SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
1ª Parte
    Biografia do autor – Luís Sepulveda

          Introdução às temáticas:
                 . Marés vivas
            . Direitos dos animais
        . Solidariedade e interajuda
                  . Hamburgo



História de uma gaivota e de um gato que a
              ensinou a voar

 Ficha de verificação de leitura – 1ª parte



     Orientações de leitura – 1ª parte
A BIOBIBLIOGRAFIA DO AUTOR

    LUÍS SEPÚLVEDA nasceu em Ovalle, no Chile, em 1949. Reside atualmente em Gijón, em
Espanha,          após           viver   entre          Hamburgo           e        Paris.
   Como foi membro ativo da Unidade Popular chilena nos anos setenta, teve de abandonar o
país após o golpe militar de Pinochet.

  Trabalhou no Brasil. Uruguai, Paraguai e Peru. Viveu no Equador entre os índios Shuar,
participando numa missão de estudo da UNESCO. Sepúlveda era, na altura, amigo de Chico
Mendes, herói da defesa da Amazónia a quem dedicou uma das suas obras O Velho que Lia
Romances de Amor, o seu maior sucesso. Mas escreveu outras obras das quais se destacam A
Sombra que Fomos, a qual obteve, em 2009, o Prémio Primavera do Romance.

   Perspicaz narrador de viagens e aventureiro nos confins do mundo, Sepúlveda concilia com
sucesso o gosto pela descrição de lugares sugestivos e paisagens irreais com o desejo de contar
histórias sobre o homem, através da sua experiência, dos seus sonhos, das suas esperanças.
   Luís Sepúlveda escreveu a narrativa do gato Zorbas – que habitou realmente a casa e fez,
durante largos anos, parte da família Sepúlveda – para os filhos colocando “o gato grande, gordo
e negro” como personagem central.
   Nesta obra são evidentes as principais marcas ideológicas do
discurso de Sepúlveda:

a defesa do meio ambiente,
a solidariedade e
a aceitação e a integração das diferenças.
Marés negras
A Greenpeace é uma organização mundial cujo objectivo é mudar
atitudes e comportamentos, para defender o meio ambiente e
promover a paz. A Greenpeace existe porque este frágil planeta
merece ter uma voz, precisa de soluções e de mudanças.
Direitos dos animais   Art. 1 - Todos os animais nascem iguais perante a vida e têm os
                       mesmos direitos à existência.
                       Art. 2
                       1.Todo o animal tem o direito a ser respeitado.
                       2.O homem, como espécie animal, não pode exterminar os
                       outros animais ou explorá-los violando esse direito; tem o dever
                       de pôr os seus conhecimentos ao serviço dos animais.
                       3.Todo o animal tem o direito à atenção, aos cuidados e à
                       proteção do homem.
                       Art. 3
                       1.Nenhum animal será submetido nem a maus tratos nem a atos
                       cruéis.
                       2.Se for necessário matar um animal, ele deve de ser morto
                       instantaneamente, sem dor e de modo a não provocar-lhe
                       angústia.
                       Art. 4
                       1.Todo o animal pertencente a uma espécie selvagem tem o
                       direito de viver livre no seu próprio ambiente natural, terrestre,
                       aéreo ou aquático e tem o direito de se reproduzir.
                       2.toda a privação de liberdade, mesmo que tenha fins
                       educativos, é contrária a este direito.
                       Art. 5
                       1.Todo o animal pertencente a uma espécie que viva
                       tradicionalmente no meio ambiente do homem tem o direito de
                       viver e de crescer ao ritmo e nas condições de vida e de
                       liberdade que são próprias da sua espécie.
                       2.Toda a modificação deste ritmo ou destas condições que forem
                       impostas pelo homem com fins mercantis é contrária a este
                       direito.
Art. 6
1.Todo o animal que o homem escolheu para seu companheiro tem direito a uma duração de
vida conforme a sua longevidade natural.
2.O abandono de um animal é um ato cruel e degradante.

Art. 7 - Todo o animal de trabalho tem direito a uma limitação razoável de duração e de
intensidade de trabalho, a uma alimentação reparadora e ao repouso.

Art. 8
1.A experimentação animal que implique sofrimento físico ou psicológico é incompatível com
os direitos do animal, quer se trate de uma experiência médica, científica, comercial ou
qualquer que seja a forma de experimentação. 2.As técnicas de substituição devem de ser
utilizadas e desenvolvidas.

Art. 9 - Quando o animal é criado para alimentação, ele deve de ser alimentado, alojado,
transportado e morto sem que disso resulte para ele nem ansiedade nem dor.

Art. 10
1.Nenhum animal deve de ser explorado para divertimento do homem.
2.As exibições de animais e os espetáculos que utilizem animais são incompatíveis com a
dignidade do animal.

Art. 11 - Todo o ato que implique a morte de um animal sem necessidade é um biocídio, isto
é um crime contra a vida.

Art. 12
1.Todo o ato que implique a morte de um grande número de animais selvagens é um
genocídio, isto é, um crime contra a espécie.
2.A poluição e a destruição do ambiente natural conduzem ao genocídio.
Art. 13
1.O animal morto deve de ser tratado com respeito.
2.As cenas de violência de que os animais são vítimas devem de
ser interditas no cinema e na televisão, salvo se elas tiverem por
fim demonstrar um atentado aos direitos do animal.
Art. 14
1.Os organismos de proteção e de salvaguarda dos animais devem
estar presentados a nível governamental.
2.Os direitos do animal devem ser defendidos pela lei como os
direitos do homem.

(*)A Declaração Universal dos Direitos dos Animais foi proclamada
pela UNESCO em sessão realizada em Bruxelas, Bélgica, em 27 de
Janeiro de 1978
Solidariedade e Interajuda
Localização – norte da Alemanha, nas margens do
rio Elba;
Área – 755,330 Km2;
Habitantes – 1734830 (2004;)
2.ª maior cidade da Alemanha e 8.ª da U.
Europeia.
•   Hamburgo está situada no ponto onde o rio Elba encontra os rios Alster e Bille. A
    área central da cidade situa-se em volta do "Alster interior" e o ("Alster exterior“ -
    lagos formados pelo rio Alster;

•   São poucos os arranha-céus;

•   No horizonte de Hamburgo vislumbram-se as cúpulas das principais igrejas - São
    Miguel, São Pedro, São Tiago e Santa Catarina -cobertas por grandes telhados de
    cobre;

•   Os muitos canais de Hamburgo são cruzados por mais de 2500 pontes, mais do
    que Amsterdão e Veneza somadas e mais que qualquer outra cidade no mundo;

•   O norte e o sul da cidade também são ligados por túneis, destacando-se os dois
    túneis sobre o Elba (o mais antigo construído em 1911 e hoje um ponto turístico e
    o mais recente datado de 1975).
1ª Parte
Questionário – capítulo I - O mar do Norte

1 – Apresenta as primeira diferenças apontadas entre os seres humanos e os
animais.
              A linguagem e a língua é uma das diferenças entre o ser humano e os animais. Os
              Homens têm muitas línguas e raramente se entendem (crítica). Os animais falam
              todos na mesma língua, por isso a comunicação entre si é mais fácil.
2 – Apresenta o plano de voo, o objetivo da viagem e os participantes.
                   O voo, neste momento, ocorre no mar do Norte. O plano de voo é dirigir-se para
                   Den Helder, depois Calais, Canal da Mancha e por fim a Biscaia.
                   O objetivo é participar numa conferência sobre as gaivotas.
                   Nesta viagem estão envolvidos vários grupos de gaivotas ( bando das ilhas
                   Frisias, bandos da baía do Sena, etc...

3 – Identifica os recursos expressivos presentes nestes excertos:
a) “ pacientes e disciplinados”
b) “ preguiçosas velas”
c) “ cento e vinte corpos perfuraram a água como setas”
d) “ umas mil gaivotas que, como uma rápida nuvem cor de prata”
Questionário – capítulo II - UM GATO GRANDE, PRETO E GORDO




1 – Apresenta a relação que existia entre Zorbas e o seu dono.

2 - Zorbas e os irmãos tinham nascido num porto. Por que razão a mãe considerava esse
aspeto muito positivo?

3 - Que característica diferenciava Zorbas dos irmãos?

4 - Que recomendação lhe fez a mãe?
4.1 - A mãe tinha razão? Apresenta tua opinião.

5 - O dono do Zorbas e a família partiram para férias. Qual o tempo de duração desse
período de descanso?
Questionário – capítulo III - HAMBURGO À VISTA


1 - Kengah foi vítima da «maldição dos mares» e as colegas não pararam para a ajudar.
      1.1 - Concordas com o comportamento das gaivotas? Apresente as tuas opiniões.
      1.2 – Como reagiu Kengah ao comportamento das suas companheiras? Justifica a sua atitude.
      1.3 - Quais os efeitos do petróleo sobre o corpo da gaivota?

2 - Descreve os esforços que a gaivota fez para se livrar dos efeitos do petróleo.

Questionário – capítulo IV - O FIM DE UM VOO

1 - Kengah foi cair na varanda da casa dos donos de Zorbas.
     1.1 - Qual foi o comportamento do gato quando se apercebeu do estado da gaivota
     e ouviu as suas razões?
2 - Apresenta as três promessas que Zorbas fez à gaivota.

3 – Por que razão a gaivota confiou no gato e lhe pediu para fazer promessas?

4 - Zorbas pensou que Kengah estava « (…) não só a delirar, como (…) completamente
louca». Porquê?
Questionário – capítulo V - EM BUSCA DE CONSELHO

 1 - Quando se apercebeu de que Kengah corria risco de vida, Zorbas decidiu procurar
 ajuda.
      Onde se dirigiu?
      Quem foi procurar?
      Como é que ele enfrentou os gatos provocadores?

 2 - O amigo a quem Zorbas recorreu, sugeriu a ajuda de um outro gato.
 2.1- Quem?

  3 . Identifica alguns advérbios de modo presentes neste capítulo.

Questionário – capítulo VI - UM LUGAR CURIOSO

1 - Onde vivia Sabetudo?

2 - Parece-lhe que o local onde Sabetudo vivia lhe permitia o acesso ao conhecimento?
Justifique.

3 – Traça um breve perfil de Sabetudo.
Questionário – capítulo VII - UM GATO QUE SABE TUDO


1 – Apresenta um resumo deste encontro.
    ( O que Zorbas desejava saber; resultado da conversa; motivos; determinações)


Questionário – capítulo VIII - ZORBAS COMEÇA A CUMPRIR O PROMETIDO


 1- A gaivota morreu, mas deixou um ovo.
      1.1- Quem ajudou Zorbas com o seu conselho e qual foi o conselho dado?


Questionário – capítulo IX - UMA NOITE TRISTE

1- Depois de enterrar a gaivota, os gatos decidiram auxiliar
Zorbas a cumprir as promessas feitas a Kengah.
     1.1- Que decisões tomou Colonello?

2 – Explica por que motivo todos os animais estão tristes.
Caracterização de personagens


    Sabetudo             Colonello             Secretário            Zorbas

. Gato que vive      . Gato que vive       . Gato que vive      . Gato que vive com
no Bazar do          num restaurante       com Colonello no     uma família, num
porto                . Gato mais velho     restaurante          apartamento
. Gato curioso       . Gosta de falar      . Gato atento,       . É preto, grande e
inteligente          com pronúncia         esperto              gordo
. Tem acesso aos     italiana              . Gosta de           . É corajoso
livros e             . É respeitado        apresentar as suas   . É determinado
curiosidades do      pelos conselhos       ideias               . É empenhado em
bazar                que dá                . É muito prático    cumprir a sua
                                           . Está um pouco      palavra.
                                           dependente de
                                           Colonello


                   . Disponíveis para ajudar
                   . Emocionam-se com a história da gaivota
                   . Assumem as promessas como suas
Narrador


  tempo




espaço


Descriçaõ
Primeira parte – ficha de verificação de leitura
                                                                                     2. Qual é a sua nacionalidade?
                                    1. Quem é o autor deste livro?
                                                                                     a.   Portuguesa.
                                    a.   José Saramago.
                                                                                     b.   Chilena.
                                    b.   José Eduardo Agualusa.
                                                                                     c.   Brasileira.
                                    c.   Luís Sepúlveda.
                                                                                     d.   Angolana
Ficha de verificação de Leitura




                                    d.   Mia Couto.

                                                                                     4. Em que cidade mora Zorbas?
                                    3. Onde foi apanhada Kengah                      a.   Amesterdão.
                                    pela maré negra?                                 b.   Hamburgo.
                                    a.    Mar Mediterrâneo.                          c. Bremen.
                                    b.    Mar Morto.                                 d. Estocolmo.
                                    c.    Mar da Mancha.                             .
                                    d.    Mar do Norte.
5. Onde caiu Kengah?
                                  a.   No pátio exterior da casa de Zorbas.
                                  b.   No pátio interior da casa de Zorbas.
                                  c.   Na varanda.
                                  d.   No jardim, no meio dos vasos.
Ficha de verificação de Leitura




                                  6. Como se chamam os amigos de Zorbas?
                                  a.   Sabetudo, Barlavento, Colonello e Secretário.
                                  b.   Colonello, Harry, Matias e Sabetudo.
                                  c.   Secretário, Matias, Sabetudo e Colonello.
                                  d.   Sabetudo, Catavento, Colonello e Secretário
                                  7. Antes de morrer, Kengah pediu a Zorbas
                                  a.   que lhe tirasse as manchas de petróleo.
                                  b.    que lhe desse algo para comer.
                                  c.   que lhe fizesse três promessas.
                                  d.    que lhe desse água.
                                  8. Zorbas, Colonello e Secretário foram visitar Sabetudo para lhe
                                  perguntarem se sabia
                                  a.    o que deveriam fazer com a gaivota moribunda.
                                  b.   como limpar nódoas de petróleo.
                                  c.   como calar o chimpanzé Matias.
                                  d.   onde podiam encontrar Harry.
9. Antes de comprar o Bazar, o que fazia Harry?
                                  a.   Era vendedor ambulante.       b.    Era marinheiro.
                                  c.   Era carregador no porto.     d.     Era camionista.

                                  10. Quanto é que Matias cobrava pela entrada, por pessoa, no Bazar?
Ficha de verificação de Leitura




                                  a.    2 euros.             b.   2 francos.
                                  c.   2 marcos.            d.    2 kwanzas.

                                  11. Onde é que Sabetudo procura as informações de que necessita?
                                  a.    No Atlas.           b.    No dicionário.
                                  c.   Na enciclopédia.      d.   No volume 18.

                                  12. Ao consultar os livros, Sabetudo descobriu que a gaivotinha pertencia à
                                  espécie das gaivotas
                                  a.    douradas.               b.   amareladas.
                                  c.    esbranquiçadas.         d.   argentadas.
13. Como era o ovo que Kengah pôs antes de morrer?
                                  a.    Acastanhado.                           b.    Branco com pintinhas azuis.
                                  c.    Branco com pintinhas acastanhadas.     d.    Bege com manchas azuis.
Ficha de verificação de Leitura




                                  14. Onde foi feito o funeral de Kenah?
                                  a.    No pátio interior, debaixo de um castanheiro.
                                  b.    No jardim de Colonello.
                                  c.   À beira da praia.
                                  d.    No pátio interior, debaixo de uma figueira.



                                  15. A segunda parte do livro História de uma gaivota e do gato que a ensinou a
                                  voar começa com o capítulo
                                  a.    “Uma noite triste”.
                                  b.    “Zorbas começa a cumprir o prometido”.
                                  c.    “Os gatos decidem quebrar o tabu”.
                                  d.    “Um gato no choco”.
2ª Parte

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Hist+¦ria de uma gaivota e do gato que
Hist+¦ria de uma gaivota e do gato queHist+¦ria de uma gaivota e do gato que
Hist+¦ria de uma gaivota e do gato queTeresa Maia
 
O principezinho - resumo
O principezinho - resumoO principezinho - resumo
O principezinho - resumosofiasimao
 
História de uma_gaivota
História de uma_gaivotaHistória de uma_gaivota
História de uma_gaivotaLucilia Fonseca
 
Apresentacao da "História de uma Gaivota e de um Gato que a ensinou a voar"
Apresentacao da "História de uma Gaivota e de um Gato que a ensinou a voar"Apresentacao da "História de uma Gaivota e de um Gato que a ensinou a voar"
Apresentacao da "História de uma Gaivota e de um Gato que a ensinou a voar"BibEscolar Ninho Dos Livros
 
Avó e neto contra vento e areia
Avó e neto contra vento e areiaAvó e neto contra vento e areia
Avó e neto contra vento e areiaAna Silva
 
História de uma gaivota e de um gato que a ensinou a voar: interpretação e pr...
História de uma gaivota e de um gato que a ensinou a voar: interpretação e pr...História de uma gaivota e de um gato que a ensinou a voar: interpretação e pr...
História de uma gaivota e de um gato que a ensinou a voar: interpretação e pr...A. Simoes
 
O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá - Primavera
O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá - PrimaveraO Gato Malhado e a Andorinha Sinhá - Primavera
O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá - PrimaveraMargarida Santos
 
"O gato Malhado e a Andorinha Sinhá"
"O gato Malhado e a Andorinha Sinhá" "O gato Malhado e a Andorinha Sinhá"
"O gato Malhado e a Andorinha Sinhá" inessalgado
 
Leandro rei da heliria caracterização das personagens2
Leandro rei da heliria   caracterização das personagens2Leandro rei da heliria   caracterização das personagens2
Leandro rei da heliria caracterização das personagens2Belmira Baptista
 
A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)
A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)
A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)Lurdes Augusto
 
"Saga", de Sophia de Mello Breyner
"Saga", de Sophia de Mello Breyner "Saga", de Sophia de Mello Breyner
"Saga", de Sophia de Mello Breyner inessalgado
 
A conquista de ceuta
A conquista de ceuta A conquista de ceuta
A conquista de ceuta Maria Gomes
 
Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)
Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)
Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)Raquel Antunes
 
Leandro, o rei da helíria
Leandro, o rei da helíriaLeandro, o rei da helíria
Leandro, o rei da helíriaTeresa Maia
 

Mais procurados (20)

Hist+¦ria de uma gaivota e do gato que
Hist+¦ria de uma gaivota e do gato queHist+¦ria de uma gaivota e do gato que
Hist+¦ria de uma gaivota e do gato que
 
O principezinho - resumo
O principezinho - resumoO principezinho - resumo
O principezinho - resumo
 
História de uma_gaivota
História de uma_gaivotaHistória de uma_gaivota
História de uma_gaivota
 
Apresentacao da "História de uma Gaivota e de um Gato que a ensinou a voar"
Apresentacao da "História de uma Gaivota e de um Gato que a ensinou a voar"Apresentacao da "História de uma Gaivota e de um Gato que a ensinou a voar"
Apresentacao da "História de uma Gaivota e de um Gato que a ensinou a voar"
 
Avó e neto contra vento e areia
Avó e neto contra vento e areiaAvó e neto contra vento e areia
Avó e neto contra vento e areia
 
"O Príncipe Nabo"
"O Príncipe Nabo""O Príncipe Nabo"
"O Príncipe Nabo"
 
História de uma gaivota e de um gato que a ensinou a voar: interpretação e pr...
História de uma gaivota e de um gato que a ensinou a voar: interpretação e pr...História de uma gaivota e de um gato que a ensinou a voar: interpretação e pr...
História de uma gaivota e de um gato que a ensinou a voar: interpretação e pr...
 
Resumo a saga
Resumo a sagaResumo a saga
Resumo a saga
 
O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá - Primavera
O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá - PrimaveraO Gato Malhado e a Andorinha Sinhá - Primavera
O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá - Primavera
 
"O gato Malhado e a Andorinha Sinhá"
"O gato Malhado e a Andorinha Sinhá" "O gato Malhado e a Andorinha Sinhá"
"O gato Malhado e a Andorinha Sinhá"
 
Leandro rei da heliria caracterização das personagens2
Leandro rei da heliria   caracterização das personagens2Leandro rei da heliria   caracterização das personagens2
Leandro rei da heliria caracterização das personagens2
 
A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)
A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)
A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)
 
"Saga", de Sophia de Mello Breyner
"Saga", de Sophia de Mello Breyner "Saga", de Sophia de Mello Breyner
"Saga", de Sophia de Mello Breyner
 
O Gato Malhado Teste
O Gato Malhado Teste O Gato Malhado Teste
O Gato Malhado Teste
 
O gato malhado e a andorinha sinhá ana maria e olivia- 8ºe
O gato malhado e a andorinha sinhá   ana maria e olivia- 8ºeO gato malhado e a andorinha sinhá   ana maria e olivia- 8ºe
O gato malhado e a andorinha sinhá ana maria e olivia- 8ºe
 
Texto de opinião.pdf
Texto de opinião.pdfTexto de opinião.pdf
Texto de opinião.pdf
 
A conquista de ceuta
A conquista de ceuta A conquista de ceuta
A conquista de ceuta
 
Resumo galinha Virgilio Ferreia
Resumo galinha Virgilio FerreiaResumo galinha Virgilio Ferreia
Resumo galinha Virgilio Ferreia
 
Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)
Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)
Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)
 
Leandro, o rei da helíria
Leandro, o rei da helíriaLeandro, o rei da helíria
Leandro, o rei da helíria
 

Semelhante a História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar, de Luis Sepúlveda

Animais em Perigo de Extinção em Portugal
Animais em Perigo de Extinção em PortugalAnimais em Perigo de Extinção em Portugal
Animais em Perigo de Extinção em PortugalJ.I.Telhado
 
Yasmin animais
Yasmin animaisYasmin animais
Yasmin animaisemrcja
 
Direitos dos animais
Direitos dos animaisDireitos dos animais
Direitos dos animaisHugo Ferreira
 
Dia mundial do animal
Dia mundial do animalDia mundial do animal
Dia mundial do animalBE Mourão
 
Mª Esmeralda Rodrigues - Direitos dos Animais
Mª Esmeralda Rodrigues - Direitos dos AnimaisMª Esmeralda Rodrigues - Direitos dos Animais
Mª Esmeralda Rodrigues - Direitos dos Animaisefaparaiso
 
D.Maria Esmeralda - Direitos dos Animais
D.Maria Esmeralda - Direitos dos AnimaisD.Maria Esmeralda - Direitos dos Animais
D.Maria Esmeralda - Direitos dos Animaisefaparaiso
 
Panfleto Sobre O Dia Dos Animais 2009
Panfleto Sobre O Dia Dos Animais   2009Panfleto Sobre O Dia Dos Animais   2009
Panfleto Sobre O Dia Dos Animais 2009vfalcao
 
Panfleto
PanfletoPanfleto
Panfletovfalcao
 
4 De Outubro Dia Mundial Do Animal
4 De Outubro  Dia Mundial Do Animal4 De Outubro  Dia Mundial Do Animal
4 De Outubro Dia Mundial Do Animalcriscouceiro
 
6ºL Animais em vias de extinção
6ºL  Animais em vias de extinção6ºL  Animais em vias de extinção
6ºL Animais em vias de extinçãoevazmila
 
Os direitos e o respeito pelos animais
Os direitos e o respeito pelos animaisOs direitos e o respeito pelos animais
Os direitos e o respeito pelos animaisemrcja
 
Direitos dos Animais
Direitos dos AnimaisDireitos dos Animais
Direitos dos AnimaisEspaço Emrc
 
Os animais (emrc)
Os animais (emrc)Os animais (emrc)
Os animais (emrc)emrcja
 
C:\documents and settings\aulalab13\desktop\slidesss
C:\documents and settings\aulalab13\desktop\slidesssC:\documents and settings\aulalab13\desktop\slidesss
C:\documents and settings\aulalab13\desktop\slidesssluzserpa87
 

Semelhante a História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar, de Luis Sepúlveda (20)

Animais em Perigo de Extinção em Portugal
Animais em Perigo de Extinção em PortugalAnimais em Perigo de Extinção em Portugal
Animais em Perigo de Extinção em Portugal
 
Yasmin animais
Yasmin animaisYasmin animais
Yasmin animais
 
Direitos dos animais
Direitos dos animaisDireitos dos animais
Direitos dos animais
 
Dia mundial do animal
Dia mundial do animalDia mundial do animal
Dia mundial do animal
 
Mª Esmeralda Rodrigues - Direitos dos Animais
Mª Esmeralda Rodrigues - Direitos dos AnimaisMª Esmeralda Rodrigues - Direitos dos Animais
Mª Esmeralda Rodrigues - Direitos dos Animais
 
D.Maria Esmeralda - Direitos dos Animais
D.Maria Esmeralda - Direitos dos AnimaisD.Maria Esmeralda - Direitos dos Animais
D.Maria Esmeralda - Direitos dos Animais
 
Panfleto Sobre O Dia Dos Animais 2009
Panfleto Sobre O Dia Dos Animais   2009Panfleto Sobre O Dia Dos Animais   2009
Panfleto Sobre O Dia Dos Animais 2009
 
Os direitos dos animais
Os direitos dos animaisOs direitos dos animais
Os direitos dos animais
 
Panfleto
PanfletoPanfleto
Panfleto
 
1direito dos animais
1direito dos animais1direito dos animais
1direito dos animais
 
4 De Outubro Dia Mundial Do Animal
4 De Outubro  Dia Mundial Do Animal4 De Outubro  Dia Mundial Do Animal
4 De Outubro Dia Mundial Do Animal
 
6ºL Animais em vias de extinção
6ºL  Animais em vias de extinção6ºL  Animais em vias de extinção
6ºL Animais em vias de extinção
 
Direitos dos animais
Direitos dos animaisDireitos dos animais
Direitos dos animais
 
Abandono De Animais
Abandono De AnimaisAbandono De Animais
Abandono De Animais
 
Abandono De Animais
Abandono De AnimaisAbandono De Animais
Abandono De Animais
 
Os direitos e o respeito pelos animais
Os direitos e o respeito pelos animaisOs direitos e o respeito pelos animais
Os direitos e o respeito pelos animais
 
Direitos dos Animais
Direitos dos AnimaisDireitos dos Animais
Direitos dos Animais
 
Os animais (emrc)
Os animais (emrc)Os animais (emrc)
Os animais (emrc)
 
C:\documents and settings\aulalab13\desktop\slidesss
C:\documents and settings\aulalab13\desktop\slidesssC:\documents and settings\aulalab13\desktop\slidesss
C:\documents and settings\aulalab13\desktop\slidesss
 
Direitos dos animais
Direitos dos animaisDireitos dos animais
Direitos dos animais
 

Mais de Lurdes Augusto

10ºano camões parte C
10ºano camões parte C10ºano camões parte C
10ºano camões parte CLurdes Augusto
 
10ºano Luís de Camões parte B
10ºano Luís de Camões parte B10ºano Luís de Camões parte B
10ºano Luís de Camões parte BLurdes Augusto
 
10ºano Luís de Camões - parte A
10ºano Luís de Camões - parte A10ºano Luís de Camões - parte A
10ºano Luís de Camões - parte ALurdes Augusto
 
Literatura trovadoresca
Literatura trovadoresca Literatura trovadoresca
Literatura trovadoresca Lurdes Augusto
 
Romantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de SousaRomantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de SousaLurdes Augusto
 
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagensOs Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagensLurdes Augusto
 
Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões Lurdes Augusto
 
Do Ultrarromantismo ao Realismo
Do Ultrarromantismo ao RealismoDo Ultrarromantismo ao Realismo
Do Ultrarromantismo ao RealismoLurdes Augusto
 
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo BrancoAmor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo BrancoLurdes Augusto
 
Grupos frásicos e Funções Sintáticas
Grupos frásicos e Funções SintáticasGrupos frásicos e Funções Sintáticas
Grupos frásicos e Funções SintáticasLurdes Augusto
 
Resumo da gramática - classe de palavras
Resumo da gramática - classe de palavrasResumo da gramática - classe de palavras
Resumo da gramática - classe de palavrasLurdes Augusto
 
Tempos verbais simples e compostos
Tempos verbais simples e compostosTempos verbais simples e compostos
Tempos verbais simples e compostosLurdes Augusto
 
Funcionamento da língua - coordenação, subordinação
Funcionamento da língua - coordenação, subordinaçãoFuncionamento da língua - coordenação, subordinação
Funcionamento da língua - coordenação, subordinaçãoLurdes Augusto
 
Texto dramático - características
Texto dramático - característicasTexto dramático - características
Texto dramático - característicasLurdes Augusto
 
Falar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
Falar Verdade a Mentir, de Almeida GarrettFalar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
Falar Verdade a Mentir, de Almeida GarrettLurdes Augusto
 
Texto dramático - exercício de aplicação
Texto dramático - exercício de aplicaçãoTexto dramático - exercício de aplicação
Texto dramático - exercício de aplicaçãoLurdes Augusto
 
Falar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
Falar Verdade a Mentir, de Almeida GarrettFalar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
Falar Verdade a Mentir, de Almeida GarrettLurdes Augusto
 
Texto dramático, Falar verdade a Mentir
Texto dramático, Falar verdade a MentirTexto dramático, Falar verdade a Mentir
Texto dramático, Falar verdade a MentirLurdes Augusto
 

Mais de Lurdes Augusto (20)

10ºano camões parte C
10ºano camões parte C10ºano camões parte C
10ºano camões parte C
 
10ºano Luís de Camões parte B
10ºano Luís de Camões parte B10ºano Luís de Camões parte B
10ºano Luís de Camões parte B
 
10ºano Luís de Camões - parte A
10ºano Luís de Camões - parte A10ºano Luís de Camões - parte A
10ºano Luís de Camões - parte A
 
Literatura trovadoresca
Literatura trovadoresca Literatura trovadoresca
Literatura trovadoresca
 
Romantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de SousaRomantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de Sousa
 
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagensOs Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões
 
Do Ultrarromantismo ao Realismo
Do Ultrarromantismo ao RealismoDo Ultrarromantismo ao Realismo
Do Ultrarromantismo ao Realismo
 
Cesário Verde
Cesário Verde Cesário Verde
Cesário Verde
 
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo BrancoAmor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
 
Grupos frásicos e Funções Sintáticas
Grupos frásicos e Funções SintáticasGrupos frásicos e Funções Sintáticas
Grupos frásicos e Funções Sintáticas
 
Resumo da gramática - classe de palavras
Resumo da gramática - classe de palavrasResumo da gramática - classe de palavras
Resumo da gramática - classe de palavras
 
Tempos verbais simples e compostos
Tempos verbais simples e compostosTempos verbais simples e compostos
Tempos verbais simples e compostos
 
Funcionamento da língua - coordenação, subordinação
Funcionamento da língua - coordenação, subordinaçãoFuncionamento da língua - coordenação, subordinação
Funcionamento da língua - coordenação, subordinação
 
Texto dramático - características
Texto dramático - característicasTexto dramático - características
Texto dramático - características
 
Falar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
Falar Verdade a Mentir, de Almeida GarrettFalar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
Falar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
 
Texto dramático - exercício de aplicação
Texto dramático - exercício de aplicaçãoTexto dramático - exercício de aplicação
Texto dramático - exercício de aplicação
 
Falar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
Falar Verdade a Mentir, de Almeida GarrettFalar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
Falar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
 
Texto dramático, Falar verdade a Mentir
Texto dramático, Falar verdade a MentirTexto dramático, Falar verdade a Mentir
Texto dramático, Falar verdade a Mentir
 

História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar, de Luis Sepúlveda

  • 1. 1ª Parte Biografia do autor – Luís Sepulveda Introdução às temáticas: . Marés vivas . Direitos dos animais . Solidariedade e interajuda . Hamburgo História de uma gaivota e de um gato que a ensinou a voar Ficha de verificação de leitura – 1ª parte Orientações de leitura – 1ª parte
  • 2. A BIOBIBLIOGRAFIA DO AUTOR LUÍS SEPÚLVEDA nasceu em Ovalle, no Chile, em 1949. Reside atualmente em Gijón, em Espanha, após viver entre Hamburgo e Paris. Como foi membro ativo da Unidade Popular chilena nos anos setenta, teve de abandonar o país após o golpe militar de Pinochet. Trabalhou no Brasil. Uruguai, Paraguai e Peru. Viveu no Equador entre os índios Shuar, participando numa missão de estudo da UNESCO. Sepúlveda era, na altura, amigo de Chico Mendes, herói da defesa da Amazónia a quem dedicou uma das suas obras O Velho que Lia Romances de Amor, o seu maior sucesso. Mas escreveu outras obras das quais se destacam A Sombra que Fomos, a qual obteve, em 2009, o Prémio Primavera do Romance. Perspicaz narrador de viagens e aventureiro nos confins do mundo, Sepúlveda concilia com sucesso o gosto pela descrição de lugares sugestivos e paisagens irreais com o desejo de contar histórias sobre o homem, através da sua experiência, dos seus sonhos, das suas esperanças. Luís Sepúlveda escreveu a narrativa do gato Zorbas – que habitou realmente a casa e fez, durante largos anos, parte da família Sepúlveda – para os filhos colocando “o gato grande, gordo e negro” como personagem central. Nesta obra são evidentes as principais marcas ideológicas do discurso de Sepúlveda: a defesa do meio ambiente, a solidariedade e a aceitação e a integração das diferenças.
  • 4. A Greenpeace é uma organização mundial cujo objectivo é mudar atitudes e comportamentos, para defender o meio ambiente e promover a paz. A Greenpeace existe porque este frágil planeta merece ter uma voz, precisa de soluções e de mudanças.
  • 5. Direitos dos animais Art. 1 - Todos os animais nascem iguais perante a vida e têm os mesmos direitos à existência. Art. 2 1.Todo o animal tem o direito a ser respeitado. 2.O homem, como espécie animal, não pode exterminar os outros animais ou explorá-los violando esse direito; tem o dever de pôr os seus conhecimentos ao serviço dos animais. 3.Todo o animal tem o direito à atenção, aos cuidados e à proteção do homem. Art. 3 1.Nenhum animal será submetido nem a maus tratos nem a atos cruéis. 2.Se for necessário matar um animal, ele deve de ser morto instantaneamente, sem dor e de modo a não provocar-lhe angústia. Art. 4 1.Todo o animal pertencente a uma espécie selvagem tem o direito de viver livre no seu próprio ambiente natural, terrestre, aéreo ou aquático e tem o direito de se reproduzir. 2.toda a privação de liberdade, mesmo que tenha fins educativos, é contrária a este direito. Art. 5 1.Todo o animal pertencente a uma espécie que viva tradicionalmente no meio ambiente do homem tem o direito de viver e de crescer ao ritmo e nas condições de vida e de liberdade que são próprias da sua espécie. 2.Toda a modificação deste ritmo ou destas condições que forem impostas pelo homem com fins mercantis é contrária a este direito.
  • 6. Art. 6 1.Todo o animal que o homem escolheu para seu companheiro tem direito a uma duração de vida conforme a sua longevidade natural. 2.O abandono de um animal é um ato cruel e degradante. Art. 7 - Todo o animal de trabalho tem direito a uma limitação razoável de duração e de intensidade de trabalho, a uma alimentação reparadora e ao repouso. Art. 8 1.A experimentação animal que implique sofrimento físico ou psicológico é incompatível com os direitos do animal, quer se trate de uma experiência médica, científica, comercial ou qualquer que seja a forma de experimentação. 2.As técnicas de substituição devem de ser utilizadas e desenvolvidas. Art. 9 - Quando o animal é criado para alimentação, ele deve de ser alimentado, alojado, transportado e morto sem que disso resulte para ele nem ansiedade nem dor. Art. 10 1.Nenhum animal deve de ser explorado para divertimento do homem. 2.As exibições de animais e os espetáculos que utilizem animais são incompatíveis com a dignidade do animal. Art. 11 - Todo o ato que implique a morte de um animal sem necessidade é um biocídio, isto é um crime contra a vida. Art. 12 1.Todo o ato que implique a morte de um grande número de animais selvagens é um genocídio, isto é, um crime contra a espécie. 2.A poluição e a destruição do ambiente natural conduzem ao genocídio.
  • 7. Art. 13 1.O animal morto deve de ser tratado com respeito. 2.As cenas de violência de que os animais são vítimas devem de ser interditas no cinema e na televisão, salvo se elas tiverem por fim demonstrar um atentado aos direitos do animal. Art. 14 1.Os organismos de proteção e de salvaguarda dos animais devem estar presentados a nível governamental. 2.Os direitos do animal devem ser defendidos pela lei como os direitos do homem. (*)A Declaração Universal dos Direitos dos Animais foi proclamada pela UNESCO em sessão realizada em Bruxelas, Bélgica, em 27 de Janeiro de 1978
  • 9. Localização – norte da Alemanha, nas margens do rio Elba; Área – 755,330 Km2; Habitantes – 1734830 (2004;) 2.ª maior cidade da Alemanha e 8.ª da U. Europeia.
  • 10.
  • 11. Hamburgo está situada no ponto onde o rio Elba encontra os rios Alster e Bille. A área central da cidade situa-se em volta do "Alster interior" e o ("Alster exterior“ - lagos formados pelo rio Alster; • São poucos os arranha-céus; • No horizonte de Hamburgo vislumbram-se as cúpulas das principais igrejas - São Miguel, São Pedro, São Tiago e Santa Catarina -cobertas por grandes telhados de cobre; • Os muitos canais de Hamburgo são cruzados por mais de 2500 pontes, mais do que Amsterdão e Veneza somadas e mais que qualquer outra cidade no mundo; • O norte e o sul da cidade também são ligados por túneis, destacando-se os dois túneis sobre o Elba (o mais antigo construído em 1911 e hoje um ponto turístico e o mais recente datado de 1975).
  • 12.
  • 13. 1ª Parte Questionário – capítulo I - O mar do Norte 1 – Apresenta as primeira diferenças apontadas entre os seres humanos e os animais. A linguagem e a língua é uma das diferenças entre o ser humano e os animais. Os Homens têm muitas línguas e raramente se entendem (crítica). Os animais falam todos na mesma língua, por isso a comunicação entre si é mais fácil. 2 – Apresenta o plano de voo, o objetivo da viagem e os participantes. O voo, neste momento, ocorre no mar do Norte. O plano de voo é dirigir-se para Den Helder, depois Calais, Canal da Mancha e por fim a Biscaia. O objetivo é participar numa conferência sobre as gaivotas. Nesta viagem estão envolvidos vários grupos de gaivotas ( bando das ilhas Frisias, bandos da baía do Sena, etc... 3 – Identifica os recursos expressivos presentes nestes excertos: a) “ pacientes e disciplinados” b) “ preguiçosas velas” c) “ cento e vinte corpos perfuraram a água como setas” d) “ umas mil gaivotas que, como uma rápida nuvem cor de prata”
  • 14. Questionário – capítulo II - UM GATO GRANDE, PRETO E GORDO 1 – Apresenta a relação que existia entre Zorbas e o seu dono. 2 - Zorbas e os irmãos tinham nascido num porto. Por que razão a mãe considerava esse aspeto muito positivo? 3 - Que característica diferenciava Zorbas dos irmãos? 4 - Que recomendação lhe fez a mãe? 4.1 - A mãe tinha razão? Apresenta tua opinião. 5 - O dono do Zorbas e a família partiram para férias. Qual o tempo de duração desse período de descanso?
  • 15. Questionário – capítulo III - HAMBURGO À VISTA 1 - Kengah foi vítima da «maldição dos mares» e as colegas não pararam para a ajudar. 1.1 - Concordas com o comportamento das gaivotas? Apresente as tuas opiniões. 1.2 – Como reagiu Kengah ao comportamento das suas companheiras? Justifica a sua atitude. 1.3 - Quais os efeitos do petróleo sobre o corpo da gaivota? 2 - Descreve os esforços que a gaivota fez para se livrar dos efeitos do petróleo. Questionário – capítulo IV - O FIM DE UM VOO 1 - Kengah foi cair na varanda da casa dos donos de Zorbas. 1.1 - Qual foi o comportamento do gato quando se apercebeu do estado da gaivota e ouviu as suas razões? 2 - Apresenta as três promessas que Zorbas fez à gaivota. 3 – Por que razão a gaivota confiou no gato e lhe pediu para fazer promessas? 4 - Zorbas pensou que Kengah estava « (…) não só a delirar, como (…) completamente louca». Porquê?
  • 16.
  • 17. Questionário – capítulo V - EM BUSCA DE CONSELHO 1 - Quando se apercebeu de que Kengah corria risco de vida, Zorbas decidiu procurar ajuda. Onde se dirigiu? Quem foi procurar? Como é que ele enfrentou os gatos provocadores? 2 - O amigo a quem Zorbas recorreu, sugeriu a ajuda de um outro gato. 2.1- Quem? 3 . Identifica alguns advérbios de modo presentes neste capítulo. Questionário – capítulo VI - UM LUGAR CURIOSO 1 - Onde vivia Sabetudo? 2 - Parece-lhe que o local onde Sabetudo vivia lhe permitia o acesso ao conhecimento? Justifique. 3 – Traça um breve perfil de Sabetudo.
  • 18. Questionário – capítulo VII - UM GATO QUE SABE TUDO 1 – Apresenta um resumo deste encontro. ( O que Zorbas desejava saber; resultado da conversa; motivos; determinações) Questionário – capítulo VIII - ZORBAS COMEÇA A CUMPRIR O PROMETIDO 1- A gaivota morreu, mas deixou um ovo. 1.1- Quem ajudou Zorbas com o seu conselho e qual foi o conselho dado? Questionário – capítulo IX - UMA NOITE TRISTE 1- Depois de enterrar a gaivota, os gatos decidiram auxiliar Zorbas a cumprir as promessas feitas a Kengah. 1.1- Que decisões tomou Colonello? 2 – Explica por que motivo todos os animais estão tristes.
  • 19. Caracterização de personagens Sabetudo Colonello Secretário Zorbas . Gato que vive . Gato que vive . Gato que vive . Gato que vive com no Bazar do num restaurante com Colonello no uma família, num porto . Gato mais velho restaurante apartamento . Gato curioso . Gosta de falar . Gato atento, . É preto, grande e inteligente com pronúncia esperto gordo . Tem acesso aos italiana . Gosta de . É corajoso livros e . É respeitado apresentar as suas . É determinado curiosidades do pelos conselhos ideias . É empenhado em bazar que dá . É muito prático cumprir a sua . Está um pouco palavra. dependente de Colonello . Disponíveis para ajudar . Emocionam-se com a história da gaivota . Assumem as promessas como suas
  • 21. Primeira parte – ficha de verificação de leitura 2. Qual é a sua nacionalidade? 1. Quem é o autor deste livro? a. Portuguesa. a. José Saramago. b. Chilena. b. José Eduardo Agualusa. c. Brasileira. c. Luís Sepúlveda. d. Angolana Ficha de verificação de Leitura d. Mia Couto. 4. Em que cidade mora Zorbas? 3. Onde foi apanhada Kengah a. Amesterdão. pela maré negra? b. Hamburgo. a. Mar Mediterrâneo. c. Bremen. b. Mar Morto. d. Estocolmo. c. Mar da Mancha. . d. Mar do Norte.
  • 22. 5. Onde caiu Kengah? a. No pátio exterior da casa de Zorbas. b. No pátio interior da casa de Zorbas. c. Na varanda. d. No jardim, no meio dos vasos. Ficha de verificação de Leitura 6. Como se chamam os amigos de Zorbas? a. Sabetudo, Barlavento, Colonello e Secretário. b. Colonello, Harry, Matias e Sabetudo. c. Secretário, Matias, Sabetudo e Colonello. d. Sabetudo, Catavento, Colonello e Secretário 7. Antes de morrer, Kengah pediu a Zorbas a. que lhe tirasse as manchas de petróleo. b. que lhe desse algo para comer. c. que lhe fizesse três promessas. d. que lhe desse água. 8. Zorbas, Colonello e Secretário foram visitar Sabetudo para lhe perguntarem se sabia a. o que deveriam fazer com a gaivota moribunda. b. como limpar nódoas de petróleo. c. como calar o chimpanzé Matias. d. onde podiam encontrar Harry.
  • 23. 9. Antes de comprar o Bazar, o que fazia Harry? a. Era vendedor ambulante. b. Era marinheiro. c. Era carregador no porto. d. Era camionista. 10. Quanto é que Matias cobrava pela entrada, por pessoa, no Bazar? Ficha de verificação de Leitura a. 2 euros. b. 2 francos. c. 2 marcos. d. 2 kwanzas. 11. Onde é que Sabetudo procura as informações de que necessita? a. No Atlas. b. No dicionário. c. Na enciclopédia. d. No volume 18. 12. Ao consultar os livros, Sabetudo descobriu que a gaivotinha pertencia à espécie das gaivotas a. douradas. b. amareladas. c. esbranquiçadas. d. argentadas.
  • 24. 13. Como era o ovo que Kengah pôs antes de morrer? a. Acastanhado. b. Branco com pintinhas azuis. c. Branco com pintinhas acastanhadas. d. Bege com manchas azuis. Ficha de verificação de Leitura 14. Onde foi feito o funeral de Kenah? a. No pátio interior, debaixo de um castanheiro. b. No jardim de Colonello. c. À beira da praia. d. No pátio interior, debaixo de uma figueira. 15. A segunda parte do livro História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar começa com o capítulo a. “Uma noite triste”. b. “Zorbas começa a cumprir o prometido”. c. “Os gatos decidem quebrar o tabu”. d. “Um gato no choco”.
  • 25.