O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

TS Trat Térmico Moldes ABM Fev2010

827 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre Tratamento Térmico, no Workshop do Moldes ABM em fev/2010, por Luiz Roberto Hirschheimer, da TS.

Publicada em: Negócios, Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

TS Trat Térmico Moldes ABM Fev2010

  1. 1. Qualidade na prestação de serviços de tratamentos térmicos para ferramentas Luiz Roberto Hirschheimer (gerente técnico e de apoio ao cliente)
  2. 2. Pensemos num exemplo : -T.T. de um inserto de porte médio para a injeção de plásticos: -peso líquido do inserto................360 kg -peso do bloco de aço original......650 kg -aço utilizado................................AISI H13 “premium”
  3. 3. Custos envolvidos : <ul><li>870 h de usinagem (pré + pós T.T.).............R$ 87.000,00 (~71%) </li></ul><ul><li>650 kg de aço AISI H13 “premium”.............R$ 32.500,00 (~26%) </li></ul><ul><li>360 kg para temperar e revenir......................R$ 3.600,00 (~ 3%) </li></ul><ul><li>Total...............................................................R$ 123.100,00 </li></ul>
  4. 4. <ul><li>O problema : </li></ul><ul><li>Controle de Qualidade .....geralmente, a aprovação de uma ferramenta submetida a T.T., se resume a testes da dureza superficial. </li></ul><ul><li>testes da dureza superficial .....não trazem informações precisas sobre outras propriedades muito importantes, tais como, a tenacidade, a resistência mecânica a quente, o tamanho do grão, etc. </li></ul><ul><li>Após a aprovação do teste de dureza (Controle de Recebimento da Ferramentaria) .....a ferramenta recebe as operações finais de usinagem e de acabamento, executam-se os “try-outs” necessários e, por fim, ela é encaminhada ao usuário final. </li></ul><ul><li>Se o prestador de serviços de T.T. utilizou-se de “mágicas”, só p’rá chegá na dureza que o kára pediu, é na produção que o bicho pega ! </li></ul>
  5. 5. Como qualificar um prestador de serviços de tratamentos térmicos ?
  6. 6. <ul><li>Pela confiabilidade: </li></ul><ul><li>(competência para realizar o serviço prometido de modo correto, seguro e preciso) </li></ul><ul><li>Ela é transmitida por clientes satisfeitos, que recomendarão o tratador térmico a seus pares. </li></ul><ul><li>Enquanto grandes lotes de pequenas ferramentas (idênticas) podem ser analisados, “até a alma”, pelo próprio cliente, ferramentas de grande porte (únicas) somente apresentarão bom desempenho se, dentre vários outros fatores, o tratamento térmico tiver sido realizado com competência. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Pela credibilidade: </li></ul><ul><li>(experiência técnica, comercial e administrativa do tratador térmico – honestidade é primordial) </li></ul><ul><li>Os resultados do tratamento térmico, descritos no Certificado de Qualidade, precisam representar a garantia de um serviço bem feito. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Pela compreensão do problema: </li></ul><ul><li>(Conhecer os clientes e suas necessidades) </li></ul><ul><li>O cliente precisa de um tratador térmico que compreenda as funções e as condições de trabalho da ferramenta. Não é suficiente saber, apenas, “endurecer o material”. </li></ul><ul><li>Ferramentas idênticas, poderão ter desempenhos (histórico e vida útil) diferentes, mesmo que apresentem durezas superficiais iguais. Deformações, polibilidade, resistência à corrosão, tenacidade, resistência mecânica a quente, etc, podem ser significativamente influenciadas por pequenos detalhes do tratamento térmico aplicado. </li></ul>

×