Conservação da biodiversidade
em espaço urbano
MCAP – BGC
Mário Miranda - 900680
Biodiversidade urbana – conceitos
gerais
 População urbana em 2009, ultrapassou a marca de 50%
(ONU, 2010).
 Na Europa e...
Biodiversidade urbana – conceitos
gerais
 Zona urbana pode ser relacionada com uma variedade de
condições, tais como: den...
Biodiversidade urbana - definição
 Petersen et al. (2007) define-a como '' a diversidade de
seres vivos em uma área urban...
Biodiversidade urbana – Alguns fatores
antropogénicos
 Biodiversidade urbana também reflete a cultura humana
(Niemelä et ...
Biodiversidade urbana – constrangimentos
e oportunidades
 Segundo Meurk (2003), as cidades são ecossistemas com
alta biod...
Biodiversidade urbana – constrangimentos
e oportunidades
 A crescente urbanização afeta a diversidade biológica porque
mo...
Biodiversidade urbana – constrangimentos
e oportunidades
5. Alterações na composição de espécies e extinção de
espécies;
6...
Índice de biodiversidade de cidade -
Índice de Singapura
 Proposto na reunião (COP – 9 do CDB, 2008) então Ministro
para ...
Índice de biodiversidade de cidade -
Índice de Singapura
 Cidades que aplicaram o índice de Singapura descobriram
que:
1....
Biodiversidade urbana – Plano Estratégico
2011 - 2020
 Os governos locais são unidades de governação a vários níveis,
den...
Biodiversidade urbana – Plano Estratégico
2011 - 2020
 Humanidade depende de ecossistemas saudáveis para
sobreviver, e os...
Biodiversidade urbana – Plano Estratégico
2011 - 2020
 Decisão IX/28, aprovada na COP 9, em Bonn, em 2008, foi a
primeira...
Biodiversidade urbana – Plano Estratégico
2011 - 2020
 Decisão XI/8, aprovada na CDB COP 11, em Hyderabad, em
2012, solic...
Biodiversidade urbana – Sinais de
mudança?
 Uma publicação recente por Muller e Werner (2010) apontou o
importante papel ...
Biodiversidade urbana – Sinais de
mudança?
 A partir de 2000 começaram a ser publicados muitos artigos
sobre biodiversida...
Referências Bibliográficas
 Andersson, E. 2006. Urban landscapes and sustainable cities. Ecology and society, 11, 34. Ava...
Referências Bibliográficas. Cont.
 Muller, N. and Werner, P., 2010. Urban biodiversity and the case for implementing the ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cons. da biodiversidade em espaço urbano

241 visualizações

Publicada em

Biodiversidade em espaço urbano

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
241
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cons. da biodiversidade em espaço urbano

  1. 1. Conservação da biodiversidade em espaço urbano MCAP – BGC Mário Miranda - 900680
  2. 2. Biodiversidade urbana – conceitos gerais  População urbana em 2009, ultrapassou a marca de 50% (ONU, 2010).  Na Europa estima-se que em 2020, 80% irá viver em zonas urbanas (EEA, 2006).  Áreas urbanizadas das cidades tornaram-se o habitat mais expandido do mundo.  Cidades representam cerca de 3% do uso da terra, mas os seus efeitos sobre o clima, recursos, poluição e biodiversidade vão muito além das suas fronteiras municipais (Faeth et al., 2011).
  3. 3. Biodiversidade urbana – conceitos gerais  Zona urbana pode ser relacionada com uma variedade de condições, tais como: densidade populacional, tipo de cobertura do solo ou práticas culturais (Andersson, 2006).  Em ciências sociais está associada à densidade populacional, enquanto em ciências ambientais a definição dominante é cobertura da terra (Marzluff, 2008).  Segundo McIntyre et al., (2000), afirmam que deve existir uma definição quantitativa do urbano que abranja saídas ecológicas e sociais, bem como uma informação base que inclua física, geografia, demografia e fatores sócio económicos e culturais.
  4. 4. Biodiversidade urbana - definição  Petersen et al. (2007) define-a como '' a diversidade de seres vivos em uma área urbana e em coisas vivas da cidade encontram primeiramente seus habitats na estrutura verde urbana ''  Muller (2010) propôs uma descrição mais detalhada: '' a variedade e riqueza de organismos vivos (incluindo a variação genética) e a diversidade de habitats encontrada dentro e à beira de assentamentos humanos ''
  5. 5. Biodiversidade urbana – Alguns fatores antropogénicos  Biodiversidade urbana também reflete a cultura humana (Niemelä et al., 2002).  Comportamento humano e atividades, como cultivo, viajar e urbanização, tem muita influência biodiversidade urbana (Melles 2005).  Espécies de migração de áreas naturais ou rurais para as cidades ocorrem devido à boa oferta de alimentos, a grande variedade de novos nichos ecológicos e a falta de predadores (Meurk 2003).
  6. 6. Biodiversidade urbana – constrangimentos e oportunidades  Segundo Meurk (2003), as cidades são ecossistemas com alta biodiversidade e conteúdo por três razões principais: 1. Por incluírem relíquias de natural (e.g. floresta, rios), bem como habitats semi-naturais (por exemplo, prados, arvoredo, campos); 2. Habitats urbano pode ser variado e distinto; 3. Muitas cidades foram originalmente estabelecidas nos cruzamentos do ecossistema (e.g. estuário, a foz de um rio).
  7. 7. Biodiversidade urbana – constrangimentos e oportunidades  A crescente urbanização afeta a diversidade biológica porque modifica radicalmente a ecologia de paisagens e contribui para a alteração de habitat (Godefroid e Koedam 2003, Andersson 2006).  As consequências da urbanização incluem: 1. Perturbação da terra e conversão para superfícies impermeáveis; 2. O aumento da temperatura, escoamento de água e produção de dióxido de carbono; 3. A remoção da vegetação nativa e introdução de espécies exóticas;
  8. 8. Biodiversidade urbana – constrangimentos e oportunidades 5. Alterações na composição de espécies e extinção de espécies; 6. Alteração da água e ciclos de nutrientes; 7. A degradação, fragmentação e isolamento de habitats naturais
  9. 9. Índice de biodiversidade de cidade - Índice de Singapura  Proposto na reunião (COP – 9 do CDB, 2008) então Ministro para Desenvolvimento Nacional de Singapura propôs a criação de um índice de biodiversidade de cidade para os esforços de conservação de referência de biodiversidade das cidades.  Esta é uma ferramenta de auto avaliação para ajudar cidades a avaliar e aferir os seus esforços de conservação da biodiversidade.  É composto por: a) O "perfil da cidade", que fornece informações básicas sobre a cidade; e  b) Os 23 indicadores que medem a biodiversidade nativa, serviços de ecossistema prestados pela biodiversidade e governança e gestão da biodiversidade, com base em diretrizes e metodologia fornecida no Manual do usuário sobre o índice de Singapura na biodiversidade das cidades.
  10. 10. Índice de biodiversidade de cidade - Índice de Singapura  Cidades que aplicaram o índice de Singapura descobriram que: 1. O processo facilitado de capacitação em conservação da biodiversidade; 2. Os indicadores também funcionam como diretrizes de conservação da biodiversidade; e 3. O marcador quantitativo poderia auxiliar na definição das prioridades para a alocação de ações e orçamento de conservação.
  11. 11. Biodiversidade urbana – Plano Estratégico 2011 - 2020  Os governos locais são unidades de governação a vários níveis, dentro dos países e são responsáveis perante os governos nacionais, em diferentes graus. Eles são da maior importância em apoiar a implementação da CDB, porque eles são responsáveis para a ação que deve seguir muitas das decisões tomadas pelos governos nacionais.  Os governos locais definem a política de ambiente e desenvolvimento local, são responsáveis para o ordenamento do território e desenvolvem e gerenciam a infraestrutura de que dependem e/ou impacto da biodiversidade, tais como água e sistemas de gestão de resíduos.
  12. 12. Biodiversidade urbana – Plano Estratégico 2011 - 2020  Humanidade depende de ecossistemas saudáveis para sobreviver, e os produtores e os consumidores a nível local podem tomar direto a ação proteger esses recursos inestimáveis.  Reconhecendo estes problemas e com o apoio de várias organizações tais como o ICLEI – governos locais pela sustentabilidade, as partes da CDB, cada vez mais procuram envolver-se com governos locais para acelerar e melhorar a implementação da Convenção.
  13. 13. Biodiversidade urbana – Plano Estratégico 2011 - 2020  Decisão IX/28, aprovada na COP 9, em Bonn, em 2008, foi a primeira decisão sobre cidades e governos locais a adotar ao abrigo de um acordo ambiental multilateral das Nações Unidas.  Decisão X / 22, aprovada na COP 10, em Nagoya, em 2010, incluiu um plano de ação para os governos locais, cidades e outras autoridades locais para a biodiversidade (2011-2020), espelhando o plano estratégico para a biodiversidade 2011- 2020, que orienta a Convenção para a década
  14. 14. Biodiversidade urbana – Plano Estratégico 2011 - 2020  Decisão XI/8, aprovada na CDB COP 11, em Hyderabad, em 2012, solicitou ao secretário executivo para apoiar as atividades da Parceria Global, bem como partes convidativas para desenvolver e apoiar iniciativas que facilitam a implementação local da Convenção e ferramentas.  CDB COP 12 em Pyeongchang, Coreia do Sul, em 2014 foi a quarta consecutiva reunião da Conferência das partes da CDB que partes adotaram uma decisão (Decisão XII/9), cidades e governos locais, e o primeiro com foco na urbanização sustentável.
  15. 15. Biodiversidade urbana – Sinais de mudança?  Uma publicação recente por Muller e Werner (2010) apontou o importante papel que a biodiversidade urbana pode desempenhar na Convenção de a meta da Diversidade Biológica de 2010 para parar a perda de biodiversidade.  Estudos sobre a biodiversidade urbana ganharam novo impulso a partir do momento que pesquisadores demonstraram sua importância para a conservação global de espécies (Meurk 2003, Yokohari e Amati 2005).  Os espaços verdes, como parques urbanos também começaram a chamar a atenção e o interesse dos cientistas (Thompson 2002, Bryant 2006).
  16. 16. Biodiversidade urbana – Sinais de mudança?  A partir de 2000 começaram a ser publicados muitos artigos sobre biodiversidade, provando o quanto é importante este tema para a conservação e desempenhando um papel fundamental na redução do fosso entre as pessoas e a natureza (Miller, 2005).  Abordagens podem facilitar diálogos entre pesquisadores, gestores, formuladores de política e os cidadãos sobre a biodiversidade urbana, focando cada vez mais uma participação ativa dos mesmos no encaminhamento para uma mudança sustentável em toda a biodiversidade.
  17. 17. Referências Bibliográficas  Andersson, E. 2006. Urban landscapes and sustainable cities. Ecology and society, 11, 34. Available from: http://www.ecologyandsociety.org/vol11/iss1/art34.  Bryant, M.M., 2006. Urban landscape conservation and the role of ecological greenways at local and metropolitan scales. Landscape and urban planning, 76, 2344.  EEA. 2006. Urban sprawl in Europe: the ignored challenge. 10/2006. European Environmental Agency  Faeth, H. S. Bang, C. e Saari, S. (2011). Urban Biodiversity: patterns and mechanisms. New York Academy of Sciences. DOI: 10.1111,/j.1749-6632.2010.05925.x  Godefroid, S. and Koedam, N., 2003. How important are large vs. small forest remnants for the conservation of the woodland flora in an urban context? Global ecology and biogeography, 12, 287298.  Marzluff, J.M., 2008. Urban ecology: an international perspective on the interaction between humans and nature. Springer: New York.  McIntyre, N.E., Knowles-Ya´nez, K., and Hope, D., 2000. Urban ecology as an interdisciplinary field: differences in the use of ‘‘urban’’ between the social and natural sciences. Urban ecosystems, 4, 5_24.  Melles, S., 2005. Urban bird diversity as an indicator of human social diversity and economic inequality in Vancouver, British Columbia. Urban habitats, 3, 2548.  Meurk, C.D., 2003. Cities are cultural and ecological keys to biodiverse futures. In: Greening in the city: bringing biodiversity back into the urban environment. Christchurch, New Zealand: Royal New Zealand Institute of HorticultureMuller, N., 2010. Preface. In: N. Mu¨ ller, P. Werner, and J.G. Kelcey, eds. Urban biodiversity and design. Oxford: Wiley-Blackwell.  Miller, J., 2005. Biodiversity conservation and the extinction of experience. Trends in ecology and evolution, 20, 430434.
  18. 18. Referências Bibliográficas. Cont.  Muller, N. and Werner, P., 2010. Urban biodiversity and the case for implementing the convention on biological diversity in towns and cities. In: N. Muller, P. Werner, and J.G. Kelcey, eds. Urban biodiversity and design. Oxford: Wiley-Blackwell.  Niemela¨, J., et al., 2002. Carabid beetle assemblages (Coleoptera, Carabidae) across urban_rural gradients: an international comparison. Landscape ecology, 17, 387_401.  Petersen, L.K., et al., 2007. Urban lifestyle and urban biodiversity. A Long-Term Biodiversity, Ecosystem and Awareness Research Network, ALTERNet  P. Farinha-Marques , J.M. Lameiras , C. Fernandes , S. Silva & F. Guilherme.(2011) Urban biodiversity: a review of current concepts and contributions to multidisciplinary approaches, Innovation: The European Journal of Social Science Research, 24:3, 247-271, DOI: 10.1080/13511610.2011.592062  United Nations. 2010. World urbanization prospects. The 2009 revision. New York: EaSAP Division, United Nations.  Thompson, C.W., 2002. Urban open space in the 21st century. Landscape and urban planning, 60, 5972.  Yokohari, M. and Amati, M., 2005. Nature in the city, city in the nature: case studies of the restoration of urban nature in Tokyo, Japan and Toronto, Canada. Landscape and ecological engineering, 1, 5359.  https://www.cbd.int/subnational/aichi-biodiversity-targets (acedido em 31/05/2015)  https://www.cbd.int/subnational/cbd-plan-of-action (acedido em 31/05/2015).  http://mdgs.un.org/unsd/mdg/Resources/Static/Products/Progress2010/MDG_Report_2010_Po.pdf (acedido em 30/05/2015.

×