Neuromarketing miguel costa, vasco mesquita

1.135 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.135
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Neuroethics of neuromarketingEmily R. Murphy1,2y, Judy Illes1z and Peter B. Reiner1
  • What is ‘neuromarketing’? A discussion and agenda for future researchNick Lee *, Amanda J. Broderick, Laura Chamberlain
  • Neuromarketing miguel costa, vasco mesquita

    1. 1. Neuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra
    2. 2. “O ritmo acelerado na era da informação torna imperativo que cada empresa se pergunte que adaptações deverá empreender agora para sobreviver e prosperar” Philip Kotler Para muitas empresas a resposta pode estar aqui: Neuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra 2
    3. 3. Pode ser definido como o Marketing baseado napesquisa neurológica dos consumidores.Estudado pela primeira vez na Universidade deHarvard, segundo um estudo de Zaltman em2003 São estudos baseados em tecnologias dediagnóstico, onde se consegue percepcionar oscomportamentos do consumidor, através doobservação da sua actividade cerebral quandoestimulados por determinada imagem ou filme Neuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra 3
    4. 4. Neuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra 4
    5. 5. A emoção é uma reacção a um estímulo, no mundo ou no nossocorpo, fazendo com que, mais tarde, o indivíduo lhe atribua umsignificado, uma diferenciação e consequente ganho de coerênciaAs emoções e experiencias vividas no consumo funcionam como queuma fuga ao quotidiano, criando grande impacto nos sentimentos decada umO objectivo dos Marketeers que utilizam esta técnica é oferecerprodutos com os quais os consumidores se sintam plenamentesatisfeitos, de modo a repetir a aquisição e torná-los fieisdespertando estados emocionais agradáveisNeuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra
    6. 6. É a associação de imagens a estados mentaisO princípio da correspondência aceita que tudo o que fazemos e conhecemos é um fielreflexo da estrutura do ambiente, e corresponde fielmente à realidade.Outro princípio é o de equipotencialidade, que afirma que os processos de aprendizagemsão universais, são os mesmos em todas as tarefas, em todas as pessoas e inclusive emtodas as espécies.Aquilo a que subconscientemente associamos a determinada imagem e que nos permitelevar o pensamento para outro estágio.O objetivo do Neuromarketing é que os estímulos que os anúncios passam, sejamassociados a estados mentais tais como a alegria e a felicidade, que visam promover oconsumo. Neuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra
    7. 7. A dopamina é um importante neurotransmissor no cérebro , queactua promovendo, entre outros efeitos, a sensação de prazer e asensação de motivação.Quando uma recompensa é alta, os níveis de Dopamina enviam umalerta que excita o cérebro fazendo com que ele reconheça o pontopositivoQuando a recompensa é baixa ou não atingida, o nível de alerta ébaixo, gerando a frustração. Neuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra 7
    8. 8. Existem ainda factores exteriores que nos levam a“comprar” mais, como por exemplo a cafeína e a fome, quenos pode fazer, “levar o supermercado para casa”A compra é uma batalha entre as váriasáreas do nosso cérebro, que sãoresponsáveis pelos impulsos mais primários:Do prazer, das emoções, daquelas que nospermitem racionalizar, estando muitas vezesa nossa decisão já tomada antes de usarmosa parte racional. Neuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra 8
    9. 9. Em baixo, temos 2 exemplos de padrões de consumo absolutamente diferentes, no que concerne a vestuárioNo exemplo que figura neste slide, sabemos que a cultura dos progenitores define o padrão de consumo da sua família, esubsequentemente irá influenciar de grosso modo a cultura de consumo dos seus filhos no futuro, passando de geração emgeração.O estudo estímulos mentais não será suficiente para padronizar o consumo dos consumidores. Neuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra 9
    10. 10. Estudo pluri e interdisciplinar do sistema nervoso normal e patológico, tanto anível do funcionamento molecular elementar, como nas funções integradas maiselaboradas: as emoções, os comportamentos, a cognição e o psíquicoAtravés de tecnologias de diagnóstico ao nível do consumo, conseguem chegar aconclusões que fogem do senso comum.Visa colmatar a necessidade de entender o inconscientedos consumidores, as suas emoções, os seussentimentos, as suas motivações e desejos.95% dos processos cerebrais que impulsionam tomadas dedecisões e de comportamentos de compra ocorrem namente inconsciente. Neuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra 10
    11. 11. “Alguns gestores, perceberam que recorrer a estudos deNeuromarketing para melhorar o desempenhoempresarial é importante e permite definir estratégiasmais próximas dos consumidores. Deste modo, torna-sepossível perceber o impacto, proximidade, força eemoções de uma marca ou produto perante oconsumidor através de estudos feitos ao cérebro” C. Nobre, 2012 Neuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra 11
    12. 12. Neuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra 12
    13. 13. Don’t rely on focus groups and consumers ability to express their opinions about your product, let their minds speak for themselves.At MindSign Neuromarketing™, we look at the subject brain response to your ad, game, speech, or film. We look at how well and how often it engages the areas for attention/emotion/memory/and personal meaning (importance). We also look at how well it activates (good) the brain as a whole. From this data we can tell what your audience was thinking while using your software or watching your content, moment by moment, regardless of what that content is. Were they scared or sleepy, happy or sad? Were they even paying attention? We can show you how your product is affecting the consumer brain even before the consumer is able to say anything about it.Apresentação da empresa MindSign Neuromarketing™ no seu site oficial Neuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra 13
    14. 14. A final da National Football League, o SuperBowl, éconsiderado um momento ímpar na publicidademundial, tendo mais de 100 milhões de espectadores.Os anúncios de 30 segundos chegam a custar US$3,5MLogicamente, aproveitando esta montra, as grandesempresas utilizam o neuromarketing para terem oretorno desejado do seu investimento Neuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra 14
    15. 15. Baseado na técnica de Electroencefalograma (EEG), que mede as flutuações eléctricas na superfície do cérebro, a Sands mediu o efeito neurológico dos anúncios do SuperBowl em 2010. Esta técnica caracteriza-se por uma análise fácil, baseada numa escala de 1 a 5, medindo a reacção eléctrica do cérebro quando confrontado com determinados estímulos.Neuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra 15
    16. 16. #1 VW Punch Dub #5 Bridgestone - Whale of a Tail 4.71 3.71Neste caso, podemos ver dois dos anúncios do SuperBowl 2010 comconsiderável diferença de impacto na medição da carga eléctrica docérebro quando confrontado com determinados estímulos Neuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra 16
    17. 17. A interpretação da análise científica permite-nos chegar àconclusão de que, o 1º causa um impacto 29,4% superior ao2º na carga elétrica do cérebro do consumidorVendo os dados deste modo, conseguimos ter a percepçãodas áreas do cérebro que são estimuladas nos vários pontosda experiência de consumo. Quando a pessoa que faz ostestes, os repete várias vezes, as áreas que vemos ativaspodem definir se o olhar foi devido a confusão ou interesseNeuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra 17
    18. 18. Não existem na verdade, problemas no uso da tecnologia científica para o avanço na publicidade, excepto, quando estes estudos, se baseiam na parte inconsciente do cérebro, que nos pode levar a comprar o que na realidade não queremos. Aqui levantam-se duas questões éticas: Protecção de todas as partes que possam ser exploradas ou prejudicadas, durante a pesquisa e desenvolvimento do Neuromarketing. Protecção da autonomia do consumidor, caso o Neuromarketing atinja níveis críticos de eficácia.Neuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra
    19. 19. Esta área visa a manipulação da autonomia do consumidor, de umaforma tal, que este não seria capaz de detectar talsubterfúgio, resultando num comportamento anormal de consumo, (ex:consumo compulsivo ou viciado)Tais tecnologias não existem nos dias de hoje, nem se sabe se viram aexistir, mas a prevenção destes eventos já está a ser levada em contaDeverá ser criado um código de ética pela industria do neuromarketingde forma a proteger a integridade dos mercados e a confiança dosconsumidores. Neuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra
    20. 20. Realizado por:Miguel Portugal CostaVasco Mesquita Neuromarketing - Marketing Estratégico - Faculdade de Economia da Universidade de 20 Coimbra

    ×