Sexualidade e Preconceitos

33.650 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Espiritual, Tecnologia
1 comentário
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Para quem não tem preconceito http://meunomeeken.blogspot.com novela em 24 capítulos.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
33.650
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
100
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sexualidade e Preconceitos

  1. 1. Sexualidade & Preconceitos <br />
  2. 2. Introdução<br />Neste Tema de trabalho vamos estudar os quais os preconceitos na sexualidade. Vamos também tratar de aprofundar este tema devido ao que dizem sobre ele mesmo . Vamos esclarecer de onde vem o principal problema dos preconceitos sobre a sexualidade.<br />
  3. 3. O que é o preconceito?<br />Preconceito é uma postura ou ideia pré-concebida, uma atitude de alienação a tudo aquilo que foge dos &quot;padrões&quot; de uma sociedade. As principais formas são: racial, social e sexual.<br />Nas sociedades, o preconceito é desenvolvido a partir da busca, por parte das pessoas preconceituosas, em tentar localizar naquelas vítimas do preconceito o que lhes &quot;faltam&quot; para serem semelhantes á grande maioria.<br />
  4. 4. O preconceito mais comum é o sexual, qual é baseado na discriminação devido á orientação sexual de cada indivíduo.<br />Normalmente o preconceito é causado pela ignorância, isto é, não conhecimento do outro que é diferente. O preconceito leva á discriminação, á marginalização e á violência.<br />
  5. 5. Tabus na sexualidade<br />Tabus e preconceitos sexuais permeiam séculos e podem acarretar problemas que, muitas vezes, não ocorreriam se a sexualidade fosse esclarecida de forma clara e verdadeira. O objectivou identificar concepções sobre a sexualidade e as representações dos tabus e preconceitos sexuais dos alunos do 2º ano do curso de Ciências Biológicas de uma Universidade Privada. Os resultados apontaram que a maioria, não vivem com suas famílias, embora sejam sustentados pelos pais, pois apenas estudam. <br />
  6. 6. Muitos académicos ainda não sabem definir a sexualidade e alguns ainda possuem tabus e preconceitos sexuais. Uma grande parcela dos pesquisados não utiliza métodos contraceptivos. Com os resultados obtidos foi possível concluir que alguns tabus e preconceitos ainda permeiam o conhecimento dos jovens, mesmo na universidade, sobre a sexualidade. Assim, orientar sexualmente os adolescentes de forma clara e verídica é a melhor opção para que tabus e preconceitos não sejam mais adoptados na sexualidade.<br />
  7. 7. Os preconceitos:<br />A homossexualidade:<br />Os homossexuais seriam mais promíscuos e solitários; <br />A homossexualidade estaria aliada à pedofilia;<br />Os homossexuais não discernem na sua atracção pelo mesmo sexo; <br />Nas relações homossexuais, tal como nas heterossexuais, é universal e inevitável a presença de um indivíduo de papel &quot;feminino&quot; (passivo) e de um papel &quot;masculino&quot; (activo); <br />
  8. 8. Heterossexualidade:<br />Heterofobia: é um termo utilizado para definir a aversão a pessoas ou actos heterossexuais.<br />
  9. 9. Bissexualidade:<br />
  10. 10. Opiniões:<br />“Eu sou católica praticante desde quando nasci, sempre frequentei missas e grupos de orações, leio a bíblia e livros da doutrina católica, portanto conheço bastante seus preceitos e sempre busco segui-los. Porém sinto uma atracção fortíssima por algumas raparigas, eu tento neutralizar todos esses meus sentimentos, mas as vezes é mais forte que eu. Já namorei um rapaz(lógico que sem sexo, pois defendo a castidade), mas nem de perto foi o que eu sinto por uma rapariga que é muito minha amiga.”<br />
  11. 11. “Confessei uma vez com um padre sobre isso, ele me disse que existe nas pessoas a propensão para o homossexualismo, porém, cabe a pessoa inibir esses desejos, controlar-se. O padre é um exemplo dessa inibição dos sentimentos e a prevalência da razão, por isso tento muito inibir esses sentimentos. Mas as vezes não dá, é muito mais forte que eu, pois além da atracção física, há uma paixão que sinto muito forte por essa garota, já até tentei me afastar dela, mas ela sempre me procura. Nunca tive nada com uma menina e estou lutando muito para não ter. O que vocês acham?”(anónimo)<br />

×