Av. Marechal Floriano Peixoto, 1181 | Alto das Oliveiras | Telêmaco Borba – PR | Fone (42) 3271-8000
FATEB – Faculdade de ...
Av. Marechal Floriano Peixoto, 1181 | Alto das Oliveiras | Telêmaco Borba – PR | Fone (42) 3271-8000
FATEB – Faculdade de ...
Av. Marechal Floriano Peixoto, 1181 | Alto das Oliveiras | Telêmaco Borba – PR | Fone (42) 3271-8000
FATEB – Faculdade de ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula 1 introdução

106 visualizações

Publicada em

Introdução a física experimental

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
106
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 1 introdução

  1. 1. Av. Marechal Floriano Peixoto, 1181 | Alto das Oliveiras | Telêmaco Borba – PR | Fone (42) 3271-8000 FATEB – Faculdade de Telêmaco Borba Aula 1 1 Introdução A Física é uma ciência cujo objeto de estudo é a Natureza. Assim, ocupa-se das ações fundamentais entre os constituintes elementares da matéria, ou seja, entre os átomos e seus componentes. Particularmente na Mecânica, estuda-se o movimento e suas possíveis causas e origens. Ao estudar um dado fenômeno físico interessa-nos entender como certas propriedades ou grandezas associadas aos corpos participam desse fenômeno. O procedimento adotado nesse estudo e chamado de método científico, e e basicamente composto de 3 etapas: observação, raciocínio (abstração) e experimentação. A primeira etapa e a observação do fenômeno a ser compreendido. Realizam-se experiências para poder repetir a observação e isolar, se necessário, o fenômeno de interesse. Na etapa de abstração, propõe-se um modelo (hipótese) com o propósito de explicar e descrever o fenômeno. Finalmente, esta hipótese sugere novas experiências cujos resultados irão ou não confirmar a hipótese feita; se ela se mostra adequada para explicar um grande número de fatos, constitui- se no que chamamos de uma lei física. Estas leis são quantitativas, ou seja, devem ser expressas por funções matemáticas. Assim, para estabelecermos uma lei física está implícito que devemos avaliar quantitativamente uma ou mais grandezas físicas, e portanto realizar medidas. É importante notar que praticamente todas as teorias físicas conhecidas representam aproximações aplicáveis num certo domínio da experiência. Assim, por exemplo, as leis da mecânica clássica são aplicáveis aos movimentos usuais de objetos macroscópicos, mas deixam de valer em determinadas situações. Por exemplo, quando as velocidades são comparáveis com a da luz, deve-se levar em conta efeitos relativísticos. Jó para objetos em escala atômica, ó necessário empregar a mecânicas quântica. Entretanto, o surgimento de uma nova teoria não inutiliza as teorias precedentes. E por isso que continuamos utilizando a mecânica newtoniana, desde que estejamos em seu domínio de validade. 2 Grandezas Físicas e Padrões de Medida Todas as grandezas físicas podem ser expressas em termos de um pequeno número de unidades fundamentais. Fazer uma medida significa comparar uma quantidade de uma
  2. 2. Av. Marechal Floriano Peixoto, 1181 | Alto das Oliveiras | Telêmaco Borba – PR | Fone (42) 3271-8000 FATEB – Faculdade de Telêmaco Borba dada grandeza, com outra quantidade da mesma grandeza, definida como unidade ou padrão da mesma. Particularmente no estudo da mecânica, tratamos com três dessas grandezas fundamentais: comprimentos, tempo e massa. A escolha de padrões destas grandezas determina o sistema de unidades de todas as grandezas usadas em Mecânica. No sistema usado pela comunidade científica, o Sistema Internacional (SI), temos os seguintes padrões: O sistema acima é muitas vezes também chamado de sistema MKS (m de metro, k de kilograma e s de segundo). Quando dizemos, por exemplo, que um dado comprimento vale 10 m, estamos dizendo que o comprimento em questão corresponde a dez vezes o comprimento da unidade padrão, o metro. As unidades de outras grandezas, como velocidade, energia, forca, torque, são derivadas destas três unidades. Na tabela abaixo estão listadas algumas destas grandezas. Grandeza Dimensão Unidade Forca Trabalho Potencia Velocidade 1kg m/s2 1N. m 1J/s m/s Newton (N) Joule (J) Watt (W) No quadro abaixo também estão listados os prefixos dos múltiplos e submúltiplos mais comuns das grandezas fundamentais, todos na base de potências de 10. Os prefixos podem ser aplicados a qualquer unidade. Assim, 10-3 s e 1milisegundo, ou 1 ms; 106 Watts e 1 megawatt ou 1MW. Grandeza Unidade Comprimento Tempo Massa Metro (m) Segundo (s) Quilograma (kg)
  3. 3. Av. Marechal Floriano Peixoto, 1181 | Alto das Oliveiras | Telêmaco Borba – PR | Fone (42) 3271-8000 FATEB – Faculdade de Telêmaco Borba Prof. Michel de Angelis – Física básica

×