Movimentos das Placas Litosfericas

40.740 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
40.740
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
111
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
236
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Movimentos das Placas Litosfericas

  1. 1. Movimento das Placas Litosféricas
  2. 2. Wegener não conseguiu encontrar a explicação para a movimentação dos continentes, mas cerca de 50 anos depois da sua morte comprovou-se que a sua teoria estava correcta. Os estudos que se realizaram permitiram descobrir que a litosfera está fracturada em diversas placas – placas litosféricas -. São essas placas que se movem, por acção das correntes de convecção da astenosfera. Podemos definir uma placa litosférica como: uma grande porção de litosfera individualizada em que as fronteiras são o rifte e a zona de convergência (fossas abissais, zonas de choque). O planeta possui 8 placas grandes e ainda um conjunto de placas de pequenas dimensões.
  3. 4. Existem 3 tipos de placas litosféricas: <ul><li>continentais: constituídas por litosfera continental </li></ul><ul><li>oceânicas: constituídas por litosfera oceânica </li></ul><ul><li>mista: constituída por litosfera continental e litosfera oceânica </li></ul>Quando se movem, as placas litosféricas podem: <ul><li>afastarem-se uma da outra – movimento de divergência </li></ul><ul><li>aproximarem-se uma da outra – movimento de convergência </li></ul><ul><li>deslizarem uma ao lado da outra – movimento de deslizamento lateral </li></ul>
  4. 5. Os limites entre duas ou mais placas é chamado de fronteira. Existem também 3 tipos de fronteiras, consoante o tipo de movimento das placas litosféricas. <ul><li>fronteira divergente: é a fronteira entre duas placas que se afastam uma da outra; é onde está o rifte e onde nova crosta oceânica é formada. </li></ul>
  5. 6. <ul><li>fronteira convergente: é a fronteira entre duas placas que se aproximam uma da outra; dependendo do tipo de placas envolvidas pode ocorrer afundamento de uma das placas ou um choque e deformação das placas, com a formação de cadeias montanhosas. </li></ul>Convergência entre uma placa oceânica e uma placa continental: A placa oceânica mergulha sob a placa continental num fenómeno conhecido por subducção. Esse fenómeno é responsável pela ocorrência de sismos e vulcões. Na subducção ocorre destruição da placa oceânica.
  6. 7. Convergência entre duas placas oceânicas: A placa mais densa mergulha soba a placa menos densa, ocorrendo também uma subducção. Neste caso ocorre a formação de vulcões submarinos e o aparecimento de ilhas vulcânicas.
  7. 8. Convergência entre duas placas continentais: Como as duas placas têm densidades semelhantes não ocorre subducção. A colisão entre as placas provoca a sobreposição de uma sobre a outra e o enrugamento da crosta, formando cadeias montanhosas. Os Himalaias, na Ásia, e os Alpes, na Europa, foram formados nesse processo.
  8. 9. <ul><li>fronteira ou falha transformante: é a fronteira entre duas placas que deslizam lateralmente uma ao lado da outra. Essas falhas fazem a ligação entre as outras formas de fronteiras. </li></ul>
  9. 10. Comparação entre os diferentes tipos de movimentos das placas litosféricas e os seus respectivos limites.

×