Doença inflamatória intestinal

717 visualizações

Publicada em

Doença inflamatória intestinal, DII, é uma condição que provoca irritação e úlceras no trato gastrointestinal. É um grupo de condições inflamatórias do intestino grosso e, em alguns casos, do intestino delgado.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
717
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Doença inflamatória intestinal

  1. 1. Doença inflamatória intestinal, DII, é uma condição que provoca irritação e úlceras no trato gastrointestinal. É um grupo de condições inflamatórias do intestino grosso e, em alguns casos, do intestino delgado.
  2. 2. As DII mais comuns são colite ulcerativa e doença de Crohn. A anemia causada por deficiência de ferro devida à perda de sangue gastrointestinal e a absorção reduzida de ferro devida à inflamação estão muitas vezes presentes. Também podem ser exacerbadas por uma dieta restritiva.
  3. 3. Nos EUA, estima-se que, atualmente, de 1 a 1,3 milhões de pessoas sofrem de DII. A doença de Crohn e a Retocolite Ulcerativa têm juntas uma incidência de 339 em cada 100.000 adultos. O número é mais elevado na Europa e está aumentando em toda parte.
  4. 4. O tratamento hoje consiste principalmente na administração de ferro não-heme por via oral antes da opção intravenosa, combinada ao tratamento com eritropoietina. Entretanto, a taxa de intolerância para com o ferro não-heme oral é alta, em torno de 25%.
  5. 5. A absorção do ferro heme é várias vezes maior e os efeitos colaterais significativamente menores do que para ferro não-heme oral. O ferro heme é absorvido através de um processo em separado e não tem que ser interrompido quando o tratamento por via intravenosa é iniciado.
  6. 6. Isto pode permitir intervalos maiores entre as injeções caras, inconvenientes e dolorosas. O tratamento intravenoso é geralmente iniciado apenas quando o tratamento não-heme por via oral falha devido a efeitos colaterais. .
  7. 7. Este momento pode ser postergado com a auto-medicação com ferro heme em razão da melhor tolerância. Isto significa, portanto, um ganho significativo na qualidade de vida do paciente, que passa a ter liberdade para viajar, por exemplo
  8. 8. A absorção do ferro heme é várias vezes maior e a taxa de efeitos colaterais significativamente menor quando comparadas às do ferro oral não- heme. O ferro heme é absorvido através de um processo em separado e não tem que ser interrompido quando o tratamento por via intravenosa é iniciado. Isso pode permitir intervalos mais longos entre as injeções caras, inconveniente e dolorosas. O stress oxidativo também é evitado. A administração de ferro heme não precisa ser interrompida durante as injeções ou terapia de EPO, assim como a do ferro oral não-heme.
  9. 9. A empresa sueca Meditec Group AB, em sua divisão Ferrocare, tem o forte compromisso de alcançar pessoas que sofrem de deficiência de ferro e que tem problemas com os suplementos de ferro existentes A deficiência de Ferro é facilmente corrigida usando os produtos da série OptiFer®
  10. 10. Sinta-se à vontade para entrar contato conosco. Estamos à procura de distribuidores internacionais www.meditec.se/FerroCare.html www.hemeiron.com

×