Discente:
Rute Jordão
Nº7479
*
Instituto de Medicina Tradicional – Ano lectivo 2014/2015
Disciplina: Medicina Ayurvédica
D...
*
*Esta apresentação tem como objectivos a produção uma
descrição fundamentada sobre a história, partes utilizadas,
princí...
*
1 – História
2 – Partes utilizadas
3 – Princípios activos
4 – Indicações e propriedades medicinais
5 – Contra-indicações...
*
*Planta originária das Molucas e das Filipinas Meridionais,
cultivada em diversos países da zona tropical (Madagáscar,
I...
*
*O seu nome científico é Syzygium aromaticum (L.) Merr. ou
Eugenia caryophylus Spreng. Vulgarmente conhecida como
Cravo-...
*
*Botões florais e o óleo essencial.
Inicialmente a flor tem uma coloração rosada, mas com o tempo
fica amarelo-esverdead...
*
*Óleo Essencial (15-20%): composto principalmente por eugenol
(60-80%); acetato de eugenol; cavicol; 4-alil-fenol; éster...
*
*Apresenta as seguintes propriedades: afrodisíaco, anti-séptico,
aperiente, bactericida e digestivo, analgésico, carmina...
*
*Também usado em indisposições digestivas com uma acção
positiva sobre o mesmo. Contribui em gastroenterites, diarreia
e...
*
*Estabelecendo uma analogia com a medicina tradicional chinesa
o cravo-da-Índia é considerado acre, quente e aromático. ...
*
*Contra-indicado para gestantes
(pode provocar contracções na
musculatura do útero)
* Não se deve exagerar no
consumo do...
*
*O uso externo pode causar eventuais reacções alérgicas em
pessoas sensíveis. O óleo essencial pode causar irritação na
...
*
*Infusão: 1 a 1,5 gr por chávena, 3 chávenas por dia, antes ou
depois das refeições.
*Uso externo: óleo essencial puro, ...
*
*Na saúde e cosmética: Utilizado em produtos de higiene oral para
desinfectar e promover um hálito agradável. É também e...
*
Estudo 1:
Em Odontologia, suas propriedades anti-sépticas e bactericidas
permitem que se produza preparados de aplicação...
*
Estudo 2:
Neste estudo pretende-se avaliar o potencial quimiopreventivo
em cancro de pulmão da infusão aquosa de Cravinh...
*
Estudo 3
Óleo essencial de Cravo-da-índia demonstra actividade
inibitória frente a Staphylococccus aureus resistentes a
...
*
*Sabe-se que desde sempre as especiarias são utilizadas na
culinária Ayurvédica, quer para combater os possíveis efeitos...
*
http://cantinhodasaromaticas.blogspot.pt/2010/02/cravinho.html
http://www.plantasquecuram.com.br/ervas/cravinho.html#.VE...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos do Cravinho Eugenia caryophylus spreng

661 visualizações

Publicada em

Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos do Cravinho
Activ Principles of Eugenia caryophylus spreng
Rute Jordão
Michele Pó

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
661
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Princípios Activos e Terapêuticos Ayurvédicos do Cravinho Eugenia caryophylus spreng

  1. 1. Discente: Rute Jordão Nº7479 * Instituto de Medicina Tradicional – Ano lectivo 2014/2015 Disciplina: Medicina Ayurvédica Docente: Michele Pó Curso Geral de Naturopatia e Ciências Tradicionais Holísticas
  2. 2. * *Esta apresentação tem como objectivos a produção uma descrição fundamentada sobre a história, partes utilizadas, princípios activos, propriedades medicinais, indicações, contra- indicações, formas de administração e posologia da especiaria Cravinho. *Além disso, procurou-se efectuar uma comprovação científica das suas propriedades medicinais através da apresentação de alguns estudos científicos.
  3. 3. * 1 – História 2 – Partes utilizadas 3 – Princípios activos 4 – Indicações e propriedades medicinais 5 – Contra-indicações 6 – Efeitos colaterais 7 – Formas de administração e posologia 8 – Evidências científicas 9 – Conclusão 10 - Bibliografia
  4. 4. * *Planta originária das Molucas e das Filipinas Meridionais, cultivada em diversos países da zona tropical (Madagáscar, Indonésia, Brasil). *Ao atingir as ilhas Molucas em 1511, os portugueses ficaram muito impressionados com a riqueza em especiarias (Época dos Descobrimentos). Foram os primeiros europeus a conhecer as plantas produtoras do Cravinho. Considerada uma das especiarias mais caras. *Em 1605, os holandeses ocuparam as ilhas Molucas e expulsaram os poucos portugueses que por ali restavam, assumindo o comércio do Cravinho.
  5. 5. * *O seu nome científico é Syzygium aromaticum (L.) Merr. ou Eugenia caryophylus Spreng. Vulgarmente conhecida como Cravo-da-índia, cravo-de-cabecinha, cravoária. Família das Mirtáceas. *Arbusto ou árvore de porte médio com forma piramidal ou cónica (9-12 metros altura). Pode viver mais de 100 anos. Normalmente, as jovens plantas não geram flores durante os primeiros cinco anos do seu ciclo de vida. *Usada no Oriente desde há muitos séculos, com o objectivo de eliminar o mau hálito da boca. Na China, no século III a.C. as pessoas mastigavam cravinho antes de se dirigirem ao Imperador, como sinal de respeito.
  6. 6. * *Botões florais e o óleo essencial. Inicialmente a flor tem uma coloração rosada, mas com o tempo fica amarelo-esverdeado e depois torna-se vermelha. É nesta última fase da flor, mas antes da abertura do gomo, que se obtém o cravinho. É fundamental colher antes que atinjam esta fase do vermelho brilhante, quando estão no pico de sabor e aroma. A colheita geralmente demora de dois a três meses. *O óleo essencial (15% a 20%) deve existir nos botões florais, no mínimo, 150 ml/kg.
  7. 7. * *Óleo Essencial (15-20%): composto principalmente por eugenol (60-80%); acetato de eugenol; cavicol; 4-alil-fenol; ésteres; sesquiterpenos; óxido de cariofileno; epóxido de humuleno; salicilato de metila; b-amirina. *Fitosteróis: b-sitosterol, estigmasterol e campestrol; Ácido Protocatéquico; Ácido Gálico; Ácido Cratególico; Ácido Oleânico; Ácido 18-dehidro-ursólico. *Flavonóides: derivados do quercetol e kempferol; Taninos Elágicos (10-13%).
  8. 8. * *Apresenta as seguintes propriedades: afrodisíaco, anti-séptico, aperiente, bactericida e digestivo, analgésico, carminativo (actividade antiespasmódica), vermífugo, repelente de insectos, sudorífico, tónico estomáquico e tónico estimulante. *Assim sendo, encontra-se indicado para dor de dentes, contribuindo activamente na higiene bucal; flatulência; micoses; vermes e para as vias respiratórias.
  9. 9. * *Também usado em indisposições digestivas com uma acção positiva sobre o mesmo. Contribui em gastroenterites, diarreia e no combate de infecções. Levemente anestésico, pode ser usado na síndroma do cólon irritável, pois reduz a sensibilidade nervosa no intestino, aliviando espasmos e urgência defecatória. *O óleo essencial é utilizado na aromaterapia, quando a estimulação e o aquecimento são necessários, principalmente para problemas digestivos. A aplicação tópica sobre o estômago ou no abdómen são ditas para aquecer o aparelho digestivo.
  10. 10. * *Estabelecendo uma analogia com a medicina tradicional chinesa o cravo-da-Índia é considerado acre, quente e aromático. Este penetra nos meridianos dos rins, baço e estômago, por isso é usado para tratar soluços, vómitos, diarreia e em fórmulas contra a impotência e limpeza de corrimento vaginal.
  11. 11. * *Contra-indicado para gestantes (pode provocar contracções na musculatura do útero) * Não se deve exagerar no consumo do cravo, pode irritar a mucosa da boca. Além disso, quem tem o estômago mais sensível também deve usá-lo com moderação.
  12. 12. * *O uso externo pode causar eventuais reacções alérgicas em pessoas sensíveis. O óleo essencial pode causar irritação na pele.
  13. 13. * *Infusão: 1 a 1,5 gr por chávena, 3 chávenas por dia, antes ou depois das refeições. *Uso externo: óleo essencial puro, em solução alcoólica ou oleosa a 10%; impregnar uma gaze ou algodão e aplicar em dentes cariados. *Na culinária: É normalmente empregue na preparação de sopas, ensopados, doces, pudins, bolos, pão, vinhos, ponches quentes e licores. O eugenol, presente no óleo essencial, tem acção bactericida, o que o torna útil para preservar e prolongar a validade de compotas e conservas.
  14. 14. * *Na saúde e cosmética: Utilizado em produtos de higiene oral para desinfectar e promover um hálito agradável. É também eficaz no combate à acne. O óleo pode ser usado para massajar músculos doridos, para suavizar estrias e é eficaz no tratamento de unhas quebradiças, rachadas ou fracas, e de calosidades. *Na Indonésia empregam-se grandes quantidades de cravo na confecção de cigarros perfumados (Kretek). É o país responsável pelo consumo de mais de 50% da produção mundial.
  15. 15. * Estudo 1: Em Odontologia, suas propriedades anti-sépticas e bactericidas permitem que se produza preparados de aplicação tópica. Neste estudo analisa-se a sua propriedade anestésica, comparando com a Benzocaína. Aplicou-se topicamente quatro substâncias na mucosa bucal de 73 voluntários adultos: em gel de Cravo-da-índia, 20% de benzocaína em gel, o placebo que se assemelha cravo e um placebo que se assemelhava a benzocaína. Verificou-se que o gel de Cravinho apresenta potencial para substituir a Benzocaína. Estudo em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16530911
  16. 16. * Estudo 2: Neste estudo pretende-se avaliar o potencial quimiopreventivo em cancro de pulmão da infusão aquosa de Cravinho. Observou- se que a incidência de hiperplasia, displasia e carcinoma evidente no grupo controlo cancerígeno nos dias 8, 17 e 26 semanas foram efectivamente reduzido após o tratamento com infusão de cravo. Também se verificou uma redução significativa no número de células em proliferação e um aumento do número de células apoptóticas observado nestas lesões pulmonares após o tratamento. Estas observações traduzem uma acção quimiopreventiva do Cravo-da-Índia, tendo em conta as suas propriedades apoptogénicas e anti-proliferativas. Estudo em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16501250
  17. 17. * Estudo 3 Óleo essencial de Cravo-da-índia demonstra actividade inibitória frente a Staphylococccus aureus resistentes a penicilina, Escherichia coli e Candida albicans, entre outras. Foi utilizado uma solução concentrada de açúcar como veículo, não sendo este necessário para a actividade antimicrobiana do óleo essencial. Estudo em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/2542213
  18. 18. * *Sabe-se que desde sempre as especiarias são utilizadas na culinária Ayurvédica, quer para combater os possíveis efeitos negativos que certos alimentos nos causam, quer no auxílio na formação de enzimas digestivas, ou seja, facilitam a passagem do alimento pelo trato intestinal. *Além disso, têm um papel positivamente na prevenção de doenças, pois são antioxidantes. Logo, através de uma dieta específica, combinada com especiarias específicas é possível a correcção de desequilíbrios e aumento da vitalidade.
  19. 19. * http://cantinhodasaromaticas.blogspot.pt/2010/02/cravinho.html http://www.plantasquecuram.com.br/ervas/cravinho.html#.VEVudP nF-Jg#ixzz3GiysyGR2 http://espacocardamomo.wordpress.com/servicos/ https://artedobemviver.wordpress.com/category/pensamentos/ http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/2542213 http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/?term=Antifungal+activity+o f+the+clove+essential+oil+from%C2%A0Syzygium%C2%A0aromaticum %C2%A0on+Candida%2C+Aspergillus+and+dermatophyte+species. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16530911 http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16501250 http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17573751 http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25473818

×