SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Baixar para ler offline
*
Um homem chamado policarpo
Tudo começa no Rio de Janeiro.                 Quaresma, conhecido como
                                               major, vivia com sua irmã.




          Ele idealizava muitas coisas. Algo poderia ate ser visto
           como loucura perante os outros. Policarpo tinha um
          grande desejo em aprender tocar violão, com canções
                 em tupi, e mudar a realidade existente.




      Tudo acontece a partir             Acompanhe as cenas
              disso.                     do próximo capítulo
_Policarpo: Maria cheguei. Hoje
      teremos convidados para a
              sobremesa.




_Maria: não acredito policarpo, que aquele morta fome do fabrico irá vir só para
                   sobremesa. Aquele seresteiro de esquina.




 _Policarpo: Maria não diga assim. Ele é um bom moço. Estou com planos de criar
                                 canções em tupi.
_Maria:Você deve estar ficando louco,Policarpo,o
            tupi não se utiliza mais.




_Mulher é por isso,que este mundo está assim.Se
as pessoas preservassem a nossa cultura,o mundo
não estaria do jeito que está.Cada dia surge uma
 nova língua,um novo costumo e não se há mais
            respeito entre as pessoas.
_Policarpo cheguei.A
                               sobremesa está pronta?e vc
                               já está com seu violão?Mas
                               antes trago esta rosa,e uma
                               linda canção para sua irmã.




  _Maria:Mas você é muito
    atrevido mesmo.ande
homem,sente,que após lavar a
  roupa sirvo a sobremesa.
_Policarpo:Já estou
                                    pronto,podemos começar.Quero
                                      ser o maior seresteiro,com
                                    minhas lindas,canções em tupi.




_Fabrício:Policarpo você não pode idealizar
                    isso.




 _Policarpo:Posso sim,e vou inclusive até falar com o Floriano Peixoto,nosso
           presidente,para colocar em vigor,como a nosso idioma.
No dia seguinte,o major
  policarpo,decide ir até o               Mas para sua grande surpresa,e
gabinete do presidente,para              decepção nada sai como esperado.
      expor suas idéias.


                                                _Floriano.você estar louco
                                                  major.Você,vai para o
     Policarpo no gabinete do
                                              hospício,com suas idealizações
            presidente.
                                                         malucas.




 _policarpo:senhor os motivos que me
 trazem aqui,é que desejo que nosso
costumes antigos sejam valorizados,e
  seguidos por todos.que o forró seja
abolido,que se volte os instrumentos o
         :maracá,inúbia.......
Policarpo sendo levado ao hospício.




     Com todos os acontecimentos
existentes,todos os amigos de policarpo
      ficaram muito triste,porém
perceberam,que esse era o melhor pra
                  ele.




Passado algum tempo,Fabrício tira policarpo do hospício.E ele casa-se com a
                           irmã de policarpo.
Policarpo ao sair do hospício
                                       Ao ver uma noticia no jornal da cidade
  compra um pedaço de terra,e
                                        descobre que Floriano está sofrendo
passa a fazer o cultivo de arroz e
                                          um atentado,e decide lutar,pela
feijão.tudo está indo muito bem
                                                      pátria.
até que ele recebe um chamado.




    Policarpo vai para o seu primeiro
combate,lutando pela ordem e o progresso.




 A primeira guerra,tudo ocorre muito bem.Floriano se destaca,porém as coisas
ainda não ficaram resolvidas.tendo a segunda,ele é convocado para liderar,mas
                  as coisas não acontecem como o planejado.
A segunda batalha ele perde.E há uma
grande injustiça.As pessoas do governo
pensam que Floriano lhe traiu,e manda
              executá-lo
* CONCLUSÃO:

* Policarpo quaresma foi uma grande obre de
 Lima Barreto.Este personagem ficou marcado
 na historia.Um homem que idealiza um mundo
 diferente.
* Suas idealizações eram tantas,mas ao mesmo
 tempo não serviu de nada.tendo ele um
 desfecho trágico.e nenhum de seus sonhos
 realizados.



* OBRIGAGADA PELA ATENÇÃO.
* PERGUNTAS?                          FIM!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Frei caneca e entorno
Frei caneca e entornoFrei caneca e entorno
Frei caneca e entorno
 
Somnus bos algumas-pgs
Somnus bos algumas-pgsSomnus bos algumas-pgs
Somnus bos algumas-pgs
 
Uma história de carnaval
Uma história de carnavalUma história de carnaval
Uma história de carnaval
 
Aula de Língua Portuguesa
Aula de Língua PortuguesaAula de Língua Portuguesa
Aula de Língua Portuguesa
 
Marchinhas de carnaval letras
Marchinhas de carnaval letrasMarchinhas de carnaval letras
Marchinhas de carnaval letras
 
Miseria (Fin)
Miseria (Fin)Miseria (Fin)
Miseria (Fin)
 
C. pascoal
C. pascoalC. pascoal
C. pascoal
 
Breillerson - Revista Placar
Breillerson - Revista PlacarBreillerson - Revista Placar
Breillerson - Revista Placar
 
Carnaval letras pernambuco
Carnaval letras pernambucoCarnaval letras pernambuco
Carnaval letras pernambuco
 
Fichas De Poesia
Fichas De PoesiaFichas De Poesia
Fichas De Poesia
 
Os hamsters
Os hamstersOs hamsters
Os hamsters
 
Feijoada moda
Feijoada modaFeijoada moda
Feijoada moda
 
Nova versão da famosa parábola da formiga e a cigarra
Nova versão da famosa parábola da formiga e a cigarraNova versão da famosa parábola da formiga e a cigarra
Nova versão da famosa parábola da formiga e a cigarra
 
Trabalho de ayla.
Trabalho de ayla.Trabalho de ayla.
Trabalho de ayla.
 
Enredo
EnredoEnredo
Enredo
 
PITEC DA ROSIMEIRE
PITEC DA ROSIMEIREPITEC DA ROSIMEIRE
PITEC DA ROSIMEIRE
 
O velho, o menino e o burro livro virtual
O velho, o menino e o burro   livro virtualO velho, o menino e o burro   livro virtual
O velho, o menino e o burro livro virtual
 
Artur azevedo mal por mal
Artur azevedo   mal por malArtur azevedo   mal por mal
Artur azevedo mal por mal
 
The Little Prince
The Little PrinceThe Little Prince
The Little Prince
 
NãO Leia
NãO LeiaNãO Leia
NãO Leia
 

Destaque

Triste Fim de Policarpo Quaresma - 3ª A - 2011
Triste Fim de Policarpo Quaresma - 3ª A - 2011Triste Fim de Policarpo Quaresma - 3ª A - 2011
Triste Fim de Policarpo Quaresma - 3ª A - 2011Daniel Leitão
 
O Triste Fim De Policarpo Quaresma - Lima Barreto
O Triste Fim De Policarpo Quaresma -  Lima BarretoO Triste Fim De Policarpo Quaresma -  Lima Barreto
O Triste Fim De Policarpo Quaresma - Lima BarretoFabio Lemes
 
O Triste Fim de Policarpo Quaresma
O Triste Fim de Policarpo QuaresmaO Triste Fim de Policarpo Quaresma
O Triste Fim de Policarpo QuaresmaSuelen Alves
 
Triste fim de policarpo completo (1)
Triste fim de policarpo  completo (1)Triste fim de policarpo  completo (1)
Triste fim de policarpo completo (1)Marcela Rodrigues
 
O triste fim de Policarpo Quaresma- contextualização com o pré-modernismo
O triste fim de Policarpo Quaresma- contextualização com o pré-modernismoO triste fim de Policarpo Quaresma- contextualização com o pré-modernismo
O triste fim de Policarpo Quaresma- contextualização com o pré-modernismoMirelle Ferreira
 
Triste Fim de Policarpo Quaresma
Triste Fim de Policarpo QuaresmaTriste Fim de Policarpo Quaresma
Triste Fim de Policarpo QuaresmaDaniel Leitão
 
Triste fim de policarpo quaresma
Triste fim de policarpo quaresmaTriste fim de policarpo quaresma
Triste fim de policarpo quaresmaEvandro Moraes
 
Questões sobre triste fim de policarpo quaresma
Questões sobre triste fim de policarpo quaresmaQuestões sobre triste fim de policarpo quaresma
Questões sobre triste fim de policarpo quaresmama.no.el.ne.ves
 

Destaque (11)

Triste Fim de Policarpo Quaresma - 3ª A - 2011
Triste Fim de Policarpo Quaresma - 3ª A - 2011Triste Fim de Policarpo Quaresma - 3ª A - 2011
Triste Fim de Policarpo Quaresma - 3ª A - 2011
 
O Triste Fim De Policarpo Quaresma - Lima Barreto
O Triste Fim De Policarpo Quaresma -  Lima BarretoO Triste Fim De Policarpo Quaresma -  Lima Barreto
O Triste Fim De Policarpo Quaresma - Lima Barreto
 
O Triste Fim de Policarpo Quaresma
O Triste Fim de Policarpo QuaresmaO Triste Fim de Policarpo Quaresma
O Triste Fim de Policarpo Quaresma
 
Triste fim de policarpo completo (1)
Triste fim de policarpo  completo (1)Triste fim de policarpo  completo (1)
Triste fim de policarpo completo (1)
 
Triste fim de Policarpo Quaresma 3º A - 2015
Triste fim de Policarpo Quaresma 3º A -  2015Triste fim de Policarpo Quaresma 3º A -  2015
Triste fim de Policarpo Quaresma 3º A - 2015
 
Triste Fim de Policarpo Quaresma - 3ª D - 2011
Triste Fim de Policarpo Quaresma - 3ª D - 2011Triste Fim de Policarpo Quaresma - 3ª D - 2011
Triste Fim de Policarpo Quaresma - 3ª D - 2011
 
O triste fim de Policarpo Quaresma- contextualização com o pré-modernismo
O triste fim de Policarpo Quaresma- contextualização com o pré-modernismoO triste fim de Policarpo Quaresma- contextualização com o pré-modernismo
O triste fim de Policarpo Quaresma- contextualização com o pré-modernismo
 
Triste fim exercícios
Triste fim exercíciosTriste fim exercícios
Triste fim exercícios
 
Triste Fim de Policarpo Quaresma
Triste Fim de Policarpo QuaresmaTriste Fim de Policarpo Quaresma
Triste Fim de Policarpo Quaresma
 
Triste fim de policarpo quaresma
Triste fim de policarpo quaresmaTriste fim de policarpo quaresma
Triste fim de policarpo quaresma
 
Questões sobre triste fim de policarpo quaresma
Questões sobre triste fim de policarpo quaresmaQuestões sobre triste fim de policarpo quaresma
Questões sobre triste fim de policarpo quaresma
 

Semelhante a Policarpo: um sonhador à frente de seu tempo

Semelhante a Policarpo: um sonhador à frente de seu tempo (13)

CURSO - OFICINA DE TEXTOS.ppt
CURSO - OFICINA DE TEXTOS.pptCURSO - OFICINA DE TEXTOS.ppt
CURSO - OFICINA DE TEXTOS.ppt
 
Doce balanço capítulos 57 & 58
Doce balanço   capítulos  57 & 58Doce balanço   capítulos  57 & 58
Doce balanço capítulos 57 & 58
 
Lendas e causos
Lendas e causosLendas e causos
Lendas e causos
 
Material AVULSO (MÓDULO V)
Material AVULSO  (MÓDULO V)Material AVULSO  (MÓDULO V)
Material AVULSO (MÓDULO V)
 
Sexto c 2017
Sexto c 2017Sexto c 2017
Sexto c 2017
 
Lendas e causos
Lendas e causosLendas e causos
Lendas e causos
 
ROTEIROS
ROTEIROS ROTEIROS
ROTEIROS
 
Oficinas de escrita
Oficinas de escritaOficinas de escrita
Oficinas de escrita
 
Modulo 2015.2 revisado
Modulo 2015.2 revisadoModulo 2015.2 revisado
Modulo 2015.2 revisado
 
Todos tem queler isso
Todos tem queler issoTodos tem queler isso
Todos tem queler isso
 
Todos Tem Que Ler Isto!
Todos Tem Que Ler Isto!Todos Tem Que Ler Isto!
Todos Tem Que Ler Isto!
 
Alerta sobre abuso
Alerta sobre abusoAlerta sobre abuso
Alerta sobre abuso
 
Livro ecos no porão
Livro ecos no porãoLivro ecos no porão
Livro ecos no porão
 

Mais de Milena Rebouças

Mais de Milena Rebouças (14)

Biologia desmatamento
Biologia desmatamentoBiologia desmatamento
Biologia desmatamento
 
Postura profissional
Postura profissionalPostura profissional
Postura profissional
 
Sindromedown
SindromedownSindromedown
Sindromedown
 
Linguagem c
Linguagem cLinguagem c
Linguagem c
 
Juscelino Kubitschek plano de metas
Juscelino Kubitschek plano de metasJuscelino Kubitschek plano de metas
Juscelino Kubitschek plano de metas
 
Monteiro lobato
Monteiro lobato Monteiro lobato
Monteiro lobato
 
Monteiro lobato
Monteiro lobato Monteiro lobato
Monteiro lobato
 
Software livre
Software livre Software livre
Software livre
 
S2 b desenvolvimento de sistemas [reparado]
S2 b   desenvolvimento de sistemas [reparado]S2 b   desenvolvimento de sistemas [reparado]
S2 b desenvolvimento de sistemas [reparado]
 
ORGÃO QUE TRABALHAM COM DEFICIENTES
ORGÃO QUE TRABALHAM COM DEFICIENTESORGÃO QUE TRABALHAM COM DEFICIENTES
ORGÃO QUE TRABALHAM COM DEFICIENTES
 
dia das bruxas
dia das bruxasdia das bruxas
dia das bruxas
 
Apresentaçaõ de redes atual
Apresentaçaõ de redes atualApresentaçaõ de redes atual
Apresentaçaõ de redes atual
 
Android
AndroidAndroid
Android
 
Capitalismo comercial
Capitalismo comercialCapitalismo comercial
Capitalismo comercial
 

Último

Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzAlexandrePereira818171
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimWashingtonSampaio5
 

Último (20)

Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
 

Policarpo: um sonhador à frente de seu tempo

  • 1. *
  • 2.
  • 3. Um homem chamado policarpo Tudo começa no Rio de Janeiro. Quaresma, conhecido como major, vivia com sua irmã. Ele idealizava muitas coisas. Algo poderia ate ser visto como loucura perante os outros. Policarpo tinha um grande desejo em aprender tocar violão, com canções em tupi, e mudar a realidade existente. Tudo acontece a partir Acompanhe as cenas disso. do próximo capítulo
  • 4. _Policarpo: Maria cheguei. Hoje teremos convidados para a sobremesa. _Maria: não acredito policarpo, que aquele morta fome do fabrico irá vir só para sobremesa. Aquele seresteiro de esquina. _Policarpo: Maria não diga assim. Ele é um bom moço. Estou com planos de criar canções em tupi.
  • 5. _Maria:Você deve estar ficando louco,Policarpo,o tupi não se utiliza mais. _Mulher é por isso,que este mundo está assim.Se as pessoas preservassem a nossa cultura,o mundo não estaria do jeito que está.Cada dia surge uma nova língua,um novo costumo e não se há mais respeito entre as pessoas.
  • 6. _Policarpo cheguei.A sobremesa está pronta?e vc já está com seu violão?Mas antes trago esta rosa,e uma linda canção para sua irmã. _Maria:Mas você é muito atrevido mesmo.ande homem,sente,que após lavar a roupa sirvo a sobremesa.
  • 7. _Policarpo:Já estou pronto,podemos começar.Quero ser o maior seresteiro,com minhas lindas,canções em tupi. _Fabrício:Policarpo você não pode idealizar isso. _Policarpo:Posso sim,e vou inclusive até falar com o Floriano Peixoto,nosso presidente,para colocar em vigor,como a nosso idioma.
  • 8. No dia seguinte,o major policarpo,decide ir até o Mas para sua grande surpresa,e gabinete do presidente,para decepção nada sai como esperado. expor suas idéias. _Floriano.você estar louco major.Você,vai para o Policarpo no gabinete do hospício,com suas idealizações presidente. malucas. _policarpo:senhor os motivos que me trazem aqui,é que desejo que nosso costumes antigos sejam valorizados,e seguidos por todos.que o forró seja abolido,que se volte os instrumentos o :maracá,inúbia.......
  • 9. Policarpo sendo levado ao hospício. Com todos os acontecimentos existentes,todos os amigos de policarpo ficaram muito triste,porém perceberam,que esse era o melhor pra ele. Passado algum tempo,Fabrício tira policarpo do hospício.E ele casa-se com a irmã de policarpo.
  • 10. Policarpo ao sair do hospício Ao ver uma noticia no jornal da cidade compra um pedaço de terra,e descobre que Floriano está sofrendo passa a fazer o cultivo de arroz e um atentado,e decide lutar,pela feijão.tudo está indo muito bem pátria. até que ele recebe um chamado. Policarpo vai para o seu primeiro combate,lutando pela ordem e o progresso. A primeira guerra,tudo ocorre muito bem.Floriano se destaca,porém as coisas ainda não ficaram resolvidas.tendo a segunda,ele é convocado para liderar,mas as coisas não acontecem como o planejado.
  • 11. A segunda batalha ele perde.E há uma grande injustiça.As pessoas do governo pensam que Floriano lhe traiu,e manda executá-lo
  • 12. * CONCLUSÃO: * Policarpo quaresma foi uma grande obre de Lima Barreto.Este personagem ficou marcado na historia.Um homem que idealiza um mundo diferente. * Suas idealizações eram tantas,mas ao mesmo tempo não serviu de nada.tendo ele um desfecho trágico.e nenhum de seus sonhos realizados. * OBRIGAGADA PELA ATENÇÃO. * PERGUNTAS? FIM!