Ebd lição 5

733 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
733
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ebd lição 5

  1. 1. EBD lição 5 Praticando com sabedoria a comunicação no lar
  2. 2. OBJETIVO E SINOPSE – TÓPICO 1 Aplicar os princípios aprendidos na lição anterior às relações familiares; O Lar pode ser uma democracia, desde que haja autoridade (sem autoritarismo) e informação bem aplicada.
  3. 3. 1. Estabelecendo a comunicação familiar Normalmente a comunicação familiar é entendida como o processo pelo qual marido e mulher, pais e filhos expõem suas necessidades, expressam opinião individual e comunicam suas decisões. Mas isso é um aspecto superficial.
  4. 4. 1.1. Comunicação e democracia Alguns casais, desejosos de estabelecer e manter no lar uma comunicação eficiente, pensam que devem viver uma democracia. Imaginam que uma boa forma de administrar a família é não estabelecer regras e limites aos cônjuges e aos filhos. Entretanto, mesmo os regimes democráticos exigem regras.
  5. 5. 1.2. Comunicação e autoridade O fato de não considerarmos a democracia como regime favorável à comunicação familiar, não significa que o autoritarismo o seja.
  6. 6. Para não transformar o lar num regime de arbitrariedade e tirania, a autoridade precisa ser exercida com clareza, moderação, imparcialidade, coerência e diligência e, principalmente, com amor e temor de Deus (Pv 1.7-9)
  7. 7. 1.3. Comunicação e informação O conhecimento que adquirimos ou oferecemos a respeito de determinado assunto, situação, lugar, pessoa, é informação. Esta é necessária e fundamental à comunicação (2 Tm 3.14-17)
  8. 8. Porém, a informação somente nos será proveitosa se a utilizarmos como ferramenta e canal para uma comunicação eficaz. A informação é serva da comunicação. Deve ser usada para estabelecer o canal do diálogo, da empatia, do amor, da disciplina, a fim de desenvolver o modo de pensar, de ser, de agir...
  9. 9. No sentido primário, comunicação é a arte de tornar comum o conhecimento adquirido e a disposição que uma pessoa apresenta em utilizar corretamente a informação recebida. Por exemplo: Enquanto aguarda no salão de beleza para ser atendida, Magali lê um livro sobre relacionamento conjugal e obtém a informação de que os homens são mais objetivos...
  10. 10. Depois de dar uma repaginada no visual, vai para casa. Quando o marido chega. Magali espera que ele note sua nova produção. Mas como ele se demora em fazer qualquer comentário, ela põe-se diante dele e diz queixosa: "Puxa, você não me ama. Nem me nota mais”. O marido olha para ela sem entender nada e uma discussão sem sentido toma corpo.
  11. 11. Magali tem a informação certa de como os homens reagem aos códigos, mas não a utilizou para se comunicar com seu marido. O correto seria algo semelhante a: "Que tal meu novo visual? Gostou do meu penteado?''
  12. 12. OBJETIVO E SINOPSE – TÓPICO 2 Orientar o aluno quanto ao modo de afastar os vícios que sutilmente vão destruindo a ligação familiar; Estabelecer padrões: Na comunicação, Na aplicação disciplinar e Nos ensinamentos cristãos e culturais.
  13. 13. 2. Comunicando princípios e padrões duradouros
  14. 14. Vivemos em uma época que se fala muito em quebra de padrões e mudanças de paradigmas. Contudo, mesmo que reconheçamos que alguns padrões devam ser removidos ou modificados, sabemos que a vida em comunidade seria impossível sem o estabelecimento dos mesmos, que por sua vez, obedecem a princípios. (Dt 4.1-2)
  15. 15. 2.1. O que são padrões? Antes de tudo, para comunicar padrões, é necessário entender o que este termo significa. Padrão é aquilo que é estabelecido para servir de referência ou modelo. Por exemplo, a fita métrica, as trenas e as réguas são medidas universais de superfície que utilizam o Metro, cujo símbolo é o “m” como medida padrão...
  16. 16. 2.3. Discernindo padrões fundamentais e padrões secundários Padrões fundamentais = bíblicos e; padrões secundários = tendências culturais. Os pais devem estabelece no lar padrões verdadeiramente cristãos, bíblicos, e também ensinar aos filhos quanto a que se referem a comportamentos, costumes e hábitos, que podem causar-lhes prejuízos.
  17. 17. Aconselhamento amoroso e espera paciente pelo fim de cada fase poupam pais e filhos de desgastes, aborrecimentos vão se rompimentos. Cônjuges e pais cristãos devem ter o cuidado de não sobrecarregarem um ao outro e aos filhos com exigências que podem ser padrões sociais aceitos e praticados por cristãos, mas que na verdade não são bíblicos.
  18. 18. OBJETIVO E SINOPSE – TÓPICO 3 Implantar valores universais, valores coerentes vividos em casa e um relacionamento confiável e aconchegante.
  19. 19. 3. Criando convicções por meio da comunicação Nenhuma modalidade de comunicação que os pais utilizem terá sido eficiente se não conseguir transferir aos filhos convicções, certezas, e formar neles a capacidade de serem juízes de si mesmos ao construir suas próprias opiniões.
  20. 20. 3.1. Comunique valores e princípios inquestionáveis e universais São estes valores que padronizam o modo de pensar, o caráter e o comportamento dos cristãos. Entre eles temos: respeito à autoridade, amor incondicional respeito aos iguais e aos diferentes, capacidade para assumir responsabilidades, obediência, submissão à disciplina, generosidade, integridade,
  21. 21. , relacionamento correto com o corpo e com a imagem, fé em Deus e dependência total dEle, etc. A comunicação destes valores representa o preparo do terreno no coração dos filhos para que eles produzam o fruto do Espírito (G1 5.22 Veja o quadro a seguir
  22. 22. 3.2. Comunique valores e princípios com coerência. A incoerência - contradição, discrepância entre o que se fala e o que se faz - é a maior inimiga da comunicação eficiente. Devemos cuidar de falar e proceder do mesmo modo. Os filhos reproduzem muito mais aquilo que veem os pais fazerem do que aquilo que os ouve dizerem. “Seja, porém, o vosso falar: sim, sim; não, não..(Mt 5.37).
  23. 23. 3.3. Comunique um relacionamento confiável e aconchegante Quando o pai ou a mãe mostram com gestos, atitudes, palavras e ações que os filhos são sempre bem-vindos em todos os momentos e sabem o que estão sentindo, porque também sentiram algo semelhante quando tinham a idade deles, o canal da comunicação e da aceitação se estabelece,
  24. 24. porque a criança ou o adolescente percebem que seus pais o amam, compreendem e aceitam. Então elas abraçarão os valores dos pais e, mesmo que num ímpeto juvenil se desviem, voltarão a eles. É importante que pais de filhos questionadores ouçam sempre os argumentos deles e demonstrem sua admiração pela capacidade de questionar que eles têm.
  25. 25. Conclusão Usemos com sabedoria, portanto, os recursos e as ferramentas da comunicação praticada e ensinada por Jesus, afim de que seja estabelecido e mantido aberto o canal do diálogo, da empatia, do amor e da disciplina, a fim de desenvolvermos o modo de pensar, de ser e agir dos nossos filhos.

×