SlideShare uma empresa Scribd logo
Direito do Trabalho: prova do TST comentada
                                         Direito do Trabalho
                                   Prova do TST (2007) comentada
                                             Cespe/UnB

                                         Analista Judiciário

1) No tocante a carteira de trabalho e previdência social (CTPS), julgue os itens que se
seguem.

138. Ao contratar empregado em localidade onde é emitida a CTPS, o empregador deve,
obrigatoriamente, anotar no respectivo documento, no prazo de 48 horas, a data de
admissão, a remuneração e as condições especiais, se houver.

139. A CTPS é obrigatória para o exercício de qualquer emprego, excetuados os de caráter
temporário.

140. Esgotando-se o espaço destinado a registros e anotações, o interessado deve obter
outra CTPS, hipótese na qual se conserva a série da anterior, alterando-se apenas o número
respectivo.

141. É autorizado ao empregador efetuar anotações desabonadoras ao empregado em sua
CTPS.

Gabarito Comentado:
         138 - certa. O art. 29 da CLT dispõe que a CTPS será obrigatoriamente apresentada contra recibo
pelo trabalhador ao empregador que o admitir, o qual terá o prazo de 48 horas para nela anotar: a data de
admissão, a remuneração e as condições especiais, se houver.
         139 - errada. A assinatura da CTPS é obrigatória para o exercício de trabalho temporário, conforme
dispõe o art. 13 da CLT.
         140 - errada. O número respectivo não será alterado conforme dispõe o art. 21 da CLT.
         141 - errada. O art. 29 da CLT em seu parágrafo 4º, veda expressamente anotações desabonadoras
em relação à conduta do empregado em sua CTPS. O descumprimento desta norma dará direito ao empregado
a receber indenização por dano moral.

2) Com relação ao Direito do Trabalho, julgue os itens a seguir.

142. Convenção coletiva de trabalho é o acordo de caráter normativo firmado por uma ou
mais empresas da correspondente categoria econômica e pelo sindicato representativo da
categoria profissional, em que são estipuladas condições de trabalho aplicáveis no âmbito
da empresa ou das empresas convenentes às respectivas relações individuais do trabalho.

143. As convenções coletivas de trabalho devem conter obrigatoriamente a designação dos
sindicatos convenentes;o prazo de vigência; as categorias ou classes de trabalhadores
abrangidos pelos respectivos dispositivos; as condições ajustadas para reger as relações
individuais de trabalho durante sua vigência; as normas para a conciliação das divergências
surgidas entre convenentes por motivos da aplicação de seus dispositivos; as disposições
sobre o processo de sua prorrogação e de revisão total ou parcial de seus dispositivos; os
direitos e deveres dos empregados e empresas; as penalidades para os sindicatos
convenentes, os empregados e as empresas em caso de violação de seus dispositivos.



www.editoraferreira.com.br                            -1-                                  Déborah Paiva
Direito do Trabalho: prova do TST comentada

144. É de responsabilidade do empregador o pagamento da indenização devida em face de
paralisação temporária ou definitiva do trabalho motivada diretamente pela promulgação de
lei que impossibilite a continuação da atividade.

145. Salvo quando houver sido instaurado procedimento especial para a ação fiscal com o
objetivo de orientação sobre o cumprimento das leis de proteção ao trabalho e para a
prevenção e o saneamento de infrações à legislação mediante termo de compromisso, toda
verificação em que a autoridade administrativa competente para a fiscalização do trabalho
concluir pela existência de violação de preceito legal deve corresponder a lavratura de auto
de infração, sob pena de responsabilidade administrativa.

Gabarito Comentado:
         142- errada. O conceito descrito na questão refere-se ao acordo coletivo de trabalho, uma vez que a
Convenção Coletiva de Trabalho é celebrada entre dois ou mais Sindicatos.(vide art. 611 da CLT)
         143- certa. A questão repetiu o que dispõe o art. 613 da CLT.
         144- errada. A assertiva refere-se ao que a doutrina denomina de “Factum Principis” (Fato do
Príncipe), que é a obrigatoriedade do Estado pagar uma indenização quando a ruptura contratual ocorrer por
razões provocadas pelo Governo. O caput do art. 486 da CLT conceitua o Fato do Príncipe.
         145-certa. Os dispositivos legais referentes a esta assertiva são os arts. 627-A e 628 da CLT, que são
literalmente transcritos para a questão.

3) Acerca da organização sindical, sua natureza, criação, administração, atribuições e
dissolução, julgue os itens seguintes.

146. Conquanto caiba aos trabalhadores organizarem-se em sindicatos, o princípio da
unicidade sindical revela que o Ministério do Trabalho e Emprego pode intervir nas
entidades sindicais criadas em desacordo com a legislação ou que passem a funcionar fora
da base territorial determinada, nesse caso podendo interferir para que haja o
desmembramento do sindicato em desacordo ou mesmo sua extinção.

147. Ao sindicato cabe a defesa dos direitos e interesses coletivos ou individuais da
categoria, inclusive em questões judiciais ou administrativas.

148. A estrutura sindical observa a seguinte ordem: sindicatos,federações e confederações
sindicais.

Gabarito Comentado:
         146-errada. O Princípio da Unicidade Sindical, contido no art. 8º,II da CRFB/88, revela que
somente poderá haver uma organização sindical/Sindicato representativo de categoria profissional ou
econômica na mesma base territorial.
         147- certa. A questão transcreveu o art. 8º, III da CRFB/88.
         148-certa. Esta é a estrutura sindical do Brasil. As federações deverão conter no mínimo cinco
Sindicatos e as Confederações no mínimo três federações para serem criadas. ( Vide arts. 533,534 e 535 da
CLT)

4). Julgue os itens seguintes, relativos a prescrição.

149. A prescrição do direito de reclamar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço
(FGTS) não-recolhido é trintenária,observado o biênio a partir do término do contrato de
trabalho.



www.editoraferreira.com.br                              -2-                                   Déborah Paiva
Direito do Trabalho: prova do TST comentada

150. O trabalhador urbano tem direito de reclamar crédito oriundo da relação de trabalho
até cinco anos do fato,observado o biênio a partir do término do contrato de trabalho,
enquanto ao trabalhador rural se aplica o prazo bienal para reclamar direitos trabalhistas.

Gabarito Comentado:
       149- certa. Este é o entendimento contido na Súmula 362 do TST
       150- errada. O prazo prescricional de cinco anos aplica-se ao trabalhador rural após o advento da
Emenda Constitucional n º 28 de 2000. ( art. 5º, XXIX da CRFB/88)



                                        Técnico Judiciário

5) Com base na Constituição Federal de 1988 e na Consolidação das Leis do Trabalho
(CLT), julgue os itens seguintes acerca dos direitos dos trabalhadores urbanos e rurais.

71. O salário mínimo é fixado por lei federal, variando segundo as peculiaridades de cada
região do país, de modo a preservar as necessidades vitais do trabalhador e de sua família,
conforme o local onde resida.

72. O salário pode ser reduzido por ajuste em convenção ou acordo coletivo de trabalho.

73. O repouso semanal remunerado deve necessariamente recair em domingos, sendo
facultado ao trabalhador, por razão de crença religiosa, optar pela folga em sábados.

74. A jornada de trabalho não pode ser majorada além de oito horas diárias, dado o limite
rígido estabelecido na Constituição Federal.

75. O trabalho extraordinário e o noturno serão remunerados com o adicional pertinente de
50% sobre o valor da hora normal de trabalho.

76. O aviso-prévio será proporcional ao tempo de serviço,observado, sempre, o mínimo de
trinta dias, nos termos da lei.

77. Quando não for concedido o intervalo mínimo de quinze minutos hora, para a jornada
excedente a seis horas de trabalho contínuo,o empregador ficará obrigado a remunerar o
período correspondente com um acréscimo de, no mínimo, 20% sobre o valor da
remuneração da hora normal de trabalho.

78. As férias devem ser usufruídas com a percepção de adicional correspondente, no
mínimo, à terça parte do salário normal.

79. As férias serão concedidas, por ato do empregador, nos doze meses subseqüentes à data
em que o empregado tiver adquirido o direito.

80. A prescrição do direito de reclamar a concessão das férias ou o pagamento da respectiva
remuneração é contada a partir do término do período concessivo ou, se for o caso, da
cessação do contrato de trabalho.




www.editoraferreira.com.br                          -3-                                 Déborah Paiva
Direito do Trabalho: prova do TST comentada
Gabarito Comentado:
         71 - errada. O art. 7º, IV da CRFB/88 diz que o salário mínimo, fixado em lei, é nacionalmente
unificado. O dispositivo não menciona o local onde resida o trabalhador.
         72 - certa. ( art. 7º,VI, da CRFB/88)
         73 - errada. ( art. 7º,XV, da CRFB/88) Repouso semanal remunerado preferencialmente aos
domingos.
         74 - errada. Para a prestação de trabalho extraordinário poderá.
         75 - errada. O trabalho extraordinário terá o adicional de 50%, porém o adicional noturno para o
urbano será de 20% e para o rural será de 25%.
         76 - certa. ( Art. 7º, XXI, da CRFB/88)
         77 - errada. O empregador será sempre obrigado a conceder tais intervalos pois tratam-se de normas
de higiene e saúde.Assim,não poderá o empregador substituí-lo pelo pagamento de horas extras. Porém a não
concessão de tal intervalo acarretará o pagamento de 50% e não de 20% como diz a assertiva.( art. 71,
parágrafo 4º da CLT)
         78 - certa. ( art. 7º, XVII da CRFB/88)
         79 - certa.( art. 134 da CLT)
         80 - certa. (art. 149 da CLT)

6) Quanto ao contrato de trabalho e aos requisitos da relação de emprego, julgue os itens
subseqüentes.

81. Considera-se empregador a empresa, individual ou coletiva, que,assumindo os riscos da
atividade econômica, admite, assalaria e dirige a prestação pessoal do serviço.

82. Sempre que uma ou mais empresas, com personalidades jurídicas próprias, estiverem
sob a direção, controle ou administração de outra, constituindo grupo econômico, a
empresa principal e cada uma das empresas subordinadas serão, para os efeitos da relação
de emprego, solidariamente responsáveis em relação aos contratos de emprego.

83. Considera-se empregado todo trabalhador que, ainda quando autônomo, prestar serviços
remunerados a outrem em troca de sua mão-de-obra.

84. Para que se configure o contrato individual de trabalho, é necessário que a relação de
emprego tenha sido ajustada em acordo expresso.

85. Só é lícita a alteração de condições estabelecidas em contratos individuais de trabalho
por mútuo consentimento e desde que não resulte, direta ou indiretamente, em prejuízos ao
empregado, sob pena de nulidade da referida alteração.

Gabarito Comentado:
         81 - certa. A assertiva transcreveu o conceito de empregador do art. 2º da CLT.
         82 - certa. A assertiva é cópia literal do parágrafo segundo do art. 2º da CLT, que define grupo
econômico, cuja responsabilidade é solidária passiva.
         83 - errada. O trabalhador autônomo não é empregado. O Conceito de empregado abrange os
requisitos da relação de emprego e está definido no art. 3º da CLT.
         84 - errada. O art. 442 da CLT determina que o contrato de trabalho é o acordo tácito ou expresso,
correspondente à relação de emprego. Vigora a noção de contrato-realidade, assim ainda que não tenha sido
ajustado expressamente o contrato entre as partes, caso estejam presentes os requisitos da relação de emprego
haverá contrato de trabalho.
         85 - certa. É o que dispõe o art. 468 da CLT, refletindo o Princípio da Inalterabilidade Contratual
Lesiva.




www.editoraferreira.com.br                             -4-                                  Déborah Paiva

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Prova de Direito do Trabalho FCC - TRT-RN
Prova de Direito do Trabalho FCC - TRT-RNProva de Direito do Trabalho FCC - TRT-RN
Prova de Direito do Trabalho FCC - TRT-RN
Prof. Antonio Daud Jr
 
Dia - Reforma trabalhista 02 F - Direito Individual - Remuneração
Dia - Reforma trabalhista 02 F - Direito Individual - RemuneraçãoDia - Reforma trabalhista 02 F - Direito Individual - Remuneração
Dia - Reforma trabalhista 02 F - Direito Individual - Remuneração
Gaudio de Paula
 
Aula 12 recursos humano
Aula 12 recursos humanoAula 12 recursos humano
Aula 12 recursos humano
Homero Alves de Lima
 
Aula 4 D.TRABALHO
Aula 4 D.TRABALHOAula 4 D.TRABALHO
Aula 4 D.TRABALHO
gsbq
 
Parecer - Projeto de Lei 1.179/2015
Parecer - Projeto de Lei 1.179/2015Parecer - Projeto de Lei 1.179/2015
Parecer - Projeto de Lei 1.179/2015
Fernando Brito
 
Fundamentação Legal Aplicável nas Rescisões dos Contratos de Trabalho
Fundamentação Legal Aplicável nas Rescisões dos Contratos de TrabalhoFundamentação Legal Aplicável nas Rescisões dos Contratos de Trabalho
Fundamentação Legal Aplicável nas Rescisões dos Contratos de Trabalho
Rafael Candido
 
Resumo -aula_25_08_2011
Resumo  -aula_25_08_2011Resumo  -aula_25_08_2011
Resumo -aula_25_08_2011
Servacfb
 
Aula 6 D.TRABALHO
Aula 6 D.TRABALHOAula 6 D.TRABALHO
Aula 6 D.TRABALHO
gsbq
 
Aula 5 D.TRABALHO
Aula 5 D.TRABALHOAula 5 D.TRABALHO
Aula 5 D.TRABALHO
gsbq
 
Jornada de trabalho
Jornada de trabalhoJornada de trabalho
Jornada de trabalho
Alberto Oliveira
 
Prova do Contrato de Trabalho
Prova do Contrato de TrabalhoProva do Contrato de Trabalho
Prova do Contrato de Trabalho
lilpercun
 
Material da Semana 4
Material da Semana 4Material da Semana 4
Material da Semana 4
Herbert de Assis
 
Aspectos legais de_remuneracao
Aspectos legais de_remuneracaoAspectos legais de_remuneracao
Aspectos legais de_remuneracao
Ivy Rezzaghi
 
Direito do Trabalho - Jornada de Trabalho
Direito do Trabalho - Jornada de TrabalhoDireito do Trabalho - Jornada de Trabalho
Direito do Trabalho - Jornada de Trabalho
PreOnline
 
Suspensao e interrupcao de contrato de trabalho
Suspensao e interrupcao de contrato de trabalhoSuspensao e interrupcao de contrato de trabalho
Suspensao e interrupcao de contrato de trabalho
Jaqueline Montenegro
 
Jornada de trabalho
Jornada de trabalhoJornada de trabalho
Manual para profissional do departamento de pessoal11
Manual para profissional do departamento de pessoal11Manual para profissional do departamento de pessoal11
Manual para profissional do departamento de pessoal11
Valeria Miranda
 
Aulão direito do trabalho - TRT-PR
Aulão direito do trabalho - TRT-PRAulão direito do trabalho - TRT-PR
Aulão direito do trabalho - TRT-PR
Canal Dos Concursos
 
Contrato de trabalho
Contrato de trabalhoContrato de trabalho
Contrato de trabalho
rosanaserelo
 

Mais procurados (19)

Prova de Direito do Trabalho FCC - TRT-RN
Prova de Direito do Trabalho FCC - TRT-RNProva de Direito do Trabalho FCC - TRT-RN
Prova de Direito do Trabalho FCC - TRT-RN
 
Dia - Reforma trabalhista 02 F - Direito Individual - Remuneração
Dia - Reforma trabalhista 02 F - Direito Individual - RemuneraçãoDia - Reforma trabalhista 02 F - Direito Individual - Remuneração
Dia - Reforma trabalhista 02 F - Direito Individual - Remuneração
 
Aula 12 recursos humano
Aula 12 recursos humanoAula 12 recursos humano
Aula 12 recursos humano
 
Aula 4 D.TRABALHO
Aula 4 D.TRABALHOAula 4 D.TRABALHO
Aula 4 D.TRABALHO
 
Parecer - Projeto de Lei 1.179/2015
Parecer - Projeto de Lei 1.179/2015Parecer - Projeto de Lei 1.179/2015
Parecer - Projeto de Lei 1.179/2015
 
Fundamentação Legal Aplicável nas Rescisões dos Contratos de Trabalho
Fundamentação Legal Aplicável nas Rescisões dos Contratos de TrabalhoFundamentação Legal Aplicável nas Rescisões dos Contratos de Trabalho
Fundamentação Legal Aplicável nas Rescisões dos Contratos de Trabalho
 
Resumo -aula_25_08_2011
Resumo  -aula_25_08_2011Resumo  -aula_25_08_2011
Resumo -aula_25_08_2011
 
Aula 6 D.TRABALHO
Aula 6 D.TRABALHOAula 6 D.TRABALHO
Aula 6 D.TRABALHO
 
Aula 5 D.TRABALHO
Aula 5 D.TRABALHOAula 5 D.TRABALHO
Aula 5 D.TRABALHO
 
Jornada de trabalho
Jornada de trabalhoJornada de trabalho
Jornada de trabalho
 
Prova do Contrato de Trabalho
Prova do Contrato de TrabalhoProva do Contrato de Trabalho
Prova do Contrato de Trabalho
 
Material da Semana 4
Material da Semana 4Material da Semana 4
Material da Semana 4
 
Aspectos legais de_remuneracao
Aspectos legais de_remuneracaoAspectos legais de_remuneracao
Aspectos legais de_remuneracao
 
Direito do Trabalho - Jornada de Trabalho
Direito do Trabalho - Jornada de TrabalhoDireito do Trabalho - Jornada de Trabalho
Direito do Trabalho - Jornada de Trabalho
 
Suspensao e interrupcao de contrato de trabalho
Suspensao e interrupcao de contrato de trabalhoSuspensao e interrupcao de contrato de trabalho
Suspensao e interrupcao de contrato de trabalho
 
Jornada de trabalho
Jornada de trabalhoJornada de trabalho
Jornada de trabalho
 
Manual para profissional do departamento de pessoal11
Manual para profissional do departamento de pessoal11Manual para profissional do departamento de pessoal11
Manual para profissional do departamento de pessoal11
 
Aulão direito do trabalho - TRT-PR
Aulão direito do trabalho - TRT-PRAulão direito do trabalho - TRT-PR
Aulão direito do trabalho - TRT-PR
 
Contrato de trabalho
Contrato de trabalhoContrato de trabalho
Contrato de trabalho
 

Semelhante a Prova do tst comentada

Rotinas trabalhistas -_aula
Rotinas trabalhistas -_aulaRotinas trabalhistas -_aula
Rotinas trabalhistas -_aula
Augusto Pereira
 
Pl 6787 2016 - textobase reforma trabalhista
Pl 6787 2016 - textobase reforma trabalhistaPl 6787 2016 - textobase reforma trabalhista
Pl 6787 2016 - textobase reforma trabalhista
Ana Úrsula Costa
 
Aula 03 departamento pessoal
Aula 03 departamento pessoalAula 03 departamento pessoal
Aula 03 departamento pessoal
Homero Alves de Lima
 
modelo de recurso de revista peça didática
modelo de recurso de revista peça didáticamodelo de recurso de revista peça didática
modelo de recurso de revista peça didática
Adriana Ribeiro
 
Extinção do contrato de trabalho
Extinção do contrato de trabalhoExtinção do contrato de trabalho
Extinção do contrato de trabalho
Alberto Oliveira
 
Reclamação Trabalhista - 2056
Reclamação Trabalhista - 2056Reclamação Trabalhista - 2056
Reclamação Trabalhista - 2056
Consultor JRSantana
 
Contrato de trabalho para empregada doméstica modelo - com prazo indeterminado
Contrato de trabalho para empregada doméstica   modelo - com prazo indeterminadoContrato de trabalho para empregada doméstica   modelo - com prazo indeterminado
Contrato de trabalho para empregada doméstica modelo - com prazo indeterminado
Jornal do Commercio
 
Legislação Trabalhista
Legislação TrabalhistaLegislação Trabalhista
Legislação Trabalhista
Jesus Martins Oliveira Junior
 
E book - reforma trabalhista (1)
E book - reforma trabalhista (1)E book - reforma trabalhista (1)
E book - reforma trabalhista (1)
Patricia Liotte
 
Legislação sintetizada - Lei 5584 de 1970
Legislação sintetizada - Lei 5584 de 1970Legislação sintetizada - Lei 5584 de 1970
Legislação sintetizada - Lei 5584 de 1970
Wagson Filho
 
Aula 3 - Tipos de Contrato de Trabalho.pptx
Aula 3  - Tipos de Contrato de Trabalho.pptxAula 3  - Tipos de Contrato de Trabalho.pptx
Aula 3 - Tipos de Contrato de Trabalho.pptx
ANDERSONANTNIODELIMA
 
Jornada de trabalho
Jornada de trabalhoJornada de trabalho
Jornada de trabalho
Monica Rodrigues
 
Legislação trabalhista 1
Legislação trabalhista   1Legislação trabalhista   1
Legislação trabalhista 1
Lorena Duarte
 
Convenção sinderon e sindessero 2017 (1)
Convenção sinderon e sindessero 2017 (1)Convenção sinderon e sindessero 2017 (1)
Convenção sinderon e sindessero 2017 (1)
guilherme dias g. neto
 
Direito do Trabalho - Apostila Acadêmica
Direito do Trabalho - Apostila AcadêmicaDireito do Trabalho - Apostila Acadêmica
Direito do Trabalho - Apostila Acadêmica
brigidoh
 
Contrato Individual De Trabalho De AdministraçãO De Fazenda
Contrato Individual De Trabalho De AdministraçãO De FazendaContrato Individual De Trabalho De AdministraçãO De Fazenda
Contrato Individual De Trabalho De AdministraçãO De Fazenda
Rodolfo Rodrigo Acosta
 
Contrato De ExperiêNcia De Trabalho
Contrato De ExperiêNcia De TrabalhoContrato De ExperiêNcia De Trabalho
Contrato De ExperiêNcia De Trabalho
Rodolfo Rodrigo Acosta
 
Contrato De Trabalho Para Empregada DoméStica
Contrato De Trabalho Para Empregada DoméSticaContrato De Trabalho Para Empregada DoméStica
Contrato De Trabalho Para Empregada DoméStica
Rodolfo Rodrigo Acosta
 
Cartilha do aviso prévio proporcional ao tempo de serviço
Cartilha do aviso prévio proporcional ao tempo de serviçoCartilha do aviso prévio proporcional ao tempo de serviço
Cartilha do aviso prévio proporcional ao tempo de serviço
Cássia Marques
 
Direito Do Trabalho
Direito Do TrabalhoDireito Do Trabalho
Direito Do Trabalho
jonatas avila
 

Semelhante a Prova do tst comentada (20)

Rotinas trabalhistas -_aula
Rotinas trabalhistas -_aulaRotinas trabalhistas -_aula
Rotinas trabalhistas -_aula
 
Pl 6787 2016 - textobase reforma trabalhista
Pl 6787 2016 - textobase reforma trabalhistaPl 6787 2016 - textobase reforma trabalhista
Pl 6787 2016 - textobase reforma trabalhista
 
Aula 03 departamento pessoal
Aula 03 departamento pessoalAula 03 departamento pessoal
Aula 03 departamento pessoal
 
modelo de recurso de revista peça didática
modelo de recurso de revista peça didáticamodelo de recurso de revista peça didática
modelo de recurso de revista peça didática
 
Extinção do contrato de trabalho
Extinção do contrato de trabalhoExtinção do contrato de trabalho
Extinção do contrato de trabalho
 
Reclamação Trabalhista - 2056
Reclamação Trabalhista - 2056Reclamação Trabalhista - 2056
Reclamação Trabalhista - 2056
 
Contrato de trabalho para empregada doméstica modelo - com prazo indeterminado
Contrato de trabalho para empregada doméstica   modelo - com prazo indeterminadoContrato de trabalho para empregada doméstica   modelo - com prazo indeterminado
Contrato de trabalho para empregada doméstica modelo - com prazo indeterminado
 
Legislação Trabalhista
Legislação TrabalhistaLegislação Trabalhista
Legislação Trabalhista
 
E book - reforma trabalhista (1)
E book - reforma trabalhista (1)E book - reforma trabalhista (1)
E book - reforma trabalhista (1)
 
Legislação sintetizada - Lei 5584 de 1970
Legislação sintetizada - Lei 5584 de 1970Legislação sintetizada - Lei 5584 de 1970
Legislação sintetizada - Lei 5584 de 1970
 
Aula 3 - Tipos de Contrato de Trabalho.pptx
Aula 3  - Tipos de Contrato de Trabalho.pptxAula 3  - Tipos de Contrato de Trabalho.pptx
Aula 3 - Tipos de Contrato de Trabalho.pptx
 
Jornada de trabalho
Jornada de trabalhoJornada de trabalho
Jornada de trabalho
 
Legislação trabalhista 1
Legislação trabalhista   1Legislação trabalhista   1
Legislação trabalhista 1
 
Convenção sinderon e sindessero 2017 (1)
Convenção sinderon e sindessero 2017 (1)Convenção sinderon e sindessero 2017 (1)
Convenção sinderon e sindessero 2017 (1)
 
Direito do Trabalho - Apostila Acadêmica
Direito do Trabalho - Apostila AcadêmicaDireito do Trabalho - Apostila Acadêmica
Direito do Trabalho - Apostila Acadêmica
 
Contrato Individual De Trabalho De AdministraçãO De Fazenda
Contrato Individual De Trabalho De AdministraçãO De FazendaContrato Individual De Trabalho De AdministraçãO De Fazenda
Contrato Individual De Trabalho De AdministraçãO De Fazenda
 
Contrato De ExperiêNcia De Trabalho
Contrato De ExperiêNcia De TrabalhoContrato De ExperiêNcia De Trabalho
Contrato De ExperiêNcia De Trabalho
 
Contrato De Trabalho Para Empregada DoméStica
Contrato De Trabalho Para Empregada DoméSticaContrato De Trabalho Para Empregada DoméStica
Contrato De Trabalho Para Empregada DoméStica
 
Cartilha do aviso prévio proporcional ao tempo de serviço
Cartilha do aviso prévio proporcional ao tempo de serviçoCartilha do aviso prévio proporcional ao tempo de serviço
Cartilha do aviso prévio proporcional ao tempo de serviço
 
Direito Do Trabalho
Direito Do TrabalhoDireito Do Trabalho
Direito Do Trabalho
 

Último

Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
CarolineSaback2
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 

Último (20)

Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 

Prova do tst comentada

  • 1. Direito do Trabalho: prova do TST comentada Direito do Trabalho Prova do TST (2007) comentada Cespe/UnB Analista Judiciário 1) No tocante a carteira de trabalho e previdência social (CTPS), julgue os itens que se seguem. 138. Ao contratar empregado em localidade onde é emitida a CTPS, o empregador deve, obrigatoriamente, anotar no respectivo documento, no prazo de 48 horas, a data de admissão, a remuneração e as condições especiais, se houver. 139. A CTPS é obrigatória para o exercício de qualquer emprego, excetuados os de caráter temporário. 140. Esgotando-se o espaço destinado a registros e anotações, o interessado deve obter outra CTPS, hipótese na qual se conserva a série da anterior, alterando-se apenas o número respectivo. 141. É autorizado ao empregador efetuar anotações desabonadoras ao empregado em sua CTPS. Gabarito Comentado: 138 - certa. O art. 29 da CLT dispõe que a CTPS será obrigatoriamente apresentada contra recibo pelo trabalhador ao empregador que o admitir, o qual terá o prazo de 48 horas para nela anotar: a data de admissão, a remuneração e as condições especiais, se houver. 139 - errada. A assinatura da CTPS é obrigatória para o exercício de trabalho temporário, conforme dispõe o art. 13 da CLT. 140 - errada. O número respectivo não será alterado conforme dispõe o art. 21 da CLT. 141 - errada. O art. 29 da CLT em seu parágrafo 4º, veda expressamente anotações desabonadoras em relação à conduta do empregado em sua CTPS. O descumprimento desta norma dará direito ao empregado a receber indenização por dano moral. 2) Com relação ao Direito do Trabalho, julgue os itens a seguir. 142. Convenção coletiva de trabalho é o acordo de caráter normativo firmado por uma ou mais empresas da correspondente categoria econômica e pelo sindicato representativo da categoria profissional, em que são estipuladas condições de trabalho aplicáveis no âmbito da empresa ou das empresas convenentes às respectivas relações individuais do trabalho. 143. As convenções coletivas de trabalho devem conter obrigatoriamente a designação dos sindicatos convenentes;o prazo de vigência; as categorias ou classes de trabalhadores abrangidos pelos respectivos dispositivos; as condições ajustadas para reger as relações individuais de trabalho durante sua vigência; as normas para a conciliação das divergências surgidas entre convenentes por motivos da aplicação de seus dispositivos; as disposições sobre o processo de sua prorrogação e de revisão total ou parcial de seus dispositivos; os direitos e deveres dos empregados e empresas; as penalidades para os sindicatos convenentes, os empregados e as empresas em caso de violação de seus dispositivos. www.editoraferreira.com.br -1- Déborah Paiva
  • 2. Direito do Trabalho: prova do TST comentada 144. É de responsabilidade do empregador o pagamento da indenização devida em face de paralisação temporária ou definitiva do trabalho motivada diretamente pela promulgação de lei que impossibilite a continuação da atividade. 145. Salvo quando houver sido instaurado procedimento especial para a ação fiscal com o objetivo de orientação sobre o cumprimento das leis de proteção ao trabalho e para a prevenção e o saneamento de infrações à legislação mediante termo de compromisso, toda verificação em que a autoridade administrativa competente para a fiscalização do trabalho concluir pela existência de violação de preceito legal deve corresponder a lavratura de auto de infração, sob pena de responsabilidade administrativa. Gabarito Comentado: 142- errada. O conceito descrito na questão refere-se ao acordo coletivo de trabalho, uma vez que a Convenção Coletiva de Trabalho é celebrada entre dois ou mais Sindicatos.(vide art. 611 da CLT) 143- certa. A questão repetiu o que dispõe o art. 613 da CLT. 144- errada. A assertiva refere-se ao que a doutrina denomina de “Factum Principis” (Fato do Príncipe), que é a obrigatoriedade do Estado pagar uma indenização quando a ruptura contratual ocorrer por razões provocadas pelo Governo. O caput do art. 486 da CLT conceitua o Fato do Príncipe. 145-certa. Os dispositivos legais referentes a esta assertiva são os arts. 627-A e 628 da CLT, que são literalmente transcritos para a questão. 3) Acerca da organização sindical, sua natureza, criação, administração, atribuições e dissolução, julgue os itens seguintes. 146. Conquanto caiba aos trabalhadores organizarem-se em sindicatos, o princípio da unicidade sindical revela que o Ministério do Trabalho e Emprego pode intervir nas entidades sindicais criadas em desacordo com a legislação ou que passem a funcionar fora da base territorial determinada, nesse caso podendo interferir para que haja o desmembramento do sindicato em desacordo ou mesmo sua extinção. 147. Ao sindicato cabe a defesa dos direitos e interesses coletivos ou individuais da categoria, inclusive em questões judiciais ou administrativas. 148. A estrutura sindical observa a seguinte ordem: sindicatos,federações e confederações sindicais. Gabarito Comentado: 146-errada. O Princípio da Unicidade Sindical, contido no art. 8º,II da CRFB/88, revela que somente poderá haver uma organização sindical/Sindicato representativo de categoria profissional ou econômica na mesma base territorial. 147- certa. A questão transcreveu o art. 8º, III da CRFB/88. 148-certa. Esta é a estrutura sindical do Brasil. As federações deverão conter no mínimo cinco Sindicatos e as Confederações no mínimo três federações para serem criadas. ( Vide arts. 533,534 e 535 da CLT) 4). Julgue os itens seguintes, relativos a prescrição. 149. A prescrição do direito de reclamar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) não-recolhido é trintenária,observado o biênio a partir do término do contrato de trabalho. www.editoraferreira.com.br -2- Déborah Paiva
  • 3. Direito do Trabalho: prova do TST comentada 150. O trabalhador urbano tem direito de reclamar crédito oriundo da relação de trabalho até cinco anos do fato,observado o biênio a partir do término do contrato de trabalho, enquanto ao trabalhador rural se aplica o prazo bienal para reclamar direitos trabalhistas. Gabarito Comentado: 149- certa. Este é o entendimento contido na Súmula 362 do TST 150- errada. O prazo prescricional de cinco anos aplica-se ao trabalhador rural após o advento da Emenda Constitucional n º 28 de 2000. ( art. 5º, XXIX da CRFB/88) Técnico Judiciário 5) Com base na Constituição Federal de 1988 e na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), julgue os itens seguintes acerca dos direitos dos trabalhadores urbanos e rurais. 71. O salário mínimo é fixado por lei federal, variando segundo as peculiaridades de cada região do país, de modo a preservar as necessidades vitais do trabalhador e de sua família, conforme o local onde resida. 72. O salário pode ser reduzido por ajuste em convenção ou acordo coletivo de trabalho. 73. O repouso semanal remunerado deve necessariamente recair em domingos, sendo facultado ao trabalhador, por razão de crença religiosa, optar pela folga em sábados. 74. A jornada de trabalho não pode ser majorada além de oito horas diárias, dado o limite rígido estabelecido na Constituição Federal. 75. O trabalho extraordinário e o noturno serão remunerados com o adicional pertinente de 50% sobre o valor da hora normal de trabalho. 76. O aviso-prévio será proporcional ao tempo de serviço,observado, sempre, o mínimo de trinta dias, nos termos da lei. 77. Quando não for concedido o intervalo mínimo de quinze minutos hora, para a jornada excedente a seis horas de trabalho contínuo,o empregador ficará obrigado a remunerar o período correspondente com um acréscimo de, no mínimo, 20% sobre o valor da remuneração da hora normal de trabalho. 78. As férias devem ser usufruídas com a percepção de adicional correspondente, no mínimo, à terça parte do salário normal. 79. As férias serão concedidas, por ato do empregador, nos doze meses subseqüentes à data em que o empregado tiver adquirido o direito. 80. A prescrição do direito de reclamar a concessão das férias ou o pagamento da respectiva remuneração é contada a partir do término do período concessivo ou, se for o caso, da cessação do contrato de trabalho. www.editoraferreira.com.br -3- Déborah Paiva
  • 4. Direito do Trabalho: prova do TST comentada Gabarito Comentado: 71 - errada. O art. 7º, IV da CRFB/88 diz que o salário mínimo, fixado em lei, é nacionalmente unificado. O dispositivo não menciona o local onde resida o trabalhador. 72 - certa. ( art. 7º,VI, da CRFB/88) 73 - errada. ( art. 7º,XV, da CRFB/88) Repouso semanal remunerado preferencialmente aos domingos. 74 - errada. Para a prestação de trabalho extraordinário poderá. 75 - errada. O trabalho extraordinário terá o adicional de 50%, porém o adicional noturno para o urbano será de 20% e para o rural será de 25%. 76 - certa. ( Art. 7º, XXI, da CRFB/88) 77 - errada. O empregador será sempre obrigado a conceder tais intervalos pois tratam-se de normas de higiene e saúde.Assim,não poderá o empregador substituí-lo pelo pagamento de horas extras. Porém a não concessão de tal intervalo acarretará o pagamento de 50% e não de 20% como diz a assertiva.( art. 71, parágrafo 4º da CLT) 78 - certa. ( art. 7º, XVII da CRFB/88) 79 - certa.( art. 134 da CLT) 80 - certa. (art. 149 da CLT) 6) Quanto ao contrato de trabalho e aos requisitos da relação de emprego, julgue os itens subseqüentes. 81. Considera-se empregador a empresa, individual ou coletiva, que,assumindo os riscos da atividade econômica, admite, assalaria e dirige a prestação pessoal do serviço. 82. Sempre que uma ou mais empresas, com personalidades jurídicas próprias, estiverem sob a direção, controle ou administração de outra, constituindo grupo econômico, a empresa principal e cada uma das empresas subordinadas serão, para os efeitos da relação de emprego, solidariamente responsáveis em relação aos contratos de emprego. 83. Considera-se empregado todo trabalhador que, ainda quando autônomo, prestar serviços remunerados a outrem em troca de sua mão-de-obra. 84. Para que se configure o contrato individual de trabalho, é necessário que a relação de emprego tenha sido ajustada em acordo expresso. 85. Só é lícita a alteração de condições estabelecidas em contratos individuais de trabalho por mútuo consentimento e desde que não resulte, direta ou indiretamente, em prejuízos ao empregado, sob pena de nulidade da referida alteração. Gabarito Comentado: 81 - certa. A assertiva transcreveu o conceito de empregador do art. 2º da CLT. 82 - certa. A assertiva é cópia literal do parágrafo segundo do art. 2º da CLT, que define grupo econômico, cuja responsabilidade é solidária passiva. 83 - errada. O trabalhador autônomo não é empregado. O Conceito de empregado abrange os requisitos da relação de emprego e está definido no art. 3º da CLT. 84 - errada. O art. 442 da CLT determina que o contrato de trabalho é o acordo tácito ou expresso, correspondente à relação de emprego. Vigora a noção de contrato-realidade, assim ainda que não tenha sido ajustado expressamente o contrato entre as partes, caso estejam presentes os requisitos da relação de emprego haverá contrato de trabalho. 85 - certa. É o que dispõe o art. 468 da CLT, refletindo o Princípio da Inalterabilidade Contratual Lesiva. www.editoraferreira.com.br -4- Déborah Paiva