Trabalho Realizador por Beatriz Koehler

1.600 visualizações

Publicada em

Publicada em: Aperfeiçoamento pessoal
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.600
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho Realizador por Beatriz Koehler

  1. 1. Concurso de Leitura<br /><ul><li>Título do Livro: Recados da Mãe
  2. 2. Autor: Maria Teresa Maia Gonzalez
  3. 3. Editora: Verbo</li></ul>Trabalho feito por: Beatriz Koehler<br />Turma: 7ºA<br />Número: 2 <br />
  4. 4. “Recados da Mãe”<br />Duas irmãs, Clara e Leonor, de dez e seis anos, respectivamente, esperam a mãe à porta da escola há quase uma hora. Alguma coisa se passará, porque será que está tão demorada? <br /> Clara decide ir telefonar ao pai para as vir buscar, visto que no emprego da mãe lhe disseram que ela já tinha saído há imenso tempo.<br /> O pai, que está divorciado da mãe e vive com outra senhora e os seus filhos, parece ter novidades sobre a mãe e diz às filhas que ela se encontra no hospital, depois de um grave acidente de carro.<br /> Passadas algumas horas, deu-se a notícia da morte da mãe. As meninas foram uns dias para casa do pai e da sua companheira, a Paula.<br />
  5. 5. Depois de alguns dias em casa do pai, chega uma senhora de idade, que as meninas não fazem ideia quem seja, mas que de seguida se apresenta, dizendo que é a avó Matilde, a mãe da mãe delas.<br /> Nunca se tinham conhecido, porque a mãe e a avó estavam muito distantes uma da outra.<br /> O pai diz-lhes que vão passar umas férias com a avó, em Coimbra, na sua quinta. As meninas, obedientes, vão fazer as suas malas e partem com a avó Matilde.<br /> A pequena Leonor simpatizou com a avó, mas Clara, sabendo que a mãe e a avó tinham tido uma zanga, achou que a senhora não era de confiança.<br />
  6. 6. Chegadas a Coimbra, a avó apresenta a tia Amélia e os criados às suas netas e instala-as no quarto que vai ser delas.<br /> Clara e Leonor passaram um dia divertido, em casa da avó, a brincar no enorme jardim da Quinta do Chorão, mas sempre cheias de saudades da mãe.<br /> No entanto, todos os dias, de noite, Clara sonhava com a mãe. Esta conversava com ela e dava-lhe recados para dar à Leonor. Então, de manhã, Clara contava tudo o que a mãe lhe dissera na noite anterior a Nonô, a sua irmã mais nova e esta ficava deliciada com todas as coisas bonitas de que a mãe falava.<br /> Por outro lado, ficava triste porque nunca sonhava com a mãe… <br /> Os dias foram passando e não chegava o dia do pai as ir buscar, até que a avó resolveu ligar-lhe.<br /> Ele perguntou à avó Matilde se as suas filhas não poderiam ficar a morar lá, já que este não tinha muito tempo para elas. <br />
  7. 7. A avó aceitou a proposta; as meninas estavam com saudades do pai, mas não tinham outro remédio.<br /> Como o ano lectivo estava quase a começar, a avó foi inscrever as netas num colégio de freiras e comprar-lhes a farda e outras coisas necessárias.<br /> Clara começou a simpatizar com a avó e Leonor estava a gostar, também, cada vez mais dela.<br /> A escola começa e as meninas ficam nervosas por terem de dormir fora de casa e só poderem estar juntas na hora de almoço e à tarde, quando saem das aulas, mas depois vão-se habituando a esta rotina.<br /> Passam-se muitos anos e elas crescem e têm de seguir cada uma o seu caminho, apesar de em pequenas terem prometido que nunca se iriam separar. Clara decidiu ser freira, em África, numa instituição de crianças órfãs.<br /> Leonor ficou por Coimbra, a estudar e a viver na casa que era da avó Matilde, que já tinha falecido.<br />
  8. 8. As duas irmãs vão-se escrevendo, pois vêm-se muito raramente e é a única maneira que têm para matar saudades uma da outra e continuar a falar das saudades que têm da mãe.<br /> FIM<br />

×