O papel dO cOrpO na             cOnstruçãO dO             desenvOlvimentO humanOFeito por:Maria Inês Teixeira nº13André Ro...
ÍndiceÍndice.................................................................................................................
IntroduçãoEste trabalho enquadra-se na disciplina de Área de Integração e é subordinada ao tema: O papeldo corpo na constr...
1.Sistema nervoso CentralÉ importante notar que a divisão que é feita de sistema nervoso em sistema nervoso central eperif...
•   Formação reticular          •   Cerebelo      1.1.1 Estrutura do encéfalo ou cérebro      Os órgãos encefálicos divide...
2. Recebe informação sensorial proveniente da cabeça. Ex: paladar, audição, tacto no                     couro cabeludo   ...
3. São processadas sensações como a pressão, temperatura extrema e dor                           4. Juntamente com outras ...
 áreas primárias, sensoriais   ou   de projecção :   recebem as informações que chegam ao              cérebro( com orige...
Os impulsos nervosos são reações físico-químicas que se verificam nas superfícies dos neurôniose seus processos. Reações s...
são divididas em quatro áreas chamadas de lobos cerebrais, tendo cada uma função diferenciada eespecializadas. O lobo fron...
Lobos temporaisNa zona localizada acima das orelhas e com a função principal de processar os estímulos auditivosencontram-...
são responsáveis pela condução de impulsos das diversas regiões da medula para o encéfalo evice-versa1.1.6 A diferença ent...
responsáveis pela intervenção dos órgãos do sentido, dos músculos e glândulas da cabeça, etambém de alguns órgãos internos...
modificações do ambiente. Por exemplo, quando o indivíduo entra em uma sala com um ar-condicionado que lhe dá frio, o sist...
nervos cranianos, que por sua vez participam da formação dos seguintes pares de nervoscranianos:2.2 Sistema nervoso somáti...
genético, pelo que é importante que se compreenda o seu funcionamento. Por exemplo uma fêmeaGould amarela tem um único gen...
Talassemia geralmente resulta na deficiente produção de globina normal, muitas vezesatravés de mutações em genes regulador...
Daltonismo é o termo usado para denominar a falta de sensibilidade de percepção dedeterminadas cores. As pessoas daltônica...
danificado, um coágulo não se forma e o vaso continua a sangrar por um período excessivo       de tempo. O sangramento pod...
- Genética Clássica - utiliza procedimentos e técnicas da Genética antes da chegada daBiologia Molecular.- Genética de Pop...
A célula é a menor parte dos seres vivos com forma e função definidas. Por essa razão, afirmamosque a célula é a unidade e...
desenvolvimento humano e foi criador do pensamento lógico. Foi um dos maiores pensadores detodos    os   tempos.    Era   ...
ConclusãoNo final deste trabalho ficamos a saber mais sobre o nosso cérebro, os seus constituintes e assuas principais fun...
24
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O papel do corpo na construção do desenvolvimento humano inês andré

1.751 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.751
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
393
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O papel do corpo na construção do desenvolvimento humano inês andré

  1. 1. O papel dO cOrpO na cOnstruçãO dO desenvOlvimentO humanOFeito por:Maria Inês Teixeira nº13André Rocha nº510ºPEscola Secundária Abel Salazar 2011/2012Disciplina: Área de Integração
  2. 2. ÍndiceÍndice.................................................................................................................................................................. 2 Introdução......................................................................................................................................................31.Sistema nervoso Central..................................................................................................................................4 1.1 O cérebro..................................................................................................................................................4 1.1.1 Estrutura do encéfalo ou cérebro..........................................................................................................5 1.1.2 Neurónios..............................................................................................................................................8 1.1.3 Hemisférios do cérebro humano...........................................................................................................9 1.1.4 Lobos cerebrais......................................................................................................................................9 1.1.5 Espinal Medula....................................................................................................................................11 1.1.6 A diferença entre o cérebro humano e o animal.................................................................................122. Sistema nervoso periférico...........................................................................................................................12 2.1 Sistema nervoso autónomo ...................................................................................................................13 2.1.1 Sistema nervoso simpático e parassimpático......................................................................................14 2.2 Sistema nervoso somático......................................................................................................................153. Genética .......................................................................................................................................................15 3.1 Hereditariedade .....................................................................................................................................15 3.1.1 Fatores ligados ao Sexo .......................................................................................................................15 3.2 Principais distúrbios e alterações de origem genética: ..........................................................................16 3.3 O que é o genoma humano ...................................................................................................................19 3.4 A utilidade do genoma humano .............................................................................................................19 3.5 Principais áreas da Genética ..................................................................................................................19 3.6 Os experimentos de Mendel ..................................................................................................................204. As Células Constituem os Seres Vivos...........................................................................................................205. A razão, emoção e o cérebro........................................................................................................................21Conclusão.........................................................................................................................................................23 2
  3. 3. IntroduçãoEste trabalho enquadra-se na disciplina de Área de Integração e é subordinada ao tema: O papeldo corpo na construção do desenvolvimento humano.Como todos sabem o cérebro é um dos nossos órgãos mais importantes, se não mesmo o maisimportante. O papel dele no nosso corpo é extremamente importante pois é ele que comanda asnossas ações e a forma como os nossos órgãos trabalham tornando-o muito sensível mascomplexo fazendo com que as suas doenças sejam ainda mais difíceis de tratar.Neste trabalho vamos falar sobre o cérebro, os seus constituintes e as suas funções.Até hoje os cientistas tentam desvendar ainda grandes dos seus mistérios e maneiras de combatercertas doenças que nele aparecem. Com este trabalho vamos tentar entender um pouco desteórgão essencial para a nossa sobrevivência.Está um pouco desorganizado e devia indicar mais alguns temas que iam se desenvolvidos 3
  4. 4. 1.Sistema nervoso CentralÉ importante notar que a divisão que é feita de sistema nervoso em sistema nervoso central eperiférico é basicamente funcional, sendo conveniente para fins didáticos.O SNC é formado pelo encéfalo, alojado na caixa craniana e pela espinal medula. As propriedadesespeciais da parte central do sistema nervoso residem em complexas interconexões de neurónios,nas quais surgem os padrões apropriados de resposta aos estímulos provenientes do meio externoe internos.1.1 O cérebro O cérebro, a medula espinhal, o bulbo ou medula oblonga, o cerebelo e a ponte são exemplosde partes do nosso sistema nervoso que pertencem ao Sistema Nervoso Central, mais para afrente vamos falar de cada um deles. O cérebro é a parte do sistema nervoso central que fica dentro do crânio. É a parte maisdesenvolvida e a mais volumosa do encéfalo, pesa cerca de 1,3 kg e é uma massa de tecido cinza-róseo. Quando cortado, o cérebro apresenta duas substâncias diferentes: uma branca, que ocupao centro, e outra cinzenta, que forma o córtex cerebral. O córtex cerebral está dividido em mais dequarenta áreas funcionalmente distintas. Cada uma delas controla uma atividade específica. Apresença de grandes áreas cerebrais relacionadas ao controle da face e das mãos explica por queessas partes do corpo têm tanta sensibilidade. No córtex estão agrupados os neurónios. Imagem Erro! Não existe nenhum texto com o estilo especificadoTambém existe o encéfalo que é o centro do sistema nervoso em grandes divisões do sistema nervoso central no documento.-1- As todos os animais vertebrados, eem muitos invertebrados.É importante fazer uma diferenciação do encéfalo e do cérebro: o encéfalo é um conjunto deestruturas que estão anatomicamente e fisiologicamente ligadas, sendo elas: • Bulbo raquidiano • Hipotálamo • Corpo caloso • Cérebro • Tálamo 4
  5. 5. • Formação reticular • Cerebelo 1.1.1 Estrutura do encéfalo ou cérebro Os órgãos encefálicos dividem-se em três estruturas que integram: • Metencéfalo ou cérebro posterior Tem +/- 1 bilião de células, destas 100 milhões são neurónios interligados • Mesencéfalo ou cérebro médio • Protencéfalo ou cérebro anterior ProtencéfaloMesencéfalo Cerebelo Metencéfalo Bulbo raquidiano Protuberância Figura 1- Estrutura do encéfalo Cérebro posterior ⇒ BOLBO RAQUIDIANO  Prolongamento superior da espinal medula que a liga ao encéfalo  Possui funções semelhantes às da espinal medula Função: 1. Constitui centro de atividade reflexa e conduz impressões á parte superior do cérebro 5
  6. 6. 2. Recebe informação sensorial proveniente da cabeça. Ex: paladar, audição, tacto no couro cabeludo 3. Envia impulsos de controlo motor à cabeça. Ex: mastigar, engolir, respirar 4. Intervém no ritmo respiratório e cardíaco 5. Intervém noutras funções ligadas à preservação da vida. Ex: sono  CEREBELO  Formado por 2 hemisférios entre si na parte inferior Manutenção do equilíbrio e coordenação motoraFunção: 1. Manutenção do equilíbrio e coordenação motora 2. Controlo da actividade muscular (importante em jogos como o ping.pong ou tocar piano)  PROTUBERÂNCIA  Saliência inclinada acima do bolo raquidiano  Local de passagem da fibra nervosa que unem os diferentes níveis do sistema nervoso central Função: 1. Importante no macanismo do sonoCérebro médio ou mesencéfalo  TÁLAMO  Constituído por substâncias cinzentas situadas perto do cérebro Função: 1. Retransmite, para as respetivas áreas do córtex cerebral, a maior parte das informações visuais, auditivas e tácteis 2. Passam por eles as respostas do córtex cerebral que são enviadas para o cerebelo e para o bolbo raquidiano 6
  7. 7. 3. São processadas sensações como a pressão, temperatura extrema e dor 4. Juntamente com outras estruturas é importante na regulação do sono e estados de alerta  HIPOTALÁMO (às vezes aparece como fazendo parte do sistema límbico)  Constituído por um pequeno grupo de núcleos que se encontram sob tálamo  Está em ligação com a hipófise  Pesa +/- 4g  SISTEMA LÍMBICO  importante na existência e expressão da emoção, na motivação e comportamentos agressivos.Este é constituído por:AMIGDALA: Ou também chamada de amêndoa. Este órgão é importante nas manifestações de agressão emedo, sua estimulação provoca medo e ansiedade.A sua amputação em macacos tornou-os mais dóceis. António Damásio nasceu em Lisboa a 25 de Fevereiro em 1944, é um médico neurologista e foi ele que demonstrou que lesões nas estruturas das amígdalas causaram incapacidade de reconhecer a expressão facial de medo. HIPOCAMPO: Situa-se no córtex, no interior do cérebro. É uma parte do cérebro importante para armazenar lembranças o que faz com que seja uma das zonas afetada pela doença de Alzheimer. CORTEX CEREBRAL: O interior do cérebro é constituído por uma substância branca e o exterior por uma fina camada cinzenta, o córtex cerebral. É graças a ele Figura 2 – Esquema do cérebro médio que é possível falar, pensar, perceber o que se ouve e oque se vê, é o que nos torna humanos. O córtex cerebral divide-se em duas partes: 7
  8. 8.  áreas primárias, sensoriais ou de projecção : recebem as informações que chegam ao cérebro( com origem nos órgãos dos sentidos) enviando-as para as áreas secundárias, possuem também funções motoras.  áreas secundárias, psicossensoriais ou de associação : interpretam, integram, organizam e coordenam as informações provenientes das zonas primárias. 1.1.2 Neurónios O neurónio, do português de Portugal ou neurônio do português brasileiro, é a célula do sistema nervoso responsável pela condução do impulso nervoso na qual está localizada no cérebro. Há cerca de 86 bilhões (até 20 de fevereiro de 2009 se especulava que havia 100 bilhões) de neurônios no sistema nervoso humano. O neurônio é constituído pelas seguintes partes: corpo celular (onde se encontra o núcleo celular), dendritos (prolongamentos numerosos e curtos do corpo celular, recetoresFigura 4 – esquema do neurónio de mensagens), axônio (prolongamento que transmite o impulso nervoso vindo do corpo celular) e telodendritos. O neurônio pode ser considerado a unidade básica da estrutura do cérebro e do sistema nervoso. A membrana exterior de um neurônio toma a forma de vários ramos extensos chamados dendritos, que recebem sinais elétricos de outros neurônios, e de uma estrutura a que se chama um axônio que envia sinais elétricos a outros neurônios. O espaço entre o Figura 3 – Transmissões nervosas dendrito de um neurônio e os telodendritos de outro é o que se chama uma fenda sináptica: os sinais são transportados através das sinapses por uma variedade de substâncias químicas chamadas neurotransmissores. O córtex cerebral é um tecido fino composto essencialmente por uma rede de neurônios densamente interligados tal que nenhum neurônio está a mais do que algumas sinapses de distância de qualquer outro neurônio. Os neurônios recebem continuamente impulsos nas sinapses de seus dendritos vindos de milhares de outras células. Os impulsos geram ondas de corrente elétrica (excitatória ou inibitória; cada uma num sentido diferente) através do corpo da célula até a uma zona chamada a zona de disparo, no começo do axônio. É aí que as correntes atravessam a membrana celular para o espaço extracelular e que a diferença de voltagem que se forma na membrana determina se o neurônio dispara ou não. Os neurônios caracterizam-se pelos processos que conduzem impulsos nervosos para o corpo e do corpo para a célula nervosa. 8
  9. 9. Os impulsos nervosos são reações físico-químicas que se verificam nas superfícies dos neurôniose seus processos. Reações semelhantes ocorrem emmuitos outros tipos de células mas elas são maisnotáveis nos neurônios, cujos caracteres estruturais sedestinam a facilitar a transmissão dos impulsos agrandes distâncias.1.1.3 Hemisférios do cérebro humano O cérebro é dividido em hemisférios esquerdo edireito, sendo o primeiro dominante em 98% dos humanos, já que é responsável pelo pensamentológico e competência comunicativa. Isso porque nele estão duas áreas especializadas, a Área de Broca, córtex responsável pela motricidade da fala; e a Área de Wernick, córtex responsável pela compreensão verbal. Já o hemisfério direito é quem cuida do pensamento simbólico e da criatividade. Nos canhotos estas funções destinadas aos hemisférios estão trocadas. A conexão entre os dois hemisférios é feita pela fissura sagital ou inter-hemisférica, onde está Figura 4- Esquema dos hemisférios do localizado o corpo caloso. cérebro Essa estrutura, composta por fibras nervosas brancas (axônios envolvidos em mielina) faz uma ponte para a troca de informações entre as muitas áreas do córtex cerebral. Ambos os hemisfériospossuem um córtex motor, que controla e coordena a motricidade voluntária. O córtex motor dohemisfério direito controla o lado esquerdo do corpo do indivíduo, enquanto que o do hemisférioesquerdo controla o lado direito. Um trauma nesta área pode causar fraqueza muscular ou paralisiano indivíduo.1.1.4 Lobos cerebraisNo cérebro há uma distinção visível entre a chamada massa cinzenta (córtex cerebral constituídopor neurónios) e a massa branca, constituída poraxónios que entreligam os neurónios. O córtexcerebral humano é um tecido fino (como umamembrana) que tem uma espessura entre 1 e 4 mm euma estrutura laminar formada por 6 camadasdistintas de diferentes tipos de corpos celulares deneurónios. As diferentes partes do córtex cerebral 9 Figura 5 – esquema dos lobos cerebrais
  10. 10. são divididas em quatro áreas chamadas de lobos cerebrais, tendo cada uma função diferenciada eespecializadas. O lobo frontal fica localizado na região da testa; o lobo occipital, na região da nuca;o lobo parietal, na parte superior central da cabeça; e os lobos temporais, nas regiões laterais dacabeça, por cima das orelhas. Os lobos parietais, temporais e occipitais estão envolvidos naprodução das perceções resultantes daquilo que os nossos órgãos sensoriais detetam no meioexterior e da informação que fornecem sobre a posição e relação com objetos detetam no meioexterior e da informação que fornecem sobre a posição e relação com objetos exteriores dasdiferentes partes do nosso corpo.exteriores das diferentes partes do nosso corpo.Lobo frontalNo lobo frontal, localizado na parte da frente do cérebro (testa), acontece o planejamento de açõese movimento, bem como o pensamento abstrato. Nele estão incluídos o córtex motor e o córtexpré-frontal. O córtex motor controla e coordena a motricidade voluntária, sendo que o córtex motordireito controla o lado esquerdo do corpo, enquanto que o esquerdo controla o lado direito. Umtrauma nesta área pode causar fraqueza muscular ou paralisia. A aprendizagem motora e osmovimentos de precisão são executados pelo córtex pré-motor, que fica mais ativa do que orestante do cérebro quando se imagina um movimento sem executá-lo. Lesões nesta área nãochegam a fazer com que o individuo venha sofrer uma paralisia ou problemas para planejar ou agir,no entanto a rapidez com que se faz movimentos e automáticos como a fala e o gesto podem sercomprometidos. A atividade no lobo frontal de um indivíduo aumenta somente quando este sedepara com uma tarefa difícil em que ele terá que descobrir uma sequência de ações que minimizeo número de manipulações necessárias para resolvê-la.Lobos occipitaisLocalizados na parte inferior do cérebro e cobertos pelo córtex cerebral, os lobos occipitaisprocessam os estímulos visuais, daí também serem conhecidos por córtex visual. Possuem váriassubáreas que processam os dados visuais recebidos do exterior depois destes terem passado pelotálamo, uma vez que há zonas especializadas a visão da cor, do movimento, da profundidade, dadistância e assim por diante. Depois de passarem por esta área, chamada área visual primária,estas informações são direcionadas para a área de visão secundária, onde são comparadas comdados anteriores, permitindo assim o indivíduo identificar, por exemplo, um gato, uma moto ou umamaçã. O significado do que vemos, porém, é dado por outras áreas do cérebro, que se comunicamcom a área visual, considerando as experiências passadas e nossas expectativas. Isso faz comque o mesmo objeto não seja percepcionado da mesma forma por diferentes indivíduos. Quandoesta área sofre uma lesão provoca a impossibilidade de reconhecer objetos, palavras e até mesmorostos de pessoas conhecidas ou de familiares. Esta deficiência é conhecida como agnosia. 10
  11. 11. Lobos temporaisNa zona localizada acima das orelhas e com a função principal de processar os estímulos auditivosencontram-se os lobos temporais. Como acontece nos lobos occipitais, as informações sãoprocessadas por associação. Quando a área auditiva primária é estimulada, os sons sãoproduzidos e enviados à área auditiva secundária, que interage com outras zonas do cérebro,atribuindo um significado e assim permitindo ao indivíduo reconhecer ao que está ouvindo.Lobos parietaisNa região superior do cérebro temos os lobos parietais, constituídos por duas subdivisões, aanterior e a posterior. A primeira, também chamada de córtex somatossensorial, tem a função depossibilitar a percepção de sensações como o tato, a dor e o calor. Por ser a área responsável emreceber os estímulos obtidos com o ambiente exterior, representa todas as áreas do corpohumano. É a zona mais sensível, logo ocupa mais espaço do que a zona posterior, uma vez quetem mais dados a serem interpretados, captados pelos lábios, língua e garganta. A zona posterior éuma área secundária e analisa, interpreta e integra as informações recebidas pela anterior, que é azona primária, permitindo ao indivíduo se localizar no espaço, reconhecer objetos através do tatoetc.1.1.5 Espinal MedulaA espinal medula é um longo cordão composto por células nervosas que liga o cérebro a todos osnervos do teu corpo. Parte da base do crânio edesce ao longo das costas, pelo interior da colunavertebral. A maioria das mensagens nervosaspassa através da medula espinal no seu caminhopara o cérebro. A espinal-medula tem,aproximadamente 40cm. Figura 6 – esquema da espinal medula  Funções da medula espinalA medula espinal elabora respostas simples para certos estímulos. Essas respostas medulares,denominadas atos reflexos, permitem ao organismo reagir rapidamente em situações deemergência. A medula funciona também como uma estação retransmissora para o encéfalo.Informações colhidas nas diversas partes do corpo chegam à medula, de onde são retransmitidasao encéfalo para serem analisadas. Por outro lado, grande parte das ordens elaboradas noencéfalo passa pela medula antes de chegar aos seus destinos. A parte externa da medula, de corbranca, é constituída por feixes de fibras nervosas mielinizadas, denominados tratos nervosos, que 11
  12. 12. são responsáveis pela condução de impulsos das diversas regiões da medula para o encéfalo evice-versa1.1.6 A diferença entre o cérebro humano e o animalCriaturas mais complexas formam colunas. Animais que têm umacoluna possuem um cérebro e uma medula espinal. Entre estesanimais, os peixes possuem o cérebro mais simples. Ele não émuito maior que o olho do peixe. Animais maiores como asbaleias ou elefantes precisam de cérebros maiores. O cérebrohumano não é tão grande como o da baleia, mas é grandequando comparado com o tamanho do nosso corpo. O nossocérebro é bem maior do que os dos nossos ancestrais.O cérebro quanto mais rugas tem, mais neurónios tem. O cérebrohumano tem mais pregas e rugas do que muitos outros Figura 7- Comparação de cérebrosanimais. Essa é a maneira de se saber a complexidade deum animal. Por exemplo, o cérebro de um esquilo é muito liso comparado com o do ser humano,por isso não é tão complexo. Alguns animais, como os golfinhos e as baleias têm os cérebrosquase tão enrugados como os nossos.2. Sistema nervoso periférico O sistema nervoso periférico, chamado simplesmente de SNP, é a parte do sistema nervosoque se encontra fora do sistema nervoso central (SNC). Segundo o Gray, (1858) é constituído porfibras (nervos), gânglios nervosos e órgãos terminais. Os nervos se dividem em três tipos: • Nervos Sensitivos: são os nervos que têm o papel de transmitir os impulsos nervosos do órgão receptor até ao SNC; • Nervos Motores: conduzem o impulso codificado no encéfalo (SNC), até ao órgão efetor; • Nervos Mistos: tem o mesmo papel que os nervos sensitivos e motores ao mesmo tempo. Outros nervos:Nervos cranianos São os nervos ligados ao encéfalo, enquanto nervos ligados à medula espinal sãodenominados nervos espinais ou raquidianos. Possuímos doze pares de nervos cranianos, 12
  13. 13. responsáveis pela intervenção dos órgãos do sentido, dos músculos e glândulas da cabeça, etambém de alguns órgãos internos.Nervos espinais ou raquidianos Dispõem-se em pares ao longo da medula, um par por vértebra. Cada nervo do par liga-selateralmente à medula por meio de duas "raízes", uma localizada em posição mais dorsal e outraem posição mais ventral. A raiz dorsal de um nervo espinal é formada por fibras sensitivas e a raiz ventral, por fibrasmotoras.Gânglios espinais Na raiz dorsal de cada nervo espinal há um gânglio, o gânglio espinal, onde se localizam oscorpos celulares dos neurônios sensitivos. Já os corpos celulares dos neurônios motores localizam-se dentro da medula, na substância cinzenta. Os nervos espinais ramificam-se perto da medula eos diferentes ramos inervam os músculos, a pele e as vísceras. Os órgãos receptores são os órgãos dos sentidos (visão, audição, olfato, paladar e corpúsculostáteis) com conexões nervosas adaptados à transdução (é um dispositivo que recebe um sinal e oretransmite, independentemente de conversão de energia) dos diferentes tipos de estímuloscaptados no mundo exterior. Já os órgãos efetores são basicamente as glândulas e os músculoslisos e estriados. Diferentemente do sistema nervoso central, o sistema nervoso periférico não seencontra protegido pela barreira hematoencefálica (é uma estrutura membrânica que atuaprincipalmente para proteger o SNC de substâncias químicas presentes no sangue, permitindo aomesmo tempo a função metabólica normal do cérebro). É graças a este sistema que o cérebro e amedula espinhal recebem e enviam as informações permitindo-nos reagir às diferentes situaçõesque têm origem no meio externo ou interno. O sistema nervoso periférico, organiza-se em plexos e funções pode ser dividido em duasclasses diferentes dependendo da origem ou terminação dos terminais nervosos que o constituem.Se os nervos começarem, ou acabarem, no encéfalo, temos aí os pares nervosos cranianos, masse estes começarem na medula espinhal estamos perante pares nervosos raquidianos. Quanto àfunções pode-se distinguir o sistema nervoso autônomo e o somático / sensorial.2.1 Sistema nervoso autónomo É a parte do sistema nervoso que está relacionada ao controle da vida vegetativa, ou seja,controla funções como a respiração, circulação do sangue, controle de temperatura e digestão. Fazparte deste sistema: o sistema nervoso simpático e parassimpático. No entanto, ele não serestringe a isso. É também o principal responsável pelo controle automático do corpo frente às 13
  14. 14. modificações do ambiente. Por exemplo, quando o indivíduo entra em uma sala com um ar-condicionado que lhe dá frio, o sistema nervoso autônomo começa a agir, tentando impedir umaqueda de temperatura corporal. Dessa maneira, seus pelos se arrepiam (devido a contração domúsculo pilo-eretor) e ele começa a tremer para gerar calor. Ao mesmo tempo ocorrevasoconstrição nas extremidades para impedir a dissipação do calor para o meio. Essas medidas,aliadas à sensação desagradável de frio, foram as principais responsáveis pela sobrevivência deespécies em condições que deveriam impedir o funcionamento de um organismo. Dessa maneira,pode-se perceber que o organismo possui um mecanismo que permite ajustes corporais, mantendoassim o equilíbrio do corpo: a homeostasia.2.1.1 Sistema nervoso simpático e parassimpáticoO sistema nervoso simpático estimula ações quepermitem ao organismo responder a situações deestresse, como a reação de lutar, fugir ou umadiscussão. Essas ações são: a aceleração dosbatimentos cardíacos, aumento da pressão arterial,o aumento da adrenalina, a concentração de açúcarno sangue e pela ativação do metabolismo geral docorpo e processam-se de forma automática,independentemente da nossa vontade. Figura 8 – Sistema simpático eAnatomicamente ele é formado por dois grupos de parassimpáticoneurônios pré e pós-ganglionares. Seus neurônios pré-ganglionares se situam na medula espinhal, mais precisamente nos níveis de T1 a L2. Já os seusneurônios pós-ganglionares se situam próximo a coluna vertebral. Fato que justifica a existência deuma fibra pré-ganglionar curta e uma pós-ganglionar longa. Seu principal neurotransmissor nasfibras pré-ganglionares é a acetilcolina, já em suas fibras pós-ganglionares é a noradrenalina. Sistema nervoso parassimpático a parte do sistema nervoso autônomo cujos neurôniosse localizam no tronco cerebral ou na medula sacral, segmentos S2, S3 e S4. É o responsável porestimular ações que permitem ao organismo responder a situações de calma, como fazer yoga oudormir. Essas ações são: a desaceleração dos batimentos cardíacos, diminuição da pressãoarterial, a diminuição da adrenalina e a diminuição do açúcar no sangue. No tronco cerebral, osistema nervoso parassimpático é formado mais especificamente pelos seguintes núcleos de 14
  15. 15. nervos cranianos, que por sua vez participam da formação dos seguintes pares de nervoscranianos:2.2 Sistema nervoso somático O sistema nervoso somático é composto por neurônios que estão submetidos ao controleconsciente para gerar ações motoras voluntárias, resultantes da contração de um músculoesquelético. Sua principal função é inervar a musculatura esquelética, responsável pelas açõesvoluntárias, como a movimentação de um braço ou perna.3. GenéticaA Genética é o ramo da biologia que estuda a transferência das características físicas ebiológicas de geração para geração. Muitas cientistas acreditam que a explicação parainúmeros problemas genéticos se encontra nos genes.3.1 HereditariedadeA hereditariedade é a herança genética que recebemos de nossos antepassados, seja ela,características físicas ou, até mesmo, doenças. Daí a explicação de filhos se pareceremcom o pai, com a mãe, avô, avó, tio, tia e até parentes mais distantes.Uma outra forma de se observar a hereditariedade, é através do cruzamento de um ratobranco de pêlo liso com um rato preto de pêlo eriçado. Os filhotes deste cruzamentocertamente nascerão pretos e com pêlos eriçados, pelo fato dos genes do rato preto seremmais fortes; contudo, quando estes filhotes atingirem a idade adulta, poderão ter crias depêlo branco e liso. Isso se deve a mistura de genes que eles possuem. Atualmente hámuitas pesquisas sobre o código genético. Os cientistas acreditam que graças a estesestudos, futuramente será possível eliminar muitas doenças de origem genética queatingem inúmeras pessoas em todo o mundo.3.1.1 Fatores ligados ao Sexo Existem diversas mutações em muitas espécies quesão controladas e transmitidas por este mecanismo 15 Figura 16- Hereditariedade do sexo
  16. 16. genético, pelo que é importante que se compreenda o seu funcionamento. Por exemplo uma fêmeaGould amarela tem um único gene codominante para costas amarelas e contudo tem costastotalmente amarelas e nunca diluídas (como no caso das machos onde o amarelo perde intensidadeem heterozigóticos). Quando da fertilização os óvulos produzidos pela fêmea transportam ou umcromossoma Z ou W ao qual sevai juntar um cromossoma Z proveniente do macho reformando o parZZ ou ZW conforme a combinação. Assim todos os genes que a mãe tiver no seu cromossoma Z sãopassados aos filhos machos (pois recebem um cromossoma Z da mãe), enquanto que os filhos fêmearecebem o cromossoma W ao qual se junta um dos Z do macho. É por isso que com mutações ligadasao sexo os machos podem produzir descendência com essa mutação (sempre fêmeas) mas para seproduzirem machos também de mutação temos sempre de ter uma fêmea já mutada e um macho nomínimo portador (em que apenas existe o gene mutado num dos dois cromossomas Z).3.2 Principais distúrbios e alterações de origem genética:  Síndrome de Down (acidente genético),Os portadores desta síndrome possuem dificuldades naaprendizagem e incapacidade física bastante variável. O médicoque descreveu esta doença genética foi o britânico John LangdonHaydon Down. Esta deficiência é uma das mais comuns dentro dagenética. As crianças portadoras desta deficiência apresentamdesvantagens em níveis variáveis se comparadas a crianças Figura 9 – Menina comsem a síndrome. síndrome de DownUma delas é seu QI, que raramente é superior a 60. Outracaracterística bastante frequente é a microcefalia (redução no peso e no tamanho do cérebro).Outros fatores que dificultam a aprendizagem destas crianças são deficiências motoras, maiorsusceptibilidade a doenças infecciosas recorrentes, problemas no coração, problemas na visão ena audição. Aspectos como intervenção na aprendizagem, monitoração de problemas comuns aosindivíduos portadores desta síndrome, ambiente familiar estável e muitos outros, contribuem não sópara o bem-estar, como também para o desenvolvimento da criança com síndrome de Down.É sempre importante lembrarmos que ao receberem todo o apoio necessário, como o empenhoindividual dos pais, professores e terapeutas, estas crianças são capazes de apresentar resultadosmuito bons e, em alguns casos, até surpreendentes. Talassemia (desordem hereditária), 16
  17. 17. Talassemia geralmente resulta na deficiente produção de globina normal, muitas vezesatravés de mutações em genes reguladores. Hemoglobinopatias implicam alteraçõesestruturais das próprias globinas. As duas condições podem sobrepor-se, no entanto,desde que algumas doenças que causam alterações nahemoglobina (doenças conhecidas também como Figura 10 – Menino com Talassemiahemoglobinopatias) também afetem a sua produção(talassemia). Assim, algumas talassemias são hemoglobinopatias, mas a maioria não o é.Uma destas condições (ou ambas) pode causar anemia.  Albinismo (distúrbio congênito) A melanina desempenha um papel muito importante, pois é elaque forma uma barreira natural contra as radiações solares. Eladistribui-se pelo corpo inteiro, sendo a responsável não só pela cor,como também pela proteção da pele. Esta alteração genética naprodução de melanina é a responsável pela ausência parcial outotal da pigmentação dos olhos, pele, cabelos e pêlos dos albinos,podendo ocorrer tanto em seres humanos, como também emanimais e plantas.Num organismo que não possui esta falha genética, a melanina é Figura 11 – Menino albinoproduzida através de um aminoácido conhecido como tirosina. Nocaso dos albinos, a tirosinase apresenta-se inativa, consequentemente, não ocorrerá a produção depigmento.A pele do albino é branca, frágil e fotossensível, por esta razão, não deve ser exposta a radiaçãosolar. Nestes indivíduos, a exposição ao sol não produz bronzeamento, ao invés disso, pode causarqueimaduras de graus variados. Pessoas com essa falha na pigmentação são mais suscetíveis adesenvolver câncer de pele precocemente.Há ainda o albinismo ocular, este, é menos severo do que o albinismo tirosinase negativo, pois,neste caso, a única região afetada é os olhos, que, diante desta falha, apresentarão uma variaçãona cor da íris.  Daltonismo (distúrbio genético) 17
  18. 18. Daltonismo é o termo usado para denominar a falta de sensibilidade de percepção dedeterminadas cores. As pessoas daltônicas podem ver cores, mas não conseguem fazer adistinção entre alguns pares de cores complementares.Esse distúrbio, conhecido desde o século XVIII, recebeu esse nome em homenagem a JohnDalton, um químico inglês que foi o primeiro cientista a pesquisar a anomalia ocular que ele mesmoera portador Figura 12 – Teste realizado para se saber se uma pessoa é  Síndrome de Turner (anomalia cromossômica) daltónica ou não.Característica do Portador Quando adultas apresentam geralmente baixa estatura, não maisque 150 cm; linha posterior de implantação dos cabelos baixa (na nuca) ;pescoço alado; retardamento mental; genitálias permanecem juvenis;ovários são atrofiados e desprovidos de folículos, portanto, essasmulheres não procriam, exceto em poucos casos relatados de Turnerférteis; devido à deficiência de estrógenos (hormônio feminino) elas nãodesenvolvem as características sexuais secundárias ao atingir apuberdade, sendo, portanto, identificadas facilmente pela falta desses Figura 13 – Menino comcaracteres; assim, por exemplo, elas não menstruam (isto é, tem síndrome de Turneramenorréia primária); grandes lábios despigmentados; pêlos pubianosreduzidos ou ausentes; desenvolvimento pequeno e amplamente espaçados da mamas ou mamasausentes; pelve andróide, isto é, masculinizada; pele frouxa devido à escassez de tecidossubcutâneos, o que lhe dá aparência senil; unhas estreitas; tórax largo em forma de barril;anomalias renais, cardiovasculares e ósseas No recém nascido, há freqüentemente edemas nasmãos e no dorso dos pés, que leva a suspeitar de anomalia. Não exibem desvios de personalidade,ou seja, sua identificação psicossocial não é afetada.  Hemofilia Deficiências genéticas e um distúrbio autoimune raro podem causar a diminuição da atividade dos fatores de coagulação do plasma sanguíneo, de modo que comprometem a coagulação sanguínea; logo, quando um vaso sanguíneo é 18 Figura 14- Transmissão de hemofilia
  19. 19. danificado, um coágulo não se forma e o vaso continua a sangrar por um período excessivo de tempo. O sangramento pode ser externo, se a pele é danificada por um corte ou abrasão, ou pode ser interno, em músculos, articulações ou órgãos. É a falta dos fatores de coagulação - a hemofilia A tem falta do fator de coagulação VIII, ahemofilia B tem falta do fator de coagulação IX e a hemofilia C tem falta do fator de coagulação XI.A hemofilia A é a mais comum, ocorrendo em 90% dos casos.3.3 O que é o genoma humanoPodemos dizer que genoma é o código genético doser humano, ou seja, o conjunto dos geneshumanos. No material genético podemos encontrartodas as informações para o desenvolvimento efuncionamento do organismo do ser humano. Estecódigo genético está presente em cada uma dasnossas células. O genoma humano apresenta-sepor 23 pares de cromossomos que contem Figura 15- Esquema do genoma humano (ADN)interiormente os genes. Todas as informações sãocodificadas pelo DNA, o ácido desoxirribonucléico. Este ácido, que tem um formato dedupla hélice, (veja figura do DNA acima) é formado por quatro bases que se juntam aospares: adenina com timina e citosina com guanima.3.4 A utilidade do genoma humanoAtravés do mapeamento genético do genoma humano será possível, muito em breve,descobrir a causa de muitas doenças. Muitos remédios e vacinas poderão serdesenvolvidos a partir das informações obtidas pelas pesquisas genéticas. Descobrindo acausa de várias doenças, o ser humano poderá adotar medidas de prevenção. Através depesquisas genéticas e exames, já é possível detectar se um ser humano tem predisposiçãopara sofrer de certas doenças ou se um embrião herdou doenças graves. Em breve,quando forem descobertas as funções de todos os genes humanos, outros benefícios virão.3.5 Principais áreas da Genética- Genética Molecular - enfatiza ao estudo das estruturas e funções dos genes em nívelmolecular. 19
  20. 20. - Genética Clássica - utiliza procedimentos e técnicas da Genética antes da chegada daBiologia Molecular.- Genética de Populações - estuda as mudanças que ocorrem nos alelos com asinfluências das forças evolutivas.- Genética Ecológica - analisa e estuda a Genética levando em conta as interações dosorganismos e destes com o meio ambiente.3.6 Os experimentos de MendelA escolha da plantaA ervilha é uma planta herbácea leguminosaque pertence ao mesmo grupo do feijão e dasoja. Na reprodução, surgem vagenscontendo sementes, as ervilhas. Sua escolhacomo material de experiência não foi casual:uma planta fácil de cultivar, de cicloreprodutivo curto e que produz muitas sementes. Figura 17 – Semente da ervilha- formaçãoDesde os tempos de Mendel existiam muitas genéticavariedades disponíveis, dotadas decaracterísticas de fácil comparação. Por exemplo, a variedade que flores púrpuras podia sercomparada com a que produzia flores brancas; a que produzia sementes lisas poderia sercomparada cm a que produzia sementes rugosas, e assim por diante. Outra vantagem dessasplantas é que estame e pistilo, os componentes envolvidos na reprodução sexuada do vegetal,ficam encerrados no interior da mesma flor, protegidas pelas pétalas. Isso favorece aautopolinização e, por extensão, a autofecundação, formando descendentes com as mesmascaracterísticas das plantas genitoras. A partir da autopolinização, Mendel produziu e separoudiversas linhagens puras de ervilhas para as características que ele pretendia estudar. Porexemplo, para cor de flor, plantas de flores de cor de púrpura sempre produziam comodescendentes plantas de flores púrpuras, o mesmo ocorrendo com o cruzamento de plantas cujasflores eram brancas. Mendel estudou sete características nas plantas de ervilhas: cor da flor,posição da flor no caule, cor da semente, aspecto externo da semente, forma da vagem, cor davagem e altura da planta.4. As Células Constituem os Seres Vivos 20
  21. 21. A célula é a menor parte dos seres vivos com forma e função definidas. Por essa razão, afirmamosque a célula é a unidade estrutural dos seres vivos. A célula - isolada ou junto com outras células -forma todo o ser vivo ou parte dele. Além disso, elatem todo o "material" necessário para realizar asfunções de um ser vivo, como nutrição, produção deenergia e reprodução.Cada célula do nosso corpo tem uma funçãoespecífica. Mas todas desempenham uma atividade"comunitária", trabalhando de maneira integrada comas demais células do corpo. É como se o nossoorganismo fosse uma imensa sociedade de células,que cooperam umas com as outras, dividindo o trabalho Figura 18 – Célula animalentre si. Juntas, elas garantem a execução dasinúmeras tarefas responsáveis pela manutenção da vida. As células que formam o organismo damaioria dos seres vivos apresentam uma membrana envolvendo o seu núcleo, por isso, sãochamadas de células eucariotas. A célula eucariota é constituída de membrana celular, citoplasmae núcleo. É nestas células que se encontram, no núcleo, a nossa informação genética, ADN.5. A razão, emoção e o cérebro O cérebro superior, também chamado de córtex cerebral ou apenas córtex é o lado docerebro que lida com a razão. É o cortex que integra informações de todos os órgãos dos sentidos,inicia as funções motoras, controla as emoções e realiza os processos da memória e dopensamento, expressão de emoções e pensamentos são mais predominantes em mamíferossuperiores. Portanto o hemisfério direito está ligado às emoções e o hemisfério esquerdo estáligado a razão. O cérebro humano vive num conflito interno permanente entre o seu centro de emoções, queprocura a satisfação imediata, e o da razão, que privilegia o longo prazo, indica um estudo hojedivulgado. Investigadores de quatro universidades norte-americanas descobriram que duas zonas docérebro parecem concorrer para controlar o comportamento de alguém que tem de decidir entresatisfações imediatas e objetivos distantes. "Qualquer um pode zangar-se - isso é fácil. Mas zangar-se com a pessoa certa, na medidacerta, na hora certa, pelo motivo certo e da maneira certa, não é fácil." : Essa frase é um fragmentode Ética e *Nicômaco, de Aristóteles (384 a.C.-322 a.C.).Aristóteles, na sua época, já tinha em mente estudos sobre razão e emoção. Era um aficionado por 21
  22. 22. desenvolvimento humano e foi criador do pensamento lógico. Foi um dos maiores pensadores detodos os tempos. Era aluno de Platão e foi professor de Alexandre, o Grande.A etimologia de "Emoção" vem do latim emovere e significa falta de movimento. O "e" (na palavraemovere) é variante de ex (fora). Já a palavra motivação, é derivada de movere.A emoção é uma experiência subjetiva e está associada ao temperamento, personalidade emotivação. "e" (na palavra emovere). A emoção é uma experiência subjetiva e está associada aotemperame Observe que temos a faculdade de usá-la como "moção" para o nosso desenvolvimentopessoal. A emoção, como falta de movimento, deve ser usada para nossa introspeção, comoanálise de necessidade de mudança para uma nova perspetiva, ideal, objetivo, etc. Ou paraassimilar uma perda., desses dois sentimentos, a emoção merece um pouco mais de cuidado umavez que nossa natureza é dinâmica, o que opõe a emoção, que é estática. 22
  23. 23. ConclusãoNo final deste trabalho ficamos a saber mais sobre o nosso cérebro, os seus constituintes e assuas principais funções.Este trabalho veio-nos mostrar o quanto é importante para nos e a sua complexidade, e por ser oprincipal órgão do ser humano devia ser mais estudado para que no futuro se possa descobrir maissobre ele, a cura para algumas das doenças que o afetam uma vez que sem ele não vivemos, nãoraciocinamos e não sonhamosO cérebro e importante para nos porque com ele conseguimos pensar e refletir, e é isto quedistingue os animais racionais dos irracionais.O nosso cérebro é algo complexo e muito eficaz, ele comanda todos os nossos sentimentos,movimentos, etc… 23
  24. 24. 24

×