Bioquimica

600 visualizações

Publicada em

metabolismo

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
600
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bioquimica

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ – UFPI CAMPUS SENADOR HELVÍDIO NUNES DE BARROS CURSO: BACHARELADO EM ENFERMAGEM PRINCÍPIOS DA REGULAÇÃO METABÓLICA
  2. 2. HOMEOSTASIA
  3. 3. [S] GLICOSE NO SANGUE
  4. 4. DIFERENCIAÇÃO CELULAR
  5. 5. REGULAÇÃO DA QUANTIDADE DE UMA ENZIMA E SUAATIVIDADE
  6. 6. GLICÓLISE E GLICONEOGÊNESE
  7. 7.  Hexocinase – conversão de glicose em glicose-6-fosfato. REAÇÕES EXERGÔNICAS
  8. 8.  Esta só está ativa quando a concentração de glicose no sangue é muito elevada.  No fígado, a glicose é convertida em glicogênio.  A hexocinase é regulada alostericamente pelo produto da sua própria reação.
  9. 9.  Fosfofrutocinase-1 - conversão de frutose-6- fosfato com o gasto de uma molécula de ATP para formar frutose-1,6-bibisfosfato e ADP. REAÇÕES EXERGÔNICAS
  10. 10.  A fosfofrutoquinase é uma enzima reguladora, como a hexoquinase.  A fosfofrutoquinase tem sua atividade acelerada sempre que as taxas de ATP tornam-se baixas ou há um excesso dos produtos de hidrólise do ATP, ADP e AMP, principalmente este último.  Ela é inibida sempre que as células estão bem supridas de ATP e outros compostos, tais como, citrato e os ácidos graxos.
  11. 11.  Piruvato-cinase - há transferência do grupo fosfato do fosfoenolpiruvato para uma molécula de ADP, formando-se então uma molécula de ATP e piruvato. REAÇÕES EXERGÔNICAS
  12. 12.  Altas concentraçoes de ATP, acetil-CoA e acidos graxos de cadeia longa inibem alostericamente todas as isoenzimas do piruvato-cinase.
  13. 13. IRREGULAÇÃO GLICOSE  Diabetes Mellitus é uma doença do metabolismo da glicose causada pela falta ou má absorção de insulina.  Diabetes tipo I;  Diabetes tipo II;  Diabetes gestacional.
  14. 14. METABOLISMO GLICOGÊNIO Glicogênio (animais) [Glicose] Amido (plantas) 10% (peso) 1-2%
  15. 15. DEGRADAÇÃO DO GLICOGÊNIO O glicogênio é degradado pela ação conjunta de três enzimas:  Glicogênio-fosforilase;  Enzima de desramificação;  Fosfoglicomutase;
  16. 16. Glicogênio-fosforilase Cliva uma ligação com fosfato inorgânico (Pi). Esta enzima só cliva resíduos de glicose que estejam a mais de 4 resíduos de distância de uma ramificação.
  17. 17. Há uma transferência de resíduos de glicose de um ramo limite para outro ramo. O último resíduo da ramificação é eliminado, resultando uma glicose livre e um glicogênio desramificado. Enzima de desramificação
  18. 18. Catalisa a isomerização de glicose-1-fosfato a glicose-6-fosfato, e inversamente; Fosfoglicomutase
  19. 19. A GLICOGENIO-FOSFORILASE TEM REGULAÇAO ALOSTERICA E HORMONAL Glicogênio-fosforilase do músculo esquelético existe em duas formas interconversíveis:  Glicogenio-fosforilase a  Glicogênio-fosforilase b
  20. 20.  A enzima fosforilase-b-cinase é responsável por converter Glicogenio- fosforilase a em Glicogênio-fosforilase b ou o inverso.  Isso é feito através da transferência de um grupo fosforil para Serina (Ser).  Esse enzima é regulada por adrenalina (mais ativa) ou glucagon (menos ativa)
  21. 21.  A epinefrina (músculo) ou glucagon (fígado) estimula a concentração de cAMP.  O aumento na concentração de cAMP ativa a proteína quinase (PKA).  PKA ativa a fosforilase b quinase -> fosforilização de serina-> quebra do glicogênio
  22. 22. GLICOGÊNIO-SINTASE TAMBÉM É REGULADO POR FOSFORILAÇÃO E DESFOSFORILAÇÃO.  Forma ativa => glicogênio-sintase a.  Glicogênio-sintase b inativo na ausência de glicose.  A cinase reguladora mais importante é a GSK3.
  23. 23. Referências:  Fundamentos de bioquímica pdf. Ricardo Vieira. Belém, 2003.  Princípios de bioquímica de Lehninger. David L. Nelson, Michael M. Cox. 5 ed. Porto alegre: artemed, 2011.  http://drauziovarella.com.br/diabetes/diabet es/
  24. 24. OBRIGADO !!

×