Aula de logística

2.042 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.042
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
58
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula de logística

  1. 1. AULA DELOGÍSTICA/PRODUÇÃO
  2. 2. SISTEMAS DE PRODUÇÃO“São aqueles que têm por objetivo a fabricação de bens manufaturados, prestação de serviços ou o fornecimento de informações.” (MARTINS, 2005)
  3. 3. TIPOS DE PROCESSOSExistem várias formam de classificar os sistemas deprodução, principalmente em função do fluxo do produto.Tradicionalmente , os sistemas de produção são agrupadosem três grandes categorias:
  4. 4. TIPOS DE PROCESSOS Produção continua ou fluxo em linha; Produção por lotes ou por encomenda (fluxo intermitente); Produção de grandes projetos sem repetição
  5. 5. SISTEMA DE PRODUÇÃO CONTINUA OU FLUXO EM LINHA Este sistema tem perfil de um fluxo em linha apresentam uma seqüência linear para fazer o produto ou serviço, Os produtos são bastante PADRONIZADOS e fluem de um posto de trabalho a outro numa seqüência prevista. Produção em massa ou produção continua propriamente dita.
  6. 6. TIPOS DE PROCESSOSLINHA DE PRODUÇÃO
  7. 7. PRODUÇÃO POR LOTES OU POR ENCOMENDA (JOB SHOP) FLUXO INTERMITENTE Neste sistema a produção é feita em lotes. Ao término da fabricação do lote de um produto outros produtos tomam o seu lugar nas máquinas. O produto original só voltará a ser feito depois de algum tempo, caracterizando-se assim uma produção intermitente de cada um dos produtos.
  8. 8. TIPOS DE PROCESSOS Produção por Encomenda
  9. 9. PRODUÇÃO DE GRANDES PROJETOS SEM REPETIÇÃO Na verdade, cada projeto é um produto único, Não havendo, rigorosamente falando, um fluxo do produto. Nesse caso, tem-se uma seqüência de tarefas ao longo do tempo, geralmente de longa duração, com pouca ou nenhuma repetividade.Uma característica marcante dos projetos é o seu alto custo e a dificuldade gerencial no planejamento e controle. Exemplo: Construção de Navios, Aviões e grandes estruturas.
  10. 10. TIPOS DE PROCESSOSGrandes projetos sem repetição
  11. 11. TIPOS DE TRANSFORMAÇÃO ProjetoBaixos Volumes de Altos Produto
  12. 12. TIPOS DE SERVIÇO1. Serviços profissionais: alto contato, alta customização, alto usa de pessoas.Ex.: Consultores, Advogados, Arquitetos.2. Serviço de massa: alto volume, baixa customização.Ex.: Supermercados, Aeroportos.3. Lojas de serviço: alto contato, customização.Ex.: Lojas comerciais; Restaurantes, Hotéis.
  13. 13. RESULTADOS APÓS TRANSFORMAÇÃO DOS SISTEMA SÃO: Bens Serviços • Tangíveis • Intangíveis • Podem ser estocados • Não podem ser estocados • Nenhuma interação entre cliente e processo • Interação direta entre cliente e processo1-6
  14. 14. PRODUTOS SÃO UM “FEIXE” DE BENS E SERVIÇOS 100% 100% Bens hotéis Serviços consultoria % bens nane_isa@live.com  alimentos % serviços carros1-7
  15. 15. PREVISÃO/DEMANDA
  16. 16. ELEMENTOS DE UMA BOA PREVISÃO Oportuna Confiável Exata r es as a d us da ativ Escrita de n i ic U if il n ác s ig F
  17. 17. PREVISÃO O que é uma Previsão de Vendas??? Qual o significado desta palavra??
  18. 18. DEFINIÇÃO DE PREVISÃO“Uma previsão é uma avaliação de eventos futuros utilizada para fins de planejamento”. (Ritzman, 2008)
  19. 19. DEFINIÇÃO DE PREVISÃO“Processo metodológico para determinação de dadosfuturos baseados em modelos estatísticos,matemáticos ou econométricos ou ainda em modelossubjetivos apoiados em uma metodologia de trabalhoclara e previamente definida.” (Martins, 2005)
  20. 20. DEMANDA Planejar é uma atividade comum a qualquer tipo de empresa,independente de tamanho ou de ramo a que se dedique. (MOREIRA,1998)
  21. 21. DEMANDA É uma solução de coleta de dados que permite a obtenção de informações relativas aos produtos vendidos pela empresa.
  22. 22. DEMANDAA demanda é um processo racional de busca de informações acerca do valor das vendas futuras de um item ou de um conjunto de itens.
  23. 23. COMPONENTES DA DEMANDA A demanda por produtos ou por serviços pode ser dividida em cinco componentes:a. Demanda média para o período;b. Tendências;c. Influência sazonal; Vejo que você vaid. Elementos cíclicos; tirar 10 neste semestre.e. Variação aleatória.
  24. 24. DEMANDAPREVISÃO DA DEMANDAAs técnicas podem ser classificadas em trêscategorias gerais: Qualitativas; Análise de séries temporais; Modelos Causais.
  25. 25. AS TÉCNICAS DE PREVISÃO E MODELOS MAIS COMUNSI. Qualitativo;Subjetivo, opinativo. Baseado em intuição, em estimativas e em opiniões.(Ex.:Pesquisa de Mercado e Analogia)II. Análise de Séries Temporais;Baseada na idéia de que a história dos acontecimentos ao longo do tempo pode ser usada para prever o futuro.(Ex.:Média Móvel Simples e Projeção de Tendência)III. CausalTenta compreender o sistema que envolve o item a ser previsto.Por exemplo, as vendas podem ser afetadas pela Qualidade, pela propaganda, pela concorrência.
  26. 26. PREVISÃO DA DEMANDA
  27. 27. PREVISÃO DA DEMANDA QUALITATIVAS As técnicas qualitativas são subjetivas ou optativas por natureza e são baseadas em estimativas e em opiniões de pessoas chaves (CHOPRA; MEINDL, 2011) Se utiliza quando não existem dados disponíveis.
  28. 28. PREVISÕES BASEADAS EM JULGAMENTOS - QUALITATIVAS  Opiniões de executivos;  Portfólio da força de vendas;  Pesquisas de opinião do consumidor;  Opiniões de fora;  Opiniões de gerentes e funcionários;  Método Delphi
  29. 29. PREVISÃO DA DEMANDA QUALITATIVAS – EXEMPLO1. Quando o produto é novo no mercado - neste caso não existem dados históricos para serem analisados;2. Em ambientes instáveis - mudanças econômicas, governamentais, tecnológicas,entre outras, são difíceis de se prever utilizando métodos quantitativos;3. Previsões de longo prazo - quanto maior o horizonte de tempo da previsão, maior a possibilidade de mudanças no cenário em questão.
  30. 30. PREVISÃO DA DEMANDAQUALITATIVAS - VANTAGENSAs técnicas qualitativas têm como vantagem acapacidade de predizer possíveis mudanças nospadrões futuros, pois possuem como fontes ojulgamento de pessoas experientes, indivíduosligados ao setor de vendas, peritos externos e asopiniões dos próprios consumidores.
  31. 31. PREVISÃO DA DEMANDA QUALITATIVAS - EXEMPLO Pesquisas de mercado e testes de mercado (degustações, test-drive) Analogia histórica (pesquisar dados da demanda de produtos similares ao qual se deseja prever a demanda)
  32. 32. II. PREVISÕES BASEADAS EM SÉRIES TEMPORAIS Tendência - movimento dos dados de longo prazo; Sazonalidade - variações regulares de curto prazo nos dados; Variações irregulares – devidas a circunstâncias não usuais; Variações aleatórias – devidas ao acaso.
  33. 33. PREVISÃO DA DEMANDA ANÁLISE DE SÉRIES TEMPORAIS Este tipo se baseia em dados do passado serve para prever demanda futura. Em outras palavras, a tendências que gerou a demanda no passado continuará gerando a demanda futura.
  34. 34. VARIAÇÕES DE PREVISÃO Variação irregular Tendência Cycles 90 89 88 Variações sazonais
  35. 35. PREVISÃO DA DEMANDAANÁLISE DE SÉRIES TEMPORAIS
  36. 36. FORMAS DE EVOLUÇÃO DE CONSUMO• Modelo de evolução sazonal, possuioscilações regulares, que tanto podem serpositivas quanto negativas; ele é sazonal,quanto no desvio é no mínimo 25 % do que oconsumo médio. Consumo Consumo efetivo Qtd Consumo médio 50% Tempo perído
  37. 37. MÉTODOS POR MÉDIAPrevisões IngênuasMédias MóveisAjustamento Exponencial
  38. 38. PREVISÃO DA DEMANDA MODELOS CASUAIS Admitem que a demanda está relacionada com algum fator fundamental ou fatores no meio ambiente, e que ocorrem relacionamentos de causa e efeitos.
  39. 39. OUTROS MÉTODOS Estimativas da equipe de Vendas; Opinião dos executivos; Pesquisa de Mercado.
  40. 40. PASSOS NO PROCESSO DE PREVISÕES “A previsão” Passo 6 Monitorar a previsão Passo 5 Preparar a previsão Passo 4 Coligir e analisar dados Passo 3 Selecionar um método de previsão Passo 2 Estabelecer um horizonte temporal Passo 1 Determinar o objetivo da previsão
  41. 41. PREVISÕES INGÊNUAS Uh, dê-me um minuto.... Vendemos 250 rodas na semana passada.... Portanto, na próxima semana, devemos vender....
  42. 42. COMPARAÇÕES DAS TÉCNICAS DE PREVISÃO DE DEMANDA Horizonte Complexidade Precisão do DadosTécnica de Tempo do Modelo Modelo NecessárioQualitativa Longo Alta Variável Muitos SériesTemporais Curto/Longo Muito Baixa Média Poucos Causal Longo Adequada Alta Muitos
  43. 43. PROCESSO DE PREVISÃO
  44. 44. DEMANDA DEPENDENTE E INDEPENDENTE  A definição mais objetivas que temos é: A Demanda independente não se relaciona com os demais itens, ou seja, uns com outros e, desta forma, as quantidades necessárias devem ser determinadas separadamente ou independentes
  45. 45. DEMANDA DEPENDENTE E INDEPENDENTE Para determinar as quantidades para Demanda Independente devemos utilizar a Previsão de Demanda.
  46. 46. DEMANDA DEPENDENTE E INDEPENDENTE Na demanda dependente , a necessidade por qualquer item é um resultado direto da necessidade por qualquer outro item, normalmente um item de nível mais alto do qual ele é componente, OU SEJA:
  47. 47. DEMANDA DEPENDENTE E INDEPENDENTE Uma montadora de carro planeja produzir 500 unidades nesta semana, então são necessários 2.000 pneus . O Número de pneus e rodas necessários é dependente do nível de produção de carros, e não deriva separadamente.
  48. 48. FATORES QUE INFLUENCIAM OCOMPORTAMENTO DECONSUMO•Influências políticas;•Influências sazonais;•Alteração no comportamento dos clientes;•Preços competitivos dos concorrentes;•Novas marcas no mercado.
  49. 49. Como apurar o consumo?• Após a entrada do pedido.Somente é possível nos casos de prazo de fornecimento longo.• Através de métodos estatísticos. Trata-se do método mais utilizado. Calcula-se as previsões através dos valores do passado, ou seja, de dados obtidos anteriormente.
  50. 50. LEITURA COMPLEMENTAR LISTA DE MATERIAIS Administração da Produção e operações Autor:Ritzman, a Larry P. pg 260 e 280, ano: 2008 Nº Chamada 658.5 R512a; Administração da Produção , Autor: Martins, Petrônio Garcia, ano: 2005 Nº Chamada: 658.5 M345a 2.ed – pg.225 á 258. 50
  51. 51. INTRODUÇÃO 51
  52. 52. PCP/PPCP INTRODUÇÃO  Programação e Controle da Produção; Planejamento Programação e Controle de Produção. 52
  53. 53. PPCP INTRODUÇÃOÉ o departamento que permite a continuidade dos processos produtivos na indústria 53
  54. 54. PPCP INTRODUÇÃOControla a atividade de decidir sobreo melhor emprego dos recursos deprodução, assegurando, assim, aexecução do que foi previsto notempo e quantidade certa e com osrecursos corretos. 54
  55. 55. Em resumo, o PPCP PCP (Programação e Controle de Produção) ou também conhecido como PPCP (Planejamento,Programação e Controle da Produção) trata dados de diversas áreas como: Comercial; Produção; Logística; Qualidade; Manutenção; P&D; RH.Transforma-os em informações, suporte à produção para que o produto seja entregue na data e quantidade solicitada. 55
  56. 56. PPCP Transforma-os em informações, suporte à produção para que o produto seja entregue na data, quantidade solicitada, qualidade deseja e dentro dos custos estimados. 56
  57. 57. COMERCIAL / MARKETINGProduçãoQualidade PPCP Finanças P&D 57
  58. 58. ORGANOGRAMA UTILIZADO NA INDUSTRIA 58
  59. 59. ATIVIDADES DE PCP 59
  60. 60. PPCP 60
  61. 61. PPCPEngenharia do Produto PlanejamentoEngenharia do Processo Estratégico da ProduçãoCompras Planejamento-Mestre da ProduçãoMarketing Programação daFinanças ProduçãoRecursos Humanos Acompanhamento e Controle da ProduçãoManutenção 61
  62. 62. AS SETE PERGUNTAS DO PPCP 1° O que produzir?; 2° Quanto produzir?; 3° Onde produzir?; 4° Como produzir?; 5° Quando produzir?; 6° Com o que produzir?; 7° Com quem produzir? 62
  63. 63. NÍVEIS HIERÁRQUICOS DO PCP 63
  64. 64. NÍVEIS HIERÁRQUICOS DO PCP Nível estratégico: políticas estratégicas de longo prazo, formula o planejamento estratégico da produção e gera o plano de produção Níveltático: planos de médio prazo, formula o planejamento-mestre da produção e gera o plano mestre de produção (PMP) Níveloperacional: programas e acompanhamentos de curto prazo, prepara a programação da produção e executa o acompanhamento e controle da produção 64
  65. 65. NÍVEIS HIERÁRQUICOS DO PCP 65
  66. 66. ATIVIDADES BÁSICAS DO PPCP Carteira De Pedidos E/ou Planejamento Previsão De Vendas Planejamento Agregado da Necessidade da Produção de Recursos Programa Mestre Planejamento da Produção da CapacidadeRoteiros Lista de (Rough Cut)de Produção Materiais Planejamento das Necessidades de Materiais Planejamento e Controle Programação da Capacidade da Produção Controle 66 dos Estoques Controle da Produção Pires (1995)
  67. 67. Décadas de 70 e 80: Automação das funções dos negóciosENTRADA CONTAS DISTRI- CONTAS BUIÇÃO PRODUÇÃO A PAGAR COMPRASDE PEDIDOS A RECEBER CLIENTE ORGANIZAÇÃO FORNECEDORES 1990 até 2000: Automação dos processos básicos de negóciosENTRADA CONTAS DISTRI- CONTAS PRODUÇÃO COMPRASDE PEDIDOS A RECEBER BUIÇÃO A PAGAR CLIENTE ORGANIZAÇÃO FORNECEDORES 1996 em diante: Automação dos Relacionamentos CLIENTE ORGANIZAÇÃO FORNECEDORES 67 CONHECIMENTO
  68. 68. ATIVIDADE EM GRUPO1. Desenhar um organograma definindo onde o PCP se encontra dentro de uma empresa, industria ou organização;2. Descrever suas responsabilidades e Atividades;3. Qual a função de um Engenheiro no setor de PPCP;4. Quais departamento se comunica com PPCP durante a gestão;5. Tipos de MRP ou ERP sua empresa utiliza ou já utilizou. 68
  69. 69. LEITURA COMPLEMENTAR CONCEITOS E FUNÇÕES DE PPCP Administração da Produção , Autor: Martins, Petrônio Garcia, ano: 2005 Nº Chamada: 658.5 M345a 2.ed – pg.210 á 224.

×