Estudos CACD Missão Diplomática - História do Brasil Aula Resumo 03 - Império

1.835 visualizações

Publicada em

Estudos para o CACD - Missão Diplomática
missaodiplomatica.blogspot.com.br

História do Brasil - Período Imperial
primeiro reinado
regência
segundo reinado

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Estudos CACD Missão Diplomática - História do Brasil Aula Resumo 03 - Império

  1. 1. História do Brasil Aula 03: Período Imperial Primeiro Reinado Regência Segundo Reinado 19.12.2013
  2. 2. Aula 03 – Império
  3. 3. Aula 03 – Império 1 Primeiro Reinado 1.1 Primeiro Reinado: situação interna 1.2 Primeiro Reinado: política externa 2 Regência 3 Segundo Reinado 3.1 Economia: A importância do Café 3.2 Sociedade e Cultura – Romantismo e Racismo 3.3 Relações com a Inglaterra 3.4 Abolicionismo e Imigração européia 3.5 Conflitos na Região do Prata 3.6 Guerra do Paraguai 4 Crise do regime Monárquico
  4. 4. Aula 03 – Império
  5. 5. 1.1 Primeiro Reinado: situação interna . Prioridade na Unificação Nacional . Disputa entre D.Pedro I e elite reinol contra elite colonial - D.Pedro e elite reinol desejavam Monarquia Absolutista - Elite colonial desejava Monarquia Constitucional e descentralização de poder . Constituição de 1824 - D.Pedro dissolve assembléia constituinte de 1823 e outorga Constituição de 1824 com concentração do poder Imperial (Poder Moderador) . Confederação do Equador - movimento revolucionário no nordeste brasileiro, com foco em Pernambuco, em reação à Constituição autoritária de 1824 - caráter separatista e republicano - revolução desejava formar república nos moldes da constituição da Colômbia Aula 03 – Império
  6. 6. 1.2 Primeiro Reinado: Política externa .Prioridade no reconhecimento da Independência . Intransigência de Portugal em reconhecer Independência brasileira - Princípio da legitimidade dinástica: entre os reinos participantes da Santa Aliança a independência não poderia ser reconhecida sem o aval da coroa portuguesa . Mediação e influência da Inglaterra - atuação de George Canning (secretário - Foreign Office britânico) - atuação nos processos de reconhecimento do novos países latino-americanos para obter vantagens políticas e comerciais para o Reino Britânico - Reconhecimento das independências do México, Colômbia e Argentina (Buenos Aires) força Portugal a também reconhecer independência Brasileira . Guerra da Cisplatina (1825 a 1828) - conflito contra o processo de independência da Província Cisplatina do Brasil - Província Cisplatina teve apoio das Províncias Unidas do Rio da Prata (atual Argentina) - após 500 dias de luta e sem chegar a um vencedor, através de mediação da Inglaterra foi assinado o Tratado de Montevidéu dando origem ao atual Uruguai, independente do Império Brasileiro Aula 03 – Império
  7. 7. Aula 03 – Império
  8. 8. 2 Período Regencial . Período marcado por grave crise político institucional . Disputa pelo poder por 3 grupos: - Restauradores: defendiam volta de D.Pedro I ao poder - Conservadores: Monarquistas moderados interessados na manutenção do poder centralizado - Liberais: reformistas progressivos desejavam governo descentralizado . 2 períodos distintos: - Avanço Liberal de 1831 a 1837 - Regresso Conservador de 1837 a 1840 . Revoltas - Cabanagem (Grão-Pará – 1835/1840) revolta popular contra condições de miséria - Balaiada (Maranhão – 1838/1841) revolta popular contra exploração dos grandes proprietários rurais - Sabinada (Bahia – 1837/1838) revolta militares e das classes médias e ricas contra governo regencial - Farrapos (RS – 1835/1845) revoltosos (farroupilhas) lutam por liberdade e reformas econômicas . Golpe da Maioridade - Os políticos e grande parte da população entendiam que as crises poderiam ser resolvidas com a figura de um Imperador forte e com poderes para controlar a situação - O Senado, com apoio do partido Liberal, em 1840 antecipou a maioridade de D.Pedro II (13 anos) e declarou o fim da Regência Aula 03 – Império
  9. 9. Aula 03 – Império
  10. 10. Aula 03 – Império
  11. 11. 3.1 Economia: histórias do Império e do Café se misturam . Brasil integrou-se ao mercado mundial mantendo estrutura de exportador de matérias primas e produtos agrícolas . Declínio Açúcar e crescimento Café – a partir 1840 cultura cafeeira já era o produto mais importante da economia . Barões do Café: Em troca serviços prestados à corte, comerciantes tropeiros, proprietários rurais e altos funcionários estatais foram recompensados com terras no Vale do Paraíba . Oeste Paulista pólo econômico: Produção cafeeira torna região pólo econômico mais importante do país propiciando transformações que conduziriam o país para o capitalismo industrial . Surto ferroviário e Urbanização: necessário para escoamento da produção de café do interior para o litoral de Santos – ferrovias ligadas ao processo de urbanização . Barões do café e a criação dos Bancos: barões migram para cidades, deixando as fazendas nas mãos de administradores e passam a se dedicar mais ao comércio do café e das finanças . Origem dos primeiros bancos e das casas comissárias (intermediárias no comércio de café para outros fazendeiros) . Café se torna financiador da industrialização . Capital Inglês ingressa no mercado nacional – empréstimos p/ construção de ferrovias, infra-estrutura da cidades Aula 03 – Império
  12. 12. Aula 03 – Império
  13. 13. 3.2 Sociedade e Cultura . Criação das primeiras faculdades – Direito (SP) e Olinda (1827) . Direito e elite: A formação jurídica desempenhava papel fundamental na criação da elite dominante . Romantismo e Racismo: escritores engajados em criar imagem idealizada de nação brasileira europeizada (passado indígena e expurgo do elemento negro e mestiço) . Escritores eram também políticos: Gonçalves Dias, José de Alencar, Joaquim Manuel de Macedo, Gonçalves de Magalhães . José de Alencar racista: escritor era grande crítico do abolicionismo . Com extinção do tráfico (1850) e Lei do Ventre Livre (1851) não era mais possível ignorar negro como membro da comunidade nacional . Sílvio Romero e Nina Rodrigues introduzem mestiçagem como elemento de formação do povo brasileiro (ótica de novas correntes científicas européias sobre inferioridade das raças não brancas) . Para Sílvio Romero o elemento branco seria “vencedor” e em 3 séculos a população estaria “branqueada” – defensor da emigração européia como fator “branqueador” . Consciência abolicionista no final do século XIX traz para o plano político a necessidade de integrar o negro à população – sob pena de inviabilizar a nação Aula 03 – Império
  14. 14. 3.3 Relações com a Inglaterra . No primeiro momento todos os esforços para reconhecimento internacional da Independência . Em troca do reconhecimento, Brasil assina tratados comerciais e faz concessões, aprofundando mecanismos de dependência . Somente após 1844 o governo adota política externa para interesses internos: 1) Controle de política comercial e autonomia alfandegária 2) Extinção do tráfico e estímulo à imigração 3) Sustentação dos limites territoriais / fronteiras 4) Prioridade para os interesses na região Platina . Expiração do tratado de tarifas privilegiadas para produtos britânicos (1844) e instituição de nova tarifa (Alves Branco) privilegiando produtos nacionais . Tensões com Inglaterra devido ao tráfico de escravos: Ingleses caçam, prendem e julgam traficantes e chegam a fundar navios brasileiros em território nacional . Clímax dos problemas em 1850 faz com que o tráfico seja definitivamente extinto Aula 03 – Império
  15. 15. 3.4 Abolicionismo e Imigração européia . Pressões inglesas para o fim do tráfico e da escravidão . Fim do tráfico (Lei Euzébio de Queiroz 1850) . Economia cafeeira busca mecanização e novas técnicas para substituição dos escravos . Declínio do Vale do Paraíba – falta de capital para modernização . Expansão do Oeste Paulista – Barões do Café . Substituição gradativa de escravos por imigrantes italianos . Discussões entre elite e fazendeiros: - elite desejava atrair imigrantes como fator de “branqueamento” da sociedade – concedendo terras aos imigrantes - fazendeiros desejavam somente substituir mão de obra escrava e eram claramente contrários à concessão de terras aos imigrantes Aula 03 – Império
  16. 16. Aula 03 – Império
  17. 17. 3.5 Região do Prata . Brasil e Argentina “herdam” conflito entre Portugal e Espanha sobre o domínio da região do rio da Prata . Entre 1821 e 1828 a região chamada Cisplatina (atual Uruguai) esteve anexada como província brasileira . Com independência do Uruguai o Brasil preferiu manter neutralidade na época . Após a regularização das questões internas (revoltas e unificação do Estado) e das questões externas (relações com Inglaterra e o tráfico de escravos), Brasil resolve dar atenção à região sul e fixar seus interesses de expansão e controle sobre a região . Política intervencionista: guerra contra Rosas e Oribe vencida pelo Brasil (1852) . Guerra do Paraguai (1864 a 1870) – Argentina e Uruguai aliados . Vitória na guerra do Paraguai consolida Brasil como potência regional Aula 03 – Império
  18. 18. 3.6 Guerra do Paraguai Fatores e objetivos da Guerra do Paraguai: 1) Impedir formação de um Estado nacional forte e unificado nas fronteiras do sul 2) Garantir posição hegemônica na América do Sul 3) Garantir livre navegação e livre acesso ao Mato Grosso 4) Proteger interesses comerciais e bancários na região 5) Interesses da classe escravista em relação aos concorrentes na região 6) Expansão das fronteiras Aula 03 – Império
  19. 19. 4 Crise no sistema Monárquico . Cenário após Guerra do Paraguai: a) Fortalecimento do Exército b) Aprofundamento das contradições do regime monárquico c) Insatisfações dos Barões do Café em SP d) Crise econômica devido guerra prolongada . Exército vitorioso negligenciado e em segundo plano na política nacional – recursos insuficientes, salários baixos . Exército como forma de concessão de favores (cargos, serviços) . Monarquia centralizada não era representativa, ineficiente, corrupta e clientelista . Barões do café sem representatividade, sem autonomia e sem apoio do Governo Central . Barões do café e Governo de SP arcaram com todos os custos de substituição da mão de obra escrava por imigrantes . Devido à política clientelista no início do Império, as províncias do RJ, BA, PE e MG possuíam mais representatividade apesar do predomínio econômico de SP . Criação e fortalecimento do Partido Republicano Paulista (PRP) em 1872 . Proclamação da República em 1889 liderada pelo exército e pela elite paulista Aula 03 – Império
  20. 20. missaodiplomatica.blogspot.com.br

×