SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
O Modernismo enquanto Vanguarda Deutsche Werkbund
O Modernismo enquanto Vanguarda DEUTSCHE WERKBUND Peter BEHRENS 1909/10 – Cartaz para as Lâmpadas da AEG Se a arte da primeira década do século tem uma orientação genericamente modernista, na medida em que visa reflectir e exaltar a nova concepção de trabalho e do progresso, a partir de cerca de 1910 afirmam-se em vários países europeus em vias de industrialização, movimentos ditos de “vanguarda” que querem fazer da arte um incentivo à transformação radical da cultura e do costume social.
O Modernismo enquanto Vanguarda DEUTSCHE WERKBUND Peter BEHRENS 1909/10 – Lâmpadas projetadas para a fábrica AEG A arte de vanguarda propõe-se antecipar, com a transformação das próprias estruturas, a transformação da sociedade. Mais precisamente, propõe-se adequar a sensibilidade da sociedade ao ritmo do trabalho industrial, ensinando-lhe a discernir o lado estético ou criativo da dita “civilização das máquinas”.
O Modernismo enquanto Vanguarda DEUTSCHE WERKBUND Peter BEHRENS Fábrica de Turbinas 1908/09 – Berlim Às correntes de vanguarda contrapõem-se, todavia, correntes de sinal contrário, para as quais não é possível nenhuma relação entre as esferas da criação artística e a da produção industrial: em substância, a arte permanece como a única actividade individual numa cultura de massas ou, então, chega mesmo a negar-se a si própria e prefere suprimir-se a participar numa situação cultural considerada negativa.
O Modernismo enquanto Vanguarda Bruno TAUT Pavilhão Exposiação Werkbund 1914 – Colónia Delineia-se assim uma primeira distinção  entre dois grupos de correntes: no primeiro incluem-se, para além do cubismo e das vanguardas históricas, a arquitectura racional, o desenho industrial, o movimento holandês De Stijl, todos os movimentos construtivistas até às recentes pesquisas programas, cinéticas e visuais;
O Modernismo enquanto Vanguarda Bruno TAUT Pavilhão Exposiação Werkbund 1914 – Colónia No segundo grupo encontramos a pintura metafísica, o dadaísmo, o surrealismo e as suas derivações. Existem também numerosas personalidades de artistas que, embora movendo-se em posições avançadas, não pertencem a nenhuma corrente ou passam de uma para a outra.
O Modernismo enquanto Vanguarda Bruno TAUT Pavilhão Exposiação Werkbund 1914 – Colónia As correntes do primeiro grupo, que implicam um juízo substancialmente positivo, sobre a actual situação do mundo, tendem a reassociar a arte à sociedade. As correntes do segundo grupo implicam um juízo negativo sobre a situação actual da sociedade e sobre o seu comportamento condicionado pelo sistema industrial.
O Modernismo enquanto Vanguarda Erik MENDELSOHN Torre Einstein 1917/21 – Postdam As primeiras vanguardas artísticas do séc. XX surgiram quase concomitantemente na França (Fauvismo) e na Alemanha (Expressionismo) e ficaram marcadas pelo desejo manifesto de inovar, contrariando a tradição e chocando os contemporâneos.
O Modernismo enquanto Vanguarda Erik MENDELSOHN Torre Einstein 1917/21 – Postdam Estes intuitos derivaram do dinamismo e euforia artísticos que então se viviam, manifestos num activo comércio de arte; mas são, sobretudo, uma reacção às novas condições de vida do início do séc. XX:
O Modernismo enquanto Vanguarda Erik MENDELSOHN Lojas Schoken 1928 – Berlim Industrialização e urbanização crescentes e apressadas desenraizamento das populações, desenvolvimento técnico e tecnológico, avanço das comunicações e da publicidade, rivalidades imperialistas.
O Modernismo enquanto Vanguarda Erik MENDELSOHN Lojas Schoken 1928 – Berlim A nível artístico traduziram-se no abandono da tradição académica pela procura da pureza dos meios de expressão e pelo desligamento da arte em relação à realidade concreta, dando livre curso aos impulsos e sentimentos individuais dos artistas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Bauhaus
BauhausBauhaus
Bauhausmaede4
 
História do Design - Pós Guerra.HfG-Ulm - Hd09
História do Design - Pós Guerra.HfG-Ulm - Hd09História do Design - Pós Guerra.HfG-Ulm - Hd09
História do Design - Pós Guerra.HfG-Ulm - Hd09Valdir Soares
 
O Design No SéC
O Design No SéCO Design No SéC
O Design No SéCDaysemam
 
Primórdios da teoria do Design
Primórdios da teoria do DesignPrimórdios da teoria do Design
Primórdios da teoria do DesignNanda Roberto
 
História do Design - Mov.Moderno.Bauhaus - Hd07
História do Design - Mov.Moderno.Bauhaus - Hd07História do Design - Mov.Moderno.Bauhaus - Hd07
História do Design - Mov.Moderno.Bauhaus - Hd07Valdir Soares
 
Walter Gropius - Bauhaus
Walter Gropius - BauhausWalter Gropius - Bauhaus
Walter Gropius - Bauhaushcaslides
 
Pré modernismo europeu - vienense
Pré modernismo europeu - vienensePré modernismo europeu - vienense
Pré modernismo europeu - vienenseBeatrizaz123456
 
Linha do tempo história do design
Linha do tempo   história do designLinha do tempo   história do design
Linha do tempo história do designLuciana Lopes
 
História do Design - Pós Guerra - Hd08
História do Design - Pós Guerra - Hd08História do Design - Pós Guerra - Hd08
História do Design - Pós Guerra - Hd08Valdir Soares
 
Álbum de Figurinhas - Os Primórdios da Teoria do Design
Álbum de Figurinhas - Os Primórdios da Teoria do Design Álbum de Figurinhas - Os Primórdios da Teoria do Design
Álbum de Figurinhas - Os Primórdios da Teoria do Design Vinicius Longo
 
Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz
Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz
Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz jvthomaz
 
História do Design - Mov Reforma - Hd04
História do Design - Mov Reforma - Hd04História do Design - Mov Reforma - Hd04
História do Design - Mov Reforma - Hd04Valdir Soares
 

Mais procurados (20)

Aula 04 história do design gráfico
Aula 04   história do design gráficoAula 04   história do design gráfico
Aula 04 história do design gráfico
 
Bauhaus
BauhausBauhaus
Bauhaus
 
História do Design - Pós Guerra.HfG-Ulm - Hd09
História do Design - Pós Guerra.HfG-Ulm - Hd09História do Design - Pós Guerra.HfG-Ulm - Hd09
História do Design - Pós Guerra.HfG-Ulm - Hd09
 
Bauhaus (Walter Gropius)
Bauhaus (Walter Gropius)Bauhaus (Walter Gropius)
Bauhaus (Walter Gropius)
 
História do Design
História do DesignHistória do Design
História do Design
 
4 cga
4 cga4 cga
4 cga
 
Estilo internacional
Estilo internacionalEstilo internacional
Estilo internacional
 
O Design No SéC
O Design No SéCO Design No SéC
O Design No SéC
 
Bauhaus
BauhausBauhaus
Bauhaus
 
Primórdios da teoria do Design
Primórdios da teoria do DesignPrimórdios da teoria do Design
Primórdios da teoria do Design
 
História do Design - Mov.Moderno.Bauhaus - Hd07
História do Design - Mov.Moderno.Bauhaus - Hd07História do Design - Mov.Moderno.Bauhaus - Hd07
História do Design - Mov.Moderno.Bauhaus - Hd07
 
Walter Gropius - Bauhaus
Walter Gropius - BauhausWalter Gropius - Bauhaus
Walter Gropius - Bauhaus
 
Pré modernismo europeu - vienense
Pré modernismo europeu - vienensePré modernismo europeu - vienense
Pré modernismo europeu - vienense
 
Linha do tempo história do design
Linha do tempo   história do designLinha do tempo   história do design
Linha do tempo história do design
 
História do Design - Pós Guerra - Hd08
História do Design - Pós Guerra - Hd08História do Design - Pós Guerra - Hd08
História do Design - Pós Guerra - Hd08
 
Álbum de Figurinhas - Os Primórdios da Teoria do Design
Álbum de Figurinhas - Os Primórdios da Teoria do Design Álbum de Figurinhas - Os Primórdios da Teoria do Design
Álbum de Figurinhas - Os Primórdios da Teoria do Design
 
Bauhaus
BauhausBauhaus
Bauhaus
 
A bauhaus
A bauhausA bauhaus
A bauhaus
 
Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz
Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz
Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz
 
História do Design - Mov Reforma - Hd04
História do Design - Mov Reforma - Hd04História do Design - Mov Reforma - Hd04
História do Design - Mov Reforma - Hd04
 

Destaque

Destaque (12)

Movimentos de Vanguardas Artísticas Europeias
Movimentos de Vanguardas Artísticas EuropeiasMovimentos de Vanguardas Artísticas Europeias
Movimentos de Vanguardas Artísticas Europeias
 
Vanguardas
VanguardasVanguardas
Vanguardas
 
Novos Movimentos de vanguarda
Novos Movimentos de vanguardaNovos Movimentos de vanguarda
Novos Movimentos de vanguarda
 
As vanguardas Brasileiras e Vanguardas Europeias
As vanguardas Brasileiras e Vanguardas Europeias As vanguardas Brasileiras e Vanguardas Europeias
As vanguardas Brasileiras e Vanguardas Europeias
 
movimentos de vanguarda
movimentos de vanguardamovimentos de vanguarda
movimentos de vanguarda
 
As vanguardas do modernismo
As vanguardas do modernismoAs vanguardas do modernismo
As vanguardas do modernismo
 
Literatura aula 22 - modernismo no brasil
Literatura   aula 22 - modernismo no brasilLiteratura   aula 22 - modernismo no brasil
Literatura aula 22 - modernismo no brasil
 
Aula vanguardas europeias
Aula vanguardas europeiasAula vanguardas europeias
Aula vanguardas europeias
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeias Vanguardas europeias
Vanguardas europeias
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
 
Vanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slidesVanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slides
 

Semelhante a Modernismo e Vanguardas na Alemanha

8A A Cultura da Gare_Arquitectura do Ferro e Arts and Crafts_Impressionismo.pdf
8A A Cultura da Gare_Arquitectura do Ferro e Arts and Crafts_Impressionismo.pdf8A A Cultura da Gare_Arquitectura do Ferro e Arts and Crafts_Impressionismo.pdf
8A A Cultura da Gare_Arquitectura do Ferro e Arts and Crafts_Impressionismo.pdfEmilioBarbosa9
 
Vanguardas europeias 2016
Vanguardas europeias 2016Vanguardas europeias 2016
Vanguardas europeias 2016Karin Cristine
 
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]Viviane Marques
 
História das artes visuais edite
História das artes visuais editeHistória das artes visuais edite
História das artes visuais editeJohn Joseph
 
Vanguardas Europeias.pptx
Vanguardas Europeias.pptxVanguardas Europeias.pptx
Vanguardas Europeias.pptxBlack4057
 
Album figurinhas ind_2015(1)
Album figurinhas ind_2015(1)Album figurinhas ind_2015(1)
Album figurinhas ind_2015(1)Geiziane Schubert
 
2c26 Expressionismo e Museu Van Gogh, Holanda 2012
2c26 Expressionismo e Museu Van Gogh, Holanda 20122c26 Expressionismo e Museu Van Gogh, Holanda 2012
2c26 Expressionismo e Museu Van Gogh, Holanda 2012www.historiadasartes.com
 
274723639-Vanguardas-Europeias.ppt
274723639-Vanguardas-Europeias.ppt274723639-Vanguardas-Europeias.ppt
274723639-Vanguardas-Europeias.pptJanicelemos4
 
3 unidade , 3 ano impressa
3 unidade ,  3 ano  impressa3 unidade ,  3 ano  impressa
3 unidade , 3 ano impressaAndrea Parlen
 
O modernismo – de Toulouse Lautrec à Bauhaus
O modernismo – de Toulouse Lautrec à BauhausO modernismo – de Toulouse Lautrec à Bauhaus
O modernismo – de Toulouse Lautrec à BauhausFilipe Serra
 

Semelhante a Modernismo e Vanguardas na Alemanha (20)

8A A Cultura da Gare_Arquitectura do Ferro e Arts and Crafts_Impressionismo.pdf
8A A Cultura da Gare_Arquitectura do Ferro e Arts and Crafts_Impressionismo.pdf8A A Cultura da Gare_Arquitectura do Ferro e Arts and Crafts_Impressionismo.pdf
8A A Cultura da Gare_Arquitectura do Ferro e Arts and Crafts_Impressionismo.pdf
 
Vanguardas europeias 2016
Vanguardas europeias 2016Vanguardas europeias 2016
Vanguardas europeias 2016
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
 
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
 
O Modernismo na Arte
O Modernismo na ArteO Modernismo na Arte
O Modernismo na Arte
 
História das artes visuais edite
História das artes visuais editeHistória das artes visuais edite
História das artes visuais edite
 
Design
DesignDesign
Design
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
Vanguardas Europeias.pptx
Vanguardas Europeias.pptxVanguardas Europeias.pptx
Vanguardas Europeias.pptx
 
Album figurinhas ind_2015(1)
Album figurinhas ind_2015(1)Album figurinhas ind_2015(1)
Album figurinhas ind_2015(1)
 
2c26 Expressionismo e Museu Van Gogh, Holanda 2012
2c26 Expressionismo e Museu Van Gogh, Holanda 20122c26 Expressionismo e Museu Van Gogh, Holanda 2012
2c26 Expressionismo e Museu Van Gogh, Holanda 2012
 
Vanguardas2017 .
Vanguardas2017 .Vanguardas2017 .
Vanguardas2017 .
 
274723639-Vanguardas-Europeias.ppt
274723639-Vanguardas-Europeias.ppt274723639-Vanguardas-Europeias.ppt
274723639-Vanguardas-Europeias.ppt
 
Vanguardas(2) 9º ano
Vanguardas(2) 9º anoVanguardas(2) 9º ano
Vanguardas(2) 9º ano
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
 
Artes modernismo
Artes modernismoArtes modernismo
Artes modernismo
 
Art Nouveau
Art NouveauArt Nouveau
Art Nouveau
 
3 unidade , 3 ano impressa
3 unidade ,  3 ano  impressa3 unidade ,  3 ano  impressa
3 unidade , 3 ano impressa
 
O modernismo – de Toulouse Lautrec à Bauhaus
O modernismo – de Toulouse Lautrec à BauhausO modernismo – de Toulouse Lautrec à Bauhaus
O modernismo – de Toulouse Lautrec à Bauhaus
 

Mais de Michele Pó

Sapta Dhatus - Os Sete Tecidos no Ayurveda por Verónica Silvestre
Sapta Dhatus - Os Sete Tecidos no Ayurveda por Verónica SilvestreSapta Dhatus - Os Sete Tecidos no Ayurveda por Verónica Silvestre
Sapta Dhatus - Os Sete Tecidos no Ayurveda por Verónica SilvestreMichele Pó
 
Kaumara bhritya por Tânia Pires
Kaumara bhritya por Tânia PiresKaumara bhritya por Tânia Pires
Kaumara bhritya por Tânia PiresMichele Pó
 
Vaji karana - Medicina Reprodutiva no Ayurveda por Pedro Sequeira
Vaji karana - Medicina Reprodutiva no Ayurveda por Pedro SequeiraVaji karana - Medicina Reprodutiva no Ayurveda por Pedro Sequeira
Vaji karana - Medicina Reprodutiva no Ayurveda por Pedro SequeiraMichele Pó
 
Saúde da mulher por Maria Brito do Rio
Saúde da mulher por Maria Brito do RioSaúde da mulher por Maria Brito do Rio
Saúde da mulher por Maria Brito do RioMichele Pó
 
Os gunas e a mente no Ayurveda por Maria Afonso
Os gunas e a mente no Ayurveda por Maria AfonsoOs gunas e a mente no Ayurveda por Maria Afonso
Os gunas e a mente no Ayurveda por Maria AfonsoMichele Pó
 
Nadi Pariksha - Pulsologia no Ayurveda por Madalena Caeiro
Nadi Pariksha - Pulsologia no Ayurveda por Madalena CaeiroNadi Pariksha - Pulsologia no Ayurveda por Madalena Caeiro
Nadi Pariksha - Pulsologia no Ayurveda por Madalena CaeiroMichele Pó
 
Salakya Tantra por Joana Nascimento
Salakya Tantra por   Joana NascimentoSalakya Tantra por   Joana Nascimento
Salakya Tantra por Joana NascimentoMichele Pó
 
Bhuta vidya - Psiquiatria na medicina ayurvédica por Francisca Rebela
Bhuta vidya - Psiquiatria na medicina ayurvédica por Francisca RebelaBhuta vidya - Psiquiatria na medicina ayurvédica por Francisca Rebela
Bhuta vidya - Psiquiatria na medicina ayurvédica por Francisca RebelaMichele Pó
 
Medicina Interna por Filipa Falcão
Medicina Interna por Filipa FalcãoMedicina Interna por Filipa Falcão
Medicina Interna por Filipa FalcãoMichele Pó
 
Rasayana - Longevidade e Revitalização Terapêutica por Elisângela Massochin
Rasayana - Longevidade e Revitalização Terapêutica por Elisângela MassochinRasayana - Longevidade e Revitalização Terapêutica por Elisângela Massochin
Rasayana - Longevidade e Revitalização Terapêutica por Elisângela MassochinMichele Pó
 
Toxicologia ayurvédica por Élio Lampreia
Toxicologia ayurvédica por Élio LampreiaToxicologia ayurvédica por Élio Lampreia
Toxicologia ayurvédica por Élio LampreiaMichele Pó
 
Oléos Medicados no Ayurveda por Ana Carvalho
Oléos Medicados no Ayurveda por Ana CarvalhoOléos Medicados no Ayurveda por Ana Carvalho
Oléos Medicados no Ayurveda por Ana CarvalhoMichele Pó
 
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos da Pimenta Longa
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos da Pimenta LongaPrincípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos da Pimenta Longa
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos da Pimenta LongaMichele Pó
 
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos do Cravinho Eugenia caryophylus...
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos do Cravinho Eugenia caryophylus...Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos do Cravinho Eugenia caryophylus...
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos do Cravinho Eugenia caryophylus...Michele Pó
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Trigonella foenum graecum l
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Trigonella foenum graecum lPrincípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Trigonella foenum graecum l
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Trigonella foenum graecum lMichele Pó
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Ferula Assafoetida
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Ferula Assafoetida Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Ferula Assafoetida
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Ferula Assafoetida Michele Pó
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos dos Cominhos
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos dos CominhosPrincípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos dos Cominhos
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos dos CominhosMichele Pó
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos do Cardamomo
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos do CardamomoPrincípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos do Cardamomo
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos do CardamomoMichele Pó
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Canela
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Canela Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Canela
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Canela Michele Pó
 
Kayachikitsa ayurveda andreia baptista
Kayachikitsa ayurveda andreia baptistaKayachikitsa ayurveda andreia baptista
Kayachikitsa ayurveda andreia baptistaMichele Pó
 

Mais de Michele Pó (20)

Sapta Dhatus - Os Sete Tecidos no Ayurveda por Verónica Silvestre
Sapta Dhatus - Os Sete Tecidos no Ayurveda por Verónica SilvestreSapta Dhatus - Os Sete Tecidos no Ayurveda por Verónica Silvestre
Sapta Dhatus - Os Sete Tecidos no Ayurveda por Verónica Silvestre
 
Kaumara bhritya por Tânia Pires
Kaumara bhritya por Tânia PiresKaumara bhritya por Tânia Pires
Kaumara bhritya por Tânia Pires
 
Vaji karana - Medicina Reprodutiva no Ayurveda por Pedro Sequeira
Vaji karana - Medicina Reprodutiva no Ayurveda por Pedro SequeiraVaji karana - Medicina Reprodutiva no Ayurveda por Pedro Sequeira
Vaji karana - Medicina Reprodutiva no Ayurveda por Pedro Sequeira
 
Saúde da mulher por Maria Brito do Rio
Saúde da mulher por Maria Brito do RioSaúde da mulher por Maria Brito do Rio
Saúde da mulher por Maria Brito do Rio
 
Os gunas e a mente no Ayurveda por Maria Afonso
Os gunas e a mente no Ayurveda por Maria AfonsoOs gunas e a mente no Ayurveda por Maria Afonso
Os gunas e a mente no Ayurveda por Maria Afonso
 
Nadi Pariksha - Pulsologia no Ayurveda por Madalena Caeiro
Nadi Pariksha - Pulsologia no Ayurveda por Madalena CaeiroNadi Pariksha - Pulsologia no Ayurveda por Madalena Caeiro
Nadi Pariksha - Pulsologia no Ayurveda por Madalena Caeiro
 
Salakya Tantra por Joana Nascimento
Salakya Tantra por   Joana NascimentoSalakya Tantra por   Joana Nascimento
Salakya Tantra por Joana Nascimento
 
Bhuta vidya - Psiquiatria na medicina ayurvédica por Francisca Rebela
Bhuta vidya - Psiquiatria na medicina ayurvédica por Francisca RebelaBhuta vidya - Psiquiatria na medicina ayurvédica por Francisca Rebela
Bhuta vidya - Psiquiatria na medicina ayurvédica por Francisca Rebela
 
Medicina Interna por Filipa Falcão
Medicina Interna por Filipa FalcãoMedicina Interna por Filipa Falcão
Medicina Interna por Filipa Falcão
 
Rasayana - Longevidade e Revitalização Terapêutica por Elisângela Massochin
Rasayana - Longevidade e Revitalização Terapêutica por Elisângela MassochinRasayana - Longevidade e Revitalização Terapêutica por Elisângela Massochin
Rasayana - Longevidade e Revitalização Terapêutica por Elisângela Massochin
 
Toxicologia ayurvédica por Élio Lampreia
Toxicologia ayurvédica por Élio LampreiaToxicologia ayurvédica por Élio Lampreia
Toxicologia ayurvédica por Élio Lampreia
 
Oléos Medicados no Ayurveda por Ana Carvalho
Oléos Medicados no Ayurveda por Ana CarvalhoOléos Medicados no Ayurveda por Ana Carvalho
Oléos Medicados no Ayurveda por Ana Carvalho
 
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos da Pimenta Longa
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos da Pimenta LongaPrincípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos da Pimenta Longa
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos da Pimenta Longa
 
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos do Cravinho Eugenia caryophylus...
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos do Cravinho Eugenia caryophylus...Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos do Cravinho Eugenia caryophylus...
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos do Cravinho Eugenia caryophylus...
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Trigonella foenum graecum l
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Trigonella foenum graecum lPrincípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Trigonella foenum graecum l
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Trigonella foenum graecum l
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Ferula Assafoetida
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Ferula Assafoetida Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Ferula Assafoetida
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Ferula Assafoetida
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos dos Cominhos
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos dos CominhosPrincípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos dos Cominhos
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos dos Cominhos
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos do Cardamomo
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos do CardamomoPrincípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos do Cardamomo
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos do Cardamomo
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Canela
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Canela Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Canela
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Canela
 
Kayachikitsa ayurveda andreia baptista
Kayachikitsa ayurveda andreia baptistaKayachikitsa ayurveda andreia baptista
Kayachikitsa ayurveda andreia baptista
 

Último

Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 

Último (20)

treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 

Modernismo e Vanguardas na Alemanha

  • 1. O Modernismo enquanto Vanguarda Deutsche Werkbund
  • 2. O Modernismo enquanto Vanguarda DEUTSCHE WERKBUND Peter BEHRENS 1909/10 – Cartaz para as Lâmpadas da AEG Se a arte da primeira década do século tem uma orientação genericamente modernista, na medida em que visa reflectir e exaltar a nova concepção de trabalho e do progresso, a partir de cerca de 1910 afirmam-se em vários países europeus em vias de industrialização, movimentos ditos de “vanguarda” que querem fazer da arte um incentivo à transformação radical da cultura e do costume social.
  • 3. O Modernismo enquanto Vanguarda DEUTSCHE WERKBUND Peter BEHRENS 1909/10 – Lâmpadas projetadas para a fábrica AEG A arte de vanguarda propõe-se antecipar, com a transformação das próprias estruturas, a transformação da sociedade. Mais precisamente, propõe-se adequar a sensibilidade da sociedade ao ritmo do trabalho industrial, ensinando-lhe a discernir o lado estético ou criativo da dita “civilização das máquinas”.
  • 4. O Modernismo enquanto Vanguarda DEUTSCHE WERKBUND Peter BEHRENS Fábrica de Turbinas 1908/09 – Berlim Às correntes de vanguarda contrapõem-se, todavia, correntes de sinal contrário, para as quais não é possível nenhuma relação entre as esferas da criação artística e a da produção industrial: em substância, a arte permanece como a única actividade individual numa cultura de massas ou, então, chega mesmo a negar-se a si própria e prefere suprimir-se a participar numa situação cultural considerada negativa.
  • 5. O Modernismo enquanto Vanguarda Bruno TAUT Pavilhão Exposiação Werkbund 1914 – Colónia Delineia-se assim uma primeira distinção entre dois grupos de correntes: no primeiro incluem-se, para além do cubismo e das vanguardas históricas, a arquitectura racional, o desenho industrial, o movimento holandês De Stijl, todos os movimentos construtivistas até às recentes pesquisas programas, cinéticas e visuais;
  • 6. O Modernismo enquanto Vanguarda Bruno TAUT Pavilhão Exposiação Werkbund 1914 – Colónia No segundo grupo encontramos a pintura metafísica, o dadaísmo, o surrealismo e as suas derivações. Existem também numerosas personalidades de artistas que, embora movendo-se em posições avançadas, não pertencem a nenhuma corrente ou passam de uma para a outra.
  • 7. O Modernismo enquanto Vanguarda Bruno TAUT Pavilhão Exposiação Werkbund 1914 – Colónia As correntes do primeiro grupo, que implicam um juízo substancialmente positivo, sobre a actual situação do mundo, tendem a reassociar a arte à sociedade. As correntes do segundo grupo implicam um juízo negativo sobre a situação actual da sociedade e sobre o seu comportamento condicionado pelo sistema industrial.
  • 8. O Modernismo enquanto Vanguarda Erik MENDELSOHN Torre Einstein 1917/21 – Postdam As primeiras vanguardas artísticas do séc. XX surgiram quase concomitantemente na França (Fauvismo) e na Alemanha (Expressionismo) e ficaram marcadas pelo desejo manifesto de inovar, contrariando a tradição e chocando os contemporâneos.
  • 9. O Modernismo enquanto Vanguarda Erik MENDELSOHN Torre Einstein 1917/21 – Postdam Estes intuitos derivaram do dinamismo e euforia artísticos que então se viviam, manifestos num activo comércio de arte; mas são, sobretudo, uma reacção às novas condições de vida do início do séc. XX:
  • 10. O Modernismo enquanto Vanguarda Erik MENDELSOHN Lojas Schoken 1928 – Berlim Industrialização e urbanização crescentes e apressadas desenraizamento das populações, desenvolvimento técnico e tecnológico, avanço das comunicações e da publicidade, rivalidades imperialistas.
  • 11. O Modernismo enquanto Vanguarda Erik MENDELSOHN Lojas Schoken 1928 – Berlim A nível artístico traduziram-se no abandono da tradição académica pela procura da pureza dos meios de expressão e pelo desligamento da arte em relação à realidade concreta, dando livre curso aos impulsos e sentimentos individuais dos artistas.