Amor Azul

586 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
586
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
135
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Amor Azul

  1. 1. Amor Azul Uma poesia de Fernando Peixoto Clicar
  2. 2. Ontem foi o tempo em que tudo mudou grito catárctico e anseio libertação d'um receio. Viagem sem volta autismo de cor que alimenta e solta busca inócua d'amor. Clicar
  3. 3. Clicar
  4. 4. E, se agora, não te afago não te esqueço todavia nesse universo aziago que da noite se faz dia. Hoje, me recuso aceitar a impotência que respiro sonho e penso, transpiro em contigo, partilhar. Clicar
  5. 5. Clicar
  6. 6. Qual desejo perpassado no espelho reflectido neste impulso incontido és o meu filho desejado. Se o longe se faz perto nem sempre assim acontece o devir logo é incerto e a mágoa não fenece. Clicar
  7. 7. Clicar
  8. 8. Nesse teu azul olhar me revejo e contradigo não sei se só, se contigo de mim t'irás lembrar. Se recuso a derrota e projecto a vitória a memória não suporta que me esqueça da história. Clicar
  9. 9. Amanhã olharás o rosto e verás um outro olhar tomar-lhe-ás o gosto e saberás perdoar. E assim te desejo o que a distância não apaga um abraço, um beijo nesta vida, nesta saga. Clicar
  10. 10. (Parabéns e um abraço de teu Pai, Fernando Peixoto) Fernando Peixoto (Pai) Outubro 2003 Clicar
  11. 11. Créditos: Texto : site : http://sentidus.blogspot.com/ Notas do site : “Caros Amigos, com este poema abro uma excepção a este blogue cujas publicações são da minha exclusiva autoria. Aproveito para partilhar convosco um poema que me foi dedicado e oferecido pelo meu estimado Pai (daí estar em itálico), pela passagem do meu trigésimo aniversário em Outubro de 2003. Após esta singela homenagem, continuarei a publicar exclusivamente textos da minha exclusiva autoria. Um abraço deste vosso amigo, Fernando Peixoto” Formatação: Michèle Christine Música: Toselli - Serenata - (André Rieu) Clicar
  12. 12. Fernando Peixoto nasceu no Porto. É publicitário, professor e consultor de Comunicação e Imagem Organizacional. Doutorando em Ciências da Comunicação, é também Mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho. Investigador e ensaísta no campo dos media e das organizações, dedica-se também à poesia e ao romance. Entre outras publicações e comunicações várias, destaca-se a autoria de «Técnica e Estética na Publicidade» (Edições Sílabo, Lisboa, 2007). Clicar
  13. 13. . Amanhã olharás o rosto E verás um outro olhar Tomar-lhe-ás o gosto E saberás perdoar. (Parabéns e um abraço de teu Pai, Fernando Peixoto) Outubro 2003 E assim te desejo O que a distância não apaga Um abraço, um beijo Nesta vida, nesta saga. Fernando Peixoto (Pai) Ontem foi o tempo Em que tudo mudou Grito catárctico e anseio Libertação d’um receio. Viagem sem volta Autismo de cor Que alimenta e solta Busca inócua d’amor. E, se agora, não te afago Não te esqueço todavia Nesse universo aziago Que da noite se faz dia. Hoje, me recuso aceitar A impotência que respiro Sonho e penso, transpiro Em contigo, partilhar. Qual desejo perpassado No espelho reflectido Neste impulso incontido És o meu filho desejado Se o longe se faz perto Nem sempre assim acontece O devir logo é incerto E a mágoa não fenece. Nesse teu azul olhar Me revejo e contradigo Não sei se só, se contigo De mim t’irás lembrar. Se recuso a derrota E projecto a vitória A memória não suporta Que me esqueça da história. F i m Sair

×