cuidados em_geriatria

212 visualizações

Publicada em

Geriatria

Publicada em: Estilo de vida
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
212
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

cuidados em_geriatria

  1. 1. Cuidados em GeriatriaCuidados em Geriatria
  2. 2. Manter o idoso em formaManter o idoso em forma  Embora a idade traga consigo alterações a nívelEmbora a idade traga consigo alterações a nível físico, o corpo e os órgãos têm maior tendênciafísico, o corpo e os órgãos têm maior tendência para deixar de funcionar se não se mantiverempara deixar de funcionar se não se mantiverem activos.activos.  É por isso que se recomenda a prática diária deÉ por isso que se recomenda a prática diária de exercício físico, mesmo em idades avançadas.exercício físico, mesmo em idades avançadas.
  3. 3. O exercício físico contribui para...O exercício físico contribui para...  Movimentos mais ágeis e rápidos;Movimentos mais ágeis e rápidos;  Evitar acidentes, em resultado de uma mobilidadeEvitar acidentes, em resultado de uma mobilidade acrescida;acrescida;  Prevenir algumas doenças, principalmente as doPrevenir algumas doenças, principalmente as do coração e dos vasos sanguíneos;coração e dos vasos sanguíneos;  Diminuir a perda de cálcio nos ossos;Diminuir a perda de cálcio nos ossos;  Manter a força e a elasticidade dos músculos;Manter a força e a elasticidade dos músculos;  Evitar a obesidade;Evitar a obesidade;  Uma sensação geral de bem-estar.Uma sensação geral de bem-estar.
  4. 4. Quais os exercícios mais indicados?Quais os exercícios mais indicados?  Andar todos os dias.Andar todos os dias. Recomendam-se caminhadas de 30 a 45 minutos, mas aRecomendam-se caminhadas de 30 a 45 minutos, mas a duração e o ritmo da marcha dependem do estadoduração e o ritmo da marcha dependem do estado físico de cada pessoa. O ideal é caminhar ao ar livrefísico de cada pessoa. O ideal é caminhar ao ar livre sobre terrenos macios (relva, praia).sobre terrenos macios (relva, praia).  Exercícios diários.Exercícios diários. De pé ou deitado, são muito úteis quando orientadosDe pé ou deitado, são muito úteis quando orientados por um especialista.por um especialista.
  5. 5. Quais os exercícios mais indicados?Quais os exercícios mais indicados? (cont.)(cont.)  Nadar.Nadar. Se não souber nadar, pode ficar de pé ou sentado, emSe não souber nadar, pode ficar de pé ou sentado, em água pouco profunda, agitando a água com os braços.água pouco profunda, agitando a água com os braços.  Andar de bicicleta.Andar de bicicleta. É uma excelente actividade física, embora exija umaÉ uma excelente actividade física, embora exija uma certa experiência e bom equilíbrio.certa experiência e bom equilíbrio.  Dançar.Dançar. Acessível e agradável, é simultaneamente umaAcessível e agradável, é simultaneamente uma actividade física e lúdica.actividade física e lúdica.
  6. 6. Quais os exercícios mais indicados?Quais os exercícios mais indicados? (cont.)(cont.)  A melhor opção é escolher uma actividade, deA melhor opção é escolher uma actividade, de acordo com as preferências pessoais eacordo com as preferências pessoais e possibilidades, e praticá-la todos os dias,possibilidades, e praticá-la todos os dias, aumentando gradualmente o esforço e a duraçãoaumentando gradualmente o esforço e a duração do exercício.do exercício.  O importante é manter um nível de actividadeO importante é manter um nível de actividade constante.constante.
  7. 7. Apesar de todos os cuidados, podem surgirApesar de todos os cuidados, podem surgir alguns problemas de saúde.alguns problemas de saúde. É importante aprender a lidar com eles.É importante aprender a lidar com eles.
  8. 8. VisãoVisão  À medida que se envelhece, diferentes alterações físicasÀ medida que se envelhece, diferentes alterações físicas podem provocar uma redução da visão.podem provocar uma redução da visão.  Para manter os olhos saudáveis:Para manter os olhos saudáveis:  Fazer exames médicos de rotina para detectar doenças queFazer exames médicos de rotina para detectar doenças que possam vir a afectar também a sua visão como, por exemplo,possam vir a afectar também a sua visão como, por exemplo, a hipertensão e a diabetes;a hipertensão e a diabetes;  Fazer um exame completo aos olhos de dois em dois anos.Fazer um exame completo aos olhos de dois em dois anos.
  9. 9. AudiçãoAudição  As dificuldades de audição devem-se aAs dificuldades de audição devem-se a variadíssimas causas.variadíssimas causas.  Na velhice, surgem, geralmente, de formaNa velhice, surgem, geralmente, de forma gradual e estão associadas a uma deficiência dogradual e estão associadas a uma deficiência do nervo que transmite os estímulos do ouvidonervo que transmite os estímulos do ouvido interno para o cérebro.interno para o cérebro.
  10. 10. Falta de arFalta de ar  Quando nos sentimos bem ou estamos a descansar, não temosQuando nos sentimos bem ou estamos a descansar, não temos consciência do acto de respirar. Quando fazemos exercício suaveconsciência do acto de respirar. Quando fazemos exercício suave ou moderado, tomamos consciência da respiração, mas nãoou moderado, tomamos consciência da respiração, mas não sentimos desconforto.sentimos desconforto.  No entanto, quando fazemos um esforço maior, ficamosNo entanto, quando fazemos um esforço maior, ficamos conscientes da respiração de um modo mais desagradável. Umaconscientes da respiração de um modo mais desagradável. Uma pessoa idosa que não faça exercício com regularidade, podepessoa idosa que não faça exercício com regularidade, pode sentir dificuldade em respirar a seguir a um pequeno esforço.sentir dificuldade em respirar a seguir a um pequeno esforço.  A essa sensação desagradável de dificuldade em respirar dá-se oA essa sensação desagradável de dificuldade em respirar dá-se o nome de falta de ar (não ter ar suficiente ou sensação de asfixia,nome de falta de ar (não ter ar suficiente ou sensação de asfixia, dificuldade em respirar fundo ou, ainda, um aperto no peito).dificuldade em respirar fundo ou, ainda, um aperto no peito).
  11. 11. Falta de ar (cont.)Falta de ar (cont.)  A falta de ar também pode ser sintoma deA falta de ar também pode ser sintoma de doença cardíaca ou pulmonar, particularmente sedoença cardíaca ou pulmonar, particularmente se for sentida quando se está em repouso, ao sentarfor sentida quando se está em repouso, ao sentar ou levantar, ou quando acorda a meio da noite.ou levantar, ou quando acorda a meio da noite.  A falta de ar pode ter uma causa bem definida.A falta de ar pode ter uma causa bem definida. Consultar um médico, pois ele pode ajudar comConsultar um médico, pois ele pode ajudar com medicamentos e outros tratamentos.medicamentos e outros tratamentos.
  12. 12. VertigemVertigem  A vertigem é a sensação de que o nosso corpo, ou aquilo que nosA vertigem é a sensação de que o nosso corpo, ou aquilo que nos rodeia, está a andar à volta. Pode ser acompanhada de náuseas,rodeia, está a andar à volta. Pode ser acompanhada de náuseas, vómitos e, por vezes, originar quedas.vómitos e, por vezes, originar quedas.  As vertigens podem ter várias causas, mas estão associadas, naAs vertigens podem ter várias causas, mas estão associadas, na maior parte das vezes, a doenças do ouvido interno,maior parte das vezes, a doenças do ouvido interno, principalmente em pessoas com problemas de audição.principalmente em pessoas com problemas de audição.  Quando ocorrerem, o idoso pode ter dificuldade em manter-seQuando ocorrerem, o idoso pode ter dificuldade em manter-se de pé. Nesse caso, deve-se deitar em posição confortável.de pé. Nesse caso, deve-se deitar em posição confortável. Consultar o médico se o sintoma for muito intenso e persistente.Consultar o médico se o sintoma for muito intenso e persistente.
  13. 13. OsteoporoseOsteoporose  A osteoporose é uma doença caracterizada pela reduçãoA osteoporose é uma doença caracterizada pela redução acentuada da densidade óssea.acentuada da densidade óssea.  Os ossos tornam-se mais frágeis e fracturam-se naOs ossos tornam-se mais frágeis e fracturam-se na sequência de quedas e traumatismos de poucasequência de quedas e traumatismos de pouca importância.importância.  Desenvolve-se lentamente. Durante vários anosDesenvolve-se lentamente. Durante vários anos progride sem provocar queixas nem apresentarprogride sem provocar queixas nem apresentar sintomas.sintomas.
  14. 14. Osteoporose (cont.)Osteoporose (cont.)  As fracturas mais frequentes na pessoa comAs fracturas mais frequentes na pessoa com osteoporose são as do fémur e as dos ossos do punho.osteoporose são as do fémur e as dos ossos do punho.  A osteoporose é mais acentuada nas mulheres, porA osteoporose é mais acentuada nas mulheres, por causa da menopausa.causa da menopausa.  É, também, acelerada pela falta de exercício físico,É, também, acelerada pela falta de exercício físico, excessiva permanência na cama, imobilização,excessiva permanência na cama, imobilização, tabagismo e consumo excessivo de álcool.tabagismo e consumo excessivo de álcool.
  15. 15. Osteoporose (cont.)Osteoporose (cont.)  A osteoporose pode ser prevenida – ou peloA osteoporose pode ser prevenida – ou pelo menos retardada – com uma dieta rica em cálcio,menos retardada – com uma dieta rica em cálcio, especialmente à base de leite e produtos lácteos,especialmente à base de leite e produtos lácteos, legumes de folha verde (espinafres e brócolos) elegumes de folha verde (espinafres e brócolos) e peixe com espinhas (sardinhas).peixe com espinhas (sardinhas).  As pessoas idosas precisam de uma dose diáriaAs pessoas idosas precisam de uma dose diária de cálcio de 800 miligramas.de cálcio de 800 miligramas.
  16. 16. IncontinênciaIncontinência  A incontinência é a incapacidade de reter a urina.A incontinência é a incapacidade de reter a urina. Não é uma doença, mas pode ser sintoma deNão é uma doença, mas pode ser sintoma de uma enfermidade que deve ser identificada euma enfermidade que deve ser identificada e tratada.tratada.  A incontinência não é provocada pela velhice,A incontinência não é provocada pela velhice, mas sim por uma doença subjacente ou por ummas sim por uma doença subjacente ou por um medicamento que está a tomar.medicamento que está a tomar.
  17. 17. Incontinência (cont.)Incontinência (cont.)  Há dois tipos de incontinência:Há dois tipos de incontinência:  Incontinência agudaIncontinência aguda: transitória, pode ser secundária a uma: transitória, pode ser secundária a uma doença (especialmente se a doença se acompanha dedoença (especialmente se a doença se acompanha de confusão mental e febre alta) e dever-se ao facto da pessoaconfusão mental e febre alta) e dever-se ao facto da pessoa estar acamada ou resultar de uma infecção urinária. Este tipoestar acamada ou resultar de uma infecção urinária. Este tipo de incontinência desaparece quando a causa subjacente éde incontinência desaparece quando a causa subjacente é tratada.tratada.  Incontinência crónicaIncontinência crónica: persistente e que pode assumir: persistente e que pode assumir quatro formas.quatro formas.
  18. 18. Incontinência CrónicaIncontinência Crónica  Incontinência de esforçoIncontinência de esforço - perda de pequenas quantidades- perda de pequenas quantidades de urina com a tosse, o riso, o espirro ou durante o exercício.de urina com a tosse, o riso, o espirro ou durante o exercício. É mais frequente nas mulheres e deve-se à pressão exercidaÉ mais frequente nas mulheres e deve-se à pressão exercida sobre a bexiga);sobre a bexiga);  Incontinência-urgênciaIncontinência-urgência - consiste na perda de grandes- consiste na perda de grandes quantidades de urina e resulta da incapacidade de evitar aquantidades de urina e resulta da incapacidade de evitar a contracção da bexiga;contracção da bexiga;  Incontinência por excessoIncontinência por excesso - resulta da pressão exercida- resulta da pressão exercida sobre uma bexiga demasiado cheia (por exemplo, devido asobre uma bexiga demasiado cheia (por exemplo, devido a uma próstata aumentada);uma próstata aumentada);  Incontinência funcionalIncontinência funcional - resulta de um atraso na chegada a- resulta de um atraso na chegada a tempo à casa de banho, devido a problemas de mobilidade,tempo à casa de banho, devido a problemas de mobilidade, inconveniente localização ou má adequação das instalaçõesinconveniente localização ou má adequação das instalações sanitárias.sanitárias.
  19. 19. Outras doenças tipicamenteOutras doenças tipicamente geriátricasgeriátricas  Úlceras por pressãoÚlceras por pressão - úlceras da pele devido a uma pressão prolongada;- úlceras da pele devido a uma pressão prolongada;  Hiperplasia prostática benignaHiperplasia prostática benigna - consiste no aumento do volume da- consiste no aumento do volume da próstata que obstrui o fluxo de urina;próstata que obstrui o fluxo de urina;  Leucemia linfática crónicaLeucemia linfática crónica;;  Gamapatias monoclonaisGamapatias monoclonais - trata-se de um grupo de doenças caracterizado- trata-se de um grupo de doenças caracterizado pela proliferação de um tipo específico de células que produzem grandespela proliferação de um tipo específico de células que produzem grandes quantidades de imunoglobulina;quantidades de imunoglobulina;  Herpes zosterHerpes zoster - é uma recidiva do vírus latente da varicela. Causa uma- é uma recidiva do vírus latente da varicela. Causa uma erupção na pele e pode provocar dor durante muito tempo;erupção na pele e pode provocar dor durante muito tempo;  IctoIcto - é a obstrução ou ruptura de um vaso sanguíneo do cérebro. Provoca- é a obstrução ou ruptura de um vaso sanguíneo do cérebro. Provoca falta de forças, perda da sensibilidade, dificuldade em falar e outros problemasfalta de forças, perda da sensibilidade, dificuldade em falar e outros problemas neurológicos.neurológicos.
  20. 20. Prevenir acidentes domésticos e nosPrevenir acidentes domésticos e nos espaços circundantes com idososespaços circundantes com idosos  Os acidentes com idosos sucedem-se tambémOs acidentes com idosos sucedem-se também em alojamentos colectivos (casas de repouso,em alojamentos colectivos (casas de repouso, lares e outras instituições de acolhimento), nolares e outras instituições de acolhimento), no ambiente circundante ou por escorregamento naambiente circundante ou por escorregamento na rua.rua.
  21. 21. Prevenir acidentes:Prevenir acidentes:  Praticar exercício físico com regularidade, de modo a melhorar aPraticar exercício físico com regularidade, de modo a melhorar a a forma física.a forma física.  Fazer uma alimentação equilibrada.Fazer uma alimentação equilibrada.  Ser cuidadoso, de modo a não cometer erros na dosagem dosSer cuidadoso, de modo a não cometer erros na dosagem dos medicamentos que está a tomar.medicamentos que está a tomar.  Não beber álcool em excesso.Não beber álcool em excesso.  Usar sapatos bem ajustados, com solas antiderrapantes (deUsar sapatos bem ajustados, com solas antiderrapantes (de preferência com ranhuras). Evitar usar solas de cabedal epreferência com ranhuras). Evitar usar solas de cabedal e protectores de metal. Os sapatos devem ter saltos largos,protectores de metal. Os sapatos devem ter saltos largos, calcanhares reforçados e presilhas ou atacadores, de modo acalcanhares reforçados e presilhas ou atacadores, de modo a evitar que os pés se movimentem dentro dos sapatos. Evite usarevitar que os pés se movimentem dentro dos sapatos. Evite usar chinelos.chinelos.  Não usar camisas de noite ou roupões compridosNão usar camisas de noite ou roupões compridos
  22. 22. Prevenir acidentes:Prevenir acidentes:  Dispor os móveis da casa de maneira sensata. Deixando espaçoDispor os móveis da casa de maneira sensata. Deixando espaço para poder andar de um lado para o outro sem encontrarpara poder andar de um lado para o outro sem encontrar obstáculos.obstáculos.  Não andar sobre pavimentos escorregadios (molhados ouNão andar sobre pavimentos escorregadios (molhados ou encerados); os tapetes devem cobrir todo o chão de uma paredeencerados); os tapetes devem cobrir todo o chão de uma parede à outra ou possuírem forro antiderrapante.à outra ou possuírem forro antiderrapante.  A mobília não deve ter rodas e a cama e as cadeiras não devemA mobília não deve ter rodas e a cama e as cadeiras não devem ser demasiado baixas ou altas.ser demasiado baixas ou altas.  Colocar barras de apoio na banheira, no chuveiro e ao lado daColocar barras de apoio na banheira, no chuveiro e ao lado da sanita.sanita.  Utilizar tapetes de borracha antiderrapantes no chuveiro e naUtilizar tapetes de borracha antiderrapantes no chuveiro e na banheira.banheira.
  23. 23. Prevenir acidentes:Prevenir acidentes:  Iluminar convenientemente toda a casa - quarto,Iluminar convenientemente toda a casa - quarto, corredor, sala, cozinha e casa de banho.corredor, sala, cozinha e casa de banho.  As escadas devem ter boa iluminação, corrimãosAs escadas devem ter boa iluminação, corrimãos seguros e degraus antiderrapantes.seguros e degraus antiderrapantes.  Não colocar no chão pequenos tapetes.Não colocar no chão pequenos tapetes.  Não deixar gavetas abertas.Não deixar gavetas abertas.  Não deixar fios eléctricos ou do telefone no chão. Fixe-os àsNão deixar fios eléctricos ou do telefone no chão. Fixe-os às paredes.paredes.  Manter todos os utensílios eléctricos em boas condições deManter todos os utensílios eléctricos em boas condições de funcionamento e a salvo de salpicos de água.funcionamento e a salvo de salpicos de água.  O aquecimento deve ter boa ventilação e devem ser usadas redesO aquecimento deve ter boa ventilação e devem ser usadas redes de protecção nas lareiras.de protecção nas lareiras.
  24. 24. Prevenir acidentes:Prevenir acidentes:  O relvado, o jardim, o pátio, as passagens paraO relvado, o jardim, o pátio, as passagens para carros e passeios devem estar desimpedidas, semcarros e passeios devem estar desimpedidas, sem buracos, fendas ou outras irregularidades.buracos, fendas ou outras irregularidades.  Procurar que o idoso não esteja sozinho.Procurar que o idoso não esteja sozinho.

×