PARTIMOS… VAMOS… SOMOS.
O Sonho
Pelo Sonho é que vamos,
comovidos e mudos.
Chegamos? Não chegamos?
Haja ou não haja frutos...
PARTIMOS…
ITINERÁRIO
Meu caminho é por mim fora,
‘té chegar ao fim de mim
A encontrar-me com Deus…
(…)
É só por mim é que ...
Vamos…
Oração da Tarde
Ao crepúsculo, a serra é catedral
Onde o órgão silêncio salmodia…
A própria Luz ergueu “Avé - Maria...
SOMOS.
BIOGRAFIA
Morremos em cada rosa
…
Fugimos em cada rio…
Mas nascemos
Em cada rio que nasce.
Mas abrimos
Em cada botã...
“O que eu quero, principalmente, é que
vivam felizes.”, Diário
ITINERANDO com Sebastião da Gama USAZ Literatura, 05/2014
ITINERANDO com Sebastião da Gama USAZ Literatura, 05/2014
ITINERANDO com Sebastião da Gama USAZ Literatura, 05/2014
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

ITINERANDO com Sebastião da Gama USAZ Literatura, 05/2014

508 visualizações

Publicada em

Powerpoint de apoio à Palestra de Literatura (USAZ 2013/14), em 31.05.2014, Museu Sebastião da Gama

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

ITINERANDO com Sebastião da Gama USAZ Literatura, 05/2014

  1. 1. PARTIMOS… VAMOS… SOMOS. O Sonho Pelo Sonho é que vamos, comovidos e mudos. Chegamos? Não chegamos? Haja ou não haja frutos, pelo sonho é que vamos. Basta a fé no que temos, Basta a esperança naquilo que talvez não teremos. Basta que a alma demos, com a mesma alegria, ao que desconhecemos e do que é do dia-a-dia. Chegamos? Não chegamos? - Partimos. Vamos. Somos. Sebastião da Gama in Pelo Sonho é que Vamos (1953)
  2. 2. PARTIMOS… ITINERÁRIO Meu caminho é por mim fora, ‘té chegar ao fim de mim A encontrar-me com Deus… (…) É só por mim é que eu vou E as bermas do meu caminho São as passadas que dou. E não me digam que não, Que eu não me importo de ir só: Minha Esperança, na minha Voz comovida espelhada, Sabe encher a solidão Das curvas mudas da estrada. Serra-Mãe
  3. 3. Vamos… Oração da Tarde Ao crepúsculo, a serra é catedral Onde o órgão silêncio salmodia… A própria Luz ergueu “Avé - Maria” E o Mar tomou as cores dum vitral. Tudo sente o Senhor e se extasia… O sol queimou os matos, pelo val’, E desprendeu incenso, Espiritual, É mãos – postas a rude penedia. E eu também quero ser da Oração… _ Com folhados na alma, pus a mão Na minha harpa e a música ascendeu. … … … … … … Ai a minha alegria de menino, Quando, por só, então, se ouvir no Céu, Ajoelhado, deixei de ouvir meu hino!... Serra- Mãe
  4. 4. SOMOS. BIOGRAFIA Morremos em cada rosa … Fugimos em cada rio… Mas nascemos Em cada rio que nasce. Mas abrimos Em cada botão de rosa. Sebastião da Gama, Arrábida, 29-X-1949
  5. 5. “O que eu quero, principalmente, é que vivam felizes.”, Diário

×