GIS em 3 horas

523 visualizações

Publicada em

Pequena apresentação sobre GIS e suas aplicações.

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
523
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Qualquer informação que esteja associada a um latLONG
  • Mercado brasileiro e mundial em expansão
  • * Alaska is presented as having similar or even slightly more land area than Brazil, when Brazil's area is actually more than 5 times that of Alaska.
    * Finland appears with a greater north-south extent than India, although India's is the greater.
    GOOGLE MAPS USA!!!!!
    Nao distorce muito regioes +- 15% do equador
  • Preserva angulos, mas nao areas
    Util para mapear polos e areas em torno de um ponto de interesse
    Distorção pequena em torno do ponto de interesse
    Usaado para navegação
  • datum providencia o ponto de referência a partir do qual a representação gráfica dos paralelos e meridianos, e consequentemente do todo o resto que for desenhado na carta, está relacionado e é proporcionado.
  • Escolha do tipo depende do tipo de informacao e do grau de precisão desejado
  • SAO OS PARAMETRO QUE adICIONAM VALOR E SEMANTICA AOS DADOS VETORIAIS
  • GDAl cria tiles, gera piramide de zoom e georeferencia imagens entre outras coisas
  • GIS em 3 horas

    1. 1. GIS em 3 horas Primeira tentativa... Miguel Galves DIS
    2. 2. Traduzindo  GIS = Geographic Information System  Em português, SIG  Sistema de Informaç ão Geográfica
    3. 3. Explicando um pouco melhor...  Um sistema de informaç ão geográfica integra hardware, software e dados para captura, armazenamento, gestão e análise de todas as formas de informaç ões georreferenciadas.
    4. 4. Informaç ão georreferenciada?  Atech  Oitavo andar  Rua do Ró cio, 313  23º35’37” S  46º41’14” W
    5. 5. Porque aprender GIS? Ou pelo menos, ter uma idéia do que se trata...
    6. 6. Porque aprender GIS?  Porque na Atech existem vários projetos que utilizam algum tipo de dado georreferenciado  SAGITARIO, AIM, SPA-GE, Infopol, DAEE, SMABC, ARES-WEB, DACOM...
    7. 7. Porque aprender GIS?  Grande leque de aplicaç ões possíveis  Mapas  Navegaç ão  Logística  Seguranç a  GeoMarketing  Data mining  Etc, etc...
    8. 8. Porque aprender GIS?  Frota brasileira = 45M veículos  Apenas 100k navegadores GPS instalados  Lei Complementar 121  Obriga rastreador de fábrica  2M rastreadores/ano apenas no Brasil  Lei de rastreadores para presos  Populaç ão carcerária = 500k  Aumento de número de serviç os online baseados em localizaç ão
    9. 9. A Terra não é redonda! Tampouco é achatada, como achavam uns e outros.
    10. 10. Modelo teó rico da Terra QuickTime™ and a TIFF (Uncompressed) decompressor are needed to see this picture.
    11. 11. A triste realidade... QuickTime™ and a TIFF (Uncompressed) decompressor are needed to see this picture.
    12. 12. Projetando...
    13. 13. Projeç ão Cartográfica  A Terra é um elipsó ide no espaç o  A grande maioria dos modelos de visualizaç ão usa 2D  Resultado: projetar é necessário!
    14. 14. Projeç ão Cartográfica  Uma projeç ão cartográfica é qualquer método destinado a representar em um plano uma superfície esférica, em especial a da Terra. QuickTime™ and a TIFF (Uncompressed) decompressor are needed to see this picture.
    15. 15. Projeç ão Cartográfica  Nenhuma projeç ão é perfeita  Toda projeç ão distorce/preserva um ou mais elementos do mapa  Área  Forma  Ângulo  Escala  O tipo de projeç ão a ser usado depende da aplicaç ão e da região do globo.
    16. 16. Projeç ão Cilindrica Equidistante QuickTime™ and a TIFF (Uncompressed) decompressor are needed to see this picture.
    17. 17. Projeç ão de Mercator QuickTime™ and a TIFF (Uncompressed) decompressor are needed to see this picture.
    18. 18. Projeç ão Estereográfica QuickTime™ and a TIFF (Uncompressed) decompressor are needed to see this picture.
    19. 19. Elipsó ide de Referência  Superfície matematicamente definida que se aproxima do geó ide.  DATUM  Base para cálculo de latitude, longitude e elevaç ão.  Cada região do globo utiliza um DATUM apropriado
    20. 20. Alguns Data famosos  SAD69: Usado como referência para o Brasil  EPSG 4291  WGS84: Referência para o sistema GPS.  EPSG 4326
    21. 21. Organizando dados georreferenciados Uma abordagem conceitual
    22. 22. Feature: modelo elementar Modelo Raster OU Modelo Vetorial + Conjunto de atributos
    23. 23. Modelo Raster  Imagem / Matriz georreferenciada  Resoluç ão define precisão de cada pixel  Imagens de satélite  Precisão submétrica
    24. 24. Modelo Vetorial  Ponto  X/Y  Linha  Conjunto de X/Y  Polígono  Conjunto de X/Y  Região fechada  Pode conter buracos
    25. 25. Parâmetros Extras  Qualquer par (chave,valor)  Quantidade de parâmetros ilimitada  Adicionam valor semântico aos dados vetoriais ou raster
    26. 26. Resumindo  Exemplo:  NOME = Atech  RUA = Rua do Ró cio  ANDAR = 8  CIDADE = São Paulo  ESTADO = SP  PAIS = Brasil23º35’37” S 46º41’14” W
    27. 27. Conjunto de Features = Layer  Agrupamento em layers, camadas  Layer agrupa features semelhantes  Mesma geometria básica  Mesmo conjunto de parâmetros  Mesma semântica  Valores diferentes QuickTime™ and a TIFF (Uncompressed) decompressor are needed to see this picture.
    28. 28. Exemplos de Layers  Países  Estados  Cidades  Ruas  Aeró dromos  Bancos
    29. 29. Anatomia de um sistema GIS Pondo a mão na massa, finalmente!!!
    30. 30. Alguém falou em padrões?  OGC = Open Geospatial Consortium  382 companias, agências governamentais e universidades.  CPqD  ESRI  ESA - Agência Espacial Européia  Eurocontrol  Google  MIT  NASA  Oracle
    31. 31. OpenGIS  Conjunto de especificaç ões técnicas visando interoperabilidade de sistemas GIS.  http://www.opengeospatial.org/standards/
    32. 32. Arquitetura Básica
    33. 33. Armazenamento e Persistência  Formatos Vetoriais  Formatos RASTER  Bases de Dados
    34. 34. Arquivo Vetorial: GML  Proposto pela OGC  Baseado em XML  Desenhado para facilitar integraç ão de dados espaciais e dados não espaciais  Interoperabilidade  Padrão para protocolos de busca
    35. 35. Arquivo Vetorial: Shapefile  Criado pela ESRI  Padrão aberto  Composto por vários arquivos  Shp, dbf, shx, prj  Formato binário
    36. 36. Arquivo Vetorial: KML  Criado pelo Google  Usado por Google Maps, Google Earth  Desenhado para facilitar a exibiç ão de dados em mapas  Usa WGS84  Versão 2.2 seráadotada pelo OGC como padrão
    37. 37. Arquivo RASTER: GeoTIFF  Formato bitmap de alta resoluç ão  Padrão criado por consó rcio de empresas e agências  Adiciona informaç ões georeferenciadas a arquivos TIFF  GDAL  Biblioteca de manipulaç ão de arquivos RASTER  Geospatial Data Abstraction Library
    38. 38. Arquivo RASTER: JPEG2000  Formato de compressão de imagens  Arquivos com qualidade e tamanho menor  Permite adiç ão de metadados  OGC define padrão para adiç ão de GML nos metadados
    39. 39. Bases de dados espaciais ADICIONAR UM CAMPO DOUBLE LATITUDE E UM CAMPO DOUBLE LONGITUDE NÃO GERA UMA BASE ESPACIAL!!!
    40. 40. Bases de dados espaciais  Tipos de dados vetoriais  Uso de índices espaciais  R-Tree, QuadTree  Operadores de busca apropriados  Distância  Área  Intersecç ão  Busca por região.
    41. 41. Base de dados espaciais  Oracle Spatial  Proprietário (Licenç a cara)  Grande leque de funcionalidades e mó dulos  PostgreSQL + PostGIS  Open Source  Grande leque de funcionalidades  MySQL  Open Source  Comparativamente menos completo
    42. 42. Servidores de Mapas  Servidores que permitem acessar e visualizar dados georreferenciados  “Terceirizam” gerenciamento de dados  Camada de abstraç ão  Acesso local e remoto  Processamento de dados e imagens consome grande quantidade de recursos  Servidores permitem distribuir este processamento  Analogia: SGBD
    43. 43. Servidores de Mapas  MapServer  OpenSource  C/Mó dulo Apache  GeoServer  Opensource  Java  Interface de configuraç ão amigável  OGC compliant
    44. 44. Protocolos de acesso  OGC define alguns protocolos para acesso a dados georeferenciados  WFS = Web Feature Service  WMS = Web Map Service  WCS = Web Coverage Service
    45. 45. Web Feature Service  Protocolo de pesquisa de features em um servidor  Retorna dados em formato GML  REST  Bounding Box  Layer  XML  Sintaxe XPath  Filtros complexos
    46. 46. Web Map Service  Protocolo de busca de mapas em formato de imagem  JPEG/PNG  Parametrizaç ão via REST  Layers  Projeç ão  Bounding Box  Formato de saída
    47. 47. Estilos  SLD: Styled Layer Descriptors  Formato XML  Define atributos para exibiç ão de layers  Baseado em layers  Utiliza atributos das features como filtro  Compatível com diversos visualizadores
    48. 48. Ferramentas GIS O que existe de útil por aí.
    49. 49. Framework GIS Atech  Prata da casa  Voltado para aplicaç ões Desktop  Java  Compatível com WMS, WFS e Shapefile  Implementaç ão de SLD (incompleta)  Utilizado atualmente pelo ASMACS e SPA-GE  Work in progress
    50. 50. OpenLayers  Biblioteca Javascript/Web  Compatível com WFS, WMS, SLD  Grande conjunto de funcionalidades  Open Source  Documentaç ão incompleta  Quem pensaria isso de um projeto OSS?  Versão atual não é completamente compatível com IE
    51. 51. Visualizadores  QGIS (Quantum GIS)  Open Source  C/Qt  OpenJUMP  Open Source  Java  uDig  Open Source  Java  Baseado na plataforma Eclipse
    52. 52. Resumindo, é isso! Perguntas? Dúvidas? Alguém acordado?

    ×