Waupbm fgv 08112011

359 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
359
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Waupbm fgv 08112011

  1. 1. Contratos de performance paraeficiência energética e redução deperdas de águaGrupo de Economia do Saneamento, Energia& Soluções AmbientaisSão Paulo, 08 de novembro de 2011Apoio:
  2. 2. Cinco pontos para discussão...1. O aumento da eficiência é fundamental para o atingimentodas metas de universalização no saneamento2. Há um enorme potencial de redução de perdas de água e deconsumo de energia no Brasil3. Foco em gestão para desenvolver ferramentas para reduziras perdas de água4. ...e para eficiência energética5. Elaboração do manual será compartilhado com instituiçõesde ensino e pesquisa, estudiosos do tema e empresas ecidadãos interessados
  3. 3. Sumário...1. As perdas de água no Brasil e a ineficiênciaenergética2. Objetivo, escopo e estrutura do projeto3. Ferramentas técnicas para redução de perdas deágua4. Ferramentas para promoção da eficiênciaenergética5. Desenho dos contratos
  4. 4. 1. As perdas de água no Brasil e aineficiência energética
  5. 5. Motivação do manual: perda média de água émuito elevada...• Em algumas regiões do país a perda de água supera60%• Estimativa oficial de perdas no Brasil se aproxima de40%• Padrão internacional se situa entre 15-20% e emalgumas regiões da Europa e do Japão chega a sermenor do que 10%
  6. 6. Motivação do Manual: grande potencial paraeficiência energética no saneamento...• Instalações de saneamento representamaproximadamente 3% do consumo total de energiano país• Estima-se potencial de eficiência energética de 15 a20%
  7. 7. Motivação do Manual: baixa capacidade deinvestimentos ...• Mais de 60% das empresas estatais de saneamentotem dificuldades para conseguir empréstimos e fazerinvestimentos• Contratos de performance são pouco conhecidos ehá dificuldades na sua modelagem• Eficiência operacional e comercial geram maisreceitas, reduzem despesas e aumentam capacidadede endividamento e investimento
  8. 8. 2. Objetivo, Escopo e Estrutura doProjeto
  9. 9. Objetivo do Manual...• Análise do mercado brasileiro• Criação de um guia prático (Water UtilitiesPerformed-Based Manual – WAUPBM)• Instrumento para disseminar as melhores práticas nogerenciamento de projetos de Água, Energia eRedução de Perdas Comerciais
  10. 10. O que o Manual deve ser e conter...• Guia prático e de alto nível para gestores efinanciadores• Estudos de casos brasileiros• Exemplos concretos de parcerias público-público epúblico-privadas• Programas de eficiência energética• Integração multidisciplinar
  11. 11. Uma equipe multidisciplinar...Gesner Oliveira – Economista, ex-presidente da Sabesp e Professor daFGVJulian Thornton – Engenheiro, Consultor e autor - especialista emperdas de água, membro da força tarefa IWA/AWWAEduardo Moreno – Engenheiro, especialista em programas de eficiênciaenergética diretor de Infraestrutura/ energia e saneamento da FiespFernando Marcato – Advogado e ex-secretário executivo de NovosNegócios da SabespPedro Scazufca – Economista e ex-assistente executivo da Presidênciada Sabesp
  12. 12. Estrutura do Manual...1. Introdução: a importância do controle de perdas eganho de eficiência2. Ferramentas técnicas:2.1 para a redução de perdas de água2.2 para eficiência energética2.3 para eficiência comercial3. Como construir parcerias4. Linhas gerais para contratos de performance
  13. 13. 3. Ferramentas técnicas para a reduçãode perdas de água
  14. 14. Breve análise da bibliografia existente…Usar lições aprendidas e aplicar à realidade brasileira
  15. 15. Water audit…O que a “Water Audit” identifica:Volume de perda de águaValor dos componentes da perda de águaBusiness case para redução da perda para as metasestabelecidasGravações e sistemas de controle de equipamentos comomedidores são checados quanto à precisãoO objetivo é ajudar na seleção e implementação deprogramas para reduzir perdas de água e mantê-las emníveis economicamente viáveis e gerenciar a empresa deutilidade pública como um negócio eficiente
  16. 16. Estabelecendo alvos e incentivos…Objetivos realistas focados narepartição dos resultados ocmfuncionários, delegação ereconhecimento do que funciona edo que não funciona!
  17. 17. Roteiro para implantação…
  18. 18. • Em um contrato do tipo OBD (Output BasedDisbursement) o cliente toma todo o risco – mas recebeum preço melhor do contratante• Em um contrato de “performance integral” ou resultados ocontratante toma todo o risco - mas exige uma margemmaior• Em um contrato híbrido as duas partes tomam parte dorisco – geralmente o cliente remunera a infraestrutura combase em um contrato OBD e o restante dos serviços sãoprestados com base de performanceAlguém tem que tomar o risco!
  19. 19. Estudos de casos internacionais…Exemplo… Bahamas 100% Perfomance para redução deNRW – desafios – intermitência no fornecimento –solução IWA e correções FAVAD
  20. 20. Estudos de casos nacionais…Exemplo… SABESP Unidade Sul 100% Performance para redução de NRW – desafios – altosinvestimentos necessários para reecuperar a infraestrutura e curto prazo para remuneraro contratado. Setores: Chacara Flora, Mussolini, Vila Cacilda, Vila do Encontro eAmericanópolis – cada com seus próprios desafios e soluções
  21. 21. 4. Ferramentas para promoção daeficiência energética
  22. 22. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM PROJETO DEEFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM PROJETO DESANEAMENTOSANEAMENTOPROGRAMAS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICAPROGRAMAS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA
  23. 23. • Consumo de energia elétrica total: 455.189 GWh/ano;• Demanda de energia elétrica total: 60 GW;• Potencial Eficiência Energética: ~ 10% do consumo  45.519 GWh/ano(consumo) ou 6 GW (demanda);• PEE ANEEL atual: 1,36% do potencial de eficiência energéticaVisão geral do cenário brasileiro...
  24. 24. • Sustentabilidade ambiental;• Redução de risco energético;• Redução de 2 a 3 vezes em relação ao investimento de expansão comenergia elétrica;• Prazo de implantação de 2 a 3 anos, contra 4 a 8 anos para o prazo deexpansão;• Aquecimento do mercado de fabricantes de produtos para eficiênciaenergética, serviços e afins;• Redução de despesas dos consumidores, melhorando acompetitividade dos diversos setores (industrial, comercial e público);• Investimento estimado para o potencial de EE: ~ R$ 20 BiAplicação de eficiência energética...
  25. 25. Estudos de caso nacionais...Sabesp Americanópolis:PRIMEIRO CONTRATO DE PERFORMANCE PELA LEI 8.666 COMREMUNERAÇÃO BASEADA EM REDUÇÃO DE PERDAS DEÁGUA E ECONOMIA DE ENERGIA !!!• Responsabilidade de uma única empresa paradiagnóstico, implantação e garantia de performance;• Agilidade e redução do prazo para implantação do projeto.• Licitação da Sabesp – assinatura do contrato março/2010;• Consórcio: Vitalux e Restor.PRIMEIRO PROJETO FINANCIADO PELA NOSSA CAIXADESENVOLVIMENTO LINHA DE FINANCIAMENTO ECONOMIAVERDE.
  26. 26. Cenário – Antes da implantação...DADOS OPERACIONAIS• Zona alta atendida por 1 Bomba de 300 CV + 2 bombas de 75 CV;• Sistema de bombeamento sem inversores de frequência;• Pressão média do sistema acima de 35 mca;• Controle através de histórico de consumo. ( Faixa de Horários);• Altos índices de vazamento.
  27. 27. Proposta do projeto...MEDIDAS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA• Setorização e modelagem hidráulica com análise depontos críticos;• Substituição de bombas e motores;• Instalação de inversores de frequência;• Instalação de booster;• Instalação de sistema de automação;• Redução da pressão de distribuição da zona alta com set-points variáveis ao longo do dia;• Pesquisa de vazamentos.
  28. 28. Eficiência energética em saneamento...Economia global projetadaR$ 1,5 Mi/ano3 BOMBAS DE 250 CV1 BOOSTER DE 7.5 CVSISTEMA DE AUTOMAÇÃO
  29. 29. 5. Desenho dos contratos
  30. 30. Amparo na Lei 8.666/93...• Enquadrados como contratos de serviços e não de obras• Foco em resultado• Prazo máximo de 5 anos• Não há preços unitários. Preço global• Licitação por técnica e preço
  31. 31. Contratação de empresa privada – “PPP paraeficiência energética e redução de perdas de água”Empresa desaneamentoPrestadordo serviçoFinanciadorPagamento ($) + Cessão fiduciária de recebíveisFinanciamentoGarantiasContrato de performanceServiços + Investimentos
  32. 32. Empresa desaneamentoFinanciadorEmpresa desaneamentoPrestadordo serviçoFinanciamentoContratação de empresa privada – “Parceriapúblico-público” para redução de perdas de águaPagamento ($) + Cessão fiduciária de recebíveisTransferência de tecnologiaContrato de performanceServiços +InvestimentosGarantiasContrato de PerformanceouContrato de serviços
  33. 33. Estrutura de remuneração...ESCOESCOClienteClienteClienteClienteNovo Custo dos InsumosNovo Custo dos InsumosCustoCustodosdosInsumosInsumosNovo Custo dos InsumosNovo Custo dos InsumosCustoCustodosdosInsumosInsumosPerPerííodoodo dodo ContratoContratoEconomia CompartilhadaEconomia CompartilhadaEconomiaEconomiaTotalTotalDecisão eDecisão eImplementaImplementaççãoão
  34. 34. Relembrando os cinco pontos para discussão...1. O aumento da eficiência é fundamental para o atingimentodas metas de universalização2. Há um enorme potencial de redução de perdas de água e deconsumo de energia no Brasil3. Foco em gestão para desenvolver ferramentas para reduziras perdas de água4. ...e para eficiência energética5. Elaboração do manual será compartilhado com instituiçõesde ensino e pesquisa, estudiosos do tema e empresas ecidadãos interessados
  35. 35. Muito Obrigado!

×