Planejamento Agregado e MPS

2.132 visualizações

Publicada em

Definição de Planejamento Agregado - PA
Objetivo do PA
Dados de entrada
Políticas puras
Método das tabelas e curvas acumuladas
Planejamento desagregado
Programa-mestre da Produção - MPS
Definição
Objetivo
Dados de entrada
Cálculo

Publicada em: Engenharia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.132
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.417
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
58
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Planejamento Agregado e MPS

  1. 1. PLANEJAMENTO AGREGADO E DESAGREGADO DA PRODUÇÃO Prof. Dr. Mauro Enrique Carozzo Todaro 1Saiba mais em https://pcpengenharia.wordpress.com/
  2. 2. ENFOQUE HIERÁRQUICO 2 Planej. Longo Prazo Planej. Médio Prazo Programação Curto Prazo Sistema de Produção Família de Produtos Produtos Operações Anos •Usa pesquisas de mercado, P&D e análise competitiva. •Define estratégia da empresa. •Tamanho, localização, novos produtos e novas máquinas. Empresa PLANEJAMENTO AGREGADO E O SISTEMA DE PCP Meses •Usa previsões de demanda agregada. •Determina recursos de forma agregada. •Objetivos em termos financeiros. Semanas •Usa previsões de demanda desagregada. •Determina recursos e contingências. •Objetivos em termos financeiros e operacionais. Dias •Usa previsões desagregadas ou demanda real. •Faz intervenções nos recursos para corrigir desvios. •Objetivos operacionais.
  3. 3. ADM CAPACIDADEADM OFERTAADM DEMANDA Previsão Agregada Previsão Desagregada Plano Agregado MPS MRP Programação da Montagem Final Plano de Recursos e Capacidade Programação e Controle no chão de fábrica CurtoprazoMédioprazo 3 COMPONENTES DO SISTEMA DE PCP PLANEJAMENTO AGREGADO E O SISTEMA DE PCP
  4. 4. •Planejamento global (todos os produtos/serviços e todos os recursos). •Expressão dos métodos que se utilizarão para absorver as flutuações da demanda. •Atribuição dos recursos de produção (força de trabalho/ritmo de produção/equipamentos) à demanda. Estabelecer a taxa ótima de produção de médio prazo para um produto agregado atendendo a demanda flutuante, com o mínimo custo unitário total. Atualizado periodicamente com horizonte deslizante (Horizonte: 6 a 18 meses) 4 PLANEJAMENTO AGREGADO O QUE É? QUAL O OBJETIVO?
  5. 5. Capacidade em horas por período ou volume por período (Ex: horas máquina por período, unidades por período, barris por período) Agrupam-se todos os produtos similares 5 PLANEJAMENTO AGREGADO EXEMPLO DE AGREGAÇÃO
  6. 6. • Subcontratação; • Horas extra; • Nível do estoque; • Pedidos pendentes. • Estoque/atrasos; • Contrat./Demissões. • H. extras/subcontrat. • Força de trabalho/ritmo de produção; • Instalações e equipamentos. Recursos Previsão de demanda CustosPolíticas 6 PLANEJAMENTO AGREGADO DADOS DE ENTRADA
  7. 7. DEMANDA CAPACIDADE 7 PLANEJAMENTO AGREGADO RELAÇÃO ENTRE DEMANDA E CAPACIDADE
  8. 8. • Tenta-se igualar a taxa de produção à demanda. • Grandes variações na utilização de equipamentos e mão de obra. PERSECUÇÃO • Utilizam-se horas extras para tentar igualar a produção à demanda. • Maiores custos de mão de obra e menor produtividade. MÃO DE OBRA CONSTANTE • Define-se uma taxa de produção constante. • Grandes variações no estoque. NÍVEL CONSTANTE Geralmente, se utiliza alguma combinação das políticas anteriores. 8 PLANEJAMENTO AGREGADO POLÍTICAS PURAS
  9. 9. •Método informal – tentativa e erro. •Comparam-se várias alternativas de produção. •Utiliza aritmética elementar para o cálculo dos custos. •Mais utilizado. 9 PLANEJAMENTO AGREGADO MÉTODO DAS TABELAS E CURVAS ACUMULADAS •Programação linear. •Regra de decisão linear. •Modelos de simulação. MÉTODO MATEMÁTICOS
  10. 10. 1 - Deduzir os requerimentos de produção a partir das previsões de demanda (unidades ou horas padrão de produção equivalente), considerando os possíveis estoques existentes. 2 - Traçar a curva de requerimentos acumulados (RA). 10 MÉTODOS DE PLANEJAMENTO AGREGADO MÉTODO DAS TABELAS E CURVAS ACUMULADAS
  11. 11. Previsão Per. Mensal Acumulada 1 250 250 2 200 450 3 150 600 4 150 750 5 100 850 6 150 1000 7 250 1250 8 350 1600 9 350 1950 10 300 2250 11 250 2500 12 200 2700 11 MÉTODOS DE PLANEJAMENTO AGREGADO MÉTODO DAS TABELAS E CURVAS ACUMULADAS 0 500 1000 1500 2000 2500 3000 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Período Curvas Acumuladas RA
  12. 12. 3 - Determinar a capacidade de produção, considerando os dias disponíveis em cada mês e as alternativas de capacidade. 4 - Traçar as curvas de capacidade acumulada (CA). Todo período em que a curva de RA supere a da CA terá faltante. 12 MÉTODOS DE PLANEJAMENTO AGREGADO MÉTODO DAS TABELAS E CURVAS ACUMULADAS
  13. 13. 13 MÉTODOS DE PLANEJAMENTO AGREGADO MÉTODO DAS TABELAS E CURVAS ACUMULADAS Capacidade Per. Mensal Acumulada 1 300 300 2 300 600 3 300 900 4 300 1200 5 0 1200 6 300 1500 7 300 1800 8 300 2100 9 300 2400 10 300 2700 11 300 3000 12 300 3300 No 5º mês está prevista a manutenção geral da planta. 0 500 1000 1500 2000 2500 3000 3500 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Períodos Curvas Acumuladas CA RA
  14. 14. 5 - Definir planos de produção viáveis considerando diferentes políticas e traçar as curvas de produção acumulada (PA). 6 - Determinar o custo total de cada plano. 7 - Selecionar o melhor plano com base no custo total e outras considerações pertinentes. 14 MÉTODOS DE PLANEJAMENTO AGREGADO MÉTODO DAS TABELAS E CURVAS ACUMULADAS
  15. 15. • Todo plano cuja curva PA não supere a de CA é um plano viável. • Todo plano cuja curva PA esteja por cima da de RA em todos os períodos é um plano sem faltantes. • A diferença entre a curva de PA e a curva de RA é o estoque (ou faltante) acumulado até esse período. 15 MÉTODOS DE PLANEJAMENTO AGREGADO MÉTODO DAS TABELAS E CURVAS ACUMULADAS
  16. 16. Previsão Per. M. A. 1 250 250 2 200 450 3 150 600 4 150 750 5 100 850 6 150 1000 7 250 1250 8 350 1600 9 350 1950 10 300 2250 11 250 2500 12 200 2700 Capacidade M. A. 300 300 300 600 300 900 300 1200 0 1200 300 1500 300 1800 300 2100 300 2400 300 2700 300 3000 300 3300 Produção M. A. 250 250 250 500 250 750 250 1000 0 1000 250 1250 250 1500 250 1750 250 2000 250 2250 250 2500 250 2750 Estoque A. 0 50 150 250 150 250 250 150 50 0 0 50 Custo (milhes de R$) Prod. E. Total 200 0 200 200 5 205 200 15 215 200 25 225 0 15 15 200 25 225 200 25 225 200 15 215 200 5 205 200 0 200 200 0 200 200 5 205 16 MÉTODOS DE PLANEJAMENTO AGREGADO MÉTODO DAS TABELAS E CURVAS ACUMULADAS
  17. 17. Previsão Per. M. A. 1 250 250 2 200 450 3 150 600 4 150 750 5 100 850 6 150 1000 7 250 1250 8 350 1600 9 350 1950 10 300 2250 11 250 2500 12 200 2700 Capacidade M. A. 300 300 300 600 300 900 300 1200 0 1200 300 1500 300 1800 300 2100 300 2400 300 2700 300 3000 300 3300 Produção M. A. 250 250 250 500 250 750 250 1000 0 1000 250 1250 250 1500 250 1750 250 2000 250 2250 250 2500 250 2750 Estoque A. 0 50 150 250 150 250 250 150 50 0 0 50 Custo (milhes de R$) Prod. E. Total 200 0 200 200 5 205 200 15 215 200 25 225 0 15 15 200 25 225 200 25 225 200 15 215 200 5 205 200 0 200 200 0 200 200 5 205 17 MÉTODOS DE PLANEJAMENTO AGREGADO MÉTODO DAS TABELAS E CURVAS ACUMULADAS Custo total do plano R$ 2.335.000 Custo de produção: 800 R$/u Custo de manutenção de estoque: 100 R$/u.mês
  18. 18. 18 MÉTODOS DE PLANEJAMENTO AGREGADO MÉTODO DAS TABELAS E CURVAS ACUMULADAS 0 500 1000 1500 2000 2500 3000 3500 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Períodos Curvas Acumuladas CA RA PA
  19. 19. 19 DESAGREGANDO UM PLANO AGREGADO Para colocar em operação o plano agregado, o produto agregado deve-se decompor em produtos/serviços reais. • Big Tasty • Quarterão • McNífico PLANO DESAGREGADOPLANO AGREGADO
  20. 20. Plano Agregado (Família A) Meses Per. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Total Plano 250 300 300 250 0 100 150 150 200 300 350 350 2700 Plano desagregado por porcentagens históricas Meses Per. % 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Total A1 40 100 120 120 100 0 40 60 60 80 120 140 140 1080 A2 25 63 75 75 63 0 25 38 38 50 75 88 88 675 A3 35 88 105 105 88 0 35 53 53 70 105 123 123 945 100 250 300 300 250 0 100 150 150 200 300 350 350 2700 * Por porcentagens históricas de participação de cada produto final no produto agregado ou por previsão de demanda de cada produto final ajustadas para manter consistência com o plano agregado. 20 DESAGREGANDO UM PLANO AGREGADO EXEMPLO DE DESGREGAÇÃO*
  21. 21. • O plano desagregado indica a quantidade e o momento em que devem estar prontos determinados produtos, mas não apresenta a produção planejada. • Não leva em consideração: estoque disponível, estoque de segurança, tamanho do lote de fabricação, pedidos dos clientes, etc. • Faz-se necessário determinar a Programação-mestre de produção 21 CONSIDERAÇÕES DESAGREGANDO UM PLANO AGREGADO
  22. 22. •É o plano de produção por produtos/serviços reais. •Se expressa em unidades de produto final. •Se obtém por desagregação do plano agregado. •Quando não há plano agregado, se obtém da previsão da demanda dos produtos finais. Determinar as quantidades e momentos em que os produtos finais devem ser produzidos. 22 PROGRAMAÇÃO-MESTRE DA PRODUÇÃO (MPS) O QUE É? QUAL O OBJETIVO? Atualizado periodicamente com horizonte deslizante (horizonte: 6 a 12 semanas).
  23. 23. 23 PROGRAMAÇÃO-MESTRE DA PRODUÇÃO (MPS) MPS Plano desagregado/ Previsão de demanda Estoque Inicial Pedidos de Clientes Estoque de Segurança Tamanho do Lote
  24. 24. Junho Julho 1 2 3 4 5 6 7 8 Previsão 30 30 30 30 40 40 40 40 64 Estoque inicial Pedidos 33 20 10 4 2 Estoque 31 1 41 11 41 1 31 61 MPS 70 70 70 70 ATP 11 56 68 70 70 Available to promise (ATP) – Estoque disponível para promessa (não comprometido) 24 PROGRAMAÇÃO-MESTRE DA PRODUÇÃO (MPS)
  25. 25. PERÍODO 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Congelada AbertaFirme 25 DESAGREGANDO UM PLANO AGREGADO MARCOS TEMPORAIS
  26. 26. 26 REFERÊNCIAS MARTINS, P. G. e LAUGENI, F. P. Capítulo 10: Planejamento agregado. In: Administração da produção. Petrônio Garcia Martins e Fernando P. Laugeni. 2 ed. São Paulo: Saraiva, 2006. MOREIRA, D. A. Capítulo 12: Planejamento agregado. In: Administração da produção e operações. MOREIRA, Daniel Augusto. 2 ed. São Paulo: Cengage Learning, 2011. STEVENSON, W. Capítulo 12: Planejamento agregado. In: Administração das operações de produção. STEVENSON, Willam J. 6 ed. Rio de Janeiro: LTC, 2001.

×