Complexidade: novo paradigma?

1.766 visualizações

Publicada em

Introdução à Teoria da Complexidade

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.766
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.351
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Racionalismo: Doutrina que afirma que tudo que existe tem uma causa inteligível, mesmo que não possa ser demonstrada de fato, como a origem do Universo. Privilegia a razão em detrimento da experiência do mundo sensível como via de acesso ao conhecimento. Considera a dedução como o método superior de investigação filosófica. René Descartes (1596-1650), Spinoza (1632-1677) e Leibniz (1646-1716) introduzem o racionalismo na filosofia moderna. Determinismo: Doutrina segundo a qual a totalidade dos fenômenos constitutivos da realidade se encontra submetida a determinadas leis, estas sendo compreendidas como possuindo caráter natural. Tais leis, ainda, são consideradas como sendo regidas por uma relação de causalidade.
    Compartimentalização advém do método cartesiano, que admite, como um de seus princípios fundamentais, a análise, i.e., a máxima divisão das coisas, em suas unidades de composição, para que se possa estudar as mesmas.
  • Francis Bacon (Londres, 22/jan de 1561 — Londres, 09/abr de 1626) foi um político, filósofo e ensaísta inglês, barão Verulam, visconde de St. Albans. Desde cedo, sua educação orientou-o para a vida política, na qual exerceu posições elevadas. Em 1584 foi eleito para a câmara dos comuns.
    “Ela” - a natureza
    O conhecimento científico, para Bacon, tem por finalidade servir o homem e dar-lhe poder sobre a natureza.
  • Cubismo – guernica - Guernica é um painel pintado por Pablo Picasso em 1937 por ocasião da Exposição Internacional de Paris. Foi exposto no pavilhão da República Espanhola. Medindo 350 por 782 cm, esta tela pintada a óleo é normalmente tratada como representativa do bombardeio sofrido pela cidade espanhola de Guernica em 26 de abril de 1937 por aviões alemães. Atualmente está no Centro Nacional de Arte Rainha Sofia, em Madrid.
    o bombardeio da antiga capital basca de Guernica pelos aliados alemães de Franco, em abril de 1937. Imagem da desumanidade do homem contra seus iguais, lembra em parte uma tourada, em parte o "Massacre dos Inocentes ".
  • A experiência da dupla fenda prova inequivocamente a chamada mecânica quântica, ou ondulatória, que deve basear-se em noções essencialmente diferentes da mecânica clássica. Pois na quântica não existe o conceito de trajetória da partícula. Esta circunstância constitui o conteúdo do chamado princípio da incerteza, ou princípio da indeterminação, que é um dos fundamentais da mecânica quântica e foi descoberto em 1927 por Werner Heisenberg.
    A física quântica chocou toda a comunidade científica ao propor que a luz é simultaneamente onda e partícula, vibração e matéria - uma ambigüidade considerada absurda, incoerente, impossível. A teoria de Planck e Einstein já foi comprovada diversas vezes em laboratório. Mas ainda resta a pergunta: afinal, a luz é uma onda ou uma partícula? A física abraçou o mistério. "Quem disser que ela é onda está certo e quem disser que ela é partícula também está.
  • Os anéis de saturno
  • Ia
  • Complexidade: novo paradigma?

    1. 1. O Homem e o Meio-Ambiente Algumas questões básicas:  A ação antrópica realmente está mudando o meio-ambiente?  Ou seriam naturais as mudanças climáticas globais?
    2. 2. Princípios da Filosofia Cartesiana- final secXVI Racionalismo: Os fenômenos naturais podem ser compreendidos racionalmente. Determinismo: Os fenômenos naturais podem ser compreendidos em termos de causa e efeito.  Compartimentalização: O Universo funciona como um relógio que pode ser entendido se compreendermos cada uma de suas partes. 
    3. 3. Filosofia Cartesiana Francis Bacon- final sec.XVI: “Ela” deve ser escravizada, estar a serviço do homem.
    4. 4. A Fragmentação  Compartimentaliza ção do Conhecimento Científico  Compartimentaliza ção Política do Mundo
    5. 5. Movimentos Anti-Cartesianos: O Romantismo Sec.XVIII- XIX – ênfase aos aspectos humanos ligados aos sentimentos – homem movido pela paixão, pelo ímpeto, pelo querer.  “Deus possa nos proteger da visão única e do sono de Newton” William Blake (1757-1827)
    6. 6. Movimentos Anti-Cartesianos: O Romantismo Sec.XVIII- XIX – ênfase aos aspectos humanos ligados aos sentimentos – homem movido pela paixão, pelo ímpeto, pelo querer. • Werther – suicídios entre jovens na Europa • Fausto – o bem e o mal e a ciência • A Doutrina das Cores –Inseparabilidade entre sujeito e objeto J.W.Goethe (1749-1832)
    7. 7. Movimentos Anti-Cartesianos: A Arte Moderna Kansdinski Pollock Duchamp
    8. 8. Wassily Kandinsky 1866-1944 Formas biomórficas com flexibilidade e contornos não geométricos sugerem organismos externamente microscópicos mas que expressam sempre a vida interior do artista.  Pretendeu que as suas formas fossem sutilmente harmonizadas e colocadas, para ressoar com a própria alma do observador. 
    9. 9. Marcel Duchamp – 1887 -1968 ready made - o transporte de um elemento da vida cotidiana, não reconhecido como artístico, oferecendo ao público o já visto, forçando-o a pensar e refletir sobre a questão da arte enquanto linguagem.  dedicou-se ao estudo da "quarta dimensão", o que, de alguma forma, orientou a sua criatividade artística para problemas óticos. Criava discos coloridos que, quando girados com extrema rapidez, produziam efeitos óticos.  se opunha a "arte retiniana", uma arte que agrada à vista.  arte mais "cerebral", em que se ressaltam os aspectos mais intelectuais do labor artístico 
    10. 10. Movimentos Anti-Cartesianos: A MQ    Ao observarmos o mundo microscópico, não há como não alterálo (sujeito-objeto) O mundo microscópico é intrinsecamente imprevisível – a incerteza é o tijolo fundamental do Universo A soma das partes é diferente do todo
    11. 11. A Teoria da Complexidade • O Mundo Macroscópico também é quântico • A incerteza e o não-determinismo impregnam todas as áreas do conhecimento • Goedel (década de 30): A própria Matemática se torna incerta • Equações não lineares Ilya Prigogine estabelece as bases da teoria (Prêmio Nobel de 1977)
    12. 12. A Matemática Fractal • Regras simples geram fenômenos complexos
    13. 13.  Constante (a) – invariável, valor fixo.  Variável (x)  Parâmetro de controle (λ) – categoria intermediária entre constantes e variáveis
    14. 14. Os Três Regimes da Natureza N∞ REGIME DETERMINISTICO REGIME QUÂNTICO REGIME CAÓTICO Ni+1 = λNi(1-Ni) λ
    15. 15. Os Três Regimes da Natureza Atmosferas dos três principais planetas rochosos REGIME DETERMINISTICO Parâmetro de controle (λ) = Densidade de energia solar REGIME QUÂNTICO REGIME CAÓTICO
    16. 16. Teorias de Evolução • Adaptacionismo • Competição • Acoplamento Estrutural • Simbiose Darwin Lynn Margulis Teoria da Endosimbiose Sequencial (SET)
    17. 17. Acoplamento Estrutural Cianobactérias e liberação de oxigênio para a atmosfera Corais e formação de lagoas costeiras
    18. 18. Acoplamento Estrutural = Inseparabilidade entre sujeito e objeto
    19. 19. Glaciações Variação do volume de gelo nos últimos milhões de anos
    20. 20. Glaciações
    21. 21. Glaciações (albedo) Albedo = fração da energia incidente que é refletida
    22. 22. Efeito Estufa
    23. 23. Células de Benard
    24. 24. Células de Benard
    25. 25. Células de Benard na Atmosfera
    26. 26. Instituto de Santa Fé de Fenômenos Complexos Fundado em 1982 por grandes personalidades da Ciência Contemporânea, dentre eles, três “Prêmios Nóbeis”: • Murray Gell-Mann • Philip Anderson • Kenneth Arrow Questões propostas: • Por que o combustível dos carros é a gasolina? • Por que o design dos teclados é QWERTY? • Por que a União Soviética colapsou repentinamente após décadas de estabilidade? • Por que ocorrem esporadicamente extinções em massa? • Por que o coração de todos os animais bate praticamente o mesmo número de vezes? • Por que as pessoas valorizam a confiança mútua?
    27. 27. A Mudança de Paradigma Ciência da Complexidade • Acoplamento estrutural Ciência Cartesiana •Causalidade • Totalidade • Fragmentação • Fim das certezas • Determinismo • Visão sistêmica • Relação simbiótica com a Natureza • Vida • Visão especialista • Natureza a serviço do homem . • Equilíbrio
    28. 28. Implicações Morais e Éticas • Cooperação • Podemos mudar o mundo • Responsabilidade • Diversidade Implicações Pedagógicas???
    29. 29. Aspectos do Drama Contemporâneo Como associar uma economia eficiente com a justiça social? Como estabelecer uma relação simbiótica entre o homem e a Terra? Como estabelecer uma relação simbiótica entre culturas historicamente inimigas, baseadas em diferentes concepções religiosas? Como lidar com doenças sistêmicas, tais como o câncer, as alergias e a Aids? Como integrar ativamente os idosos à sociedade? Como superar os vieses da criminalidade e consumo de drogas?
    30. 30. Recado da Teoria da Complexidade O que fazemos ou que deixamos de fazer modificam definitivamente a realidade – o que requer responsabilidade Cada pessoa é única, no sentido que o Universo seria definitivamente diferente se cada um de vocês não estivesse aqui presente...
    31. 31. As Leis da Economia P rimeira L ei: • Adam Smith: Oferta e Procura Adam Smith (1723-1790)
    32. 32. As Leis da Economia Segunda L ei: • John Maynard Keynes: Intervenção Estatal Queda da Bolsa NY 1929 John Maynard Keynes (1883-1946)
    33. 33. As Leis da Economia T erceira L ei: • Daniel Kahneman: Formação de Hábitos Kahneman – Nobel de Economia em 2002
    34. 34. As Leis da Economia T erceira L ei: Robert Aumann e Thomas Schelling: Conflito e Cooperação Aumann e Schelling – Nobel de Economia em 2005
    35. 35. O Caso das Tulipas Holandesas 1637 - H olanda • O preço de uma tulipa chega ao patamar de um sobrado • Boa parte da economia holandesa se apoia no comércio de tulipas – as pessoas compravam tulipas que nunca viram • Repentinamente o valor das tulipas despenca, arruinando diversos investidores

    ×