Actos Voluntarios e Involuntarios

40.603 visualizações

Publicada em

dirigido a alunos do 9º ano

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
40.603
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
61
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
158
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Actos Voluntarios e Involuntarios

  1. 1. Actos Voluntários e Involuntários
  2. 3. Actos Voluntários São aqueles que são conscientes e dependem da nossa vontade como por exemplo ler, falar, escrever ou andar. O impulso nervoso é gerado no cérebro e conduzido aos neurónios motores que actuam sobre os órgãos implicados em cada acto. O centro de resposta situa-se no encéfalo. Actos Involuntários São aqueles que não dependem da nossa vontade, como por exemplo a contracção da pupila ao aproximar de um foco de luz, a reacção da mão ao tocar um objecto quente, etc. O centro de resposta situa-se no encéfalo ou na medula espinal. Quando o centro de resposta situa-se na medula espinal tem-se um mecanismo automático de resposta chamado arco reflexo .
  3. 4. No arco reflexo o cérebro também recebe a informação, tomando consciência da reacção efectuada. Essa informação é memorizada e depois tida em conta em acções futuras. Os actos reflexos podem ser classificados em: <ul><li>inatos: são aqueles que nascem connosco; é comum a todas as pessoas. </li></ul><ul><li>condicionados ou adquiridos: são aqueles que se adquirem através da aprendizagem e varia de pessoa para pessoa. Nesse processo o encéfalo intervém memorizando a experiência. </li></ul>
  4. 5. A sucção do bebé durante a amamentação é um acto involuntário inato do ser humano. Travar um carro bruscamente numa situação de emergência é um exemplo de acto involuntário adquirido.

×