Gêneros presencial 1 dia

620 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
620
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gêneros presencial 1 dia

  1. 1. A Concepção de Gêneros e TipologiaTextual
  2. 2. Tudo se reduz ao diálogo, à contraposiçãodialógica enquanto centro.Tudo é meio, o diálogo é o fim.Uma só voz nada termina, nada resolve.Duas vozes são o mínimo de vida.(Mikhail Bakhtin).
  3. 3. “Por muito tempo, esses três tipos de texto reinaram absolutos naspropostas de escrita. Consenso entre professores, essa maneira de ensinara escrever foi uma das principais responsáveis pela falta de proficiênciaentre os estudantes.”fonte nova escola - fevereiro/2009
  4. 4. 4O QUE É UM GÊNERO?GÊNERO = TIPO DE TEXTO?PARA INICIAR A REFLEXÃODUAS PERGUNTAS FUNDAMENTAIS
  5. 5. O que são gêneros???Qual das figuras abaixo representa melhor o que sãogêneros? Justifique.
  6. 6. Leia a definição de nebulosa e faça umparalelo com o gênero Nebulosa: falta de nitidez ouclareza; confusão, nebulosidadehttp://michaelis.uol.com.br
  7. 7. Qual dessas atividades você fez hoje?
  8. 8. No nosso dia a dia, à medida que nos comunicamos, fazemos uso degêneros, pois tudo o que falamos e escrevemos, todos os nossosdiscursos têm a forma de textos que materializam, concretizamgêneros diversos.Basta sairmos de casa, encontrar um vizinho e cumprimentá-lo, paraestarmos engajados em uma interação que constitui o gênero"cumprimento". Em seguida, quando buscamos informações sobre oitinerário de um ônibus, estamos, novamente, envolvidos com umgênero (cartaz), que informa e instrui.Enfim, se pararmos para pensar, os gêneros estão, o tempo todo,modelando nossas práticas comunicativas.
  9. 9. O Ensino de gêneros nas escolas ...“passou a ecoar com mais força nosprogramas e propostas curriculares oficiaisbrasileiras a partir de 1997/1998, com suaincorporação nos PCNs de línguaportuguesa”.Rojo (2004, p. 11)
  10. 10. O conceito de gênero não é novidade no campo dos estudos dalinguagem. Na verdade, remonta, no mínimo, à antiguidadeclássica, com a distinção de três gêneros proposta porAristóteles no Livro I da Retórica:• lírico -> poemas• épico -> narrativas• dramático -> teatro
  11. 11. A partir deste texto seminal de Aristóteles, a distinção de gênerosatravessa a história dos estudos da linguagem, relacionada,sobretudo, com o ensino de disciplinas como Retórica, Literatura,Filosofia e Filologia, chegando a impactar até hoje disciplinasrelacionadas ao ensino de língua(s), como a Linguística Aplicada e aLinguística.No campo dos estudos linguísticos, semióticos e gramaticais, o estudodos gêneros de discurso ou textuais é mais recente, tendo acontecidoprincipalmente a partir da década de sessenta do século XX, com oauge do estruturalismo, por um lado, e dos avanços teóricos daGramática de Texto e da Linguística Textual na década de setenta,por outro
  12. 12. Mikhail Mikhailovich Bakhtin (1895-1975) foi um filósofo russo eestudioso da linguagemNascido em Orel, localidade a sul de Moscovo, de família aristocráticaem decadência, cresceu entre Vínius e Odessa, cidades fronteiriças comgrande variedade de línguas e culturas. Mais tarde, estudou Filosofia eLetras na Universidade de São Petersburgo, abordando emprofundidade a formação em filosofia alemã.Um dos primeiros ateorizar sobre oconceito de gêneros
  13. 13. Uma das formulações mais conhecidas é ade Mikhail Bakhtin (e todos os outrosautores partem dessa formulação), quedefine os gêneros do discurso como tiposrelativamente estáveis de enunciadosque emergem, que são produzidos eque circulam em uma determinadaesfera ou campo de atividades.
  14. 14. Bakhtin na sua obra Estética da criação verbal(2003[1952-53/1979], p. 262) afirma:“cada campo de utilização da língua elaboraseus tipos relativamenteestáveis de enunciados, os quaisdenominamos gêneros do discurso”.
  15. 15. Esferas de atividade humana????
  16. 16. Na esfera de ação jurídica circulam textos como:petição, sentença, acordão, despacho, etc.Na esfera de ação religiosa, há a oração, a fórmulasacramental, o sermão e assim por diante
  17. 17. 17POLÍTICAescolarcientíficaartísticacotidianajornalísticapublicitária
  18. 18. Esferas de circulação de discursos naescolaPublicitáriaAnúnciosCampanhas...PolíticaLeisDiscursos...ArtísticaMúsicasPinturasPoemasContos...CotidianaCartasEmailsBlogsDiscussões...CientíficaArtigosVerbetesDefinições...JornalísticaNotíciasArtigosEditoriais...EscolarInstruçõesQuestõesExplicações...
  19. 19. GÊNEROS DO DISCURSO NA VIDA“...cada esfera de utilização da línguaelabora seus tipos relativamenteestáveis de enunciados, sendo isso quedenominamos gêneros do discurso.”(p. 279)
  20. 20. Atividade:Pensando nas Esferas Sociais apresentadas, procurelembrar-se de gêneros textuais presentes em cada umadelas. Em seguida compartilhe suas conclusões.a) Imprensab) Produção e Consumoc) Publicidaded) Políticae) Jurídicaf) Literaturag) Ciência
  21. 21. KátiaLombaBräkling(2008)21notícia (de jornal impresso, on line, deTV, de rádio etc.), reportagem, carta deleitor, fórum de leitor, editorial, artigo deopinião, charge (web charge), crônicajornalística, resenha crítica, tirinha,entrevista, classificados, anúncio,propaganda...IMPRENSAEXEMPLOS DE GÊNEROSORAIS E ESCRITOSESFERASSOCIAIS
  22. 22. Kátia Lomba Bräkling(2008)22PRODUÇÃOECONSUMOrótulos, gêneros quecirculam em embalagens,instruções de uso,instruções de montagem,regulamento, regras dejogo, bula...PUBLICIDADEanúncio (tv, radio,internet etc.),propaganda (em váriasmídias), cartazes,gêneros que circulam emcampanhas ...PCNP Jeanny Silva
  23. 23. ESCOLAinstrução/consigna,tomada de notas,seminário, verbete deenciclopédia diálogo oudiscussão argumentativa,relatório, resenha,fichamento, relato deexperiências (científicas),ensaio escolar, relatohistórico, teoremaPCNP Jeanny Silva
  24. 24. POLÍTICAcarta de reclamação,carta desolicitação, cartaaberta,abaixo-assinado,panfleto, discurso político (depalanque),debateJURÍDICAdiscurso de defesa(advocacia), discurso deacusação (advocacia),boletim de ocorrência,depoimento,procuração, leis, constituição,declaração de direitos etc.PCNP Jeanny Silva
  25. 25. LITERATURApoema, conto popular,conto maravilhoso, conto defadas, lenda, fábula,narrativa de aventura,narrativa de ficçãocientífica, narrativa deenigma, romance noir,crônica literária...CIÊNCIAartigo científico, projeto depesquisa, relatório depesquisa, conferência,palestra, relato histórico,debate...PCNP Jeanny Silva
  26. 26. Assim, chegamos as primeiras conclusõescom respeito a gêneros:• Cada esfera de troca social elabora tiposrelativamente estáveis de enunciados: osgêneros.•A escolha de um gênero se determina pelaESFERA, as necessidades da temática, oconjunto dos participantes e a vontadeenunciativa ou intenção do locutor.
  27. 27. Esfera e sua relação com ocontexto de produçãoContexto de produção – local, momento deprodução, emissor, receptor, instituição ondese dá a interação, o papel social representadopelos interlocutores, objetivos que se queratingir.
  28. 28. Mesmo que alguém domine bem uma língua, sentirá dificuldade departicipar de determinada esfera da comunicação se não tiver controle docontexto de produção.“Problemas musculares, tendência a inflamações e torsões,enxaquecas e propensão a acidentes devido à impaciênciasão os problemas a evitar. O melhor será se deixar levarpela emoção, quase que se deixando levar pelos aspectos davida que têm mais a ver com imprecisão, com o caos, doque com o racional e o lógico. Mais importante ainda: aoinvés de ações intempestivas, sentir, captar e receber serãoos caminhos mais curtos e certeiros nessa onda forte. ”Que texto éesse? É fácilidentificá-lo?
  29. 29. “Problemas musculares, tendência a inflamações e torsões,enxaquecas e propensão a acidentes devido à impaciência sãoos problemas a evitar. O melhor será se deixar levar pelaemoção, quase que se deixando levar pelos aspectos da vidaque têm mais a ver com imprecisão, com o caos, do que como racional e o lógico. Mais importante ainda: ao invés deações intempestivas, sentir, captar e receber serão oscaminhos mais curtos e certeiros nessa onda forte. ”Sagitário - 22/11 a 21/12
  30. 30. Por seu absoluto conforto, por sertambém inteiramenteimperceptível. E isso é importantepara ela ...Que texto éesse? É fácilidentificá-lo?
  31. 31. ENFIM ....Segundo a teoria bakhtiniana, produzir linguagem significaproduzir discursos: dizer alguma coisa a alguém, dedeterminada forma, em determinado contexto histórico, emdeterminada circunstância de interlocução. Assim, em cadaesfera (espaço de circulação de discurso ou situação) deatividade social, utilizamos um tipo de linguagem de acordode acordo com o gênero de discurso específico, com regrasconstruídas socialmente ao longo da história e que foramincorporadas por nós.
  32. 32. café
  33. 33. Atividade:Se a história da Chapeuzinhofosse verdade, como seriacontada na imprensa brasileira?Dinâmica:diferentes maneiras de contaruma mesma história.
  34. 34. Cartaz da ediçãoespecialJá nas bancas
  35. 35. Na dinâmica percebemos• Dependendo do contexto de produção(programa da Hebe, Fantástico, revista globorural) surgem algumas mudanças no texto, taiscomo:• a) sentido das palavras (literal/figurado)• b) entonação• c) linguagem formal / informal• d) etcEssas características são definidaspelo contexto de produção.
  36. 36. Esfera daIMPRENSAReportagem →Esfera daPUBLICIDADE • Anúncio – Revista G Magazine, Caras…• Cartaz - Playboy Entrevista - Hebe Reportagem – Jornal Nacional, RevistasCláudia, Nova … Notícias - Datena, Jornal Agora, O Globo
  37. 37. De acordo com Marcuschi (2003), suporte éum locus físico ou virtual com formatoespecífico que serve de base ou ambiente defixação do gênero materializado como texto.
  38. 38. 40ENTÃO, O QUE É UM GÊNERO?Tipos relativamente estáveis de enunciado,presentes em cada esfera da atividadehumana e sociohistoricamente construídos(Bakhtin, 1992, p. 279)
  39. 39. De acordo com o Círculo Bakhtiniano, todo gênero estáligado a uma campo ou esfera de atividade humana, apartir da qual se constitui historicamente pelaestabilização de determinados enunciados. Estaligação com a esfera na qual são produzidos e na qualcirculam os enunciados aparece materializada nogênero, que pode ser descrito pelas diferentesdimensões que o constituem, todas relacionadas entresi:
  40. 40. “O enunciado reflete as condiçõesespecíficas e as finalidades de cada umadessas esferas, não só por seu conteúdotemático e por seu estilo verbal, ou seja pelaseleção operada nos recursos da língua –recursos lexicais, fraseológicos e gramaticais– mas também, e sobretudo, por sua construçãocomposicional”(Bakhtin, 1992, p. 279)
  41. 41. 43• Conteúdo Temático• Forma Composicional• EstiloELEMENTOS QUECONSTITUEM UM GÊNERO
  42. 42. 44ESFERASITUAÇÃO DE PRODUÇÃOCONTEÚDO TEMÁTICOGÊNERO ESTILOFORMA COMPOSICIONAL
  43. 43. 45FORMA ou Construção ComposicionalForma(s) de organização geral dostextos pertencentes àquele gêneroPartes típicas dos textospertencentes àquele gênero e suasrelações
  44. 44. Observe:sur le port appartment spacieux de 90m2 résidence avez PISCINE, parkink eGRUISSAN, France, Languedoc Roussillon - Aude.Appartement, 5 pièce(s), Duplex, Cuisine indépendante, Salon, Salle à manger,1 salle de bains, Loggia,4-8 personnes, 90 m2, Mer : 700 m, MARBONNE : 10 KmLave-vaisselle, Lave-linge, Congélateur, Piscine dans résidence, Télévision,Parking privatif350 € - 750 €350750EURO / semaine - Disponible à partir du 18/04/2009. Courtséjour à partir de 3 joursDétail + contact loueur – Afficher la carte – Référence 134079
  45. 45. Et toi, et toi,Comme ça tu vas me tuer,Ai si je te prends, ai ai si je te prendsDélicieuse, délicieuxComme ça tu vas me tuer,Ai si je te prends, ai ai si je te prendsSamedi soir en disco,Le "people" à commencer à danser,Jai vu passer à la plus jolie fille,Jai pris courage,Et jétais lui parlerEt toi, oui toi,Comme ça tu vas me tuer,Ai si je te prends, ai ai si je te prendsDélicieuse, délicieuxComme ça tu vas me tuer,Ai si je te prends, ai ai si je te prends
  46. 46. En françaisAI SE EU TE PEGO (FRANCÊS) - Michel Teló (letra e vídeo).wmv
  47. 47. ASSIM, A ORGANIZAÇÃO COMPOSICIONALÉ o modo de organizar o texto, de estruturá-lo.Por exemplo: a carta trazem indicação do local e dadata em que foram escritos e o nome de quem escrevee da pessoa para quem escreve
  48. 48. 51ESTILOSeleção de recursos da língua:fraseológicos;lexicais;gramaticais.Marcas lingüísticas recorrentes.
  49. 49. 54O CONTEÚDO TEMÁTICOO QUE PODE SER DIZÍVEL POR MEIO DE UMGÊNEROASSUNTOS TÍPICOS DAQUELE GÊNERO
  50. 50. Conteúdo temáticoO conteúdo temático não é o assunto específico deum texto, refere-se a abordagem dos temas(maneira pela qual o assunto é tratado no texto),considerando o gênero.
  51. 51. A problemática gravidez precoceDe acordo com dados fornecidos pelo IBGE, desde 1980 o número de adolescentes entre15 e 19 anos grávidas aumentou 15%. Significa que cerca de 700 mil meninas se tornammãe a cada ano no Brasil.Acredita-se que este problema sócio-econômico esteja vinculado à falta de informação,principalmente nas camadas mais desfavorecidas da sociedade, que são as queapresentam maio índice de gravidez precoce. Porém, o governo promove campanhaspreventivas anualmente, comprovando que o problema não é a falta, mas o não uso dainformação. Os jovens atuais não têm perspectivas de um futuro melhor, pois suas vidassão miseráveis. As pílulas anticoncepcionais[...]A gravidez precoce gera efeitos negativos no país, devido a diversos fatores. Por causada gestação, jovens são obrigadas a deixar a escola para se dedicar ao mais novo filho.No período que deveriam estar se qualificando para ingressar no mercado de trabalho,trocam os livros pelas fraldas. Também é comum que haja a expulsão da menina de suacasa, por falta de aceitação da família. Desta maneira, o problema passa para o governo,que de certa forma irá sustentar a adolescente.Na contramão do aumento do número de jovens grávidas […]Portanto, o principal motivo da gravidez na adolescência é o não uso das informações,devido a motivos econômicos e sociais. È importante destacar que […] os esportes e amúsica, por exemplo. Outra solução é a melhora na distribuição dosmétodos anticoncepcionais nos postos de saúde, para que eles se tornemacessíveis às camadas baixas da sociedade.http://educacao.uol.com.br/bancoderedacoes/redacao/ult4657u213.jhtmEstru-turacompo-sicional:Textodividido empará-grafos...ConteúdotemáticoEstilo: utilização de conjunções, verbo em 3ª etcGênero:Artigo deopinião
  52. 52. GRAVIDEZ PRECOCETer filho na adolescênciapode ser projeto de vidada Folha Online, em CampinasA falta de perspectiva dos adolescentes, principalmente os de classe média baixa, motiva o que amédica chefe da Unidade de Adolescentes do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da USP(Universidade de São Paulo), Maria Ignes Saito, identificada como projeto de vida, de realizaçãopessoal nos filhos."É como a escolaridade. Aqui mesmo na unidade conheço muitos adolescentes que têm a intençãode estudar, mas como não existe meios de acesso, principalmente financeiros, o filho épraticamente um diploma", explica.A independência também pode ser um fator que leve o adolescente a ignorar os métodosanticoncepcionais. "Uma menina que vive em um barraco com outros sete irmãos, por exemplo,prefere engravidar e montar um barraco ao lado do de sua família e se tornar independente", dizMaria Ignes.A médica também critica a banalização da sexualidade na mídia e a ausência da família naformação do adolescente. "Hoje vemos a televisão e a Internet educarem as crianças sem nenhumcontraponto que coloque uma orientação."Para ela, faltam ainda políticas para a juventude. "Aqui na unidade temos uma política amplavoltada para todos os aspectos do adolescente. Tratamos sobre atividade sexual, mas nossos índicesde gravidez são baixos."A unidade tem hoje aproximadamente 500 adolescentes (52% de meninas) em idades que variamde 12 a 19 anos, todos de classe média baixa.http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/gravidez_precoce-usp.shtmlGênero:ReportagemConteúdo temáticoEstilo:citação de pesquisas,Comentários deautoridades ..Estrutura composicional: texto e imagem
  53. 53. Mal pude acreditar quando abri o exame… estava grávida, a notícia caiu em mimcomo uma porrada! Como iria contar aosmeus pais? Eu grávida com quinze anos!!?E agora? Que foda!!!Espero que o Marcelo fique feliz.Juliana12/08/09Gênero:DiárioEstilo:verbos em 1ª pessoa, tom coloquial etcConteúdo temático:Gravidez precoceEstru-turacomposicional:Sempreocu-paçãocomparagra-fação,textocurto,umnarrador etc
  54. 54. Perceba que para Bakhtin a utilização dedeterminados recursos linguísticos nacomposição dos enunciados de um dado gênerose dá pela relação desse gênero com umadeterminada esfera das práticas sociais. Nessesentido, a forma composicional e o estilo searticulam intimamente com o conteúdotemático dos gêneros e todos os três são osefeitos de seu vínculo historicamentesedimentado com uma determinada esfera deatividade ou prática social.
  55. 55. Conteúdo temáticoAssunto do texto,mensagem transmitidaPlano de composiçãoEstrutura formal do textoEstiloVocabulário, estruturas frasaise preferências gramaticais
  56. 56. Das considerações realizadas até agora, éimportante que você atente para este fato:dentro de uma mesma esfera de atividade e deum mesmo gênero de discurso, não somentepodemos encontrar processos de textualizaçãodiferentes (diferentes formulações ou formascomposicionais dos textos enquadrados nessegênero), mas também diferentes posiçõesideológicas, representadas nos textos, a partirdas quais os interlocutores enunciam, dandolugar à produção de diferentes efeitos desentido.
  57. 57. 62ENTÃO, O QUE É UMGÊNERO?Os gêneros são produtos da cultura dedeterminada sociedade. Constituídospor certos conteúdos, além de estilo eforma próprios, apresentam funçõessociais específicas. Tornam-se, dessemodo, modelos comunicativos quepermitem a interação social.
  58. 58. Exemplos de gêneros orais e escritos:Conto maravilhosoFábula / LendaNarrativa de aventuraNarrativa de ficção científicaBiografia romanceadaContoCrônica LiteráriaPiadaNotíciaEtc→ Atenção: Bakhtin não faz catálogos de gêneros.
  59. 59. Bakhtin insiste no fato de que os gêneros sãotipos relativamente estáveis de enunciados.Sabe-se que os gêneros vão sofrendo modificações emconsequência do momento histórico em que estãoinseridos. Cada situação social dá origem a um gênerocom suas características peculiares. Levando-se emconsideração a infinidade de situações comunicativase que essas só são possíveis graças à utilização dalíngua, pode-se perceber que infinitos também serãoos gêneros.
  60. 60. Esta imensa heterogeneidade fez com que Bakhtinpropusesse uma primeira grande “classificação”, dividindo osgêneros do discurso em dois grupos: primários e secundários.Os primários relacionam-se às situações comunicativascotidianas, espontâneas, informais e imediatas, como a carta,o bilhete, o diálogo cotidiano. Os gêneros secundários,geralmente mediados pela escrita, aparecem em situaçõescomunicativas mais complexas e elaboradas, como o teatro, oromance, as teses científicas, etc. Tanto os gêneros primáriosquanto os secundários possuem a mesma essência, em outraspalavras, ambos são compostos por fenômenos da mesmanatureza, os enunciados verbais. O que os diferencia é o nívelde complexidade em que se apresentam.Bilhete é umgênero primárioRomance é um gênerosecundário
  61. 61. Gênero textual é a mesmacoisa de tipo textual??
  62. 62. Ao fazer a transposição didática doensino de gêneros, alguns autores(Marcuschi, Schneuwly,Dolz)agruparam os gêneros conformesuas características comuns emtipologias textuais.
  63. 63. CAPACIDADES DELINGUAGEM DOMINANTE(domínios sociais de comunicação)AGRUPAMENTOS(aspectos tipológicos) GÊNEROS TEXTUAIS (orais e escritos)Refere-se à discussão de questõessociais controversas, exigesustentação, refutação e negociaçãonas tomadas de posiçãoARGUMENTARDebate; carta de leitor; carta de reclamação; carta desolicitação; requerimento; mesa-redonda; editorial;resenha crítica; abaixo-assinado; editorial; ensaio;discurso de defesa ou acusação; dialogoargumentativo; debate regrado público; anúnciopublicitário etcApresentação textual de diferentesformas de saberes. Voltado àconstrução e transmissão de saberes,exige apresentação textual paraorganização das ideias e dosconceitos.EXPORConferências, palestras; resumo de texto expositivo;seminário; verbete de enciclopédia; exposição oral;relatório científico; texto expositivo em livrodidático; tomada de notas; textos “explicativos” etcRefere-se as instruções e prescriçõesde ações voltadas à regulação mútuade comportamento. (Alguns autorestambém classificam como injuntivo)INSTRUIRInstruções de montagem; receita; regulamentos; regras dejogo; instruções de uso; comandos diversos; regimento;mandamentos; cartazes (alguns tipos); bula; livros deauto-ajuda; sermão religioso (alguns); tabelas; guia deviagens; mapas etcVoltado à cultura literária ficcional e arecriação da realidade, caracteriza-sepela intriga no campo do verossímil NARRARLenda; romance; fábula; novela; contos (aventura, fadas,terror, suspense …) cronica literária; adivinha, piada,HQ; ficção científica; biografia romanceada; epopeia;texto teatral, música etcRepresentação pelo discurso de deexperiências vividas, situadas notempo e no espaço. DocumentaçãoRELATARNotícia, reportagem; caso; diário íntimo; testemunho;currículo; relato histórico; relatos (de viagem, deaventura; policial etc); autobiografias; biografia; crônica
  64. 64. Vídeo: gêneros textuais ...Retomar a atividade inicial
  65. 65. Para o 2º encontro:Ler o texto de Schneulwy eDolz
  66. 66. Referências:Dionisio, Angela Paiva; Machado, Anna Rachel; Bezerra,Maria Auxiliadora; Gêneros Textuais e Ensino, 4ª Edição,Editora Lucerna, Rio de Janeiro, 2005.Schneuwly, Bernard e Dolz, Joaquim – Gêneros Orais eEscritos na Escola, Editora Mercado de Letras, Campinas-SP, 2004.Revista Nova Escola, Como trabalhar com gêneros –Editora Abril, Agosto de 2009.Currículo do Estado de São Paulo – Linguagens, Códigos esuas Tecnologias – Ensino Fundamental Ciclo II e EnsinoMédio.

×