Coerência - 8º ano

7.699 visualizações

Publicada em

Material da Porto Editora

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.699
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
586
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
348
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Coerência - 8º ano

  1. 1. Coesão e coerência textuais Porto Editora
  2. 2. Porto Editora A palavra texto deriva do latim textu- (tecido). Um texto é, assim, um entrelaçamento, ou seja, um conjunto ordenado de enunciados, devidamente articulados de acordo com critérios de coesão e de coerência textuais.
  3. 3. Porto Editora Há coesão textual quando os vários elementos linguísticos de um texto se encontram ligados entre si.
  4. 4. Porto Editora A coesão é assegurada através:  da ordem das palavras na frase Ex.: Eu li um livro. (*Um li eu livro.)  da concordância Ex.: Eu li um livro. (*Eu li uma livro.)  do uso correto de preposições, conjunções, conectores Ex.: Li um livro em duas horas; de seguida, fechei-o e arrumei-o.
  5. 5. Porto Editora  da pronominalização Ex.: Li um livro; de seguida, fechei-o e arrumei-o.  da substituição lexical Ex.: Os livros são mais interessantes do que os filmes; de facto, as películas são pouco expressivas.  da repetição intencional Ex.: Leio muitos livros: leio romances, leio BD, leio poesia…  do uso interdependente dos tempos verbais Ex.: Lembro-me que aos quinze anos li um livro que já lera antes.
  6. 6. Porto Editora Os conectores discursivos estabelecem relações entre as diversas partes do discurso, contribuindo para a sua coesão. Tipo de relação Conectores discursivos Adição e, não só … mas também, nem … nem, além disso, ainda por cima, do mesmo modo, igualmente… Alternativa ou, ou … ou, ora … ora, quer … quer, em alternativa… Causa porque, visto que, já que, uma vez que, por causa de… Comparação como, também, do mesmo modo… Concessão embora, ainda que, ainda assim, apesar de… Conclusão logo, portanto, donde se segue… Condição se, caso, a não ser que, exceto se… Consequência consequentemente, de tal forma que, tanto … que, tal/tais …que…
  7. 7. Porto Editora Tipo de relação Conectores discursivos Contraste/oposição todavia, contudo, de qualquer modo, em todo o caso… Dúvida talvez, possivelmente, é provável que… Exemplificação exemplificando, por exemplo, nomeadamente… Finalidade a fim de, para que, com vista a, com o objetivo de… Opinião na minha opinião, segundo o meu ponto de vista… Resumo/Síntese resumindo, em síntese… Sequencialização em primeiro lugar, posteriormente, de seguida, concluindo… Tempo quando, antes que/de, depois que/de, sempre que, ao mesmo tempo que…
  8. 8. Porto Editora Considera-se que um texto é coerente, ou seja, apresenta coerência textual, quando as ideias que o constituem se encontram ligadas de forma lógica, permitindo a sua correta interpretação.
  9. 9. Porto Editora Nota: Seria incoerente dizer Gostei de ler o livro, pois a intriga era desinteressante. (A justificação apontada contradiz o facto de se ter apreciado a leitura – apresenta-se um argumento negativo quando se quer justificar um aspeto positivo.) Ex.: Gostei de ler o livro, pois a intriga era interessante. (Esta frase é coerente, pois a justificação apontada para o facto de se ter apreciado a leitura é lógica.)
  10. 10. Porto Editora  que se mantenham alguns referentes (por exemplo, no texto narrativo, podem manter-se como referentes as personagens, o espaço e o tempo);  que se introduza informação nova (garantindo a progressão temática);  que não se contradiga o que se disse (ou que ficou pressuposto) antes. Para que um texto seja coerente, é necessário:

×