Predadores Sexuais

5.627 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.627
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
45
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Predadores Sexuais

  1. 1. Internet: Predadores Sexuais <ul><li>Trabalho realizado por: </li></ul><ul><li>Joana Mateus Nº12 </li></ul><ul><li>João Martins Nº14 </li></ul><ul><li>Madalena Almeida Nº16 </li></ul><ul><li>Margarida Nobre Nº17 </li></ul>
  2. 2. Quais são as perguntas que tencionamos fazer? <ul><li>O que são os predadores sexuais? – João Martins </li></ul><ul><li>Como actuam? – Madalena Almeida </li></ul><ul><li>Como prevenir estes actos? – Joana Mateus </li></ul><ul><li>Quais as consequências? – Margarida Nobre </li></ul>
  3. 3. O que são predadores sexuais? <ul><li>Predadores Sexuais, são pessoas que entram em salas de conversação - MSN ou em sites de relacionamento para conhecer pessoas com o único propósito de realizar fantasias sexuais on-line ou para fazer sexo virtual. Geralmente, essas pessoas procuram informações sobre as suas “presas” para usá-las como desejarem. </li></ul><ul><li>Quando as crianças usam ferramentas de comunicação pela Internet, como salas de conversação, e-mail e mensagens instantâneas, correm o risco de entrar em contacto com predadores on-line. O anonimato da Internet significa que a confiança e a intimidade podem evoluir rapidamente on-line. </li></ul><ul><li>Os predadores aproveitam-se desse anonimato para criar relacionamentos on-line com jovens inexperientes. </li></ul><ul><li>Na maioria dos casos, esses predadores sexuais são casados ou namoram. Possuem vida normal na sociedade, mas na frente do computador assumem suas verdadeiras faces. </li></ul><ul><li>Esses predadores são idênticos aos viciados em sexo e, muitos deles, buscam crianças sendo assim chamados de pedófilos. </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  4. 4. Como actuam? <ul><li>Os predadores estabelecem contacto com crianças através de conversas em salas de chat, mensagens instantâneas, e-mail e quadros de discussão. Muitos adolescentes usam fóruns de suporte on-line para lidar com seus problemas. Os predadores vão com frequência a essas áreas on-line para procurar vítimas vulneráveis. </li></ul><ul><li>Predadores on-line tentam seduzir gradualmente seus alvos através de atenção, afecto, gentileza e até mesmo presentes, e geralmente dedicam um tempo, dinheiro e energia consideráveis a esse esforço. Eles conhecem as músicas e hobbies mais actuais que podem interessar às crianças. </li></ul><ul><li>Eles ouvem e demonstram simpatia pelos problemas das crianças. Eles também tentam reduzir as inibições dos jovens introduzindo conteúdo sexual aos poucos em suas conversas ou mostrando-lhes material sexualmente explícito. </li></ul><ul><li>Alguns predadores agem mais rápido que outros, entrando em conversas sexualmente explícitas imediatamente. Essa abordagem mais directa pode incluir assédio ou perseguição. Predadores também podem avaliar as crianças que encontram on-line para futuro contacto cara a cara. </li></ul>
  5. 5. Como prevenir esses actos? <ul><li>Existe um conjunto de conselhos para prevenir estes actos para com as crianças e adolescentes. São os seguintes: </li></ul><ul><li>Falar com as crianças e adolescentes sobre os potenciais perigos que existem na Internet e sobre os predadores sexuais; </li></ul><ul><li>Comece a ensinar enquanto as crianças e os adolescentes são novos ensinar-lhes o que podem encontrar de bom e de mau na Internet; </li></ul><ul><li>Faça com que elas se sintam à vontade para conversar sobre o que elas estão a fazer na Internet; </li></ul><ul><li>Configure as restrições de filtragem de conteúdos que existem nos browsers; </li></ul><ul><li>Configure as restrições de acesso que existem nos sistemas operativos; </li></ul><ul><li>Diga às crianças e aos adolescentes para acederem apenas a sites e a redes sociais com os limites etários correspondentes às suas idades. A idade recomendada para o registo em sites de redes sociais é normalmente de 13 anos ou superior. Se as crianças e adolescentes não têm a idade recomendada não os deixe usá-los; </li></ul><ul><li>As crianças mais pequenas não deverão utilizar salas de conversação. À medida que elas foram crescendo encoraje-as para utilizar salas de conversação monitorizadas; </li></ul><ul><li>Se as crianças e adolescentes participarem em salas de chat, saiba que salas elas visitam e com quem falam. </li></ul>
  6. 6. Quais as consequências? <ul><li>Independentemente do sexo das vítimas ou da sua idade, as consequências imediatas são a vergonha e a perda de confiança. </li></ul><ul><li>- Os rapazes vítimas de abuso sexual correm um maior risco de eles próprios, mais tarde nas suas vidas, se tornarem agressores, imitando os procedimentos de que foram vítimas noutras crianças ou até nos seus próprios filhos. - A criança perde a confiança em si própria, no agressor e até nas pessoas do sexo do agressor. - Na vida adulta de uma vítima de abusos, esta procura o isolamento, apresenta dificuldades de relacionamento interpessoal, que se torne agressiva para pessoas do mesmo sexo do agressor e que apresente algumas disfunções sexuais. </li></ul><ul><li>Fisicamente, a vítima poderá apresentar outros sintomas tais como problemas de sono, falta de concentração, dificuldade de relacionamento com outras crianças e distúrbios alimentares, entre outros. </li></ul><ul><li>Estas agressões irão reflectir-se nas suas vidas adultas, sendo que as vítimas de situações de abuso apresentam como patologia mais frequente e comum a depressão. </li></ul>

×