Eau sector construcao

1.135 visualizações

Publicada em

Informação do AICEP sobre o sector da Construção nos Emirados Árabes Unidos

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.135
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
35
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Eau sector construcao

  1. 1. Emiratos Árabes UnidosO Sector da ConstruçãoJulho 2007
  2. 2. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)Índice 1. Sumário executivo 03 2. Análise macroeconómica 04 3. Análise sectorial 09 3.1 Breve caracterização do sector da construção 09 3.2 Oportunidades de negócio e início de actividade 10 4. Processo de licenciamento 11 4.1 Constituição de empresas 11 4.2 Tipo de licença 11 4.3 Processo de obtenção de licença 11 5. Estrutura de custos 13 5.1 Escritórios e alojamento 13 5.2 Recursos humanos 14 5.3 Custos de materiais de construção e equipamentos 14 5.3.1 Cimento, alumínio e aço 15 5.3.2 Rochas ornamentais 16 5.3.3 Materiais cerâmicos 17 5.3.4 Equipamentos pesados 19 5.3.5 Estruturas metálicas 19 5.3.6 Condições de frete 21 6. Perspectivas actuais e futuras do sector da construção 21 7. Processo de decisão e canais de distribuição 23 8. Conclusões e recomendações 24 2
  3. 3. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)1. Sumário ExecutivoQuando se fala no sector da construção, os Emirados Árabes Unidos aparecem como um dos mercadosonde este sector regista um maior crescimento. Um breve passeio de automóvel ao longo da Sheikh Zayed(uma das principais artérias rodoviárias do Dubai), permitirá ao condutor verificar in loco a grande manchade gruas que existe ao longo desta avenida. Cerca de 24% das gruas existentes no mundo (30.000 nototal) encontrarem-se actualmente no Dubai.Os Emirados Árabes Unidos (EAU) encontravam-se em 2006, na 17ª posição do ranking dos melhorespaíses para investir. Recentemente, ultrapassou o Egipto, como segunda maior economia da região, logoapós a Arábia Saudita.Esta robustez económica reflecte-se também na indústria da construção e no sector imobiliário, querepresentam actualmente 20% do PIB dos Emirados, e onde o valor dos diversos projectos em cursorepresentam 60% do valor total dos projectos da Região do Médio Oriente.De acordo com as últimas estimativas (Dezembro de 2006) o sector da construção civil dos Emiradosencontra-se avaliado em 221 bilhões de dólares, prevendo-se um crescimento em 2007 de 10,7%.O sector hoteleiro registou novos recordes em 2005. O número de visitantes foi de 8.031.782 (umaumento de 16,8% face a 2004). Segundo o World Travel and Tourism Council (WTTC) o sector deveráregistar um crescimento anual médio de 7,2% até 2015. De acordo com as últimas estimativas, serãonecessários criar (apenas no Dubai) durante os próximos 5 anos, 45.000 novos quartos até 2010 para fazerface ao aumento esperado do número de visitantes (15 milhões até 2010).Este crescimento no sector hoteleiro irá, por si só, implicar um crescimento no sector da construção.O mesmo se passa em relação ao retalho especializado. O Dubai alojará cinco dos sete maiores centroscomerciais do mundo, devendo a área bruta locável atingir (até 2010) os 3 milhões de m2.A procura de espaços comerciais deverá crescer a um ritmo de 600.000 metros quadrados/ano até 2010.Quanto ao consumidor final, o mercado potencial tem crescido consideravelmente. Para além do elevadonúmero de visitantes já referido anteriormente, a população residente nos Emirados Árabes Unidos era, em2005, de 4 milhões habitantes o que representa um crescimento de 74,8% em relação ao Census de1995. 3
  4. 4. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)Em Dezembro de 2004 decorriam nos Emirados projectos no valor de 30 bilhões de dólares, concentradossobretudo no Dubai. Estes projectos incluíam 461 novos arranha-céus, 60 novos hotéis, e novos distritosresidenciais, centros comerciais e escritórios.Os actuais projectos de larga escala a decorrer nos Emirados, representam apenas 15% do totalimplementado.2. Análise MacroeconómicaOs Emirados Árabes Unidos (EAU) são uma Federação desete Emirados: Abu Dhabi, Ajman, Dubai, Fujairah, Sarjah,Umm Al Quwain e Ras Al Khaimah. Estão situados na parteinferior do Golfo Pérsico, fazendo fronteira com Omã, ArábiaSaudita e Qatar.Desde a primeira descoberta de importantes reservas depetróleo em 1950, que o petróleo e o gás são elementosessenciais da economia dos EAU, classificados pelo BancoMundial como uma das 10 nações mais ricas do mundo.A maior parte das reservas de hidrocarbonetos situam-se noEmirado de Abu Dhabi. Nos últimos anos tem sido levado acabo um esforço significativo para diversificar a economia,tendo-se registado um grande desenvolvimento dos sectores dos serviços e indústria, principalmente nasáreas do comércio, retalho, construção e turismo. O Emirado do Dubai, em particular, tornou-se numimportante centro de turismo, comércio e transporte da região, oferecendo um ambiente atractivo e estávelpara as empresas que procuram uma base regional para as suas operações nos mercados Europeu,Asiático e Árabe.O recente desenvolvimento do Dubai deve-se em grande parte a iniciativas tomadas pelas autoridadeslocais no sentido de incentivar o investimento e o comércio externo e de reduzir a dependência da economiado sector petrolífero.Destas iniciativas, destaca-se a criação de várias zonas francas destinadas a atrair o investimento directoestrangeiro, correspondendo normalmente a diferentes “clusters” de actividade, citando a título de exemplo: Dubai Internet City Dubai Media City Dubai International Media Production Zone Knowledge Village Zonas Francas do Porto de Jebel Ali e do Aeroporto do Dubai Jebel Ali Airport City 4
  5. 5. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007) Dubai International Financial City Dubai Health Care City Dubai Maritime City Dubai Metals & Commodity Centre Dubai Textile CityEsta política económica expansionista, voltada para o incentivo à iniciativa privada, e que ao mesmo tempoprocura de forma agressiva e dinâmica captar investimento estrangeiro em sectores estratégicos, tem sido opólo catalizador para um rápido e sustentado desenvolvimento do sector da construção e imobiliário a par deuma aposta cada vez mais determinada no sector do turismo.Um conjunto de projectos emblemáticos, como:- Burj Al Arab (1º Hotel no mundo a obter a classificação de sete estrelas)- Palm Island I,II,III (O Projecto Palm I, concebido em forma de palmeira, promovido como a oitava maravilha do mundo, integra 2000 villas com ancorador privado, 50 hotéis, e vários Shopping malls)- The World (projecto que engloba 300 ilhas artificiais ao largo da costa)- Hydropolis (hotel subaquático)- Burj Dubai (edificio mais alto do mundo, que juntamente com os restantes projectos da Dowtown e Business Bay assumem-se como a Manhatam de Dubai)Traduzem a sofisticação, a inovação mas também as oportunidades existentes nos sectores do turismo, daconstrução e afins (materiais de construção, têxteis, serviços, etc...)Com um atractivo e convidativo ambiente económico e de negócios, os EAU (com particular destaque para oEmirado do Dubai) transformaram-se num verdadeiro centro de comércio e trading, sendo reconhecidos hámais de uma década como a plataforma (hub) de negócios do Golfo Árabe.O porto de Jebel Ali é hoje, em termos de volume, o terceiro maior porto do mundo logo a seguir ao deSingapura e Hong-Kong.Para esta posição de destaque, contribuiu também a inexistência de impostos sobre o rendimento dasempresas (com excepção de bancos e companhias petrolíferas estrangeiras com participação emconcessões) e tarifas alfandegárias relativamente baixas (5% para a generalidade dos produtos).Os EAU possuem uma força de trabalho competitiva, proveniente de 150 países diferentes e um mercadodoméstico com um elevado Rendimento per Capita de 18.400 USD, segundo estatísticas do Banco Centraldos EAU. 5
  6. 6. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)PIBO País possui aproximadamente 10% das reservas mundiais de petróleo (sobretudo proveniente de AbuDhabi), e a 4ª maior reserva de Gás Natural do mundo.O PIB tem crescido em média, na última década, 10% ao ano, tendo atingido em 2005 os 133,8 bilhões deUSD (29,2% dos quais provenientes do Dubai) o que representa um aumento de 8% face ao ano anterior.Estima-se que a este ritmo o PIB seja em 2010 entre 136 e 245 bilhões de USD. Esta variação dependesobretudo do comportamento dos preços do petróleo, uma vez que este contribui em 32% para o PIB dosEAU (6% apenas no Dubai).Apesar das actividades ligadas ao petróleo constituírem ainda o principal sector de actividade dos EAU(32%), novos sectores têm emergido, nomeadamente a indústria (15%), o comércio e retalho (12%),Construção (9.2%) e os Serviços (11% - Turismo, sector financeiro e serviços do Estado principalmente).Os sectores não petrolíferos cresceram 9,9% em 2005 face a 2004. No Dubai o sector do petróleorepresenta apenas 6% do PIB (estimando-se que contribua 1% em 2010), tendo atingido em 2004 os 30bilhões de USD (um crescimento de 13,3%): Os sectores do Imobiliário e da Construção representaram25% do PIB. Outros sectores importantes, que colocam em evidência o esforço de diversificaçãoeconómica do Dubai, foram o Comércio e o Retalho, a Indústria e o Turismo.InflaçãoA inflação é uma das principais fontes de preocupação das autoridades governamentais. O Fundo MonetárioInternacional estima que a inflação nos Emirados Árabes Unidos tenha sido em 2005 de 8%, sendofacilmente expectável que no Dubai a inflação tenha atingido os dois dígitos (10-12%). Segundo o BancoCentral dos EAU o aumento das rendas de habitação (+40% face a 2004) foi a principal razão para oaumento da inflação. Contudo é difícil prever o impacto que 40.000 novas unidades residenciais que serãolançadas entre 2006 e 2007 terão neste indicador.ComércioOs principais destinos de exportação dos EAU são: o Baharain, os Estados Unidos, o Japão, a Índia, aCoreia do Sul, a Arábia Saudita, o Kuwait, a China, o Reino Unido, Irão, Singapura e Oman que no seuconjunto representam 51,7% do total.Enquanto que as importações são provenientes sobretudo da: China, Japão, Estados Unidos, Alemanha,Reino Unido, Índia, França, Coreia do Sul, Itália e Suiça que no seu conjunto representam 63,6% dasimportações. As importações têm crescido progressivamente, ano após ano.O Dubai é hoje o principal centro re-exportador para toda a região do Médio Oriente, mas também para osmercados do Irão, da Índia, da Ásia Central ou da África., reforçando o seu estatuto de plataforma denegócios para o Médio Oriente e Ásia. Os parceiros comerciais reforçam o papel do Dubai como aplataforma (Hub) de negócios e comércio (trading) entre a Ásia, o Médio Oriente e a Europa. 6
  7. 7. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)PopulaçãoSegundo o Census elaborado pelo Ministério da Economia no início do ano de 2005, a população dosEmirados Árabes Unidos é aproximadamente de 4 milhões habitantes.Destes, 20,1% são Emiratis (naturais dos EAU) e os restantes 79,9% estrangeiros, provenientes de 150países diferentes (o que reflecte uma elevada diversidade de gostos e hábitos de consumo, que deverão sertidos em conta na abordagem ao mercado). Os grupos étnicos com maior representatividade são:Paquistaneses, Indianos, Afegãos, Bangladeshis e Filipinos. É de salientar o crescimento de 74,8% napopulação em relação ao Census de 1995.Os homens representam 67,6% da população residente, dos quais 418.057 (16,4%) são locais e 2.128.986(83,6%) estrangeiros.As mulheres representam 32,4% da população (1.222.037), das quais 406.864 (33,3%) são cidadãs dosEAU e 815.173 (66,7%) são cidadãs estrangeiras.Outro aspecto fundamental do mercado consumidor dos EAU reside na juventude da sua população, comimpacto significativo na definição das tendências, materiais e design dos produtos, mas também de umaumento esperado da procura de habitação. 52,9% da população total tem entre os 20 e os 39 anos de idade. 51,1% dos cidadãos dos EAU, tem menos de 20 anos, 38,1% dos quais têm menos de 14 anos de idade 48,8% da população estrangeira tem entre 25 a 40 anos de idade.Para além da população residente, os visitantes (turistas ou em trabalho) são outro segmento importante demercado a considerar. O número de visitantes foi em 2005 de 8.031.782 (um aumento de 16.8% face a2004) Junho foi o mês que registou o menor número de visitantes (597.583) e o número máximo devisitantes (765.682) registou-se em Dezembro.Ambiente CulturalApesar da cultura dos EAU ter as suas raízes nas tradições Islâmicas Árabes, este Estado (em particular oDubai) é tolerante e hospitaleiro. As mulheres sentem pouca discriminação e exercem direitos fundamentaiscomo conduzir, deslocar-se sozinhas e trabalhar, ao contrário do que acontece noutros países da regiãocomo a Arábia Saudita ou Irão. É assim possível encontrar no Dubai, homens e mulheres, Árabes eestrangeiros de várias nacionalidades trabalhando e convivendo socialmente de forma harmoniosa. O rápidodesenvolvimento económico dos últimos 30 anos alterou radicalmente o estilo de vida nos Emirados. A forteabertura comercial e o número maioritário de cidadãos estrangeiros que reside no país, conduziu os Emiratisa uma maior exposição a ideias e valores estrangeiros, originando profundas alterações sociais. 7
  8. 8. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)Contudo, os regentes e governantes do país estão comprometidos em salvaguardar as suas tradições eheranças culturais contra a erosão deste processo de desenvolvimento sendo por isso habitual a promoçãode eventos e actividades culturais e desportivas representativas desse património cultural.LínguaO Árabe é a língua oficial dos EAU. Apesar do Árabe ser a língua oficial, o Inglês é a principal língua denegócios e social, sendo igualmente utilizada pelos funcionários de organismos públicos e na rotulagem deprodutos. Urdu e Hindi são outros idiomas frequentemente utilizados. Nas cidades, os sinais rodoviários, asinalética das lojas ou os menus dos restaurantes são normalmente impressos nas duas línguas (árabe einglês).TecnologiaOs EAU são um modelo no Médio Oriente no que diz respeito às infraestruturas tecnológicas e à utilizaçãode novas tecnologias, nomeadamente Internet e telemóveis.A existência de Clusters tecnológicos e de conhecimento como a Dubai Internet City, Dubai Media City,Dubai Health Care City or Knowledge Village, conduziram a uma elevada concentração de know-howtecnológico.HoráriosOs horários de trabalho são variados podendo ser das 08h00 às 17h00 ou das 09h00 às 18h00 (com umahora p/ almoço); repartidos das 09h00 às 13h00 e das 16h00 às 20h00 (com longa pausa para almoço)principalmente em empresas Árabes. Os serviços do Estado funcionam entre as 07h30 e as 14h00 deDomingo a Quinta. Os fins-de-semana nas empresas também variam, podendo ser Quinta e Sexta (diasagrado no Islão), Quintas de tarde (meio dia) e Sextas, ou Sextas e Sábados. Desde Setembro de 2006, osfins-de-semana dos serviços do Estado e das Escolas no Dubai passaram a ocorrer às Sextas e aosSábados, tendo muitas empresas privadas acompanhado esta medida.No sector da construção as empresas podem trabalhar 24 horas por dia e 365 dias, não existindo grandeslimitações legais a determinados horários de trabalho (noite) como é comum acontecer na Europa.Sistema PoliticoEstabelecido em 1971, os EAU são uma federação composta por sete emirados: Abu Dhabi, Dubai, Sharjah,Ras Al-Khai mah, Ajman, Umm Al Quwain e Fujarah.De acordo com a Constituição estabelecida nesse mesmo ano, os regentes dos 7 Emirados constituem oConselho Supremo Federal dos Emirados Árabes Unidos, o mais alto órgão legislativo e executivo. Esteconselho elege dentre os seus membros o Presidente e Vice- Presidente. O Presidente nomeia o Primeiro-ministro e o seu Governo.Tradicionalmente e desde a sua constituição, o Presidente dos EAU tem sido o regente de Abu Dhabi(actualmente, o Sheikh Khalifa bin Zayed Al-Nahyan) enquanto que o Vice – Presidente tem sido o regente 8
  9. 9. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)do Dubai (actualmente, o Sheikh Mohammed bin Rashid Al-Maktoum, considerada a força motora dodesenvolvimento do Dubai, que acumula igualmente as funções de Primeiro Ministro) tendo estes regentesPoder de Veto.Sistema FiscalComo parte integrante da estratégia de atracção de Investimento Directo Estrangeiro, o governo dos EAUcriou um conjunto de vantagens fiscais para as empresas. Para além de não serem tributados os lucros dasempresas e os rendimentos das pessoas singulares, não existem impostos sobre o consumo (com aexcepção de algumas taxas municipais aplicadas aos sectores do Turismo, Restauração e Habitação).Outras vantagens do sistema legalPara além do enquadramento fiscal favorável, acrescem ainda as outras vantagens: Legislação laboral flexível (períodos experimentais longos, despedimentos fáceis, possibilidade de trabalhar 45 horas semanais, flexibilidade de fixação de horários sem agravamento salarial); Inexistência de taxas e impostos de segurança social; Possibilidade de expatriação (total) de lucros não sujeita a impostos, Sector do Estado eficiente e cada vez mais desburocratizado.3. Análise Sectorial3.1 Breve Caracterização do Sector da ConstruçãoO sector da construção é visto como uma das fontes chave de emprego, rendimento e crescimento do Dubaie dos EAU.Uma das razões pelas quais o Dubai emergiu como a plataforma de comércio e serviços da Região deve-seao desenvolvimento de infraestruturas de elevadíssima qualidade.Exemplos dessa qualidade são o Porto de Jebel Ali, o Aeroporto Internacional do Dubai, ou a criação deparques de negócios que respondam a necessidades de sectores específicos, como a Dubai Media City ou aDubai Internet City.Contudo, ao longo dos últimos dois anos, o sector da construção deixou de ser apenas o alicerce para acriação de estruturas necessárias ao desenvolvimento económico, passando a ser em si mesmo uma dasprincipais fontes de crescimento económico.Aos projectos de infraestruturas do Governo, como o novo terminal do aeroporto ou o desenvolvimento doDubai International Financial Centre, juntaram-se mega projectos privados como a Dubai Marina (190 novas 9
  10. 10. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)torres residenciais) ou o Burj Dubai (o mais alto edificio do mundo) da empresa Emaar. O lançamento doprojecto turístico e residencial Dubailand, representa de per si, um investimento de 4,9 bilhões de USD.Uma longa lista de projectos está planeada para ser executada durante os próximos dez anos.Grandes promotores imobiliários como Nakheel, Emaar, Dubai Properties e Dubai InternationalProperties anunciaram no final de 2006 novos projectos no valor de 26 bilhões de dólares. Para alémdestes o investimento público em infraestruturas irá ter um impacto significativo sobre o sector. DubaiMunicipality, DEWA (empresa responsável pelo abastecimento de água e electricidade no Dubai) e oDepartamento de Civil Aviation anunciaram novos investimentos que ascendem a 20 bilhões de dólares.O PIB do sector da construção deverá crescer 10,7% em 2007.Só no Cityscape Dubai 2006 (o maior evento mundial de Investimento e Promoção Imobiliária), foramanunciados projectos no valor de 161 bilhões de dólares.Contudo das 43.000 unidades anunciadas para 2007, estima-se que apenas sejam concluídas 30.000,devido a atrasos de construção, o que levará a que a oferta continue a não satisfazer a procura.De forma a controlar o elevado crescimento do valor das rendas registado em anos anteriores (chegando emalguns casos a atingir aumentos de 40%) o Governo do Dubai fixou um tecto máximo de 7% de aumentopara o mercado de arrendamento.O número de empresas de construção activas é de 5.938, predominantemente de pequena dimensão, umavez que 76% destas têm entre 1 a 19 trabalhadores.A actividade de construção propriamente dita (estruturas, paredes, etc.,) representa 45% das actividades dosector, enquanto que as empresas de acabamentos surgem a seguir com 33%. As grandes empresas sãoas principais empregadoras (73,4% do numero total de trabalhadores), seguidas pelas de média dimensão(20,7%) e das pequenas (5,9%).3.2 Oportunidades de Negócio e Início de ActividadeOs principais promotores imobiliários são unânimes em considerar que existe actualmente um défice deempresas de construção civil de qualidade a operar neste mercado. Esta situação tem levado a que muitosdos principais promotores estejam à procura de empresas de construção que tenham capacidade deexecutar os seus projectos.Este factor constitui, a par do rápido crescimento do sector, uma oportunidade que pode e deve serexplorada pelas empresas Portuguesas de Construção Civil. 10
  11. 11. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)Para além deste sector, e face ao gigantesco volume de construção que existe e continuará a serdesenvolvido, existem oportunidades de negócios interessantes ao nível das empresas de prestação deserviços e de fornecimento de materiais para o sector. Sistemas de refrigeração (ar condicionado), materiaiscerâmicos, matérias-primas (cimento, alumínio e aço), estruturas metálicas, aplicações para cozinha equartos de banho, e vidro são os produtos que registam maior procura.4. Processo de Licenciamento4.1 Constituição das EmpresasPara iniciar uma actividade comercial nos Emirados Árabes Unidos, existem leis próprias onde podemconstar, nomeadamente a obrigatoriedade de um parceiro local (o que acontece no sector da construçãocivil). As empresas Portuguesas poderão estabelecer-se nos Emirados através: Nomeação de um agente comercial local; Constituição de uma sociedade de responsabilidade limitada nos EAU; Abertura de uma filial ou de um escritório de representação; Estabelecimento de uma Sociedade Profissional ou em Nome individual; Constituição de uma empresa em uma Zona Franca local.4.2 Tipo de LicençaBusiness LicensesTodos os Emirados exigem que as empresas, locais ou estrangeiras, que queiram desenvolver negócios seencontrem devidamente licenciadas pela Autoridade Municipal onde a empresa se encontra sedeada(diferentes tipos de actividade, requerem diferentes tipos de licença).Construction LicensesExistem vários tipos de licenças de construção, de acordo com o tipo de actividade que a empresa queiradesenvolver. A general construction license, é a mais completa e autoriza a empresa licenciada adesenvolver todo o tipo de construção incluindo, civil, mecânica, eléctrica, petrolífera e outras afins, exigindoque a empresa comprove experiência nos diferentes campos cobertos pela licença.4.3 Processo de Obtenção da Licença 1. Submeter aplicação e propor nome da empresa junto do Department of Economic Development (DED) para aprovação inicial. a. Tempo (1 dia); 11
  12. 12. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007) b. Custos (40 Euros se a empresa tiver um nome Árabe, 400 Euros para nome estrangeiro + 22 Euros para aprovação preliminar); 2. Elaboração do Memorandum of Association (semelhante ao Pacto Social) devidamente autenticado pelo Notary Public de um tribunal do Dubai (ou outro onde a empresa esteja sedeada) a. Tempo (1 dia) b. Custos (0.25% do capital (com 3 cópias do Memorandum of Association, 10 Euros por página para cada cópia adicional) 3. Depósito bancário (integral) do Capital Social declarado e respectivo comprovativo devidamente autenticado pelo Notário a. Tempo (2-3 dias) b. Custos (zero ou taxas bancárias, dependendo do banco) 4. Submeter os documentos junto do DED para aprovação a. Tempo (4-6 dias) b. Custos (20 Euros) 5. Obtenção de aprovação para uso das instalações junto do Planning Department of Dubai Municipality a. Tempo (1 dia) b. Custos (zero) 6. Composição da Administração a. Tempo (2 dias) b. Custos (200 Euros) 7. Envio de documentos ao DED e obtenção de cópias da Licença de Construção e dos Registos comerciais (Commercial Registration Certificates) a. Tempo (3 dias para a licença, 3 dias para registo comercial) b. Custos (50 Euros + 3.000 Euros de fee para empresas impor/expor e empresas de construção + 600 Euros de taxa de publicação) 8. Envio de cópias dos documentos ao Federal Ministry of Economic and Commerce; Publicação dos documentos da empresa no Boletim do Ministério. a. Tempo (1 dia) b. Custos (600 Euros) 9. Registo junto da Dubai Chamber of Commerce and Industry. a. Tempo (2 dias) b. Custos (240-600 Euros – fee anual – incluído no procedimento acima indicado) 10. Registo dos funcionários junto do Dubai Naturalization & Residency Department a. Tempo (30 dias) 12
  13. 13. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007) b. Custos (140 Euros) 11. Registo dos funcionários junto do Ministry of Labor a. Tempo (pode durar 3 meses) b. Custos (200 Euros) 12. Registo dos funcionários locais junto da General Authority for Pension and social security a. Tempo (1 dia) b. Custos (zero)5. Estrutura de Custos5.1 Escritórios e AlojamentoApesar do elevado número de projectos, a oferta não foi suficiente para dar resposta ao elevado nível daprocura, o que conduziu a um aumento elevadíssimo das rendas dos imóveis, originando em anos recentesaumentos anuais de 30 a 40%.O Dubai passou em dois anos da 73ª para a 25ª posição do ranking das cidades mais caras do mundo.A título de exemplo, a renda mensal de um T2 em Greens (empreendimento residencial do Grupo Emaar)era 1.170 Euros em 2006 o mesmo T2 era arrendado por 1.830 Euros (um aumento de 57% em dois anos). 13
  14. 14. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)Aumentos semelhantes registaram-se igualmente ao nível dos espaços comerciais (lojas, escritórios,armazéns).5.2 Recursos HumanosHouve uma diminuição global da produtividade do trabalho no sector entre 2000-2004, compensada por umaumento da força de trabalho durante o mesmo período.Essa força de trabalho é maioritariamente proveniente do Sul da Ásia (Índia, Paquistão, Bangladesh), emparticular mão-de-obra não qualificada ou indiferenciada. A falta de qualificação origina níveis deprodutividade baixos e muitas vezes má qualidade de acabamentos. Essa baixa produtividade procura sercompensada com reduzidos custos salariais e longas jornadas de trabalho.Quanto à mão-de-obra qualificada ela é sobretudo ocidental (Europeia e Americana) e aí a situação inverte-se. Maiores ganhos de produtividade, mas custos salariais elevados.Os custos de mão-de-obra qualificada cresceram em média neste sector 25% no último ano (Março de 2006-Março de 2007).Alguns valores indicadores no sector Função Sector Cidade Salário/mês + benef. Nacion Exper. Administrativo Imobiliário Dubai 800 Euros 2 anos Call Center Agent Imobiliário Dubai 1100 Euros + beneficios 2 anos Chefe de projecto Construção Dubai 10-11000 Euros + benef. Ocidental 10 anos Gestor Comercial Imobiliário UAE 3600-5000 Euros + ben. 10 anos Controler Financ. Construção Dubai 4000-5000 Euros + ben. Inspector Mecan. Arquit&Eng. Dubai 2400 Euros + beneficios 5 anos Orçamentista Imobiliário Dubai 4000-4500 Euros + ben Engenheiro obra Arquit&Eng. Dubai 4500 -5000 Euros + ben. Ocidental Secretaria Empresa Dubai 1200 Euros Pedreiro , Pintor Construção UAE 150 Euros Continente Servente IndianoFonte: Gulf News 20065.3 Custos de Materiais de Construção e EquipamentosO elevado ritmo de construção originou uma escassez de equipamentos, mas também de quadrosqualificados originando um forte aumento dos preços dos principais materiais de construção. 14
  15. 15. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)Estima-se que o valor do mercado de Materiais de Construção dos EAU seja de 540 milhões de USD,sendo controlado por 50 empresas de Grande, Média mas também pequena dimensão. As 10 maioresempresas detêm 50% da quota de mercado.Dos materiais importados, são consumidos internamente (EAU) 50 a 60% do total, sendo os restantes re-exportados sobretudo para os países da Região.5.3.1 Cimento, Alumínio e AçoO aumento do custo dos materiais construção, em particular dos importados, afectou consideravelmente opreço final da construção. O aço aumentou 100% num só ano, o cimento aumentou 30% no primeirotrimestre de 2003, sofrendo um novo aumento de 60% durante o 4o trimestre de 2004. O alumínio cujopreço decresceu ligeiramente entre 2001 e 2003, registou uma subida de 45% em Janeiro de 2005.Existe uma variedade de fornecedores disponíveis no mercado local, apesar de muitas empresas optarempor importar directamente as matérias-primas que necessitam para fazer face ao constante aumento depreços no mercado local. 15
  16. 16. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)5.3.2 Rochas OrnamentaisA topografia (plana e desértica) da maior parte do território dos EAU, bem como dos restantes países doGolfo, não permite a existência de Mármores e/ou Granitos na região, daí que estes produtos tenham queser importados. Se a isto associarmos o facto de o sector da construção ser hoje um dos principais motoresda economia dos Emirados e este produto ser bastante utilizado, facilmente se conclui que este mercadoconstitui um importante destino de exportações para produtores de Mármores e Granitos de todo o mundo.Os países produtores mais próximos são o Irão, o Paquistão e a Turquia, mas os seus produtos apresentamum grau de qualidade bastante inferior ao Europeu.Caracterização do Produtoa) Variedades mais PopularesNo que se refere aos Granitos as variedades mais procuradas e populares no mercado são Black Absolute,Blue Pearl, Grey Sardo e Rossa Porino.Quanto aos Mármores, os mais populares são Crema Marfel, Botticino e Black Emperor.b) Origem dos ProdutosNormalmente estes produtos são provenientes da Itália, Espanha, Portugal (Rosa Aurora), França, Grécia,Egipto, China, Oman, Irão e Turquia.c) Principais Empresas (de Mármores e Granitos) são:Al Habtoor Marble, Carrara Middle East, Al Shafar Marble, Ascon Marble, Al Naboodah Marble & Gypsum,AGM, Sital, Union Mosaic, Glaze, Sund) Dimensão Lajes/Placas  Mosaicos  Espessura• 3m x 1,42m ou 1,82m • 30cm x 60cm • 1cm – 2cm (+45% sobre o preço) • 40cm x 40cm • 2cm – 3cm (+45% sobre o preço) • 50cm x 50cm • 60cm x 60cme) Projectos 60cm x 60cm é a medida mais comum em projectos A abordagem ao projecto depende do próprio projecto Grandes quantidades de pedra requerem um prazo de entrega de 2 meses As condições de pagamento dependem da dimensão da empresa 16
  17. 17. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)f) Portfolio de Produtos A tendência líder de consumo é a dos mármores e limestones beges e brancos São considerados países com interesse: Espanha, Itália, Portugal, Turquia, Irão e Chinag) Tendências de Preços dos produtos mais procurados Creme Marfel: 40 Euros/m2 Emperor: 40 Euros/m2 Botticino: 40 Euros/m2 Mocha Creme: 25 Euros/m2 Rosa Aurora 40 Euros/m2 Black Galaxy 27 USD /m2 Para cozinhas em mármore ou granito, normalmente o preço é calculado por metro linear o que se traduzirá em 195 a 326 Euros. A ardósia vem em 8 cores diferentes e é proveniente da Índia, Arábia Saudita e Líbanoh) Tendências de Cores mais procuradas Creme Marfel: Mármore Bege Emperor: Mármore Castanho Black Galaxy Granito Negro Mocha Creme: Calcário Bege Travertino: Aglomerado de Mármorei) Tendências de Preço/ m2 / Região Mosaicos Europa: Mármore 30-40 Euros/m2 Mosaicos Extremo Oriente: Mármore e Granito 20-30 USD/m2 Mosaicos Brasil: Mármore e Granito 20-30 USD/m2 Placas Europa: Mármore e Granito 25-40 Euros/m2 Placas Extremo Oriente: Mármore e Granito 12-27 USD/m2 Placas Brasil: Granito 20-35 USD/m2 Placas Brasil: Mármore Azul Bahia 300-900 USD/m25.3.3 Materiais CerâmicosPelas razões já aduzidas para as rochas ornamentais, os EAU são igualmente um importante destino deexportações para produtores de Materiais Cerâmicos de todo o mundo. De facto a procura de materiaiscerâmicos vem apresentando um elevado crescimento. 17
  18. 18. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)Os Emirados consomem anualmente 40 milhões de metros quadrados de materiais cerâmicos.Os principais decisores são os clientes (normalmente designados por Developers – em PortuguêsPromotores) ou os seus representantes, embora possam ser influenciados por Arquitectos, Designers deInteriores e outros Consultores, para além de outros aspectos relacionados directamente com o produto taiscomo, Imagem de Marca, Qualidade e claro Preço. Os trabalhos com materiais cerâmicos são normalmentesub-contratados e envolvem habitualmente apenas a sua colocação (Serviço).Caracterização do Produtoa) Variedades mais popularesA variedade de culturas e de nacionalidades do Dubai reflecte-se também na diversidade de estilos,tendências, cores e tamanhos dos materiais cerâmicos utilizados. Contudo existem alguns produtos (emparticular no segmento de maior qualidade) cuja qualidade tem contribuído de forma positiva para oestabelecimento de tendências de mercado. Entre estes assumem particular destaque, os azulejos decerâmica nos revestimentos e o Graniti Porcelanato oriundo de Itália nos pavimentos.Para além destes o produto Italiano Mirage Ceramic Granito, que teve uma excelente penetração demercado, devido à sua elevada versatilidade (múltiplas aplicações), só possível graças à inovadoracomposição do produto e ao seu processo produtivo.b) Origem dos ProdutosApesar das importações continuarem a desempenhar um papel importante no mercado dos materiaiscerâmicos, existe uma tendência visível para a crescente utilização de produtos fabricados localmente (RAK)em Ras Al Khaimah). Este produto é largamente consumido devido ao seu preço altamente competitivo(entre $3,28 e $4,93 dólares americanos). Contudo este produto local apresenta uma qualidadeconsideravelmente inferior ao produto Europeu. A China é outro grande exportador no segmento de menorqualidade (também aqui através das fábricas que a RAK adquiriu recentemente neste país). No segmento demaior qualidade assumem primordial importância os Armazenistas (Wholesalers) operando sob a formajurídica de Tradings.c) Os Principais agentes / distribuidores de Materiais cerâmicos de origem Europeia são: Al ShayaTrading Co. (Itália, Portugal e Espanha), Sara Trading Co. (Itália e Alemanha), United Supplies Est (Itália,Alemanha, Espanha e França), Team Trading (Reino Unido e Itália), Mohammed Eshaq Trading e AbdulRehman & Al Shamsi (Espanha). 18
  19. 19. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)d) Dimensão Pavimentos  Revestimentos • 30cm x 30cm • 20cm x 30cm • 45cm x 45cm • 20cm x 20cm • 20cm x 20cm • 15cm x 15cm • 60cm x 60cm • 10cm x 10cm • 25cm x 25cm • 30cm x 60cme) Tendências de Preços dos produtos mais procuradosOs preços de mercado encontram-se geralmente definidos (Price takers) situando-se entre os $2 e os $10dólares americanos por m2 para os diferentes tipos de tamanho. O intervalo limita dois níveis extremos dequalidade (baixa e muito alta).5.3.4 Equipamentos PesadosOs Emirados dependem totalmente de importações em termos de oferta de equipamento pesado para osector da construção (conforme já referido 24% das gruas existentes no mundo (30.000 no total)encontram-se actualmente no Dubai.Estima-se que nos últimos 3 anos as importações de equipamento pesado tenham crescido 10%anualmente. As importações são provenientes sobretudo do Japão, Estados Unidos e Reino Unido. O Japãolidera com 35% da quota de mercado, baseando a sua competitividade numa boa relação qualidade preço enuma eficaz rede de distribuidores, seguindo-se os Estados Unidos com 20%, sobretudo através daempresa Caterpillar, cujas vendas têm crescido anualmente 25% nos últimos 3 anos. Estima-se que aprocura anual de equipamentos pesados nos Emirados atinja 1 bilhão de Euros.Os sub-sectores que apresentam maior crescimento são: - Equipamento de Construção pesado - Equipamento de Construção de estradas - Retro-escavadoras5.3.5 Estruturas MetálicasO mercado das Estruturas Metálicas está fortemente ligado aos sectores da construção, da indústria, dostransportes e da logística, que são hoje sectores preponderantes da economia dos Emirados. Para alémdisso temos o desenvolvimento e expansão das diferentes Free Zones e proliferação de zonas industriais noDubai e nos Emirados vizinhos (Abu Dhabi, Sarjah, Ajman, Fujairah, Umm Al Quwain e Ras Al Khaimah) querepresentam um mercado com enorme potencial para os fabricantes de estruturas metálicas. 19
  20. 20. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)A recém criada Dubai Logistic City assinou, durante o corrente mês de Outubro, contratos com 4 dosmaiores operadores logísticos mundiais (Aramex, Danzas, Kuehne & Nagel e Panalpina) para criarem eoperarem armazéns e infraestruturas logísticas.Apesar destes serem os primeiros grandes nomes do portfolio de parceiros da Dubai Logistics City (DLC),existem mais de 85 empresas (regionais e internacionais) que já reservaram mais de 2,5 milhões de metrosquadrados de terreno na DLC. Até 2008 prevê-se que mais de 6 milhões de metros quadrados de terrenotenham sido alugados. A DLC é parte integrante da também recentemente criada Jebel Ali Airport City, queocupará mais de 140 quilómetros quadrados, contendo infra-estruturas logísticas, aeronáuticas, comerciais,residenciais, tecnológicas, de ensino e de lazer.Este será sem dúvida o principal mercado final para as estruturas metálicas no Dubai a par das ZonasFrancas de Jebel Ali e do Aeroporto.Caracterização do ProdutoOs Emirados têm vastas infraestruturas industriais e de armazenagem que utilizam estruturas metálicassemelhantes às Skinzip. A empresa Xorus Middle East é um dos principais players do sector, representandoa Kalzip. O Aeroporto e a respectiva free zone, utiliza este tipo de tecnologia. Actualmente esta empresaencontra-se num processo de aquisição pela empresa Indiana TATA Steel.Origem dos ProdutosPara além da Xorus existe um número escasso de fornecedores locais (região do Médio Oriente) envolvidosno fabrico e/ou fornecimento de estruturas metálicas: Nos Pre Engineering Contractors, temos: Relativamente aos Contractors, temos: - Zameel Steel – Arábia Saudita, - TSSC Profiles, - Mamuth - - Arabian Profiles - Kirby – Koweit - Rigidal - Emirates Building System – Dubai (EAU) - ETA Profiles - Tiger Steel – Sarjah (EUA) - City Diamond Contracting - Fujairah National Construction - Indeset Construction LLCOs principais países que exportam para a região do Médio Oriente são:- Coreia do Sul (Posco, BMP, Union Steel),- India (Tata Steel) 20
  21. 21. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)Sendo também possível encontrar estruturas metálicas provenientes da Tailândia, Malásia, Espanha(Tycsa), Turquia, Portugal e Itália.5.3.6 Condições de Frete  FOB é o sistema mais aplicado  CIF depende da transportadora. o Contentor de 20 Ft – Europa: 2000-3000 USD o Contentor de 20 Ft – Extremo Oriente: 900-1500 USD o Contentor de 20 Ft – Brasil: 3000-45000 USD  Trading normalmente ganha 3 a 4 USD / m2  Tarifas Aduaneiras: Taxa de 5% sobre o valor da facturaAs Transportadores e Operadores Logísticos tratam de toda a burocracia e entrega.6. Perspectivas Actuais e Futuras do Sector da Construção Os Emirados Árabes Unidos são por si só o maior mercado de construção do Golfo, com projectos planeados ou em desenvolvimento no valor de 300 bilhões de dólares O mercado do Golfo é a maior mercado de construção a nível mundial numa base per capita O Médio Oriente tem a segunda maior quota de financiamento de projectos no mundo O boom económico do Golfo e o bom momento do mercado da construção civil irão continuar seguramente por pelo menos 10 mais, As actividades são em todas as áreas: infraestruturas, imobiliário, turismo, estradas e pontes, aeroportos, portos, novas cidades, Existe um défice em termos de empresas de construção de qualidade o que tem levado muitos promotores a socorrerem-se de empresas estrangeiras. Valor dos Projectos Activos no Golfo PAÍS Valores em Bilhões de dólares EMIRADOS ARABES UNIDOS 295 KOWEIT 211 ARABIA SAUDITA 201 QATAR 115 OMAN 33 BAHARAIN 28 ____________ Total G.C.C. - Gulf Cooperation Council 883 21
  22. 22. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)Novos Projectos em Desenvolvimento Estima-se que os EAU irão investir nos próximos anos 46 bilhões de USD em infraestruturas Maior rigor e legislação relativamente às questões e às infraestruturas ambientais. Prevê-se a aumento da participação estrangeira no capital das empresas locais dos actuais 49% para 70% num futuro próximo O investimento estimado no sector do retalho entre 2006-2008 deverá ser de 6,8 bilhões de USD Abu Dhabi está neste momento a promover um programa de Investimento Industrial e de Privatização de 10 bilhões de USD O valor do financiamento imobiliário deverá atingir em 2010 os 15 bilhões de USD. Esta tendência tem sido alimentada por um aumento sustentado das propriedades “freehold”, que por sua vez originam o aumento do crédito à habitação Durante o terceiro trimestre de 2004 estavam em construção só no Dubai 5.200 novos edifícios incluindo 461 arranha-céus (3.252 apartamentos, 536 lojas, 330 escritórios e 55 hotéis) para além de 4.747 outros edifícios nos distritos de Deira, Bur Dubai e áreas rurais. O Governo e sector estatal rivalizam de igual para a igual no sector, com os promotores privados. Incluindo-se no lote estatal Dubai Properties (DP), Dubai Municipality, The Department of Civil Aviation, Ports, Customs & Free Zone Corporation, Dubai Electricity & Water Authorithy, sendo os principais promotores privados Emaar e Nakheel. Nakheel tem o maior portfolio com 30 bilhões de USD presentemente em desenvolvimento incluindo The Palm Island trylogy, Dubai Waterfront, Jumeirah Lakes and Jumeirah Villas. O Department of Civil Aviation começou em Maio de 2005 o projecto Jebel Ali Airport City no valor de 12,2 bilhões de USD que mudará por completo a parte Sul do Dubai. A Emaar Properties tem actualmente projectos em desenvolvimento no Dubai no valor de 8,3 bilhões de USD onde se incluem Burj Dubai (mais alto edifício do mundo), Dubai Mall (o maior centro comercial do mundo) e toda a zona anexa designada Downtown (Manhatham do Dubai), para além de outros projectos no estrangeiro (Egipto, Árabe Saudita, Índia, etc.) no valor de 3,3 bilhões de USD, sendo hoje a maior empresa imobiliária do mundo. O braço de investimento do Governo do Dubai, Dubai Properties (DP), tem projectos no valor de 7,5 bilhões de USD, incluindo Business Bay, um mega projecto que pretende ser a plataforma comercial e de negócios do Dubai ou Jumeirah Beach Residence, um conjunto habitacional de 35 torres (6.500 apartamentos), 5 hotéis e 400 lojas e restaurantes.Outros Projectos em curso no Dubai Emirates Pearl – 9,5 bilhões de USD Dubai Mountain City – 3,4 bilhões de USD Dubai International Chess City – 2,7 bilhões de USD Gulf Finance House – 2,5 bilhões de USD Stars Islands – 2,5 bilhões de USD Falcon City of Wonders – 1,5 bilhões de USD 22
  23. 23. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007) Aqua Dubai – 750 milhões de USD Dubailand – 700 milhões de USD, Al Barari – 650 milhões de USD Mall of Arabia – 600 milhões de USD Al Burj Tower – 500 milhões de USDAlguns projectos previstos para Abu Dhabi (num total de 54 bilhões de dólares) Al Raha City - 3,83 bilhões de USD (265 unidades comerciais e residenciais) Al Raha Gardens - 120 milhões de USD (365 villas) Abu Shaoum Island – 9,57 bilhões de USD (Emirates Pearl) Centro de conferências – 2,18 bilhões de USD Reem Island Saadiyat IslandInternacionalizaçãoAs principais empresas do Dubai, nomeadamente Emaar, Nakheel, Dubai Holdings, Dubai Ports, Emirates,Etisalat apostam na sua internacionalização alargando a sua influência aos restantes países do MédioOriente, mas também na Ásia, na Europa e nos Estados Unidos, através de mega projectos, fortescampanhas publicitárias e/ou aquisições de empresas nesses mercados, reforçando a imagem de marca doDubai no mundo. Para além de ser a plataforma de negócios para o Médio Oriente, o Dubai é hoje umimportante player mundial nos sectores dos Transportes, das Finanças, do Comércio Externo, doTurismo, da Aviação, dos Media e do Lazer.7. Processo de Decisão e Canais de DistribuiçãoReal State Developers / PromotersO mercado Imobiliário do Dubai encontra-se actualmente avaliado em 150 bilhões de USD, tendo-seregistado um boom, desde que os estrangeiros (expatriates) obtiveram o direito de adquirir propriedades emdeterminados empreendimentos (Freehold properties).Por outro lado, a disponibilidade de terras no Dubai cresceu 67% em 2004.Estes dois factores levaram a que os principais promotores imobiliários pudessem lançar novos projectos,com particular destaque para:- Emaar, - Nakheel- Dubai Properties - Damac- Union Properties - Bonyan- I & M Galadari Group - Al Rayyan Investment Company 23
  24. 24. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)- Al-Futtaim Group - Al Salam Holding Company- Armada GroupIntervenientesPara além dos promotores, existem uma série de empresas e profissionais que influenciam o processo dedecisão relativamente à subcontratação de empresas de construção civil que importa conhecer, uma vezque na maioria dos casos eles estão mandatados pelos Promotores, para em seu nome seleccionaremdesde os empreiteiros, passando pelos materiais, fornecedores e conduzirem todo o processo negocial.Esses intervenientes são: - Project Management Companies (Empresas encarregues de gerir todo o projecto) - Empresas de Consultoria (Engenharia, Arquitectura, Orçamentação e Meios) - Consultores (Arquitectos, Engenheiros, Arquitectos de interiores, decoradores,…) - Contractors (empresas de construção - eventuais parceiros e-ou concorrentes das empresas portuguesas de construção civil) - Sub-Contractors (Sub-empreiteiros e/ou fornecedores de serviços e materiais específicos como: canalizações, instalação eléctrica, carpintaria, chão) - Fornecedores (fornecedores especializados num tipo de material ou tradings / wholesalers fornecendo uma gama alargada de materiais de construçãoOs principais mercados alvo são: - Hotéis (redes locais/regionais ou Internacionais - Edifícios de Escritórios - Residências (apartamentos, moradias, palácios) - Centros comerciais - InfraestructurasDaí que seja importante apresentar experiência na construção deste tipo de obras.8. Conclusões e RecomendaçõesO forte crescimento económico dos EAU (em particular do Dubai) em sectores cada vez mais diversificados,a sua posição como plataforma comercial e de negócios para o Médio Oriente e a Ásia, o forte crescimentodemográfico registado (a população aumento 78% em apenas 10 anos) e os mega projectos residenciais,hoteleiros e comerciais em curso, fazem dos EAU um mercado, muito atractivo para as empresasPortuguesas de Construção Civil. 24
  25. 25. AICEP Portugal GlobalEAU – O Sector da Construção (Julho 2007)Para serem bem sucedidas, as empresas Portuguesas deverão:- Realizar uma análise de mercado detalhada do seu sector de actividade, nomeadamente dos mercados alvo que pretendem fornecer,- Conhecer os Canais de Distribuição e os principais Players do mercado,- Compreender o Processo de Tomada de Decisão,- Perceber que vantagens competitivas irão trazer para o mercado.A partir daqui as empresas deverão decidir:- Qual o modelo de entrada no mercado (Exportação, Filial, Joint-Ventures, parcerias, acordos de representação,- Em função do modelo de entrada e dos mercados alvo, seleccionar criteriosamente o parceiro (s) local que melhor ajudará a empresa a cumprir os seus objectivos. 25 Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, E.P.E. – Av. 5 de Outubro, 101, 1050-051 LISBOA Tel. Lisboa: + 351 217 909 500 Contact Centre: 808 214 214 aicep@portugalglobal.pt www.portugalglobal.pt Capital Social – 110 milhões de Euros • Matrícula CRC Porto Nº 1 • NIPC 506 320 120

×