo da Inquisição ainda, pois nessa época a Igreja não dava importância ao assunto. Conforme confessou numa carta escrita à Kepler, datada de 1597, temia ser ridicularizado. E tinha razão. A imobilidade da Terra não era apenas uma teoria defendida pela tradição da escola de Aristóteles, mas sobretudo parecia perfeitamente de acordo com o senso comum.Qualquer pessoa pode observar, diariamente, que o Sol, a Lua e as estrelas se movimentam; no entanto, nada havia, na época, que pudesse mostrar o movimento da Terra, sugerido apenas teoricamente em complicados cálculos matemáticos. ... Aponta o telescópio para o céu... ... Por volta de 1600, surgiram os primeiros telescópios, na Holanda, e logo se espalharam por toda a Europa. Galileu construiu seu próprio telescópio sem nunca ter visto um. Bastou-lhe a descrição do instrumento que aparecera em Veneza. O grande mérito de Galileu foi apontar o seu telescópio para o céu. Descobriu, assim, tantas coisas novas que em poucos meses escreveu e publicou o Sidereus Nuncius (O Mensageiro das Estrelas), com apenas 24 páginas, mas rico em revelações. Relatou que a Lua não tem superfície lisa, mas está cheia de
  • 3. irregularidades, como a Terra. Percebeu que a Via Láctea não era constituída, como dizia Aristóteles, por "exalações celestiais", mas era um aglomerado de estrelas. Viu uma quantidade muito maior de estrelas do que era possível a olho nu. E descobriu, também, quatro satélites girando em torno de Júpiter. Galileu observou as irregularidades na superfície da lua ao apontar seu telescópio para o céu... Não havia, ainda, nenhuma prova conclusiva do acerto do sistema heliocêntrico proposto por Copérnico. Mas ja ficava difícil admitir que a Terra era o centro do Universo, se havia corpos girando ao redor de Júpiter. E como acreditar no dogma de que as estrelas haviam sido criadas para deleite dos homens, se a maior parte delas era invisível a olho nu? ... Galileu e os Diálogos ... Em 1632, Galileu publicou os Diálogos sobre os dois maiores sistemas do mundo - Ptolomeu e Copérnico. A obra reproduzia uma conversa entre três personagens: Salviati, que defende as teses de Copérnico; Sagredo, um observador neutro; e Simplicius, defensor de Aristóteles e Ptolomeu. Salviati é sempre brilhante, Sagredo logo abandona a imparcialidade e passa a apoiá-lo com entusiasmo e Simplicius é pouco mais que um idiota, ridicularizado do princípio ao fim. Os Diálogos acabaram proibidos, Galileu foi interrogado diversas vezes, e mesmo sob ameaça de tortura, não confessou que acreditava mesmo no que dizia Copérnico. Galileu não confessou, e recebeu a sentença: os Diálogos ficaram proibidos, Galileu obrigado a negar a prisão domiciliar. Não se pode dizer que fora maltratado materialmente. Sua prisão era um apartamento de cinco aposentos, com janelas dando para os jardins do Vaticano, criado particular e mordomo para cuidar das refeições e do vinho. Seus últimos anos de vida, na companhia dos discípulos Torricelli e Vicenzo Viviani, foram dos mais produtivos. Em 1636 terminou Diálogos relativos à duas novas ciências, obra na qual retoma, de forma ordenada, observações sobre dinâmica que fora acumulando durante toda a vida. Em 8 de Janeiro de 1642, Galileu morreu. Foi enterrado na Capela de Santa Croce, em Florença.