SlideShare uma empresa Scribd logo

Toxicologia ayurvédica por Élio Lampreia

Toxicologia ayurvédica

1 de 21
Baixar para ler offline
INSTITUTO DE MEDICINA TRADICIONAL
CURSO GERAL DE NATUROPATIA E CIÊNCIAS TRADICIONAIS HOLÍSTICAS
TOXICOLOGIA (AGADA TANTRA)
NA MEDICINA AYURVEDA
CADEIRA: Medicina Ayurvédica I
DOCENTE: Michele Pó
DISCENTE: Élio Lampreia – 7997
INDÍCE
• INTRODUÇÃO
• AYURVEDA
• AYUS
• DOSHAS
• DESENVOLVIMENTO
• HARMONIA
• AMA
• CAUSAS
• SINTOMAS
• SINAIS
• AGADA CHIKITSA/AGADA TANTRA/VISHA CHIKITSA
• CONCLUSÃO
• BIBLIOGRAFIA E WEBGRAFIA
INTRODUÇÃO
• Ayurveda (ayus = vida e veda = conhecimento ou ciência)
• “ciência da vida”; “conhecimento da vida” ou “ciência da longevidade”
• “conhecimento do ciclo da vida”
• Ayus: - manifestação complexa
combinação
• do corpo (sarira)
• dos sentidos (indriajas)
• da mente (sattwa)
• do espirito (atma)
INTRODUÇÃO
• Ayurveda dividido em oito ramos:
• Kaya chikitsa (cuida dos desequilíbrio internos do corpo)
• Bala chikitsa (aborda de forma especial as doenças
infantis)
• Graha chikitsa (relacionado com as doenças mentais e
emocionais)
• Vurdwanga chikitsa (enfoca doenças que se localizam na
cabeça e no pescoço)
• Salya chikitsa (dedica-se às doenças de natureza cirúrgica)
• Damshtra ou Agada chikitsa, Agada Tantra, Visha chikitsa
(trata dos aspetos relativos à toxicologia)
• Jara chikitsa ou Rasayana (destina-se à promoção da
longevidade, também chamada de ciência do
rejuvenescimento)
• Vrusha ou Vajeekara chikitsa (consagra os tónicos e
revigorantes, também chamada ciência dos afrodisíacos)
DESENVOLVIMENTO
• A HARMONIA (estado de saúde)
• Agni (o metabolismo) esteja em condição balanceada;
• Vata, Pitta e Kapha estejam em equilíbrio;
• Urina, Fezes e Suor sejam produzidos e eliminados normalmente;
• Os sete tecidos do corpo estejam funcionando normalmente:
• Rasa (plasma)
• Rakta (glóbulos sanguíneos)
• Mamsa (músculos)
• Meda (tecido gorduroso)
• Asthi (tecidos ósseo e nervoso)
• Majja (medula óssea)
• Sukra (tecidos reprodutores);
• A mente, os sentidos e a consciência estejam trabalhando em conjunto e de
maneira harmoniosa.
DESENVOLVIMENTO
• AMA
• Forma-se a partir de partículas tóxicas impropriamente digeridas
• Acumula-se em qualquer parte do organismo onde exista uma debilidade
• Tem sempre a forma de uma sustância incompletamente digerida
• Não é homogéneo
• Tem muito mau cheiro
• É muito causador de doença
• Produz letargia no corpo.
• obstruem os canais físicos do corpo
• Obstruem os canais não fixos (Nadis)
Anúncio

Recomendados

Kayachikitsa ayurveda andreia baptista
Kayachikitsa ayurveda andreia baptistaKayachikitsa ayurveda andreia baptista
Kayachikitsa ayurveda andreia baptistaMichele Pó
 
Vaji karana - Medicina Reprodutiva no Ayurveda por Pedro Sequeira
Vaji karana - Medicina Reprodutiva no Ayurveda por Pedro SequeiraVaji karana - Medicina Reprodutiva no Ayurveda por Pedro Sequeira
Vaji karana - Medicina Reprodutiva no Ayurveda por Pedro SequeiraMichele Pó
 
Bhuta vidya - Psiquiatria na medicina ayurvédica por Francisca Rebela
Bhuta vidya - Psiquiatria na medicina ayurvédica por Francisca RebelaBhuta vidya - Psiquiatria na medicina ayurvédica por Francisca Rebela
Bhuta vidya - Psiquiatria na medicina ayurvédica por Francisca RebelaMichele Pó
 
Medicina Interna por Filipa Falcão
Medicina Interna por Filipa FalcãoMedicina Interna por Filipa Falcão
Medicina Interna por Filipa FalcãoMichele Pó
 
Os gunas e a mente no Ayurveda por Maria Afonso
Os gunas e a mente no Ayurveda por Maria AfonsoOs gunas e a mente no Ayurveda por Maria Afonso
Os gunas e a mente no Ayurveda por Maria AfonsoMichele Pó
 
Rasayana - Carlos Nunes
Rasayana   - Carlos NunesRasayana   - Carlos Nunes
Rasayana - Carlos NunesMichele Pó
 
Salakya Tantra por Joana Nascimento
Salakya Tantra por   Joana NascimentoSalakya Tantra por   Joana Nascimento
Salakya Tantra por Joana NascimentoMichele Pó
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Princípios Filosóficos do Ayurveda
Princípios Filosóficos do AyurvedaPrincípios Filosóficos do Ayurveda
Princípios Filosóficos do AyurvedaMichele Pó
 
Rasayana - Longevidade e Revitalização Terapêutica por Elisângela Massochin
Rasayana - Longevidade e Revitalização Terapêutica por Elisângela MassochinRasayana - Longevidade e Revitalização Terapêutica por Elisângela Massochin
Rasayana - Longevidade e Revitalização Terapêutica por Elisângela MassochinMichele Pó
 
Introdução ao Ayurveda - Ayurvedese
Introdução ao Ayurveda - AyurvedeseIntrodução ao Ayurveda - Ayurvedese
Introdução ao Ayurveda - AyurvedeseAyurvedese
 
Oito divisões do Ayurveda
Oito divisões do AyurvedaOito divisões do Ayurveda
Oito divisões do AyurvedaMichele Pó
 
Panchakarma - Rita Quintas
Panchakarma - Rita QuintasPanchakarma - Rita Quintas
Panchakarma - Rita QuintasMichele Pó
 
Massagem Ayurvedica Tradicional - Bioenergia
Massagem Ayurvedica Tradicional - BioenergiaMassagem Ayurvedica Tradicional - Bioenergia
Massagem Ayurvedica Tradicional - BioenergiaCandyArtsCom
 
Ayurveda - Práticas Alternativas de Saúde.
Ayurveda - Práticas Alternativas de Saúde.Ayurveda - Práticas Alternativas de Saúde.
Ayurveda - Práticas Alternativas de Saúde.Lara Lídia
 
Princípios filosóficos do ayurveda
Princípios filosóficos do ayurvedaPrincípios filosóficos do ayurveda
Princípios filosóficos do ayurvedaMichele Pó
 
Funcionamento dos Nadis e Marmas - Cláudia Lizardo
Funcionamento dos Nadis e Marmas - Cláudia LizardoFuncionamento dos Nadis e Marmas - Cláudia Lizardo
Funcionamento dos Nadis e Marmas - Cláudia LizardoMichele Pó
 
Prakriti Vata - Tiago Cabeleira
Prakriti Vata - Tiago CabeleiraPrakriti Vata - Tiago Cabeleira
Prakriti Vata - Tiago CabeleiraMichele Pó
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Ferula Assafoetida
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Ferula Assafoetida Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Ferula Assafoetida
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Ferula Assafoetida Michele Pó
 
Nadi Pariksha - Pulsologia no Ayurveda por Madalena Caeiro
Nadi Pariksha - Pulsologia no Ayurveda por Madalena CaeiroNadi Pariksha - Pulsologia no Ayurveda por Madalena Caeiro
Nadi Pariksha - Pulsologia no Ayurveda por Madalena CaeiroMichele Pó
 
História do Ayurveda
História do AyurvedaHistória do Ayurveda
História do AyurvedaMichele Pó
 
As Oito Divisões do Ayurveda
As Oito Divisões do AyurvedaAs Oito Divisões do Ayurveda
As Oito Divisões do AyurvedaMichele Pó
 
Ayurvedaaromaterapia 100604133735-phpapp01
Ayurvedaaromaterapia 100604133735-phpapp01Ayurvedaaromaterapia 100604133735-phpapp01
Ayurvedaaromaterapia 100604133735-phpapp01Daiana Maraga
 
Historia Ayurveda
Historia AyurvedaHistoria Ayurveda
Historia AyurvedaMichele Pó
 
Ayurveda como ponte salutar entre Portugal e a India
Ayurveda como ponte salutar entre Portugal e a IndiaAyurveda como ponte salutar entre Portugal e a India
Ayurveda como ponte salutar entre Portugal e a IndiaUnusforlife
 

Mais procurados (20)

Princípios Filosóficos do Ayurveda
Princípios Filosóficos do AyurvedaPrincípios Filosóficos do Ayurveda
Princípios Filosóficos do Ayurveda
 
Rasayana - Longevidade e Revitalização Terapêutica por Elisângela Massochin
Rasayana - Longevidade e Revitalização Terapêutica por Elisângela MassochinRasayana - Longevidade e Revitalização Terapêutica por Elisângela Massochin
Rasayana - Longevidade e Revitalização Terapêutica por Elisângela Massochin
 
Massagem ayurveda
Massagem ayurvedaMassagem ayurveda
Massagem ayurveda
 
Introdução ao Ayurveda - Ayurvedese
Introdução ao Ayurveda - AyurvedeseIntrodução ao Ayurveda - Ayurvedese
Introdução ao Ayurveda - Ayurvedese
 
Oito divisões do Ayurveda
Oito divisões do AyurvedaOito divisões do Ayurveda
Oito divisões do Ayurveda
 
Panchakarma - Rita Quintas
Panchakarma - Rita QuintasPanchakarma - Rita Quintas
Panchakarma - Rita Quintas
 
Massagem Ayurvedica Tradicional - Bioenergia
Massagem Ayurvedica Tradicional - BioenergiaMassagem Ayurvedica Tradicional - Bioenergia
Massagem Ayurvedica Tradicional - Bioenergia
 
81931116 massagem-ayurveda
81931116 massagem-ayurveda81931116 massagem-ayurveda
81931116 massagem-ayurveda
 
Ayurveda - Práticas Alternativas de Saúde.
Ayurveda - Práticas Alternativas de Saúde.Ayurveda - Práticas Alternativas de Saúde.
Ayurveda - Práticas Alternativas de Saúde.
 
Princípios filosóficos do ayurveda
Princípios filosóficos do ayurvedaPrincípios filosóficos do ayurveda
Princípios filosóficos do ayurveda
 
Funcionamento dos Nadis e Marmas - Cláudia Lizardo
Funcionamento dos Nadis e Marmas - Cláudia LizardoFuncionamento dos Nadis e Marmas - Cláudia Lizardo
Funcionamento dos Nadis e Marmas - Cláudia Lizardo
 
Prakriti Vata - Tiago Cabeleira
Prakriti Vata - Tiago CabeleiraPrakriti Vata - Tiago Cabeleira
Prakriti Vata - Tiago Cabeleira
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Ferula Assafoetida
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Ferula Assafoetida Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Ferula Assafoetida
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Ferula Assafoetida
 
Nadi Pariksha - Pulsologia no Ayurveda por Madalena Caeiro
Nadi Pariksha - Pulsologia no Ayurveda por Madalena CaeiroNadi Pariksha - Pulsologia no Ayurveda por Madalena Caeiro
Nadi Pariksha - Pulsologia no Ayurveda por Madalena Caeiro
 
História do Ayurveda
História do AyurvedaHistória do Ayurveda
História do Ayurveda
 
Ayurveda aromaterapia
Ayurveda aromaterapiaAyurveda aromaterapia
Ayurveda aromaterapia
 
As Oito Divisões do Ayurveda
As Oito Divisões do AyurvedaAs Oito Divisões do Ayurveda
As Oito Divisões do Ayurveda
 
Ayurvedaaromaterapia 100604133735-phpapp01
Ayurvedaaromaterapia 100604133735-phpapp01Ayurvedaaromaterapia 100604133735-phpapp01
Ayurvedaaromaterapia 100604133735-phpapp01
 
Historia Ayurveda
Historia AyurvedaHistoria Ayurveda
Historia Ayurveda
 
Ayurveda como ponte salutar entre Portugal e a India
Ayurveda como ponte salutar entre Portugal e a IndiaAyurveda como ponte salutar entre Portugal e a India
Ayurveda como ponte salutar entre Portugal e a India
 

Destaque

A importância dos sub doshas no diagnóstico - Cátia Amoreirinha
A importância dos sub doshas no diagnóstico - Cátia AmoreirinhaA importância dos sub doshas no diagnóstico - Cátia Amoreirinha
A importância dos sub doshas no diagnóstico - Cátia AmoreirinhaMichele Pó
 
Os gunas e a mente Diana Silva
Os gunas e a mente Diana SilvaOs gunas e a mente Diana Silva
Os gunas e a mente Diana SilvaMichele Pó
 
Comportamentos Alimentares 8b
Comportamentos Alimentares 8bComportamentos Alimentares 8b
Comportamentos Alimentares 8bMichele Pó
 
A importância dos sub doshas para diagnóstico andreia mealha 2010
A importância dos sub doshas para diagnóstico andreia mealha 2010A importância dos sub doshas para diagnóstico andreia mealha 2010
A importância dos sub doshas para diagnóstico andreia mealha 2010Michele Pó
 
A Importância dos Sub-Doshas No Diagnóstico
A Importância dos Sub-Doshas No DiagnósticoA Importância dos Sub-Doshas No Diagnóstico
A Importância dos Sub-Doshas No DiagnósticoMichele Pó
 
Os Gunas e a Mente
Os Gunas e a MenteOs Gunas e a Mente
Os Gunas e a MenteMichele Pó
 
Transportes Futuristas
Transportes FuturistasTransportes Futuristas
Transportes FuturistasMichele Pó
 
O Aquecimento Global
O Aquecimento GlobalO Aquecimento Global
O Aquecimento GlobalMichele Pó
 
Transportes Futuristas
Transportes FuturistasTransportes Futuristas
Transportes FuturistasMichele Pó
 
Doshas, fogo digestivo e os alimentos Mónica lapa
Doshas, fogo digestivo e os alimentos   Mónica lapaDoshas, fogo digestivo e os alimentos   Mónica lapa
Doshas, fogo digestivo e os alimentos Mónica lapaMichele Pó
 
Astro Nutrição
Astro NutriçãoAstro Nutrição
Astro NutriçãoMichele Pó
 
Alterações Climáticas
Alterações ClimáticasAlterações Climáticas
Alterações ClimáticasMichele Pó
 
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelDesenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelMichele Pó
 
Agricultura Sustentável
Agricultura SustentávelAgricultura Sustentável
Agricultura SustentávelMichele Pó
 
Hábitos de Consumo Sustentáveis
Hábitos de Consumo SustentáveisHábitos de Consumo Sustentáveis
Hábitos de Consumo SustentáveisMichele Pó
 
Nadis e marmas corporificação da energia e entrada do self
Nadis e marmas  corporificação da energia e entrada do self Nadis e marmas  corporificação da energia e entrada do self
Nadis e marmas corporificação da energia e entrada do self Michele Pó
 

Destaque (20)

A importância dos sub doshas no diagnóstico - Cátia Amoreirinha
A importância dos sub doshas no diagnóstico - Cátia AmoreirinhaA importância dos sub doshas no diagnóstico - Cátia Amoreirinha
A importância dos sub doshas no diagnóstico - Cátia Amoreirinha
 
Os gunas e a mente Diana Silva
Os gunas e a mente Diana SilvaOs gunas e a mente Diana Silva
Os gunas e a mente Diana Silva
 
Comportamentos Alimentares 8b
Comportamentos Alimentares 8bComportamentos Alimentares 8b
Comportamentos Alimentares 8b
 
A importância dos sub doshas para diagnóstico andreia mealha 2010
A importância dos sub doshas para diagnóstico andreia mealha 2010A importância dos sub doshas para diagnóstico andreia mealha 2010
A importância dos sub doshas para diagnóstico andreia mealha 2010
 
A Importância dos Sub-Doshas No Diagnóstico
A Importância dos Sub-Doshas No DiagnósticoA Importância dos Sub-Doshas No Diagnóstico
A Importância dos Sub-Doshas No Diagnóstico
 
Os Gunas e a Mente
Os Gunas e a MenteOs Gunas e a Mente
Os Gunas e a Mente
 
Casa do Futuro
Casa do FuturoCasa do Futuro
Casa do Futuro
 
Transportes Futuristas
Transportes FuturistasTransportes Futuristas
Transportes Futuristas
 
O Aquecimento Global
O Aquecimento GlobalO Aquecimento Global
O Aquecimento Global
 
Transportes Futuristas
Transportes FuturistasTransportes Futuristas
Transportes Futuristas
 
Doshas, fogo digestivo e os alimentos Mónica lapa
Doshas, fogo digestivo e os alimentos   Mónica lapaDoshas, fogo digestivo e os alimentos   Mónica lapa
Doshas, fogo digestivo e os alimentos Mónica lapa
 
Astro Nutrição
Astro NutriçãoAstro Nutrição
Astro Nutrição
 
Alterações Climáticas
Alterações ClimáticasAlterações Climáticas
Alterações Climáticas
 
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelDesenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
 
Ecologia Urbana
Ecologia UrbanaEcologia Urbana
Ecologia Urbana
 
Agricultura Sustentável
Agricultura SustentávelAgricultura Sustentável
Agricultura Sustentável
 
Stress 8ºB
Stress 8ºBStress 8ºB
Stress 8ºB
 
Hábitos de Consumo Sustentáveis
Hábitos de Consumo SustentáveisHábitos de Consumo Sustentáveis
Hábitos de Consumo Sustentáveis
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
 
Nadis e marmas corporificação da energia e entrada do self
Nadis e marmas  corporificação da energia e entrada do self Nadis e marmas  corporificação da energia e entrada do self
Nadis e marmas corporificação da energia e entrada do self
 

Semelhante a Toxicologia ayurvédica por Élio Lampreia

Apostila de fitoterapia prof. rogério versolatto
Apostila de fitoterapia prof. rogério versolattoApostila de fitoterapia prof. rogério versolatto
Apostila de fitoterapia prof. rogério versolattoAugusto Santana
 
Apostila do Curso de Fitoterapia Chinesa
Apostila do Curso de Fitoterapia ChinesaApostila do Curso de Fitoterapia Chinesa
Apostila do Curso de Fitoterapia ChinesaRogério Versolatto
 
Fitoterapia Uma Alternativa Natural
Fitoterapia   Uma Alternativa NaturalFitoterapia   Uma Alternativa Natural
Fitoterapia Uma Alternativa NaturalTic Upe
 
Oficina de fitoterapia
Oficina de fitoterapiaOficina de fitoterapia
Oficina de fitoterapiaarquisasousa
 
Oficina de fitoterapia
Oficina de fitoterapiaOficina de fitoterapia
Oficina de fitoterapiaarquisasousa
 
Introdução ao Ayurveda e Abhyanga
Introdução ao Ayurveda e AbhyangaIntrodução ao Ayurveda e Abhyanga
Introdução ao Ayurveda e AbhyangaAyurvedese
 
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013Márcio Ravazoli
 

Semelhante a Toxicologia ayurvédica por Élio Lampreia (12)

Tcc aromaterapia
Tcc aromaterapiaTcc aromaterapia
Tcc aromaterapia
 
Apostila de fitoterapia prof. rogério versolatto
Apostila de fitoterapia prof. rogério versolattoApostila de fitoterapia prof. rogério versolatto
Apostila de fitoterapia prof. rogério versolatto
 
Apostila do Curso de Fitoterapia Chinesa
Apostila do Curso de Fitoterapia ChinesaApostila do Curso de Fitoterapia Chinesa
Apostila do Curso de Fitoterapia Chinesa
 
Medicina tibetana 6
Medicina tibetana 6Medicina tibetana 6
Medicina tibetana 6
 
Fitoterapia Uma Alternativa Natural
Fitoterapia   Uma Alternativa NaturalFitoterapia   Uma Alternativa Natural
Fitoterapia Uma Alternativa Natural
 
Aula Plantas medicinais I-2-53.pdf
Aula Plantas medicinais I-2-53.pdfAula Plantas medicinais I-2-53.pdf
Aula Plantas medicinais I-2-53.pdf
 
Farmacobotânica parte1
Farmacobotânica parte1Farmacobotânica parte1
Farmacobotânica parte1
 
Oficina de fitoterapia
Oficina de fitoterapiaOficina de fitoterapia
Oficina de fitoterapia
 
Oficina de fitoterapia
Oficina de fitoterapiaOficina de fitoterapia
Oficina de fitoterapia
 
Trabalho sobre Cannabis
Trabalho sobre Cannabis Trabalho sobre Cannabis
Trabalho sobre Cannabis
 
Introdução ao Ayurveda e Abhyanga
Introdução ao Ayurveda e AbhyangaIntrodução ao Ayurveda e Abhyanga
Introdução ao Ayurveda e Abhyanga
 
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
 

Mais de Michele Pó

Sapta Dhatus - Os Sete Tecidos no Ayurveda por Verónica Silvestre
Sapta Dhatus - Os Sete Tecidos no Ayurveda por Verónica SilvestreSapta Dhatus - Os Sete Tecidos no Ayurveda por Verónica Silvestre
Sapta Dhatus - Os Sete Tecidos no Ayurveda por Verónica SilvestreMichele Pó
 
Kaumara bhritya por Tânia Pires
Kaumara bhritya por Tânia PiresKaumara bhritya por Tânia Pires
Kaumara bhritya por Tânia PiresMichele Pó
 
Saúde da mulher por Maria Brito do Rio
Saúde da mulher por Maria Brito do RioSaúde da mulher por Maria Brito do Rio
Saúde da mulher por Maria Brito do RioMichele Pó
 
Oléos Medicados no Ayurveda por Ana Carvalho
Oléos Medicados no Ayurveda por Ana CarvalhoOléos Medicados no Ayurveda por Ana Carvalho
Oléos Medicados no Ayurveda por Ana CarvalhoMichele Pó
 
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos da Pimenta Longa
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos da Pimenta LongaPrincípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos da Pimenta Longa
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos da Pimenta LongaMichele Pó
 
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos do Cravinho Eugenia caryophylus...
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos do Cravinho Eugenia caryophylus...Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos do Cravinho Eugenia caryophylus...
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos do Cravinho Eugenia caryophylus...Michele Pó
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Trigonella foenum graecum l
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Trigonella foenum graecum lPrincípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Trigonella foenum graecum l
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Trigonella foenum graecum lMichele Pó
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos dos Cominhos
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos dos CominhosPrincípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos dos Cominhos
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos dos CominhosMichele Pó
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos do Cardamomo
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos do CardamomoPrincípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos do Cardamomo
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos do CardamomoMichele Pó
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Canela
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Canela Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Canela
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Canela Michele Pó
 
Doshas, fogo digestivo e os alimentos - Mónica Lapa
Doshas, fogo digestivo e os alimentos  - Mónica LapaDoshas, fogo digestivo e os alimentos  - Mónica Lapa
Doshas, fogo digestivo e os alimentos - Mónica LapaMichele Pó
 
A importância dos sub doshas no diagnóstico - Cátia Amoreirinha
A importância dos sub doshas no diagnóstico - Cátia AmoreirinhaA importância dos sub doshas no diagnóstico - Cátia Amoreirinha
A importância dos sub doshas no diagnóstico - Cátia AmoreirinhaMichele Pó
 
Astrologia aplicada ao diagnóstico
Astrologia aplicada ao diagnóstico Astrologia aplicada ao diagnóstico
Astrologia aplicada ao diagnóstico Michele Pó
 
História da medicina ayurvédica
História da medicina ayurvédicaHistória da medicina ayurvédica
História da medicina ayurvédicaMichele Pó
 

Mais de Michele Pó (14)

Sapta Dhatus - Os Sete Tecidos no Ayurveda por Verónica Silvestre
Sapta Dhatus - Os Sete Tecidos no Ayurveda por Verónica SilvestreSapta Dhatus - Os Sete Tecidos no Ayurveda por Verónica Silvestre
Sapta Dhatus - Os Sete Tecidos no Ayurveda por Verónica Silvestre
 
Kaumara bhritya por Tânia Pires
Kaumara bhritya por Tânia PiresKaumara bhritya por Tânia Pires
Kaumara bhritya por Tânia Pires
 
Saúde da mulher por Maria Brito do Rio
Saúde da mulher por Maria Brito do RioSaúde da mulher por Maria Brito do Rio
Saúde da mulher por Maria Brito do Rio
 
Oléos Medicados no Ayurveda por Ana Carvalho
Oléos Medicados no Ayurveda por Ana CarvalhoOléos Medicados no Ayurveda por Ana Carvalho
Oléos Medicados no Ayurveda por Ana Carvalho
 
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos da Pimenta Longa
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos da Pimenta LongaPrincípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos da Pimenta Longa
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos da Pimenta Longa
 
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos do Cravinho Eugenia caryophylus...
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos do Cravinho Eugenia caryophylus...Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos do Cravinho Eugenia caryophylus...
Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos do Cravinho Eugenia caryophylus...
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Trigonella foenum graecum l
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Trigonella foenum graecum lPrincípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Trigonella foenum graecum l
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Trigonella foenum graecum l
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos dos Cominhos
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos dos CominhosPrincípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos dos Cominhos
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos dos Cominhos
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos do Cardamomo
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos do CardamomoPrincípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos do Cardamomo
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos do Cardamomo
 
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Canela
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Canela Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Canela
Princípios Activos e Fitoterápicos Ayurvédicos da Canela
 
Doshas, fogo digestivo e os alimentos - Mónica Lapa
Doshas, fogo digestivo e os alimentos  - Mónica LapaDoshas, fogo digestivo e os alimentos  - Mónica Lapa
Doshas, fogo digestivo e os alimentos - Mónica Lapa
 
A importância dos sub doshas no diagnóstico - Cátia Amoreirinha
A importância dos sub doshas no diagnóstico - Cátia AmoreirinhaA importância dos sub doshas no diagnóstico - Cátia Amoreirinha
A importância dos sub doshas no diagnóstico - Cátia Amoreirinha
 
Astrologia aplicada ao diagnóstico
Astrologia aplicada ao diagnóstico Astrologia aplicada ao diagnóstico
Astrologia aplicada ao diagnóstico
 
História da medicina ayurvédica
História da medicina ayurvédicaHistória da medicina ayurvédica
História da medicina ayurvédica
 

Último

3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...apoioacademicoead
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;azulassessoriaacadem3
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Jean Carlos Nunes Paixão
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Mary Alvarenga
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...azulassessoriaacadem3
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...excellenceeducaciona
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.azulassessoriaacadem3
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoPaula Meyer Piagentini
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...azulassessoriaacadem3
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 

Toxicologia ayurvédica por Élio Lampreia

  • 1. INSTITUTO DE MEDICINA TRADICIONAL CURSO GERAL DE NATUROPATIA E CIÊNCIAS TRADICIONAIS HOLÍSTICAS TOXICOLOGIA (AGADA TANTRA) NA MEDICINA AYURVEDA CADEIRA: Medicina Ayurvédica I DOCENTE: Michele Pó DISCENTE: Élio Lampreia – 7997
  • 2. INDÍCE • INTRODUÇÃO • AYURVEDA • AYUS • DOSHAS • DESENVOLVIMENTO • HARMONIA • AMA • CAUSAS • SINTOMAS • SINAIS • AGADA CHIKITSA/AGADA TANTRA/VISHA CHIKITSA • CONCLUSÃO • BIBLIOGRAFIA E WEBGRAFIA
  • 3. INTRODUÇÃO • Ayurveda (ayus = vida e veda = conhecimento ou ciência) • “ciência da vida”; “conhecimento da vida” ou “ciência da longevidade” • “conhecimento do ciclo da vida” • Ayus: - manifestação complexa combinação • do corpo (sarira) • dos sentidos (indriajas) • da mente (sattwa) • do espirito (atma)
  • 4. INTRODUÇÃO • Ayurveda dividido em oito ramos: • Kaya chikitsa (cuida dos desequilíbrio internos do corpo) • Bala chikitsa (aborda de forma especial as doenças infantis) • Graha chikitsa (relacionado com as doenças mentais e emocionais) • Vurdwanga chikitsa (enfoca doenças que se localizam na cabeça e no pescoço) • Salya chikitsa (dedica-se às doenças de natureza cirúrgica) • Damshtra ou Agada chikitsa, Agada Tantra, Visha chikitsa (trata dos aspetos relativos à toxicologia) • Jara chikitsa ou Rasayana (destina-se à promoção da longevidade, também chamada de ciência do rejuvenescimento) • Vrusha ou Vajeekara chikitsa (consagra os tónicos e revigorantes, também chamada ciência dos afrodisíacos)
  • 5. DESENVOLVIMENTO • A HARMONIA (estado de saúde) • Agni (o metabolismo) esteja em condição balanceada; • Vata, Pitta e Kapha estejam em equilíbrio; • Urina, Fezes e Suor sejam produzidos e eliminados normalmente; • Os sete tecidos do corpo estejam funcionando normalmente: • Rasa (plasma) • Rakta (glóbulos sanguíneos) • Mamsa (músculos) • Meda (tecido gorduroso) • Asthi (tecidos ósseo e nervoso) • Majja (medula óssea) • Sukra (tecidos reprodutores); • A mente, os sentidos e a consciência estejam trabalhando em conjunto e de maneira harmoniosa.
  • 6. DESENVOLVIMENTO • AMA • Forma-se a partir de partículas tóxicas impropriamente digeridas • Acumula-se em qualquer parte do organismo onde exista uma debilidade • Tem sempre a forma de uma sustância incompletamente digerida • Não é homogéneo • Tem muito mau cheiro • É muito causador de doença • Produz letargia no corpo. • obstruem os canais físicos do corpo • Obstruem os canais não fixos (Nadis)
  • 7. DESENVOLVIMENTO • CAUSAS DA PRODUÇÃO DE AMA Agnimandya (baixo fogo digestivo) Dhatu-agnimandya (baixo fogo tissular) Mala Sanchaya (acumulação de produtos de desperdício) Dosha sammurcchan (Interação entre doshas desequilibrados) Krimi visha (toxinas bacterianas)
  • 8. DESENVOLVIMENTO • SINTOMAS DE AMA • Srotorodha (obstrução) • Debilidade ou redução do poder de trabalho em qualquer parte ou órgão • Obstrução do movimento de Vata • Pesadez e letargia • Língua saburrenta (em particular ao acordar de manhã) • Perturbações metabólicas: Obesidade, diabetes
  • 9. DESENVOLVIMENTO • SINAIS DE AMA • Sentimentos de pesadez • cabeça inchada • pensamento pouco claro • cefaleias e dores • Meteorismo • Gases • manchas na pele • febre • Falta de energia • Estado doente • Maus odores corporais (hálito, suor, urina, muco, fezes) • Presença de muco nas fezes • Urinas turvas • Perda de apetite • Perda de paladar • Sensação de indigestão • Sabor doce pegajoso na boca. • Língua profunda, resvaladiça, delgada, cheia de saburra.
  • 10. DESENVOLVIMENTO • SINAIS CONTEMPORÂNEOS DE AMA • Hipertrigliceridemia • Arteriosclerose • Diabetes mellitus tipo II • Hiperglicemia • Depressão • Fator reumático • Presença de Helicobacter pylorii • Leucocitose ou leucocitopenia • Excesso de anticorpos • Cândida albicans no intestino ou no útero • uremia elevada • excesso de plaquetas • Níveis elevados de IGE • Policitemia • Enzimas hepáticas elevadas • Pressão intraocular elevada • Infeção bacteriana • Temperatura elevada • Tumores • Litíase vesicular • Litíase urinária
  • 11. DESENVOLVIMENTO • AGADA CHIKITSA, AGADA TANTRA OU VISHA CHIKITSA • Diferentes métodos de limpeza dos venenos para fora do corpo • Recomenda antídotos para venenos específicos • Relacionado com uma vasta gama de toxinas naturais da vida selvagem • animais, aves, insetos, plantas incluindo as ervas aromáticas, vegetais, minerais • Venenos artificiais preparados a partir de drogas venenosas • Poluição do ar e da água VENENO
  • 12. AGADA CHIKITSA, AGADA TANTRA OU VISHA CHIKITSA • ORIGEM: • Escola de toxicologia, fundada por Kashyapa (Vriddhakashyapa) Royal Vaidyas (médicos) Vishavaidyas (Toxicólogos)
  • 13. AGADA CHIKITSA, AGADA TANTRA OU VISHA CHIKITSA • EXISTEM 2 TIPOS DE VENENOS • Venenos Naturais • Sthaavara - venenos inanimados ou o composto de venenos com origem vegetal e minerais tóxicos, metais ou minerais que são encontrados no interior da crosta terrestre. • Jangama - venenos animados provenientes de animais como cobras, escorpiões, vermes, insetos, etc. • Venenos Artificiais • Inventados e preparados combinando diferentes tipos de venenos animados e inanimados
  • 14. AGADA CHIKITSA, AGADA TANTRA OU VISHA CHIKITSA • Descrição e as desvantagens de alimentos de qualidades opostas, drogas e alimentos que causam sintomas de intoxicação crónica • Descrições de certos venenos que são utilizados como medicamentos após bom processamento e quantificação Drogas vegetais (reserpina, atropina) VISHA UPA-VISHAMEDICINA ANCESTRAL Forma Bruta Processo de refinamento e de desintoxicaçã o - Shodhana Vishannatva (angústia) Vishada (tristeza)
  • 15. AGADA CHIKITSA, AGADA TANTRA OU VISHA CHIKITSA • Descrições elaboradas sobre as ervas aromáticas, as suas propriedades e indicações • Charaka : - necessidade de um conhecimento completo das ervas e sua utilidade na terapêutica - “um veneno mortal pode tornar-se um ótimo remédio se for administrado corretamente”
  • 16. AGADA CHIKITSA, AGADA TANTRA OU VISHA CHIKITSA • CLASSIFICAÇÃO DOS VENENOS • Critérios básicos – origem; base; propriedades; potência, etc. • TOXICIDADE E POTÊNCIA • Em Geral São Classificados em 3 Tipos: • Sthavara (aqueles que pertencem aos sais minerais ou ao grupo das ervas venenosas) • Jangam (obtidos a partir do reino animal) • Kritrima (resultado de uma indesejada manipulação de medicamentos) Mahavisha – mais tóxicos na Natureza Upavisha – menos tóxicos na Natureza
  • 17. AGADA CHIKITSA, AGADA TANTRA OU VISHA CHIKITSA • A IMPORTANCIA DA PURIFICAÇÃO DO VENENO • ACÓNITO • “Bhava Prakasha” - o efeito mau/tóxico atribuído ao “Ashodhita Vishas” (substâncias tóxicas não purificadas) são minimizados quando estes são usados depois de serem submetidos a Shodhana. • os “Vishas” devem ser essencialmente submetidos a Shodhana antes de serem utilizados na terapêutica. na sua forma bruta é depressor cardíaco purificado pela urina de vaca é convertido para estimulante cardíaco
  • 18. AGADA CHIKITSA, AGADA TANTRA OU VISHA CHIKITSA • PROCESSAMENTO GERAL DAS SUBSTÂNCIAS VENENOSAS ANTES DO CONSUMO • Gomutra Nimajjana (imersão em urina de vaca por um determinado período) • Swedana (ferver em diferentes líquidos como leite de vaca, leite de cabra, urina de vaca, extratos vegetais e Kanjika, etc.) • Bharjana (fritar com ou sem ghee) • Bhavana (maceração e/ou trituração com sumos de vegetais) • Nihsnehana (redução do conteúdo oleoso) • Kshalana (lavar com água quente) • Nistvachikarana (é o processo de decorticação – retirar cobertura envolvente)
  • 19. LISTA DE SUBSTÂNCIAS VENENOSAS NO ÂMBITO DA AYURVEDA Drogas de Origem Vegetal Drogas de Origem Animal Drogas de Origem Mineral Ahipena - Papaver somniferum Linn. Sarpavisha- veneno de cobra Gauripashana- Arsénico Arka- Calotropis gigantea (Linn.) R. Br. ex. Ait. Hartala- Arsénio sulfídrico Bhallataka- Semecarpus anacardium Linn. F. Manahashila- Arsénio sulfídrico Bhanga- Cannabis sativa Linn. Parada- Mercúrio Danti - Baliospermum monatanum Mull. Arg. Rasa Karpura - Hydrargyri subchloridum Dhattura- Datura metal Linn.. Tuttha- sulfato de cobre SCHEDULEE(1) das DROGAS ECOSMÉTICOS ACT, 1940 Drogas de Origem Vegetal Drogas de Origem Animal Drogas de Origem Mineral Gunja - Abrus precatirius Linn. Hingula - Cinábrio Jaipala (Jayapala)- Croton tiglium Linn Sindura - óxido vermelho de chumbo Karaveera- Nerium indicum Mill. Girisindura - óxido vermelho de mercúrio Langali - Gloriosa superba Linn Parasika Yavani - Hyoscyamus niger Linn. Snuhi - Euphorbia neriifolia Linn. Vatsanabha - Acontium chasmanthum StapfexHolm Vishamushti - Strychnox nuxvomica Linn Shringivisha - Aconitum chasmanthum Stapfex Holm. SCHEDULE E (1) das DROGAS E COSMÉTICOS ACT, 1940
  • 20. CONCLUSÃO • A toxicologia (Damshtra ou Visha Chikitsa) é um dos oito ramos da Medicina Ayurveda • “Damshtra” refere-se aos dentes de uma cobra venenosa • “Visha” é qualquer substância que pode causar doença ou até mesmo a morte para o homem ou outro ser vivo • Qualquer sustância pode tornar-se tóxica quando tomada em excesso • Existem várias plantas que têm frutos ou flores altamente tóxicas mas que podem ser usados como remédio • As substâncias que causam doença chamam-se toxinas • As principais são as toxinas de picadas de cobra, insetos, etc., toxinas de ingestão por comer, beber ou inalar • Alimentos incompatíveis também podem agir como toxina
  • 21. BIBLIOGRAFIA E WEBGRAFIA • Kbharwany. Medicina Ayurvedica: Ayurveda, a Ciência Médica da longa Vida. Espaço Essência. 2009. Retirado de http://terapiasaromaticas.blogspot.pt/2009/07/medicina-ayurvedica.html • http://www.alfinal.com/nutricion/ama.php • http://alecrimdaterra.blogspot.pt/2011/04/ama-toxinas-segundo-o- ayurveda.html • Binorkar S. Agada Tantra: Introduction. AgadaTantra – Forensic Medicine & Toxicology. 2012. Retirado de https://agadatantra.wordpress.com/page/4/ • http://www.nhp.gov.in/visha-upavisha-metals-in-ayurveda_mtl • Vendrame F. S. A Contribuição para a Naturologia do Estudo dos Doshas e seus Desequilíbrios. Universidade Anhembi Morumbi. São Paulo. 2012