Apresentação TESE

225 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
225
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação TESE

  1. 1. DOCENTE: Profª. Ana Carvalho DISCENTES: Bogdan Bodyanchuk Miguel Cruz Bugalho Dinâmicas, política organizacional e lógicas de ação, na constituição e funcionamento de um agrupamento horizontal de escolas Margarida Mateus Seminário de Integração Profissional V Análise da Tese de Mestrado
  2. 2.  Fundamente a escolha temática deste relatório  A introdução da tese e os pontos que aborda  Contexto institucional, o enquadramento, as etapas do projeto e a estruturação do relatório.  Objetivos do projeto de intervenção?  Metodologia  Conclusões do trabalho  Dificuldades e constrangimentos  Balanço pessoal sobre a tese
  3. 3. A escolha da temática desta tese com o título de “ Dinâmicas, política organizacional e lógicas de ação, na constituição e funcionamento de um agrupamento horizontal de escolas” da autora Margarida Mateus recai pela “importância que autonomia e territorialização das políticas educativas têm nos contextos educativos”, em particular, nos agrupamentos escolares. Relaciona-se com o facto de a “ autonomia e a territorialização das políticas educativas sejam aqui um fator fundamental, determinante, que condiciona as orientações destas políticas, uma vez que este decreto configura a possibilidade da criação de Agrupamentos horizontais de escolas do 1º ciclo de uma determinada área escolar que assim passariam a funcionar como unidades organizacionais, sendo aí também incluídos os jardins-de infância da rede pública estatal do Ministério da Educação.”
  4. 4.  Breve introdução sobre: ◦ Tema/Problemática (Dinâmica política organizacional e lógica da ação na constituição e funcionamento de um agrupamento horizontal de escolas) ◦ Objeto de estudo (Agrupamento Horizontal de Escolas de Carvalhais) ◦ Objetivos de estudo e eixos de análise (*) ◦ Justificação do estudo (*) ◦ Organização da dissertação (*)
  5. 5.  Contexto Institucional “O território escolar do Agrupamento Horizontal de Escolas de Carvalhais, é situado a 3 quilómetros a Norte de Mirandela, formado por oito jardins-de-infância e 27 escolas do 1º ciclo do ensino básico. A sede do agrupamento escolar situa-se em Carvalhais e funciona nas antigas instalações da Escola Profissional Agrícola de Mirandela e, depois, Escola Secundária de Carvalhais.”
  6. 6.  Enquadramento Apresenta-se o Decreto-Lei Nº 115 – A/98, que veio consagrar a criação dos Agrupamentos de Escolas. As razões que levam a análise desta lei são:  Atualidade científica da temática no âmbito da administração educacional.  Facto de a investigação poder contribuir para a compreensão da constituição dos agrupamentos de escolas como processo de mudança
  7. 7. Questão de estudo: Que dinâmicas políticas e lógicas de ação podem ser identificadas e caracterizadas para explicar a constituição, organização e manutenção em funcionamento do Agrupamento Horizontal de Escolas de Carvalhais? Etapas do projeto Primeiro eixo de análise: caracterização do território e das escolas antes do início do processo da constituição do agrupamento horizontal. Segundo eixo de análise: descrição do processo político que levou à constituição do agrupamento. Terceiro eixo de análise: descrição da estrutura e do funcionamento do agrupamento. Quarto eixo de análise: atitudes e representações dos professores sobre a mudança. Quinto eixo de análise: interpretação do processo (como se explica a sobrevivência do agrupamento e como se interpretam as atitudes e representações dos professores sobre o processo e situação atual).
  8. 8. Estrutura relatório Introdução Capítulo I – Evolução das políticas educativas Capítulo II – Regulação e autonomia das escolas Capítulo III – Metodologia Capítulo IV – O Agrupamento Horizontal de Escolas de Carvalhais – contexto e organização Capítulo V – Dinâmicas e lógicas de ação no Agrupamento Horizontal de Escolas de Carvalhais Conclusão Bibliografia Anexos
  9. 9.  Descrever e compreender o processo de instituição, em 2001, e de manutenção, em 2003, do Agrupamento Horizontal de Escolas de Carvalhais, no concelho de Mirandela  Descrever a organização do agrupamento, tanto em termos de estruturas institucionais como intermédias como ainda operacionais e também em termos de coordenação curricular.  Identificar e descrever a perceção e avaliação que os professores fazem sobre a mudança do modelo de escolas isoladas para o modelo de escolas agrupadas.  Analisar estas perceções e avaliações em termos de lógicas de ação
  10. 10.  Opção metodológica: metodologia Interpretativa – Descritiva.  Tipos de Estudo: Estudo de caso.  Técnicas de recolha de dados: Entrevista; Pesquisa Documental.  Análise e tratamento dos dados: Análise de conteúdo
  11. 11. No trabalho é visível a sequência Elaboração dos instrumentos de recolha de dados Aplicação dos instrumentos Análise dos dados
  12. 12.  O processo de constituição dos agrupamentos surge por força da regulação burocrática ou normativa do Estado, em que este exerce o papel “dominador”.  Agrupamentos foram criados numa lógica de reordenamento da rede escolar, que procurava uma maior articulação e sequencialidade  No agrupamento verifica-se uma maior articulação entre os professores e entre as escolas, pois o Projeto Educativo é comum.  Não se verifica a sequencialidade do ensino escolar (Não há 3º ciclo)  Professores não resistiram à esta mudança.
  13. 13.  Dificuldades: “a nível dos procedimentos legais e principalmente das infraestruturas de apoio da Administração.” “A nível financeiro notou-se uma grande falta de apoio do poder central, uma vez que foi a própria presidente da comissão executiva instaladora que assumiu a instalação do telefone e do fax.”  Constrangimentos e limites do projeto: “A nível do pessoal administrativo, o Agrupamento iniciou sem nenhum funcionário.” “A presidente do Conselho Executivo, a professora Laura, salientou ter- se candidatado por propostas de colegas, acabando por ser eleita, apesar de surgirem três listas para a Comissão Executiva Instaladora. (CEI).”
  14. 14.  Curiosidades/Inovações: Destacamos a gestão articulada de recursos e a descentralização e inserção territorial dos projetos educativos como os objetivos fundamentais doo Decreto-Lei 115 – A/98, que propõe novas linhas de ação na gestão e administração escolar. Outra curiosidade que destacamos é a atualidade científica da temática, no âmbito da administração educacional, foi uma das razões justificativas da pertinência deste estudo. E, por último, o facto da atualidade da investigação permitir ajudar à compreensão da constituição dos agrupamentos de escolas, num processo de mudança, que procura o reforço da autonomia das escolas.  Aprendizagens mais significativas decorrentes da leitura: O papel que os agrupamentos têm no meio escolar e a diferença da teoria e da prática, ou seja, quando falamos no papel do gestor nos decretos-lei o mesmo não é aplicável, em algumas situações, no dia-a-dia. Esta situação decorre pelo facto de que um diretor de uma escola por vezes tem que gerir não só os professores, bem como os alunos e também a restante rede escolar.

×