Empresas em Dificuldades Financeiras

10.939 visualizações

Publicada em

Material disponibilizado aos alunos da disciplina de Gestão Orçamentária e Financeira III, que trata sobre Falências e Recuperações Judiciais das Empresas em Dificuldades Financeiras

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.939
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
234
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Empresas em Dificuldades Financeiras

  1. 1. Empresas em Dificuldades Financeiras miltonh@terra.com.br
  2. 2. Empresa• Crescimento = investimentos ($$ próprio ou emprestado)• Quem empresta? => Bancos• Como? Constituindo garantias reais• O problema: a quebra do devedor• Bancos precisam ter certeza de receber de volta os valores emprestados + juros pactuados, pois têm obrigações com seus depositantes• Sem essa certeza, cobram um adicional a título de ‘risco de crédito’ (spread)
  3. 3. O Primeiro Erro• Toda a empresa em situação financeira difícil tende a cometer os mesmos erros. O primeiro deles é o “aumento do preço dos produtos” para fazer face a; – Manter o volume de vendas. – Aumento dos insumos – Despesas financeiras crescentes – Dissídios – Fechar os números• A resultante é sempre a mesma – Queda do volume de vendas – Perda de clientes – Menor margem em valor absoluto.
  4. 4. O Segundo Erro• Toda a empresa em situação financeira difícil tende a queimar estoques para fazer face a: – Melhorar o fluxo de caixa – Manter a Folha de Pagamento em dia – Fechar os números• A resultante é sempre a mesma – Piorar o desempenho do fluxo de caixa no longo prazo – Não repor os estoques – Menor margem em valor absoluto.
  5. 5. O mais grave • Não admitir que a situação esteja difícil dos erros • Querer resolver a situação sem ajuda externa • Não querer fazer ajustes de custos e despesas • Considerar que existam despesas intocáveis • Menosprezar o mercado, a concorrência, as tendências • Não desejar fazer mudanças profundas
  6. 6. Algumas Empresas Brasileiras queEnfrentaram Dificuldades Financeiras
  7. 7. Sobrevivência das Empresas USA Brasil De 100 empresas: De 100 empresas: • 30 ficam na 2ª geração • 30 ficam na 2ª geração • 10 ficam na 3ª geração • 05 ficam na 3ª geraçãoPraticamente não existem no Brasil empresas na 5ª geração.Estima-se em menos de 10 empresas apenas nesta condição.
  8. 8. Crise da EmpresaPATRIMONIAL – Ativo menor que o passivoECONÔMICA – Falta de faturamento em razãoda retração nos negóciosFINANCEIRA – Falta de liquidez – falta demontante em caixa para pagamento deobrigações imediatas
  9. 9. Dificuldades FinanceirasSão situações pelas quais passauma empresa cujos fluxos decaixa operacionais sãoinsuficientes para atender oscompromissos financeiros nasdatas de vencimento e/ou ovalor de seus ativos éinsuficiente para cobrir seusdébitos junto a credores
  10. 10. Dificuldades FinanceirasDesequilíbrio do fluxo de caixa
  11. 11. Sinais de que uma empresa passa por dificuldades financeiras• Atraso de pagamentos• Prejuízos• Reduções de dividendos• Fechamento de instalações• Dispensa de pessoal• Mudança de diretores• Queda de preço das ações
  12. 12. Papel dos AdministradoresOs administradores devem conhecer as possibilidades e os processos de reestruturação e liquidação Forem credores Sua própria de outras empresa empresas
  13. 13. Lei de Falências(número 11.101 de 09/02/2005)• Objetivos – Facilitar a recuperação da empresa em crise econômico-financeira, com a manutenção da fonte produtora e dos empregos, bem como aumentar a probabilidade aos credores da retomada de seus bens e direitos
  14. 14. Lei de Falências(número 11.101 de 09/02/2005) • Não se aplica – Empresa pública – Economia mista – Instituição financeira – Cooperativa de crédito – Consórcio – Entidade de previdência complementar – Sociedade operadora de plano de assistência à saúde – Sociedade seguradora – Sociedade de capitalização
  15. 15. Lei de Falências Extrajudicial• Fase de Recuperação Judicial• Fase Falimentar• Fase Criminal
  16. 16. Lei de Falências• Recuperação – Concordata = ‘Contrato’ entre devedor e credores mais um terceiro não contratante (o Estado-juiz) que visa a reabilitação do devedor em estado temporário de insolvência – Finalidade real: fazer o devedor ganhar tempo para negociar dívidas ou preparar sua empresa para a falência (‘limpeza’)
  17. 17. Lei de Falências• Falência – Forma jurídica de solucionar a situação jurídica do comerciante que não cumpre, no vencimento, com obrigações líquidas e certas – Finalidade: liquidação do patrimônio do devedor insolvente
  18. 18. Lei de Falências• Crime Falimentar – Todo e qualquer ato praticado antes, durante e até mesmo após a falência, com o objetivo de prejudicar credores em benefício próprio – Exemplos de crimes • Escriturar Livros Contábeis e Fiscais em atraso ou não ter esses livros • não encerrar o balanço no prazo legal • falsificar, destruir ou inutilizar material utilizado para escrituração
  19. 19. Lei de Falências• Recuperação Extrajudicial• Recuperação Judicial• Falência
  20. 20. Recuperação ExtraJudicial• Tem por objetivo permitir ao devedor negociar fora dos tribunais com seus principais credores e aprovar um plano de pagamento para suas dívidas, dentro de suas reais possibilidades
  21. 21. Recuperação ExtraJudicial Plano de Pagamentos aprovado por pelo menos 60% dos credores ? NÃO SIMRefaz o Plano Homologação
  22. 22. Reestruturação Financeira• Adequação do Passivo ao Ativo, do fluxo de caixa ao ciclo econômico e das contas a pagar às contas a receber
  23. 23. Reestruturação FinanceiraSoluções mais utilizadas:• Alongamento do perfil da dívida• Transferência do controle acionário
  24. 24. Reestruturação Financeira• Alongamento do perfil da dívida – Consiste em renegociar as condições da dívida a vencer ou vencida, com maiores prazos e taxas de juros menores
  25. 25. Reestruturação Financeira• Transferência do controle acionário – É a transferência do controle acionário e legal da empresa aos credores ou a terceiros, por iniciativa própria dos sócios da empresa em dificuldade – Aproveita-se a sinergia da transferência do controle acionário para um fornecedor que terá a missão de salvar a empresa, liquidando seus débitos
  26. 26. Recuperação Judicial• Tem por objetivo viabilizar a superação de crise econômico-financeira do devedor, a fim de permitir a manutenção da fonte produtora, do emprego dos trabalhadores e do interesse dos credores, promovendo, assim, a preservação da empresa, sua função social e o estímulo a atividade econômica
  27. 27. Recuperação Judicial • É uma trégua solicitada pela empresa devedora e decretada, via sentença judicial, como melhor forma de pagamento de seus credores
  28. 28. Recuperação Judicial• A empresa tem 2 anos de prazo para pagamento das dívidas ou desconto de 50% do valor para pagamento à vista
  29. 29. Recuperação Judicial• Geralmente a empresa perde o crédito, tendo que efetuar as próximas compras à vista junto a seus fornecedores
  30. 30. Recuperação Judicial• Se a empresa não cumprir o plano de pagamentos ou não se reerguer ao final do prazo, a falência será decretada
  31. 31. Falência• É um processo jurídico que ao promover o afastamento do devedor de suas atividades, visa a preservar e aperfeiçoar a utilização produtiva dos bens, ativos e recursos produtivos, inclusive os intangíveis da empresa
  32. 32. Falência • É considerada falida a empresa cujas dívidas de curto e de longo prazos são maiores que seu ativo, ou seja, a empresa apresenta um patrimônio líquido negativo
  33. 33. Falência• É nomeado um sindico pelo juiz para administrar a massa falida, receber todos os direitos e quitar todas as obrigações
  34. 34. Falência• O processo de falência visa também apurar e mensurar responsabilidades pela situação de insolvência (inclusive criminais), legitimar e relacionar os credores em ordem de preferência de recebimento
  35. 35. • Fase PreliminarFases da Falência – Do pedido a constituição do síndico • Fase de Sindicância – Levantamento dos direitos e haveres • Fase de Liquidação – Venda e rateio entre os credores
  36. 36. Falência • O processo inicia-se com um pedido de falência: – Pelo próprio devedor (autofalência), quando o juiz decreta, de imediato – Solicitada pelos credores (presumida), quando o juiz citará o devedor para que o mesmo apresente defesa ou efetue pagamento – Decretada pelo juiz após a recuperação judicial, seja por insucesso na recuperação ou por não cumprimento das cláusulas
  37. 37. Falência• Os titulares ficam impedidos de administrar outras empresas durante o processo de falência• Quando todas as dívidas são pagas, os titulares são liberados para iniciar ou administrar um novo empreendimento• Se o valor apurado não for suficiente para quitar todas as obrigações, os titulares ficarão impedidos de iniciar outro empreendimento ou administrar empresas por 5 anos
  38. 38. Falência• Ordem de Pagamento – créditos extraconcursais (tributos com fato gerador ocorrido após a decretação da falência) – créditos trabalhistas (até 150 salários mín/credor) – créditos com garantia real – créditos tributários (exceto multas) – créditos com privilégio especial – créditos com privilégio geral – créditos quirografários – multas em geral – créditos subordinados
  39. 39. Créditos Extraconcursais• Despesas contraídas para manter a massa falida em operação após a decretação da falência com o administrador judicial, as custas processuais, etc. São os gastos necessários para se manter o processo de falência!
  40. 40. Créditos Trabalhistas e Acidente de Trabalho
  41. 41. Créditos com Garantias Reais• Hipotecas• Alienações• Penhores
  42. 42. Créditos Tributários
  43. 43. Créditos com Privilégio Especial• Art. 964. Têm privilégio especial: I - sobre a coisa arrecadada e liquidada, o credor de custas e despesas judiciais feitas com a arrecadação e liquidação; II - sobre a coisa salvada, o credor por despesas de salvamento; III - sobre a coisa beneficiada, o credor por benfeitorias necessárias ou úteis; IV - sobre os prédios rústicos ou urbanos, fábricas, oficinas, ou quaisquer outras construções, o credor de materiais, dinheiro, ou serviços para a sua edificação, reconstrução, ou melhoramento; V - sobre os frutos agrícolas, o credor por sementes, instrumentos e serviços à cultura, ou à colheita; VI - sobre as alfaias e utensílios de uso doméstico, nos prédios rústicos ou urbanos, o credor de aluguéis, quanto às prestações do ano corrente e do anterior; VII - sobre os exemplares da obra existente na massa do editor, o autor dela, ou seus legítimos representantes, pelo crédito fundado contra aquele no contrato da edição; VIII - sobre o produto da colheita, para a qual houver concorrido com o seu trabalho, e precipuamente a quaisquer outros créditos, ainda que reais, o trabalhador agrícola, quanto à dívida dos seus salários.
  44. 44. Créditos com Privilégio Geral• Art. 965. Goza de privilégio geral, na ordem seguinte, sobre os bens do devedor: I - o crédito por despesa de seu funeral, feito segundo a condição do morto e o costume do lugar; II - o crédito por custas judiciais, ou por despesas com a arrecadação e liquidação da massa; III - o crédito por despesas com o luto do cônjuge sobrevivo e dos filhos do devedor falecido, se foram moderadas; IV - o crédito por despesas com a doença de que faleceu o devedor, no semestre anterior à sua morte; V - o crédito pelos gastos necessários à mantença do devedor falecido e sua família, no trimestre anterior ao falecimento; VI - o crédito pelos impostos devidos à Fazenda Pública, no ano corrente e no anterior; VII - o crédito pelos salários dos empregados do serviço doméstico do devedor, nos seus derradeiros seis meses de vida; VIII - os demais créditos de privilégio geral.
  45. 45. Créditos Quirografários• Compreende aqueles sem qualquer garantia; os saldos das instituições financeiras superiores à garantia real e os trabalhistas acima dos 150 salários mínimos, nessa ordem.
  46. 46. Multas
  47. 47. Créditos Subordinados• Corresponde àquele pertencente aos sócios ou administradores, ou seja, o pro labore (retirada) ou à parte dos lucros que lhes cabe nos resultados da em presa falida, pendentes na data da quebra.
  48. 48. Dificuldades Financeiras com base em Balanços e em Fluxos de Caixa• Balanços (Posição Estática) – Dizemos que uma empresa é insolvente quando seu patrimônio líquido é negativo
  49. 49. Dificuldades Financeiras com base em Balanços e em Fluxos de Caixa• Fluxos de Caixa (Posição Dinâmica) – Dizemos que uma empresa é insolvente quando não consegue pagar suas dívidas
  50. 50. Insolvência• Econômico-Financeira• Técnica
  51. 51. Insolvência Econômico-Financeira• Ocorre quando as receitas da empresa não cobrem seus custos, e a geração de caixa é insuficiente para honrar seus compromissos
  52. 52. Insolvência Técnica • Ocorre quando a empresa não é capaz de saldar suas dívidas nas datas combinadas, embora tenha ativos permanentes superiores a suas dívidas Crise de liquidez
  53. 53. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras• Ausência de planejamento estratégico
  54. 54. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras• Brigas familiares
  55. 55. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras• Cancelamento de um grande pedido
  56. 56. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras• Controles financeiros deficientes
  57. 57. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras • Custos altos
  58. 58. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras• Dependência de poucos clientes
  59. 59. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras • Dependência de poucos fornecedores
  60. 60. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras• Desvio de dinheiro para negócios particulares
  61. 61. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras• Diversificações mal conduzidas
  62. 62. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras• Entrada de concorrentes poderosos
  63. 63. Fatores que Levam aDificuldades Financeiras• Estoques altos
  64. 64. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras• Estrutura de capital inadequada
  65. 65. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras• Excesso de endividamento
  66. 66. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras • Excesso de otimismo sobre o negócio
  67. 67. Fatores que Levam a DificuldadesFinanceiras• Falta de capacidade gerencial
  68. 68. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras• Falta de capital próprio
  69. 69. Fatores que Levam aDificuldades Financeiras• Falta de investimentos tecnológicos
  70. 70. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras• Falta de vantagem competitiva
  71. 71. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras• Lentidão na tomada de decisão e nas ações
  72. 72. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras• Má administração de crédito e cobrança
  73. 73. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras • Falhas na distribuição dos produtos
  74. 74. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras• Má localização geográfica
  75. 75. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras• Gerenciamento de risco precário ou inexistente
  76. 76. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras • Morte dos fundadores
  77. 77. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras• Mudanças na conjuntura econômica
  78. 78. Fatores que Levam a Dificuldades Financeiras• Paternalismo na avaliação dos resultados
  79. 79. Evidências de Dificuldades Financeiras • Ações judiciais em andamento
  80. 80. Evidências de Dificuldades Financeiras • Aumento do endividamento
  81. 81. Evidências de Dificuldades Financeiras • Avisos de protesto
  82. 82. Evidências de Dificuldades Financeiras• Diminuição do Patrimônio Líquido
  83. 83. Evidências de Dificuldades Financeiras • Elevadas despesas financeiras
  84. 84. Evidências de Dificuldades Financeiras • Mudança de bancos / Auditores
  85. 85. Evidências de Dificuldades Financeiras • Perda de fatia de mercado
  86. 86. Evidências de Dificuldades Financeiras • Perda de reputação junto a clientes
  87. 87. Evidências de Dificuldades Financeiras• Queda de lucratividade, que da nas margens
  88. 88. Evidências de Dificuldades Financeiras • Rotatividade de funcionários importantes
  89. 89. Evidências de Dificuldades Financeiras • Queda nas vendas
  90. 90. Evidências de Dificuldades Financeiras • Perda de crédito
  91. 91. Evidências de Dificuldades Financeiras • Troca de diretores
  92. 92. Causas da Insolvência - INTERNOS• Capacidade gerencial deficiente
  93. 93. Causas da Insolvência - INTERNOS• Falta de controle financeiro
  94. 94. Causas da Insolvência - INTERNOS• Concentração num único projeto, ou num único cliente
  95. 95. Causas da Insolvência - EXTERNOS• Conjuntura econômica
  96. 96. Causas da Insolvência - EXTERNOS• Conjuntura política
  97. 97. Como Enfrentar as Dificuldades Financeiras • Fazendo fusões, aquisições ou cisões
  98. 98. Como Enfrentar as Dificuldades Financeiras • Buscando novas linhas de financiamento
  99. 99. Como Enfrentar as Dificuldades Financeiras • Desmobilizando
  100. 100. Como Enfrentaras Dificuldades Financeiras• Negociando com bancos e outros credores
  101. 101. ComoEnfrentar asDificuldadesFinanceiras• Reduzindo custos
  102. 102. Como Enfrentar as Dificuldades Financeiras • Reduzindo investimentos
  103. 103. Como Enfrentar as Dificuldades Financeiras • Reduzindo gastos com pesquisa e desenvolvimento
  104. 104. Como Enfrentar as Dificuldades Financeiras • Substituindo diretores e gerentes
  105. 105. Como Enfrentar as Dificuldades Financeiras • Substituindo dívidas por ações
  106. 106. Como Enfrentar as Dificuldades Financeiras • Fazendo fusões, aquisições ou cisões
  107. 107. Dificuldades Financeiras Não há reestruturação financeira RecuperaçãoDificuldadesFinanceiras Fusão, aquisiçã Recuperações o ou cisão Há reestruturação Falência financeira Solução negociada
  108. 108. Por que as Empresas Quebram?• Baixa Produtividade• Baixa Rentabilidade• Deficiência Estrutural• Baixa Capitalização• Descuido com a Essência• Envelhecimento das Crenças
  109. 109. Descuido com a Essência• Desatenção do Produto• Perda de Qualidade• Custos Altos• Atraso Tecnológico
  110. 110. Indicadores de Eficiência Global• Lucro – Produtividade – Giros• Retorno sobre Investimentos – Estrutura – Rentabilidade• Fluxo de Caixa – Produtividade – Capitalização
  111. 111. Indicadores de Eficiência Global• Ajustabilidade – Modernização do Produto – Custo Compatível• Capital Humano – Treinamento – Participação nos Resultados• Filosofia de Gestão – Revisionismo

×