SlideShare uma empresa Scribd logo

4.Incubadora Em Rede Ua

M
M

4.Incubadora Em Rede Ua

1 de 3
Baixar para ler offline
FICHA TÉCNICA DO PROJECTO INCUBADORA EM REDE



Objectivos
O presente projecto tem como objectivo geral promover a competitividade e a coesão territorial,
nomeadamente através do fomento do empreendedorismo e inovação, com base na criação de
uma Plataforma que potencie e apoie a criação sustentada de novas empresas capazes
alavancar o desenvolvimento da própria região. Esta Plataforma, integrada por vários agentes
regionais, e susceptível de ser reforçada e alargada num futuro próximo, permitirá uma
optimização de recursos e infra-estruturas numa lógica de eficiência colectiva. Assim, são
definidos os seguintes objectivos específicos:
    •    Promover e consolidar uma cultura de empreendedorismo e inovação na região de
         Aveiro, com enfoque nas faixas etárias infantis e juvenis;
    •    Proporcionar condições de suporte logístico, operacional, financeiro e técnico para a
         criação e expansão de novas empresas;
    •    Promover a criação de empresas com elevado potencial, não só capazes de criar
         emprego especializado, como de nuclear a fundação de novas empresas
         fornecedoras/parceiras destas, nos vários municípios aderentes;
    •    Promover a atracção e fixação de talentos na região de Aveiro;
    •    Dinamizar o investimento empresarial;
    •    Promover o desenvolvimento de empresas locais através de sinergias como as novas
         empresas estabelecidas no município e/ou vocacionadas para a valorização de recursos
         endógenos da região;
     • Reforçar a articulação, numa base territorial alargada, entre as empresas, associações
         empresariais, a Universidade de Aveiro e outras entidades estratégicas para o
         desenvolvimento regional;
    •    Promover a participação dos municípios em acções concertadas de desenvolvimento
         regional, incluindo projectos nacionais e internacionais.




Página 1 de 3
Descrição Sumária do Projecto
De forma a responder aos vários desafios que as regiões enfrentam actualmente, é definido
como missão a contribuição para o desenvolvimento e rejuvenescimento do tecido económico
regional, maximizando as sinergias geradas em rede, através do apoio ao desenvolvimento de
novos projectos empresariais, bem como à modernização das empresas existentes, permitindo
um crescimento económico e social sustentável de cada Município. Apesar da ambição
espelhada na missão possibilitar uma actuação em vários domínios, pretende-se constituir uma
estrutura, a Plataforma de Apoio e Valorização do Empreendedorismo e Inovação da
Região de Aveiro, que permita agregar, em torno de objectivos concretos, por um lado, os
vários Municípios do Baixo Vouga e, por outro, parceiros estratégicos essenciais para o
desenvolvimento regional, designadamente a Universidade de Aveiro, e associações
empresariais, nomeadamente a AIDA.


A criação desta estrutura de trabalho permitirá apoiar a inovação empresarial da região de
Aveiro, através da promoção de uma cultura de inovação e do estímulo ao desenvolvimento de
projectos empresariais de base tecnológica, segundo essencialmente três eixos estratégicos:
         Eixo 1: Promover a criação de novas empresas como factor indutor da renovação
         empresarial;
         Eixo 2: Promover o desenvolvimento de uma cultura de empreendedorismo e inovação;
         Eixo 3: Potenciar a participação dos Municípios em programas de apoio ao
         empreendedorismo e inovação, de âmbito nacional e internacional




Principais Resultados Esperados
Pretende-se que o presente projecto tenha um impacto significativo na região de Aveiro, não só
ao nível do desenvolvimento económico, mas também ao nível da coesão e competitividade
regional. Deste modo, o comprometimento e envolvimento real de todos os promotores revela-se
determinante. Apenas assim será possível a concretização com sucesso das várias acções. O
sucesso do projecto pode conduzir a resultados que dificilmente seriam alcançados por acções
individuais dos vários promotores, sendo os mais relevantes:




Página 2 de 3
Estruturação e alargamento da rede inicialmente constituída na UA de parceiros,
         investigadores e agentes facilitadores de transferência de tecnologia, facilitando o
         acesso aos vários actores regionais;
         Criação de um sistema de gestão de espaços de incubação flexível, com um menor
         custo de implementação e exploração, permitindo que cada munícipe tenha acesso a
         este sistema na sua área de residência/implementação;
         Criação de mecanismos de cooperação inter-municipal e entre vários actores regionais
         de inovação, de modo a potenciar a afirmação da sub-região no panorama regional,
         nacional e Internacional.
         Acesso a informação e suporte no desenvolvimento de candidaturas a programas de
         financiamento do desenvolvimento regional, de forma a garantir o apoio adicional em
         áreas fulcrais para os Municípios;
         Fortalecimento da capacidade de inovação e competitividade das empresas
         implementadas nos vários municípios, através do acesso privilegiado a tecnologias
         serviços especializados desenvolvidos na Universidade de Aveiro;
         Criação de plataformas/consórcios empresariais que permitam às empresas
         posicionarem-se internacionalmente e de forma mais competitiva no mercado global.


A concretização do projecto num espaço temporal alargado determina, por um lado, a necessária
ponderação relativa à necessidade de recursos e, por outro, o ajustamento dos mesmos às
necessidades do projecto, quer as originárias, quer as de ocorrência superveniente, o que
implica vencer o mais gratificante dos desafios: cooperar em equipa.




Página 3 de 3
Anúncio

Recomendados

Luís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
Luís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de FinanciamentoLuís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
Luís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de FinanciamentoJoão Tàtá dos Anjos
 
Bolsa do empreendedorismo oportunidades para empresas - gppq
Bolsa do empreendedorismo   oportunidades para empresas - gppqBolsa do empreendedorismo   oportunidades para empresas - gppq
Bolsa do empreendedorismo oportunidades para empresas - gppqJoão Tàtá dos Anjos
 
Duarte Rodrigues - Apoio ao Empreendedorismo e promoção do espírito empresarial
Duarte Rodrigues - Apoio ao Empreendedorismo e promoção do espírito empresarialDuarte Rodrigues - Apoio ao Empreendedorismo e promoção do espírito empresarial
Duarte Rodrigues - Apoio ao Empreendedorismo e promoção do espírito empresarialJoão Tàtá dos Anjos
 
Pedro Pires - Microcredito e Crowdfunding
Pedro Pires - Microcredito e CrowdfundingPedro Pires - Microcredito e Crowdfunding
Pedro Pires - Microcredito e CrowdfundingJoão Tàtá dos Anjos
 
Goiânia-GP28-fundamentos-ECOWASH
Goiânia-GP28-fundamentos-ECOWASHGoiânia-GP28-fundamentos-ECOWASH
Goiânia-GP28-fundamentos-ECOWASHMarco Coghi
 
Filipe Santos - Empreendedorismo feminino; Empreendedorismo social
Filipe Santos - Empreendedorismo feminino; Empreendedorismo socialFilipe Santos - Empreendedorismo feminino; Empreendedorismo social
Filipe Santos - Empreendedorismo feminino; Empreendedorismo socialJoão Tàtá dos Anjos
 

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Destaque (20)

Trabalho cim
Trabalho cimTrabalho cim
Trabalho cim
 
Perspectiva u1 t1 act1 geometria ii
Perspectiva u1 t1 act1 geometria iiPerspectiva u1 t1 act1 geometria ii
Perspectiva u1 t1 act1 geometria ii
 
Manua lcompleto do churrasco
Manua lcompleto do churrasco Manua lcompleto do churrasco
Manua lcompleto do churrasco
 
Matança de tartarugas
Matança de tartarugasMatança de tartarugas
Matança de tartarugas
 
Infosat
InfosatInfosat
Infosat
 
Genda
GendaGenda
Genda
 
Apresentação linha de pesquisa 2013
Apresentação linha de pesquisa 2013Apresentação linha de pesquisa 2013
Apresentação linha de pesquisa 2013
 
Parceiros
ParceirosParceiros
Parceiros
 
Jiri
JiriJiri
Jiri
 
A princesa,o rapaz e o burro
A princesa,o rapaz e o burroA princesa,o rapaz e o burro
A princesa,o rapaz e o burro
 
Aquifero guarani
Aquifero guaraniAquifero guarani
Aquifero guarani
 
Apresentação PTM Gerenciamento de crise
Apresentação PTM Gerenciamento de criseApresentação PTM Gerenciamento de crise
Apresentação PTM Gerenciamento de crise
 
Palestras das reuniões publicas sexta feira 2012 Gotas de Luz
Palestras das reuniões publicas sexta feira 2012 Gotas de LuzPalestras das reuniões publicas sexta feira 2012 Gotas de Luz
Palestras das reuniões publicas sexta feira 2012 Gotas de Luz
 
Vencedores do Concurso de São Martinho
Vencedores do Concurso de São MartinhoVencedores do Concurso de São Martinho
Vencedores do Concurso de São Martinho
 
Plano de formação inicial iª pastoral vocacional
Plano de formação inicial   iª pastoral vocacionalPlano de formação inicial   iª pastoral vocacional
Plano de formação inicial iª pastoral vocacional
 
Licao 04 As FinançAs DoméSticas
Licao 04 As FinançAs DoméSticasLicao 04 As FinançAs DoméSticas
Licao 04 As FinançAs DoméSticas
 
Classificações 30 km 2013
Classificações 30 km 2013Classificações 30 km 2013
Classificações 30 km 2013
 
Cardapios Fevereiro
Cardapios FevereiroCardapios Fevereiro
Cardapios Fevereiro
 
Culinaria Dicas Variadas 03
Culinaria Dicas Variadas 03Culinaria Dicas Variadas 03
Culinaria Dicas Variadas 03
 
Padrão Estado
Padrão EstadoPadrão Estado
Padrão Estado
 

Semelhante a 4.Incubadora Em Rede Ua

Projecto CCE - JSD Cartaxo
Projecto CCE - JSD Cartaxo Projecto CCE - JSD Cartaxo
Projecto CCE - JSD Cartaxo goncalofgaspar
 
Projecto CCE - 7 de Julho 2011 (Completo)
Projecto CCE - 7 de Julho 2011 (Completo)Projecto CCE - 7 de Julho 2011 (Completo)
Projecto CCE - 7 de Julho 2011 (Completo)goncalofgaspar
 
Sumario Executivo Proposta Sectes
Sumario Executivo Proposta SectesSumario Executivo Proposta Sectes
Sumario Executivo Proposta Sectesminasinvest
 
Os desafios da dinamização das incubadoras de empresas ericeira business factory
Os desafios da dinamização das incubadoras de empresas ericeira business factoryOs desafios da dinamização das incubadoras de empresas ericeira business factory
Os desafios da dinamização das incubadoras de empresas ericeira business factoryTerritórios Criativos
 
Relatorio missao internacional
Relatorio missao internacionalRelatorio missao internacional
Relatorio missao internacionalErick Krulikowski
 
Ambipor III - Apresentação do Projeto.pdf
Ambipor III - Apresentação do Projeto.pdfAmbipor III - Apresentação do Projeto.pdf
Ambipor III - Apresentação do Projeto.pdfSaraBentoMateus1
 
Proposta - proc adbs 4 2014 prest de serv criação incubadora negócios vf
Proposta - proc adbs 4 2014 prest de serv criação incubadora negócios vfProposta - proc adbs 4 2014 prest de serv criação incubadora negócios vf
Proposta - proc adbs 4 2014 prest de serv criação incubadora negócios vfLuis Lobo e Silva
 
Manifesto do Empreendedorismo de Lisboa
Manifesto do Empreendedorismo de LisboaManifesto do Empreendedorismo de Lisboa
Manifesto do Empreendedorismo de LisboaPaulo Carvalho
 
Distrito de Coimbra deve investir na economia do conhecimento
Distrito de Coimbra deve investir na economia do conhecimentoDistrito de Coimbra deve investir na economia do conhecimento
Distrito de Coimbra deve investir na economia do conhecimentoCâmara Municipal de Coimbra
 
Minas Invest Projetos Enunciacao E Objeto
Minas Invest Projetos Enunciacao E ObjetoMinas Invest Projetos Enunciacao E Objeto
Minas Invest Projetos Enunciacao E Objetominasinvest
 
Empreendedorismo e Desenvolvimento Empresarial
Empreendedorismo e Desenvolvimento EmpresarialEmpreendedorismo e Desenvolvimento Empresarial
Empreendedorismo e Desenvolvimento EmpresarialINOVISA
 
Gestao Rede Minas é Inovacão
Gestao  Rede  Minas é  InovacãoGestao  Rede  Minas é  Inovacão
Gestao Rede Minas é Inovacãominasinvest
 
Projeto Toolkit Para Pm Es
Projeto Toolkit Para Pm EsProjeto Toolkit Para Pm Es
Projeto Toolkit Para Pm Esminasinvest
 
Áreas Técnicas do CIESP
Áreas Técnicas do CIESPÁreas Técnicas do CIESP
Áreas Técnicas do CIESPciespfranca
 
Alianca pro minas e rede para a inovacao
Alianca pro minas e rede para a inovacaoAlianca pro minas e rede para a inovacao
Alianca pro minas e rede para a inovacaominasinvest
 
Ppa apresentação institucional short2
Ppa apresentação institucional short2Ppa apresentação institucional short2
Ppa apresentação institucional short2ppateste
 

Semelhante a 4.Incubadora Em Rede Ua (20)

Projecto CCE - JSD Cartaxo
Projecto CCE - JSD Cartaxo Projecto CCE - JSD Cartaxo
Projecto CCE - JSD Cartaxo
 
Projecto CCE - 7 de Julho 2011 (Completo)
Projecto CCE - 7 de Julho 2011 (Completo)Projecto CCE - 7 de Julho 2011 (Completo)
Projecto CCE - 7 de Julho 2011 (Completo)
 
Sumario Executivo Proposta Sectes
Sumario Executivo Proposta SectesSumario Executivo Proposta Sectes
Sumario Executivo Proposta Sectes
 
Os desafios da dinamização das incubadoras de empresas ericeira business factory
Os desafios da dinamização das incubadoras de empresas ericeira business factoryOs desafios da dinamização das incubadoras de empresas ericeira business factory
Os desafios da dinamização das incubadoras de empresas ericeira business factory
 
Relatorio missao internacional
Relatorio missao internacionalRelatorio missao internacional
Relatorio missao internacional
 
Ambipor III - Apresentação do Projeto.pdf
Ambipor III - Apresentação do Projeto.pdfAmbipor III - Apresentação do Projeto.pdf
Ambipor III - Apresentação do Projeto.pdf
 
Proposta - proc adbs 4 2014 prest de serv criação incubadora negócios vf
Proposta - proc adbs 4 2014 prest de serv criação incubadora negócios vfProposta - proc adbs 4 2014 prest de serv criação incubadora negócios vf
Proposta - proc adbs 4 2014 prest de serv criação incubadora negócios vf
 
Manifesto do Empreendedorismo de Lisboa
Manifesto do Empreendedorismo de LisboaManifesto do Empreendedorismo de Lisboa
Manifesto do Empreendedorismo de Lisboa
 
Manifesto empreendedorismolisboa
Manifesto empreendedorismolisboaManifesto empreendedorismolisboa
Manifesto empreendedorismolisboa
 
Distrito de Coimbra deve investir na economia do conhecimento
Distrito de Coimbra deve investir na economia do conhecimentoDistrito de Coimbra deve investir na economia do conhecimento
Distrito de Coimbra deve investir na economia do conhecimento
 
Minas Invest Projetos Enunciacao E Objeto
Minas Invest Projetos Enunciacao E ObjetoMinas Invest Projetos Enunciacao E Objeto
Minas Invest Projetos Enunciacao E Objeto
 
Empreendedorismo e Desenvolvimento Empresarial
Empreendedorismo e Desenvolvimento EmpresarialEmpreendedorismo e Desenvolvimento Empresarial
Empreendedorismo e Desenvolvimento Empresarial
 
Webinar Tendências da Gestão da Inovação no Brasil e Portugal
Webinar Tendências da Gestão da Inovação no Brasil e PortugalWebinar Tendências da Gestão da Inovação no Brasil e Portugal
Webinar Tendências da Gestão da Inovação no Brasil e Portugal
 
Gestao Rede Minas é Inovacão
Gestao  Rede  Minas é  InovacãoGestao  Rede  Minas é  Inovacão
Gestao Rede Minas é Inovacão
 
Rede da Bioerg
Rede da   BioergRede da   Bioerg
Rede da Bioerg
 
Implantação do Plano de Ação de Unidade KraftGreen
Implantação do Plano de Ação de Unidade KraftGreenImplantação do Plano de Ação de Unidade KraftGreen
Implantação do Plano de Ação de Unidade KraftGreen
 
Projeto Toolkit Para Pm Es
Projeto Toolkit Para Pm EsProjeto Toolkit Para Pm Es
Projeto Toolkit Para Pm Es
 
Áreas Técnicas do CIESP
Áreas Técnicas do CIESPÁreas Técnicas do CIESP
Áreas Técnicas do CIESP
 
Alianca pro minas e rede para a inovacao
Alianca pro minas e rede para a inovacaoAlianca pro minas e rede para a inovacao
Alianca pro minas e rede para a inovacao
 
Ppa apresentação institucional short2
Ppa apresentação institucional short2Ppa apresentação institucional short2
Ppa apresentação institucional short2
 

Mais de mobiciclavel

Ciclo Ria Div Fina Smalll
Ciclo Ria Div Fina SmalllCiclo Ria Div Fina Smalll
Ciclo Ria Div Fina Smalllmobiciclavel
 
8.Biketour Sportis Espanhol
8.Biketour Sportis Espanhol8.Biketour Sportis Espanhol
8.Biketour Sportis Espanholmobiciclavel
 
Poster Mob Sustentavel Murtosa
Poster Mob Sustentavel MurtosaPoster Mob Sustentavel Murtosa
Poster Mob Sustentavel Murtosamobiciclavel
 
Murtosa Final Small
Murtosa Final SmallMurtosa Final Small
Murtosa Final Smallmobiciclavel
 
0.Dossier Visita ComunicaçãO Social
0.Dossier Visita ComunicaçãO Social0.Dossier Visita ComunicaçãO Social
0.Dossier Visita ComunicaçãO Socialmobiciclavel
 
2.Ecoinside Bioria
2.Ecoinside Bioria2.Ecoinside Bioria
2.Ecoinside Bioriamobiciclavel
 
3.Inova Ria Uw Ponto C Mio
3.Inova Ria  Uw Ponto C Mio3.Inova Ria  Uw Ponto C Mio
3.Inova Ria Uw Ponto C Miomobiciclavel
 
1.4.SíNtese Das ConclusõEs ConferêNcia Turismo CicláVel
1.4.SíNtese Das ConclusõEs ConferêNcia Turismo CicláVel1.4.SíNtese Das ConclusõEs ConferêNcia Turismo CicláVel
1.4.SíNtese Das ConclusõEs ConferêNcia Turismo CicláVelmobiciclavel
 
1.3. Objectivos Da ConferêNcia Planear O Lazer E O Turismo CicláVel Em Portugal
1.3. Objectivos Da ConferêNcia Planear O Lazer E O Turismo CicláVel Em Portugal1.3. Objectivos Da ConferêNcia Planear O Lazer E O Turismo CicláVel Em Portugal
1.3. Objectivos Da ConferêNcia Planear O Lazer E O Turismo CicláVel Em Portugalmobiciclavel
 
1.1.Newsletter Murtosa CicláVel
1.1.Newsletter Murtosa CicláVel1.1.Newsletter Murtosa CicláVel
1.1.Newsletter Murtosa CicláVelmobiciclavel
 
1.2.SíNtese Projecto Ciclo Ria
1.2.SíNtese Projecto Ciclo Ria1.2.SíNtese Projecto Ciclo Ria
1.2.SíNtese Projecto Ciclo Riamobiciclavel
 

Mais de mobiciclavel (17)

Ciclo Ria Div Fina Smalll
Ciclo Ria Div Fina SmalllCiclo Ria Div Fina Smalll
Ciclo Ria Div Fina Smalll
 
8.Biketour Sportis Espanhol
8.Biketour Sportis Espanhol8.Biketour Sportis Espanhol
8.Biketour Sportis Espanhol
 
Poster Mob Sustentavel Murtosa
Poster Mob Sustentavel MurtosaPoster Mob Sustentavel Murtosa
Poster Mob Sustentavel Murtosa
 
Murtosa Final Small
Murtosa Final SmallMurtosa Final Small
Murtosa Final Small
 
0.Dossier Visita ComunicaçãO Social
0.Dossier Visita ComunicaçãO Social0.Dossier Visita ComunicaçãO Social
0.Dossier Visita ComunicaçãO Social
 
6.1.óRbita
6.1.óRbita6.1.óRbita
6.1.óRbita
 
6.3.óRbita
6.3.óRbita6.3.óRbita
6.3.óRbita
 
6.2.óRbita
6.2.óRbita6.2.óRbita
6.2.óRbita
 
5.2.Abimota
5.2.Abimota5.2.Abimota
5.2.Abimota
 
5.1.Abimota
5.1.Abimota5.1.Abimota
5.1.Abimota
 
2.Ecoinside Bioria
2.Ecoinside Bioria2.Ecoinside Bioria
2.Ecoinside Bioria
 
3.Inova Ria Uw Ponto C Mio
3.Inova Ria  Uw Ponto C Mio3.Inova Ria  Uw Ponto C Mio
3.Inova Ria Uw Ponto C Mio
 
1.4.SíNtese Das ConclusõEs ConferêNcia Turismo CicláVel
1.4.SíNtese Das ConclusõEs ConferêNcia Turismo CicláVel1.4.SíNtese Das ConclusõEs ConferêNcia Turismo CicláVel
1.4.SíNtese Das ConclusõEs ConferêNcia Turismo CicláVel
 
1.3. Objectivos Da ConferêNcia Planear O Lazer E O Turismo CicláVel Em Portugal
1.3. Objectivos Da ConferêNcia Planear O Lazer E O Turismo CicláVel Em Portugal1.3. Objectivos Da ConferêNcia Planear O Lazer E O Turismo CicláVel Em Portugal
1.3. Objectivos Da ConferêNcia Planear O Lazer E O Turismo CicláVel Em Portugal
 
1.1.Newsletter Murtosa CicláVel
1.1.Newsletter Murtosa CicláVel1.1.Newsletter Murtosa CicláVel
1.1.Newsletter Murtosa CicláVel
 
7.Ideiabiba Ryk B
7.Ideiabiba Ryk B7.Ideiabiba Ryk B
7.Ideiabiba Ryk B
 
1.2.SíNtese Projecto Ciclo Ria
1.2.SíNtese Projecto Ciclo Ria1.2.SíNtese Projecto Ciclo Ria
1.2.SíNtese Projecto Ciclo Ria
 

Último

Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...manoelaarmani
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfddddddddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIAHisrelBlog
 
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdfLINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdfAnaRitaFreitas7
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfalexandrerodriguespk
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfCosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfalexandrerodriguespk
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Mary Alvarenga
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoPaula Meyer Piagentini
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxssuser86fd77
 

Último (20)

Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
 
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdfLINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfCosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
 

4.Incubadora Em Rede Ua

  • 1. FICHA TÉCNICA DO PROJECTO INCUBADORA EM REDE Objectivos O presente projecto tem como objectivo geral promover a competitividade e a coesão territorial, nomeadamente através do fomento do empreendedorismo e inovação, com base na criação de uma Plataforma que potencie e apoie a criação sustentada de novas empresas capazes alavancar o desenvolvimento da própria região. Esta Plataforma, integrada por vários agentes regionais, e susceptível de ser reforçada e alargada num futuro próximo, permitirá uma optimização de recursos e infra-estruturas numa lógica de eficiência colectiva. Assim, são definidos os seguintes objectivos específicos: • Promover e consolidar uma cultura de empreendedorismo e inovação na região de Aveiro, com enfoque nas faixas etárias infantis e juvenis; • Proporcionar condições de suporte logístico, operacional, financeiro e técnico para a criação e expansão de novas empresas; • Promover a criação de empresas com elevado potencial, não só capazes de criar emprego especializado, como de nuclear a fundação de novas empresas fornecedoras/parceiras destas, nos vários municípios aderentes; • Promover a atracção e fixação de talentos na região de Aveiro; • Dinamizar o investimento empresarial; • Promover o desenvolvimento de empresas locais através de sinergias como as novas empresas estabelecidas no município e/ou vocacionadas para a valorização de recursos endógenos da região; • Reforçar a articulação, numa base territorial alargada, entre as empresas, associações empresariais, a Universidade de Aveiro e outras entidades estratégicas para o desenvolvimento regional; • Promover a participação dos municípios em acções concertadas de desenvolvimento regional, incluindo projectos nacionais e internacionais. Página 1 de 3
  • 2. Descrição Sumária do Projecto De forma a responder aos vários desafios que as regiões enfrentam actualmente, é definido como missão a contribuição para o desenvolvimento e rejuvenescimento do tecido económico regional, maximizando as sinergias geradas em rede, através do apoio ao desenvolvimento de novos projectos empresariais, bem como à modernização das empresas existentes, permitindo um crescimento económico e social sustentável de cada Município. Apesar da ambição espelhada na missão possibilitar uma actuação em vários domínios, pretende-se constituir uma estrutura, a Plataforma de Apoio e Valorização do Empreendedorismo e Inovação da Região de Aveiro, que permita agregar, em torno de objectivos concretos, por um lado, os vários Municípios do Baixo Vouga e, por outro, parceiros estratégicos essenciais para o desenvolvimento regional, designadamente a Universidade de Aveiro, e associações empresariais, nomeadamente a AIDA. A criação desta estrutura de trabalho permitirá apoiar a inovação empresarial da região de Aveiro, através da promoção de uma cultura de inovação e do estímulo ao desenvolvimento de projectos empresariais de base tecnológica, segundo essencialmente três eixos estratégicos: Eixo 1: Promover a criação de novas empresas como factor indutor da renovação empresarial; Eixo 2: Promover o desenvolvimento de uma cultura de empreendedorismo e inovação; Eixo 3: Potenciar a participação dos Municípios em programas de apoio ao empreendedorismo e inovação, de âmbito nacional e internacional Principais Resultados Esperados Pretende-se que o presente projecto tenha um impacto significativo na região de Aveiro, não só ao nível do desenvolvimento económico, mas também ao nível da coesão e competitividade regional. Deste modo, o comprometimento e envolvimento real de todos os promotores revela-se determinante. Apenas assim será possível a concretização com sucesso das várias acções. O sucesso do projecto pode conduzir a resultados que dificilmente seriam alcançados por acções individuais dos vários promotores, sendo os mais relevantes: Página 2 de 3
  • 3. Estruturação e alargamento da rede inicialmente constituída na UA de parceiros, investigadores e agentes facilitadores de transferência de tecnologia, facilitando o acesso aos vários actores regionais; Criação de um sistema de gestão de espaços de incubação flexível, com um menor custo de implementação e exploração, permitindo que cada munícipe tenha acesso a este sistema na sua área de residência/implementação; Criação de mecanismos de cooperação inter-municipal e entre vários actores regionais de inovação, de modo a potenciar a afirmação da sub-região no panorama regional, nacional e Internacional. Acesso a informação e suporte no desenvolvimento de candidaturas a programas de financiamento do desenvolvimento regional, de forma a garantir o apoio adicional em áreas fulcrais para os Municípios; Fortalecimento da capacidade de inovação e competitividade das empresas implementadas nos vários municípios, através do acesso privilegiado a tecnologias serviços especializados desenvolvidos na Universidade de Aveiro; Criação de plataformas/consórcios empresariais que permitam às empresas posicionarem-se internacionalmente e de forma mais competitiva no mercado global. A concretização do projecto num espaço temporal alargado determina, por um lado, a necessária ponderação relativa à necessidade de recursos e, por outro, o ajustamento dos mesmos às necessidades do projecto, quer as originárias, quer as de ocorrência superveniente, o que implica vencer o mais gratificante dos desafios: cooperar em equipa. Página 3 de 3