Diagnóstico dos Malas

6.754 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Diagnóstico dos Malas

  1. 1. A Importância dos Malas <br />como Meio de Diagnóstico<br />Vera Cupido, Naturopatia 3ºA<br />Prof.ªMichele Pó, Medicina Ayurvédica<br />
  2. 2. Programa de Apresentação<br />A Importância dos Malas <br />como Meio de Diagnóstico<br />Introdução:<br />Propósito do trabalho (a razão de escolha do tema) e objectivos<br />1ª Parte<br />Abordagem geral aos meios clássicos de diagnóstico.<br />2ª Parte <br />Definição de Malas e sua relação com Dhatus, com os Srotas de excreção ( Mutravahasrota; Purishavahasrota e Swedavahasrota) e com o PranaApanaVayu<br />3ª Parte<br />Análise Individual de cada um dos Malas, enquanto meio de diagnóstico (relação com os doshas)<br />Considerações Finais<br />Bibliografia<br />
  3. 3. Urina<br />(mutra)<br />Na análise da urina devemos considerar aspectos como a cor, odor, volume, frequência e temperatura. <br />A urina normal é aquela cuja cor é amarela, cor de palha, que passa com facilidade sem que haja retenção ou qualquer mucosidade. <br />
  4. 4. Cor<br />A cor da urina pode ser afectada pela dieta, suplementos ou ervas. O aspecto pode revelar o estado do Dosha.<br />As vitaminas do complexo B podem deixar a urina com um tom amarelado, tal como a beterraba e outros alimentos vermelhos podem colorar a urina com uma matiz semelhante. <br />Vata: geralmente incolor, pode ser clara ou concentrada, dependendo da presença de frio ou secura no sistema. <br />Pitta: predominância da cor amarela (amarelo escuro) e vermelho.<br />Kapha: pálida, turva, podendo revelar a presença de muco. <br />
  5. 5. Odor<br />Os alimentos ingeridos podem ser detectados na urina, não só pela sua cor , mas também pelo seu cheiro, como é o caso do “aroma a espargos” e o “aroma a café”.<br />Odores característicos por desequilíbrios (por excesso) dos doshas:<br />Vata: apresenta um cheiro “amargo”, “adstringente”.<br />Pitta: odor (muito) desagradável, acre.<br />Kapha: odor “doce”<br />
  6. 6. Volume <br />Devemos observar os hábitos de consumo no que respeita à ingestão de líquidos, uma vez que elementos como café, o chá e outras bebidas diuréticas intervêm na frequência e volume de urina. <br />Vata: volume de urina escasso, no entanto com possibilidade de aumento de frequência devido ao elevado nível de secura, frio e ansiedade no organismo. Há tendência para urinar à noite.<br />Pitta: volume de urina considerável (alto), mas menos frequente devido às características de fluídez e calor.<br />Kapha: volume de urina considerável (alto), de frequência normal. Tendência a urinar durante a noite. <br />
  7. 7. Temperatura<br />A temperatura da urina dá-nos uma leitura simples do nosso constituinte, mais propriamente, do dosha em predominância.<br />Vata: Temperatura fria.<br />Pitta: Temperatura quente<br />Kapha: Temperatura ligeiramente fria ou pouco quente.<br />
  8. 8. Urina - características gerais nos Doshas :<br />Vata: urina escassa, díficil, incolor, presença de espuma. <br />Pitta: urina com cor amarelo acastanho, vermelha escura; abundante, quente.<br />Kapha: moderada, “leitosa”, esbranquiçada,.<br />
  9. 9. Urina - características gerais nos Doshas agravados:<br />Vata: frequência urinária escassa, ou excessiva (devido ao nível de secura, frio e/ou ansiedade no organismo); nictúria; cor bastante pálida ou escura (opostos) e presença de espuma. Temperatura fria; alguma sensação de dor na uretra e bexiga, com sensação de não esvaziamento total; tenesmo urinário (sensação contante de dor e vontade de urinar, mas sem efeito), fraqueza dos tecidos.<br />Pitta: urina com cor amarelo acastanho, vermelha escura; sensação de queimado; dor aguda na eliminação; propensão a infecções urinárias; odor desagradável; frequência de micção reduzida. <br />Kapha: sensação de não esvaziamento da bexiga com sensação de inchaço; urina turva; jacto urinário fraco (com pouca força); nictúria; com muco; esbranquiçada.<br />
  10. 10. Urina – Teste com Óleo de Sésamo e outras considerações…<br />O teste é feito com um conta-gotas. Coloque-se uma gota de O. de Sésamo na amostra de urina. <br /><ul><li>Se a gota se espalha imediatamente, a desordem física é, provavelmente, mais fácil de curar.
  11. 11. Se a gota se afunda para o meio da amostra de urina a doença é mais difícil de curar.
  12. 12. Se ao cair se deposita no fundo, a doença pode ser muito difícil de curar.
  13. 13. Se a gota se espalha sobre a superfície em movimento tipo ondas, isso indica uma desordem Vata.
  14. 14. Se a gota se espalha sobre a superfície com várias cores visíveis, como um arco-íris, isso indica desordem de Pitta.
  15. 15. Se a gota ao cair se dividir em pérolas, ficando várias gotas sobre a superfície da urina, isso indica uma desordem de Kapha. </li></li></ul><li><ul><li> A urina normal tem um cheiro típico. No entanto, se a urina tem um odor que se destaca, tal indica a presença de toxinas no organismo (ama dosha) .
  16. 16. Uma urina ácida, que cria uma sensação de queimação indica excesso de Pitta.
  17. 17. Um cheiro doce da urina indica uma condição de diabético. Nesta condição, o indivíduo pode sentir arrepios na superfície da pele durante a passagem da urina.
  18. 18. Sedimentos na urina indica pedras no aparelho urinário.</li></li></ul><li>Fezes<br />No diagnóstico de observação das fezes, devemos considerar: odor, cor, forma consistência, se flutuam ou não, de forma a que possamos encontrar informações relevantes sobre o sistema digestivo e os doshas.<br />

×